2012 quartier latin

234 visualizações

Publicada em

Como andar em Paris

Publicada em: Turismo
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
234
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

2012 quartier latin

  1. 1. Paris a pé 2012 QUARTIER LATIN – SAINT-MICHEL
  2. 2. 1 Place Saint Michel 2 Hirondelle, Git-le-Cœur, St Augustin. 3 Hotel de la Monnaie. 4 Instituto de France 5 Escola de Belas Artes 6 Igreja de Saint Germain de Prés 7 Rue des Canettes 8 Igreja Saint Sulpice 9 Jardim e Palacio de Luxembourg 10 Théâtre de l'Odeon 11 Ecole de Medicine , Couvent des Cordeliers 12 Carrefour Odeon, estatua de Danton. 13 La cour de commerce St André 14 La cour de Rohan 15 La rue Hautefeuille
  3. 3. Introdução Paris é uma cidade relativamente pequena, 105 quilômetros quadrados. Caminhar por algumas regiões é essencial para admirar alguns lugares turísticos e descobrir de perto as particularidades de cada bairro: livrarias, brechós, moda prêt à porter, docerias. O parisiense vive em seu bairro e o molda a sua maneira. Dividido por números entre 1 e 20, o «caracol» cortado ao meio pelo rio Sena é composto de bairros populares e revolucionários como Republique e Bastille, ricos e conservadores como 7,8 e 16, multiétnicos e cosmopolitas como o 10, 13 e 18. Áreas que abrigam e escondem atrás de cada muro, escultura, praças ou cafés um numero infinito de histórias. O mais antigo monumento de Paris, o obelisco da Praça da Concórdia, tem 5000 anos, Encontramos vestígios do império romano, do período medieval, do renascimento até chegarmos à modernidade. Paris foi palco de movimentos que mudaram o mundo e suas lembranças estão em todos os lados A intenção de nosso pequeno guia é apenas orientar os seus primeiros passos a pé, mas temos consciência que para dados mais detalhados você pode utilizar outros guias mais detalhados. No que diz respeito à compra de um guia, as editoras como Michelin, Hachette e mesmo a Folha oferecem ótimos guias de Paris, editados, revisados e com ilustrações maravilhosas. Eu recomendo pessoalmente o guia da Folha de São Paulo ou ainda o, Guia Turismo 10+. Evite comprar ou pagar por informações que você mesmo acharia no NET, compiladas e nem sempre verificadas quanto à autenticidade. Admiro as pessoas que viajam com um guia Michelin, Hachette ou outro na mão. Pessoas que tem desejo de aprender, se informar e que, sobretudo, conseguem fazer tudo ao mesmo tempo: se direcionar, olhar, ler, admirar, ocupar-se de seus pertences, tirarem fotos e ainda sentir prazer e descontração. Como profissional do turismo instalada em Paris não posso parar de ler e aprender, mas raramente consigo fazer isso enquanto estou vivenciando Paris como turista. Acabo lendo meus maravilhosos guias em casa ou ainda sentados em um jardim da cidade, na frente ou não dos monumentos. Outras pessoas muito competentes para falar de Paris são os guias formados e concursados pela cidade. Uma visita acompanhada por um profissional faz com que a gente « tire » o máximo de história, conhecimento e magia de cada lugar. É um momento de grande privilégio, pois agrega cultura e muitas sensações de maneira descontraída e simpática Vocês encontrarão nas páginas a seguir informações gratuitas, frutos de nossas experiências e pesquisas que eu e minha equipe, compartilhamos com prazer, Para muito mais informações, sensações, charme e conforto conte com um guia da cidade de Paris para passear com você e seus amigos.
  4. 4. La Place Saint-Michel A Place Saint-Michel é, naturalmente, um dos corações de Paris. A vista a partir da margem do rio Sena oferece uma bela vista de Notre-Dame, em frente ao Palácio da Justiça e do Museu do Louvre. No seu centro, a fonte Saint-Michel é um popular ponto de encontro para parisienses. Hirondelle, Git-le-Cœur, Grands Augustins, tour de Nesle De repente você entra numa Paris muito antiga: edifícios e ruas são geralmente dos séculos XVII e XVIII. Os nomes das ruas ostentam o rastreamento de séculos de história. O percurso aqui torna-se um vai e vem. Parece dificil, mas não é, voce tera sempre o Sena como referência. Quase na encruzilhada da rua de L'Hirondelle (gravado "irondelle") e a rua Gît-le-Cœur, uma sala de arma convida-nos a sonhar com momentos dos duelos tão usados em filmes de aventura ou históricos. Continue à sua esquerda na rua Gît-le-Cœur, vire à direita na rue Saint André des Arts e, em seguida, novamente à direita na rua Séguier. Quando chegar a rue de Savoie, vire à sua esquerda e a direita rue de Grands Augustins e imediatamente a esquerda rue du Pont de Lodï, novamente a esquerda rue Dauphine e a direita rue de Nesle. No centro da quadra voce encontra um Museu de manuscritos e cartas No final, tomar a rue de “Nevers”( a direita e encontrara novamente o rio Sena. Siga os cais no sentido de carros O Hotel das Moedas O Hotel das moedas foi construído pelo arquiteto Antoine (até então desconhecido) em 1771. Construção que vista das margens do rio Sena tem uma fachada longa de 120 m e dois andares acima um piso térreo. Ali se fabricou moedas e medalhas até 1973. Atualmente é um museu. Continue a caminhar ao longo do “quai” de Conti, apreciando a bela vista do Palácio do Louvre e de repente você está diante do Instituto de França, no qual que se encontra a famosa Academia Francesa. Quai em frances significa Cais e aqui designa cada ponto de embarque do Rio assim como as pontes e margens do que se acercam Instituto de França O Palácio do Instituto de França deve a sua existência a Mazari(1602- 1661), principal ministro do Estado sob a regência de Anne da Austria, mãe de Luis XIV. Na verdade, ele pediu em testamento a construçao de um colegio que em 1775 tornou-se o Instituto de França. O edifício e sua famosa cúpula instalado no local da Tour de Nesle, abriga hoje a Academia Francesa (fundada em 1635), a Academia de Inscrições e Belas-Letras (fundada em 1663), Academia das Ciências (fundadas em 1666), a Academia de Belas Artes (criada em 1816) e, finalmente, a Academia de Ciências Morais e Politicas (fundada em 1795). Continue andando por alguns metros e vire a esquerda na rua Bonaparte.
  5. 5. Você verá um grande edifício do lado direito: é a escola nacional de Belas Artes. Escola de Belas Artes A Escola de Belas Artes forma uma vasta gama de edifícios distribuídos em dois hectares, entre a Rua Bonaparte e o cais de Malaquais. Sua parte mais antiga é a capela, construida no início do século XVII para o Convento dos Agostinianos . É aqui que o primeiro museu francês foi instalado durante o período da Revolução e o Império. A escola está aberta para visitas. Seus jardins contêm muitas estátuas admiráveis. Continuando pela rua Bonaparte: antes de atravessar o boulevard Saint- Germain, você vai descobrir a antiga Igreja de Saint-Germain-des-Prés que deu nome ao bairro. Igreja de Saint-Germain-des-Prés A parte da Igreja que podemos admirar hoje é apenas o remanescente da enorme Abadia de mesmo nome. O edificio foi muito danificado no momento da Revolução e parte foi levada ao desmantelamento no século XIX. Um projeto de extensão do Barão de Hausman na rua de Rennes, quase a destroi completamente. Certifique-se de parar no pequeno jardim adjascente: você verá os elementos de fundação de uma capela construída em 1225 por Pierre de Montreuil. Mantenha-se ainda na rua Bonaparte, atravesse o boulevard Saint-Germain, tome à esquerda para a rua do Four e depois imediatamente à direita: isso é rue de Canettes Rue de Canettes A rua des Canettes ( rua das latinhas) foi bem conhecida e frequentada por estudantes parisienses ha quatro séculos (e talvez mais) uma vez que a existência desta rua pode ser comprovada desde 1260: Hoje restaurantes e boutiques ocupam o cenario que abrigou variedade de albergues , bares e cafés através dos tempos. Continuando para o final da rua e você já estará no pátio de Saint-Sulpice. Igreja Saint-Sulpice Em 1643 quando ficou decidido construir a Igreja Saint-Sulpice a Rainha Anne da Áustria, colocou a primeira pedra. Sua construção foi interrompida no entanto por questões de financiamento de 1678 a 1718. Seu grande portal foi concluído apenas em 1749. Sua cúpula de duas torres chega a 70 metros de altura (4m superior aos de Notre-Dame). Há muito abandonada por turistas, a Igreja revive um momento de popularidade graças a publicação do livro “Código Da Vinci”. Se você tomar a rua de Saint-Sulpice (localizada no lado norte do edifício) e continuar até a rua de Garancière você chegará ao Palácio de Luxemburgo.
  6. 6. O Palácio de Luxemburgo e seu jardim Maria de Médicis determinou a Salomon de Brosse que construisse um palácio no local do antigo hotel de Luxemburgo. O palácio tornou-se habitável em 1624. A Rainha não residiu lá por muito tempo porque depois de um conflito com Richelieu teve que ir para o exílio em 1631. Após a revolução e algumas alterações de arquitetura, o Palácio tornou-se o local de encontro dos senadores ou o prédio do Senado. Seus jardins, deslumbrantes, estão abertos para visitas todos os dias. Na frente e ao longo do edificiodo Senado tome a rue de Vaugirard (a mais longa rua de Paris), e em seguida, vire à esquerda na rue Rotrou. você está no lugar de l'Odéon ,do teatro de mesmo nome. Théâtre de l'Odéon Inaugurado em 1782, o Théâtre de l'Odéon, com colunatas, iluminação e arquitetura de estilo neo-clássico foi criado originalmente para abrigar o Théâtre Français no lugar dos jardins do hôtel de Condé por ordem de Luís XVI. Mais recentemente, ele foi um dos lugares importantes de encontro dos alunos que participaram da revolta de maio 1968. A rua da Escola de Medicina / Couvent des Cordeliers Andando na rua da escola de medicina, você estará caminhando em uma antiga trilha galo-romana entre duas vinhas. Descendo a calçada à esquerda, você vê uma grande placa em homenagem a Sarah Bernhardt, um portal para acesso ao Convento do Cordeliers ou melhor do seu refeitorio porque é tudo que restou desse enorme conjunto que serviu como ponto de encontro para os jacobinos no período revolucionário. Continuando a descer a rua da escola de medicina, você chega no Carrefour de l'Odéon (não deve ser confundida com a place de l'Odéon). Carrefour de l'Odéon e sua estátua de Danton Este cruzamento é bem conhecido pelos parisienses: a estátua de Danton muitas vezes serve como local de encontro antes de entrar em uma meia-dúzia de cinemas localizados nas proximidades. A maioria das pessoas não sabe, entretanto, que a estatua foi construida precisamente no local casa onde viveu Danton no momento em que participava da Revolução. La cour de commerce Saint-André Esta passagem foi aberta em 1735. Originalmente, era duas vezes mais extensa, mas a construçao do boulevard Saint-Germain amputou-a sua metade No interior, não deixe de visitar o café Procope, um dos primeiros cafés do mundo, tendo servido como local de encontro para os artistas da Comédie française e também para revolucionários. No meio desta passagem está do seu lado direito um portal discreto e cruzá-lo leva você a um ambiente bastante curioso: é o Tribunal de Justiça de Hotel de Rohan.
  7. 7. La cour de Rohan É erroneamente chamada a Passagem do Tribunal de Justiça de Rohan, porque o local foi de fato do Hotel de Bispos de Rouen. Seus três pequenos pátios sucessivos constituem as mais bem preservadas atmosferas medieval e renascentistas de Paris. Deixe este local mágico pela Rua Jardinet. Seguir a Rua de Jardinet até à sua conclusão e continuar pela Rua Serpente, em seguida tomar a Rua Hautefeuille à sua esquerda. La rue Hautefeuille et l'Hôtel des Abbées de Fécamp Até hoje, não está claro a origem exata do nome desta rua. Às vezes fala-se de um Castelo de Hautefeuille mencionado em canções do famoso traidor Ganelon (chanson de Roland). Mas ele também evoca um templo que remonta a ocupação romana chamada "altium floium". Estas indicações fazem desta rua uma das mais antigas em Paris. No nº 5, descobrimos uma torre extraordinária com vista para a rua. É o mais importante vestígio do hotel de Abbées de Fécamp construído pela primeira vez em 1292 e reconstruído no renascimento. A Marquesa de Brinvilliers, a mais conhecida envenenadora do século XVII viveu ali. Se você estender sua caminhada ate o final da rua Hautefeuille, você vai encontrar seu ponto de partida, a place Saint-Michel. Fontes: wikipedia, internaute.fr www.brasileirosemparis.com 01 42 33 41 65 06 16 20 06 54 06 50 01 63 18 Registro de comercio Paris siret 519 970 487
  8. 8. SUGESTÕES HOLA VISITA DE PARIS A PE Acompanhado de um guia habilitado pela cidade, caminhe e conheça Paris, suas historias, piadas, dicas e mistérios. 4h VISITA DE PARIS CAT. LUXO Com embarque na porta de seu hotel, visite Paris acompanhado por um guia de turismo falando português. 3h30 de aprendizado, conforto e diversão OPEN TOUR Visita da cidade em onibus oferecendo explicações com audio guia multilinguas e possibilidade de diversas paradas Passes de 1 e 2 dias COMBINADO PARIS VERSALHES Dia de visita completo em companhia de seu guia de turismo falando português, embarque e desembarque na porta de seu hotel.Visita de Versalhes com audio guia em português HOLA GT Tel 01 42 33 41 65 06 16 20 06 54 95 rue de Cléry Paris 75002 N° de Siret 519970487

×