SlideShare uma empresa Scribd logo

Fundamentos do Turismo (I): aulas 15 a 17

Aristides Faria
Aristides Faria
Aristides FariaProfessor em IFSP Campus Cubatão

Curso Superior de Tecnologia em Gestão de Turismo do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo (Câmpus Cubatão). Disciplina: Fundamentos do Turismo (I) (FT1T1). Prof. Me. Aristides Faria Lopes dos Santos (2017).

Fundamentos do Turismo (I): aulas 15 a 17

1 de 16
Fundamentos do Turismo (I)
Prof. Aristides Faria Lopes dos Santos
Produtos turísticos: Roteiro x Rota
Roteirização
• É uma forma de ordenar um conjunto de atrativos turísticos de
temática específica para promoção e comercialização no mercado,
tornando-o opção diferenciada de produto turístico.
• A roteirização, em sua concepção e método, é entendida como um
processo mercadológico direcionado a um produto específico – o
roteiro turístico, enfatizando a tematização que assegura a identidade
única do roteiro.
Roteirização
• A roteirização pode contribuir também para o aumento do número de
turistas que visitam uma região e do seu prazo médio de permanência
nos destinos, estimulando a circulação da riqueza ali gerada.
• A roteirização tem caráter participativo e deve estimular a integração
e o compromisso de todos os protagonistas desse processo, não
deixando de desempenhar seu papel de instrumento de inclusão
social, resgate e preservação dos valores culturais e ambientais
existentes.
Roteirização: ação consorciada
• A construção de parcerias é um dos focos do processo de roteirização.
Estas parcerias podem acontecer nos níveis municipal, regional,
estadual, nacional e internacional, de modo a buscar o aumento das
oportunidades de negócios nas regiões turísticas.
Roteirização: ação consorciada
• A palavra chave para o processo de roteirização é SINERGIA:
– Sinergia entre os setores públicos e os privados, os territórios, os atrativos, os
elementos da cadeia produtiva do turismo e as outras atividades econômicas
desenvolvidas na região.
– É preciso a construção de confiança entre os atores envolvidos, definição de
uma visão comum, da formação da rede de comunicação e da proximidade
organizacional.
– Para que tais processos aconteçam, será necessário construir o planejamento,
o envolvimento do coletivo, a criação da rede de cooperação, o
desenvolvimento da capacitação para o trabalho em equipe e a articulação de
projetos estruturantes.

Recomendados

Fundamentos do Turismo (I): aulas 10 e 11
Fundamentos do Turismo (I): aulas 10 e 11Fundamentos do Turismo (I): aulas 10 e 11
Fundamentos do Turismo (I): aulas 10 e 11Aristides Faria
 
Fundamentos do Turismo (I): aulas 18 e 19
Fundamentos do Turismo (I): aulas 18 e 19Fundamentos do Turismo (I): aulas 18 e 19
Fundamentos do Turismo (I): aulas 18 e 19Aristides Faria
 
Marketing e Turismo: aulas 06 e 07
Marketing e Turismo: aulas 06 e 07Marketing e Turismo: aulas 06 e 07
Marketing e Turismo: aulas 06 e 07Aristides Faria
 
Marketing de Serviços: Pós Graduação ESPM
Marketing de Serviços: Pós Graduação ESPMMarketing de Serviços: Pós Graduação ESPM
Marketing de Serviços: Pós Graduação ESPMSandro Magaldi
 
Turismo nos espaços rurais se
Turismo nos espaços rurais seTurismo nos espaços rurais se
Turismo nos espaços rurais semariajosantos
 
Fundamentos do Turismo (I): aula 04
Fundamentos do Turismo (I): aula 04Fundamentos do Turismo (I): aula 04
Fundamentos do Turismo (I): aula 04Aristides Faria
 
Trabalho individual 10 produtos turisticos
Trabalho individual 10 produtos turisticosTrabalho individual 10 produtos turisticos
Trabalho individual 10 produtos turisticosTina Lima
 

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados (20)

Manual de Relações Interpessoais
Manual de Relações InterpessoaisManual de Relações Interpessoais
Manual de Relações Interpessoais
 
Marketing estrategico versus marketing operacional
Marketing estrategico versus marketing operacionalMarketing estrategico versus marketing operacional
Marketing estrategico versus marketing operacional
 
Módulo 9 -Marketing do Turismo
Módulo 9 -Marketing do TurismoMódulo 9 -Marketing do Turismo
Módulo 9 -Marketing do Turismo
 
Ecoturismo
EcoturismoEcoturismo
Ecoturismo
 
O Turismo
O TurismoO Turismo
O Turismo
 
Turismo Sustentável
Turismo SustentávelTurismo Sustentável
Turismo Sustentável
 
Turismo planejamento
Turismo planejamentoTurismo planejamento
Turismo planejamento
 
Modulo 1 turismo 1
Modulo 1   turismo 1Modulo 1   turismo 1
Modulo 1 turismo 1
 
Turismo rural
Turismo ruralTurismo rural
Turismo rural
 
7 comércio
7  comércio7  comércio
7 comércio
 
Módulo 2 - procura e motivações turísticas.
Módulo 2 - procura e motivações turísticas.Módulo 2 - procura e motivações turísticas.
Módulo 2 - procura e motivações turísticas.
 
Turismo náutico
Turismo náuticoTurismo náutico
Turismo náutico
 
Segmentação do Turismo e o Mercado
Segmentação do Turismo e o MercadoSegmentação do Turismo e o Mercado
Segmentação do Turismo e o Mercado
 
Modulo 9-otet-empresasnimturdesportiva
Modulo 9-otet-empresasnimturdesportivaModulo 9-otet-empresasnimturdesportiva
Modulo 9-otet-empresasnimturdesportiva
 
Turismo rural
Turismo ruralTurismo rural
Turismo rural
 
Módulo 7 IAT
Módulo 7 IATMódulo 7 IAT
Módulo 7 IAT
 
Módulo 8
Módulo 8Módulo 8
Módulo 8
 
Programa tcat
Programa   tcatPrograma   tcat
Programa tcat
 
Módulo 6
Módulo 6Módulo 6
Módulo 6
 
Globalização cultural
Globalização culturalGlobalização cultural
Globalização cultural
 

Semelhante a Fundamentos do Turismo (I): aulas 15 a 17

Disciplina Fundamentos do Turismo (I) (IFSP Campus Cubatao) (aulas 16 e 17)
Disciplina Fundamentos do Turismo (I) (IFSP Campus Cubatao) (aulas 16 e 17)Disciplina Fundamentos do Turismo (I) (IFSP Campus Cubatao) (aulas 16 e 17)
Disciplina Fundamentos do Turismo (I) (IFSP Campus Cubatao) (aulas 16 e 17)Aristides Faria
 
1327579883_construção_gestão_programas__animação_turística.pdf
1327579883_construção_gestão_programas__animação_turística.pdf1327579883_construção_gestão_programas__animação_turística.pdf
1327579883_construção_gestão_programas__animação_turística.pdfJoseAssis9
 
Um Olhar Cultura por Cuiaba
Um Olhar Cultura por CuiabaUm Olhar Cultura por Cuiaba
Um Olhar Cultura por CuiabaAristides Faria
 
Teoria e técnica profissional 3
Teoria e técnica profissional 3Teoria e técnica profissional 3
Teoria e técnica profissional 3Vinicius Raszl
 
Projeto prda turismo
Projeto prda   turismoProjeto prda   turismo
Projeto prda turismows_mathues
 
Apresentação Eduardo Zathar
Apresentação Eduardo ZatharApresentação Eduardo Zathar
Apresentação Eduardo ZatharZa'thar Eventos
 
Cenario nacional rev 25.08
Cenario nacional rev 25.08Cenario nacional rev 25.08
Cenario nacional rev 25.08cintialcruz
 
Marketing e Turismo: aulas 15 e 16
Marketing e Turismo: aulas 15 e 16Marketing e Turismo: aulas 15 e 16
Marketing e Turismo: aulas 15 e 16Aristides Faria
 
Relatorio Ações 2008 / Plano de Ações 2009
Relatorio Ações 2008 / Plano de Ações 2009Relatorio Ações 2008 / Plano de Ações 2009
Relatorio Ações 2008 / Plano de Ações 2009Trilha_dos_Inconfidentes
 
Agenda Propositiva do Turismo | Baixada Santista - Workshop ACAI, Itanhaém (SP)
Agenda Propositiva do Turismo | Baixada Santista - Workshop ACAI, Itanhaém (SP)Agenda Propositiva do Turismo | Baixada Santista - Workshop ACAI, Itanhaém (SP)
Agenda Propositiva do Turismo | Baixada Santista - Workshop ACAI, Itanhaém (SP)Aristides Faria
 
Agenda Propositiva do Turismo | Baixada Santista - Apresentação de resultados...
Agenda Propositiva do Turismo | Baixada Santista - Apresentação de resultados...Agenda Propositiva do Turismo | Baixada Santista - Apresentação de resultados...
Agenda Propositiva do Turismo | Baixada Santista - Apresentação de resultados...Aristides Faria
 
Boas Práticas Internacionais no Turismo
Boas Práticas Internacionais no TurismoBoas Práticas Internacionais no Turismo
Boas Práticas Internacionais no TurismoBMiBrasil
 
4. Apresentação CPETUR 26 02
4. Apresentação CPETUR 26 024. Apresentação CPETUR 26 02
4. Apresentação CPETUR 26 02Toni Sando
 
Instância de Governança da Grande Florianópolis
Instância de Governança da Grande FlorianópolisInstância de Governança da Grande Florianópolis
Instância de Governança da Grande FlorianópolisRenato Müller
 
Balanço Final do Governo Lula - livro 3 (cap. 5)
Balanço Final do Governo Lula - livro 3 (cap. 5)Balanço Final do Governo Lula - livro 3 (cap. 5)
Balanço Final do Governo Lula - livro 3 (cap. 5)Edinho Silva
 
Mtur apresentação sabara
Mtur apresentação sabaraMtur apresentação sabara
Mtur apresentação sabarasabara300
 
Free Spirit Marketing / Portfólio
Free Spirit Marketing / PortfólioFree Spirit Marketing / Portfólio
Free Spirit Marketing / PortfólioAngelica Cerdeira
 

Semelhante a Fundamentos do Turismo (I): aulas 15 a 17 (20)

Disciplina Fundamentos do Turismo (I) (IFSP Campus Cubatao) (aulas 16 e 17)
Disciplina Fundamentos do Turismo (I) (IFSP Campus Cubatao) (aulas 16 e 17)Disciplina Fundamentos do Turismo (I) (IFSP Campus Cubatao) (aulas 16 e 17)
Disciplina Fundamentos do Turismo (I) (IFSP Campus Cubatao) (aulas 16 e 17)
 
1327579883_construção_gestão_programas__animação_turística.pdf
1327579883_construção_gestão_programas__animação_turística.pdf1327579883_construção_gestão_programas__animação_turística.pdf
1327579883_construção_gestão_programas__animação_turística.pdf
 
Um Olhar Cultura por Cuiaba
Um Olhar Cultura por CuiabaUm Olhar Cultura por Cuiaba
Um Olhar Cultura por Cuiaba
 
Portfólio Consultoria em Turismo.
Portfólio Consultoria em Turismo.Portfólio Consultoria em Turismo.
Portfólio Consultoria em Turismo.
 
Teoria e técnica profissional 3
Teoria e técnica profissional 3Teoria e técnica profissional 3
Teoria e técnica profissional 3
 
Projeto prda turismo
Projeto prda   turismoProjeto prda   turismo
Projeto prda turismo
 
Apresentação Eduardo Zathar
Apresentação Eduardo ZatharApresentação Eduardo Zathar
Apresentação Eduardo Zathar
 
Raizes turismo metodologia de trabalho
Raizes turismo   metodologia de trabalhoRaizes turismo   metodologia de trabalho
Raizes turismo metodologia de trabalho
 
Cenario nacional rev 25.08
Cenario nacional rev 25.08Cenario nacional rev 25.08
Cenario nacional rev 25.08
 
Marketing e Turismo: aulas 15 e 16
Marketing e Turismo: aulas 15 e 16Marketing e Turismo: aulas 15 e 16
Marketing e Turismo: aulas 15 e 16
 
Relatorio Ações 2008 / Plano de Ações 2009
Relatorio Ações 2008 / Plano de Ações 2009Relatorio Ações 2008 / Plano de Ações 2009
Relatorio Ações 2008 / Plano de Ações 2009
 
Agenda Propositiva do Turismo | Baixada Santista - Workshop ACAI, Itanhaém (SP)
Agenda Propositiva do Turismo | Baixada Santista - Workshop ACAI, Itanhaém (SP)Agenda Propositiva do Turismo | Baixada Santista - Workshop ACAI, Itanhaém (SP)
Agenda Propositiva do Turismo | Baixada Santista - Workshop ACAI, Itanhaém (SP)
 
Agenda Propositiva do Turismo | Baixada Santista - Apresentação de resultados...
Agenda Propositiva do Turismo | Baixada Santista - Apresentação de resultados...Agenda Propositiva do Turismo | Baixada Santista - Apresentação de resultados...
Agenda Propositiva do Turismo | Baixada Santista - Apresentação de resultados...
 
Boas Práticas Internacionais no Turismo
Boas Práticas Internacionais no TurismoBoas Práticas Internacionais no Turismo
Boas Práticas Internacionais no Turismo
 
4. Apresentação CPETUR 26 02
4. Apresentação CPETUR 26 024. Apresentação CPETUR 26 02
4. Apresentação CPETUR 26 02
 
Centro de informação turistica
Centro de informação turistica Centro de informação turistica
Centro de informação turistica
 
Instância de Governança da Grande Florianópolis
Instância de Governança da Grande FlorianópolisInstância de Governança da Grande Florianópolis
Instância de Governança da Grande Florianópolis
 
Balanço Final do Governo Lula - livro 3 (cap. 5)
Balanço Final do Governo Lula - livro 3 (cap. 5)Balanço Final do Governo Lula - livro 3 (cap. 5)
Balanço Final do Governo Lula - livro 3 (cap. 5)
 
Mtur apresentação sabara
Mtur apresentação sabaraMtur apresentação sabara
Mtur apresentação sabara
 
Free Spirit Marketing / Portfólio
Free Spirit Marketing / PortfólioFree Spirit Marketing / Portfólio
Free Spirit Marketing / Portfólio
 

Mais de Aristides Faria

Observatório do Turismo & Economia do Mar - 2023-2024 (v. II)
Observatório do Turismo & Economia do Mar - 2023-2024 (v. II)Observatório do Turismo & Economia do Mar - 2023-2024 (v. II)
Observatório do Turismo & Economia do Mar - 2023-2024 (v. II)Aristides Faria
 
Observatório do Turismo & Economia do Mar - 2023-2024 (v. I).pptx
Observatório do Turismo & Economia do Mar - 2023-2024 (v. I).pptxObservatório do Turismo & Economia do Mar - 2023-2024 (v. I).pptx
Observatório do Turismo & Economia do Mar - 2023-2024 (v. I).pptxAristides Faria
 
Síntese da Lei n° 10.973, de 2 de dezembro de 2004​
Síntese da Lei n° 10.973, de 2 de dezembro de 2004​Síntese da Lei n° 10.973, de 2 de dezembro de 2004​
Síntese da Lei n° 10.973, de 2 de dezembro de 2004​Aristides Faria
 
Porto de Santos: desenvolvimento regional do turismo no litoral de Sao Paulo
Porto de Santos: desenvolvimento regional do turismo no litoral de Sao PauloPorto de Santos: desenvolvimento regional do turismo no litoral de Sao Paulo
Porto de Santos: desenvolvimento regional do turismo no litoral de Sao PauloAristides Faria
 
Apresentacao de trabalho no EPTEN 2021
Apresentacao de trabalho no EPTEN 2021Apresentacao de trabalho no EPTEN 2021
Apresentacao de trabalho no EPTEN 2021Aristides Faria
 
SEMEI IFRR: Oficina Turismo e Inovação
SEMEI IFRR: Oficina Turismo e InovaçãoSEMEI IFRR: Oficina Turismo e Inovação
SEMEI IFRR: Oficina Turismo e InovaçãoAristides Faria
 
Apresentação sobre o projeto SIGESTur na SEMATUR IFSP CBT 2021
Apresentação sobre o projeto SIGESTur na SEMATUR IFSP CBT 2021Apresentação sobre o projeto SIGESTur na SEMATUR IFSP CBT 2021
Apresentação sobre o projeto SIGESTur na SEMATUR IFSP CBT 2021Aristides Faria
 
WorkIF 2021 - IFMT - SIGESTur - Aristides Faria
WorkIF 2021 - IFMT - SIGESTur - Aristides FariaWorkIF 2021 - IFMT - SIGESTur - Aristides Faria
WorkIF 2021 - IFMT - SIGESTur - Aristides FariaAristides Faria
 
IFSP.CBT | Meios de Hospedagem (aula 08.04.2021)
IFSP.CBT | Meios de Hospedagem (aula 08.04.2021)IFSP.CBT | Meios de Hospedagem (aula 08.04.2021)
IFSP.CBT | Meios de Hospedagem (aula 08.04.2021)Aristides Faria
 
IFSP.CBT | Pesquisa em Turismo (aula 06.04.2021)
IFSP.CBT | Pesquisa em Turismo (aula 06.04.2021)IFSP.CBT | Pesquisa em Turismo (aula 06.04.2021)
IFSP.CBT | Pesquisa em Turismo (aula 06.04.2021)Aristides Faria
 
Associativismo, cooperacao e hospitalidade
Associativismo, cooperacao e hospitalidadeAssociativismo, cooperacao e hospitalidade
Associativismo, cooperacao e hospitalidadeAristides Faria
 
Mercado imobiliário: Praia Grande, São Paulo (AirDNA: 02/2019)
Mercado imobiliário: Praia Grande, São Paulo (AirDNA: 02/2019)Mercado imobiliário: Praia Grande, São Paulo (AirDNA: 02/2019)
Mercado imobiliário: Praia Grande, São Paulo (AirDNA: 02/2019)Aristides Faria
 
Tendências e perspectivas para a gestão de destinos turísticos litorâneos
Tendências e perspectivas para a gestão de destinos turísticos litorâneosTendências e perspectivas para a gestão de destinos turísticos litorâneos
Tendências e perspectivas para a gestão de destinos turísticos litorâneosAristides Faria
 
Marketing & Turismo: estudo de caso sobre o potencial mercadológico do municí...
Marketing & Turismo: estudo de caso sobre o potencial mercadológico do municí...Marketing & Turismo: estudo de caso sobre o potencial mercadológico do municí...
Marketing & Turismo: estudo de caso sobre o potencial mercadológico do municí...Aristides Faria
 
Tendências recentes e perspectivas futuras do turismo no Polo Costa dos Coque...
Tendências recentes e perspectivas futuras do turismo no Polo Costa dos Coque...Tendências recentes e perspectivas futuras do turismo no Polo Costa dos Coque...
Tendências recentes e perspectivas futuras do turismo no Polo Costa dos Coque...Aristides Faria
 
Seminário: Annals of Tourism Research
Seminário: Annals of Tourism ResearchSeminário: Annals of Tourism Research
Seminário: Annals of Tourism ResearchAristides Faria
 
Mobilização, Participação e Controle Social (III CGPOP Unifesp)
Mobilização, Participação e Controle Social (III CGPOP Unifesp)Mobilização, Participação e Controle Social (III CGPOP Unifesp)
Mobilização, Participação e Controle Social (III CGPOP Unifesp)Aristides Faria
 
Apresentação no V FCGTurH (Univali) 2017
Apresentação no V FCGTurH (Univali) 2017Apresentação no V FCGTurH (Univali) 2017
Apresentação no V FCGTurH (Univali) 2017Aristides Faria
 
Formação Superior em Turismo & Hospitalidade: um fator de competitividade de ...
Formação Superior em Turismo & Hospitalidade: um fator de competitividade de ...Formação Superior em Turismo & Hospitalidade: um fator de competitividade de ...
Formação Superior em Turismo & Hospitalidade: um fator de competitividade de ...Aristides Faria
 
Projeto de pesquisa (Doutorado em Hospitalidade)
Projeto de pesquisa (Doutorado em Hospitalidade)Projeto de pesquisa (Doutorado em Hospitalidade)
Projeto de pesquisa (Doutorado em Hospitalidade)Aristides Faria
 

Mais de Aristides Faria (20)

Observatório do Turismo & Economia do Mar - 2023-2024 (v. II)
Observatório do Turismo & Economia do Mar - 2023-2024 (v. II)Observatório do Turismo & Economia do Mar - 2023-2024 (v. II)
Observatório do Turismo & Economia do Mar - 2023-2024 (v. II)
 
Observatório do Turismo & Economia do Mar - 2023-2024 (v. I).pptx
Observatório do Turismo & Economia do Mar - 2023-2024 (v. I).pptxObservatório do Turismo & Economia do Mar - 2023-2024 (v. I).pptx
Observatório do Turismo & Economia do Mar - 2023-2024 (v. I).pptx
 
Síntese da Lei n° 10.973, de 2 de dezembro de 2004​
Síntese da Lei n° 10.973, de 2 de dezembro de 2004​Síntese da Lei n° 10.973, de 2 de dezembro de 2004​
Síntese da Lei n° 10.973, de 2 de dezembro de 2004​
 
Porto de Santos: desenvolvimento regional do turismo no litoral de Sao Paulo
Porto de Santos: desenvolvimento regional do turismo no litoral de Sao PauloPorto de Santos: desenvolvimento regional do turismo no litoral de Sao Paulo
Porto de Santos: desenvolvimento regional do turismo no litoral de Sao Paulo
 
Apresentacao de trabalho no EPTEN 2021
Apresentacao de trabalho no EPTEN 2021Apresentacao de trabalho no EPTEN 2021
Apresentacao de trabalho no EPTEN 2021
 
SEMEI IFRR: Oficina Turismo e Inovação
SEMEI IFRR: Oficina Turismo e InovaçãoSEMEI IFRR: Oficina Turismo e Inovação
SEMEI IFRR: Oficina Turismo e Inovação
 
Apresentação sobre o projeto SIGESTur na SEMATUR IFSP CBT 2021
Apresentação sobre o projeto SIGESTur na SEMATUR IFSP CBT 2021Apresentação sobre o projeto SIGESTur na SEMATUR IFSP CBT 2021
Apresentação sobre o projeto SIGESTur na SEMATUR IFSP CBT 2021
 
WorkIF 2021 - IFMT - SIGESTur - Aristides Faria
WorkIF 2021 - IFMT - SIGESTur - Aristides FariaWorkIF 2021 - IFMT - SIGESTur - Aristides Faria
WorkIF 2021 - IFMT - SIGESTur - Aristides Faria
 
IFSP.CBT | Meios de Hospedagem (aula 08.04.2021)
IFSP.CBT | Meios de Hospedagem (aula 08.04.2021)IFSP.CBT | Meios de Hospedagem (aula 08.04.2021)
IFSP.CBT | Meios de Hospedagem (aula 08.04.2021)
 
IFSP.CBT | Pesquisa em Turismo (aula 06.04.2021)
IFSP.CBT | Pesquisa em Turismo (aula 06.04.2021)IFSP.CBT | Pesquisa em Turismo (aula 06.04.2021)
IFSP.CBT | Pesquisa em Turismo (aula 06.04.2021)
 
Associativismo, cooperacao e hospitalidade
Associativismo, cooperacao e hospitalidadeAssociativismo, cooperacao e hospitalidade
Associativismo, cooperacao e hospitalidade
 
Mercado imobiliário: Praia Grande, São Paulo (AirDNA: 02/2019)
Mercado imobiliário: Praia Grande, São Paulo (AirDNA: 02/2019)Mercado imobiliário: Praia Grande, São Paulo (AirDNA: 02/2019)
Mercado imobiliário: Praia Grande, São Paulo (AirDNA: 02/2019)
 
Tendências e perspectivas para a gestão de destinos turísticos litorâneos
Tendências e perspectivas para a gestão de destinos turísticos litorâneosTendências e perspectivas para a gestão de destinos turísticos litorâneos
Tendências e perspectivas para a gestão de destinos turísticos litorâneos
 
Marketing & Turismo: estudo de caso sobre o potencial mercadológico do municí...
Marketing & Turismo: estudo de caso sobre o potencial mercadológico do municí...Marketing & Turismo: estudo de caso sobre o potencial mercadológico do municí...
Marketing & Turismo: estudo de caso sobre o potencial mercadológico do municí...
 
Tendências recentes e perspectivas futuras do turismo no Polo Costa dos Coque...
Tendências recentes e perspectivas futuras do turismo no Polo Costa dos Coque...Tendências recentes e perspectivas futuras do turismo no Polo Costa dos Coque...
Tendências recentes e perspectivas futuras do turismo no Polo Costa dos Coque...
 
Seminário: Annals of Tourism Research
Seminário: Annals of Tourism ResearchSeminário: Annals of Tourism Research
Seminário: Annals of Tourism Research
 
Mobilização, Participação e Controle Social (III CGPOP Unifesp)
Mobilização, Participação e Controle Social (III CGPOP Unifesp)Mobilização, Participação e Controle Social (III CGPOP Unifesp)
Mobilização, Participação e Controle Social (III CGPOP Unifesp)
 
Apresentação no V FCGTurH (Univali) 2017
Apresentação no V FCGTurH (Univali) 2017Apresentação no V FCGTurH (Univali) 2017
Apresentação no V FCGTurH (Univali) 2017
 
Formação Superior em Turismo & Hospitalidade: um fator de competitividade de ...
Formação Superior em Turismo & Hospitalidade: um fator de competitividade de ...Formação Superior em Turismo & Hospitalidade: um fator de competitividade de ...
Formação Superior em Turismo & Hospitalidade: um fator de competitividade de ...
 
Projeto de pesquisa (Doutorado em Hospitalidade)
Projeto de pesquisa (Doutorado em Hospitalidade)Projeto de pesquisa (Doutorado em Hospitalidade)
Projeto de pesquisa (Doutorado em Hospitalidade)
 

Último

Relatório Ação Saberes Indígenas na Escola - Grupo de Pesquisa Unã Baina
Relatório Ação Saberes Indígenas na Escola - Grupo de Pesquisa Unã BainaRelatório Ação Saberes Indígenas na Escola - Grupo de Pesquisa Unã Baina
Relatório Ação Saberes Indígenas na Escola - Grupo de Pesquisa Unã Bainaifacasie
 
1° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf
1° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf1° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf
1° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdfkelvindasilvadiasw
 
Apresentação Aula Usabilidade Web Jogos e Apps
Apresentação Aula Usabilidade Web Jogos e AppsApresentação Aula Usabilidade Web Jogos e Apps
Apresentação Aula Usabilidade Web Jogos e AppsAlexandre Oliveira
 
Apresentacao_Geral_Plataformas_200604.pdf
Apresentacao_Geral_Plataformas_200604.pdfApresentacao_Geral_Plataformas_200604.pdf
Apresentacao_Geral_Plataformas_200604.pdfAndreiaSilva852193
 
3° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf
3° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf3° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf
3° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdfkelvindasilvadiasw
 
Quando iniciamos os estudos sobre a história da Educação de Jovens e Adultos,...
Quando iniciamos os estudos sobre a história da Educação de Jovens e Adultos,...Quando iniciamos os estudos sobre a história da Educação de Jovens e Adultos,...
Quando iniciamos os estudos sobre a história da Educação de Jovens e Adultos,...AaAssessoriadll
 
Minimalismo Fitness Simplifique sua Rotina de Exercícios e Maximize Resultado...
Minimalismo Fitness Simplifique sua Rotina de Exercícios e Maximize Resultado...Minimalismo Fitness Simplifique sua Rotina de Exercícios e Maximize Resultado...
Minimalismo Fitness Simplifique sua Rotina de Exercícios e Maximize Resultado...manoelaarmani
 
COMTE, O POSITIVISMO E AS ORIGENS DA SOCIOLOGIA
COMTE, O POSITIVISMO E AS ORIGENS DA SOCIOLOGIACOMTE, O POSITIVISMO E AS ORIGENS DA SOCIOLOGIA
COMTE, O POSITIVISMO E AS ORIGENS DA SOCIOLOGIAHisrelBlog
 
A realização das atividades extensionistas do CST em Gestão Financeira, vincu...
A realização das atividades extensionistas do CST em Gestão Financeira, vincu...A realização das atividades extensionistas do CST em Gestão Financeira, vincu...
A realização das atividades extensionistas do CST em Gestão Financeira, vincu...Colaborar Educacional
 
Introdução à teoria do cinema - Robert Stam.pdf
Introdução à teoria do cinema - Robert Stam.pdfIntrodução à teoria do cinema - Robert Stam.pdf
Introdução à teoria do cinema - Robert Stam.pdfssuser2af87a
 
Desafie-se Como Estabelecer Metas de Fitness Realistas e Alcançáveis em Casa ...
Desafie-se Como Estabelecer Metas de Fitness Realistas e Alcançáveis em Casa ...Desafie-se Como Estabelecer Metas de Fitness Realistas e Alcançáveis em Casa ...
Desafie-se Como Estabelecer Metas de Fitness Realistas e Alcançáveis em Casa ...manoelaarmani
 
MAPA - TEORIAS DA ADMINISTRAÇÃO - 51/2024
MAPA - TEORIAS DA ADMINISTRAÇÃO - 51/2024MAPA - TEORIAS DA ADMINISTRAÇÃO - 51/2024
MAPA - TEORIAS DA ADMINISTRAÇÃO - 51/2024excellenceeducaciona
 
Domínio da Linguagem Oral Classificação Sílaba Inicial
Domínio da Linguagem  Oral Classificação Sílaba InicialDomínio da Linguagem  Oral Classificação Sílaba Inicial
Domínio da Linguagem Oral Classificação Sílaba InicialTeresaCosta92
 
PLANEJAMENTO ANUAL LINGUA ESPANHOLA 2024 3 ANOS PRONTO.docx
PLANEJAMENTO ANUAL LINGUA ESPANHOLA 2024 3 ANOS PRONTO.docxPLANEJAMENTO ANUAL LINGUA ESPANHOLA 2024 3 ANOS PRONTO.docx
PLANEJAMENTO ANUAL LINGUA ESPANHOLA 2024 3 ANOS PRONTO.docxfran50171
 
PROJETO INTERDISCIPLINAR 6º AO 9º ANOS - 2.docx
PROJETO INTERDISCIPLINAR 6º AO 9º ANOS - 2.docxPROJETO INTERDISCIPLINAR 6º AO 9º ANOS - 2.docx
PROJETO INTERDISCIPLINAR 6º AO 9º ANOS - 2.docxssuser86fd77
 
Discuta as principais mudanças e desafios enfrentados pelos profissionais de ...
Discuta as principais mudanças e desafios enfrentados pelos profissionais de ...Discuta as principais mudanças e desafios enfrentados pelos profissionais de ...
Discuta as principais mudanças e desafios enfrentados pelos profissionais de ...azulassessoriaacadem3
 
COSMOLOGIA DA ENERGIA ESTRELAS - VOLUME 6. EDIÇÃO 2^^.pdf
COSMOLOGIA DA ENERGIA ESTRELAS - VOLUME 6. EDIÇÃO 2^^.pdfCOSMOLOGIA DA ENERGIA ESTRELAS - VOLUME 6. EDIÇÃO 2^^.pdf
COSMOLOGIA DA ENERGIA ESTRELAS - VOLUME 6. EDIÇÃO 2^^.pdfalexandrerodriguespk
 
004820000101011 (15).pdffdfdfdddddddddddddddddddddddddddddddddddd
004820000101011 (15).pdffdfdfdddddddddddddddddddddddddddddddddddd004820000101011 (15).pdffdfdfdddddddddddddddddddddddddddddddddddd
004820000101011 (15).pdffdfdfddddddddddddddddddddddddddddddddddddRenandantas16
 
Cosmologia Modelo Matemático do Universo 5.pdf
Cosmologia Modelo Matemático do Universo 5.pdfCosmologia Modelo Matemático do Universo 5.pdf
Cosmologia Modelo Matemático do Universo 5.pdfalexandrerodriguespk
 
LINKS 25 DE ABRIL TRABALHO DAC HISTORIA.pdf
LINKS 25 DE ABRIL TRABALHO DAC HISTORIA.pdfLINKS 25 DE ABRIL TRABALHO DAC HISTORIA.pdf
LINKS 25 DE ABRIL TRABALHO DAC HISTORIA.pdfAnaRitaFreitas7
 

Último (20)

Relatório Ação Saberes Indígenas na Escola - Grupo de Pesquisa Unã Baina
Relatório Ação Saberes Indígenas na Escola - Grupo de Pesquisa Unã BainaRelatório Ação Saberes Indígenas na Escola - Grupo de Pesquisa Unã Baina
Relatório Ação Saberes Indígenas na Escola - Grupo de Pesquisa Unã Baina
 
1° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf
1° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf1° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf
1° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf
 
Apresentação Aula Usabilidade Web Jogos e Apps
Apresentação Aula Usabilidade Web Jogos e AppsApresentação Aula Usabilidade Web Jogos e Apps
Apresentação Aula Usabilidade Web Jogos e Apps
 
Apresentacao_Geral_Plataformas_200604.pdf
Apresentacao_Geral_Plataformas_200604.pdfApresentacao_Geral_Plataformas_200604.pdf
Apresentacao_Geral_Plataformas_200604.pdf
 
3° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf
3° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf3° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf
3° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf
 
Quando iniciamos os estudos sobre a história da Educação de Jovens e Adultos,...
Quando iniciamos os estudos sobre a história da Educação de Jovens e Adultos,...Quando iniciamos os estudos sobre a história da Educação de Jovens e Adultos,...
Quando iniciamos os estudos sobre a história da Educação de Jovens e Adultos,...
 
Minimalismo Fitness Simplifique sua Rotina de Exercícios e Maximize Resultado...
Minimalismo Fitness Simplifique sua Rotina de Exercícios e Maximize Resultado...Minimalismo Fitness Simplifique sua Rotina de Exercícios e Maximize Resultado...
Minimalismo Fitness Simplifique sua Rotina de Exercícios e Maximize Resultado...
 
COMTE, O POSITIVISMO E AS ORIGENS DA SOCIOLOGIA
COMTE, O POSITIVISMO E AS ORIGENS DA SOCIOLOGIACOMTE, O POSITIVISMO E AS ORIGENS DA SOCIOLOGIA
COMTE, O POSITIVISMO E AS ORIGENS DA SOCIOLOGIA
 
A realização das atividades extensionistas do CST em Gestão Financeira, vincu...
A realização das atividades extensionistas do CST em Gestão Financeira, vincu...A realização das atividades extensionistas do CST em Gestão Financeira, vincu...
A realização das atividades extensionistas do CST em Gestão Financeira, vincu...
 
Introdução à teoria do cinema - Robert Stam.pdf
Introdução à teoria do cinema - Robert Stam.pdfIntrodução à teoria do cinema - Robert Stam.pdf
Introdução à teoria do cinema - Robert Stam.pdf
 
Desafie-se Como Estabelecer Metas de Fitness Realistas e Alcançáveis em Casa ...
Desafie-se Como Estabelecer Metas de Fitness Realistas e Alcançáveis em Casa ...Desafie-se Como Estabelecer Metas de Fitness Realistas e Alcançáveis em Casa ...
Desafie-se Como Estabelecer Metas de Fitness Realistas e Alcançáveis em Casa ...
 
MAPA - TEORIAS DA ADMINISTRAÇÃO - 51/2024
MAPA - TEORIAS DA ADMINISTRAÇÃO - 51/2024MAPA - TEORIAS DA ADMINISTRAÇÃO - 51/2024
MAPA - TEORIAS DA ADMINISTRAÇÃO - 51/2024
 
Domínio da Linguagem Oral Classificação Sílaba Inicial
Domínio da Linguagem  Oral Classificação Sílaba InicialDomínio da Linguagem  Oral Classificação Sílaba Inicial
Domínio da Linguagem Oral Classificação Sílaba Inicial
 
PLANEJAMENTO ANUAL LINGUA ESPANHOLA 2024 3 ANOS PRONTO.docx
PLANEJAMENTO ANUAL LINGUA ESPANHOLA 2024 3 ANOS PRONTO.docxPLANEJAMENTO ANUAL LINGUA ESPANHOLA 2024 3 ANOS PRONTO.docx
PLANEJAMENTO ANUAL LINGUA ESPANHOLA 2024 3 ANOS PRONTO.docx
 
PROJETO INTERDISCIPLINAR 6º AO 9º ANOS - 2.docx
PROJETO INTERDISCIPLINAR 6º AO 9º ANOS - 2.docxPROJETO INTERDISCIPLINAR 6º AO 9º ANOS - 2.docx
PROJETO INTERDISCIPLINAR 6º AO 9º ANOS - 2.docx
 
Discuta as principais mudanças e desafios enfrentados pelos profissionais de ...
Discuta as principais mudanças e desafios enfrentados pelos profissionais de ...Discuta as principais mudanças e desafios enfrentados pelos profissionais de ...
Discuta as principais mudanças e desafios enfrentados pelos profissionais de ...
 
COSMOLOGIA DA ENERGIA ESTRELAS - VOLUME 6. EDIÇÃO 2^^.pdf
COSMOLOGIA DA ENERGIA ESTRELAS - VOLUME 6. EDIÇÃO 2^^.pdfCOSMOLOGIA DA ENERGIA ESTRELAS - VOLUME 6. EDIÇÃO 2^^.pdf
COSMOLOGIA DA ENERGIA ESTRELAS - VOLUME 6. EDIÇÃO 2^^.pdf
 
004820000101011 (15).pdffdfdfdddddddddddddddddddddddddddddddddddd
004820000101011 (15).pdffdfdfdddddddddddddddddddddddddddddddddddd004820000101011 (15).pdffdfdfdddddddddddddddddddddddddddddddddddd
004820000101011 (15).pdffdfdfdddddddddddddddddddddddddddddddddddd
 
Cosmologia Modelo Matemático do Universo 5.pdf
Cosmologia Modelo Matemático do Universo 5.pdfCosmologia Modelo Matemático do Universo 5.pdf
Cosmologia Modelo Matemático do Universo 5.pdf
 
LINKS 25 DE ABRIL TRABALHO DAC HISTORIA.pdf
LINKS 25 DE ABRIL TRABALHO DAC HISTORIA.pdfLINKS 25 DE ABRIL TRABALHO DAC HISTORIA.pdf
LINKS 25 DE ABRIL TRABALHO DAC HISTORIA.pdf
 

Fundamentos do Turismo (I): aulas 15 a 17

  • 1. Fundamentos do Turismo (I) Prof. Aristides Faria Lopes dos Santos
  • 3. Roteirização • É uma forma de ordenar um conjunto de atrativos turísticos de temática específica para promoção e comercialização no mercado, tornando-o opção diferenciada de produto turístico. • A roteirização, em sua concepção e método, é entendida como um processo mercadológico direcionado a um produto específico – o roteiro turístico, enfatizando a tematização que assegura a identidade única do roteiro.
  • 4. Roteirização • A roteirização pode contribuir também para o aumento do número de turistas que visitam uma região e do seu prazo médio de permanência nos destinos, estimulando a circulação da riqueza ali gerada. • A roteirização tem caráter participativo e deve estimular a integração e o compromisso de todos os protagonistas desse processo, não deixando de desempenhar seu papel de instrumento de inclusão social, resgate e preservação dos valores culturais e ambientais existentes.
  • 5. Roteirização: ação consorciada • A construção de parcerias é um dos focos do processo de roteirização. Estas parcerias podem acontecer nos níveis municipal, regional, estadual, nacional e internacional, de modo a buscar o aumento das oportunidades de negócios nas regiões turísticas.
  • 6. Roteirização: ação consorciada • A palavra chave para o processo de roteirização é SINERGIA: – Sinergia entre os setores públicos e os privados, os territórios, os atrativos, os elementos da cadeia produtiva do turismo e as outras atividades econômicas desenvolvidas na região. – É preciso a construção de confiança entre os atores envolvidos, definição de uma visão comum, da formação da rede de comunicação e da proximidade organizacional. – Para que tais processos aconteçam, será necessário construir o planejamento, o envolvimento do coletivo, a criação da rede de cooperação, o desenvolvimento da capacitação para o trabalho em equipe e a articulação de projetos estruturantes.
  • 7. Roteirização: primeiros passos • Passos para roteirização turística propostos pelo Projeto Rede de Cooperação Técnica para a Roteirização (2a edição): – Passo 1 - Definição dos Territórios Envolvidos • Objetivo da Ação: definir o recorte territorial que fará parte do roteiro integrado proposto. • Formas de Atuação: – Elaboração dos critérios para a definição do recorte dos territórios para cada destino escolhido, partindo das recomendações sugeridas a seguir; – Reconhecimento do território por meio de levantamento de dados e visita de campo;
  • 8. Roteirização: primeiros passos • Passo 2 - Instalação do Comitê Gestor do Roteiro – Objetivo da Ação: formar o grupo de pessoas responsável pela gestão do destino turístico integrado, associando interesses dos empreendimentos envolvidos – iniciativa privada de todos os setores da atividade turística do roteiro, do poder público e das comunidades locais. – Formas de Atuação: • Elaboração dos critérios para a definição dos atores que irão compor o Comitê Gestor do Roteiro para cada destino escolhido; • Indicação e convite aos atores;
  • 9. Roteirização: primeiros passos • Passo 2 - Instalação do Comitê Gestor do Roteiro – Continuação: • Mobilização dos atores envolvidos por meio da realização de um Encontro dos Atores Locais com apresentação da metodologia e suas etapas, importância da governança regional, responsabilidades dos envolvidos e assinatura de um termo de adesão; • Criação da rede de comunicação; • Promover reuniões periódicas entre o Comitê Gestor do Roteiro para o trabalho integrado.
  • 10. Roteirização: primeiros passos • Passo 3 - Realização do Diagnóstico do Roteiro – Objetivo da Ação: levantar e analisar os dados referentes ao território envolvido, a fim de oferecer subsídios ao grupo de trabalho, para elaboração do planejamento estratégico. – Formas de Atuação: • Levantamento dos dados referentes ao roteiro: dados gerais do território, análise do produto turístico e produção associada, análise do mercado por meio da utilização de instrumentos fornecidos pelo projeto; • Realização de pesquisa de mercado em centros emissores, para atender os cinco destinos trabalhados; • Sistematização e análise dos dados com relação à infraestrutura, atrativos, acesso, equipamentos e serviços turísticos e de apoio ao turismo e formas de promoção e comercialização dos produtos envolvidos;
  • 11. Roteirização: primeiros passos • Passo 3 - Realização do Diagnóstico do Roteiro – Continuação: • Avaliação e hierarquização dos atrativos turísticos26 envolvidos; • Realização de estudo para a segmentação da oferta e demanda e análise de atratividade para o mercado; • Elaboração de banco de dados com as empresas envolvidas no processo; • Construção participativa da matriz de potencialidades e fraquezas, por meio das oficinas de planejamento.
  • 12. Roteirização: primeiros passos • Passo 4 - Construção do Planejamento Estratégico – Objetivo da Ação: elaborar um planejamento estratégico, a partir da análise situacional do território, com definições de ações que terão influência sobre o processo de roteirização. – Formas de Atuação: • Realização de Oficinas de Planejamento para a construção do Plano Estratégico do Roteiro Integrado; • Identificação da oferta potencial existente, das necessidades dos consumidores, análise das oportunidades de mercado, transformação das necessidades em produtos, determinação de estratégias para precificação do produto e para tornar o produto integrado competitivo; • Elaboração final do documento; • Realização de encontros com a comunidade para validação do planejamento estratégico.
  • 13. Roteirização: primeiros passos • Passo 5 - Implantação do Plano de Ação – Objetivo da Ação: implementar as ações estabelecidas no plano estratégico com foco mercadológico. – Formas de Atuação: • Reuniões de trabalho com previsões de recursos humanos, materiais e financeiros para efetivação das ações previstas. Orientação técnica para a realização das ações previstas com relação à estruturação e qualificação dos produtos envolvidos em cada roteiro; • Articulação do trabalho local, mas, com foco no regional, por meio de reuniões de trabalho com previsões de recursos humanos, materiais e financeiros para efetivação das ações previstas; • Orientação técnica na estruturação do roteiro;
  • 14. Roteirização: primeiros passos • Passo 5 - Implantação do Plano de Ação – Continuação: • Realização de Jornadas de Negócios com as agências de viagens; • Realização de Jornada de Negócio com fornecedores da Produção Associada e empresários do turismo com potencial de consumo da produção, venda e promoção; • Lançamento do Roteiro; • Realização de ações de integração entre os produtos e as principais operadoras brasileiras; • Realização de famtour com operadoras de turismo; • Realização de press trips; • Desenvolvimento do catálogo do roteiro integrado.
  • 15. Roteirização: primeiros passos • Passo 6 - Acompanhamento e Avaliação das Ações Implantadas – Objetivo da Ação: estabelecer um monitoramento das ações realizadas, com as ações estabelecidas pelo grupo, no planejamento estratégico e tático, ação a ser realizada concomitantemente a alguns outros passos. – Formas de Atuação: • Definição de marcos críticos para cada etapa do trabalho a ser alcançado pelas regiões; • Criação e implementação de mecanismos para acompanhar cada processo regional; • Realização de visitas de campo para avaliação dos trabalhos realizados.