Educação à Luz do Espiritismo

2.121 visualizações

Publicada em

Como combater o materialismo pela educação? Educar uma criança ou um espírito com uma bagagem milenar e várias experiências na Terra? “Espíritas; amai-vos,
eis o primeiro ensinamento; instruí-vos, eis o segundo” Espírito da Verdade

Publicada em: Espiritual

Educação à Luz do Espiritismo

  1. 1. Educação à Luz do Espiritismo
  2. 2. 2/46
  3. 3. O que é Educação?  Educação é toda influência exercida por um Espírito sobre outro, no sentido de despertar um processo de evolução. Essa influência leva o educando a promover autonomamente o seu aprendizado moral e intelectual.  Educar é pois elevar, estimular a busca da perfeição, despertar a consciência, facilitar o progresso integral do ser.  A educação não é um conjunto de coisas exteriores a serem transmitidas pelo educador para o educando, mas uma influência de Espírito para Espírito. Livro A EDUCAÇÃO SEGUNDO O ESPIRIT ISMO, Dora Incontri3/46
  4. 4. Referencias sobre Educação A EDUCAÇÃO SEGUNDO O ESPIRIT ISMO, Dora Incontri, 1998 Discurso do Sr. Rivail, diretor da escola, 1834
  5. 5. Por que Educar? “Há um elemento que não se ponderou bastante, e sem o qual a ciência econômica não passa de teoria: a educação. Não a educação intelectual, mas a moral, e nem ainda a educação moral pelos livros, mas a que consiste na arte de formar caracteres, aquela que cria os hábitos, porque educação é conjunto de hábitos adquiridos!”. “A desordem e a imprevidência são duas chagas que somente uma educação bem compreendida pode curar. Nisso está o ponto de partida, o elemento real do bem-estar, a garantia da segurança de todos”. O Livro dos Espíritos, comentário sobre a questão 6855/46
  6. 6. Por que Educar? “somente a educação pode reformar os homens (...)” Questão 796, O Livro dos Espíritos Allan Kardec “É pela educação, mais do que pela instrução, que se transformará a Humanidade”. Obras Póstumas, Allan Kardec 6/46
  7. 7. Quem são os educadores? 7/46
  8. 8. Quem são os educadores?
  9. 9. Somos todos eternos aprendizes 9/46
  10. 10. Uma escola chamada Terra 10/46
  11. 11. Esses são os novos alunos ...
  12. 12. ou os velhos alunos que retornam como filhos pródigos???
  13. 13. Se a Terra é a escola qual é a nossa classe? A Família13/46
  14. 14. A Família Como pai e filho, irmão e irmã, avô e neto, podem nascer adversários ferrenhos do passado. E nesse caso, a convivência cotidiana deve ser justamente a oportunidade de reconciliação e ajuste. Quando o pai ou a mãe percebe num filho uma aversão inata, uma antipatia inexplicável, podem estar certos de que a relação atual é preciosa ocasião para reajuste de ódios anteriores. 14/46
  15. 15. Os Grandes Educadores “Mais inspirador do que a teoria é o exemplo existencial” 15/46
  16. 16. ✔ Pai da Ética Ocidental ✔ Sócrates fazia perguntas que levavam o indivíduo a questionar sua própria certeza ✔ Como Jesus, nada escreveu Sócrates 16/46
  17. 17. Pestalozzi (1746 - 1827)  Educador, mestre de Allan Kardec e necessariamente precursor da doutrina espírita.  Educação integral: educação da cabeça, educação das mãos e educação do coração.  A criança aprende observando e fazendo e não apenas escutando. 17/46
  18. 18. A base afetiva da Educação  Pestalozzi teorizou e demonstrou que a partir do elo afetivo que se cria entre educador e educando, baseado evidentemente na dedicação sincera e integral daquele, é que se desenvolve um processo pedagógico eficaz, em que ambos crescem. 18/46
  19. 19. Denizard Rivail - O Educador “A educação é a obra da minha vida, e todos os meus instantes são empregados em meditar sobre esta matéria; sou feliz quando encontro um meio novo ou quando descubro novas verdades.” (Discurso de 1834) 19/46
  20. 20. Denizard Rivail (O Educador) até Allan Kardec (O Codificador) (30 anos) (53 anos) (64 anos) 1834 Discurso diretor escola 1804 Reencarnação 1857 O Livro dos Espíritos 1861 O Livro dos Médiuns 1864 O Evangelho Segundo o Espiritismo 1865 O Céu e o Inferno 1868 A Gênese 1869 DesencarnaçãoAllan Kardec e sua esposa Amélie Gabrielle
  21. 21. A Arte do Professor Como o hábil jardineiro, ele deve conhecer o terreno em que semeia, pois o espírito da criança é um verdadeiro terreno cuja natureza é preciso estudar; e assim como o talento do jardineiro não se limita a saber colocar plantas na terra, assim o do professor não se limita a fazer aprender os rudimentos. (Discurso de 1834, Denizard Rivail)21/46
  22. 22. A Arte de Cultivar Eu posso apressar o progresso de uma criança, posso desenvolver sua inteligência, mobiliar seu espírito; (...) Quantas crianças não foram injustamente taxadas de incapazes, porque não conseguiam aprender as línguas mortas! Quantas outras não foram qualificadas de prodígios, porque aos dez anos faziam maravilhosamente temas e versões, e foram nulidades no mundo! (Discurso de 1834, Denizard Rivail)22/46
  23. 23. Educação Moral x Material Estes resultados morais, os mais importantes sem dúvida, que ele não terá obtido senão às custas de perseverança e habilidade, lhe serão freqüentemente contados como nada. (...) Prefere-se o material, porque pode-se vê-lo, porque ele cai sob os nossos sentidos; não se despreza o outro resultado, mas ele é menos apreciado, porque nos atinge menos sensivelmente (Discurso de 1834, Denizard Rivail)23/46
  24. 24. Missão de Rivail Disse, no começo, que a educação é a obra da minha vida, não faltarei à minha missão, pois penso compreendê-la. Inimigo de todo charlatanismo, não tenho o tolo orgulho de acreditar cumpri-la com perfeição, mas tenho ao menos a convicção de cumpri-la com consciência. (Discurso de 1834, Denizard Rivail)24/46
  25. 25. Maẽs Educadoras Educadoras anonimas que com o coração contribuem com o progresso da humanidade. Desenvolveram, muitas delas a capacidade de sublimação e renúncia. Ligação fluídico e mental com a alma reencarnante, estabelece um vínculo natural e forte. 25/46
  26. 26. Pedagogia do Amor 26/46 Docilidade Ama cada um de nós, individualmente, confiante no nosso potencial divino. Austeridade 26/46
  27. 27. Matéria Essencial da Escola de Pais Se Jesus é o Pedagogo da Humanidade, nosso dever é aproximá-lo desde cedo aos espíritos que voltam ao mundo em sua jornada evolutiva.27/46
  28. 28. Esquecimento do Passado Com efeito, a lembrança do passado traria inconvenientes muito graves. Em certos casos, poderia humilhar-nos estranhamente, ou então exaltar o nosso orgulho, e por isso mesmo dificultar o exercício do nosso livre arbítrio. De qualquer maneira, traria perturbações inevitáveis às relações sociais. Esquecimento do Passado Evangelho Segundo o Espiritismo Capitulo V 28/46
  29. 29. Educando na Infância  O educando é sempre um espírito eterno e a tarefa educativa deve, acima de tudo atuar sobre a consciência espiritual.  Características das crianças: – Confiança e Ingenuidade; – Curiosidade e Interesse; – Absorção do meio e Imitação; – Sinceridade e Afetividade; – Fantasias e Brincadeiras; – Criatividade; – Mediunidade Infantil. 29/46
  30. 30. Educando na Infância (Até 7 Anos)  O perispírito não está inteiramente encaixado – falando uma analogia – no corpo físico.  Dessa maneira, a criança está como que exteriorizada e mais apta a captar todas as vibrações externas.  Desde o ventre materno a criança já está sob a influência espiritual dos pais, e até mesmo do ambiente dos pais onde vai reencarnar. Este é momento ideal para uma Educação Humanista, Moral e Espírita! 30/46
  31. 31. Educação na Adolescência  A personalidade do espírito emerge é o gradual despertar psíquico do espírito encarnado. Heranças perturbadoras do passado começam a ganhar predominância.  Corporalmente está se tornando adulto e espiritualmente está começando a mostrar o seu eu profundo. 31/46
  32. 32. Características da Adolescência  Desejo de Liberdade (Individualidade)  Despertar da sexualidade (nesta vida)  Carência afetiva  Rebeldia e reivindicações  Autenticidade  Hipersensibilidade  Atração pelo grupo  Doenças atuais: apatia, massificação e drogas 32/46
  33. 33. Educação na Juventude  O Espírito atingindo a fase adulta, entra em plena posse de si mesmo e inicia propriamente as responsabilidades mais graves da presente existência.  A vontade de autorrealização e o ideal de mudar o mundo se conjugam.  Confiança nos mestres. 33/46
  34. 34. Educação na Maturidade  A Educação nunca se encerra, pelo contrário na maturidade temos menos conflitos e um estado permanente de luta e ímpeto de aprendizado e evolução  Significa viver a maturidade do corpo de maneira equilibrada e saudável, em permanente estado de autoeducação onde os desvios e tropeços são mais comumente observados.  Os maduros imaturos e os falsos maduros.  Autoritarismo e conservadorismo. 34/46
  35. 35. Educação na Velhice  Convicção da própria imortalidade, sem apego e desejo de dominação; sem perder a alegria de viver.  Visão aguda da efemeridade. Um ótimo momento para compartilhar o que é eterno, o que realmente vale a pena.  A velhice mais ou menos serena vai depender em grande parte da perspectiva que se tem diante da morte física.  A negação da velhice, velhos manhosos, demência senil. 35/46
  36. 36. Educação pela Natureza  Se esperais que o mundo se apazígue e que a luz venha a brilhar no coração dos homens, deixai que as crianças bebam livremente do fluxo da vida e se banhem nas margens da Mãe Natureza.  Não as tranqueis em caixas de concreto, não as obrigueis à rigidez do corpo e não a impúnheis fórmulas prontas ao espírito!  Só a partir dessa ligação  visceral com a natureza é  que podeis falar em qualquer  forma de Educação.  Voltai ao campo, se quiserdes salvar o planeta...Espírito Tagore, Mensagem de 1991 36/46
  37. 37. Educação na Casa Espírita (…) Se o Espiritismo representar apenas uma frequência rotineira em um Centro, sem que haja um engajamento existencial, então obrigar a criança ir a cursos de evangelização, como se vai a um catecismo para fazer primeira comunhão (quando os pais não são católicos praticantes) é transformar a Doutrina num formalismo religioso, sem um sentido mais profundo. É evidente que tal atitude não criará convicções; ao invés, despertará resistências. 37/46
  38. 38. Educação na Casa Espírita  A Doutrina não pode se reduzir a um catecismo periódico, divorciado da prática existencial.  Manifesta-se aí o compromisso espírita de agir pedagogicamente, tanto no sentido moral quanto intelectual e mesmo estético.  Temos que estender sempre o convite a todos para participar, sem hierarquia e sem violar consciências. 38/46
  39. 39. Meta da Educação Espírita A caridade máxima, portanto, que o espírita deve procurar realizar como ideal de vida, não é o assistencialismo social, respeitável e necessário, mas limitado e superficial, é sim a caridade da Educação. Elevar, transformar, despertar consciências, contribuindo para a mudança interna dos homens - que redundará também numa evolução externa - esta deve ser a meta de todo espírita. 39/46
  40. 40. De que maneira o Espiritismo pode Contribuir para o Progresso? Destruindo o materialismo, que é uma das chagas da sociedade, ele faz os homens compreenderem onde está o seu verdadeiro interesse. A vida futura não estando mais velada pela dúvida, o homem compreenderá melhor que pode assegurar o seu futuro através do presente. Destruindo os preconceitos de seita, de casta e de cor, ele ensina aos homens a grande solidariedade que os deve unir como irmãos. O Livro dos Espíritos, questão 79940/46
  41. 41. O Advento do Espírito de Verdade, Evangelho Segundo o Espiritismo Capitulo VI “Espíritas; amai-vos, eis o primeiro ensinamento; instrui-vos, eis o segundo” “Espíritas; amai-vos, eis o primeiro ensinamento; instrui-vos, eis o segundo” Eis a nossa missão? 41/46
  42. 42. Convite para a Autoeducação Seara Espírita à Caminho do Mestre Domingo  Espiritismo e Consciência – 8h30 às 9h30  Mediunidade – 8h30 às 9h30 3a . Feira  Preparo para a Mediunidade – 20h00 às 21h00  4a . Feira  Livro dos Espíritos - 20h00 às 21h00  Força Natural da Cura – 20h00 às 21h00 5a . Feira  Evangelho Segundo o Espiritismo – 19h50 às 21h00 6a . Feira  Transtorno Mental – 20h00 às 21h00  Oficina dos Médiuns – 20h00 às 21h00  Apometria – 19h50 as 20h30 42/46
  43. 43. Senhor, Que eu possa me debruçar sobre cada criança, e sobre cada jovem, com a reverência que deve animar minha alma diante de toda criatura tua! Que eu respeite em cada ser humano de que me aproximar, o sagrado direito de ele próprio construir seu ser e escolher seu pensar! Que eu não deseje me apoderar do espírito de ninguém, imprimindo-lhe meus caprichos e meus desejos pessoais, nem exigindo qualquer recompensa por aquilo que devo lhe dar de alma para alma! Que eu saiba acender o impulso do progresso, encontrando o fio condutor de desenvolvimento de cada um, dando-lhes o que eles já possuem e não sabem, fazendo-os surpreenderem-se consigo mesmos! Prece do Educador 1/2 43/46
  44. 44. Prece do Educador 2/2 Que eu me impregne de infinita paciência, de inquebrantável perseverança e de suprema força interior para me manter sempre sob o meu próprio domínio, sem deixar flutuar meu espírito ao sabor das circunstâncias! Mas que minha segurança não seja dogmatismo e inflexibilidade e que minha serenidade não seja mormaço espiritual! Que eu passe por todos, sem nenhuma arrogância e sem pretensão à verdade absoluta, mas que deixe em cada um, uma marca inesquecível. por ter transmitido alguma centelha de verdade e todo o meu amor! Livro A EDUCAÇÃO SEGUNDO O ESPIRIT ISMO, Dora Incontri 44/46
  45. 45. A Pergunta que fica... Como educar meu espírito imortal para contribuir na educação moral dos meus próximos? Apresentação disponível em http://pt.slideshare.net/ricardoazevedo9216/educao-luz-do-espiritismo
  46. 46. Referências  O Evangelho Segundo o Espiritismo – Allan Kardec  O Livro dos Espíritos – Allan Kardec  A Educação segundo o Espiritismo, Dora Incontri  Discurso do Sr. Denizard Rivail, 1834, na escola Instituição Rivail  http://www.espirito.org.br/ - Educação Espírita  Nascer e Morrer: Educação Consciencial do Espírito, José Augusto Chagas

×