SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 38
CASO BEATRIZ
ANGÉLICA
CASO BEATRIZ
1.Beatriz Angélica Mota.
2.CNSA.
3.O local do corpo.
4.O local do crime.
5.As câmeras.
6.As chaves.
7.Os personagens.
CASO BEATRIZ
1. Beatriz Angélica Mota
BEATRIZ ANGÉLICA MOTA, sete anos de idade foi
assassinada em 10-12-2015 durante uma festa de
formatura realizada no Colégio Maria Auxiliadora,
cidade de Petrolina. O evento realizado no ginásio de
esportes da instituição de ensino contava com a
participação de aproximadamente duas mil e
quinhentas pessoas, entre pais de alunos,
formandos, funcionários e convidados em geral.
BREVE HISTÓRICO
CASO BEATRIZ
1.Beatriz Angélica Mota.
CASO BEATRIZ
Na ocasião BEATRIZ ANGÉLICA
acompanhava seus pais, LUCIA MOTA E
SANDRO ROMILTON FERREIRA (professor),
além de diversos familiares, na formatura
de sua irmã, SAMIRA ANGÉLICA MOTA. A
criança permaneceu junto aos familiares
durante o evento até o horário aproximado
de 22h08min, quando solicitou a sua mãe
para ir até um bebedouro localizado na
parte inferior da arquibancada. A menina
foi em direção a área onde fica localizado
o bebedouro e não foi mais vista por
nenhuma testemunha.
Familiares reunidos na arquibancada
Após inúmeras buscas, por volta de 22h50min o
corpo da criança foi encontrado em um local
reservado, um depósito de material esportivo
desativado, ao lado da quadra de esportes onde
acontecia a formatura. A criança tinha
ferimentos de faca no tórax, membros
superiores e inferiores. A faca usada no crime,
de tipo peixeira, foi encontrada junto ao corpo
de Beatriz.
• Início das investigações: 10-12-2015
• Delegados Encarregados:
Inicio: SARA ELÍBIA RODRIGUES DA ROCHA FERREIRA MACHADO, 25ª. Delegacia de
Homicídios – Petrolina/PE (Até 23-12-2015)
Atual: MARCEONE FERREIRA JACINTO (De 23-12-2015 até a presente data)
• Delegados Colaboradores: MAGNO NEVES e DANIEL MOREIRA
•Apoio: Núcleo de Inteligência DINTER 2
•GEPH/DHPP: GILMARIO LIMA (De 23/12 até a presente data)
DADOS GERAIS
CASO BEATRIZ
CASO BEATRIZ
2. CNSA.
CASO BEATRIZ
2. CNSA.
São 20.000 m2 de
área, o Colégio
Nossa Senhora
Auxiliadora é o
maior do sertão
pernambucano e
tem mais de 90
anos.
CASO BEATRIZ
2. CNSA.
Planta baixa do
colégio mostra
cerca de 200
salas, entre salas
de aula,
escritórios,
secretarias,
banheiros e etc.
TODAS DE
INTERESSE
TÉCNICO
FORAM
PERICIADAS.
CASO BEATRIZ
2. CNSA.
Duas quadras
poliesportivas,
duas piscinas,
inúmeras salas e
banheiros além
de alojamento
para
funcionários,
dentre eles
marceneiros,
pedreiros,
pintores e etc.
CASO BEATRIZ
2. CNSA.
Área do colégio
sem nenhum
tipo de
monitoramento
do circuito
interno de TV.
CASO BEATRIZ
3. O local do corpo.
CASO BEATRIZ
3. O local do corpo.
O corpo foi
encontrado em
uma saleta
próximo ao
bebedouro em
que Bia teria ido
beber água.
Bem próximo
onde ela estava
com sua mãe.
CASO BEATRIZ
3. O local do corpo.
CASO BEATRIZ
3. O local do corpo.
CASO BEATRIZ
3. O local do corpo.
O local a noite é
absolutamente
escuro e de difícil
acesso, onde teria
sido ateado fogo
anteriormente por
ex-alunos do
colégio. Cheio de
fuligem e objetos
queimados, sem
nenhum tipo de
iluminação
noturna.
CASO BEATRIZ
3. O local do corpo.
O corpo foi colocado
por trás de um
armário, local onde
não havia sinais de
que poderia ter
acontecido um
homicídio com arma
branca com
tamanha
brutalidade.
CASO BEATRIZ
3. O local do corpo.
Segundo a Perícia Criminal realizada
pelo Grupo Especializado em
Perícias de Homicídios do DHPP, a
cena do crime não apresentava
vestígios de que o homicídio teria
ocorrido ali. Ou seja, não existia o
padrão que correlacione as lesões, o
instrumento (faca) e o local. Na sola
da sandália de Bia, havia pouca
fuligem, indicando que ela não
“caminhou” por ali. Em suas roupas,
além de estarem alinhadas,
também continham pouca fuligem.
CASO BEATRIZ
3. O local do corpo.
Ao fundo, após o
corredor, porta que
dá acesso ao local
onde foi colocado o
corpo de Bia.
CASO BEATRIZ
3. O local do corpo.
O local onde foi
encontrado o corpo
de Bia fica a exatos
54 metros da última
câmera do colégio
(cam 07). Insta
salientar que essa
última câmera tem
visualização para 25
metros em uso
diurno e 10 metros
noturno. Além das
barreiras visuais.
CASO BEATRIZ
4. O local do corpo.
Na imagem da esquerda temos a qualidade das imagens da última câmera do colégio
comprometida pela escuridão, no provável momento da execução do crime. Já na foto da
direita temos a imagem da mesma câmera com as luzes acesas, já depois do corpo ter
sido encontrado.
CASO BEATRIZ
4. O local do crime.
CASO BEATRIZ
4. O local do crime.
Área interna do ginásio :
Na noite do crime o
cenário era o de cerca
de 2000 pessoas, a
maioria concentradas
na quadra e, uma
minoria nas imediações.
4 seguranças, dois na
portaria principal de
entrada dos formandos
e convidados, um
dentro do colégio e um
na portaria da frente.
CASO BEATRIZ
4. O local do crime.
Os pontos
vermelhos, azuis e
verdes
representam as
posições das
câmeras do
colégio. Os
quadrados em
azul/preto
representam os
seguranças e o
local do crime está
com bordas em
vermelho.
CASO BEATRIZ
4. O local do crime.
Partindo do princípio
que o corpo foi
colocado naquela
sala, mas não a
execução do crime,
temos como zonas
prováveis toda a
região em preto na
foto, o que dá uma
área de cerca de
2350 metros
quadrados.
CASO BEATRIZ
4. O local do crime.
Em toda a zona
demarcada, a
iluminação era
precária, a escuridão
tomava conta de
todos os corredores.
CASO BEATRIZ
5. As câmeras.
CASO BEATRIZ
5. As câmeras.
Mapa de todas as
câmeras do colégio, a
maioria com sua
qualidade
comprometida pela
escuridão dos
corredores.
CASO BEATRIZ
5. As câmeras.
CASO BEATRIZ
5. As chaves.
CASO BEATRIZ
6. As chaves.
No dia 25 de novembro de 2015, 10 dias antes
do fato, em um molho de chaves, notou-se
que faltavam 03 delas. Esse molho de chaves
foi passado por algumas pessoas, funcionários
da escola, que ao final do dia registraram em
um livro de ocorrências o fato da perca.
CASO BEATRIZ
6. As chaves.
As três chaves
que sumiram,
fecham uma
triangulação
perfeita para
rota de entrada
e de fuga de
quaisquer
suspeito(s).
CASO BEATRIZ
6. As chaves
CASO BEATRIZ
6. As chaves.
SEGURANÇA ASSISTENTE DE
DISCIPLINA
ASSISTENTE DE
DISCIPLINA
CASO BEATRIZ
7. Os personagens
CASO BEATRIZ
7. Os personagens
Imagens
mostram ele
visivelmente
nervoso no
horário do
crime,
mentiu várias
vezes em
depoimento.
Negou ter
estado dentro
da quadra,
mas imagens
mostram o
contrário.
Mentiu várias
vezes em
depoimento.
Pediu para não
trabalhar dentro da
quadra no dia do
crime. Disse não ter
estado em momento
algum na quadra,
testemunhas o viram
lá. Mentiu várias
vezes em
depoimento.
Imagens
mostram ela
seguindo em
direção do
local onde o
corpo foi
colocado,
mentiu várias
vezes em
depoimento.
Imagens mostram
ele entrando em
uma sala vazia e
ficando cerca de
01h40m lá,
quando deveria
estar em outro
setor. Mentiu
várias vezes em
depoimento.
01 02 03 04 05
O Caso Beatriz Angélica

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados (20)

Portfólio bullying
Portfólio bullyingPortfólio bullying
Portfólio bullying
 
Currículo flayza michelle lopes nascimento atual
Currículo flayza michelle lopes nascimento atualCurrículo flayza michelle lopes nascimento atual
Currículo flayza michelle lopes nascimento atual
 
Roteiro âncoras do jornal
Roteiro   âncoras do jornalRoteiro   âncoras do jornal
Roteiro âncoras do jornal
 
Curso de Direito Administrativo para Concurso Polícia Federal
Curso de Direito Administrativo para Concurso Polícia FederalCurso de Direito Administrativo para Concurso Polícia Federal
Curso de Direito Administrativo para Concurso Polícia Federal
 
Abuso de autoridade
Abuso de autoridade Abuso de autoridade
Abuso de autoridade
 
Projeto bullyng
Projeto bullyngProjeto bullyng
Projeto bullyng
 
Aula 6 fatp tipico direito penal
Aula 6 fatp tipico direito penalAula 6 fatp tipico direito penal
Aula 6 fatp tipico direito penal
 
Resumo art. 37 a 41 cf
Resumo art. 37 a 41 cfResumo art. 37 a 41 cf
Resumo art. 37 a 41 cf
 
Modelo de curriculo menor aprendiz
Modelo de curriculo menor aprendiz Modelo de curriculo menor aprendiz
Modelo de curriculo menor aprendiz
 
Lei 8.112 90 2012 1000 questões
Lei 8.112 90 2012 1000 questõesLei 8.112 90 2012 1000 questões
Lei 8.112 90 2012 1000 questões
 
Mapa mental da 8112
Mapa mental da 8112Mapa mental da 8112
Mapa mental da 8112
 
Modelo de curriculum_1_preenchido
Modelo de curriculum_1_preenchidoModelo de curriculum_1_preenchido
Modelo de curriculum_1_preenchido
 
Modelo curriculo 2
Modelo curriculo 2 Modelo curriculo 2
Modelo curriculo 2
 
Curriculo mestre de obras.
Curriculo mestre de obras.Curriculo mestre de obras.
Curriculo mestre de obras.
 
Curriculum Vitae
Curriculum VitaeCurriculum Vitae
Curriculum Vitae
 
Projeto simulado
Projeto simuladoProjeto simulado
Projeto simulado
 
Template de submissão
Template de submissãoTemplate de submissão
Template de submissão
 
Modelo de-curriculum-1-preenchido
Modelo de-curriculum-1-preenchidoModelo de-curriculum-1-preenchido
Modelo de-curriculum-1-preenchido
 
OBMEP 2014
OBMEP 2014OBMEP 2014
OBMEP 2014
 
Dicas De Currículo
Dicas De CurrículoDicas De Currículo
Dicas De Currículo
 

Mais de Revista do Vale

Carta aberta de janete para isaac de carvalho (1)
Carta aberta de janete para isaac de carvalho (1)Carta aberta de janete para isaac de carvalho (1)
Carta aberta de janete para isaac de carvalho (1)Revista do Vale
 
Release Carlan Carlo, promotor de Justiça de Petrolina
Release Carlan Carlo, promotor de Justiça de PetrolinaRelease Carlan Carlo, promotor de Justiça de Petrolina
Release Carlan Carlo, promotor de Justiça de PetrolinaRevista do Vale
 
Ata de reunião MPPE - Subestação Petrolina III
Ata de reunião MPPE - Subestação Petrolina IIIAta de reunião MPPE - Subestação Petrolina III
Ata de reunião MPPE - Subestação Petrolina IIIRevista do Vale
 
Programação festa nossa senhora rainha dos anjos
Programação festa nossa senhora rainha dos anjosProgramação festa nossa senhora rainha dos anjos
Programação festa nossa senhora rainha dos anjosRevista do Vale
 
Balanço do São João de Petrolina 2017
Balanço do São João de Petrolina 2017Balanço do São João de Petrolina 2017
Balanço do São João de Petrolina 2017Revista do Vale
 
CONDENAÇÃO EDNALDO BARROS - SENTO-SÉ
CONDENAÇÃO EDNALDO BARROS - SENTO-SÉCONDENAÇÃO EDNALDO BARROS - SENTO-SÉ
CONDENAÇÃO EDNALDO BARROS - SENTO-SÉRevista do Vale
 
Coletiva de imprensa 2016
Coletiva de imprensa 2016Coletiva de imprensa 2016
Coletiva de imprensa 2016Revista do Vale
 
Hu univasf - carta aberta - equipe de ortopedia e traumatologia (1)
Hu univasf - carta aberta - equipe de ortopedia e  traumatologia (1)Hu univasf - carta aberta - equipe de ortopedia e  traumatologia (1)
Hu univasf - carta aberta - equipe de ortopedia e traumatologia (1)Revista do Vale
 
Desfiliação Roniere reis
Desfiliação Roniere reisDesfiliação Roniere reis
Desfiliação Roniere reisRevista do Vale
 
Sento Sé condenação Juvenilson Passos
Sento Sé condenação Juvenilson PassosSento Sé condenação Juvenilson Passos
Sento Sé condenação Juvenilson PassosRevista do Vale
 
Bispo de juazeiro carta mensagem a igreja de juazeiro (1)
Bispo de juazeiro carta mensagem a igreja de juazeiro (1)Bispo de juazeiro carta mensagem a igreja de juazeiro (1)
Bispo de juazeiro carta mensagem a igreja de juazeiro (1)Revista do Vale
 
Nota oficial Pais de Beatriz
Nota oficial Pais de BeatrizNota oficial Pais de Beatriz
Nota oficial Pais de BeatrizRevista do Vale
 
Comunicado a imprensa atendimento ao sus
Comunicado a imprensa atendimento ao susComunicado a imprensa atendimento ao sus
Comunicado a imprensa atendimento ao susRevista do Vale
 
Comunicado de Dom Magnus, bispo de Salgueiro
Comunicado de Dom Magnus, bispo de SalgueiroComunicado de Dom Magnus, bispo de Salgueiro
Comunicado de Dom Magnus, bispo de SalgueiroRevista do Vale
 
Nota de esclarecimento (1)
Nota de esclarecimento (1)Nota de esclarecimento (1)
Nota de esclarecimento (1)Revista do Vale
 
Mudança de ponto de parada
Mudança de ponto de paradaMudança de ponto de parada
Mudança de ponto de paradaRevista do Vale
 
Edital curso fic gestão empreendedora de cooperativismo
Edital   curso fic gestão empreendedora de cooperativismoEdital   curso fic gestão empreendedora de cooperativismo
Edital curso fic gestão empreendedora de cooperativismoRevista do Vale
 

Mais de Revista do Vale (20)

Carta aberta de janete para isaac de carvalho (1)
Carta aberta de janete para isaac de carvalho (1)Carta aberta de janete para isaac de carvalho (1)
Carta aberta de janete para isaac de carvalho (1)
 
Release Carlan Carlo, promotor de Justiça de Petrolina
Release Carlan Carlo, promotor de Justiça de PetrolinaRelease Carlan Carlo, promotor de Justiça de Petrolina
Release Carlan Carlo, promotor de Justiça de Petrolina
 
Ata de reunião MPPE - Subestação Petrolina III
Ata de reunião MPPE - Subestação Petrolina IIIAta de reunião MPPE - Subestação Petrolina III
Ata de reunião MPPE - Subestação Petrolina III
 
Carta gov. nordeste
Carta gov. nordesteCarta gov. nordeste
Carta gov. nordeste
 
Documentos Locação
Documentos LocaçãoDocumentos Locação
Documentos Locação
 
Programação festa nossa senhora rainha dos anjos
Programação festa nossa senhora rainha dos anjosProgramação festa nossa senhora rainha dos anjos
Programação festa nossa senhora rainha dos anjos
 
Balanço do São João de Petrolina 2017
Balanço do São João de Petrolina 2017Balanço do São João de Petrolina 2017
Balanço do São João de Petrolina 2017
 
CONDENAÇÃO EDNALDO BARROS - SENTO-SÉ
CONDENAÇÃO EDNALDO BARROS - SENTO-SÉCONDENAÇÃO EDNALDO BARROS - SENTO-SÉ
CONDENAÇÃO EDNALDO BARROS - SENTO-SÉ
 
Coletiva de imprensa 2016
Coletiva de imprensa 2016Coletiva de imprensa 2016
Coletiva de imprensa 2016
 
Hu univasf - carta aberta - equipe de ortopedia e traumatologia (1)
Hu univasf - carta aberta - equipe de ortopedia e  traumatologia (1)Hu univasf - carta aberta - equipe de ortopedia e  traumatologia (1)
Hu univasf - carta aberta - equipe de ortopedia e traumatologia (1)
 
Desfiliação Roniere reis
Desfiliação Roniere reisDesfiliação Roniere reis
Desfiliação Roniere reis
 
Sento Sé condenação Juvenilson Passos
Sento Sé condenação Juvenilson PassosSento Sé condenação Juvenilson Passos
Sento Sé condenação Juvenilson Passos
 
Bispo de juazeiro carta mensagem a igreja de juazeiro (1)
Bispo de juazeiro carta mensagem a igreja de juazeiro (1)Bispo de juazeiro carta mensagem a igreja de juazeiro (1)
Bispo de juazeiro carta mensagem a igreja de juazeiro (1)
 
Nota oficial Pais de Beatriz
Nota oficial Pais de BeatrizNota oficial Pais de Beatriz
Nota oficial Pais de Beatriz
 
Comunicado a imprensa atendimento ao sus
Comunicado a imprensa atendimento ao susComunicado a imprensa atendimento ao sus
Comunicado a imprensa atendimento ao sus
 
Comunicado de Dom Magnus, bispo de Salgueiro
Comunicado de Dom Magnus, bispo de SalgueiroComunicado de Dom Magnus, bispo de Salgueiro
Comunicado de Dom Magnus, bispo de Salgueiro
 
Nota de esclarecimento (1)
Nota de esclarecimento (1)Nota de esclarecimento (1)
Nota de esclarecimento (1)
 
Mudança de ponto de parada
Mudança de ponto de paradaMudança de ponto de parada
Mudança de ponto de parada
 
Edital curso fic gestão empreendedora de cooperativismo
Edital   curso fic gestão empreendedora de cooperativismoEdital   curso fic gestão empreendedora de cooperativismo
Edital curso fic gestão empreendedora de cooperativismo
 
Repúdio
RepúdioRepúdio
Repúdio
 

O Caso Beatriz Angélica

  • 2. CASO BEATRIZ 1.Beatriz Angélica Mota. 2.CNSA. 3.O local do corpo. 4.O local do crime. 5.As câmeras. 6.As chaves. 7.Os personagens.
  • 3. CASO BEATRIZ 1. Beatriz Angélica Mota
  • 4. BEATRIZ ANGÉLICA MOTA, sete anos de idade foi assassinada em 10-12-2015 durante uma festa de formatura realizada no Colégio Maria Auxiliadora, cidade de Petrolina. O evento realizado no ginásio de esportes da instituição de ensino contava com a participação de aproximadamente duas mil e quinhentas pessoas, entre pais de alunos, formandos, funcionários e convidados em geral. BREVE HISTÓRICO CASO BEATRIZ 1.Beatriz Angélica Mota.
  • 5. CASO BEATRIZ Na ocasião BEATRIZ ANGÉLICA acompanhava seus pais, LUCIA MOTA E SANDRO ROMILTON FERREIRA (professor), além de diversos familiares, na formatura de sua irmã, SAMIRA ANGÉLICA MOTA. A criança permaneceu junto aos familiares durante o evento até o horário aproximado de 22h08min, quando solicitou a sua mãe para ir até um bebedouro localizado na parte inferior da arquibancada. A menina foi em direção a área onde fica localizado o bebedouro e não foi mais vista por nenhuma testemunha. Familiares reunidos na arquibancada
  • 6. Após inúmeras buscas, por volta de 22h50min o corpo da criança foi encontrado em um local reservado, um depósito de material esportivo desativado, ao lado da quadra de esportes onde acontecia a formatura. A criança tinha ferimentos de faca no tórax, membros superiores e inferiores. A faca usada no crime, de tipo peixeira, foi encontrada junto ao corpo de Beatriz.
  • 7. • Início das investigações: 10-12-2015 • Delegados Encarregados: Inicio: SARA ELÍBIA RODRIGUES DA ROCHA FERREIRA MACHADO, 25ª. Delegacia de Homicídios – Petrolina/PE (Até 23-12-2015) Atual: MARCEONE FERREIRA JACINTO (De 23-12-2015 até a presente data) • Delegados Colaboradores: MAGNO NEVES e DANIEL MOREIRA •Apoio: Núcleo de Inteligência DINTER 2 •GEPH/DHPP: GILMARIO LIMA (De 23/12 até a presente data) DADOS GERAIS CASO BEATRIZ
  • 9. CASO BEATRIZ 2. CNSA. São 20.000 m2 de área, o Colégio Nossa Senhora Auxiliadora é o maior do sertão pernambucano e tem mais de 90 anos.
  • 10. CASO BEATRIZ 2. CNSA. Planta baixa do colégio mostra cerca de 200 salas, entre salas de aula, escritórios, secretarias, banheiros e etc. TODAS DE INTERESSE TÉCNICO FORAM PERICIADAS.
  • 11. CASO BEATRIZ 2. CNSA. Duas quadras poliesportivas, duas piscinas, inúmeras salas e banheiros além de alojamento para funcionários, dentre eles marceneiros, pedreiros, pintores e etc.
  • 12. CASO BEATRIZ 2. CNSA. Área do colégio sem nenhum tipo de monitoramento do circuito interno de TV.
  • 13. CASO BEATRIZ 3. O local do corpo.
  • 14. CASO BEATRIZ 3. O local do corpo. O corpo foi encontrado em uma saleta próximo ao bebedouro em que Bia teria ido beber água. Bem próximo onde ela estava com sua mãe.
  • 15. CASO BEATRIZ 3. O local do corpo.
  • 16. CASO BEATRIZ 3. O local do corpo.
  • 17. CASO BEATRIZ 3. O local do corpo. O local a noite é absolutamente escuro e de difícil acesso, onde teria sido ateado fogo anteriormente por ex-alunos do colégio. Cheio de fuligem e objetos queimados, sem nenhum tipo de iluminação noturna.
  • 18. CASO BEATRIZ 3. O local do corpo. O corpo foi colocado por trás de um armário, local onde não havia sinais de que poderia ter acontecido um homicídio com arma branca com tamanha brutalidade.
  • 19. CASO BEATRIZ 3. O local do corpo. Segundo a Perícia Criminal realizada pelo Grupo Especializado em Perícias de Homicídios do DHPP, a cena do crime não apresentava vestígios de que o homicídio teria ocorrido ali. Ou seja, não existia o padrão que correlacione as lesões, o instrumento (faca) e o local. Na sola da sandália de Bia, havia pouca fuligem, indicando que ela não “caminhou” por ali. Em suas roupas, além de estarem alinhadas, também continham pouca fuligem.
  • 20. CASO BEATRIZ 3. O local do corpo. Ao fundo, após o corredor, porta que dá acesso ao local onde foi colocado o corpo de Bia.
  • 21. CASO BEATRIZ 3. O local do corpo. O local onde foi encontrado o corpo de Bia fica a exatos 54 metros da última câmera do colégio (cam 07). Insta salientar que essa última câmera tem visualização para 25 metros em uso diurno e 10 metros noturno. Além das barreiras visuais.
  • 22. CASO BEATRIZ 4. O local do corpo. Na imagem da esquerda temos a qualidade das imagens da última câmera do colégio comprometida pela escuridão, no provável momento da execução do crime. Já na foto da direita temos a imagem da mesma câmera com as luzes acesas, já depois do corpo ter sido encontrado.
  • 23. CASO BEATRIZ 4. O local do crime.
  • 24. CASO BEATRIZ 4. O local do crime. Área interna do ginásio : Na noite do crime o cenário era o de cerca de 2000 pessoas, a maioria concentradas na quadra e, uma minoria nas imediações. 4 seguranças, dois na portaria principal de entrada dos formandos e convidados, um dentro do colégio e um na portaria da frente.
  • 25. CASO BEATRIZ 4. O local do crime. Os pontos vermelhos, azuis e verdes representam as posições das câmeras do colégio. Os quadrados em azul/preto representam os seguranças e o local do crime está com bordas em vermelho.
  • 26. CASO BEATRIZ 4. O local do crime. Partindo do princípio que o corpo foi colocado naquela sala, mas não a execução do crime, temos como zonas prováveis toda a região em preto na foto, o que dá uma área de cerca de 2350 metros quadrados.
  • 27. CASO BEATRIZ 4. O local do crime. Em toda a zona demarcada, a iluminação era precária, a escuridão tomava conta de todos os corredores.
  • 28. CASO BEATRIZ 5. As câmeras.
  • 29. CASO BEATRIZ 5. As câmeras. Mapa de todas as câmeras do colégio, a maioria com sua qualidade comprometida pela escuridão dos corredores.
  • 30. CASO BEATRIZ 5. As câmeras.
  • 32. CASO BEATRIZ 6. As chaves. No dia 25 de novembro de 2015, 10 dias antes do fato, em um molho de chaves, notou-se que faltavam 03 delas. Esse molho de chaves foi passado por algumas pessoas, funcionários da escola, que ao final do dia registraram em um livro de ocorrências o fato da perca.
  • 33. CASO BEATRIZ 6. As chaves. As três chaves que sumiram, fecham uma triangulação perfeita para rota de entrada e de fuga de quaisquer suspeito(s).
  • 35. CASO BEATRIZ 6. As chaves. SEGURANÇA ASSISTENTE DE DISCIPLINA ASSISTENTE DE DISCIPLINA
  • 36. CASO BEATRIZ 7. Os personagens
  • 37. CASO BEATRIZ 7. Os personagens Imagens mostram ele visivelmente nervoso no horário do crime, mentiu várias vezes em depoimento. Negou ter estado dentro da quadra, mas imagens mostram o contrário. Mentiu várias vezes em depoimento. Pediu para não trabalhar dentro da quadra no dia do crime. Disse não ter estado em momento algum na quadra, testemunhas o viram lá. Mentiu várias vezes em depoimento. Imagens mostram ela seguindo em direção do local onde o corpo foi colocado, mentiu várias vezes em depoimento. Imagens mostram ele entrando em uma sala vazia e ficando cerca de 01h40m lá, quando deveria estar em outro setor. Mentiu várias vezes em depoimento. 01 02 03 04 05