Exército brasileiro na Amazônia

4.587 visualizações

Publicada em

Publicada em: Turismo, Tecnologia
0 comentários
4 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
4.587
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
183
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
197
Comentários
0
Gostaram
4
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Exército brasileiro na Amazônia

  1. 1. O EXÉRCITO NA AMAZÔNIA
  2. 2. Art. 142. As Forças Armadas, constituídas pela Marinha, pelo Exército e pela Aeronáutica, são instituições nacionais permanentes e regulares, organizadas com base na hierarquia e na disciplina, sob a autoridade suprema do Presidente da República, e destinam-se à defesa da Pátria, à garantia dos poderes constitucionais e, por iniciativa de qualquer destes, da lei e da ordem . DESTINAÇÃO CONSTITUCIONAL Constituição Federal de 1988 § 1º. Lei complementar estabelecerá as normas gerais a serem adotadas na organização, no preparo e no emprego das Forças Armadas.
  3. 3. <ul><li>-Dispõe sobre as normas gerais para a organização, o preparo e o emprego das Forças Armadas. </li></ul><ul><li>- ATRIBUIÇÕES SUBSIDIÁRIAS </li></ul><ul><li>Cabe às Forças Armadas, como atribuição subsidiária geral, cooperar com o desenvolvimento nacional e a defesa civil . </li></ul>LEI COMPLEMENTAR N° 97 9 de junho de 1999
  4. 4. MISSÃO DO EXÉRCITO . DEFENDER A PÁTRIA . PARTICIPAR DE OPERAÇÕES INTER- NACIONAIS . GARANTIR A LEI E A ORDEM . GARANTIR OS PODERES CONSTITU- CIONAIS . COOPERAR COM A DEFESA CIVIL . COOPERAR COM O DESENVOLVI- MENTO NACIONAL
  5. 5. COMANDOS MILITARES DE ÁREA Manaus Rio Branco Porto Velho Boa Vista Macapá Belém CMA São Luís Fortaleza Natal João Pessoa Recife Maceió Aracaju Salvador Terezina CMNE Cuiabá Campo Grande CMO Palmas Goiânia Brasília-DF CMP B. Horizonte Vitória Rio de Janeiro CML São Paulo CMSE Curitiba Florianópolis Porto Alegre CMS
  6. 6. <ul><li>SUBSIDIÁRIA - Cooperar no desenvolvimento dos núcleos populacionais mais carentes, em particular os localizados na faixa de fronteira </li></ul><ul><ul><li>- Colonização. </li></ul></ul><ul><ul><li>- Integração. </li></ul></ul><ul><ul><li>- Educação. </li></ul></ul><ul><ul><li>- Saúde. </li></ul></ul><ul><ul><li>- Outras atividades. </li></ul></ul>Meio Ambiente Índios Orgãos Governamentais MISSÃO DO CMA
  7. 7. OS FORTES 1616 - FORTE DO PRESÉPIO 1669 - SÃO JOSÉ DA BARRA DO RIO NEGRO 1633 - GURUPÁ 1688 - MACAPÁ 1697 - SANTARÉM 1697 - ÓBIDOS 1761 - SÃO GABRIEL DA CACHOEIRA 1761 - SÃO JOSÉ DO MARABITANAS 1775 - SÃO JOAQUIM 1776 - SÃO FRANCISCO XAVIER DE TABATINGA 1785 - PRÍNCIPE DA BEIRA
  8. 8. <ul><li>1637 a 1639 - reconhece o Rio Amazonas até Iquitos. </li></ul>Pedro Teixeira
  9. 9. FORTALEZA DE SÃO JOSÉ DE MACAPÁ
  10. 10. FORTE PRÍNCIPE DA BEIRA
  11. 11. 1ª Bda Inf Sl 8ª RM 8ª DE 16ª Bda Inf Sl 17ª Bda Inf Sl 23ª Bda Inf Sl 2ª Bda Inf Sl ORGANIZAÇÃO DO CMA 12ª RM CMA 2º G E
  12. 12. 1ª Bda Inf Sl 8ª RM 16ª Bda Inf Sl 17ª Bda Inf Sl 23ª Bda Inf Sl 2ª Bda Inf Sl ORGANIZAÇÃO DO CMA 12ª RM CMA 2º G E
  13. 13. 12ª RM 8ª RM/8ª DE
  14. 14. MANAUS BOA VISTA TEFÉ PORTO VELHO BELÉM MARABÁ S. G. CACHOEIRA 1 X 17 X X 23 R M D E 8 12 R M CMA XXXX X 16 2 X X 2
  15. 15. 1ª Bda Inf Sl 8ª RM 8ª DE 16ª Bda Inf Sl 17ª Bda Inf Sl 23ª Bda Inf Sl 2ª Bda Inf Sl ORGANIZAÇÃO DO CMA 3ª Cia F Esp CECMA 12ª RM 1ªCia Com Sl 4º B Av Ex CIGS 4ª Cia Intlg 2º G E 4º CTA C Op CMA
  16. 16. ORGANIZAÇÃO DO CMA 3ª Cia F Esp CECMA 12ª RM 1ªCia Com Sl CIGS 4ª Cia Intlg 4º CTA CMA 4º B Av Ex
  17. 18. 3ª Cia F Esp 12ª RM 1ª Cia Com Sl CIGS 4ª Cia Intlg 4º CTA CMA 4º Btl Av Ex CECMA
  18. 20. MARECHAL THAUMATURGO 1ª BRIGADA DE INFANTARIA DE SELVA CMA R M AUARIS BV-8 NORMANDIA BONFIM SURUCUCU MANAUS BOA VISTA CUCUÍ S. JOAQUIM MATURACÁ YAUARETÊ QUERARI S. G. DA CACHOEIRA IPIRANGA TABATINGA VILA BITTENCOURT ESTIRÃO DO EQUADOR DO SUL TEFÉ HUMAITÁ SANTA ROSA MIRIM GUAJARÁ PRÍNCIPE DA BEIRA PORTO VELHO ITAITUBA SANTARÉM BELÉM MACAPÁ OIAPOQUE R. BRANCO BRASILÉIA MARABÁ IMPERATRIZ CRUZEIRO DO JAVARI PALMEIRAS ALTAMIRA PLÁCIDO DE CASTRO P. CACHOEIRA UIRAMUTÃ TUNUÍ TIRIÓS SÃO SALVADOR CFRR 7 1 X Mec 12 1 LOG 10 1 2 7 Esp Esp 1 7 6 7 Esp 3 7 Esp Esp 4 7 Esp 5 7
  19. 21. MARECHAL THAUMATURGO 2ª BRIGADA DE INFANTARIA DE SELVA Sta. I. RIO NEGRO BARCELOS CMA R M AUARIS BV-8 NORMANDIA BONFIM SURUCUCU MANAUS BOA VISTA CUCUÍ S. JOAQUIM MATURACÁ YAUARETÊ QUERARI S. G. DA CACHOEIRA IPIRANGA TABATINGA VILA BITTENCOURT ESTIRÃO DO EQUADOR DO SUL TEFÉ HUMAITÁ SANTA ROSA ASSIS BRASIL MIRIM GUAJARÁ PRÍNCIPE DA BEIRA PORTO VELHO ITAITUBA SANTARÉM BELÉM MACAPÁ OIAPOQUE R. BRANCO BRASILÉIA MARABÁ IMPERATRIZ CRUZEIRO DO JAVARI PALMEIRAS ALTAMIRA PLÁCIDO DE CASTRO P. CACHOEIRA UIRAMUTÃ TUNUÍ TIRIÓS SÃO SALVADOR X 2 5 CFRN 3 56 3 Esp 1 Esp 4 Esp 2 5 Esp 5 5 5 5 Esp 6 5 Esp 5 7 Esp 5
  20. 22. 16ª BRIGADA DE INFANTARIA DE SELVA CMA R M AUARIS BV-8 NORMANDIA BONFIM SURUCUCU MANAUS BOA VISTA CUCUÍ S. JOAQUIM MATURACÁ YAUARETÊ QUERARI S. G. DA CACHOEIRA IPIRANGA TABATINGA VILA BITTENCOURT ESTIRÃO DO EQUADOR DO SUL TEFÉ HUMAITÁ SANTA ROSA ASSIS BRASIL MIRIM GUAJARÁ PRÍNCIPE DA BEIRA PORTO VELHO ITAITUBA SANTARÉM BELÉM MACAPÁ OIAPOQUE R. BRANCO BRASILÉIA MARABÁ IMPERATRIZ CRUZEIRO PALMEIRAS DO JAVARI ALTAMIRA PLÁCIDO DE CASTRO P. CACHOEIRA UIRAMUTÃ TUNUÍ ERICÓ TIRIÓS SÃO SALVADOR MARECHAL THAUMATURGO Esp 17 16 X CFSOL 8 1 8 4 8 Esp 2 8 Esp 3 8 LOG 16 61 Esp Dst 61 Dst Esp 61
  21. 23. MARECHAL THAUMATURGO Esp 2 4 17ª BRIGADA DE INFANTARIA DE SELVA 1 CMA R M AUARIS BV-8 NORMANDIA BONFIM SURUCUCU MANAUS BOA VISTA CUCUÍ S. JOAQUIM MATURACÁ YAUARETÊ QUERARI S. G. DA CACHOEIRA IPIRANGA TABATINGA VILA BITTENCOURT ESTIRÃO DO EQUADOR DO SUL TEFÉ HUMAITÁ SANTA ROSA ASSIS BRASIL MIRIM GUAJARÁ PRÍNCIPE DA BEIRA PORTO VELHO ITAITUBA SANTARÉM BELÉM MACAPÁ OIAPOQUE R. BRANCO BRASILÉIA MARABÁ IMPERATRIZ CRUZEIRO DO JAVARI PALMEIRAS ALTAMIRA PLÁCIDO DE CASTRO P. CACHOEIRA UIRAMUTÃ TUNUÍ ERICÓ TIRIÓS SÃO SALVADOR CFRO 6 LOG 17 X 17 Esp 3 4 1 Esp 6 Esp 4 Esp 4 4 54 4 CFAC I I
  22. 24. MARECHAL THAUMATURGO 8 ª REGIÃO MILITAR/ 8ª DIVISÃO DE EXÉRCITO CMA R M AUARIS BV-8 NORMANDIA BONFIM SURUCUCU MANAUS BOA VISTA CUCUÍ S. JOAQUIM MATURACÁ YAUARETÊ QUERARI S. G. DA CACHOEIRA IPIRANGA TABATINGA VILA BITTENCOURT ESTIRÃO DO EQUADOR DO SUL TEFÉ HUMAITÁ SANTA ROSA ASSIS BRASIL MIRIM GUAJARÁ PRÍNCIPE DA BEIRA PORTO VELHO ITAITUBA SANTARÉM BELÉM MACAPÁ OIAPOQUE R. BRANCO BRASILÉIA CFRO MARABÁ IMPERATRIZ CRUZEIRO DO JAVARI PALMEIRAS ALTAMIRA PLÁCIDO DE CASTRO P. CACHOEIRA UIRAMUTÃ TUNUÍ ERICÓ TIRIÓS SÃO SALVADOR 2 3 CFAP R M D E 8 Esp Esp 3 23 X 52 51 53 50 23 23 10 23
  23. 25. CMA R M X 2 AUARIS BV-8 NORMANDIA BONFIM SURUCUCU MANAUS BOA VISTA CUCUÍ S. JOAQUIM MATURACÁ YAUARETÊ QUERARI S. G. DA CACHOEIRA IPIRANGA TABATINGA VILA BITTENCOURT ESTIRÃO DO EQUADOR DO SUL TEFÉ HUMAITÁ SANTA ROSA ASSIS BRASIL MIRIM GUAJARÁ PRÍNCIPE DA BEIRA PORTO VELHO ITAITUBA SANTARÉM BELÉM MACAPÁ OIAPOQUE TIRIÓS 17 16 Esp 5 3 X Esp 1 Esp 4 Esp 2 Esp 3 Esp 2 CFSOL 8 Esp 1 4 CFAC R. BRANCO BRASILÉIA 6 CFRO X IMPERATRIZ Cnst Esp CFRR Mec Esp 2 1 1 7 X 6 12 Esp 3 Esp 5 Esp 4 12 R M CMA CRUZEIRO DO JAVARI PALMEIRAS 54 17 1 Esp Esp Esp 3 ALTAMIRA PLÁCIDO DE CASTRO XXXX Esp 7 7 7 7 7 1 LOG 5 5 5 5 5 8 8 8 LOG 16 4 4 4 17 LOG 4 CECMA 4 DL 33 Esp Esp P. CACHOEIRA UIRAMUTÃ TUNUÍ ERICÓ Esp 6 5 7 5 6 7 61 Esp 2 4 SÃO SALVADOR MARECHAL THAUMATURGO Sta. I. RIO NEGRO BARCELOS ORDEM DE BATALHA MARABÁ 1 Cnst 5 1 Cnst 8 Cnst 7 Esp 4 8 12 1 Esp 4 4 Esp Dst 61 Dst Esp 61 5 CFRN 2 Cnst 21 X 2 3 56 2 3 CFAP R M D E 8 Esp Esp 3 23 X 52 51 53 50 23 23 10 23
  24. 26. AUARIS SURUCUCU BV - 8 NORMANDIA UIRAMUTÃ BONFIM S. G. DA CACHOEIRA MATURACÁ QUERARI YAUARETÊ CUCUÍ P. CACHOEIRA TUNUÍ S. JOAQUIM Sta. I. DO RIO NEGRO BARCELOS COMANDO MILITAR DA AMAZÔNIA VILA BITTENCOURT Sto ANTÔNIO DO IÇA TABATINGA PALMEIRAS DO JAVARI ESTIRÃO DO EQUADOR IPIRANGA SÃO SALVADOR MARECHAL THAUMATURGO FOZ DO BREU Sta R. DO PURUS ASSIS BRASIL BRASILÉIA P. DE CASTRO PRÍNCIPE DA BEIRA CLEVELÂNDIA DO NORTE TIRIÓS ITAITUBA MARABÁ IMPERATRIZ ALTAMIRA BOA VISTA TEFÉ RIO BRANCO HUMAITÁ CRUZEIRO DO SUL GUAJARÁ MIRIM PORTO VELHO MACAPÁ SANTARÉM BELÉM MANAUS LÁBREA COLORADO DO OESTE VILHENA BREVES CAMETÁ BRAGANÇA CASTANHAL ABAETETUBA EIRUNEPÉ CARAUARI 2º Gpt E Cmdo CMA TG HOSPITAIS Esp 4 7 Esp 5 7 6 7 Esp 1 7 Esp 2 7 Esp 3 7 Esp CFRR 7 1 X 10 C 1 Log  12 Mec 32 PE 1 1ª Bda Inf Sl 3 Esp 5 5 Esp 5 4 Esp 5 56 7 Esp 5 2 Esp 5 1 Esp 5 6 Esp 5 3 X 2 5 CFRN 2 Log  2ª Bda Inf Sl CFSOL 8 61 3 Esp 8 2 Esp 8 1 Esp 8 4 Esp 8 Dst Esp 61 Dst Esp 61 Dst Esp 61 Dst Esp 17 16 Log  17 C X 16 34 PE 16ª Bda Inf Sl 54 4 6 4 Esp 4 1 Esp 4 2 Esp 4 3 Esp 4 1 Esp 6 17 Log  C 3 54 17 PE X 17 17ª Bda Inf Sl 50 51 53 33 52 X 23 C 23 Log  23 1 23 PE 23ª Bda Inf Sl 2 X C 5 Cnst 2 8 Cnst 2 6 Cnst 2 21 Cnst 2 7 Cnst 2 TG 14 12 TG 4 12 TG 6 12 TG 8 12 TG 1 12 TG 2 12 MANICORÉ TG 4 8 TG 1 8 TG 3 8 TG 2 8 TG 5 8 Gu Tabatinga 12 Porto Velho 12 Gu Gu SGB 12 Gu Marabá Belém 8 Geral Manaus 12 Geral Gu Gu Gu Gu XXXX CMA CIGS C 12 Gd 12 PE 4 3 FE 4 Intlg 1 12 ICFEx 4 DL 4 CTA CMM Esp 3 Dst Esp CFAP3 Nu R M D E 8 XX 2 C 8 CRO 8 ICFEx 41 C T 5 Gd CSM 28 8 8 D Sup 8 Pq R Mnt 8ª RM/DE CSM 31 12 CECMA CSM 29 12 12 RM 12 CRO 12 Pq R Mnt 12 B Sup C 12ª RM 124 OM 58 localidades
  25. 27. CMA AUARIS BV-8 NORMANDIA SURUCUCU MANAUS BOA VISTA CUCUI Í S. JOAQUIM MATURACÁ YAUARETÊ QUERARI S. G. DA CACHOEIRA IPIRANGA TABATINGA VILA BITTENCOURT ESTIRÃO DO EQUADOR DO SUL TEFÉ HUMAITÁ SANTA ROSA ASSIS BRASIL MIRIM GUAJARÁ PRÍNCIPE DA BEIRA PORTO VELHO ITAITUBA SANTARÉM BELÉM MACAPÁ OIAPOQUE TIRIÓS R. BRANCO BRASILÉIA | MARABÁ IMPERATRIZ R M 8 CRUZEIRO DO JAVARI PALMEIRAS ALTAMIRA PLÁCIDO DE CASTRO 4 P. CACHOEIRA UIRAMUTÃ TUNUÍ Cmdo DÉCADA DE 60
  26. 28. 1950 - 1.000H 1986 - 6.000H 2006 - 22.000H 2008 - 25.000H
  27. 32. “ ENGENHARIA! CONSTRUIR, POR VEZES DESTRUIR, MAS SEMPRE SERVIR!” 40 ANOS NA AMZ
  28. 33. ARTICULAÇÃO DO 2º GE Cnst l l 5 2 PORTO VELHO X 2 l 21 2 Cnst l l 6 2 Cnst l l 8 2 Cnst l l 7 2 Cnst RI O BRANCO S. G. CACHOEIRA SANTARÉM BOA VISTA l l 5 2 BRASÍLIA MANAUS
  29. 34. <ul><li>- Colonização. </li></ul><ul><li>- Poços artesianos. </li></ul><ul><li>Quartéis e núcleos habitacionais. </li></ul><ul><li>Marcos de fronteira. </li></ul><ul><li>- Levantamento cartográfico. </li></ul><ul><li>- Torres de transmissão da Embratel. </li></ul><ul><li>- Aeroportos, hospitais e escolas. </li></ul>O PAPEL DA ENGENHARIA NA REGIÃO
  30. 35. ESTRADAS CONSTRUÍDAS PELO 2º GE
  31. 36. DUAS VERTENTES MANUTENÇÃO DA SOBERANIA/INTEGRIDADE TERRITORIAL AMPLIAÇÃO DAS RELAÇÕES COM VIZINHOS AUMENTO DA PRESENÇA NA ÁREA INTENSIFICAÇÃO DE CAMPANHAS DEMARCATÓRIAS EXPANSÃO DA INFRA-ESTRUTURA VIÁRIA COLONIZAÇÃO AMPLIAÇÃO DOS SERVIÇOS BÁSICOS PROMOÇÃO DO DESENVOLVIMENTO REGIONAL
  32. 37. PROGRAMA CALHA NORTE CUCUÍ PACARAIMA CLEVELÂNDIA NORMANDIA BONFIM V. BITTENCOURT IPIRANGA PRÍNCIPE DA BEIRA ESTIRÃO DO EQUADOR P. DO JAVARI ASSIS BRASIL BRASILÉIA P. DE CASTRO FRAÇÕES EXISTENTES ANTES DO PCN YAURETÊ P. CACHOEIRA QUERARI SÃO JOAQUIM SURUCUCU MATURACÁ AUARIS FRAÇÕES CRIADAS APÓS O PCN UIRAMUTÃ TIRIÓS TUNUÍ SÃO SALVADOR M. THAUMATURGO FOZ DO BREU FRAÇÕES MAIS RECENTES E EM IMPLANTAÇÃO Sto. ANTÔNIO DO IÇA Sta R. do PURUS
  33. 38. 2º PEF/8º BIS – IPIRANGA
  34. 39. VIDA, COMBATE E TRABALHO 2º PEF/8º BIS –IPIRANGA - AM (ANTES DO PCN)
  35. 40. VIDA - Atividades ligadas à sobrevivência - Criação de animais - Plantio de hortaliças e frutas - Pesca - Caça*
  36. 41. COMBATE <ul><li>Atividade- fim : </li></ul><ul><li>- Patrulhamento </li></ul><ul><li>Reconhecimento de Fronteiras </li></ul><ul><li>Adestramento </li></ul><ul><li>Planos: </li></ul><ul><li>- Defesa do Aquartelamento </li></ul><ul><li>- Combate a incêndio </li></ul><ul><li>- Evacuação aeromédica </li></ul>
  37. 42. TRABALHO <ul><li>Serviços diversos </li></ul><ul><li>. Carpintaria </li></ul><ul><li>. Manutenção de motores </li></ul><ul><li>. Bombeiro </li></ul><ul><li>. Marceneiro </li></ul><ul><li>. Pedreiro </li></ul><ul><li>. Eletricista </li></ul><ul><li>. Padeiro </li></ul><ul><li>. Barbeiro </li></ul><ul><li>- Saúde </li></ul><ul><li>Educação </li></ul><ul><li>Inclusão Digital </li></ul>
  38. 43. 1º PEF/5º BIS – YAUARETÊ
  39. 44. 1º PEF/5º BIS –YAUARETÊ (DEPOIS DO PCN)
  40. 45. 1º PEF/5º BIS -YAUARETÊ
  41. 46. 1º PEF/5º BIS -YAUARETÊ
  42. 47. 1º PEF/5º BIS -YAUARETÊ
  43. 48. 1º PEF/5º BIS -YAUARETÊ
  44. 49. 2º PEF/5º BIS – QUERARI
  45. 50. 2º PEF/5º BIS – QUERARI (DEPOIS DO PCN)
  46. 51. 2º PEF/5º BIS - QUERARI
  47. 52. 3º PEF/5º BIS – SÃO JOAQUIM
  48. 53. 3º PEF/5º BIS –SÃO JOAQUIM
  49. 54. 4º PEF/7º BIS – SURUCUCU
  50. 55. 4º PEF/7º BIS – SURUCUCU (DEPOIS DO PCN)
  51. 56. 4º PEF/7º BIS – SURUCUCU (DEPOIS DO PCN)
  52. 57. 4º PEF/7º BIS – SURUCUCU
  53. 58. SURUCUCU
  54. 59. 3º PEF/7º BIS – PACARAIMA
  55. 60. BV-8 3º PEF/7º BIS – PACARAIMA (ANTES DO PCN)
  56. 61. CEF/3º BIS – CLEVELÂNDIA DO NORTE CEF/3º BIS – CLEVELÂNDIA DO NORTE
  57. 62. CEF/3º BIS – CLEVELÂNDIA DO NORTE (ANTES DO PCN)
  58. 63. UIRAMUTÃ
  59. 64. Uiramutã
  60. 65. TIRIÓS
  61. 66. Tiriós
  62. 67. CONCLUSÃO
  63. 68. “ A soberania e o respeito de Portugal impõem que neste lugar se erga um forte, e isso é obra e serviço dos homens de El-Rei nosso Senhor e, como tal, por mais duro, por mais difícil e por mais trabalho que isso dê ... é serviço de Portugal. E tem de se cumprir ! “ ( D. Luiz de Albuquerque Mello Pereira e Cáceres, 4º Capitão General da Capitania de Mato Grosso - Junho de 1776 ) T - 01
  64. 69. FORTE PRÍNCIPE DA BEIRA
  65. 70. A SELVA NOS UNE. TUDO PELA AMAZÔNIA! SELVA!!

×