A Zara do
chocolate
Ao seguir passos semelhantes aos da gigante
espanhola do varejo de moda, a Cacau Show
se tornou a maio...
primeiro lugar foram as coincidências
       na origem das duas companhias. Criada
       em 1975 pelo empresário Amancio ...
ta. Abaixo dele há
apenas dois diretores,
um de operações e
outro comercial. Cos-
ta também cuida pes-                    ...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

A Zara Do Chocolate

2.217 visualizações

Publicada em

Notícia Publicada na Revista Exame no dia 27 de janeiro de 2010.

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.217
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
87
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
46
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

A Zara Do Chocolate

  1. 1. A Zara do chocolate Ao seguir passos semelhantes aos da gigante espanhola do varejo de moda, a Cacau Show se tornou a maior franquia de alimentos do país JOÃO WERNER GRANDO discurso do paulistano Alexandre O leiro do setor de chocolates, com o dobro do Costa, dono da rede de lojas de tamanho de sua maior concorrente direta chocolate Cacau Show, sempre — a octogenária Kopenhagen faturou 160 soou um tanto megalomaníaco. milhões de reais em 2009. com 256 l o j a s , Aos 17 anos de idade, apenas com a expe- Costa traçou sua estratégia de crescimento riência de quem via os pais venderem de praticamente sozinho. Nunca contratou con- porta em porta cremes da Avon e potes da selheiros nem consultores. Jamais teve só- Tupperware. decidiu seguir o exemplo. Em cios investidores — um amigo de infância, 1988, às vésperas da Páscoa, ele peregrinou com 2.5% de participação na empresa, é seu pelas ruas da zona norte de São Paulo, onde único parceiro. Desistiu de se tomar um em- morava, para oferecer chocolates aos mo- preendedor apoiado pela Endeavor, ONG radores. Bom de lábia, conseguiu 2 000 voltada para o estímulo a pequenas e médias encomendas. Para dar conta dos pedidos, empresas com potencial de expansão, quan- contratou uma senhora que o ajudou a pre- do soube que teria de ceder 2% do capital parar os ovos em apenas três dias. Desde da Cacau Show em troca do apoio. Costa, então, a disposição de Costa para estabele- que abandonou o curso de administração na cer metas aparentemente impossíveis não Faap no terceiro ano para se dedicar a seu parece ter arrefecido. Em 2001, após a aber- negócio, considera-se um autodidata. Con- tura de sua primeira loja com a marca Cacau versa informalmente em média uma vez a Show, propôs-se a criar a maior franquia de cada dois meses com três mentores — Lírio alimentos do Brasil. Chegou lá em 2009, Parisotto, fundador da Videolar. Artur Gryn- com 750 lojas que faturaram 272 milhões baum, presidente do Boticário, e Pedro de reais. (A comparação considera número Passos, um dos controladores da Natura. de lojas. Em vendas, a maior rede é o Também busca referên- McDonald's. com 575 unidades e fatura- cias em empresas estran- mento de 3,3 bilhões de reais.) Agora, aos geiras. A mais recente 39 anos, Alexandre Costa trabalha para delas é a gigante espanho- abrir sua milésima loja em 2010. Para isso, la do varejo de meda Zara. terá de inaugurar 250 pontos de venda até "Quero ser a Zara do cho- dezembro — e bater seu recorde de 234 colate", "diz ele. novas lojas num único ano, em 2008. O que despertou sua Para se tornar o maior empresário brasi- atenção para a Zara em
  2. 2. primeiro lugar foram as coincidências na origem das duas companhias. Criada em 1975 pelo empresário Amancio Or- tega, a varejista espanhola só deixou de ser uma fabriqueta de roupões em La Coruña ao produzir cópias mais baratas de modelos sofisticados e vendê-las em lojas parecidas com as de redes famo- sas. Em três décadas, Ortega espalhou l 500 lojas por 72 países da Europa, Ásia e Américas. Do mesmo modo, a Cacau Show cresceu ao inaugurar um nicho de mercado até então inexplora- do. Com lojas e embalagens semelhan- tes às de marcas de primeira linha. Costa aliou um certo ar de sofisticação a um preço mais baixo — em média um Foto quarto do que cobra a Kopenhagen. "A Cacau Show preencheu o vácuo entre a Kopenhagen c as marcas artesanais, que até são mais baratas, mas não têm apresentação atraente", diz o consultor de franquias Marcelo Cherto. No caso da Cacau Show. garantir o preço baixo é resultado da vigilância obsessiva de seu dono. Para lembrar a todos da importância de cortar custos, nas reuniões anuais de orçamento Cos- ta mantém sobre a mesa um facão com cabo de madeira e lâmina enferrujada, presente de um cortador de cacau de Ilhéus. O próprio time de executivos é um exemplo de seu esforço para man- ter a empresa com uma estrutura enxu-
  3. 3. ta. Abaixo dele há apenas dois diretores, um de operações e outro comercial. Cos- ta também cuida pes- Foto soalmente de cada negociação, desde a compra de máquinas até o acerto com agências de publicidade. "Ele não dei- xa escapar nada", diz Parisotto, dono da Videolar. No ano passado, recusou- se a contratar uma construtora para quia para concorrer no mercado de Cos- gerenciar as obras de expansão da fá- ta. Hoje a rede possui 50 lojas. "Quere- brica de Itapevi. em São Paulo, com mos chegar a 500 até o final de 2011'", 36 000 metros quadrados de área e ca- afirma Renata Vichi. vice-presidente do pacidade de produção de 10 000 tone- grupo CRM. Para se destacar diante das ladas de chocolate por ano. Decidiu ele concorrentes, a Cacau Show também mesmo supervisionar a construção. vem ampliando os investimentos em ''Economizamos 20% em uma obra or- marketing. Em 2006, fez o primeiro çada em 20 milhões de reais", afirma. anúncio em televisão. Desde então, o orçamento da área (não revelado pela PARA MANTER AS LOJAS abastecidas, empresa) dobrou a cada ano. Em 2010. a Cacau Show segue outro mandamen- parte da publicidade vai ser espontânea. to da Zara: a rapidez na entrega de pro- A escola de samba paulista Rosas de dutos. A empresa espanhola garante a Ouro adotou como tema de seu desfile chegada de suas peças na Europa em 24 de 2010 o livro lançado por Costa em horas e em até 48 horas no restante do 2008, O Cacau é Show, sobre a história mundo. Desde 2005, a Cacau Show con- do cacau. O empresário afirma que en- segue atender a maioria dos franqueados viou no ano passado um exemplar da em dois dias, enquanto os concorrentes obra resultado de uma viagem da Ama- levam até duas semanas. Para tanto, ope- zônia à Bahia, para diversas escolas de ra um sistema em que os franqueados samba de São Paulo. À empresa de Cos- têm dia e hora a cada semana para fazer ta caberá investir 25 000 reais no desfi- pedidos, despachados por meio de uma le, com a compra de 50 fantasias. frota terceirizada de até 40 caminhões. Agora, ele avalia duas possibilidades O rigor não permite concessões — nem para expandir a Cacau Show. A primei- à própria mãe. Vilma. Dona de uma ra é comprar uma chocolateira na Bél- franquia da rede, ela costumava perder gica. "Poderíamos criar franquias na a data dos pedidos. Em 2008, Costa pe- Europa ou vender chocolate belga no diu que se desfizesse da loja. "Minha Brasil", diz ele. A outra opção é com- mãe queria privilégios. Recomendei que prar uma fábrica de sorvetes no Brasil. passasse o negócio adiante e desde então Em parceria com a paulista Sottozero. ela se aposentou", diz. a Cacau Show já vende sorvetes desde Inspirado na rede espanhola, Costa o ano passado. "Antes de decidir, vou pretende renovar as prateleiras com valer de artifícios que vão de simples considerar as vendas deste verão", diz maior freqüência neste ano. Sua meta é mudanças de embalagens a lançamen- ele. Costa garante que terá fôlego para lançar até dez novidades a cada 15 dias, tos de novos sabores de produtos. "'Au- seguir sozinho, sem investidores. Pode mesmo tempo com que a Zara troca mentar a renovação nas prateleiras faz parecer um passo grande demais. Ou. suas coleções. Até o ano passado, os com que o cliente volte à loja mais ve- para alguns, até uma certa dose de ar- lançamentos na Cacau Show se limita- zes", afirma Costa. rogância. Mas quem saiu da zona norte vam a datas comemorativas, com menos A mudança é uma tentativa de manter de São Paulo com seus ovos de Páscoa de dez coleções por ano — o mesmo a concorrência a distância. Em 2009, o caseiros para construir a maior rede de modelo adotado pela concorrência. Pa- grupo CRM, que controla a Kopenha- lojas de chocolates do mundo acha que ra atingir essa meta, ele pretende se gen, montou a Brasil Cacau, uma fran- ainda pode fazer mais. Sozinho. • Fonte: Exame, São Paulo, ano 44, n. 1, p. 56-58, 27 jan. 2010.

×