Condicoes meio ambiente_trabalho_indsstria_construcao nr 18

3.963 visualizações

Publicada em

0 comentários
9 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
3.963
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
279
Comentários
0
Gostaram
9
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Condicoes meio ambiente_trabalho_indsstria_construcao nr 18

  1. 1. CONDIÇÕES E MEIOAMBIENTE DE TRABALHO NAINDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃOJuarez Sabino da Silva JuniorTécnico de Segurança doTrabalho
  2. 2. ObjetivoEstabelecer diretrizes de ordem administrativa, deplanejamento de organização, que objetivam a implementaçãode medidas de controle e sistemas preventivos de segurançanos processos, nas condições e no meio ambiente de trabalhona Indústria da Construção.
  3. 3. Comunicação PréviaÉ obrigatória a comunicação á Delegacia Regional do Trabalho,antes do início das atividades, das seguintes informações.• Endereço correto da obra• Datas previstas do inicio e conclusão da obra• Tipo de obra• Datas previstas do início e conclusão da obra• Número máximo previsto de trabalhadores na obra
  4. 4. Programa de Condições e Meio Ambientede Trabalho na indústria da ConstruçãoSão obrigatórios a elaboração e o cumprimento do PCMAT nosestabelecimentos com 20 trabalhadores ou mais e outrosdispositivos complementares de segurança.
  5. 5. Roteiro do PCMATAnalise de Projetos - (Métodos Construtivos, instalações eequipamentosVistoria do local - (Comércio,Transito,Pósteamento ElétricoPublico, imóveis,etc.Reconhecimento e avaliação dos riscos
  6. 6. Roteiro do PCMATElaboração do documento base – É o levantamento descrito eespecifico das fases de processo de produção.Implantação do programa - Treinamentos de pessoal envolvidona obra, especificação de EPI,s, avaliação constante dosriscos, com o objetivo de atualizar o PCMAT, realização deauditorias em escritório e em campo para verificar a eficiênciado sistema de segurança do trabalho e aprimorar o PCMAT,estabelecimento de métodos como indicadores dedesempenho
  7. 7. Implementação do Programa-Cronograma
  8. 8. Demolição• Antes de se iniciar a demolição, as linhas de fornecimento deenergia, água, inflamáveis líquidos e gasosos liquefeitos,substâncias tóxicas, canalizações de esgoto e de escoamentode água devem ser desligadas, se as normas e determinaçõesem vigor.• As Construções vizinhas á obra de demolição devem serexaminadas, prévia e periodicamente, no sentido de serpreservada sua estabilidade e a integridade física de terceiros.
  9. 9. Escavações e Fundações• A área de trabalho deve ser previamente limpa devendo serretirados ou escorados solidamente árvores, rochas ,equipamentos, materiais e objetos de qualquer natureza,quando houver risco de comprometimento de sua estabilidadedurante a execução de serviços.• Obs.: Devemos ter cuidados com cabos subterrâneos deenergia elétrica nas proximidades das escavações, as mesmassó poderão ser iniciadas quando o cabo estiver desligados.
  10. 10. TaludesOs taludes instáveis das escavações com profundidadesuperior a 1,25 m deve ter sua estabilidade garantida por meiode estruturas dimensionadas para este fim.Também devem dispor de escadas ou rampas, colocadaspróximas aos postos de trabalho, afim de permitir, em caso deemergência, a saída rápida dos trabalhadores.
  11. 11. Taludes• Quando houver possibilidade de infiltração ou vazamento degás, o local deve ser devidamente ventilado e monitorado.• As escavações realizadas em vias públicas ou canteiros deobras devem ter sinalização de advertência, inclusive noturna,e barreira de isolamento em todo o seu perímetro.SilveirãoConeCavalete
  12. 12. Carpintaria• As operações em máquinas e equipamentos necessários árealização da atividade de carpintarias somente podem serrealizadas por trabalhador qualificado.
  13. 13. Serra CircularA Serra circular deve atender ás disposições:• Ser dotada de mesa estável, com fechadura de suas facesinferiores, anterior e posterior.• Construída em madeira resistente e de primeira qualidade,material metálico ou similar de resistência equivalente, semirregularidades, com dimensionamento suficiente para aexecução das tarefas.• Ter a carcaça do motor aterrada eletricamente.
  14. 14. Serra CircularA Serra circular deve atender ás disposições:• O Disco deve ser mantido afiado e travado, devendo sersubstituído quando apresentar trincas, dentes quebrados ouempenamentos.• As transmissões de força mecânica devem estar protegidasobrigatoriamente por anteparos fixos e resistentes.• Ser provida de coifa protetora do disco e cutelo divisor, comidentificação do fabricante e ainda coletor de serragem.
  15. 15. Serra Circular• Nas operações de corte de madeira devem ser utilizadosdispositivo empurrador e guia de alinhamento.• As lâmpadas de iluminação de carpintaria devem estarprotegidas contra impactos provenientes da projeção departículas.• A carpintaria deve ter piso resistente nivelado e antiderrapante,com cobertura capaz de proteger os trabalhadores contraquedas de materiais e intempéries.
  16. 16. Armações de Aço• A dobragem e o corte de vergalhões de aço em obra devem serfeitos sobre bancadas ou plataforma apropriadas, afastadas daárea de circulação de trabalhadores.• As lâmpadas de iluminação da área de trabalho da armação deaço devem estar protegidas contra impactos provenientes daprojeção de partículas ou de vergalhões.• É proibida a existência de pontas verticais de vergalhões deaço desprotegidas.• A área de trabalho onde está situada a bancada de armaçãodeve ter cobertura resistente para proteção dos trabalhadorescontra a queda de materiais e intempéries.• Durante a descarga de vergalhões de aço, a área deve serisolada.
  17. 17. Estruturas de concreto• As formas devem ser projetadas e construídas de modo queresistam ás cargas máxima de serviço.• Durante a desfôrma devem ser viabilizados meios queimpeçam a queda livre de fôrmas e escoramentos, sendoobrigatória a amarração das peças e o isolamento e sinalizaçãoao nível do terreno.• As conexões dos dutos transportadores de concreto devempossuir dispositivos de segurança para impedir a separaçãodas partes, quando o sistema estiver sob pressão.
  18. 18. Caçambas Transportadoras• As caçambas transportadoras de concreto devem terdispositivos de segurança que impeçam o seudescarregamento acidental.
  19. 19. Estruturas Metálicas• As peças estruturais pré-fabricadas devem ter pesos edimensões compatíveis com os equipamentos de transportar eguindar.• Os elementos componentes da estrutura metálica não devempossuir rebarbas.• Quando for necessária a montagem, próximo ás linhaselétricas energizadas, devem se proceder ao desligamento darede, afastamento dos locais energizados, proteção das linhas,além do aterramento da estrutura e equipamentos que estãosendo utilizados.
  20. 20. Operações de soldagem e Corte a Quente.• As operações de soldagem e corte a quente somente podemser realizadas por trabalhadores qualificados.• Quando forem executadas operações de soldagem e corte aquente em chumbo, zinco ou materiais revestidos de cádmo,será obrigatória a remoção por ventilação local exautora dosfumos originados no processo de solda e corte, bem como nautilização de eletrodos revestidos.• O dispositivo de manuseio de eletrodos deve ter isolamentoadequado á corrente usada, a fim de se evitar a formação dearco elétrico ou choques no operador.
  21. 21. Operações de soldagem e Corte a Quente.• Nas operações de soldagem ou corte a quente de vasilhame,recipiente ou similar, que envolvam geração de gasesconfinados, é obrigatória a adoção de medidas preventivasadicionais para eliminar riscos de explosão e intoxicação dotrabalhador.• É proibida a presença de substâncias inflamáveis ouexplosivas próximo ás garrafas de O2 (oxigênio).
  22. 22. Operações de soldagem e Corte a Quente.• Os equipamentos de soldagem elétrica devem ser aterrados.• Os fios condutores dos equipamentos dos equipamentos, aspinças ou os alicates de soldagem devem ser mantidos longede locais com óleo, graxa ou umidade, e devem ser deixadosem descanso sobre superfícies isolantes.
  23. 23. Escadas, Rampas e Passarelas• A madeira a ser usada para construção de escadas, rampas epassarelas deve ser de boa qualidade, sem apresentar nós erachaduras que comprometam sua resistência, estar seca,sendo proibido o uso de pintura que encubra imperfeições.• As escadas de uso coletivo, rampas e passarelas para acirculação de pessoas e materiais devem ser de construçãosólida e dotadas de corrimão e rodapé.• A transposição de pisos com diferença de nível superior a0,40m deve ser feita por meio de escadas ou rampas.
  24. 24. Escadas• A escada de mão deve ter seu uso restrito para acessosprovisórios e serviços de pequeno porte.• As escadas de mão poderão ter até 7,00 m de extensão e oespaçamento entre os degraus deve ser uniforme, variandoentre 0,25 a 0,30 m.7,00 m0,25 a 0,30m
  25. 25. EscadasÉ proibido colocar escada de mão:• Nas proximidades de portas ou áreas de circulação.• Onde houver risco de queda de objetos ou materiais.• Nas proximidades de aberturas e vãosObs.: É proibido o uso de escada de mão com montante único.
  26. 26. EscadasA escada de mão deve:• Ultrapassar em 1,00 m o piso superior.• Se dotada de dispositivo que impeça o seu escorregamento.• Ser dotada de degraus antiderrapantes.• Ser apoiada em piso resistente.1,00 m
  27. 27. Escadas• É proibido o uso de escada de mão junto a redes eequipamentos elétricos desprotegidos.• A escada de abrir deve ser rígida estável e provida dedispositivos que a mantenham com abertura constante,devendo ter cumprimento máximo de 6,00 m, quando fechada.• Para cada lance de 9,00 m, deve existir um patamarintermediário de descanso, protegido por guarda corpo erodapé.
  28. 28. Escadas9:00 m
  29. 29. Medidas de Proteção contra Quedas• É obrigatória a instalação de proteção coletiva onde houverrisco de queda de trabalhadores ou de projeção de materiais• As aberturas, em caso de serem utilizadas para o transportevertical de materiais e equipamentos, devem ser protegidas porguarda-corpo fixo, no ponto de entrada e saída de material, epor sistema de fechamento do tipo cancela ou similar.
  30. 30. Medidas de Proteção contra QuedasA Proteção contra queda, quando constituída de anteparosrígidos, em sistema de guarda-corpo e rodapé, deve atenderaos seguintes requisitos:• Ser construída com altura de 1,20 m para o travessão superiore 0,70 m para o travessão intermediário.• Ter rodapé com altura de 0,20 m.• Ter vãos entre travessas preenchidos com tela ou outrodispositivo que garanta o fechamento da abertura.
  31. 31. Medidas de Proteção contra Quedas1,20 m0,70 m Rodapé
  32. 32. Movimentação e Transporte de Materiaise Pessoas• Todos os equipamentos de movimentação e transporte demateriais e pessoas só devem ser operados por trabalhadorqualificado, o qual terá sua função anotada em Carteira deTrabalho.• No transporte vertical e horizontal de concreto, argamassas ououtros materiais, é proibida a circulação ou permanência depessoas sob a área de movimentação de carga, sendo a mesmaisolada e sinalizada.
  33. 33. Movimentação e Transporte de Materiaise Pessoas• Quando o local de lançamento de concreto não for visível pelooperador do equipamento de transporte ou bomba de concreto,deve ser utilizado um sistema de sinalização, sonoro ou visuale, quando isso não for possível , deve haver comunicação portelefone ou rádio para determinar o início e o fim do transporte.
  34. 34. Movimentação e Transporte de Materiaise Pessoas• Antes do início dos serviços, os equipamentos de guindar etransportar devem ser vistoriados por trabalhador qualificado,com relação a capacidade de carga, altura de elevação e estadogeral do equipamento.• Estruturas ou perfis de grande superfície somente devem seriçados com total precaução contra rajadas de vento, neste tipode trabalho é essencial o uso do anemômetro.
  35. 35. Movimentação e Transporte de Materiaise Pessoas• É proibido o transporte de pessoas por equipamentos deguindar não projetado para este fim.• Os equipamentos de transportes de materiais devem possuirdispositivo que impeçam a descarga acidental do materialtransportado.
  36. 36. Elevadores de Transporte de Materiais• É proibido o transporte de pessoas nos elevadores demateriais.• Deve ser fixada uma placa no interior do elevador de material,contendo a indicação de carga máxima e a proibição detransporte de pessoas.
  37. 37. Elevadores de Transporte de Materiaisdevem dispor:• Sistema de frenagem automática que atue com efetividade emqualquer situação tendente a ocasionar a queda livre dacabina.• Sistema de segurança eletromecânica no limite superior,instalado a 2,00m abaixo da viga superior da torre.• Sistema de trava de segurança para mantê lo parado em altura,além do freio do motor.• Interruptor de corrente para que só se movimente com portasou painéis fechados.
  38. 38. Elevadores de Transporte de Materiais• Quando houver irregularidade no elevador de materiais quantoao funcionamento e manutenção do mesmo, estas serãoanotadas pelo operador em livro próprio e comunicadas, porescrito, ao responsável da obra.
  39. 39. Elevadores de Passageiros• Nos edifícios em construção com 12 ou mais pavimentos, oualtura equivalente é obrigatória a instalação de, pelo menos,um elevador de passageiros, devendo o seu percurso alcançartoda a extensão vertical da obra.•É proibido o transporte simultâneo e carga e passageiros noelevador de passageiros.
  40. 40. Elevadores de Passageiros• Em caso de utilização de elevador de passageiros para otransporte de cargas ou materiais, não simultâneo, deveráhaver sinalização por meio de cartazes em seu interior, ondeconste de forma visível, os seguintes dizeres: É PERMITIDO OUSO DESTE ELEVADOR PARA TRANSPORTE DE MATERIALDESDE QUE NÃO REALIZADO SIMULTÂNEO COM OTRANSPORTE DE PESSOAS.
  41. 41. Elevadores de PassageirosO Elevador de passageiros deve dispor de:• Interruptor nos fins de curso superior e inferior, conjugadocom freio automático eletromecânico.• Sistema de frenagem automática que atue com efetividade emqualquer situação tendente a ocasionar a queda livre dacabina.• Sistema de segurança eletromecânico situado a 2,00 m abaixoda viga superior da torre, ou outro sistema que impeça ochoque da cabina com esta viga.
  42. 42. Elevadores de Passageiros• Interruptor de corrente, para que se movimente apenas com asportas fechadas.• Cabina metálica com porta.• Freio manual situado na cabina, interligado ao interruptor decorrente que quando acionado desliga o motor.
  43. 43. Elevadores de Passageiros• O Elevador de passageiros deve ter um livro de inspeção, noqual o operador anotará, diariamente, as condições defuncionamento e de manutenção do mesmo. Este livro deve servisto e assinado, semanalmente, pelo responsável pela obra.•
  44. 44. GruasO que é Grua ?• É um equipamento pesado utilizado no transporte horizontal evertical de materiais.
  45. 45. Gruas• A ponta da lança e o cabo de aço de levantamento devem ficar,no mínimo, a 3 m de qualquer obstáculo e ter afastamento darede elétrica que atenda á orientação da concessionária local.• Para distanciamentos inferiores a 3 m, a interferência deveráser objeto de análise técnica, por profissional habilitado,dentro do plano de cargas.• É proibida a utilização de gruas para o transporte de pessoas.
  46. 46. Grua – Termo de Entrega Técnica• Antes da entrega ou liberação para início de trabalho comutilização de grua deve ser elaborado um Termo de EntregaTécnica prevendo a verificação operacional e de segurança,bem como o teste de carga, respeitando-se, bem como o testede carga, respeitando se os parâmetros indicados pelofabricante.
  47. 47. Grua• É proibido qualquer trabalho sob intempéries ou outrascondições desfavoráveis que exponham os trabalhadores arisco.• A Grua deve dispor de dispositivo automático com alarmesonoro que indique a ocorrência de ventos superiores a 42Km/h.• Deve ser interrompida a operação com a grua quando daocorrência de ventos com velocidade superior a 42 Km/h.
  48. 48. Grua• Somente poderá ocorrer trabalho sob condições de ventoscom velocidade acima de 42 Km/h mediante operaçãoassistida.• Sob nenhuma condição é permitida a operação com gruasquando da ocorrência de ventos com velocidade superior a 72Km/h.
  49. 49. Gruas – VentosSituaçõesVentos acima de42 Km/hUso obrigatória de alarmesonoroVentos acima de42 Km/hProibida a operação, somenteautorizada com operaçãoassistida .Ventos acima de 72 Km,h. Sob nenhuma condição épermitida a operação de gruas.
  50. 50. Gruas - aterramentoA estrutura da grua deve estar devidamente aterrada de acordocom a NBR-5410.
  51. 51. Grua – Itens de segurançaA Grua deve, obrigatoriamente dispor dos seguintes itens desegurança:• Limitador de carga máxima para bloqueio do dispositivo deelevação.• Limitador de altura que permita frenagem segura para o moitão(parte da grua que através de polias, liga o cabo de aço deelevação ao gancho de içamento).• Alarme sonoro para ser acionado pelo operador em situaçõesde risco e alerta, bem como o acionamento automático, quandoo limitador de carga ou momento estiver atuando
  52. 52. Grua – Itens de segurança• Placas indicativas de carga admissível ao longo da lança,conforme especificado pelo fabricante.• Trava de segurança no gancho do moitão.• Luz de obstáculo (lâmpada piloto).• Anemômetro• Dispositivo instalado nas polias que impeça o escape acidentaldo cabo de aço.• Proteção contra a incidência de raios solares para a cabine dooperador.• Guarda-corpo, corrimão e rodapé nas transposições desuperfície.• Escadas
  53. 53. Grua• Para movimentação vertical na torre da grua é obrigatório ouso de dispositivo trava- quedas.• As áreas de carga ou descarga devem ser isoladas somentesendo permitido o acesso ás mesmas ao pessoal envolvido naoperação.• A implantação, instalação, manutenção e retirada de gruasdeve ser supervisionada por engenheiro legalmente habilitadocom vínculo á respectiva empresa e, para tais serviços, deveser emitida ART – Anotação de Responsabilidade Técnica.
  54. 54. Grua – Dispositivo auxiliar de içamentoTodo dispositivo auxiliar de içamento (caixas, garfos,dispositivos mecânico e outros), independentemente da formade contratação ou de fornecimento deve atender aos seguintesrequisitos:• Dispor de maneira clara, quanto aos dados do fabricante e doresponsável, quando aplicável.• Ser inspecionado pelo sinaleiro ou amarrador de cargas, antesde entra em uso.
  55. 55. Grua – Dispositivo auxiliar de içamento• Dispor de projeto elaborado por profissional legalmente,mediante emissão de ART – Anotação de ResponsabilidadeTécnica – com especificação do dispositivo e descrição dascaracterísticas mecânicas básicas do equipamento.
  56. 56. Andaimes e Plataformas de TrabalhoO que é ?São plataformas para trabalhos em alturas elevadas porestrutura provisória ou dispositivo de sustentação.
  57. 57. Andaimes e Plataformas de Trabalho• O dimensionamento dos andaimes, sua estrutura desustentação e fixação, deve ser realizado por profissionallegalmente habilitado.• O piso de trabalho dos andaimes deve ter forração completa,antiderrapante, ser nivelado e fixado de modo seguro eresistente.
  58. 58. Andaimes e Plataformas de Trabalho –Proximidades redes elétricas• Devem ser tomadas precauções especiais, quando damontagem, desmontagem e movimentação de andaimespróximos das redes elétricas.
  59. 59. Andaimes e Plataformas de Trabalho• A madeira para confecção, de andaimes deve ser de boaqualidade, seca, sem apresentar nós e rachaduras quecomprometam a sua resistência, sendo proibido o uso depintura que encubra imperfeições.• Os andaimes devem dispor de sistema guarda- corpo e rodapé,inclusive nas cabeceiras, em todo o perímetro.
  60. 60. Andaimes e Plataformas de Trabalho• É proibido retirar qualquer dispositivo de segurança dosandaimes ou anular sua ação.• É proibida, sobre o piso de trabalho de andaimes, a utilizaçãode escadas e outros meios para se atingir lugares mais altos.• Os montantes dos andaimes devem ser apoiados em sapatassobre base sólida capaz de resistir aos esforços solicitantes eás cargas transmitidas.
  61. 61. Andaimes móveis• Os rodízios os andaimes devem ser providos de travas demodo a evitar deslocamentos acidentais.• Os andaimes móveis somente poderão ser utilizados emsuperfícies planas.
  62. 62. Andaimes suspensosO que é ?É aquele cujo estrado de trabalho é sustentado por travessassuspensas por cabos de aço.
  63. 63. Andaimes suspensos• Os andaimes suspensos deverão ser dotados de placa deidentificação, colocada em local visível, onde conste a cargamáxima de trabalho permitida.• O trabalho deve utilizar cinto de segurança tipo pára quedista,ligado ao trava – quedas de segurança este, ligado a cabo guiafixado em estrutura independente da estrutura de fixação esustentação do andaime suspenso.
  64. 64. Andaimes suspensos motorizados• Andaimes suspensos motorizados é aquele cujo estrado detrabalho é sustentado por travessas suspensas por cabos deaço e movimentado por meio de guinchos.
  65. 65. Andaimes suspensos motorizadosNa utilização de andaimes suspensos motorizados deverá serobservada a instalação dos seguintes dispositivos.• Cabos de alimentação de dupla isolação.• Plugs/tomadas blindadas.• Aterramento elétrico.• Fim de curso superior.• Obs: O equipamento deve ser desligado e protegido quandofora de serviço.
  66. 66. Cadeira suspensa• Em qualquer atividade em que não seja possível a instalaçãode andaimes, é permitida a utilização de cadeira suspensa(balancim individual).• A sustentação da cadeira suspensa deve ser feita por meio decabo ou cabo de fibra sintética.
  67. 67. A cadeira suspensa deve dispor de:• Sistema dotado com dispositivo de subida e descida comdupla trava de segurança, quando a sustentação for através decabo de aço.• Sistema dotado com dispositivo de descida com dupla trava desegurança, quando a sustentação for por meio de cabo de fibrasintética.• Requisitos mínimos de conforto previstos na NR-17 –Ergonomia.• Sistema de fixação do trabalhador por meio de cinto.
  68. 68. É proibida aimprovisação decadeira suspensa
  69. 69. Os pontos de ancoragem devem:• Estar dispostos de modo a atender todo o perímetro daedificação.• Suportar uma carga pontual de 1.200 Kgf. (mil e duzentosquilogramas-força).• Ser constituídos de material resistente ás intempéries, comoaço inoxidável ou material de características equivalentes.
  70. 70. Cabos de aço e cabos de fibra sintética• Os cabos de aço devem ter carga de ruptura equivalente a, nomínimo 5 vezes a carga máxima de trabalho a que estiveremsujeitos a resistência á tração de seus fios de, no mínimo, 160Kgf./mm2 (cento e sessenta quilogramas-força por milímetroquadrado.• Os cabos de aço e de fibra sintética devem ser fixados pormeio de dispositivos que impeçam seu deslizamento edesgaste.
  71. 71. Cabos de aço e cabos de fibra sintética• Os cabos de fibra sintética utilizados para sustentação decadeira suspensa ou como cabo-guia para fixação do trava-quedas do cinto de segurança tipo pára-quedista, deverá serdotado de alerta visual amarelo.
  72. 72. Telhados e coberturas• É obrigatória a instalação de cabo guia ou cabo de segurançapara fixação de mecanismo de ligação por talabarte acopladoao cinto de segurança tipo pára-quedista.• Nos locais sob as áreas onde seu desenvolvam trabalhos emtelhados e ou coberturas, é obrigatória a existência desinalização de advertência e de isolamento da área capazes deevitar a ocorrência de acidentes por eventual queda demateriais, ferramentas e ou equipamentos.
  73. 73. Telhados e coberturas sobre fornos ouequipamento com emanação de gases degases.• É proibida a realização de trabalho ou atividades em telhadosou coberturas sobre fornos ou qualquer equipamento do qualpossa haver emanação de gases, provenientes ou não deprocessos industriais.• Havendo equipamento com emanação de gases, o mesmo deveser desligado previamente á realização de serviços ouatividades em telhados ou coberturas.
  74. 74. É proibida a concentração de cargasem um mesmo ponto sobre telhadoou cobertura.
  75. 75. Serviços em flutuantes• Na execução de trabalhos com risco de queda n,água devemser usados coletes salva-vidas ou outros equipamentos deflutuação.• Na execução de trabalho noturno sobre a água, toda asinalização de segurança da plataforma e o equipamento desalvamento devem ser iluminadas com lâmpadas á provad,água.
  76. 76. Serviços em flutuantes• A superfície de sustentação das plataformas de trabalhodevem ser antiderrapante.• É proibido deixar materiais e ferramentas soltos sobre asplataformas de trabalho.• Ao redor das plataformas de trabalho devem ser instaladosguarda-corpos, firmemente fixados á estrutura.
  77. 77. Serviços em flutuantes• Em quaisquer atividades é obrigatória a presença permanentede profissional em salvamento, primeiros socorros eressuscitamento cardiorrespiratório.• Os coletes salva-vidas devem ser de cor laranja, conter o nomeda empresa e a capacidade máxima representada em Kg.• Os coletes salva vidas devem ser em número idêntico ao detrabalhadores e tripulantes.
  78. 78. Locais ConfinadosNas atividades que exponham os trabalhadores a risco deasfixia, explosão, intoxicação e doenças do trabalho devem seradotadas medidas especiais de proteção a saber:
  79. 79. Locais Confinados• Treinamento e orientação para os trabalhadores quanto aosriscos a que estão submetidos, a forma de preveni-los e oprocedimento a ser adotado em situação de risco.• Nos serviços em que utilizem produtos químicos, ostrabalhadores não poderão realizar suas atividades sem autilização de E.P.I.• Realização de trabalho em recintos confinados deve serprocedida de inspeção prévia e elaboração de ordem deserviço com os procedimentos adotados.
  80. 80. Locais Confinados• Monitoramento permanente de substância que cause asfixia,explosão e intoxicação no interior de locais confinados,realizado por trabalhador qualificado sob supervisão deresponsável técnico.• Proibição de uso de oxigênio para ventilação de localconfinado.• Ventilação local exaustora eficaz que faça a extração doscontaminantes e ventilação geral que execute a insuflação dear o interior do ambiente, garantindo de forma permanente arenovação contínua do ar.
  81. 81. Locais Confinados• Sinalização com informação clara e permanente durante arealização de trabalhos no interior de espaços confinados.• Uso de cordas ou cabos de segurança e armaduras quepossibilitem meios seguros de resgate.• Acondicionamento adequado de substância tóxicas ouinflamáveis utilizadas na aplicação de laminados, pisos, papéisde parede ou similares.
  82. 82. Locais Confinados• Cada grupo de 20 trabalhadores, dois deles devem sertreinados para resgate.• Manter ao alcance dos trabalhadores ar mandado e/ouequipamento autônomo para resgaste.• No caso de manutenção de tanque, providenciardesgaseficação prévia antes da execução do trabalho.
  83. 83. Instalações elétricasA execução e manutenção das instalações elétricas devem serrealizadas por trabalhador qualificado e a supervisão porprofissional legalmente habilitado.
  84. 84. Instalações elétricas• Somente podem ser realizados serviços nas instalaçõesquando o circuito elétrico não estiver energizado.• Quando não for possível desligar o circuito elétrico, o serviçosomente poderá ser executado após terem sido adotadas asmedidas de proteção complementares, sendo obrigatório o usode ferramentas apropriadas e equipamentos de proteçãoindividual.• É proibida a existência de partes vivas expostas de circuitos eequipamentos elétricos.
  85. 85. Instalações elétricas• Os circuitos elétricos devem ser protegidos contra impactosmecânicos, umidade e agentes corrosivos.• As estruturas e carcaças dos equipamentos elétricos devemser eletricamente aterradas.• Nos casos em que haja possibilidade de contato acidental comqualquer parte viva energizada deve ser adotado isolamentoadequado.
  86. 86. Instalações elétricas• Os quadros gerais de distribuição devem ser mantidostrancados, sendo seus circuitos identificados.• Máquinas ou equipamentos elétricos móveis só podem serligados por intermédios de conjunto de plugue e tomada.
  87. 87. Máquinas, equipamentos e ferramentasdiversas• A operação de máquinas e equipamentos que exponham ooperador ou terceiros a riscos só pode ser feita portrabalhador qualificado e identificado por crachá.• Devem ser protegidas todas as partes móveis dos motores,transmissões e partes perigosas das máquinas ao alcance dostrabalhadores.
  88. 88. Máquinas, equipamentos e ferramentasdiversas• As máquinas e os equipamentos que ofereçam risco de rupturade suas partes móveis, projeção de peças ou de partículas demateriais devem ser providos de proteção adequada.• As máquinas e equipamentos de grande porte devem protegeradequadamente o operador contra a incidência de raiossolares.
  89. 89. Máquinas e os equipamentos devem ter dispositivo deacionamento e parada localizado de modo que:• Seja acionado ou desligado pelo operador na sua posição detrabalho.• Não se localize na zona perigosa da máquina ou doequipamento.• Possa ser desligado em caso de emergência por outra pessoaque não seja o operador.• Não possa ser acionado ou desligado, involuntariamente, pelooperador ou por qualquer outra forma acidental.• Não acarrete riscos adicionais.
  90. 90. Máquinas, equipamentos e ferramentasdiversas• Toda máquina deve possuir dispositivo de bloqueio para impedir seuacionamento por pessoa não autorizada.• As máquinas, equipamentos e ferramentas devem ser submetidos áinspeção e manutenção de acordo com as normas técnicas oficiaisvigentes, dispensando-se especial atenção a freios, mecanismos dedireção, cabos de tração e suspensão, sistema elétrico e outrosdispositivos de segurança.
  91. 91. Máquinas, equipamentos e ferramentasdiversas• As inspeções de máquinas e equipamentos devem serregistradas em documento específico, constando as datas efalhas observadas, as medidas corretivas adotadas e aindicação de pessoa, técnico ou empresa habilitada que asrealizou.
  92. 92. Nas operações com equipamento pesados, devem serobservadas as seguintes medidas de segurança:• Para encher/esvaziar pneus, não se posicionar de gente paraeles, mas atrás da banda de rodagem, usando uma conexão deautofixação para encher o pneu. O enchimento só deve serfeito por trabalhadores qualificados de modo gradativo e commedições sucessivas da pressão.• Em caso de superaquecimento de pneus e sistema de freio,devem ser tomadas precauções especiais, prevenindo-se depossíveis explosões ou incêndios.
  93. 93. Nas operações com equipamento pesados, devem serobservadas as seguintes medidas de segurança:• Antes de iniciar a movimentação ou dar partida no motor épreciso certificar se de que não há ninguém trabalhando sobredebaixo ou perto dos mesmos.• Os equipamentos que operam em marcha a ré devem possuiralarme sonoro acoplado ao sistema de câmbio e retrovisoresem bom estado.
  94. 94. Máquinas, equipamentos e ferramentasdiversas• As ferramentas devem ser apropriadas ao uso a que sedestinam, proibindo se o emprego das defeituosas, danificadasou improvisadas, devendo ser substítuidas pelo empregadorou responsável pela obra.• É proibido o porte de ferramenta manuais em bolsos ou locaisinapropriados.
  95. 95. Máquinas, equipamentos e ferramentasdiversas• As ferramentas pneumáticas portáteis devem possuirdispositivo de partida instalado de modo a reduzir ao mínimo apossibilidade de funcionamento acidental.• A válvula de ar deve fechar se automaticamente, quandocessar a pressão da mão do operador sobre os dispositivos departida.• As mangueiras e conexões de alimentação das ferramentaspneumáticas devem resistir ás pressões de serviço,permanecendo firmemente presas aos tubos de saída eafastadas das vias de circulação.
  96. 96. Máquinas, equipamentos e ferramentasdiversas• O suprimento de ar para as mangueiras deve ser desligado ealiviada a pressão, quando a ferramenta pneumática nãoestiver em uso.
  97. 97. Armazenagem e estocagem de materiaisOs materiais devem ser armazenados e estocados de modo anão prejudicar o trânsito de pessoas e de trabalhadores, acirculação de materiais, o acesso aos equipamentos decombate a incêndio, não obstruir portas ou saídas deemergência e não provocar empuxos ou sobrecargas nasparedes, lajes ou estruturas de sustentação, além do previstoem seu dimensionamento.
  98. 98. Armazenagem e estocagem de materiais• As pilhas de materiais, a granel ou embalados, devem ter formae altura que garantam a sua estabilidade e facilitem o seumanuseio.• O armazenamento deve ser feito de modo a permitir que osmateriais sejam retirados obedecendo á seqüência deutilização planejada,de forma a não prejudicar a estabilidadedas pilhas.
  99. 99. Armazenagem e estocagem de materiais• Os materiais não podem ser empilhados diretamente sobrepiso instável, úmido ou desnivelado.• A cal virgem deve ser armazenada em local seco e arejado.
  100. 100. Armazenagem e estocagem de materiaisOs materiais tóxicos, corrosivos, inflamáveis ou explosivosdevem ser armazenados em locais isolados, apropriados,sinalizados e de acesso permitido somente a pessoasdevidamente autorizadas. Estas devem ter conhecimentoprévio do procedimento a ser adotado em caso de eventualacidente.
  101. 101. Armazenagem e estocagem de materiais• As madeiras retiradas de andaimes, tapumes, fôrmas eescoramentos devem ser empilhadas, depois de retirados ourebatidos os pregos, arames e fitas de amarração.• Os recipientes de gases para solda devem ser transportados earmazenados adequadamente, obedecendo-se prescriçõesquanto ao transporte e armazenamento de produtosinflamáveis.
  102. 102. Proteção contra incêndio• É obrigatória a adoção de medidas que atendam, de formaeficaz, ás necessidades de prevenção e combate a incêndiopara os diversos setores, atividades, máquinas eequipamentos do canteiro de obras.• Deve haver um sistema de alarme capaz de dar sinaisperceptíveis em todos os locais da construção.• É proibido a execução de serviços de soldagem e corte aquente nos locais onde estejam depositadas, ainda quetemporariamente, substâncias combustíveis, inflamáveis eexplosivas.
  103. 103. Proteção contra incêndioNos locais confinados e onde são executadas pinturas,aplicação de laminados, pisos, papéis de parede e similares,com emprego de cola, bem como nos locais de manipulação eemprego de tintas, solventes e outras substânciascombustíveis, inflamáveis ou explosivas, deve ser tomadas asseguintes medidas de segurança:• Proibido fumar ou portar cigarros ou assemelhados acesos, ouqualquer outro material que possa produzir faísca ou chama.
  104. 104. Proteção contra incêndio• Evitar, as proximidades, a execução de operação com risco decentelhamento, inclusive por impacto entre peças.• Utilizar obrigatoriamente lâmpadas e luminárias á prova deexplosão.• Instalar sistema de ventilação adequado para a retirada demistura de gases, vapores inflamáveis ou explosivos doambiente.• Colocar nos locais de acesso placas com a inscrição “ Riscode Incêndio” ou “Risco de Explosão”.• Manter cola e solventes em recipientes fechados e seguros.• Quaisquer chamas, faíscas ou dispositivos de aquecimentodevem ser mantidos afastados de fôrmas, restos de madeiras,tintas, vernizes ou outras substâncias combustíveis,inflamáveis ou explosivas.
  105. 105. Sinalização de segurançaOs canteiros de obras deve ser sinalizado com o objetivo de:• Identificar os locais de apoio que compõem o canteiro deobras.• Indicar as saídas por meio de dizeres ou setas.• Manter comunicação através de avisos, cartazes ou similares.• Advertir contra perigo de contato ou acionamento acidentalcom partes móveis das máquinas e equipamentos.• Advertir quanto a risco de queda.• Alertar quanto á obrigatoriedade do uso de E.P.I, especificopara a atividade executada.
  106. 106. Sinalização de segurança• Alertar quanto ao isolamento das áreas de transporte ecirculação de materiais por grua, guincho e guindaste.• Identificar acessos, circulação de veículos e equipamentos naobra.• Advertir contra risco de passagem de trabalhadores onde o pédireito for inferior a 1,80m.• Identificar locais com substâncias tóxicas, corrosivas,inflamáveis, explosivas e radioativas.
  107. 107. Sinalização de segurançaÉ obrigatório o uso de colete ou tiras refletivas na região dotórax e costas quando o trabalhador estiver a serviço em viaspúblicas, sinalizando acessos ao canteiro de obras e frentes deserviços ou em movimentação e transporte vertical demateriais.
  108. 108. TreinamentoTodos os empregados devem receber treinamentosadmissional e periódico, visando a garantir a execução de suasatividades com segurança.
  109. 109. TreinamentoO treinamento admissional deve ter carga horária mínima de 6horas, ser ministrado dentro do horário de trabalho, antes de otrabalhador iniciar suas atividades, constando de:• Informações sobre as condições e meio ambiente de trabalho.• Riscos inerentes a sua função.• Uso adequado de E.PI.• Informações sobre os Equipamentos de Proteção Coletiva –E.P.C, existentes nos canteiros de obra.
  110. 110. TreinamentoO treinamento periódico deve ser ministrado:• Sempre que se tornar necessário.• Ao início de cada fase da obra.
  111. 111. Ordem e limpeza• O entulho e quaisquer sobras de materiais devem serregularmente coletados e removidos. Por ocasião de suaremoção, devem ser tomados cuidados especiais, de forma aevitar poeira excessiva e eventuais riscos.• É proibido a queima de lixo ou qualquer outro material nointerior do canteiro de obras.• É proibido manter lixo ou qualquer outro material no interior docanteiro de obras.
  112. 112. Área de VivênciaOs canteiros de obras devem dispor de:• Instalações sanitárias• Vestiário• Alojamento• Local de refeições• Cozinha, quando houver preparo de refeições• Lavanderia• Área de lazer
  113. 113. Instalações SanitáriasEntende se como instalações sanitárias o local destinado aoasseio corporal e/ou atendimento das necessidadesfisiológicas de excreção.As instalações sanitárias devem:• Ser mantidas em perfeito estado de conservação e higiene• Ter portas de acesso que impeçam o devassamento e serconstruídas de modo a manter o resguardo conveniente.• Ter paredes de material resistente e lavável, podendo ser demadeira.• Ter pisos impermeáveis, laváveis e de acabamentoantiderrapante.
  114. 114. Instalações SanitáriasAs Instalações sanitárias devem:• Não se ligar diretamente com os locais destinados ásrefeições.• Ser independente para homens e mulheres, quandonecessário.• Ter ventilação e iluminação adequada• Ter instalações elétricas adequadamente protegidas• Ter pé direito mínimo de 2,50 m• Estar situado em locais de fácil e seguro acesso, não sendopermitido um deslocamento superior a 150 m do posto detrabalho aos gabinetes, sanitárias, mictórios e lavatórios.
  115. 115. Instalação SanitáriaA Instalação sanitária deve ser constituída de lavatório e mictório, naproporção de 1 conjunto para cada grupo de 20 trabalhadores oufração, bem como chuveiro, na proporção de 1 unidade para cadagrupo de 10 trabalhadores ou fração.1 Conjunto ( lavatório,vaso sanitário emictório)0 a 20 trabalhadores2 Conjuntos 20 a 40 trabalhadoresChuveiros1 Chuveiro 0 a 10 trabalhadores2 Chuveiros 10 a 20 trabalhadores
  116. 116. VestiárioTodo canteiro de obra deve possuir vestiário para troca deroupa dos trabalhadores que não residem no local.A Localização do vestiário deve ser próxima aos alojamentose/ou á entrada da obra, sem ligação direta com o localdestinado ás refeições.
  117. 117. Os vestiários devem:• Ter paredes de alvenaria, madeira ou material equivalente.• Ter pisos de concreto, cimentado, madeira ou materialequivalente.• Ter cobertura que proteja contra as intempéries.• Ter área ventilada• Ter iluminação natural e/ou artificial.• Ter armários individuais dotados de fechadura ou dispositivocom cadeado.• Ter pé direito mínimo de 2,50 m.• Ser mantido em perfeito estado de conservação.• Ter bancos em número suficiente para atender aos usuários,com largura mínima de 0,30 m.
  118. 118. Alojamento• O Alojamento deve ser mantido em permanente estado deconservação, higiene e limpeza.• É proibido cozinhar e aquecer qualquer tipo de refeição dentrodo alojamento.• É obrigatório no alojamento o fornecimento de água potável,filtrada e fresca, para os trabalhadores por meio debebedouros.1 Bebedouro 25 Trabalhadores2 Bebedouros 50 Trabalhadores
  119. 119. Lavanderia• As áreas de vivência devem possuir local próprio, cobertura,ventilado e iluminado para que o trabalhador alojado possalavar, secar e passar suas roupas de uso pessoal.• A empresa poderá contratar serviços de terceiros para atenderao disposto acima.
  120. 120. Área de lazer• Nas áreas de vivência devem ser previstos locais pararecreação dos trabalhadores alojados.
  121. 121. Referencias BibliográficasNR-18 – Condições e meio ambiente de trabalho naindústria da construção.
  122. 122. Obrigado pela atençãoJuarez Sabino da Silva JuniorTécnico de Segurança doTrabalho

×