Portifolio Ricardo Franco Artista

1.042 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.042
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
3
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Portifolio Ricardo Franco Artista

  1. 1. RICARDO FRANCO
  2. 2. RICARDO FRANCO NASCEU EM SALVADOR, SINALZITO, USADO PELO DETRAN/BA PARABAHIA, EM 11 DE OUTUBRO DE 1974. CURSOU ARTES CAMPANHAS DE EDUCAÇÃO PARA O TRÂNSITO.PLÁSTICAS NA UNIVERSIDADE CATÓLICA E, AO 26 COMO RESULTADO, RECEBEU DIVERSAS CITAÇÕES DOANOS, FUNDOU A GRAAL COMUNICAÇÃO, DENATRAN E DO GOVERNADOR DO ESTADO.EMPRESA DO RAMO DE PUBLICIDADE QUE ATUA NO O MESMO PASSO EM QUE ATUA NAMERCADO BAIANO. SUA ATUAÇÃO COMO PUBLICIDADE, RICARDO FRANCO ENCONTRA NAPUBLICITÁRIO JÁ LHE RENDEU DIVERSOS PRÊMIOS FOTOGRAFIA MAIS UM CANAL PARA EXPRESSAR SEUCOMO O PRIMEIRO LUGAR NO CONCURSO LADO CRIATIVO, UTILIZANDO-SE DE COMPOSIÇÕESNACIONAL DE CRIAÇÃO DA MARCA E SLOGAN DO VARIADAS QUE IRÃO SER COMPILADAS EM UM LIVROCARNAVAL DE SALVADOR. IDEALIZOU E EM PROCESSO DE IMPRESSÃO.DESENVOLVEU, EM PARCERIA COM A EMPRESA DE SEU LADO ARTISTA PLÁSTICO FOI RESGATADO EMLIMPEZA URBANA DE SALVADOR, O PROJETO CD 2009, QUANDO CONSEGUIU TEMPO PARA ALIAR SEUSOCIOAMBIENTAL DE CANABRAVA, O PROJETO FOI LADO PROFISSIONAL À ARTE. DESDE ENTÃO, VEMFINALISTA DO BAHIA AMBIENTAL E FOI DESENVOLVENDO PROJETOS QUE UTILIZAM-SE DEHOMENAGEADO COM O TÍTULO DE DR HONORIS DIVERSAS TÉCNICAS COMO A DE PINTURAS DIGITAIS,CAUSA PELA IBERO AMÉRICA. AINDA DENTRO DE SUA ÓLEO E ACRÍLICO, ENTRE OUTROS.ATUAÇÃO PUBLICITÁRIA, CRIOU O PERSONAGEM
  3. 3. EXPOSIÇÕES NACIONAIS 2 SALÃO NACIONAL DE ARTES PLÁSTICAS DO SABER CULTURAL - RIO DE JANEIRO BRASIL 6 NOVOS ARTISTAS CONTEPORÂNEOS - SALVADOR BRASIL 11 + 22 + 44 UMA HOMENAGEM A RAULZITO E OS PANTERAS - SALVADOR BRASIL EXPOSIÇÃO NO LOBBY DO JORNAL A TARDE - SALVADOR BRASIL XI SALÃO DE ARTES DA ESCOLA SUPERIOR DE GUERRA - SALVADOR BRASIL 59 SALÃO DE ARTES PLASTICAS DO CLUBE MILITAR - RIO DE JANEIRO BRASIL EXPOSIÇÃO 40X40 -SALVADOR BRASILINTERNACIONAIS GALERIA DART I DISSENY PATRICIA MUÑOZ SABADELL - BARCELONA – ESPAÑA FEIRA DE ARTE CONTEMPORÂNEA DO CARROCEL DO LOUVRE PARIS FRANÇA PRÊMIOS E HOMENAGENS MEDALHA DE PRATA NO 2 SALÃO NACIONAL DE ARTES PLÁSTICAS DO SABER CULTURAL - RIO DE JANEIRO COMENDA MEDALHA DEBRET, JEAN BAPTISTE, 1768-1848 DR HONORIS CAUSA FUNDAÇÃO IBERO AMERICANA MEDALHA DE BRONZE NO SALÃO NACIONAL DA DEFESA NACIONAL - RIO DE JANEIRO
  4. 4. CRÍTICAS
  5. 5. RICARDO FRANCO, COMEÇOU MUITO BEM SUA CARREIRA ARTÍSTICA, A PRIMEIRA VEZQUE VI NOTEI CLARAMENTE O DOMÍNIO DA TÉCNICA, O ARTISTA UTILIZA REFERÊNCIAS DOCOTIDIANO TRABALHANDO INICIALMENTE COM FOTOGRAFIA, DEPOIS VELANDO COMOUMA PINTURA EXPRESSIONISTA, COM PINCELADAS GESTUAIS COM VELADURASSURPREENDENTES E TONS FORTES, MARCAM SUA PINTURA CARREGADA DE EMOÇÃO, COMOSE FOSSE UM REGISTRO DO OLHAR, SOBRE SUA VOLTA! RICARDO FRANCO VEIO PARA FICAR, PARTICIPANDO ATIVAMENTO DO CIRCUITO DASARTES PLÁSTICAS, PARTICIPOU RECENTEMENTE DO SALÃO NACIONAL NO RIO DE JANEIRO EAGORA NO MEU ATELIÊ PARTICIPA A MEU CONVITE DA EXPOSIÇÃO 6 NOVOS ARTISTASCONTEMPORÂNEO, MAIS UMA VEZ ARTISTA ME SURPREENDE COM SUAS PINTURAS, DEQUALIDADE E SINGULARIDADE EXEMPLAR!LEONEL MATTOSARTISTA PLÁSTICO E PRESIDENTE DO SINAPEV-BA
  6. 6. O ESSENCIAL NA OBRA ARTÍSTICA É A OBRA EM SI MESMA, COMO RESULTADO DE UMAAETHESIS QUE É CAPTADA DE FORMA SINGULAR POR SEU CRIADOR E, ASSIM, NÃO DEVERIA SERTEORIZADA NEM PELO ARTISTA E NEM PELA CRÍTICA DE ARTE. JÁ SE DISSE QUE NADA ATINGETÃO POUCO A OBRA DE ARTE QUANTO A CRÍTICA. O CRÍTICO DE ARTE DEVE SER UM MEROINTERMEDIÁRIO ENTRE A OBRA E O PÚBLICO. O ARTISTA RICARDO FRANCO, ELABORA UMAOBRA QUE TRANSITA ENTRE A PINTURA E A FOTOGRAFIA. COM O SURGIMENTO DAFOTOGRAFIA NO SÉCULO XIX, HOUVE CERTA INQUIETAÇÃO NO MEIO ARTÍSTICO, MUITOSQUESTIONANDO SE A FOTOGRAFIA ERA ARTE OU PRODUTO DE UM SIMPLES MECANISMO EOUTRO PROCLAMANDO O FIM DA PINTURA PELA UTILIZAÇÃO DA FOTOGRAFIA. DURANTEUMA GRANDE PARTE DAQUELE SÉCULO, PINTURA E FOTOGRAFIA SE COLOCAVAM EMSITUAÇÃO OPOSTAS, CONTINUANDO A PINTURA A SER CONSIDERADA COMO ARTE E AFOTOGRAFIA COMO TÉCNICA. O PINTOR FRANCÊS EDGAR DEGAS FOI PIONEIRO NAUTILIZAÇÃO DA FOTOGRAFIA EM TRABALHOS ARTÍSTICOS, QUEBRANDO PARADIGMAS E,INCLUSIVE, INCLUINDO-A NA PROBLEMÁTICA DE SUA PINTURA. FEZ USO DA FOTOGRAFIACOMO AUXILIAR EM MUITAS DAS SUAS COMPOSIÇÕES PINTADAS A PASTEL. ASSIM, DESDE AQUELA ÉPOCA, O APARECIMENTO DA FOTOGRAFIA E A SUA UTILIZAÇÃONA PINTURA TRANSFORMARAM-SE NUM “DIVISOR DE ÁGUAS”, MAS AINDA HOJE TRANSITA
  7. 7. NOS TRABALHOS E NO PENSAMENTO DE MUITOS ARTISTAS, COMO RICARDO FRANCOQUE CAPTA INSTANTES POÉTICOS QUE SERÃO DEPOIS TRABALHADOS NO CAVALETE(QUANDO REALIZADA A PINTURA SOBRE TELA) OU NO COMPUTADOR (QUANDO PARTEPARA OS MAIS MODERNOS RECURSOS DA INFORMÁTICA) EXPRESSANDO UMA POÉTICASINGULAR E ALTAMENTE EXPRESSIVA, CUJOS RESULTADOS ESTÃO NAS SUAS OBRAS ATUAIS.MUITOS ARTISTAS BUSCAVAM, PELA UTILIZAÇÃO DA FOTOGRAFIA, O “EFEITO-PINTURA”,ENQUANTO OUTROS, UTILIZANDO-SE DA PINTURA, PROCURAVAM O “EFEITO-FOTOGRAFIA”.RICARDO FRANCO, CONHECEDOR TANTO DAS TÉCNICAS DA PINTURA COMO DOS RECURSOSFOTOGRÁFICOS, PARECE QUE BRINCA COM ESSES RECURSOS E NOS BRINDA COMRESULTADOS SURPREENDENTES, NOS QUAIS FICAM REGISTRADAS SUA CAPACIDADE TÉCNICA ESUA SENSIBILIDADE ARTÍSTICA, PRODUZINDO OBRA DE ARTE VERDADEIRA.EDUARDO EVANGELISTAASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE CRÍTICOS DE ARTE – ABCA
  8. 8. A PINTURA DE RICARDO FRANCO, UM ARTISTA EM COMEÇO DE CARREIRA, QUER MOSTRARANTES DE TUDO A VIBRAÇÃO DA LUZ E DA COR, AS FIGURAS SE DESMANCHAM EMMANCHAS, QUEREM SER PINTURAS E NADA MAIS. O ARTISTA, DEPOIS DE PASSAR PELAFOTOGRAFIA, VISITA O IMPRESSIONISMO E O EXPRESSIONISMO PARA BUSCAR REFERÊNCIASPARA DESENVOLVER SEU TRABALHO E CRIAR UM REPERTÓRIO. E ASSIM SUAS PINTURAS SEDESLANCHAM, TRAÇANDO UM PERCURSO. FIGURA E FUNDO SE ALTERNAM, SOMBRASSUGEREM IMAGENS OU VAZIOS DESENHADOS NA PAISAGEM QUE SONHA A ABSTRAÇÃO.ALMANDRADEARTISTA PLÁSTICO, ARQUITETO, MESTRE EM DESENHO URBANO, POETA E PROFESSOR DETEORIA DA ARTE DAS OFICINAS DE ARTE DO MUSEU DE ARTE MODERNA DA BAHIA.
  9. 9. FIM DE TARDEACRÍLICO SOBRE CANVAS 2011 - 1X1 M
  10. 10. BANQUINHOACRÍLICO SOBRE CANVAS 2011 - 1X1 M
  11. 11. ARPOADORACRÍLICO SOBRE CANVAS 2011 - 1X1 M
  12. 12. FIM DE TARDE IIACRÍLICO SOBRE CANVAS 2011 - 1X1 M
  13. 13. PASSARINHOACRILICO SOBRE CANVAS 2011 - 1X1 M
  14. 14. FUMAÇAACRÍLICO SOBRE CANVAS 2011 - 1X1 M
  15. 15. SOLIDÃOACRÍLICO SOBRE CANVAS 2011 - 1X1 M
  16. 16. POR DO SOLACRÍLICO SOBRE CANVAS 2011 - 1X1 M
  17. 17. PANTERASÓLEO SOBRE CANVAS 2011 - 1X1 M
  18. 18. A ESPERAÓLEO SOBRE CANVAS 2011 - 1X1 M
  19. 19. SEM TÍTULOÓLEO SOBRE CANVAS 2011 - 1X1 M
  20. 20. HORIZONTEÓLEO SOBRE CANVAS 2011 - 1X1 M
  21. 21. ESPERANÇAÓLEO SOBRE CANVAS 2011 - 1X1 M

×