SlideShare uma empresa Scribd logo
18 de Abril
Dia Nacional do Espíritsmo
164 anos de Espiritismo
A Primeira Revelação:
Moisés
 Travessia “moral” do povo
judeu em busca da Terra
Prometida, com a crença no
Deus único e os Dez
Mandamentos como base
A Segunda Revelação:
Jesus
 Jesus não veio destruir a lei, isto é, a lei de
Deus; veio cumprila, isto é,
 desenvolvêla, darlhe o verdadeiro sentido
e adaptála ao grau de adiantamento dos
homens. Por isso, é que se nos depara,
nessa lei, o princípio dos deveres para com
Deus e para com o próximo, base da sua
doutrina.
Evangelho Segundo o Espiritismo, Cap. I - Não Vim
Destruir a Lei, Allan Kardec
4
O Amor resume
toda a doutrina
de Jesus
Se me amais, guardai os meus
mandamentos; e eu rogarei a meu
Pai e ele vos enviará outro
Consolador, a fim de que fique
eternamente convosco: ...
O Consolador Prometido 1/2
Evangelho Segundo o Espiritismo, Capítulo 6 -
O Cristo Consolador, Allan Kardec
... O Espírito de Verdade, que o mundo não pode receber,
porque o não vê e absolutamente o não conhece. Mas, quanto
a vós, conhecêloeis, porque ficará convosco e estará em vós.
Porém, o Consolador, que é o Santo Espírito, que meu Pai
enviará em meu nome, vos ensinará todas as coisas e vos fará
recordar tudo o que vos tenho dito.
(JOÃO , 14:15 a 17 e 26)
Evangelho Segundo o Espiritismo, Capítulo 6 - O Cristo Consolador, Allan Kardec
O Consolador Prometido 2/2
6
• Existência de Deus;
• Existência, imortalidade e conservação da individualidade do
espírito;
• Comunicabilidade dos espíritos;
• Reencarnação;
• Lei de causa e efeito / livre-arbítrio;
• Lei de evolução; e
• Pluralidade dos mundos habitados.
7
A Terceira Revelação: O Espiritismo
Artigo Allan Kardec e a Codificação do Espiritismo,
https://www.febnet.org.br/blog/geral/allan-kardec-e-a-codificacao-do-espiritismo/
A educação é a obra da minha vida, e todos os meus instantes são
empregados em meditar sobre esta matéria; sou feliz quando
encontro um meio novo ou quando descubro novas verdades.
Como o hábil jardineiro, ele deve conhecer
o terreno em que semeia, pois o espírito
da criança é um verdadeiro terreno cuja
natureza é preciso estudar; ...
Denizard Rivail - O Educador1/3
Discurso de 1834, pronunciado na distribuição de prêmios na escola
em que era diretor em 1834
8
... e assim como o talento do jardineiro não se limita a saber
colocar plantas na terra, assim o do professor não se limita a fazer
aprender os rudimentos.
Eu posso apressar o progresso de uma criança, posso desenvolver
sua inteligência, mobiliar seu espírito; ...
Estes resultados morais, os mais importantes sem dúvida, que ele
não terá obtido senão às custas de perseverança e habilidade, lhe
serão freqüentemente contados como nada. ...
Denizard Rivail - O Educador2/3
Discurso de 1834, pronunciado na distribuição de prêmios na escola em que era diretor em 1834
9
Prefere-se o material, porque pode-se vê-lo, porque ele cai sob os
nossos sentidos; não se despreza o outro resultado, mas ele é
menos apreciado, porque nos atinge menos sensivelmente.
Disse, no começo, que a educação é a obra da minha vida, não
faltarei à minha missão, pois penso compreendê-la. Inimigo de todo
charlatanismo, não tenho o tolo orgulho de acreditar cumpri-la com
perfeição, mas tenho ao menos a convicção de cumpri-la com
consciência.
Denizard Rivail - O Educador3/3
Discurso de 1834, pronunciado na distribuição de prêmios na escola em que era diretor em 1834
10
Denizard Rivail (O Educador) até
Allan Kardec (O Codificador)
1834
Discurso diretor de
escola
1804
Reencarnação
(03/10)
1855
Mesas Girantes
1861
O Livro dos Médiuns (15/01)
1864
O Evangelho Segundo o Espiritismo (15/04)
1865
O Céu e o Inferno (01/08)
1868
A Gênese (06/01)
1869
Desencarnação (31/03)
Allan Kardec e sua
esposa Amélie
Gabrielle Boudet 1890
Obras Póstumas
(30 anos) (65 anos)
(51 anos)
1857
O Livro dos Espíritos (18/04)
Os Espíritos do Senhor, que são as virtudes dos Céus, qual imenso
exército que se movimenta ao receber as ordens do seu comando,
espalham-se por toda a superfície da Terra e, semelhantes a estrelas
cadentes, vêm iluminar os caminhos e abrir os olhos aos cegos.
Eu vos digo, em verdade, que são chegados os tempos em que todas as
coisas hão de ser restabelecidas no seu
verdadeiro sentido, para dissipar as trevas, confundir os orgulhosos e
glorificar os justos.
As virtudes do céu espalham-se 1/2
Livro O Evangelho Segundo o Espiritismo, Prefácio, Allan Kardec
12
As grandes vozes do Céu ressoam como sons de trombetas, e os cânticos
dos anjos se lhes associam. Nós vos convidamos, a vós homens, para o
divino concerto. Tomai da lira, fazei uníssonas vossas vozes, e que, num
hino sagrado, elas se estendam e repercutam de um extremo a outro do
Universo...
Homens, irmãos a quem amamos, aqui estamos junto de vós. Amai-vos,
também, uns aos outros e dizei do fundo do coração, fazendo as vontades
do Pai, que está no Céu: Senhor!
Senhor!... e podereis entrar no reino dos Céus.
13
As virtudes do céu espalham-se 2/2
O ESPÍRITO DE VERDADE
Livro dos Médiuns, Da identidade dos Espíritos, Allan Kardec
O senso crítico do Codificador
14
11a. Nota-se que, às vezes, as comunicações espíritas ridículas se
mostram entremeadas de excelentes máximas. Como explicar esta
anomalia, que parece indicar a presença simultânea de bons e maus
Espíritos?
“Os Espíritos maus, ou levianos, também se metem a enunciar sentenças,
sem lhes perceberem bem o alcance, ou a significação. Entre vós, serão
homens superiores todos os que as enunciam? Não; os bons e os maus
Espíritos não andam juntos; pela uniformidade constante das boas
comunicações é que reconhecereis a presença dos bons Espíritos.”
Obras Póstumas, Meu Sucessor, Allan Kardec
E se Kardec tivesse recusado a missão?
15
Respondo que não nutro a pretensão de ser indispensável; ...
Resposta: Tens razão em afirmar que não és indispensável; só o és ao ver
dos homens, porque era necessário que o trabalho de organização se
concentrasse nas mãos de um só, para que houvesse unidade; não o és,
porém, aos olhos de Deus. Foste escolhido e por isso é que te vês só; mas,
não és, como, aliás, bem o sabes, a única entidade capaz de desempenhar
essa
missão. Se o seu desempenho se interrompesse por
uma causa qualquer, não faltariam a Deus outros que te substituíssem.
Assim, aconteça o que acontecer, o
Espiritismo não periclitará.
Divisei o fim objetivado e resolvi atingi-lo, com a
assistência dos bons Espíritos. Sentia que não tinha
tempo a perder e não perdi, nem em visitas inúteis, nem
em cerimônias estéreis. Foi a obra de minha vida. Dei-lhe
todo o meu tempo, sacrifiquei-lhe o
meu repouso, a minha saúde,
porque diante de mim o futuro estava
escrito em letras irrecusáveis.
Livro Obras Póstumas, Contituição do Espiritismo,
Allan Kardec
16
Monumento em homenagem a Allan Kardec -
Cemitério Père-Lachaise - Paris, França.
17
“Nascer, morrer,
renascer ainda e
progredir
sem cessar,
tal é a lei”
Livro Opinião Espírita, Emmanuel e André Luiz, Psicografia de Chico Xavier e
Waldo Vieira
Jesus, Kardec e Nós 1/3
18
Se Jesus considerasse a si mesmo puro demais, a ponto de não
tolerar o contato das fraquezas humanas; se acreditasse que tudo
deve correr por conta de Deus; se nos admitisse irremediavelmente
perdidos na rebeldia e na delinqüência; se condicionasse o
desempenho do seu apostolado ao apoio dos homens mais cultos;
se aguardasse encosto dinheiroso e valimento político a fim de
realizar a sua obra ou se recuasse, diante do sacrifício, decerto não
conheceríamos a
luz do Evangelho, que nos descerra o caminho à
emancipação espiritual.
Jesus, Kardec e Nós 2/3
19
Se Allan Kardec superestimasse a elevada posição que lhe era devida na
aristocracia da inteligência, colocando honras e títulos merecidos, acima
das próprias convicções; se permanecesse na expectativa da adesão de
personalidade ilustres à mensagem de que se fazia portador; se
esperasse cobertura financeira para atirar-se à tarefa; se avaliasse as suas
dificuldades de educador, com escasso tempo para esposar
compromissos diferentes do magistério ou se retrocedesse, perante as
calúnias e injúrias que lhe inçaram a estrada, não teríamos a codificação
da doutrina Espírita, que complementa o Evangelho, integrando-nos na
responsabilidade de viver.
Livro Opinião Espírita, Emmanuel e André Luiz, Psicografia de Chico Xavier e Waldo Vieira
Jesus, Kardec e Nós 3/3
20
Refletindo em Jesus e Kardec, ficamos sem compreender a nossa
inconseqüência, quando nos declaramos demasiadamente virtuosos,
ocupados, instruídos, tímidos, incapazes ou desiludidos para atender às
obrigações que nos cabem na Doutrina Espírita. Isso porque se eles - o
Mestre e o Apóstolo da renovação humana - passaram entre os homens,
sofrendo dilacerações e exemplificando o bem, por amor à verdade,
quando nós - consciências endividadas, fugimos de aprender e servir,
em proveito próprio, indiscutivelmente, estaremos sem perceber, sob a
hipnose da obsessão oculta, carregando equilíbrio por fora e loucura por
dentro.
Livro Opinião Espírita, Emmanuel e André Luiz, Psicografia de Chico Xavier e Waldo Vieira
Como EU posso ser
protagonista e cocriador da
grande Obra da Regeneração?
https://www.slideshare.net/ricardoazevedo9216/
• Evangelho Segundo o Espiritismo, Allan Kardec
• Livro dos Espíritos, Allan Kardec
• Livro dos Médiuns, Allan Kardec
• Livro Obras Póstumas, Introdução, Allan Kardec
• Livro Opinião Espírita, Emmanuel e André Luiz, Psicografia de Chico Xavier e
Waldo Vieira
• Artigo Allan Kardec e a Codificação do Espiritismo,
https://www.febnet.org.br/blog/geral/allan-kardec-e-a-codificacao-do-espiritismo/

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Lei de justiça
Lei de justiça Lei de justiça
Lei de justiça
grupodepaisceb
 
LE Q.614 a 618 e ESE cap.5 item22
LE Q.614 a 618 e ESE cap.5 item22LE Q.614 a 618 e ESE cap.5 item22
LE Q.614 a 618 e ESE cap.5 item22
Patricia Farias
 
Livro dos Espiritos Q619 e ESE cap5 item23
Livro dos Espiritos Q619 e ESE cap5 item23Livro dos Espiritos Q619 e ESE cap5 item23
Livro dos Espiritos Q619 e ESE cap5 item23
Patricia Farias
 
Missão dos espíritas
Missão dos espíritasMissão dos espíritas
Missão dos espíritas
Graça Maciel
 
Conteudo profundo das parábolas
Conteudo profundo das parábolasConteudo profundo das parábolas
Conteudo profundo das parábolas
Graça Maciel
 
Coletânea De Preces Espíritas
Coletânea De Preces EspíritasColetânea De Preces Espíritas
Coletânea De Preces Espíritas
Nilson Almeida
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 28 - E os fins?
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 28 - E os fins?Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 28 - E os fins?
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 28 - E os fins?
Ricardo Azevedo
 
Orgulho: Pai de todos os vÍcios
Orgulho: Pai de todos os vÍciosOrgulho: Pai de todos os vÍcios
Orgulho: Pai de todos os vÍcios
Graça Maciel
 
A MISSÃO DE ALLAN KARDEC
A MISSÃO DE ALLAN KARDECA MISSÃO DE ALLAN KARDEC
A MISSÃO DE ALLAN KARDEC
Jorge Luiz dos Santos
 
Coragem da fé
Coragem da féCoragem da fé
Coragem da fé
Graça Maciel
 
Espiritismo valorosa semente
Espiritismo valorosa sementeEspiritismo valorosa semente
Espiritismo valorosa semente
Graça Maciel
 
Progresso moral nova fase para humanidade
Progresso moral nova fase para humanidadeProgresso moral nova fase para humanidade
Progresso moral nova fase para humanidade
Graça Maciel
 
Capitulo xx os trabalhadores da última hora
Capitulo xx os trabalhadores da última horaCapitulo xx os trabalhadores da última hora
Capitulo xx os trabalhadores da última hora
caminhodaluz41
 
LE 475 e ESE cap3 item19
LE 475 e ESE cap3 item19LE 475 e ESE cap3 item19
LE 475 e ESE cap3 item19
Patricia Farias
 
Palestra Allan Kardec
Palestra Allan KardecPalestra Allan Kardec
Palestra Allan Kardec
The Fraternity Spiritist Group
 
A Prece é agradável a Deus?
A Prece é agradável a Deus?A Prece é agradável a Deus?
A Prece é agradável a Deus?
Graça Maciel
 
Prefacio - No Mundo Maior
Prefacio - No Mundo MaiorPrefacio - No Mundo Maior
Prefacio - No Mundo Maior
Patricia Farias
 
Livro dos Espíritos 473 ESE cap3 item16
Livro dos Espíritos 473 ESE cap3 item16Livro dos Espíritos 473 ESE cap3 item16
Livro dos Espíritos 473 ESE cap3 item16
Patricia Farias
 
Influência dos espíritos sobre os nossos pensamentos
Influência dos espíritos sobre os nossos pensamentosInfluência dos espíritos sobre os nossos pensamentos
Influência dos espíritos sobre os nossos pensamentos
Graça Maciel
 
Virtudes e vicios
Virtudes e viciosVirtudes e vicios
Virtudes e vicios
Graça Maciel
 

Mais procurados (20)

Lei de justiça
Lei de justiça Lei de justiça
Lei de justiça
 
LE Q.614 a 618 e ESE cap.5 item22
LE Q.614 a 618 e ESE cap.5 item22LE Q.614 a 618 e ESE cap.5 item22
LE Q.614 a 618 e ESE cap.5 item22
 
Livro dos Espiritos Q619 e ESE cap5 item23
Livro dos Espiritos Q619 e ESE cap5 item23Livro dos Espiritos Q619 e ESE cap5 item23
Livro dos Espiritos Q619 e ESE cap5 item23
 
Missão dos espíritas
Missão dos espíritasMissão dos espíritas
Missão dos espíritas
 
Conteudo profundo das parábolas
Conteudo profundo das parábolasConteudo profundo das parábolas
Conteudo profundo das parábolas
 
Coletânea De Preces Espíritas
Coletânea De Preces EspíritasColetânea De Preces Espíritas
Coletânea De Preces Espíritas
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 28 - E os fins?
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 28 - E os fins?Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 28 - E os fins?
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 28 - E os fins?
 
Orgulho: Pai de todos os vÍcios
Orgulho: Pai de todos os vÍciosOrgulho: Pai de todos os vÍcios
Orgulho: Pai de todos os vÍcios
 
A MISSÃO DE ALLAN KARDEC
A MISSÃO DE ALLAN KARDECA MISSÃO DE ALLAN KARDEC
A MISSÃO DE ALLAN KARDEC
 
Coragem da fé
Coragem da féCoragem da fé
Coragem da fé
 
Espiritismo valorosa semente
Espiritismo valorosa sementeEspiritismo valorosa semente
Espiritismo valorosa semente
 
Progresso moral nova fase para humanidade
Progresso moral nova fase para humanidadeProgresso moral nova fase para humanidade
Progresso moral nova fase para humanidade
 
Capitulo xx os trabalhadores da última hora
Capitulo xx os trabalhadores da última horaCapitulo xx os trabalhadores da última hora
Capitulo xx os trabalhadores da última hora
 
LE 475 e ESE cap3 item19
LE 475 e ESE cap3 item19LE 475 e ESE cap3 item19
LE 475 e ESE cap3 item19
 
Palestra Allan Kardec
Palestra Allan KardecPalestra Allan Kardec
Palestra Allan Kardec
 
A Prece é agradável a Deus?
A Prece é agradável a Deus?A Prece é agradável a Deus?
A Prece é agradável a Deus?
 
Prefacio - No Mundo Maior
Prefacio - No Mundo MaiorPrefacio - No Mundo Maior
Prefacio - No Mundo Maior
 
Livro dos Espíritos 473 ESE cap3 item16
Livro dos Espíritos 473 ESE cap3 item16Livro dos Espíritos 473 ESE cap3 item16
Livro dos Espíritos 473 ESE cap3 item16
 
Influência dos espíritos sobre os nossos pensamentos
Influência dos espíritos sobre os nossos pensamentosInfluência dos espíritos sobre os nossos pensamentos
Influência dos espíritos sobre os nossos pensamentos
 
Virtudes e vicios
Virtudes e viciosVirtudes e vicios
Virtudes e vicios
 

Semelhante a Consolação e Codificação

O que é o espiritismo
O que é o espiritismoO que é o espiritismo
O que é o espiritismo
André Gonçalves
 
Missão dos Espíritas
Missão dos EspíritasMissão dos Espíritas
Missão dos Espíritas
Antonino Silva
 
Ser Espirita
Ser EspiritaSer Espirita
Ser Espirita
Ricardo Azevedo
 
( Espiritismo) # - andreia azevedo - allan kardec
( Espiritismo)   # - andreia azevedo - allan kardec( Espiritismo)   # - andreia azevedo - allan kardec
( Espiritismo) # - andreia azevedo - allan kardec
Instituto de Psicobiofísica Rama Schain
 
Allan kardec-150-anos-le-120528729896746-2
Allan kardec-150-anos-le-120528729896746-2Allan kardec-150-anos-le-120528729896746-2
Allan kardec-150-anos-le-120528729896746-2
Tacaraci Fernandes Vieira
 
Propósito - Pessoa de Bem
Propósito - Pessoa de BemPropósito - Pessoa de Bem
Propósito - Pessoa de Bem
Ricardo Azevedo
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 62 - Jesus para o Homem
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 62 - Jesus para o HomemSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 62 - Jesus para o Homem
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 62 - Jesus para o Homem
Ricardo Azevedo
 
Evangeliza - Doutrina Espírita - Introdução ao espiritismo
Evangeliza - Doutrina Espírita - Introdução ao espiritismoEvangeliza - Doutrina Espírita - Introdução ao espiritismo
Evangeliza - Doutrina Espírita - Introdução ao espiritismo
Antonino Silva
 
Smf vii consolador
Smf vii consoladorSmf vii consolador
Smf vii consolador
Marcílio Pereira
 
D 07 Pluralidade dos Mundos Habitados
D 07  Pluralidade dos Mundos HabitadosD 07  Pluralidade dos Mundos Habitados
D 07 Pluralidade dos Mundos Habitados
JPS Junior
 
Capítulo I - Penas e Gozos Terrestres.docx
Capítulo I - Penas e Gozos Terrestres.docxCapítulo I - Penas e Gozos Terrestres.docx
Capítulo I - Penas e Gozos Terrestres.docx
Marta Gomes
 
O consolador prometido
O consolador prometidoO consolador prometido
O consolador prometido
Claudio Macedo
 
150 anos do ceu e o inferno
150 anos do ceu e o inferno150 anos do ceu e o inferno
150 anos do ceu e o inferno
Escola da Vida
 
150 ANOS DE "O CÉU E O INFERNO"
150 ANOS DE "O CÉU E O INFERNO"150 ANOS DE "O CÉU E O INFERNO"
150 ANOS DE "O CÉU E O INFERNO"
Jorge Luiz dos Santos
 
Evangeliza - O Livro dos Espíritos
Evangeliza - O Livro dos EspíritosEvangeliza - O Livro dos Espíritos
Evangeliza - O Livro dos Espíritos
Antonino Silva
 
Introdução a doutrina espirita-Palestra do Curso Espiritismo E Evangelho-GECM...
Introdução a doutrina espirita-Palestra do Curso Espiritismo E Evangelho-GECM...Introdução a doutrina espirita-Palestra do Curso Espiritismo E Evangelho-GECM...
Introdução a doutrina espirita-Palestra do Curso Espiritismo E Evangelho-GECM...
Marcelo do Nascimento Rodrigues
 
Mofra cartilha
Mofra cartilhaMofra cartilha
Evangeliza - O Evangelho de Jesus
Evangeliza - O Evangelho de JesusEvangeliza - O Evangelho de Jesus
Evangeliza - O Evangelho de Jesus
Antonino Silva
 
Palestra Espírita - Missão dos espíritas
Palestra Espírita - Missão dos espíritasPalestra Espírita - Missão dos espíritas
Palestra Espírita - Missão dos espíritas
Divulgador do Espiritismo
 
Missionários da luz
Missionários da luzMissionários da luz
Missionários da luz
guestae3c203
 

Semelhante a Consolação e Codificação (20)

O que é o espiritismo
O que é o espiritismoO que é o espiritismo
O que é o espiritismo
 
Missão dos Espíritas
Missão dos EspíritasMissão dos Espíritas
Missão dos Espíritas
 
Ser Espirita
Ser EspiritaSer Espirita
Ser Espirita
 
( Espiritismo) # - andreia azevedo - allan kardec
( Espiritismo)   # - andreia azevedo - allan kardec( Espiritismo)   # - andreia azevedo - allan kardec
( Espiritismo) # - andreia azevedo - allan kardec
 
Allan kardec-150-anos-le-120528729896746-2
Allan kardec-150-anos-le-120528729896746-2Allan kardec-150-anos-le-120528729896746-2
Allan kardec-150-anos-le-120528729896746-2
 
Propósito - Pessoa de Bem
Propósito - Pessoa de BemPropósito - Pessoa de Bem
Propósito - Pessoa de Bem
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 62 - Jesus para o Homem
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 62 - Jesus para o HomemSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 62 - Jesus para o Homem
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 62 - Jesus para o Homem
 
Evangeliza - Doutrina Espírita - Introdução ao espiritismo
Evangeliza - Doutrina Espírita - Introdução ao espiritismoEvangeliza - Doutrina Espírita - Introdução ao espiritismo
Evangeliza - Doutrina Espírita - Introdução ao espiritismo
 
Smf vii consolador
Smf vii consoladorSmf vii consolador
Smf vii consolador
 
D 07 Pluralidade dos Mundos Habitados
D 07  Pluralidade dos Mundos HabitadosD 07  Pluralidade dos Mundos Habitados
D 07 Pluralidade dos Mundos Habitados
 
Capítulo I - Penas e Gozos Terrestres.docx
Capítulo I - Penas e Gozos Terrestres.docxCapítulo I - Penas e Gozos Terrestres.docx
Capítulo I - Penas e Gozos Terrestres.docx
 
O consolador prometido
O consolador prometidoO consolador prometido
O consolador prometido
 
150 anos do ceu e o inferno
150 anos do ceu e o inferno150 anos do ceu e o inferno
150 anos do ceu e o inferno
 
150 ANOS DE "O CÉU E O INFERNO"
150 ANOS DE "O CÉU E O INFERNO"150 ANOS DE "O CÉU E O INFERNO"
150 ANOS DE "O CÉU E O INFERNO"
 
Evangeliza - O Livro dos Espíritos
Evangeliza - O Livro dos EspíritosEvangeliza - O Livro dos Espíritos
Evangeliza - O Livro dos Espíritos
 
Introdução a doutrina espirita-Palestra do Curso Espiritismo E Evangelho-GECM...
Introdução a doutrina espirita-Palestra do Curso Espiritismo E Evangelho-GECM...Introdução a doutrina espirita-Palestra do Curso Espiritismo E Evangelho-GECM...
Introdução a doutrina espirita-Palestra do Curso Espiritismo E Evangelho-GECM...
 
Mofra cartilha
Mofra cartilhaMofra cartilha
Mofra cartilha
 
Evangeliza - O Evangelho de Jesus
Evangeliza - O Evangelho de JesusEvangeliza - O Evangelho de Jesus
Evangeliza - O Evangelho de Jesus
 
Palestra Espírita - Missão dos espíritas
Palestra Espírita - Missão dos espíritasPalestra Espírita - Missão dos espíritas
Palestra Espírita - Missão dos espíritas
 
Missionários da luz
Missionários da luzMissionários da luz
Missionários da luz
 

Mais de Ricardo Azevedo

Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não TiranizesSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Ricardo Azevedo
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - RevidesSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Ricardo Azevedo
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 141 - Amor Fraternal
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 141 - Amor FraternalSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 141 - Amor Fraternal
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 141 - Amor Fraternal
Ricardo Azevedo
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 140 - Saibamos Relembrar
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 140 - Saibamos RelembrarSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 140 - Saibamos Relembrar
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 140 - Saibamos Relembrar
Ricardo Azevedo
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 139 - Oferendas
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 139 - OferendasSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 139 - Oferendas
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 139 - Oferendas
Ricardo Azevedo
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 140 - Vejamos Isso
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 140 - Vejamos IssoSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 140 - Vejamos Isso
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 140 - Vejamos Isso
Ricardo Azevedo
 
Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 137 - Inimigos
Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 137 - InimigosEvangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 137 - Inimigos
Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 137 - Inimigos
Ricardo Azevedo
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 136 - Conflito
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 136 - ConflitoSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 136 - Conflito
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 136 - Conflito
Ricardo Azevedo
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação Necessária
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação NecessáriaSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação Necessária
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação Necessária
Ricardo Azevedo
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 134 - Nutrição Espiritual
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 134 - Nutrição EspiritualSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 134 - Nutrição Espiritual
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 134 - Nutrição Espiritual
Ricardo Azevedo
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 133 - Lógica da Providência
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 133 - Lógica da ProvidênciaSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 133 - Lógica da Providência
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 133 - Lógica da Providência
Ricardo Azevedo
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 132 - Em tudo
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 132 - Em tudoSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 132 - Em tudo
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 132 - Em tudo
Ricardo Azevedo
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 131 - O Mundo e a Crença
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 131 - O Mundo e a CrençaSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 131 - O Mundo e a Crença
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 131 - O Mundo e a Crença
Ricardo Azevedo
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 130 - Onde estão?
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 130 - Onde estão?Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 130 - Onde estão?
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 130 - Onde estão?
Ricardo Azevedo
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 129 - Ao partir do pão
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 129 - Ao partir do pãoSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 129 - Ao partir do pão
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 129 - Ao partir do pão
Ricardo Azevedo
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 128 - É porque ignoram
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 128 - É porque ignoramSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 128 - É porque ignoram
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 128 - É porque ignoram
Ricardo Azevedo
 
Jesus - O Amor na forma humana (1a. edição)
Jesus - O Amor na forma humana (1a. edição)Jesus - O Amor na forma humana (1a. edição)
Jesus - O Amor na forma humana (1a. edição)
Ricardo Azevedo
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 127 - Lei de Retorno
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 127 - Lei de RetornoSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 127 - Lei de Retorno
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 127 - Lei de Retorno
Ricardo Azevedo
 
Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 126 - Espinhos
Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 126 - EspinhosEvangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 126 - Espinhos
Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 126 - Espinhos
Ricardo Azevedo
 
Sintonia - Escolha, Pensamento e Elevação
Sintonia - Escolha, Pensamento e ElevaçãoSintonia - Escolha, Pensamento e Elevação
Sintonia - Escolha, Pensamento e Elevação
Ricardo Azevedo
 

Mais de Ricardo Azevedo (20)

Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não TiranizesSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - RevidesSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 141 - Amor Fraternal
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 141 - Amor FraternalSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 141 - Amor Fraternal
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 141 - Amor Fraternal
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 140 - Saibamos Relembrar
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 140 - Saibamos RelembrarSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 140 - Saibamos Relembrar
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 140 - Saibamos Relembrar
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 139 - Oferendas
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 139 - OferendasSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 139 - Oferendas
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 139 - Oferendas
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 140 - Vejamos Isso
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 140 - Vejamos IssoSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 140 - Vejamos Isso
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 140 - Vejamos Isso
 
Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 137 - Inimigos
Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 137 - InimigosEvangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 137 - Inimigos
Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 137 - Inimigos
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 136 - Conflito
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 136 - ConflitoSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 136 - Conflito
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 136 - Conflito
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação Necessária
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação NecessáriaSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação Necessária
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação Necessária
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 134 - Nutrição Espiritual
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 134 - Nutrição EspiritualSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 134 - Nutrição Espiritual
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 134 - Nutrição Espiritual
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 133 - Lógica da Providência
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 133 - Lógica da ProvidênciaSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 133 - Lógica da Providência
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 133 - Lógica da Providência
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 132 - Em tudo
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 132 - Em tudoSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 132 - Em tudo
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 132 - Em tudo
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 131 - O Mundo e a Crença
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 131 - O Mundo e a CrençaSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 131 - O Mundo e a Crença
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 131 - O Mundo e a Crença
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 130 - Onde estão?
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 130 - Onde estão?Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 130 - Onde estão?
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 130 - Onde estão?
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 129 - Ao partir do pão
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 129 - Ao partir do pãoSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 129 - Ao partir do pão
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 129 - Ao partir do pão
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 128 - É porque ignoram
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 128 - É porque ignoramSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 128 - É porque ignoram
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 128 - É porque ignoram
 
Jesus - O Amor na forma humana (1a. edição)
Jesus - O Amor na forma humana (1a. edição)Jesus - O Amor na forma humana (1a. edição)
Jesus - O Amor na forma humana (1a. edição)
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 127 - Lei de Retorno
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 127 - Lei de RetornoSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 127 - Lei de Retorno
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 127 - Lei de Retorno
 
Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 126 - Espinhos
Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 126 - EspinhosEvangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 126 - Espinhos
Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 126 - Espinhos
 
Sintonia - Escolha, Pensamento e Elevação
Sintonia - Escolha, Pensamento e ElevaçãoSintonia - Escolha, Pensamento e Elevação
Sintonia - Escolha, Pensamento e Elevação
 

Último

Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001
Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001
Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001
EdimarEdigesso
 
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptxLição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Celso Napoleon
 
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptxBatismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
nadeclarice
 
controle-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyug
controle-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyugcontrole-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyug
controle-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyug
AntonioMugiba
 
6 - O ato de Reconciliação do cristão Versículo-Chave: Mateus 5.22.
6 - O ato de Reconciliação do cristão Versículo-Chave: Mateus 5.22.6 - O ato de Reconciliação do cristão Versículo-Chave: Mateus 5.22.
6 - O ato de Reconciliação do cristão Versículo-Chave: Mateus 5.22.
PIB Penha
 
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptxLição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Celso Napoleon
 
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita RafaelA Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
DavidBertelli3
 
8 - A Palavra de Honra do Cristão.Versículo-Chave: Tiago 5.12
8 - A Palavra de Honra do Cristão.Versículo-Chave: Tiago 5.128 - A Palavra de Honra do Cristão.Versículo-Chave: Tiago 5.12
8 - A Palavra de Honra do Cristão.Versículo-Chave: Tiago 5.12
PIB Penha
 
2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são pe...
2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são  pe...2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são  pe...
2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são pe...
PIB Penha
 
5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...
5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...
5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...
PIB Penha
 
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújoquem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
Rogério Augusto Ayres de Araujo
 
edgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf rad
edgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf radedgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf rad
edgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf rad
carla983678
 
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
Nilson Almeida
 
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
AlailzaSoares1
 
1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...
1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...
1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...
PIB Penha
 
3 - O Caráter do Cristão 2. Lição 3: O CARÁTER DO CRISTÃO (2)
3 - O Caráter do Cristão 2. Lição 3: O CARÁTER DO CRISTÃO (2)3 - O Caráter do Cristão 2. Lição 3: O CARÁTER DO CRISTÃO (2)
3 - O Caráter do Cristão 2. Lição 3: O CARÁTER DO CRISTÃO (2)
PIB Penha
 
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
Marta Gomes
 
4 - A Influência do Cristão. Mateus 5.16 Da mesma forma, brilhe a luz de você...
4 - A Influência do Cristão. Mateus 5.16 Da mesma forma, brilhe a luz de você...4 - A Influência do Cristão. Mateus 5.16 Da mesma forma, brilhe a luz de você...
4 - A Influência do Cristão. Mateus 5.16 Da mesma forma, brilhe a luz de você...
PIB Penha
 
O MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptx
O MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptxO MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptx
O MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptx
valneirocha
 
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdfBiblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
AndreyCamarini
 

Último (20)

Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001
Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001
Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001
 
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptxLição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
 
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptxBatismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
 
controle-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyug
controle-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyugcontrole-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyug
controle-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyug
 
6 - O ato de Reconciliação do cristão Versículo-Chave: Mateus 5.22.
6 - O ato de Reconciliação do cristão Versículo-Chave: Mateus 5.22.6 - O ato de Reconciliação do cristão Versículo-Chave: Mateus 5.22.
6 - O ato de Reconciliação do cristão Versículo-Chave: Mateus 5.22.
 
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptxLição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
 
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita RafaelA Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
 
8 - A Palavra de Honra do Cristão.Versículo-Chave: Tiago 5.12
8 - A Palavra de Honra do Cristão.Versículo-Chave: Tiago 5.128 - A Palavra de Honra do Cristão.Versículo-Chave: Tiago 5.12
8 - A Palavra de Honra do Cristão.Versículo-Chave: Tiago 5.12
 
2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são pe...
2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são  pe...2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são  pe...
2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são pe...
 
5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...
5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...
5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...
 
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújoquem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
 
edgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf rad
edgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf radedgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf rad
edgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf rad
 
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
 
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
 
1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...
1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...
1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...
 
3 - O Caráter do Cristão 2. Lição 3: O CARÁTER DO CRISTÃO (2)
3 - O Caráter do Cristão 2. Lição 3: O CARÁTER DO CRISTÃO (2)3 - O Caráter do Cristão 2. Lição 3: O CARÁTER DO CRISTÃO (2)
3 - O Caráter do Cristão 2. Lição 3: O CARÁTER DO CRISTÃO (2)
 
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
 
4 - A Influência do Cristão. Mateus 5.16 Da mesma forma, brilhe a luz de você...
4 - A Influência do Cristão. Mateus 5.16 Da mesma forma, brilhe a luz de você...4 - A Influência do Cristão. Mateus 5.16 Da mesma forma, brilhe a luz de você...
4 - A Influência do Cristão. Mateus 5.16 Da mesma forma, brilhe a luz de você...
 
O MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptx
O MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptxO MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptx
O MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptx
 
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdfBiblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
 

Consolação e Codificação

  • 1. 18 de Abril Dia Nacional do Espíritsmo 164 anos de Espiritismo
  • 2. A Primeira Revelação: Moisés  Travessia “moral” do povo judeu em busca da Terra Prometida, com a crença no Deus único e os Dez Mandamentos como base
  • 3. A Segunda Revelação: Jesus  Jesus não veio destruir a lei, isto é, a lei de Deus; veio cumprila, isto é,  desenvolvêla, darlhe o verdadeiro sentido e adaptála ao grau de adiantamento dos homens. Por isso, é que se nos depara, nessa lei, o princípio dos deveres para com Deus e para com o próximo, base da sua doutrina. Evangelho Segundo o Espiritismo, Cap. I - Não Vim Destruir a Lei, Allan Kardec
  • 4. 4 O Amor resume toda a doutrina de Jesus
  • 5. Se me amais, guardai os meus mandamentos; e eu rogarei a meu Pai e ele vos enviará outro Consolador, a fim de que fique eternamente convosco: ... O Consolador Prometido 1/2 Evangelho Segundo o Espiritismo, Capítulo 6 - O Cristo Consolador, Allan Kardec
  • 6. ... O Espírito de Verdade, que o mundo não pode receber, porque o não vê e absolutamente o não conhece. Mas, quanto a vós, conhecêloeis, porque ficará convosco e estará em vós. Porém, o Consolador, que é o Santo Espírito, que meu Pai enviará em meu nome, vos ensinará todas as coisas e vos fará recordar tudo o que vos tenho dito. (JOÃO , 14:15 a 17 e 26) Evangelho Segundo o Espiritismo, Capítulo 6 - O Cristo Consolador, Allan Kardec O Consolador Prometido 2/2 6
  • 7. • Existência de Deus; • Existência, imortalidade e conservação da individualidade do espírito; • Comunicabilidade dos espíritos; • Reencarnação; • Lei de causa e efeito / livre-arbítrio; • Lei de evolução; e • Pluralidade dos mundos habitados. 7 A Terceira Revelação: O Espiritismo Artigo Allan Kardec e a Codificação do Espiritismo, https://www.febnet.org.br/blog/geral/allan-kardec-e-a-codificacao-do-espiritismo/
  • 8. A educação é a obra da minha vida, e todos os meus instantes são empregados em meditar sobre esta matéria; sou feliz quando encontro um meio novo ou quando descubro novas verdades. Como o hábil jardineiro, ele deve conhecer o terreno em que semeia, pois o espírito da criança é um verdadeiro terreno cuja natureza é preciso estudar; ... Denizard Rivail - O Educador1/3 Discurso de 1834, pronunciado na distribuição de prêmios na escola em que era diretor em 1834 8
  • 9. ... e assim como o talento do jardineiro não se limita a saber colocar plantas na terra, assim o do professor não se limita a fazer aprender os rudimentos. Eu posso apressar o progresso de uma criança, posso desenvolver sua inteligência, mobiliar seu espírito; ... Estes resultados morais, os mais importantes sem dúvida, que ele não terá obtido senão às custas de perseverança e habilidade, lhe serão freqüentemente contados como nada. ... Denizard Rivail - O Educador2/3 Discurso de 1834, pronunciado na distribuição de prêmios na escola em que era diretor em 1834 9
  • 10. Prefere-se o material, porque pode-se vê-lo, porque ele cai sob os nossos sentidos; não se despreza o outro resultado, mas ele é menos apreciado, porque nos atinge menos sensivelmente. Disse, no começo, que a educação é a obra da minha vida, não faltarei à minha missão, pois penso compreendê-la. Inimigo de todo charlatanismo, não tenho o tolo orgulho de acreditar cumpri-la com perfeição, mas tenho ao menos a convicção de cumpri-la com consciência. Denizard Rivail - O Educador3/3 Discurso de 1834, pronunciado na distribuição de prêmios na escola em que era diretor em 1834 10
  • 11. Denizard Rivail (O Educador) até Allan Kardec (O Codificador) 1834 Discurso diretor de escola 1804 Reencarnação (03/10) 1855 Mesas Girantes 1861 O Livro dos Médiuns (15/01) 1864 O Evangelho Segundo o Espiritismo (15/04) 1865 O Céu e o Inferno (01/08) 1868 A Gênese (06/01) 1869 Desencarnação (31/03) Allan Kardec e sua esposa Amélie Gabrielle Boudet 1890 Obras Póstumas (30 anos) (65 anos) (51 anos) 1857 O Livro dos Espíritos (18/04)
  • 12. Os Espíritos do Senhor, que são as virtudes dos Céus, qual imenso exército que se movimenta ao receber as ordens do seu comando, espalham-se por toda a superfície da Terra e, semelhantes a estrelas cadentes, vêm iluminar os caminhos e abrir os olhos aos cegos. Eu vos digo, em verdade, que são chegados os tempos em que todas as coisas hão de ser restabelecidas no seu verdadeiro sentido, para dissipar as trevas, confundir os orgulhosos e glorificar os justos. As virtudes do céu espalham-se 1/2 Livro O Evangelho Segundo o Espiritismo, Prefácio, Allan Kardec 12
  • 13. As grandes vozes do Céu ressoam como sons de trombetas, e os cânticos dos anjos se lhes associam. Nós vos convidamos, a vós homens, para o divino concerto. Tomai da lira, fazei uníssonas vossas vozes, e que, num hino sagrado, elas se estendam e repercutam de um extremo a outro do Universo... Homens, irmãos a quem amamos, aqui estamos junto de vós. Amai-vos, também, uns aos outros e dizei do fundo do coração, fazendo as vontades do Pai, que está no Céu: Senhor! Senhor!... e podereis entrar no reino dos Céus. 13 As virtudes do céu espalham-se 2/2 O ESPÍRITO DE VERDADE
  • 14. Livro dos Médiuns, Da identidade dos Espíritos, Allan Kardec O senso crítico do Codificador 14 11a. Nota-se que, às vezes, as comunicações espíritas ridículas se mostram entremeadas de excelentes máximas. Como explicar esta anomalia, que parece indicar a presença simultânea de bons e maus Espíritos? “Os Espíritos maus, ou levianos, também se metem a enunciar sentenças, sem lhes perceberem bem o alcance, ou a significação. Entre vós, serão homens superiores todos os que as enunciam? Não; os bons e os maus Espíritos não andam juntos; pela uniformidade constante das boas comunicações é que reconhecereis a presença dos bons Espíritos.”
  • 15. Obras Póstumas, Meu Sucessor, Allan Kardec E se Kardec tivesse recusado a missão? 15 Respondo que não nutro a pretensão de ser indispensável; ... Resposta: Tens razão em afirmar que não és indispensável; só o és ao ver dos homens, porque era necessário que o trabalho de organização se concentrasse nas mãos de um só, para que houvesse unidade; não o és, porém, aos olhos de Deus. Foste escolhido e por isso é que te vês só; mas, não és, como, aliás, bem o sabes, a única entidade capaz de desempenhar essa missão. Se o seu desempenho se interrompesse por uma causa qualquer, não faltariam a Deus outros que te substituíssem. Assim, aconteça o que acontecer, o Espiritismo não periclitará.
  • 16. Divisei o fim objetivado e resolvi atingi-lo, com a assistência dos bons Espíritos. Sentia que não tinha tempo a perder e não perdi, nem em visitas inúteis, nem em cerimônias estéreis. Foi a obra de minha vida. Dei-lhe todo o meu tempo, sacrifiquei-lhe o meu repouso, a minha saúde, porque diante de mim o futuro estava escrito em letras irrecusáveis. Livro Obras Póstumas, Contituição do Espiritismo, Allan Kardec 16
  • 17. Monumento em homenagem a Allan Kardec - Cemitério Père-Lachaise - Paris, França. 17 “Nascer, morrer, renascer ainda e progredir sem cessar, tal é a lei”
  • 18. Livro Opinião Espírita, Emmanuel e André Luiz, Psicografia de Chico Xavier e Waldo Vieira Jesus, Kardec e Nós 1/3 18 Se Jesus considerasse a si mesmo puro demais, a ponto de não tolerar o contato das fraquezas humanas; se acreditasse que tudo deve correr por conta de Deus; se nos admitisse irremediavelmente perdidos na rebeldia e na delinqüência; se condicionasse o desempenho do seu apostolado ao apoio dos homens mais cultos; se aguardasse encosto dinheiroso e valimento político a fim de realizar a sua obra ou se recuasse, diante do sacrifício, decerto não conheceríamos a luz do Evangelho, que nos descerra o caminho à emancipação espiritual.
  • 19. Jesus, Kardec e Nós 2/3 19 Se Allan Kardec superestimasse a elevada posição que lhe era devida na aristocracia da inteligência, colocando honras e títulos merecidos, acima das próprias convicções; se permanecesse na expectativa da adesão de personalidade ilustres à mensagem de que se fazia portador; se esperasse cobertura financeira para atirar-se à tarefa; se avaliasse as suas dificuldades de educador, com escasso tempo para esposar compromissos diferentes do magistério ou se retrocedesse, perante as calúnias e injúrias que lhe inçaram a estrada, não teríamos a codificação da doutrina Espírita, que complementa o Evangelho, integrando-nos na responsabilidade de viver. Livro Opinião Espírita, Emmanuel e André Luiz, Psicografia de Chico Xavier e Waldo Vieira
  • 20. Jesus, Kardec e Nós 3/3 20 Refletindo em Jesus e Kardec, ficamos sem compreender a nossa inconseqüência, quando nos declaramos demasiadamente virtuosos, ocupados, instruídos, tímidos, incapazes ou desiludidos para atender às obrigações que nos cabem na Doutrina Espírita. Isso porque se eles - o Mestre e o Apóstolo da renovação humana - passaram entre os homens, sofrendo dilacerações e exemplificando o bem, por amor à verdade, quando nós - consciências endividadas, fugimos de aprender e servir, em proveito próprio, indiscutivelmente, estaremos sem perceber, sob a hipnose da obsessão oculta, carregando equilíbrio por fora e loucura por dentro. Livro Opinião Espírita, Emmanuel e André Luiz, Psicografia de Chico Xavier e Waldo Vieira
  • 21. Como EU posso ser protagonista e cocriador da grande Obra da Regeneração? https://www.slideshare.net/ricardoazevedo9216/
  • 22. • Evangelho Segundo o Espiritismo, Allan Kardec • Livro dos Espíritos, Allan Kardec • Livro dos Médiuns, Allan Kardec • Livro Obras Póstumas, Introdução, Allan Kardec • Livro Opinião Espírita, Emmanuel e André Luiz, Psicografia de Chico Xavier e Waldo Vieira • Artigo Allan Kardec e a Codificação do Espiritismo, https://www.febnet.org.br/blog/geral/allan-kardec-e-a-codificacao-do-espiritismo/