SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 25
Pesquisa documental
Prof. Me. Aristides Faria Lopes dos Santos
Apresentação: atividade avaliativa em grupo
• Material elaborado para prestar feedback aos alunos do Curso
Superior de Tecnologia em Gestão de Turismo do Instituto Federal de
Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo (Câmpus Cubatão),
matriculados nas disciplinas:
– Fundamentos do Turismo (I)
– Organização de Eventos (I)
– Marketing e Turismo
– Gestão Pública
– Ecoturismo e Turismo de Aventura
Apresentação
• A segunda atividade avaliativa de
nossa disciplina (P2) foi composta
por um exercício realizado em
grupo, cujo objetivo da atividade foi
identificar e catalogar as mais de
4.750 citações do termo “Turismo”
existentes na base de legislações da
Assembleia Legislativa de São
Paulo (ALESP).
Foto: Praia do Perequê, Guarujá (SP)
Apresentação
• Como visto, estes dispositivos tratam
da ação estatal (gestão pública) na
promoção do turismo paulista
(marketing), no fomento ao
desenvolvimento do setor, na
regulamentação da aplicação de
recursos financeiros nos municípios
paulistas, além do estabelecimento de
diretrizes para o fortalecimento dos
diversos segmentos turísticos (turismo
de negócios e eventos, ecoturismo,
turismo de aventura etc.).
Foto: Forte São João, Bertioga (SP)
Apresentação
• Este exercício caracteriza-se como
uma “pesquisa documental”,
procedimento metodológico com o
qual todos já trabalharam ou virão a
trabalhar. Assim, não foi
considerado conhecimento prévio
propriamente, mas a curiosidade do
aluno em buscar meios para
identificar a legislação aplicável
diretamente ao turismo na base de
dados indicada.
Foto: Cruzeiro Quinhentista, Cubatão (SP)
Apresentação
• Os procedimentos metodológicos
empregados em uma determinada
pesquisa acadêmica somente
poderão ser considerados válidos
cientificamente se puderem ser
replicados, testados por outros
profissionais em contextos
diferentes. Há que se considerar as
variáveis, naturalmente, mas a
essência desta atividade é esta.
Foto: Ruínas do Abarebebê, Peruíbe (SP)
Apresentação
• Note, então, que há diversas
maneiras de se identificar e tabular
os dispositivos que compõem o
ambiente legal do turismo em um
determinado território, entretanto,
o pesquisador deve ser capaz de
explicar os meios pelos quais
encontrou seus resultados. Veja nas
páginas seguintes algumas
considerações sobre a atividade
proposta.
Foto: Alfândega do Porto de Santos (SP)
BONS ESTUDOS!!
Em seguida, vou comentar um pouco sobre a atividade proposta!
Coleta de dados
• Recomendei que os grupos participantes da atividade coletassem
dados na base de legislações da ALESP e os tabulassem em formato de
quadro. Como exemplo, apresentei o formato a seguir, que é apenas
um modelo.
• Os grupos poderiam ter inovado e elaborado algum outro meio para o
tratamento dos dados coletados. Todos os grupos apresentaram seus
trabalhos em formato idêntico ao exemplo que enviei previamente,
sem avançar, porém, na formatação dos mesmos, o que pode
prejudicar sua compreensão.
Coleta e tabulação dos dados coletados (quadro 1)
Ano Identificação Matéria Link
2015
Lei Complementar nº
1.261, de 29 de abril de
2015
Estabelece condições e requisitos para a
classificação de Estâncias e de Municípios de
Interesse Turístico e dá providências correlatas
http://www.al.sp.gov.br/
repositorio/legislacao/le
i.complementar/2015/le
i.complementar-1261-
29.04.2015.html
Tratamento dos dados coletados
• A partir da coleta dos dados, que poderia ser organizada com base na
cronologia ou mesmo no tipo dos dispositivos legais encontrados na
base de dados indicada, o grupo deveria proceder a tabulação dos
mesmos.
• Esta tabulação era o coração da atividade, ou seja, os dispositivos
legais são abertos ao público e qualquer pessoa pode acessá-los. A
diferença reside em “como” cada grupo, cada profissional organizará
estes dados e os transformará – se conseguir fazê-lo – em informações
de boa qualidade ao usuário final.
Tratamento dos dados coletados (quadro 2)
Tipo de Norma Sem filtro Indexação Tema da Norma
Tema da Norma e
Situação "Sem
revogação
expressa"
Citações 4.785 377 98 84
Leis 1011 50 75 65
Lei Complementar 136 6 1 1
Emenda Constitucional 1 0 0 0
Resoluções ALESP 9 1 0 0
Decreto legislativo 8 4 0 0
Decreto 3522 302 18 15
Decreto-lei 85 12 4 3
Decreto Lei-Complementar 13 2 0 0
Tratamento dos dados coletados (quadro 2)
• Eu organizei no quadro 2 a tabulação dos dados coletados, tanto sem
filtragem dos mesmos quanto em relação a possíveis filtros
(Indexação, Tema da Norma, Revogação/Vigência). Note que cada
relação entre estes indicadores gera resultados quantitativos
diferentes (grafados na cor vermelha).
Tratamento dos dados coletados
• Os gráficos de 1 a 4 são possíveis maneiras de se apresentar os dados
coletados. Note que quando vemos os resultados no formato de
representação gráfica, percebemos com mais facilidade a diferença na
participação de cada Tipo de Norma e a influência que cada filtro
exerce sobre a caracterização das políticas públicas, no caso, no estado
de São Paulo.
• Espero que ao filtrar os resultados da coleta de dados proposta, o
exercício passe a fazer sentido para você e sua equipe. A ideia, então,
é proporcionar-lhes um exercício que lhes ajude a compreender e
experimentar ferramentas de busca específicas e técnicas como a da
ALESP.
REPRESENTAÇÃO GRÁFICA
Os gráficos de 1 a 4 são possíveis maneiras de se apresentar os dados coletados.
TRATAMENTO DOS DADOS COLETADOS
A seguir, exemplifico a tabulação dos dados coletados na forma de quadros.
Ano Identificação do Decreto Matéria
2016 Decreto nº 62.228, de 24/10/2016
Institui, junto à Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e
Inovação, o Fórum Náutico Paulista e dá providências correlatas.
2013 Decreto nº 59.086, de 15/04/2013
Dá nova redação a dispositivos que especifica do Decreto nº 56.638, de 2011,
que organiza a Secretaria de Turismo e dá providências correlatas .
2012 Decreto nº 57.748, de 20/01/2012
Dá nova redação ao inciso II do artigo 3º do Decreto nº 56.638, de 1º de janeiro
de 2011, que organizou a Secretaria de Turismo e dá providências correlatas.
2011 Decreto nº 57.321, de 09/09/2011
Altera dispositivos do Decreto nº 56.780, de 2011, que autoriza a Secretaria de
Turismo a representar o Estado na celebração de convênios com municípios
paulistas, visando a transferência de recursos financeiros, a títul ...
1990 Decreto nº 31.257, de 23/02/1990
Dispõe sobre o Regulamento do Fundo de Melhoria das Estâncias e dá outras
providências.
1990 Decreto nº 31.581, de 18/05/1990
Cria a Delegacia Especializada de Atendimento ao Turista e dá outras
providências.
1987 Decreto nº 26.923, de 19/03/1987
Determina providências para a extinção do Fomento de Urbanização e Melhoria
das Estâncias - FUMEST.
1985 Decreto nº 23.462, de 10/05/1985 Revoga o Decreto nº 22.522, de 03/08/1984.
1976 Decreto nº 7.851, de 27/04/1976
Constitui Grupo de Trabalho para os fins que especifica - normas reguladoras da
utilização de praias públicas, inclusive por pessoas que praticam -camping-.
1974 Decreto nº 3.578, de 22/04/1974
Altera a redação de artigo 2º, do Decreto nº 3.193, de 1974, que cria a título
experimental, delegacias regionais de turismo.
1974 Decreto nº 3.193, de 10/01/1974 Cria, a título experimental, Delegacias Regionais de Turismo.
1973 Decreto nº 1.575, de 17/05/1973
Cria Grupo de Trabalho para a formulação de um Sistema Estadual de
Estatística de Turismo.
1971 Decreto nº 52.757, de 18/06/1971 Regulamenta O Artigo 56 Da Lei N. 10.394, De 16 De Dezembro De 1970.
1971 Decreto nº 52.756, de 16/06/1971
Altera A Redação Do Decreto N. 52.587, De 29 De Dezembro De 1970, Que
Reestruturou A Contadora Geral Do Estado.
1971 Decreto nº 52.742, de 19/05/1971
Regulamenta a classificação como -Festividade de Interesse Turístico- dos
eventos celebrados no Estado.
Considerações finais
• A principal mensagem que gostaria de transmiti-los por meio desta
devolutiva é que há diversos meios para realizar esta pesquisa
documental, ou seja, cada equipe poderá dar o enfoque e adotar as
estratégias que julgarem mais adequadas. O que importa é que os
pesquisadores busquem meios eficientes para alcançar resultados
eficazes e efetivos.
• Nesta atividade avaliativa, como busquei explicar, seu grupo poderia
seguir diversos caminhos. No próprio enunciado eu, inclusive, citei um
deles ao afirmar que há mais de 4.750 citações do termo “Turismo” no
banco de legislações da ALESP.
• Seu grupo poderia, entretanto, se utilizar dos diversos mecanismos
para filtrar estes resultados, tornando o processo de trabalho mais
eficiente e os resultados obtidos mais eficazes e efetivos. Espero que
você e sua equipe possam guardar as lições aprendidas a partir deste
exercício de coleta, tratamento dos dados coletados e análise dos
resultados para ocasiões futuras, quando poderão ser mais assertivos
em suas pesquisas acadêmicas.
Boas férias!
Foto: Praia do Tombo, Guarujá (SP)

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Apresentacao pec encontros municipais serrana
Apresentacao pec encontros municipais serranaApresentacao pec encontros municipais serrana
Apresentacao pec encontros municipais serranaFórum De Cultura
 
Livro "Usos do tempo livre e práticas culturais dos porto-alegrenses"
Livro "Usos do tempo livre e práticas culturais dos porto-alegrenses"Livro "Usos do tempo livre e práticas culturais dos porto-alegrenses"
Livro "Usos do tempo livre e práticas culturais dos porto-alegrenses"Alvaro Santi
 
Principais Ações MinC no RJ 2017
Principais Ações MinC no RJ 2017Principais Ações MinC no RJ 2017
Principais Ações MinC no RJ 2017MGAlbuquerque
 
Requerimento 13 meta 12
Requerimento 13   meta 12Requerimento 13   meta 12
Requerimento 13 meta 12RAPPER PIRATA
 
Competitividade no setor de viagens e turismo
Competitividade no setor de viagens e turismoCompetitividade no setor de viagens e turismo
Competitividade no setor de viagens e turismoAristides Faria
 

Mais procurados (6)

Apresentacao pec encontros municipais serrana
Apresentacao pec encontros municipais serranaApresentacao pec encontros municipais serrana
Apresentacao pec encontros municipais serrana
 
Livro "Usos do tempo livre e práticas culturais dos porto-alegrenses"
Livro "Usos do tempo livre e práticas culturais dos porto-alegrenses"Livro "Usos do tempo livre e práticas culturais dos porto-alegrenses"
Livro "Usos do tempo livre e práticas culturais dos porto-alegrenses"
 
Principais Ações MinC no RJ 2017
Principais Ações MinC no RJ 2017Principais Ações MinC no RJ 2017
Principais Ações MinC no RJ 2017
 
Gronofre2016
Gronofre2016Gronofre2016
Gronofre2016
 
Requerimento 13 meta 12
Requerimento 13   meta 12Requerimento 13   meta 12
Requerimento 13 meta 12
 
Competitividade no setor de viagens e turismo
Competitividade no setor de viagens e turismoCompetitividade no setor de viagens e turismo
Competitividade no setor de viagens e turismo
 

Semelhante a Documental turismo legislação SP

Fiocruz Pós-graduação em Planejamento e Gestão - 2013
Fiocruz Pós-graduação em Planejamento e Gestão - 2013Fiocruz Pós-graduação em Planejamento e Gestão - 2013
Fiocruz Pós-graduação em Planejamento e Gestão - 2013Luiz Fernando Arantes Paulo
 
Análise das instituições paulistas voltadas as políticas de transporte rodovi...
Análise das instituições paulistas voltadas as políticas de transporte rodovi...Análise das instituições paulistas voltadas as políticas de transporte rodovi...
Análise das instituições paulistas voltadas as políticas de transporte rodovi...dvmeireles
 
Classificação Nacional de Atividades Econômicas (CNAE)
Classificação Nacional de Atividades Econômicas (CNAE)Classificação Nacional de Atividades Econômicas (CNAE)
Classificação Nacional de Atividades Econômicas (CNAE)UNDP Policy Centre
 
O município de Pato Roxo uma análise contábil-financeira para a tomada de dec...
O município de Pato Roxo uma análise contábil-financeira para a tomada de dec...O município de Pato Roxo uma análise contábil-financeira para a tomada de dec...
O município de Pato Roxo uma análise contábil-financeira para a tomada de dec...trabalhosnota10sp
 
Caso O município de Pato Roxo uma análise contábil-financeira para a tomada d...
Caso O município de Pato Roxo uma análise contábil-financeira para a tomada d...Caso O município de Pato Roxo uma análise contábil-financeira para a tomada d...
Caso O município de Pato Roxo uma análise contábil-financeira para a tomada d...trabalhosnota10sp
 
O município de Pato Roxo uma análise contábil-financeira para a tomada de dec...
O município de Pato Roxo uma análise contábil-financeira para a tomada de dec...O município de Pato Roxo uma análise contábil-financeira para a tomada de dec...
O município de Pato Roxo uma análise contábil-financeira para a tomada de dec...consultoriaacademica3
 
O município de Pato Roxo uma análise contábil-financeira para a tomada de dec...
O município de Pato Roxo uma análise contábil-financeira para a tomada de dec...O município de Pato Roxo uma análise contábil-financeira para a tomada de dec...
O município de Pato Roxo uma análise contábil-financeira para a tomada de dec...trabalhosnota10sp
 
Análise Comparativa da Situação Atual do SNQP Em Oito Países Latino Americano...
Análise Comparativa da Situação Atual do SNQP Em Oito Países Latino Americano...Análise Comparativa da Situação Atual do SNQP Em Oito Países Latino Americano...
Análise Comparativa da Situação Atual do SNQP Em Oito Países Latino Americano...EUROsociAL II
 
Prestação de Contas para ONGs
Prestação de Contas para ONGsPrestação de Contas para ONGs
Prestação de Contas para ONGsMichel Freller
 
Demonstracoes financeiras como instrumento de gestão análise financeira para ...
Demonstracoes financeiras como instrumento de gestão análise financeira para ...Demonstracoes financeiras como instrumento de gestão análise financeira para ...
Demonstracoes financeiras como instrumento de gestão análise financeira para ...Universidade Pedagogica
 
II Seminário #Procultura - Apresentação Henilton Menezes (MinC)
II Seminário #Procultura - Apresentação Henilton Menezes (MinC)II Seminário #Procultura - Apresentação Henilton Menezes (MinC)
II Seminário #Procultura - Apresentação Henilton Menezes (MinC)Cultura e Mercado
 
Demonstracoes financeiras como instrumento de gestão análise financeira para ...
Demonstracoes financeiras como instrumento de gestão análise financeira para ...Demonstracoes financeiras como instrumento de gestão análise financeira para ...
Demonstracoes financeiras como instrumento de gestão análise financeira para ...Universidade Pedagogica
 
Autoridade Metropolitana:Estudo empírico da Agência Metropolitana da Baixada ...
Autoridade Metropolitana:Estudo empírico da Agência Metropolitana da Baixada ...Autoridade Metropolitana:Estudo empírico da Agência Metropolitana da Baixada ...
Autoridade Metropolitana:Estudo empírico da Agência Metropolitana da Baixada ...Fernando Bernardi Gallacci
 
Engenharia de Requisitos com BPM
Engenharia de Requisitos com BPMEngenharia de Requisitos com BPM
Engenharia de Requisitos com BPMWilliam Santos
 
ZWESTCH - Modelo de ata Pop Rua - P6 Consultoria SDH UNESCO
ZWESTCH - Modelo de ata Pop Rua - P6 Consultoria SDH UNESCOZWESTCH - Modelo de ata Pop Rua - P6 Consultoria SDH UNESCO
ZWESTCH - Modelo de ata Pop Rua - P6 Consultoria SDH UNESCOBinô Zwetsch
 
Organizações da Sociedade Civil na cultura: avanços na transparência e avalia...
Organizações da Sociedade Civil na cultura: avanços na transparência e avalia...Organizações da Sociedade Civil na cultura: avanços na transparência e avalia...
Organizações da Sociedade Civil na cultura: avanços na transparência e avalia...Alvaro Santi
 

Semelhante a Documental turismo legislação SP (18)

Fiocruz Pós-graduação em Planejamento e Gestão - 2013
Fiocruz Pós-graduação em Planejamento e Gestão - 2013Fiocruz Pós-graduação em Planejamento e Gestão - 2013
Fiocruz Pós-graduação em Planejamento e Gestão - 2013
 
Análise das instituições paulistas voltadas as políticas de transporte rodovi...
Análise das instituições paulistas voltadas as políticas de transporte rodovi...Análise das instituições paulistas voltadas as políticas de transporte rodovi...
Análise das instituições paulistas voltadas as políticas de transporte rodovi...
 
Classificação Nacional de Atividades Econômicas (CNAE)
Classificação Nacional de Atividades Econômicas (CNAE)Classificação Nacional de Atividades Econômicas (CNAE)
Classificação Nacional de Atividades Econômicas (CNAE)
 
Edital 55
Edital 55Edital 55
Edital 55
 
O município de Pato Roxo uma análise contábil-financeira para a tomada de dec...
O município de Pato Roxo uma análise contábil-financeira para a tomada de dec...O município de Pato Roxo uma análise contábil-financeira para a tomada de dec...
O município de Pato Roxo uma análise contábil-financeira para a tomada de dec...
 
Caso O município de Pato Roxo uma análise contábil-financeira para a tomada d...
Caso O município de Pato Roxo uma análise contábil-financeira para a tomada d...Caso O município de Pato Roxo uma análise contábil-financeira para a tomada d...
Caso O município de Pato Roxo uma análise contábil-financeira para a tomada d...
 
O município de Pato Roxo uma análise contábil-financeira para a tomada de dec...
O município de Pato Roxo uma análise contábil-financeira para a tomada de dec...O município de Pato Roxo uma análise contábil-financeira para a tomada de dec...
O município de Pato Roxo uma análise contábil-financeira para a tomada de dec...
 
O município de Pato Roxo uma análise contábil-financeira para a tomada de dec...
O município de Pato Roxo uma análise contábil-financeira para a tomada de dec...O município de Pato Roxo uma análise contábil-financeira para a tomada de dec...
O município de Pato Roxo uma análise contábil-financeira para a tomada de dec...
 
Análise Comparativa da Situação Atual do SNQP Em Oito Países Latino Americano...
Análise Comparativa da Situação Atual do SNQP Em Oito Países Latino Americano...Análise Comparativa da Situação Atual do SNQP Em Oito Países Latino Americano...
Análise Comparativa da Situação Atual do SNQP Em Oito Países Latino Americano...
 
Prestação de Contas para ONGs
Prestação de Contas para ONGsPrestação de Contas para ONGs
Prestação de Contas para ONGs
 
7725 2005 l1807
7725 2005 l18077725 2005 l1807
7725 2005 l1807
 
Demonstracoes financeiras como instrumento de gestão análise financeira para ...
Demonstracoes financeiras como instrumento de gestão análise financeira para ...Demonstracoes financeiras como instrumento de gestão análise financeira para ...
Demonstracoes financeiras como instrumento de gestão análise financeira para ...
 
II Seminário #Procultura - Apresentação Henilton Menezes (MinC)
II Seminário #Procultura - Apresentação Henilton Menezes (MinC)II Seminário #Procultura - Apresentação Henilton Menezes (MinC)
II Seminário #Procultura - Apresentação Henilton Menezes (MinC)
 
Demonstracoes financeiras como instrumento de gestão análise financeira para ...
Demonstracoes financeiras como instrumento de gestão análise financeira para ...Demonstracoes financeiras como instrumento de gestão análise financeira para ...
Demonstracoes financeiras como instrumento de gestão análise financeira para ...
 
Autoridade Metropolitana:Estudo empírico da Agência Metropolitana da Baixada ...
Autoridade Metropolitana:Estudo empírico da Agência Metropolitana da Baixada ...Autoridade Metropolitana:Estudo empírico da Agência Metropolitana da Baixada ...
Autoridade Metropolitana:Estudo empírico da Agência Metropolitana da Baixada ...
 
Engenharia de Requisitos com BPM
Engenharia de Requisitos com BPMEngenharia de Requisitos com BPM
Engenharia de Requisitos com BPM
 
ZWESTCH - Modelo de ata Pop Rua - P6 Consultoria SDH UNESCO
ZWESTCH - Modelo de ata Pop Rua - P6 Consultoria SDH UNESCOZWESTCH - Modelo de ata Pop Rua - P6 Consultoria SDH UNESCO
ZWESTCH - Modelo de ata Pop Rua - P6 Consultoria SDH UNESCO
 
Organizações da Sociedade Civil na cultura: avanços na transparência e avalia...
Organizações da Sociedade Civil na cultura: avanços na transparência e avalia...Organizações da Sociedade Civil na cultura: avanços na transparência e avalia...
Organizações da Sociedade Civil na cultura: avanços na transparência e avalia...
 

Mais de Aristides Faria

Observatório do Turismo & Economia do Mar - 2023-2024 (v. II)
Observatório do Turismo & Economia do Mar - 2023-2024 (v. II)Observatório do Turismo & Economia do Mar - 2023-2024 (v. II)
Observatório do Turismo & Economia do Mar - 2023-2024 (v. II)Aristides Faria
 
Observatório do Turismo & Economia do Mar - 2023-2024 (v. I).pptx
Observatório do Turismo & Economia do Mar - 2023-2024 (v. I).pptxObservatório do Turismo & Economia do Mar - 2023-2024 (v. I).pptx
Observatório do Turismo & Economia do Mar - 2023-2024 (v. I).pptxAristides Faria
 
Síntese da Lei n° 10.973, de 2 de dezembro de 2004​
Síntese da Lei n° 10.973, de 2 de dezembro de 2004​Síntese da Lei n° 10.973, de 2 de dezembro de 2004​
Síntese da Lei n° 10.973, de 2 de dezembro de 2004​Aristides Faria
 
Porto de Santos: desenvolvimento regional do turismo no litoral de Sao Paulo
Porto de Santos: desenvolvimento regional do turismo no litoral de Sao PauloPorto de Santos: desenvolvimento regional do turismo no litoral de Sao Paulo
Porto de Santos: desenvolvimento regional do turismo no litoral de Sao PauloAristides Faria
 
Apresentacao de trabalho no EPTEN 2021
Apresentacao de trabalho no EPTEN 2021Apresentacao de trabalho no EPTEN 2021
Apresentacao de trabalho no EPTEN 2021Aristides Faria
 
SEMEI IFRR: Oficina Turismo e Inovação
SEMEI IFRR: Oficina Turismo e InovaçãoSEMEI IFRR: Oficina Turismo e Inovação
SEMEI IFRR: Oficina Turismo e InovaçãoAristides Faria
 
Apresentação sobre o projeto SIGESTur na SEMATUR IFSP CBT 2021
Apresentação sobre o projeto SIGESTur na SEMATUR IFSP CBT 2021Apresentação sobre o projeto SIGESTur na SEMATUR IFSP CBT 2021
Apresentação sobre o projeto SIGESTur na SEMATUR IFSP CBT 2021Aristides Faria
 
WorkIF 2021 - IFMT - SIGESTur - Aristides Faria
WorkIF 2021 - IFMT - SIGESTur - Aristides FariaWorkIF 2021 - IFMT - SIGESTur - Aristides Faria
WorkIF 2021 - IFMT - SIGESTur - Aristides FariaAristides Faria
 
IFSP.CBT | Meios de Hospedagem (aula 08.04.2021)
IFSP.CBT | Meios de Hospedagem (aula 08.04.2021)IFSP.CBT | Meios de Hospedagem (aula 08.04.2021)
IFSP.CBT | Meios de Hospedagem (aula 08.04.2021)Aristides Faria
 
Associativismo, cooperacao e hospitalidade
Associativismo, cooperacao e hospitalidadeAssociativismo, cooperacao e hospitalidade
Associativismo, cooperacao e hospitalidadeAristides Faria
 
Mercado imobiliário: Praia Grande, São Paulo (AirDNA: 02/2019)
Mercado imobiliário: Praia Grande, São Paulo (AirDNA: 02/2019)Mercado imobiliário: Praia Grande, São Paulo (AirDNA: 02/2019)
Mercado imobiliário: Praia Grande, São Paulo (AirDNA: 02/2019)Aristides Faria
 
Tendências e perspectivas para a gestão de destinos turísticos litorâneos
Tendências e perspectivas para a gestão de destinos turísticos litorâneosTendências e perspectivas para a gestão de destinos turísticos litorâneos
Tendências e perspectivas para a gestão de destinos turísticos litorâneosAristides Faria
 
Marketing & Turismo: estudo de caso sobre o potencial mercadológico do municí...
Marketing & Turismo: estudo de caso sobre o potencial mercadológico do municí...Marketing & Turismo: estudo de caso sobre o potencial mercadológico do municí...
Marketing & Turismo: estudo de caso sobre o potencial mercadológico do municí...Aristides Faria
 
Seminário: Annals of Tourism Research
Seminário: Annals of Tourism ResearchSeminário: Annals of Tourism Research
Seminário: Annals of Tourism ResearchAristides Faria
 
Apresentação no V FCGTurH (Univali) 2017
Apresentação no V FCGTurH (Univali) 2017Apresentação no V FCGTurH (Univali) 2017
Apresentação no V FCGTurH (Univali) 2017Aristides Faria
 
Formação Superior em Turismo & Hospitalidade: um fator de competitividade de ...
Formação Superior em Turismo & Hospitalidade: um fator de competitividade de ...Formação Superior em Turismo & Hospitalidade: um fator de competitividade de ...
Formação Superior em Turismo & Hospitalidade: um fator de competitividade de ...Aristides Faria
 
Projeto de pesquisa (Doutorado em Hospitalidade)
Projeto de pesquisa (Doutorado em Hospitalidade)Projeto de pesquisa (Doutorado em Hospitalidade)
Projeto de pesquisa (Doutorado em Hospitalidade)Aristides Faria
 
Métodos de pesquisa: survey
Métodos de pesquisa: surveyMétodos de pesquisa: survey
Métodos de pesquisa: surveyAristides Faria
 
Doutorado em Hospitalidade: referencial bibliográfico preliminar
Doutorado em Hospitalidade: referencial bibliográfico preliminarDoutorado em Hospitalidade: referencial bibliográfico preliminar
Doutorado em Hospitalidade: referencial bibliográfico preliminarAristides Faria
 
Sistema Integrado de Gestão de Destinos Turísticos (SIGESTur)
Sistema Integrado de Gestão de Destinos Turísticos (SIGESTur)Sistema Integrado de Gestão de Destinos Turísticos (SIGESTur)
Sistema Integrado de Gestão de Destinos Turísticos (SIGESTur)Aristides Faria
 

Mais de Aristides Faria (20)

Observatório do Turismo & Economia do Mar - 2023-2024 (v. II)
Observatório do Turismo & Economia do Mar - 2023-2024 (v. II)Observatório do Turismo & Economia do Mar - 2023-2024 (v. II)
Observatório do Turismo & Economia do Mar - 2023-2024 (v. II)
 
Observatório do Turismo & Economia do Mar - 2023-2024 (v. I).pptx
Observatório do Turismo & Economia do Mar - 2023-2024 (v. I).pptxObservatório do Turismo & Economia do Mar - 2023-2024 (v. I).pptx
Observatório do Turismo & Economia do Mar - 2023-2024 (v. I).pptx
 
Síntese da Lei n° 10.973, de 2 de dezembro de 2004​
Síntese da Lei n° 10.973, de 2 de dezembro de 2004​Síntese da Lei n° 10.973, de 2 de dezembro de 2004​
Síntese da Lei n° 10.973, de 2 de dezembro de 2004​
 
Porto de Santos: desenvolvimento regional do turismo no litoral de Sao Paulo
Porto de Santos: desenvolvimento regional do turismo no litoral de Sao PauloPorto de Santos: desenvolvimento regional do turismo no litoral de Sao Paulo
Porto de Santos: desenvolvimento regional do turismo no litoral de Sao Paulo
 
Apresentacao de trabalho no EPTEN 2021
Apresentacao de trabalho no EPTEN 2021Apresentacao de trabalho no EPTEN 2021
Apresentacao de trabalho no EPTEN 2021
 
SEMEI IFRR: Oficina Turismo e Inovação
SEMEI IFRR: Oficina Turismo e InovaçãoSEMEI IFRR: Oficina Turismo e Inovação
SEMEI IFRR: Oficina Turismo e Inovação
 
Apresentação sobre o projeto SIGESTur na SEMATUR IFSP CBT 2021
Apresentação sobre o projeto SIGESTur na SEMATUR IFSP CBT 2021Apresentação sobre o projeto SIGESTur na SEMATUR IFSP CBT 2021
Apresentação sobre o projeto SIGESTur na SEMATUR IFSP CBT 2021
 
WorkIF 2021 - IFMT - SIGESTur - Aristides Faria
WorkIF 2021 - IFMT - SIGESTur - Aristides FariaWorkIF 2021 - IFMT - SIGESTur - Aristides Faria
WorkIF 2021 - IFMT - SIGESTur - Aristides Faria
 
IFSP.CBT | Meios de Hospedagem (aula 08.04.2021)
IFSP.CBT | Meios de Hospedagem (aula 08.04.2021)IFSP.CBT | Meios de Hospedagem (aula 08.04.2021)
IFSP.CBT | Meios de Hospedagem (aula 08.04.2021)
 
Associativismo, cooperacao e hospitalidade
Associativismo, cooperacao e hospitalidadeAssociativismo, cooperacao e hospitalidade
Associativismo, cooperacao e hospitalidade
 
Mercado imobiliário: Praia Grande, São Paulo (AirDNA: 02/2019)
Mercado imobiliário: Praia Grande, São Paulo (AirDNA: 02/2019)Mercado imobiliário: Praia Grande, São Paulo (AirDNA: 02/2019)
Mercado imobiliário: Praia Grande, São Paulo (AirDNA: 02/2019)
 
Tendências e perspectivas para a gestão de destinos turísticos litorâneos
Tendências e perspectivas para a gestão de destinos turísticos litorâneosTendências e perspectivas para a gestão de destinos turísticos litorâneos
Tendências e perspectivas para a gestão de destinos turísticos litorâneos
 
Marketing & Turismo: estudo de caso sobre o potencial mercadológico do municí...
Marketing & Turismo: estudo de caso sobre o potencial mercadológico do municí...Marketing & Turismo: estudo de caso sobre o potencial mercadológico do municí...
Marketing & Turismo: estudo de caso sobre o potencial mercadológico do municí...
 
Seminário: Annals of Tourism Research
Seminário: Annals of Tourism ResearchSeminário: Annals of Tourism Research
Seminário: Annals of Tourism Research
 
Apresentação no V FCGTurH (Univali) 2017
Apresentação no V FCGTurH (Univali) 2017Apresentação no V FCGTurH (Univali) 2017
Apresentação no V FCGTurH (Univali) 2017
 
Formação Superior em Turismo & Hospitalidade: um fator de competitividade de ...
Formação Superior em Turismo & Hospitalidade: um fator de competitividade de ...Formação Superior em Turismo & Hospitalidade: um fator de competitividade de ...
Formação Superior em Turismo & Hospitalidade: um fator de competitividade de ...
 
Projeto de pesquisa (Doutorado em Hospitalidade)
Projeto de pesquisa (Doutorado em Hospitalidade)Projeto de pesquisa (Doutorado em Hospitalidade)
Projeto de pesquisa (Doutorado em Hospitalidade)
 
Métodos de pesquisa: survey
Métodos de pesquisa: surveyMétodos de pesquisa: survey
Métodos de pesquisa: survey
 
Doutorado em Hospitalidade: referencial bibliográfico preliminar
Doutorado em Hospitalidade: referencial bibliográfico preliminarDoutorado em Hospitalidade: referencial bibliográfico preliminar
Doutorado em Hospitalidade: referencial bibliográfico preliminar
 
Sistema Integrado de Gestão de Destinos Turísticos (SIGESTur)
Sistema Integrado de Gestão de Destinos Turísticos (SIGESTur)Sistema Integrado de Gestão de Destinos Turísticos (SIGESTur)
Sistema Integrado de Gestão de Destinos Turísticos (SIGESTur)
 

Último

Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdfGuia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdfEyshilaKelly1
 
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundogeografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundonialb
 
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029Centro Jacques Delors
 
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfDIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfIedaGoethe
 
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdfcartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdfIedaGoethe
 
Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptx
Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptxDoutrina Deus filho e Espírito Santo.pptx
Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptxThye Oliver
 
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdfBRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdfHenrique Pontes
 
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 anoAdelmaTorres2
 
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdfCurrículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdfIedaGoethe
 
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveAula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveaulasgege
 
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxSlides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdfWilliam J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdfAdrianaCunha84
 
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresSociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresaulasgege
 
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISPrática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISVitor Vieira Vasconcelos
 
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxSlide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxconcelhovdragons
 
trabalho wanda rocha ditadura
trabalho wanda rocha ditaduratrabalho wanda rocha ditadura
trabalho wanda rocha ditaduraAdryan Luiz
 
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdfO guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdfErasmo Portavoz
 

Último (20)

Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdfGuia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
 
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundogeografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
 
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
 
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfDIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
 
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdfcartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
 
Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptx
Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptxDoutrina Deus filho e Espírito Santo.pptx
Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptx
 
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdfBRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
 
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
 
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdfCurrículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
 
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveAula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
 
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxSlides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
 
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdfWilliam J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
 
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresSociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
 
Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024
Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024
Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024
 
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISPrática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
 
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxSlide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
 
trabalho wanda rocha ditadura
trabalho wanda rocha ditaduratrabalho wanda rocha ditadura
trabalho wanda rocha ditadura
 
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdfO guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
 
XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA -
XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA      -XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA      -
XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA -
 

Documental turismo legislação SP

  • 1. Pesquisa documental Prof. Me. Aristides Faria Lopes dos Santos
  • 2. Apresentação: atividade avaliativa em grupo • Material elaborado para prestar feedback aos alunos do Curso Superior de Tecnologia em Gestão de Turismo do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo (Câmpus Cubatão), matriculados nas disciplinas: – Fundamentos do Turismo (I) – Organização de Eventos (I) – Marketing e Turismo – Gestão Pública – Ecoturismo e Turismo de Aventura
  • 3. Apresentação • A segunda atividade avaliativa de nossa disciplina (P2) foi composta por um exercício realizado em grupo, cujo objetivo da atividade foi identificar e catalogar as mais de 4.750 citações do termo “Turismo” existentes na base de legislações da Assembleia Legislativa de São Paulo (ALESP). Foto: Praia do Perequê, Guarujá (SP)
  • 4. Apresentação • Como visto, estes dispositivos tratam da ação estatal (gestão pública) na promoção do turismo paulista (marketing), no fomento ao desenvolvimento do setor, na regulamentação da aplicação de recursos financeiros nos municípios paulistas, além do estabelecimento de diretrizes para o fortalecimento dos diversos segmentos turísticos (turismo de negócios e eventos, ecoturismo, turismo de aventura etc.). Foto: Forte São João, Bertioga (SP)
  • 5. Apresentação • Este exercício caracteriza-se como uma “pesquisa documental”, procedimento metodológico com o qual todos já trabalharam ou virão a trabalhar. Assim, não foi considerado conhecimento prévio propriamente, mas a curiosidade do aluno em buscar meios para identificar a legislação aplicável diretamente ao turismo na base de dados indicada. Foto: Cruzeiro Quinhentista, Cubatão (SP)
  • 6. Apresentação • Os procedimentos metodológicos empregados em uma determinada pesquisa acadêmica somente poderão ser considerados válidos cientificamente se puderem ser replicados, testados por outros profissionais em contextos diferentes. Há que se considerar as variáveis, naturalmente, mas a essência desta atividade é esta. Foto: Ruínas do Abarebebê, Peruíbe (SP)
  • 7. Apresentação • Note, então, que há diversas maneiras de se identificar e tabular os dispositivos que compõem o ambiente legal do turismo em um determinado território, entretanto, o pesquisador deve ser capaz de explicar os meios pelos quais encontrou seus resultados. Veja nas páginas seguintes algumas considerações sobre a atividade proposta. Foto: Alfândega do Porto de Santos (SP)
  • 8. BONS ESTUDOS!! Em seguida, vou comentar um pouco sobre a atividade proposta!
  • 9. Coleta de dados • Recomendei que os grupos participantes da atividade coletassem dados na base de legislações da ALESP e os tabulassem em formato de quadro. Como exemplo, apresentei o formato a seguir, que é apenas um modelo. • Os grupos poderiam ter inovado e elaborado algum outro meio para o tratamento dos dados coletados. Todos os grupos apresentaram seus trabalhos em formato idêntico ao exemplo que enviei previamente, sem avançar, porém, na formatação dos mesmos, o que pode prejudicar sua compreensão.
  • 10. Coleta e tabulação dos dados coletados (quadro 1) Ano Identificação Matéria Link 2015 Lei Complementar nº 1.261, de 29 de abril de 2015 Estabelece condições e requisitos para a classificação de Estâncias e de Municípios de Interesse Turístico e dá providências correlatas http://www.al.sp.gov.br/ repositorio/legislacao/le i.complementar/2015/le i.complementar-1261- 29.04.2015.html
  • 11. Tratamento dos dados coletados • A partir da coleta dos dados, que poderia ser organizada com base na cronologia ou mesmo no tipo dos dispositivos legais encontrados na base de dados indicada, o grupo deveria proceder a tabulação dos mesmos. • Esta tabulação era o coração da atividade, ou seja, os dispositivos legais são abertos ao público e qualquer pessoa pode acessá-los. A diferença reside em “como” cada grupo, cada profissional organizará estes dados e os transformará – se conseguir fazê-lo – em informações de boa qualidade ao usuário final.
  • 12. Tratamento dos dados coletados (quadro 2) Tipo de Norma Sem filtro Indexação Tema da Norma Tema da Norma e Situação "Sem revogação expressa" Citações 4.785 377 98 84 Leis 1011 50 75 65 Lei Complementar 136 6 1 1 Emenda Constitucional 1 0 0 0 Resoluções ALESP 9 1 0 0 Decreto legislativo 8 4 0 0 Decreto 3522 302 18 15 Decreto-lei 85 12 4 3 Decreto Lei-Complementar 13 2 0 0
  • 13. Tratamento dos dados coletados (quadro 2) • Eu organizei no quadro 2 a tabulação dos dados coletados, tanto sem filtragem dos mesmos quanto em relação a possíveis filtros (Indexação, Tema da Norma, Revogação/Vigência). Note que cada relação entre estes indicadores gera resultados quantitativos diferentes (grafados na cor vermelha).
  • 14. Tratamento dos dados coletados • Os gráficos de 1 a 4 são possíveis maneiras de se apresentar os dados coletados. Note que quando vemos os resultados no formato de representação gráfica, percebemos com mais facilidade a diferença na participação de cada Tipo de Norma e a influência que cada filtro exerce sobre a caracterização das políticas públicas, no caso, no estado de São Paulo. • Espero que ao filtrar os resultados da coleta de dados proposta, o exercício passe a fazer sentido para você e sua equipe. A ideia, então, é proporcionar-lhes um exercício que lhes ajude a compreender e experimentar ferramentas de busca específicas e técnicas como a da ALESP.
  • 15. REPRESENTAÇÃO GRÁFICA Os gráficos de 1 a 4 são possíveis maneiras de se apresentar os dados coletados.
  • 16.
  • 17.
  • 18.
  • 19.
  • 20. TRATAMENTO DOS DADOS COLETADOS A seguir, exemplifico a tabulação dos dados coletados na forma de quadros.
  • 21. Ano Identificação do Decreto Matéria 2016 Decreto nº 62.228, de 24/10/2016 Institui, junto à Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação, o Fórum Náutico Paulista e dá providências correlatas. 2013 Decreto nº 59.086, de 15/04/2013 Dá nova redação a dispositivos que especifica do Decreto nº 56.638, de 2011, que organiza a Secretaria de Turismo e dá providências correlatas . 2012 Decreto nº 57.748, de 20/01/2012 Dá nova redação ao inciso II do artigo 3º do Decreto nº 56.638, de 1º de janeiro de 2011, que organizou a Secretaria de Turismo e dá providências correlatas. 2011 Decreto nº 57.321, de 09/09/2011 Altera dispositivos do Decreto nº 56.780, de 2011, que autoriza a Secretaria de Turismo a representar o Estado na celebração de convênios com municípios paulistas, visando a transferência de recursos financeiros, a títul ... 1990 Decreto nº 31.257, de 23/02/1990 Dispõe sobre o Regulamento do Fundo de Melhoria das Estâncias e dá outras providências. 1990 Decreto nº 31.581, de 18/05/1990 Cria a Delegacia Especializada de Atendimento ao Turista e dá outras providências. 1987 Decreto nº 26.923, de 19/03/1987 Determina providências para a extinção do Fomento de Urbanização e Melhoria das Estâncias - FUMEST. 1985 Decreto nº 23.462, de 10/05/1985 Revoga o Decreto nº 22.522, de 03/08/1984. 1976 Decreto nº 7.851, de 27/04/1976 Constitui Grupo de Trabalho para os fins que especifica - normas reguladoras da utilização de praias públicas, inclusive por pessoas que praticam -camping-. 1974 Decreto nº 3.578, de 22/04/1974 Altera a redação de artigo 2º, do Decreto nº 3.193, de 1974, que cria a título experimental, delegacias regionais de turismo. 1974 Decreto nº 3.193, de 10/01/1974 Cria, a título experimental, Delegacias Regionais de Turismo. 1973 Decreto nº 1.575, de 17/05/1973 Cria Grupo de Trabalho para a formulação de um Sistema Estadual de Estatística de Turismo. 1971 Decreto nº 52.757, de 18/06/1971 Regulamenta O Artigo 56 Da Lei N. 10.394, De 16 De Dezembro De 1970. 1971 Decreto nº 52.756, de 16/06/1971 Altera A Redação Do Decreto N. 52.587, De 29 De Dezembro De 1970, Que Reestruturou A Contadora Geral Do Estado. 1971 Decreto nº 52.742, de 19/05/1971 Regulamenta a classificação como -Festividade de Interesse Turístico- dos eventos celebrados no Estado.
  • 22. Considerações finais • A principal mensagem que gostaria de transmiti-los por meio desta devolutiva é que há diversos meios para realizar esta pesquisa documental, ou seja, cada equipe poderá dar o enfoque e adotar as estratégias que julgarem mais adequadas. O que importa é que os pesquisadores busquem meios eficientes para alcançar resultados eficazes e efetivos.
  • 23. • Nesta atividade avaliativa, como busquei explicar, seu grupo poderia seguir diversos caminhos. No próprio enunciado eu, inclusive, citei um deles ao afirmar que há mais de 4.750 citações do termo “Turismo” no banco de legislações da ALESP.
  • 24. • Seu grupo poderia, entretanto, se utilizar dos diversos mecanismos para filtrar estes resultados, tornando o processo de trabalho mais eficiente e os resultados obtidos mais eficazes e efetivos. Espero que você e sua equipe possam guardar as lições aprendidas a partir deste exercício de coleta, tratamento dos dados coletados e análise dos resultados para ocasiões futuras, quando poderão ser mais assertivos em suas pesquisas acadêmicas.
  • 25. Boas férias! Foto: Praia do Tombo, Guarujá (SP)