25_06_2012

476 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
476
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
69
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

25_06_2012

  1. 1. Shopping Center Varejo Fashion Móveis e Eletro Economia Construção Super & Hiper Marcas Próprias Internacional Mercado Sustentabilidade Canal Farma Marketing Mix TecnologiaE-Commerce do V arejo Cl ipping
  2. 2. Caros Leitores Caros Leitores, As manchetes sobre a questão das sacolinhas anunciam, entre outras, que os supermercados vão decidir se voltam ou não a distribuir as embalagens gratuitamente. Pelo jeito, o setor ainda não concluiu que a decisão não cabe a seus dirigentes individualmente, mas sim ao conjunto que formam com os stakeholders e isso inclui os consumidores. Os danos à imagem do setor são incalculáveis, afinal, depois de tantos anos de evolução e aprimoramento nas lojas e no atendimento, uma única questão jogou grande parte do que se conquistou a perder. A pergunta que se deve fazer é: - os consumidores ainda confiam nos supermercados? Não se pode generalizar, mas levará tempo para que os supermercadosRicardo Pastore, Prof. Msc superem esse prejuízo em imagem, mesmo contando com aCoordenador do Núcleo de economia obtida com o fim da distribuição das sacolinhas.Estudos do Varejo - ESPM As características da nova sociedade que estamos construindo, baseada em transparência, valores, objetivos comuns e causas, não diminui o poder de decisão das empresas, mas o modifica. Entender tais mudanças no varejo, na sociedade e transformá-las em conhecimento e vantagem competitiva, esse é o nosso papel.” Boa leitura!
  3. 3. Super & HiperNovo controlador do GPA, Casino recusa cisão da ViavarejoAbilio Diniz e Jean-Charles Naouri, presidente tamanho do grupo, comprometendo suado Casino, se reúnem hoje, em Paris, para liderança no varejo. Além disso, confirmoudefinir os novos rumos do Grupo Pão de que não há nenhuma negociação emAçúcar. Na última sexta-feira, o controle da andamento com a família Klein, fundadoraempresa foi passado ao grupo francês em da Casas Bahia que, segundo rumores,uma assembleia dos acionistas, mas os dois estudava a compra da Viavarejo.não chegaram a conversar. Abilio também deve continuar atuando noNão há, no entanto, indícios de que o negócio Grupo, embora com um peso menor. Emmude radicalmente. Segundo Naouri, o foco de discurso proferido na assembleia da últimasua gestão será a “continuidade da estratégia sexta, o empresário sublinhou que não see do management” da companhia. Ele reiterou tratava de uma despedida. Na reunião detambém sua confiança em Enéas Pestana, hoje com os franceses, espera-se que oatual presidente executivo do Grupo. brasileiro adote um tom conciliador e que,Naouri refutou rumores sobre o fatiamento do daqui pra frente ambos possam conversarGPA, pelo qual Abilio ficaria com o controle sempre de forma pragmática, visando ada Viavarejo, formado a partir da aquisição melhoria dos negócios.de Casas Bahia e Ponto Frio. O executivo (Supermercado Moderno – 25/06/2012)francês disse que não pretende reduzir o
  4. 4. Super & HiperSai Diniz, entra Naouri no comando do GPAA transferência do controle acionário do Grupo Neves, ex-embaixador do País na China e noPão de Açúcar para os franceses do Casino, que Japão, e Roberto de Lima, ex-presidente da Vivo.acontece nesta sexta-feira, 22, conforme acordo Diniz garante três vagas, incluindo a presidência,firmado entre o empresário Abílio Diniz e o grupo e mais quatro membros independentes.de Jean-Charles Naouri em 2005, está cercado Em 2005, o Casino pagou US$ 881 milhões pelode incertezas. A principal delas gira em torno Grupo Pão de Açúcar, que na época tinha umdas animosidades entre ambos os empresários, faturamento de R$ 16,1 bilhões e valia algo cercaacirradas principalmente depois que Diniz de R$ 6 bilhões. Hoje, o maior grupo varejista dotentou comprar, sem o consentimento do sócio Brasil, fundado em 1948 por Valentim dos Santosfrancês, o principal rival do Casino na França, Diniz, pai de Abilio, fatura R$ 52,7 bilhões e seuo Carrefour, no ano passado.Com a mudança, valor de mercado atinge a cifra de R$ 19 bilhões.o Casino ficou com 43% do capital total do Pão (Meio & Mensagem – 22/06/2012)de Açúcar e Abilio Diniz com 20,5%, o maioracionista minoritário. O Casino terá ainda direitoa indicar oito dos 15 membros do conselho.Três deles serão apresentados nesta sexta-feira, 22, como Eleazar de Carvalho Filho, ex-presidente do BNDES, Luiz Augusto de Castro
  5. 5. Super & HiperSupermercados devem decidir se voltam a entregar as sacolas gratuitamenteFicou decidido pelo CSMP (Conselho Superior “As pessoas que se sentirem lesadas devemdo Ministério Público) que o TAC (Termo de procurar os órgãos de defesa do consumidor e oAjustamento de Conduta das Sacolinhas) não próprio Ministério Público”, explica o presidenteserá homologado, sendo assim, a volta da da Plastivida, Miguel Bahiense.distribuição das sacolinhas gratuitamente será (Varejista – 21/06/2012)decidida pelos supermercados.De acordo com a decisão, a TAC não atendiaos interesses dos consumidores, ferindoinclusive, o artigo 4º, inciso III e 51 do Códigode Defesa do Consumidor.FabricantesDe acordo com a Plastivida, os estabelecimentoscomerciais que deixarem de distribuir as sacolasgratuitamente, pelas quais a população já pagae têm o preço embutido nos produtos, corremo risco de serem acionados pelos órgãos dedefesa do consumidor, mediante denúncia.
  6. 6. Super & HiperSupermercados estudam alternativa para sacolinhas plásticasA Associação Paulista de Supermercados (Apas) salutar sob o ponto de vista ambiental, encontrarestuda alternativas para os consumidores que um meio em que o consumidor não fique emesquecerem de levar sacolas reutilizáveis aos situação de desvantagem, quer diante dasupermercados. A proposta será apresentada situação que antes disfrutava, quer diante deao governo estadual, mas não há data prevista seu fornecedor’, diz o voto do relator.para a conclusão. A entidade informa que ‘A não homologação do TAC pelo Conselhoa distribuição das sacolinhas plásticas Superior do Ministério Público não significacontinua vetada pelos associados. a obrigatoriedade da distribuição de sacolasNa noite de terça-feira, o Conselho Superior descartáveis’, informa a Apas em nota. ‘Aodo Ministério Público de São Paulo votou pela contrário do que tem sido divulgado, a iniciativanão homologação do Termo de Ajustamento da não distribuição das sacolas descartáveisde Conduta (TAC) firmado entre Apas e não fere a legislação vigente, nem o CódigoMinistério Público em fevereiro. de Defesa do Consumidor.’‘Cabe à Apas [Associação Paulista de A entidade divulgou nota informandoSupermercados] e demais supermercados que o Ministério do Meio Ambiente apoiafornecedores, encontrar uma forma de, ao retirar oficialmente a iniciativa de colocar um fim àas sacolas plásticas descartáveis do mercado distribuição gratuita das sacolinhas.de consumo, o que sem dúvida alguma seria (Varejista – 22/06/2012)
  7. 7. Super & HiperSupermercados paulistas manterão política de substituir sacolinhasA Associação Paulista de Supermercados Segundo a Apas, os supermercadosemitiu, ontem (21/06), um comunicado com paulistas irão continuar com sua política deesclarecimentos sobre a questão envolvendo substituir as sacolas descartáveis, motivadaa distribuição gratuita de sacolinhas nos por questões ambientais e inclusive porestabelecimentos paulistas. Segundo a programas governamentais de incentivo aoentidade, “A não homologação do TAC consumo sustentável.(termo de Ajustamento de Conduta) pelo A Associação irá apresentar ao Procon, ao MP-Conselho Superior do Ministério Público não SP e ao Governo do Estado uma nova propostasignifica a obrigatoriedade da distribuição que desestimule o uso das sacolinhas e nãode sacolas descartáveis”. seja lesiva ao consumidor. Segundo a FolhaFoi informado também que a iniciativa de de São Paulo, uma das medidas estudadasnão distribuir gratuitamente os recipientes é conceder, por meio de um “vale-sacola”,não desrespeita o Código de Defesa do um reembolso aos clientes que tiverem aConsumidor ou qualquer outra legislação. No necessidade de comprar os recipientes.entanto, o próprio Ministério Público alertou Assim, compensarão os consumidores pelaque os estabelecimentos estarão sujeitos a não distribuição gratuita da sacola.notificações do Procon, caso este órgão seja (Supermercado Moderno – 22/06/2012)acionado por consumidores insatisfeitos.
  8. 8. Super & HiperSupermercados podem reduzir preço de sacolas retornáveisA Apas (Associação Paulista de Supermercados) junto ao Governo do Estado uma redução nodeve apresentar hoje ao Procon algumas ICMS cobrado sobre esse produto.medidas com relação ao banimento das Segundo João Galassi, presidente da Apas,sacolinhas descartáveis dos supermercados. o objetivo é “não onerar o consumidor e darUma das propostas é oferecer ao consumidor o destino correto a essas embalagens, detrês tipos de sacolas reutilizáveis, consideradas acordo com a Política Nacional de Resíduosmenos poluentes. Os preços devem variar de Sólidos”. As medidas ainda não têm data certaR$ 0,07 a R$ 0,25. Atualmente, a opção mais para entrar em vigor, dependendo da logísticabarata de sacola retornável custa R$ 0,59. de cada supermercado.O cliente terá a opção de devolver essas (Supermercado Moderno – 25/06/2012)sacolinhas na próxima ida ao mercado,recebendo um desconto referente ao valorpago por elas. A devolução deverá serfeita em qualquer loja da rede na qual oproduto foi adquirido.Além disso, os supermercados reduzirãoo preço dos sacos de lixo reciclados, paraincentivar seu consumo. Para isso, pleiteiam
  9. 9. MercadoConsumidor poderá pedir reembolso por compra de sacola descartávelA Associação Paulista de Supermercados Estado. No voto, o relator determina que a Apas(Apas) anunciou hoje uma alternativa para e os fornecedores apresentem alternativas,os consumidores que quiserem usar sacolas alegando que o consumidor estava arcandodescartáveis. Para carregar suas compras, com todos os custos.os clientes poderão comprar sacos de papel, O presidente da Apas, João Galassi, estimaembalagens feitas de material biodegradável que essa alternativa seja usada por cerca deou reciclável. O consumidor pode receber 10% dos clientes. Segundo ele, o importanteo valor gasto em desconto nas próximas é estimular a redução do desperdício.compras. Para isso, deverá devolver as sacolas ‘Quando tem o preço da sacolinhas explícito,adquiridas no estabelecimento e apresentar o o consumo cai’, disse. O executivo afirma nãocomprovante da operação ter previsão de quando a medida será adotadaA Apas vai apresentar a proposta ao Ministério e estima que o preço de cada embalagemPúblico de São Paulo e ao Procon-SP na próxima será de R$ 0,07 a R$ 0,25.segunda-feira. No dia 6 deste mês, o Conselho Galassi afirmou que a economia com o fim daSuperior do Ministério Público de São Paulo distribuição gratuita das sacolas descartáveis járecusou o Termo de Ajustamento de Conduta foi repassada aos clientes, por causa da grande(TAC) que determinava o fim da distribuição competição no setor.das sacolinhas plásticas nos supermercado do (Varejista – 25/06/2012)
  10. 10. MercadoApas propõe a substituição de sacolas descartáveis por reembolsáveisA Apas (Associação Paulista de SacolasSupermercados) divulgou, nesta sexta-feira O material utilizado para a confecção(22), as novas propostas da associação para das sacolas poderá ser de três tipos -ampliar a adesão dos consumidores a novos papel, biocompostável ou plástico verdehábitos de consumo. Segundo o presidente - e o valor cobrado ficará a critério dosda associação, João Galassi, o primeiro supermercados, variando entre R$ 0,07 epasso para conscientizar a população para R$ 0,25. A distribuição irá vigorar até 2014,o fim da cultura do descarte é a distribuição quando entra em vigor a Política Nacional dede sacolas reembolsáveis, com objetivo Resíduos Sólidos, momento em que serãode atender o cliente durante as compras utilizados apenas sacolas reutilizáveis. Alémde emergência. Glassi explicou que o das soluções com as empresas a propostareembolso será feito por meio de coletores também prevê a realização de campanhasinstalados nas lojas, que emitirão cupons educacionais com os consumidores e dede acordo com a quantidade de sacolas treinamento permanente dos colaboradoresrecolhidas pelo consumidor, com objetivo da rede.de incentivar a reciclagem. (Cidademarketing – 23/06/2012)
  11. 11. MercadoVarejo brasileiro cresce 5,1% em maioO varejo brasileiro cresceu 5,1% em maio, O varejo de bens duráveis apresentaráem comparação ao mesmo período do ano uma alta de 9,7% este mês, enquantopassado, quando o setor uma expansão de para os meses subsequentes as taxas de2,81%. A projeção é do Índice Antecedente de crescimento devem ficar em 9,2%, para julho,Vendas, do Instituto para Desenvolvimento e 10,7%, para agosto. A contínua expansãodo Varejo (IAV-IDV) e mostra ainda uma da oferta de juros, somada às medidas deestimativa de crescimento de 8,2% em queda das taxa e movimento dos bancosjunho. Em julho e agosto, a expectativa é estatais explica os bons resultados.que o volume de vendas chegue a 9,8% e O setor de bens semiduráveis terá10,8%, respectivamente. desempenho mais comedido. Devido aoO crescimento do mercado varejista sustentou- Dias dos Namorados e, em menor escala,se devido à expansão das redes de lojas e à chegada do outono/inverno, as vendaspela introdução de novos produtos. Em relação devem ter expansão entre 8,2% e 8,9% deaos bens não duráveis, o IAV-IDV aponta uma julho a agosto. Em junho, o crescimento,forte aceleração, com alta de 7,6% em junho. segundo o IAV-IDV, deverá ser de 7,8%.Da mesma forma, para os meses seguintes, (Mundo do Marketing – 2006/2012)observa-se que o setor alcance taxas positivasna casa dos 15% para julho e agosto.
  12. 12. MercadoJovens são os mais impulsivos na hora das comprasUma pesquisa do Target Group Index, Os jovens com idade entre 20 e 34 anos são osrealizada com 20.736 brasileiros, mostrou que mais realizam compras impulsivamenteque as pessoas da classe AB são as que nos supermercados e os que mais sentemmais planejam as compras: 70% declararam prazer em qualquer tipo de compra. Já osque geralmente planejam bem a compra de mais velhos, com idade entre 45 e 64, são osprodutos caros e somente 27% compram mais fieis às marcas que gostam (71%).produtos impulsivamente nos supermercados. (Cidade Marketing – 21/06/2012)
  13. 13. MercadoExpansão dos orgânicos esbarra em preços elevados e logísticaEmbora o mercado para produtos orgânicos para chegar ao ponto de colheita.esteja se expandindo rapidamente no Brasil, Laudemir Müller, secretário nacionalos produtores ainda enfrentam barreiras de Agricultura Familiar do Ministério dopara chegar aos consumidores. A avaliação Desenvolvimento Agrário (MDA) acredita queé de produtores orgânicos reunidos na estratégias de governo possam equilibrar osconferência Green Rio, evento de agricultura preços. O órgão tem uma política de créditoorgânica paralelo à Rio+20. específica para os orgânicos e uma assistênciaAs principais dificuldades enfrentadas são técnica e de extensão rural, segundo Muller.com relação à logística. Produtores reclamam (Supermercado Moderno – 22/06/2012)que, devido ao volume menor de produtosorgânicos transportados, em relação aosconvencionais, os custos se tornam maiores,refletindo no preço final. Isso dificulta tambéma distribuição para varias regiões do BrasilAlém disso, os preços mais elevados sãoinerentes às condições de produção dositens orgânicos, uma vez que, por não utilizaradubação química, eles levam mais tempo
  14. 14. MercadoApple Store fatura quase R$ 1 milhão por empregado nos EUANo ano passado, em seus três melhores meses companhia ganharam mais dinheiro por metrode trabalho, Jordan Golson vendeu cerca de quadrado do que qualquer outro varejistaUS$ 750 mil (R$ 1,5 milhão) em computadores norte-americano e quase o dobro da Tiffany,e aparelhos na loja da Apple em Salem, no a segunda colocada no ranking, segundo aEstado de New Hampshire (EUA). empresa de pesquisa RetailSails.“Ganhava US$ 11,25 (R$ 23) a hora”, diz ele. Em todo o mundo, as lojas da Apple venderam“Parte de mim pensava: `Isso é ótimo. Eu sou US$ 16 bilhões em mercadorias.um fã da Apple e a loja está indo muito bem.’ Mas a maioria dos funcionários aproveitouMas, quando você olha para o volume de pouco dessa prosperidade.dinheiro que a companhia está ganhando e Os consumidores pensam na sede da Applepara o seu contracheque, é duro.” em Cupertino, Califórnia, como o coração eO caso de amor da América com o smartphone alma da empresa. No entanto, a maioria dosajudou a criar dezenas de milhares de empregos trabalhadores da companhia nos EUA não sãoque neste ano vão injetar bilhões na economia. engenheiros ou executivos com altos saláriosNeste mundo, Apple Store é um rei incontestável, e bônus, mas sim trabalhadores que ganhamum fenômeno do varejo reconhecido pelo impecável por hora vendendo iPhones e MacBooks.design, pelo serviço ágil e pela receita espetacular. Leia a notícia na integra no: varejo.espm.brNo ano passado, as 327 lojas globais da (Folha de São Paulo – 25/06/2012)
  15. 15. Shopping CenterShoppings apostam em serviços especiaisA concorrência entre os cerca de 50 shoppings onde esse público e também idososshoppings de São Paulo está gerando não pagam para estacionar no setor VIP.especializações de tratamento, atendimento No Pátio Paulista, cerca de 600 pessoas por mêse serviços para grupos que exigem atenção usam o benefício, que pede cadastro.mais próxima como adolescentes, pessoas De acordo com o gerente de Operações do local,com deficiência, idosos e mães com bebês. Joelmir Oliveira, há treinamento e capacitaçãoAtualmente, há centros de compras que para que funcionários atendam pessoas comtreinam seus funcionários para auxiliar nas diversos tipos de deficiências e de faixas etárias.demandas das pessoas mais velhas, como Os lojistas são orientados a implantar mobiliárioajuda em deslocamentos, com as compras que facilite a locomoção e atendimento de todos.ou em escadas rolantes. MIMOÉ o caso do Frei Caneca, na região central, No Morumbi shopping, um do diferencial é oque recebe grande público de idosos. espaço para mimar as adolescentes.De acordo com o empreendimento, há workshops No Vila Olímpia, na zona sul, há ponto exclusivo,de gastronomia, exposições de arte e espaços com poltronas e iluminação especiais, dedicadode saúde voltados para os mais velhos. a mães que ainda estão amamentando.Alguns centros de compras aprimoraram o (Gouvêa de Souza – 20/06/2012)atendimento a pessoas com deficiência. Há
  16. 16. Marketing MixKraft Foods promove novo sabor de Club Social com painéis 3DEmpresa usa obras do artista Edgar Muller de uma cidade vista de cima, onde uma cordapara divulgar versão Pizza do biscoito. Ação bamba aparece entre dois prédios.é realizada em universidades do Rio de A proposta é que os consumidores universitáriosJaneiro, São Paulo e Paraná. se sintam em locais inusitados comendo oA Kraft Foods promove o novo sabor pizza biscoito, além de terem a oportunidade de seremda marca Club Social em universidades do fotografados nos painéis. A promoção do novoRio de Janeiro, São Paulo e Paraná por meio sabor de Club Social vai até amanhã, dia 22. Quemde painéis em 3D de Edgar Muller. O artista é assina a ação é a Mídia em Foco - Inteligênciafamoso por pintar no chão telas que dão ilusão Indoor, em parceria com a agência B!Ferraz.de profundidade e perspectiva. Para a ação, a (Mundo do Marketing – 21/06/2012)empresa escolheu imagens de um abismo e a
  17. 17. Marketing MixMentos lança pacote especial com drops grátisA Mentos lançou um pacote promocionalcom quatro embalagens das balas, duas naversão Mint e duas da Duo Black Ice, e quetraz grátis um drops no sabor Mintensity,disponível no varejo desde o ano passado.O Mintensity utiliza o mesmo conceitode Mentos Rainbow, que indica na parteexterna onde estão as balas de cada sabor.O consumidor encontra quatro variadasintensidades de menta, demarcadas em umtermômetro que indica a ordem crescente derefrescância classificadas como Mint (suave),Spearmint (refrescante e adocicado), Ice Mint(forte) e o sabor extra forte do Duo Black Ice(Mundo do Marketing – 21/06/2012)
  18. 18. Canal FarmaVendas de medicamentos genéricos crescem 15% em maio, diz estudoAs vendas de medicamentos genéricos tiveram seguro e aprovado pela Anvisa (Agência Nacionalaumento de 14,8% em maio deste ano, frente ao mês de Vigilância Sanitária), com a mesma eficácia doimediatamente anterior, de acordo com dados do IMS medicamento original.Os genéricos conquistaramHealth. A pesquisa também revelou aumento intenso a confiança dos brasileiros e o medicamentofrente ao mesmo período de 2011. Na comparação comercializado pelo nome da substância ativa, semanual as vendas subiram 11,69%, em unidades marca comercial, ganha cada vez mais espaço nasfísicas. Já os medicamentos de forma geral, no quinto prateleiras das farmácias e drogarias do país.mês do ano, registraram crescimento de 12,52% no Os associados da Abradilan (Associação Brasileiravolume de vendas de unidades físicas em relação a dos Distribuidores de Laboratórios Nacionais)abril do mesmo ano, além do crescimento de 14,76% acompanharam esse crescimento e já representamem relação a maio de 2011. 20% no volume de unidades vendidas dePreços acessíveis medicamentos genéricos no Brasil. Em marçoDesde a regulamentação dos genéricos em distribuíram medicamentos em 82% das cidades do1999, os brasileiros encontraram uma alternativa país, estiveram presentes em 77% das 71 mil farmáciaspara cuidarem da saúde por um preço menor. e drogarias e realizou a distribuição em 82% na regiãoA criação do genérico possibilitou a venda dos sudeste, 74% na região Sul, 81% no Nordeste, 84%medicamentos a preços mais acessíveis, dando no Centro-Oeste e 33% no Norte do país.opção aos brasileiros de adquirirem um produto (Cidademarketing – 24/06/2012)
  19. 19. Shopping Center Varejo Fashion 25/06/2012 Móveis e Eletro Economia unidadeConstrução om de stinado à c Este info rmativo é de & , forma or alunos ex SuperarejoHiperda pMarcas, Próprias bre v interesse so Internacional empresas un cionários de essores e f nos, profMercado alu io de Varejo Sustentabilidade Reta il Lab , o laboratór Canal Farma as do Marketingrejo da ESPM. parceir Va Mix e Estudos de do Núcleo d Tecnologia :E-Commerce Coordenação or: Produzido p astore Pro f. Ricardo P rvoli Raphael Spa mo João do Car

×