Criança alma do negocio

853 visualizações

Publicada em

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
853
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
4
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Criança alma do negocio

  1. 1. ESENHA DO DOCUMENTÁRIO:³CRIANÇA, A ALMA DO NEGÓCIO´O documentário ³CRIANÇA, A ALMA DO NEGÓCIO´ traz reflexões a cercade como a publicidadeinduz a criança ao consumismo, e mostra que a criança se tornoua alma do negócio no Brasil. Elevando em consideração que é muito mais fácilconvencer uma criança a consumirdeterminados produtos do que a um adulto, aspropagandas estão cada vez mais voltadas paraas crianças, que por sua vez, veem osobjetos de consumo na TV e pedem para que os paiscomprem, e para agradar aosfilhos, ou mesmo para destaforma suprir a falta de tempo paradar atenção aos seusfilhos, que pode ocorrer devido ao trabalho, aos próprios desejosconsumistas destespais de ter um carro melhor, uma casa mais confortável, ou mesmo parapoder oferecer aos filhos tudo o que eles pedem, os pais trabalham muito e compram osprodutos queos filhos pedem para compensar a falta de atenção.E por essa falta de tempo dospais para acompanhar a vida dos filhos, eles ficammuito expostos a influência midiática, eainda que alguns pais conversem sobre aquestão do consumismo com seus filhos, o que se dáuma vez ou outra num final desemana, por exemplo, a mídia está saindo na frente,bombardeando as crianças a todo omomento, incentivando que as crianças peçam aos seuspais aqueles produtos. Aindasegundo o documentário, as crianças pedem um brinquedo,depois pedem outro, logoquerem outro, e o consumismo nunca cessa, porque elas nãoprecisam desses produtos,precisam somente consumir. Fato este que se choca com a situaçãosocioeconômicavivida pela maioria das crianças, implicando numa situação conflitante quandoelas têmesses desejos implantados pelas propagandas e ao mesmo tempo não têmcomoconsumir tais produtos.Outro ponto relevante no documentário é o abandono dasbrincadeiras, ascrianças preferem comprar a brincar. Não conhecem os animais e muito menoso nomedeles, mas os emblemas das marcas famosas de celular reconhecem perfeitamente.Eelas querem e tem celular, algo que outrora somente alguns adultos tinham, o celular possueoutro papel na sociedade atual, um papel diferenciador entre as pessoas, por issoas criançasquerem sempre o que possui mais funções, o mais moderno. E as meninas,cada vez mais cedojá usam maquiagem, salto alto, vão ao salão de beleza, querem seproduzir e fazer as unhas. Enão sabem que estão apenas seguindo os padrõesestabelecidos pela mídia, que oferecembonecas que servem como projeção, elasdesejam ser perfeitas como suas bonecas, algo queem outros tempos não ocorria, com aboneca a menina desempenhava o papel da maternagem. Incitadas pelas propagandas,asmeninas também preferem roupas que valorizem o corpo, algo que não condiz com ainfância,elas não correm mais para não cair com o salto alto, para não despentear oscabelos, e dessaforma a infância vai sendo encurtada.O documentário também faz vários alertas de como ascrianças estão sendousadas pela publicidade para obter lucros, sem que haja a mínimapreocupação com apreservação da infância, da saúde e bem estar delas. Por isso aspropagandas não paramde oferecer produtos com alto teor de açúcares e gorduras, alimentosaltamentecalóricos, prejudiciais à saúde dascrianças e de qualquer pessoa. E tais produtospassama ser mais consumidos pelas crianças, do que os alimentos saudáveis que elasdeveriamconsumir. Alguns dos alimentos saudáveis como frutas e legumes, as crianças
  2. 2. nãosabem o nome ou nunca viram. E dessa forma a publicidade obtém lucros seaproveitandoda inocência das crianças, algo que não acontece em alguns países, masenquanto a legislaçãobrasileira não começar se preocupar com as crianças e com ofuturo delas neste sentido,continuaremos a ver propagandas consideradas prejudicais ascrianças sendo exibidas, e sóretiradas do ar pela justiça quatro semanas depois, quandojá iria mesmo sair.O documentário nos mostra a total inversão de valores que nossas crianças tiveram com o passar dostempos, contando com a "ajuda" das propagandas imperativas destinadas a este público. Estaspropagandas priorizam as crianças por saberem que suas vontades são facilmente realizadas por seuspais. Este mercado consumidor nunca esteve mais preocupado em vender para crianças como antes,propagandas dirigidas ao mundo pueril movimentam milhões, certamente com a certeza de um retornoextremamente viável. Nesse jogo onde vale de tudo, existe até mesmo a manipulação da mente infantil,trazendo para a sociedade pessoas que sem mesmo ter a certeza do que é a adolescência e amaturidade acreditam já estar nessa fase da vida, afetando também o convívio familiar.Já por terem um público que era tão inocente e que agora já está sabendo muito mais que alguns adultos,buscam uma forma de fazer produtos e destinarem às crianças para que busquem este produto, sendoque este estabelece um meio de serem aceitas em seu meio social, serem aceitas por outras criançasjustamente por terem aqueles produtos mostrados na propaganda e por serem possuidores de umadeterminada marca. Em um programa infantil, como desenhos, seriados dirigidos para crianças, filmes,existem em seus intervalos propagandas que vão além de somente mostrar os seus produtos, chegamaté mesmo a agir como uma lavagem cerebral, uma alienação do pensamento em relação ao mundo,tornando crianças, seres consumidores, extremamente consumidores, atuando até mesmo na alteraçãofinanceira dos pais, já que pesquisas realizadas apontam que elas são responsáveis pelo alto consumodentro do lar.Vemos que nos é passado no documentário uma reflexão de como a sociedade de consumo e as mídiasde massa impactam na formação de crianças e adolescentes. E mostra ainda uma realidade difícil deacreditar: crianças que preferem ir ao shopping a brincar, conhecem marcas pelo logotipo, e apesar deterem uma vasta coleção de brinquedos e jogos se encantam mesmo por roupas e adereços.Esta publicidade que vemos no documentário está acabando com tudo aquilo em que a criança realmentetem e precisa viver, as brincadeiras, coisas de fato de criança. Os valores que estão sendo retorcidos sãoos que mais tiram a inocência da criança. Em certo momento do documentário há um relato de umamulher onde fala que uma criança de 8 anos ao comprar uma peça de roupa, queria que esta valoriza-seseu corpo. Ficamos realmente estagnados com este relato que nos foi passado, pois uma criança de 8anos, é apenas uma criança de 8 anos e justo essa publicidade que às afeta está mudando a visão destacriança, fazendo-a parecer uma modelo, querendo valorizar seu corpo.
  3. 3. A legislação brasileira não se preocupa com a alienação infantil em relação as propagandas a elasdirigidas, outros paises como E.U.A, Noruega, França, Bélgica, Holanda, Portugal, Espanha eprincipalmente a Dinamarca que possui uma legislação mais rígida impõe limites não permitindo o uso nomeio dos programas infantis, às vezes nem antes e nem depois. Realizando uma comparação com essespaíses temos a percepção de nações mais desenvolvidas, talvez porque não crie um mercadoconsumidor já na mais tenra idade. É o caso de se pensar nisso em nosso país, pois estas crianças estãoperdendo a fase de serem de fato crianças.Qual o objetivo então deste mercado se o mesmo fará mal a população infantil? O acumulo de capital porparte das empresas envolvidas. Estão preocupados com o que este meio pode fazer? Não, pois o objetivoé o ganho de capital e estão conseguindo. O que não conseguem enxergar é a sociedade consumista queestá sendo criada, e como fará mal para o futuro delas. Está sendo criada uma juventude mais precoce,que muitas vezes não sabem nem o que estão fazendo.Leia mais em: http://www.webartigos.com/artigos/crianca-a-alma-do-negocio/46017/#ixzz29qtwVnwv

×