Culto especial 80 anos. 2008

5.443 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
5.443
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
31
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Culto especial 80 anos. 2008

  1. 1. Cultoem Ação de 80 Graças anos do templo da Catedral Metodista de Piracicaba Programa Especial do Culto Dominical Vespertino celebrado no dia 07 de setembro de 2008, às 19h, no Templo da Catedral Metodista de Piracicaba em comemoração ao 80º aniversário de seu templo.
  2. 2. COMO IGREJA, ADORAMOS AO SENHOR “Vinde, adoremos e prostremo-nos; ajoelhemos diante do Senhor, que nos criou”. Sl 95,6 Prelúdio Acolhida Rev. Nilson: Queridos irmãos e irmãs graça e paz! Reunimo-nos aqui, nes- te belo e formoso templo, para juntos celebrarmos Culto de Ação de Graças ao Senhor, pelos seus 80 anos de inauguração. Deus foi o grande motivador dessa obra e a Ele rendemos toda nossa gratidão e louvor. Litania de Adoração: Salmo 84 (Bíblia na Linguagem de Hoje) Rev. Luis Cardoso: Façamos, a leitura responsiva do Salmo 84, declarando ao Senhor nossa alegria em participar dos cultos realizados em Sua Casa. Ho- mens e mulheres, declaremos o quanto amamos estar na Casa do Senhor. Mulheres: Como eu amo o teu Templo, ó Deus Todo-Poderoso! Homens: Como eu gostaria de estar ali! Tenho saudade dos pátios do Tem- plo do Deus Eterno. Com todo o meu ser, canto com alegria ao Deus vivo. Mulheres: Ó Eterno e Todo-Poderoso, meu Rei e meu Deus, perto dos teus altares os pardais constróem o seu ninho, e as andorinhas fazem a sua casa, onde cuidam dos seus filhotes. Homens: Felizes são os que moram na tua casa, sempre cantando louvores a ti! Mulheres: Felizes são aqueles que de ti recebem forças e que desejam andar pelas estradas que levam ao monte Sião! Homens: Quando eles passam pelo vale das Lágrimas, ele fica cheio de fontes de água, e as primeiras chuvas o cobrem de bênçãos. Mulheres: Enquanto vão indo, a força deles vai aumentando; eles verão o Deus dos deuses em Sião. Homens: Escuta a minha oração, ó Deus Eterno e Todo-Poderoso! Ouve- me, ó Deus de Jacó! Mulheres: Ó Deus, abençoa o nosso protetor, o rei que tu escolheste! Homens: É melhor passar um dia no teu Templo do que mil dias em qual- quer outro lugar. Eu gostaria mais de ficar no portão de entrada da casa do meu Deus do que morar nas casas dos maus. Mulheres: O Deus Eterno é a nossa luz e o nosso escudo. Ele ama e honra os que fazem o que é certo e lhes dá tudo o que é bom. Homens: Ó Deus Todo-Poderoso, como são felizes aqueles que confiam em ti! Pr. Filipe: Apesar de belo, por si só, este templo não tem valor espiritual... é matéria como todos os outros prédios. O que o torna especial, é a presença de Deus no meio do Seu povo. Quando foi inaugurado, no ano de 1927, os crentes aqui reunidos o consagraram como Casa de Culto ao Senhor. Portan- to, reconheçamos que este lugar é santo, porque o Trino Deus se faz presente no meio do Seu povo.
  3. 3. Cântico: Invocação - HE nº 75 Deus está no templo! Pai Onipotente! Diante dele nos prostremos Reverentemente. Servos consagrados, Ao Altíssimo adoremos: Por favor, com amor, Espiritualmente Deus está no templo! Cristo está no templo! Sumo benefício Recebemos de seu sangue. O Cordeiro eterno Foi o sacrifício, Que na cruz morreu, exangue; Escolheu e sofreu O mortal suplício; Cristo está no templo! Vem, ocupa o templo, Instrutor Divino! Nossos corações habita. Mestre incomparável, Dá-nos teu ensino, Aclarando a lei bendita; Com prazer, e poder, Oh! Favor supino! Ele está no templo! COMO IGREJA, CONFESSAMOS AO SENHOR “O Senhor está em seu santo templo; cale-se diantedele toda a terra”. Hb 2:20 Chamado à confissão Rev. Luis Cardoso: Com o passar dos tempos, corremos o risco de nos esquecer do fim para o qual o templo foi construído... o propósito para o qual ele foi consagrado. Podemos cometer o equívoco de valorizá-lo como um monumento histórico da cidade, porém desconsiderando-o como Templo de Deus... Casa de Oração. No passado, muitos homens e mulheres, também cometeram este equívoco. Esqueceram-se da finalidade última pela qual o Templo existia. Diante disso, Jesus, o Senhor da Igreja, adentrou o Templo exortando a todos, para que voltassem a considerá-lo Casa de Oração, e não lugar de comércio. Estes homens e mulheres haviam perdido o foco... saíram da visão. O propósito de Deus é que seu povo seja obediente e siga Sua von- tade eterna. Façamos juntos, a leitura do Evangelho de Mateus 21,12 e 13, e reflitamos sobre o ocorrido. Todos/as: “Tendo Jesus entrado no templo, expulsou todos os que ali ven- diam e compravam; também derribou as mesas dos cambistas e as cadeiras dos que vendiam pombas. E disse-lhes: Está escrito: A minha casa será chamada casa de oração; vós, porém, a transformais em covil de salteadores” (Mt 21,12-13).
  4. 4. Oração silenciosa Proclamação do Perdão Pr. Filipe: “Ó tu que escutas a oração, a ti virão todos os homens, por causa de suas iniqüidades. Se prevalecem as nossas transgressões, tu no-las perdoas. Bem-aventurado aquele a quem escolhes e aproximas de ti, para que assista nos teus átrios; ficaremos satisfeitos com a bondade de tua casa - o teu santo templo” (Sl 65,2-4). Coral Rev. James W. Koger: “Fortalece a tua igreja” Música: Buryl Red (arr.); R. Manuel (adapt.) COMO IGREJA, LOUVAMOS AO SENHOR “Cantai ao Senhor um cântico novo, cantai ao Senhor, todas as terras”. Sl 96,1 Convite ao Louvor: Rev. Nilson: Próximo de sua morte, o Rei Davi, seguindo o exemplo de Moisés, na preparação do Tabernáculo (Ex 25,1-8), conclamou todo o povo de Israel para que contribuíssem com o projeto de construção do templo. O povo foi fiel ao chamado de seu líder... contribuíram em abundância. Ao ver a abundância das ofertas, antes mesmo de iniciar a construção, Davi se pôs diante de toda a congregação e orou ao Senhor, dizendo: Rev Luis Cardoso: SENHOR, Deus de Israel, nosso pai, de eternidade em eternidade. Teu, SENHOR, é o poder, a grandeza, a honra, a vitória e a majestade; porque teu é tudo quanto há nos céus e na terra; teu, SE- NHOR, é o reino, e tu te exaltaste por chefe sobre todos. Riquezas e glória vêm de ti, tu dominas sobre tudo, na tua mão há força e poder; contigo está o engrandecer e a tudo dar força. Agora, pois, ó nosso Deus, graças te damos e louvamos o teu glorioso nome. Porque quem sou eu, e quem é o meu povo para que pudéssemos dar voluntariamente estas coisas? Porque tudo vem de ti, e das tuas mãos to damos. Porque somos estranhos diante de ti e peregrinos como todos os nossos pais; como a sombra são os nossos dias sobre a terra, e não temos permanência. SENHOR, nosso Deus, toda esta abundância que preparamos para te edificar uma casa ao teu santo nome vem da tua mão e é toda tua. Bem sei, meu Deus, que tu provas os corações e que da sinceridade te agradas; eu também, na sinceridade de meu coração, dei voluntariamente todas estas coisas; acabo de ver com alegria que o teu povo, que se acha aqui, te faz ofertas voluntariamente” (1Cr 29,10-17). Pr. Filipe: Assim como naquele tempo, hoje também, a Casa do Senhor é sustentada pelos dízimos e ofertas do povo. Como tenho afirmado, a cada mês cresce o número de contribuintes em nossa igreja local. Como Igreja, temos amadurecido, dia a dia, sobre o desafio bíblico da “Mordo- mia Cristã”. Portanto, com alegria em nossos corações, e reconhecendo nossa responsabilidade em sustentar a Casa do Senhor, para que ela tenha mantimento, acheguemo-nos ao altar trazendo um pouco do muito que o Senhor tem nos dado. Ofertório: Processional Cântico: Tudo vem de Ti, Senhor, E do que é Teu to damos. Amém! Cânticos: Grupo de Louvor Ministério do Acolhimento.
  5. 5. COMO IGREJA, OUVIMOS O SENHOR “Hoje, se ouvirdes a sua voz, não endureçais o coração...” (Sl 95,7b) Coral Rev. James W. Koger: “A pedra fundamental” Música: Samuel Sebastian Wesley (1810-1876) Letra: Samuel John Stone, Rev., 1866; Robert Hawkey Moreton (1844-1917) (trad.) Reflexão: Rev. Nilson da Silva Júnior COMO IGREJA, CELEBRAMOS NOSSA COMUNHÃO “Fazei isto em memória de mim...” (lc 22,19) Coral Rev. James W. Koger: “Em memória de mim” Música: Buryl Red, 1972 Letra: Ragan Courtney; Joan Larie Sutton, 1975 (trad.) Oração de Consagração: Pr. Filipe: Toda a glória seja a Ti, ó Pai onipotente, Pai nosso celestial! Obedientes à instituição de teu amado Filho, nosso Salvador, Jesus Cris- to, nós realizamos aqui, diante de tua divina majestade, o memorial que teu Filho nos mandou celebrar, tendo na lembrança sua bendita paixão e morte, sua poderosa ressurreição e ascensão, rendendo-te graças de todo coração pelos inumeráveis benefícios com que elas nos agraciam. E hu- mildemente nós te suplicamos, ó Pai, que nos ouças com teu Filho Jesus Cristo, conceda-nos o Espírito Santo e, por tua infinita bondade, consagres os dons de pão e vinho para que, recebendo-os segundo a instituição de teu Filho, nós sejamos participantes do teu abençoado corpo e sangue, para todo o sempre. Amém. Oração de humilde acesso: Todos/as: ó misericordioso Pai, nós humildemente te imploramos que nos santifiques com o teu Espírito e abençoes as dádivas do pão e do vinho, a fim de que o pão que vamos comer seja a comunhão do corpo de Cristo e o vinho que vamos beber seja a comunhão do sangue de Cristo. Concede- nos a graça de alcançar a unidade da fé e crescer em todas as coisas naquele que é o Cabeça, Cristo, nosso Senhor, a quem pertencem a honra, a glória e o domínio pelos séculos dos séculos. Amém. Memorial: Rev. Luis Cardoso: “Porque eu recebi do Senhor o que também vos entreguei: que o senhor Jesus, na noite em que foi traído, tomou o pão; e tendo dado graças, o partiu e disse: isto é o meu corpo que é dado por vós; fazei isto em memória de mim. Por semelhante modo, depois de haver ce- ado, tomou também o cálice, dizendo: Este cálice é a nova aliança no meu sangue; fazei isto, todas as vezes que o beberdes, em memória de mim” (1 Cor 11. 23-25).
  6. 6. Convite e distribuição dos elementos Rev. Nilson: A mesa está preparada e o Senhor e ressurreto e presente conos- co nos convida para celebrarmos a sua ceia. Acheguemo-nos, pois, com fé. Coral Rev. James W. Koger: “De joelhos partamos nosso pão” Música: Negro Spiritual. João Wilson Faustini (arr.) Letra: João Wilson Faustini (trad.) COMO IGREJA, NOS DEDICAMOS AO SENHOR “Ide e, apresentando-vos no templo, dizei ao povo todas as palavras desta Vida. Tendo ouvido isto, logo ao romper do dia, entraram no templo e ensinavam” (At 5,20-21) Benção Apostólica: Rev. Nilson da Silva Júnior Amém Tríplice Poslúdio PARTICIPAÇÕES ESPECIAIS Celebrantes: Rev. Luis de Souza Cardoso e Pr. Filipe Maia – Pastores Coadjutores da Catedral Metodista de Piracicaba Pregador: Rev. Nilson da Silva Junior – Pastor Coadjutor da Catedral Metodista de Piracicaba Liturgia: Rev. Paulo Dias Nogueira – Pastor Titular da Catedral Metodista de Pira- cicaba Organista: Vera Q. Cantoni Ministério do Acolhimento: Priscila B. Segabinazzi Grupo de Louvor Coral Rev. James William Koger

×