UMA ABORDAGEM PRÁTICA DAS
CEFALÉIAS SENTINELAS

Carlos Frederico de Almeida Rodrigues
Mateus Batista Silva
Ricardo Augusto...
INTRODUÇÃO






A cefaléia é um sintoma recorrente na prática médica e
não raramente, muito negligenciada pelos própr...
CLASSIFICAÇÃO


São divididas etiologicamente em dois grandes
grupos: cefaléias primárias e secundárias.
 Primárias:

mi...
CEFALEIAS SENTINELAS
O que é uma cefaléia sentinela?
 Cefaléias podem indicar patologias graves
como tumores, aneurismas,...
SINAIS DE ALERTA













Vômitos
Náuseas
Alterações de consciência e/ou na marcha
Papiledema
Mudança recent...
SINAIS QUE INDICAM NÃO GRAVIDADE
Episódios antecedentes idênticos;
 Apresenta como sintomas apenas
náusea, vômitos e foto...
CONCLUSÃO
A cefaléia possui grande importância clínica
pois faz parte do cotidiano do médico.
 O médico deve sempre estar...
REFERÊNCIAS










CARLOTTI JR CG; COLLI BO & DIAS LAA. Hipertensão intracraniana.
Medicina, Ribeirão Preto, 31: 5...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Cefaléia jornade de neurologia - ricardo

534 visualizações

Publicada em

Publicada em: Saúde e medicina
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
534
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
3
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Cefaléia jornade de neurologia - ricardo

  1. 1. UMA ABORDAGEM PRÁTICA DAS CEFALÉIAS SENTINELAS Carlos Frederico de Almeida Rodrigues Mateus Batista Silva Ricardo Augusto Tenfen Carneiro
  2. 2. INTRODUÇÃO     A cefaléia é um sintoma recorrente na prática médica e não raramente, muito negligenciada pelos próprios médicos. Mais de 90% da população em geral refere história de cefaléia durante a vida. Cefaléia tensional é a mais comum, possui prevalência de 52% nos casos de cefaléia. As migrâneas correspondem a 18%, porém tem um impacto na sociedade muito maior, pois 50% dos migranosos ficam incapacitados ou acamados durante as crises. (SBED, epidemiologia da cefaléia).
  3. 3. CLASSIFICAÇÃO  São divididas etiologicamente em dois grandes grupos: cefaléias primárias e secundárias.  Primárias: migrânea e tensional.  Secundárias: associadas a infecções sistêmicas, hemorragia cerebral e meningites.  Podem ser classificadas também pela instalação e pela evolução e de acordo com a Sociedade Internacional de Cefaléias (SIC).
  4. 4. CEFALEIAS SENTINELAS O que é uma cefaléia sentinela?  Cefaléias podem indicar patologias graves como tumores, aneurismas, hipertensão intracraniana, entre outros.  Como saber diferenciar uma cefaléia que não apresenta risco de uma sentinela? 
  5. 5. SINAIS DE ALERTA           Vômitos Náuseas Alterações de consciência e/ou na marcha Papiledema Mudança recente no padrão de cefaléia Pioram com o aumento da pressão intracraniana Febre Início dos sintomas na meia-idade De início súbito Com características progressivas
  6. 6. SINAIS QUE INDICAM NÃO GRAVIDADE Episódios antecedentes idênticos;  Apresenta como sintomas apenas náusea, vômitos e foto/fonofobia;  Nível de consciência intacto;  Sem sinais que indiquem meningite;  Exame clínico normal, incluindo os sinais vitais;  Melhora sem analgésicos. 
  7. 7. CONCLUSÃO A cefaléia possui grande importância clínica pois faz parte do cotidiano do médico.  O médico deve sempre estar atento aos sinais que evidenciam uma cefaléia sentinela, porque é possível que seja um sintoma de uma patologia grave. 
  8. 8. REFERÊNCIAS      CARLOTTI JR CG; COLLI BO & DIAS LAA. Hipertensão intracraniana. Medicina, Ribeirão Preto, 31: 552-562,out./dez. 1998. SPECIALI JG. Classificação das cefaléias. Medicina, Ribeirão Preto, 30: 421427, out./dez. 1997. EPIDEMIOLOGIA DA CEFALEIA. Disponível em: http://www.dor.org.br/ profissionais/pdf/d1.pdf. Acessado em: 11/10/2013 as 22:30.19. KRYMCHANTOWSKI, ABOUCH V; BORDINI, CARLOS A; BIGAL, MARCELO E. As cefaléias na prática médica: abordagem para o não especialista. Lemos Editorial & Gráficos; 2004. SPECIALI, GERALDO JOSÉ; SBORGIA, RENATA CARONE. Enxaqueca sem dúvidas. Editor Criação; 2013.

×