SlideShare uma empresa Scribd logo

Arte0

R
renatotf
1 de 3
Baixar para ler offline
M O M E N T O                      P E D A G Ó G I C O


  Uma das maiores gerenosidades da arte é permitir várias interpretações,
várias “leituras” e várias formas de ver e sentir a mesma produção artística.
Por isso, quando associada à educação, a arte traz resultados surpreendentes.




                                Afinal,
                    o que é arte?
                                    Hildegard Feist




                                                                                                                  GALERIA DE ARTE NACIONAL, WASHINGTON




                                                                  O sorriso, xilogravura de Paul Gaugin (1899).


             Você já pensou que muitas vezes uma única palavra quer dizer
           várias coisas, tem muitos significados? Tudo depende do contexto,
           ou seja, da situação, e às vezes até do tom em que se fala.
             A palavra “fera”, por exemplo. Se abrir o dicionário, você vai ver que
           fera é um animal selvagem, violento, que vive afastado do homem e
           da civilização (ou preso no zoológico). Tudo isso é verdade, claro.
             Mas de repente você escuta alguém contar um caso: “Pois é, o Antenor
           virou uma fera quando bateram no carro dele”. Isso não quer dizer que
           o tal Antenor se transformou num animal selvagem, violento, e tudo o
           mais. E você logo entende que nessa situação, ou nesse contexto, “fera”
           quer dizer “furioso” ou “muito bravo” – algo assim.


                                                5
Quando Ayrton Senna ganhou a Fórmula 1 (e isso                 É isso que a arte tem em comum com a travessura:
aconteceu três vezes), todo mundo falou que ele era            ela também requer imaginação, envolve ousadia, dá
uma “fera”. Um bicho selvagem? Não! Um ás do vo-               prazer, desperta os mais variados sentimentos.
lante, um grande campeão, um constante vencedor.                 Vamos ver outro exemplo. Você precisa fazer uma
  A essa altura de nossa conversa você deve estar se           pesquisa sobre o doutor Albert Sabin, aquele cientista
perguntando: “Mas eu comprei um livro para entender            que descobriu a vacina contra a poliomielite, também
o que é arte, e essa autora vem me falar dos vários            conhecida como paralisia infantil. E encontra numa
sentidos da palavra ‘fera’? O que é que tem a ver?”.           enciclopédia a seguinte frase: “Sabin foi um dos gran-
  Nada. E muito. Porque o que eu quero aqui é                  des nomes que contribuíram para enobrecer ainda
justamente fazer você pensar nos vários significados            mais a arte da medicina”.
que uma palavra pode ter conforme o contexto,
                                                                                                                   “
                                                           “
para então lhe dizer que sob esse aspecto a palavra
“arte” é campeã.                                                          É isso que arte tem em
  Quer ver?                                                             comum com a travessura:
Uma palavra, muitos sentidos                                                ela também requer
  Quando eu era menina (e isso faz muito, muito tem-                         imaginação (...).
po) e aprontava alguma, minha mãe dizia: “Mas essa
moleca vive fazendo arte”. Que tipo de “arte” eu fa-
zia? Subia em árvore e lá de cima ficava infernizando                  Epa! O que “arte” quer dizer nesse contexto? Mais
a vida do cachorro. Descia ladeira de bicicleta com os             ou menos isto: o conjunto de conhecimentos e téc-
braços abertos e os pés no guidão. Escondia os óculos              nicas que envolvem a prática da medicina (da me-
de meu pai bem na                                                                                     dicina porque esse
hora em que ele                                                                                       é nosso exemplo,
ia ler o jornal…                                                                                      mas na verdade o
Esse tipo de coisa                                                                                    mesmo significado
que você conhece                                                                                      se estende a outros
muito bem.                                                                                            setores da ativida-
  Então eu pergun-                                                                                    de humana).
to: nesse contexto                                                                                      E isso também
qual é o signifi-                                                                                     tem a ver com arte?
                                                                                                      Tem. Porque a arte
cado da palavra
                                                                                                      que estamos ten-
“arte”? Você dis-
                                                                                                      tando definir exige
se “travessura” ou
                                                                                                      conhecimentos e
algo parecido? Pois                                                                                   técnicas. O artista
acertou. Porque a                                                                                     precisa dominar as
arte, aquela arte                                                                                     técnicas de sua arte
que vamos tentar                                                                                      e conhecer o traba-
definir, tem alguma                                                                                    lho de colegas que
                                                                                                 DIC




coisa em comum                                                                                        o precederam ou
                       Os Bisões de Altamira, na Espanha, foram pintados entre os anos
com travessura.        14000 e 9500 a.C., aproximadamente.                                            que são seus con-
  Travessura en-                                                                                      temporâneos.
volve imaginação, criatividade: para aprontar uma                     Mas só esse tipo de conhecimento não basta.
boa mesmo é preciso pensar, dar asas à fantasia,                   O artista precisa também – e principalmente – ter
inventar. Porque não tem graça nenhuma ficar re-                    alguma coisa para dizer. Alguma coisa que é fruto
petindo sempre as mesmas molecagens. Também é                      de suas experiências de vida e de sua observação das
preciso ter coragem, coragem de inventar e de fazer,               experiências dos outros. Em outras palavras: alguma
de quebrar a rotina, de ser diferente, ao menos por                coisa que vem a ser sua visão de mundo, sua maneira
alguns instantes. E o prazer que isso dá é enorme:                 de ver o homem, a natureza, Deus.
antes, quando a gente inventa a travessura; durante,                  Só mais um exemplo dos vários sentidos da palavra
quando a põe em prática; e depois, quando se lem-                  “arte”, e já vamos tentar construir nossa definição.
bra dela. Quantos sentimentos estão em jogo, antes,                   De repente sua avó presenteia você com uma linda
durante e depois: medo, ansiedade, dúvida, alegria,                blusa que ela mesma tricotou. E toda vez que você
remorso, saudade…                                                  usa essa blusa uns e outros a admiram e exclamam:


                                                          6
“
                                         “Nossa, é uma verdadeira obra de arte!”
                                           “Verdadeira” é exagero. Mas sob certos aspectos a                   A arte transmite uma
                                         blusa não deixa de ser uma obra de arte. Por quê?                    experiência de vida ou
                                           Porque é bonita, sem dúvida, e beleza, ou melhor,
                                         o belo, é um dos atributos da arte. Porque tem alguma
                                         coisa de original e de pessoal, alguma coisa que sua
                                         avó criou e que é diferente de qualquer outra: pode
                                         ser o ponto, ou a combinação de cores, ou ainda o
                                         desenho… E mesmo que ela tenha copiado tintim
                                                                                                              uma visão de mundo,
                                                                                                               expressando verdades
                                                                                                             humanas e despertando
                                                                                                            emoções em quem a usufrui.
                                                                                                                                                         “
                                         por tintim de uma revista, sua blusa com certeza não
                                         ficou igual à da foto, porque cada tricoteira tem um
                                         jeito, um estilo próprio de trabalhar.                     artístico. Por isso provoca as mais diversas reações
                                                                                                    emocionais e quase sempre nos leva a refletir sobre o
                                         Uma tentativa de definição                                 homem e o mundo, sobre nós mesmos e os outros.
                                            Depois desses exemplos acho que estamos mais              Claro que essa não é uma definição completa. É só
                                         ou menos preparados para tentar formular nossa             um ponto de partida para você pensar sobre o assunto,
                                         definição.                                                  discuti-lo em classe, levantar questões e formar sua
                                            Poderíamos dizer de modo bem simples que a arte         própria opinião.
                                         é um produto da criatividade humana que, mediante
                                         conhecimentos, técnicas e um estilo todo pessoal,          Texto extraído de FEIST, H. Pequena viagem pelo
                                         transmite uma experiência de vida ou uma visão de          mundo da arte. São Paulo: Moderna, 2003.
                                         mundo, expressando verdades humanas e despertan-




                                                                                                                                                                     MUSEU DO LOUVRE, PARIS
                                         do emoções em quem a usufrui.
                                                                      Quanto mais ampla é a
                                                                    visão de mundo do artista,
                                                                    quanto mais rica é sua ex-
MUSEU DE ARQUEOLOGIA E ETNOLGIA DA USP




                                                                    periência de vida, maiores
                 FOTO: JOSÉ RANGEL




                                                                    são suas possibilidades de
                                                                    expressar verdades humanas
                                                                      universais e emocionar seu
                                                                       público.
                                                                          Mas nem todos que usu-
                                                                        fruem de uma obra de
                                                                         arte captam as mesmas
                                                                          verdades humanas ou
                                                                          experimentam as mes-
                                                                           mas emoções. Um dia
                                                                          você vai ao cinema com
                                                                         um amigo, os dois assis-
                                                                       tem ao mesmo filme, e um
                                                                    sai dizendo “Que chatice!”,                                Sagração de Napoleão e coroação
                                                                                                                         CID




                                                                    enquanto o outro não pára                                  da Imperatriz Josephine na Catedral
                                                                                                                               de Notre-Dame de Paris em 2 de
                                                                    de repetir “Que beleza!”.                                  dezembro de 1804 (detalhe), 1808,
                                                                    Um se entediou, o outro se                                 de Jacques-Louis David.
                                                                    empolgou. Porque cada um
                                                                    entendeu ou interpretou o
                                         Vênus de Willendorf, pedra filme de um jeito.
                                         calcárea, c. 25000 a.C.,     E nisso está um dos ele-
                                         encontrada em 1908, nas
                                         proximidades de Willendorf mentos que constituem a
                                         na Áustria.                grandeza da arte: ela permite
                                                                    várias interpretações, várias                        Foto pertencente a uma série de
                                                                                                                         sete cartões-postais raros, pintados
                                                                    “leituras”, várias formas de                         manualmente por artistas da região
                                                                    ver e sentir o mesmo produto                         de Milão, na Itália (1860).




                                                                                                    7
Anúncio

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Jornal de Negócios de São João del-Rei – Acontece no Pátio Libertas
Jornal de Negócios de São João del-Rei – Acontece no Pátio LibertasJornal de Negócios de São João del-Rei – Acontece no Pátio Libertas
Jornal de Negócios de São João del-Rei – Acontece no Pátio Libertasjornaldenegocios
 
Ebook poemas semana_leitura
Ebook poemas semana_leituraEbook poemas semana_leitura
Ebook poemas semana_leituraMariana Oliveira
 
Letrão abril-maio 2010
Letrão abril-maio 2010Letrão abril-maio 2010
Letrão abril-maio 2010Rafael Ibrahim
 
Prova internet-pssiii-2007
Prova internet-pssiii-2007Prova internet-pssiii-2007
Prova internet-pssiii-2007Lucas Ferreira
 
Lendo imagens como textos para uma práxis efetiva da cartomancia
Lendo imagens como textos  para uma práxis efetiva da cartomanciaLendo imagens como textos  para uma práxis efetiva da cartomancia
Lendo imagens como textos para uma práxis efetiva da cartomanciaEmanuel J Santos
 
The new coreau_arre__materias
The new coreau_arre__materiasThe new coreau_arre__materias
The new coreau_arre__materiasEliton Meneses
 
Desenhando moveis-completo-primeira-parte
Desenhando moveis-completo-primeira-parteDesenhando moveis-completo-primeira-parte
Desenhando moveis-completo-primeira-partePaulo Cardoso
 
12. cidade dos urubus
12. cidade dos urubus12. cidade dos urubus
12. cidade dos urubusJulio Carrara
 
O Bandeirante - n.199 - Junho de 2009
O Bandeirante - n.199 - Junho de 2009O Bandeirante - n.199 - Junho de 2009
O Bandeirante - n.199 - Junho de 2009Marcos Gimenes Salun
 

Mais procurados (13)

Jornal de Negócios de São João del-Rei – Acontece no Pátio Libertas
Jornal de Negócios de São João del-Rei – Acontece no Pátio LibertasJornal de Negócios de São João del-Rei – Acontece no Pátio Libertas
Jornal de Negócios de São João del-Rei – Acontece no Pátio Libertas
 
Arte11
Arte11Arte11
Arte11
 
Ebook poemas semana_leitura
Ebook poemas semana_leituraEbook poemas semana_leitura
Ebook poemas semana_leitura
 
Letrão abril-maio 2010
Letrão abril-maio 2010Letrão abril-maio 2010
Letrão abril-maio 2010
 
Marre Infinito- Revista MIID 4° edição
Marre Infinito- Revista MIID 4° ediçãoMarre Infinito- Revista MIID 4° edição
Marre Infinito- Revista MIID 4° edição
 
Diario de Bordo
Diario de BordoDiario de Bordo
Diario de Bordo
 
Prova internet-pssiii-2007
Prova internet-pssiii-2007Prova internet-pssiii-2007
Prova internet-pssiii-2007
 
Lendo imagens como textos para uma práxis efetiva da cartomancia
Lendo imagens como textos  para uma práxis efetiva da cartomanciaLendo imagens como textos  para uma práxis efetiva da cartomancia
Lendo imagens como textos para uma práxis efetiva da cartomancia
 
The new coreau_arre__materias
The new coreau_arre__materiasThe new coreau_arre__materias
The new coreau_arre__materias
 
Língua Portuguesa!
Língua Portuguesa!Língua Portuguesa!
Língua Portuguesa!
 
Desenhando moveis-completo-primeira-parte
Desenhando moveis-completo-primeira-parteDesenhando moveis-completo-primeira-parte
Desenhando moveis-completo-primeira-parte
 
12. cidade dos urubus
12. cidade dos urubus12. cidade dos urubus
12. cidade dos urubus
 
O Bandeirante - n.199 - Junho de 2009
O Bandeirante - n.199 - Junho de 2009O Bandeirante - n.199 - Junho de 2009
O Bandeirante - n.199 - Junho de 2009
 

Semelhante a Arte0

3351572 artes-apostila-de-arte-tarsila
3351572 artes-apostila-de-arte-tarsila3351572 artes-apostila-de-arte-tarsila
3351572 artes-apostila-de-arte-tarsilaDaniel Comparini
 
3351572 artes-apostila-de-arte-tarsila
3351572 artes-apostila-de-arte-tarsila3351572 artes-apostila-de-arte-tarsila
3351572 artes-apostila-de-arte-tarsilaEduardo Lopes
 
3351572 artes-apostila-de-arte-tarsila
3351572 artes-apostila-de-arte-tarsila3351572 artes-apostila-de-arte-tarsila
3351572 artes-apostila-de-arte-tarsilaDaniel Comparini
 
A LíNgua Do Mundo
A LíNgua Do MundoA LíNgua Do Mundo
A LíNgua Do MundoJoseSimas
 
Pags Pdf Bernard Jeunet
Pags Pdf Bernard JeunetPags Pdf Bernard Jeunet
Pags Pdf Bernard Jeunetmrvpimenta
 
Apresentação_Projeto_Educativo_masc-ceu_html
Apresentação_Projeto_Educativo_masc-ceu_htmlApresentação_Projeto_Educativo_masc-ceu_html
Apresentação_Projeto_Educativo_masc-ceu_htmlVinicius de Nepomuceno
 
BernardJeunet5
BernardJeunet5BernardJeunet5
BernardJeunet5mrvpimenta
 
Raposinho 6ª Edição
Raposinho 6ª EdiçãoRaposinho 6ª Edição
Raposinho 6ª Ediçãorpadrao30
 
Exemplo 5 escrita criativa - No art is an island [processo(s)]
Exemplo 5 escrita criativa - No art is an island [processo(s)]Exemplo 5 escrita criativa - No art is an island [processo(s)]
Exemplo 5 escrita criativa - No art is an island [processo(s)]EDUCATE
 
Você é + Criativo do que pensa!
Você é + Criativo do que pensa!Você é + Criativo do que pensa!
Você é + Criativo do que pensa!Carlos Elson Cunha
 
Mario de Andrade: O Artista e o Artesão
Mario de Andrade: O Artista e o ArtesãoMario de Andrade: O Artista e o Artesão
Mario de Andrade: O Artista e o Artesãogersonastolfi
 
Lit Infant 2a Aula
Lit Infant  2a AulaLit Infant  2a Aula
Lit Infant 2a Aulaguestdef931
 
Aula Arte EducaçãO
Aula Arte EducaçãOAula Arte EducaçãO
Aula Arte EducaçãOJoseSimas
 
1904 alguma coisa sobre o teatro portugues de romualdo figueiredo
1904 alguma coisa sobre o teatro portugues de  romualdo figueiredo1904 alguma coisa sobre o teatro portugues de  romualdo figueiredo
1904 alguma coisa sobre o teatro portugues de romualdo figueiredoLaurinda Ferreira
 
Eu tenho medo de virginia woolf
Eu tenho medo de virginia woolfEu tenho medo de virginia woolf
Eu tenho medo de virginia woolfFabricio Rocha
 
Dogma 2005 [explicado às crianças]
Dogma 2005 [explicado às crianças]Dogma 2005 [explicado às crianças]
Dogma 2005 [explicado às crianças]Rogério Nuno Costa
 
Estudo das habilidades do proalfa
Estudo das habilidades do proalfaEstudo das habilidades do proalfa
Estudo das habilidades do proalfapipatcleopoldina
 

Semelhante a Arte0 (20)

3351572 artes-apostila-de-arte-tarsila
3351572 artes-apostila-de-arte-tarsila3351572 artes-apostila-de-arte-tarsila
3351572 artes-apostila-de-arte-tarsila
 
3351572 artes-apostila-de-arte-tarsila
3351572 artes-apostila-de-arte-tarsila3351572 artes-apostila-de-arte-tarsila
3351572 artes-apostila-de-arte-tarsila
 
3351572 artes-apostila-de-arte-tarsila
3351572 artes-apostila-de-arte-tarsila3351572 artes-apostila-de-arte-tarsila
3351572 artes-apostila-de-arte-tarsila
 
A LíNgua Do Mundo
A LíNgua Do MundoA LíNgua Do Mundo
A LíNgua Do Mundo
 
Pags Pdf Bernard Jeunet
Pags Pdf Bernard JeunetPags Pdf Bernard Jeunet
Pags Pdf Bernard Jeunet
 
Apresentação_Projeto_Educativo_masc-ceu_html
Apresentação_Projeto_Educativo_masc-ceu_htmlApresentação_Projeto_Educativo_masc-ceu_html
Apresentação_Projeto_Educativo_masc-ceu_html
 
BernardJeunet5
BernardJeunet5BernardJeunet5
BernardJeunet5
 
Raposinho 6ª Edição
Raposinho 6ª EdiçãoRaposinho 6ª Edição
Raposinho 6ª Edição
 
Exemplo 5 escrita criativa - No art is an island [processo(s)]
Exemplo 5 escrita criativa - No art is an island [processo(s)]Exemplo 5 escrita criativa - No art is an island [processo(s)]
Exemplo 5 escrita criativa - No art is an island [processo(s)]
 
Acre 012 Ouro Preto - MG
Acre 012 Ouro Preto - MGAcre 012 Ouro Preto - MG
Acre 012 Ouro Preto - MG
 
Entendendo a Arte. Prof. Garcia Junior
Entendendo a Arte. Prof. Garcia JuniorEntendendo a Arte. Prof. Garcia Junior
Entendendo a Arte. Prof. Garcia Junior
 
Você é + Criativo do que pensa!
Você é + Criativo do que pensa!Você é + Criativo do que pensa!
Você é + Criativo do que pensa!
 
Mario de Andrade: O Artista e o Artesão
Mario de Andrade: O Artista e o ArtesãoMario de Andrade: O Artista e o Artesão
Mario de Andrade: O Artista e o Artesão
 
Lit Infant 2a Aula
Lit Infant  2a AulaLit Infant  2a Aula
Lit Infant 2a Aula
 
Semanário |15 a 21 de Outubro de 2012
Semanário |15 a 21 de Outubro de 2012Semanário |15 a 21 de Outubro de 2012
Semanário |15 a 21 de Outubro de 2012
 
Aula Arte EducaçãO
Aula Arte EducaçãOAula Arte EducaçãO
Aula Arte EducaçãO
 
1904 alguma coisa sobre o teatro portugues de romualdo figueiredo
1904 alguma coisa sobre o teatro portugues de  romualdo figueiredo1904 alguma coisa sobre o teatro portugues de  romualdo figueiredo
1904 alguma coisa sobre o teatro portugues de romualdo figueiredo
 
Eu tenho medo de virginia woolf
Eu tenho medo de virginia woolfEu tenho medo de virginia woolf
Eu tenho medo de virginia woolf
 
Dogma 2005 [explicado às crianças]
Dogma 2005 [explicado às crianças]Dogma 2005 [explicado às crianças]
Dogma 2005 [explicado às crianças]
 
Estudo das habilidades do proalfa
Estudo das habilidades do proalfaEstudo das habilidades do proalfa
Estudo das habilidades do proalfa
 

Mais de renatotf

English Frashly Juiced - promotion 1
English Frashly Juiced - promotion 1English Frashly Juiced - promotion 1
English Frashly Juiced - promotion 1renatotf
 
Taormina Sicilia
Taormina SiciliaTaormina Sicilia
Taormina Siciliarenatotf
 
Texto43-Pipn-P7
Texto43-Pipn-P7Texto43-Pipn-P7
Texto43-Pipn-P7renatotf
 
Texto37b P7
Texto37b P7Texto37b P7
Texto37b P7renatotf
 
Texto37 P7
Texto37 P7Texto37 P7
Texto37 P7renatotf
 
Texto37a P7
Texto37a P7Texto37a P7
Texto37a P7renatotf
 
Texto37c P7
Texto37c P7Texto37c P7
Texto37c P7renatotf
 
Texto4a P7
Texto4a P7Texto4a P7
Texto4a P7renatotf
 
Texto31 P7
Texto31  P7Texto31  P7
Texto31 P7renatotf
 
Texto41-Pipn-P7
Texto41-Pipn-P7Texto41-Pipn-P7
Texto41-Pipn-P7renatotf
 
Texto42-Pipn-P7
Texto42-Pipn-P7Texto42-Pipn-P7
Texto42-Pipn-P7renatotf
 
Texto39-Pipn-P7
Texto39-Pipn-P7Texto39-Pipn-P7
Texto39-Pipn-P7renatotf
 
Texto38 P7
Texto38 P7Texto38 P7
Texto38 P7renatotf
 
Texto24 P7
Texto24 P7Texto24 P7
Texto24 P7renatotf
 
Texto20 P7
Texto20 P7Texto20 P7
Texto20 P7renatotf
 
Texto35 P7
Texto35 P7Texto35 P7
Texto35 P7renatotf
 
Texto33 P7
Texto33 P7Texto33 P7
Texto33 P7renatotf
 

Mais de renatotf (20)

Grup4a 1
Grup4a 1Grup4a 1
Grup4a 1
 
English Frashly Juiced - promotion 1
English Frashly Juiced - promotion 1English Frashly Juiced - promotion 1
English Frashly Juiced - promotion 1
 
Home1
Home1Home1
Home1
 
Taormina Sicilia
Taormina SiciliaTaormina Sicilia
Taormina Sicilia
 
Texto4 P7
Texto4 P7Texto4 P7
Texto4 P7
 
Texto43-Pipn-P7
Texto43-Pipn-P7Texto43-Pipn-P7
Texto43-Pipn-P7
 
Texto37b P7
Texto37b P7Texto37b P7
Texto37b P7
 
Texto37 P7
Texto37 P7Texto37 P7
Texto37 P7
 
Texto37a P7
Texto37a P7Texto37a P7
Texto37a P7
 
Texto37c P7
Texto37c P7Texto37c P7
Texto37c P7
 
Texto4a P7
Texto4a P7Texto4a P7
Texto4a P7
 
Texto31 P7
Texto31  P7Texto31  P7
Texto31 P7
 
Texto41-Pipn-P7
Texto41-Pipn-P7Texto41-Pipn-P7
Texto41-Pipn-P7
 
Texto42-Pipn-P7
Texto42-Pipn-P7Texto42-Pipn-P7
Texto42-Pipn-P7
 
Texto39-Pipn-P7
Texto39-Pipn-P7Texto39-Pipn-P7
Texto39-Pipn-P7
 
Texto38 P7
Texto38 P7Texto38 P7
Texto38 P7
 
Texto24 P7
Texto24 P7Texto24 P7
Texto24 P7
 
Texto20 P7
Texto20 P7Texto20 P7
Texto20 P7
 
Texto35 P7
Texto35 P7Texto35 P7
Texto35 P7
 
Texto33 P7
Texto33 P7Texto33 P7
Texto33 P7
 

Último

MAPA - ADSIS - FUNDAMENTOS E ARQUITETURA DE COMPUTADORES - 512024.docx
MAPA - ADSIS - FUNDAMENTOS E ARQUITETURA DE COMPUTADORES - 512024.docxMAPA - ADSIS - FUNDAMENTOS E ARQUITETURA DE COMPUTADORES - 512024.docx
MAPA - ADSIS - FUNDAMENTOS E ARQUITETURA DE COMPUTADORES - 512024.docxjosecarlos413721
 
ATIVIDADE 1 - CCONT - ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA E ORÇAMENTÁRIA - 512024.docx
ATIVIDADE 1 - CCONT - ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA E ORÇAMENTÁRIA - 512024.docxATIVIDADE 1 - CCONT - ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA E ORÇAMENTÁRIA - 512024.docx
ATIVIDADE 1 - CCONT - ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA E ORÇAMENTÁRIA - 512024.docx2m Assessoria
 
MAPA - INTRODUÇÃO À ENGENHARIA - 51-2024.docx
MAPA - INTRODUÇÃO À ENGENHARIA - 51-2024.docxMAPA - INTRODUÇÃO À ENGENHARIA - 51-2024.docx
MAPA - INTRODUÇÃO À ENGENHARIA - 51-2024.docxjosecarlos413721
 
ATIVIDADE 1 - GFIN - FLUXO DE CAIXA E ADMINISTRAÇÃO DE CAPITAL DE GIRO - 5120...
ATIVIDADE 1 - GFIN - FLUXO DE CAIXA E ADMINISTRAÇÃO DE CAPITAL DE GIRO - 5120...ATIVIDADE 1 - GFIN - FLUXO DE CAIXA E ADMINISTRAÇÃO DE CAPITAL DE GIRO - 5120...
ATIVIDADE 1 - GFIN - FLUXO DE CAIXA E ADMINISTRAÇÃO DE CAPITAL DE GIRO - 5120...2m Assessoria
 
Apresentação bichinhos da TI: o que é esse arquiteto de software
Apresentação bichinhos da TI: o que é esse arquiteto de softwareApresentação bichinhos da TI: o que é esse arquiteto de software
Apresentação bichinhos da TI: o que é esse arquiteto de softwareAleatório .
 
ATIVIDADE 1 - CCONT - ESTRUTURAS DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS - 512024.docx
ATIVIDADE 1 - CCONT - ESTRUTURAS DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS - 512024.docxATIVIDADE 1 - CCONT - ESTRUTURAS DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS - 512024.docx
ATIVIDADE 1 - CCONT - ESTRUTURAS DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS - 512024.docx2m Assessoria
 
ATIVIDADE 1 - CCONT - PERÍCIA, ARBITRAGEM E ATUÁRIA - 512024.docx
ATIVIDADE 1 - CCONT - PERÍCIA, ARBITRAGEM E ATUÁRIA - 512024.docxATIVIDADE 1 - CCONT - PERÍCIA, ARBITRAGEM E ATUÁRIA - 512024.docx
ATIVIDADE 1 - CCONT - PERÍCIA, ARBITRAGEM E ATUÁRIA - 512024.docx2m Assessoria
 
Uniagil - LACP - Lean Agile Coach Professional 2024.pdf
Uniagil - LACP - Lean Agile Coach Professional 2024.pdfUniagil - LACP - Lean Agile Coach Professional 2024.pdf
Uniagil - LACP - Lean Agile Coach Professional 2024.pdfPatriciaAraujo658854
 
ATIVIDADE 1 - ADSIS - FUNDAMENTOS E ARQUITETURA DE COMPUTADORES - 512024.docx
ATIVIDADE 1 - ADSIS - FUNDAMENTOS E ARQUITETURA DE COMPUTADORES  - 512024.docxATIVIDADE 1 - ADSIS - FUNDAMENTOS E ARQUITETURA DE COMPUTADORES  - 512024.docx
ATIVIDADE 1 - ADSIS - FUNDAMENTOS E ARQUITETURA DE COMPUTADORES - 512024.docx2m Assessoria
 
ATIVIDADE 1- TEORIAS DA ADMINISTRAÇÃO - 512024.docx
ATIVIDADE 1- TEORIAS DA ADMINISTRAÇÃO - 512024.docxATIVIDADE 1- TEORIAS DA ADMINISTRAÇÃO - 512024.docx
ATIVIDADE 1- TEORIAS DA ADMINISTRAÇÃO - 512024.docx2m Assessoria
 
MAPA - DESENHO TÉCNICO - 51-2024.docx
MAPA   -   DESENHO TÉCNICO - 51-2024.docxMAPA   -   DESENHO TÉCNICO - 51-2024.docx
MAPA - DESENHO TÉCNICO - 51-2024.docx2m Assessoria
 
MAPA -INTRODUÇÃO À ENGENHARIA - 512024.docx
MAPA -INTRODUÇÃO À ENGENHARIA  - 512024.docxMAPA -INTRODUÇÃO À ENGENHARIA  - 512024.docx
MAPA -INTRODUÇÃO À ENGENHARIA - 512024.docx2m Assessoria
 
MAPA - ADSIS - FUNDAMENTOS E ARQUITETURA DE COMPUTADORES - 512024.docx
MAPA - ADSIS - FUNDAMENTOS E ARQUITETURA DE COMPUTADORES  - 512024.docxMAPA - ADSIS - FUNDAMENTOS E ARQUITETURA DE COMPUTADORES  - 512024.docx
MAPA - ADSIS - FUNDAMENTOS E ARQUITETURA DE COMPUTADORES - 512024.docx2m Assessoria
 
MAPA - ESTATÍSTICA E PROBABILIDADE - 512024.docx
MAPA - ESTATÍSTICA E PROBABILIDADE - 512024.docxMAPA - ESTATÍSTICA E PROBABILIDADE - 512024.docx
MAPA - ESTATÍSTICA E PROBABILIDADE - 512024.docx2m Assessoria
 
ATIVIDADE 1 - ADSIS - FUNDAMENTOS E ARQUITETURA DE COMPUTADORES - 512024.docx
ATIVIDADE 1 - ADSIS - FUNDAMENTOS E ARQUITETURA DE COMPUTADORES - 512024.docxATIVIDADE 1 - ADSIS - FUNDAMENTOS E ARQUITETURA DE COMPUTADORES - 512024.docx
ATIVIDADE 1 - ADSIS - FUNDAMENTOS E ARQUITETURA DE COMPUTADORES - 512024.docxjosecarlos413721
 
Aula 01 - Desenvolvimento web - A internet.pptx
Aula 01 - Desenvolvimento web - A internet.pptxAula 01 - Desenvolvimento web - A internet.pptx
Aula 01 - Desenvolvimento web - A internet.pptxHugoHoch2
 
ATIVIDADE 1 - RH - TEORIAS DA ADMINISTRAÇÃO - 51-2024.docx
ATIVIDADE 1 - RH - TEORIAS DA ADMINISTRAÇÃO - 51-2024.docxATIVIDADE 1 - RH - TEORIAS DA ADMINISTRAÇÃO - 51-2024.docx
ATIVIDADE 1 - RH - TEORIAS DA ADMINISTRAÇÃO - 51-2024.docxjosecarlos413721
 

Último (17)

MAPA - ADSIS - FUNDAMENTOS E ARQUITETURA DE COMPUTADORES - 512024.docx
MAPA - ADSIS - FUNDAMENTOS E ARQUITETURA DE COMPUTADORES - 512024.docxMAPA - ADSIS - FUNDAMENTOS E ARQUITETURA DE COMPUTADORES - 512024.docx
MAPA - ADSIS - FUNDAMENTOS E ARQUITETURA DE COMPUTADORES - 512024.docx
 
ATIVIDADE 1 - CCONT - ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA E ORÇAMENTÁRIA - 512024.docx
ATIVIDADE 1 - CCONT - ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA E ORÇAMENTÁRIA - 512024.docxATIVIDADE 1 - CCONT - ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA E ORÇAMENTÁRIA - 512024.docx
ATIVIDADE 1 - CCONT - ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA E ORÇAMENTÁRIA - 512024.docx
 
MAPA - INTRODUÇÃO À ENGENHARIA - 51-2024.docx
MAPA - INTRODUÇÃO À ENGENHARIA - 51-2024.docxMAPA - INTRODUÇÃO À ENGENHARIA - 51-2024.docx
MAPA - INTRODUÇÃO À ENGENHARIA - 51-2024.docx
 
ATIVIDADE 1 - GFIN - FLUXO DE CAIXA E ADMINISTRAÇÃO DE CAPITAL DE GIRO - 5120...
ATIVIDADE 1 - GFIN - FLUXO DE CAIXA E ADMINISTRAÇÃO DE CAPITAL DE GIRO - 5120...ATIVIDADE 1 - GFIN - FLUXO DE CAIXA E ADMINISTRAÇÃO DE CAPITAL DE GIRO - 5120...
ATIVIDADE 1 - GFIN - FLUXO DE CAIXA E ADMINISTRAÇÃO DE CAPITAL DE GIRO - 5120...
 
Apresentação bichinhos da TI: o que é esse arquiteto de software
Apresentação bichinhos da TI: o que é esse arquiteto de softwareApresentação bichinhos da TI: o que é esse arquiteto de software
Apresentação bichinhos da TI: o que é esse arquiteto de software
 
ATIVIDADE 1 - CCONT - ESTRUTURAS DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS - 512024.docx
ATIVIDADE 1 - CCONT - ESTRUTURAS DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS - 512024.docxATIVIDADE 1 - CCONT - ESTRUTURAS DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS - 512024.docx
ATIVIDADE 1 - CCONT - ESTRUTURAS DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS - 512024.docx
 
ATIVIDADE 1 - CCONT - PERÍCIA, ARBITRAGEM E ATUÁRIA - 512024.docx
ATIVIDADE 1 - CCONT - PERÍCIA, ARBITRAGEM E ATUÁRIA - 512024.docxATIVIDADE 1 - CCONT - PERÍCIA, ARBITRAGEM E ATUÁRIA - 512024.docx
ATIVIDADE 1 - CCONT - PERÍCIA, ARBITRAGEM E ATUÁRIA - 512024.docx
 
Uniagil - LACP - Lean Agile Coach Professional 2024.pdf
Uniagil - LACP - Lean Agile Coach Professional 2024.pdfUniagil - LACP - Lean Agile Coach Professional 2024.pdf
Uniagil - LACP - Lean Agile Coach Professional 2024.pdf
 
ATIVIDADE 1 - ADSIS - FUNDAMENTOS E ARQUITETURA DE COMPUTADORES - 512024.docx
ATIVIDADE 1 - ADSIS - FUNDAMENTOS E ARQUITETURA DE COMPUTADORES  - 512024.docxATIVIDADE 1 - ADSIS - FUNDAMENTOS E ARQUITETURA DE COMPUTADORES  - 512024.docx
ATIVIDADE 1 - ADSIS - FUNDAMENTOS E ARQUITETURA DE COMPUTADORES - 512024.docx
 
ATIVIDADE 1- TEORIAS DA ADMINISTRAÇÃO - 512024.docx
ATIVIDADE 1- TEORIAS DA ADMINISTRAÇÃO - 512024.docxATIVIDADE 1- TEORIAS DA ADMINISTRAÇÃO - 512024.docx
ATIVIDADE 1- TEORIAS DA ADMINISTRAÇÃO - 512024.docx
 
MAPA - DESENHO TÉCNICO - 51-2024.docx
MAPA   -   DESENHO TÉCNICO - 51-2024.docxMAPA   -   DESENHO TÉCNICO - 51-2024.docx
MAPA - DESENHO TÉCNICO - 51-2024.docx
 
MAPA -INTRODUÇÃO À ENGENHARIA - 512024.docx
MAPA -INTRODUÇÃO À ENGENHARIA  - 512024.docxMAPA -INTRODUÇÃO À ENGENHARIA  - 512024.docx
MAPA -INTRODUÇÃO À ENGENHARIA - 512024.docx
 
MAPA - ADSIS - FUNDAMENTOS E ARQUITETURA DE COMPUTADORES - 512024.docx
MAPA - ADSIS - FUNDAMENTOS E ARQUITETURA DE COMPUTADORES  - 512024.docxMAPA - ADSIS - FUNDAMENTOS E ARQUITETURA DE COMPUTADORES  - 512024.docx
MAPA - ADSIS - FUNDAMENTOS E ARQUITETURA DE COMPUTADORES - 512024.docx
 
MAPA - ESTATÍSTICA E PROBABILIDADE - 512024.docx
MAPA - ESTATÍSTICA E PROBABILIDADE - 512024.docxMAPA - ESTATÍSTICA E PROBABILIDADE - 512024.docx
MAPA - ESTATÍSTICA E PROBABILIDADE - 512024.docx
 
ATIVIDADE 1 - ADSIS - FUNDAMENTOS E ARQUITETURA DE COMPUTADORES - 512024.docx
ATIVIDADE 1 - ADSIS - FUNDAMENTOS E ARQUITETURA DE COMPUTADORES - 512024.docxATIVIDADE 1 - ADSIS - FUNDAMENTOS E ARQUITETURA DE COMPUTADORES - 512024.docx
ATIVIDADE 1 - ADSIS - FUNDAMENTOS E ARQUITETURA DE COMPUTADORES - 512024.docx
 
Aula 01 - Desenvolvimento web - A internet.pptx
Aula 01 - Desenvolvimento web - A internet.pptxAula 01 - Desenvolvimento web - A internet.pptx
Aula 01 - Desenvolvimento web - A internet.pptx
 
ATIVIDADE 1 - RH - TEORIAS DA ADMINISTRAÇÃO - 51-2024.docx
ATIVIDADE 1 - RH - TEORIAS DA ADMINISTRAÇÃO - 51-2024.docxATIVIDADE 1 - RH - TEORIAS DA ADMINISTRAÇÃO - 51-2024.docx
ATIVIDADE 1 - RH - TEORIAS DA ADMINISTRAÇÃO - 51-2024.docx
 

Arte0

  • 1. M O M E N T O P E D A G Ó G I C O Uma das maiores gerenosidades da arte é permitir várias interpretações, várias “leituras” e várias formas de ver e sentir a mesma produção artística. Por isso, quando associada à educação, a arte traz resultados surpreendentes. Afinal, o que é arte? Hildegard Feist GALERIA DE ARTE NACIONAL, WASHINGTON O sorriso, xilogravura de Paul Gaugin (1899). Você já pensou que muitas vezes uma única palavra quer dizer várias coisas, tem muitos significados? Tudo depende do contexto, ou seja, da situação, e às vezes até do tom em que se fala. A palavra “fera”, por exemplo. Se abrir o dicionário, você vai ver que fera é um animal selvagem, violento, que vive afastado do homem e da civilização (ou preso no zoológico). Tudo isso é verdade, claro. Mas de repente você escuta alguém contar um caso: “Pois é, o Antenor virou uma fera quando bateram no carro dele”. Isso não quer dizer que o tal Antenor se transformou num animal selvagem, violento, e tudo o mais. E você logo entende que nessa situação, ou nesse contexto, “fera” quer dizer “furioso” ou “muito bravo” – algo assim. 5
  • 2. Quando Ayrton Senna ganhou a Fórmula 1 (e isso É isso que a arte tem em comum com a travessura: aconteceu três vezes), todo mundo falou que ele era ela também requer imaginação, envolve ousadia, dá uma “fera”. Um bicho selvagem? Não! Um ás do vo- prazer, desperta os mais variados sentimentos. lante, um grande campeão, um constante vencedor. Vamos ver outro exemplo. Você precisa fazer uma A essa altura de nossa conversa você deve estar se pesquisa sobre o doutor Albert Sabin, aquele cientista perguntando: “Mas eu comprei um livro para entender que descobriu a vacina contra a poliomielite, também o que é arte, e essa autora vem me falar dos vários conhecida como paralisia infantil. E encontra numa sentidos da palavra ‘fera’? O que é que tem a ver?”. enciclopédia a seguinte frase: “Sabin foi um dos gran- Nada. E muito. Porque o que eu quero aqui é des nomes que contribuíram para enobrecer ainda justamente fazer você pensar nos vários significados mais a arte da medicina”. que uma palavra pode ter conforme o contexto, “ “ para então lhe dizer que sob esse aspecto a palavra “arte” é campeã. É isso que arte tem em Quer ver? comum com a travessura: Uma palavra, muitos sentidos ela também requer Quando eu era menina (e isso faz muito, muito tem- imaginação (...). po) e aprontava alguma, minha mãe dizia: “Mas essa moleca vive fazendo arte”. Que tipo de “arte” eu fa- zia? Subia em árvore e lá de cima ficava infernizando Epa! O que “arte” quer dizer nesse contexto? Mais a vida do cachorro. Descia ladeira de bicicleta com os ou menos isto: o conjunto de conhecimentos e téc- braços abertos e os pés no guidão. Escondia os óculos nicas que envolvem a prática da medicina (da me- de meu pai bem na dicina porque esse hora em que ele é nosso exemplo, ia ler o jornal… mas na verdade o Esse tipo de coisa mesmo significado que você conhece se estende a outros muito bem. setores da ativida- Então eu pergun- de humana). to: nesse contexto E isso também qual é o signifi- tem a ver com arte? Tem. Porque a arte cado da palavra que estamos ten- “arte”? Você dis- tando definir exige se “travessura” ou conhecimentos e algo parecido? Pois técnicas. O artista acertou. Porque a precisa dominar as arte, aquela arte técnicas de sua arte que vamos tentar e conhecer o traba- definir, tem alguma lho de colegas que DIC coisa em comum o precederam ou Os Bisões de Altamira, na Espanha, foram pintados entre os anos com travessura. 14000 e 9500 a.C., aproximadamente. que são seus con- Travessura en- temporâneos. volve imaginação, criatividade: para aprontar uma Mas só esse tipo de conhecimento não basta. boa mesmo é preciso pensar, dar asas à fantasia, O artista precisa também – e principalmente – ter inventar. Porque não tem graça nenhuma ficar re- alguma coisa para dizer. Alguma coisa que é fruto petindo sempre as mesmas molecagens. Também é de suas experiências de vida e de sua observação das preciso ter coragem, coragem de inventar e de fazer, experiências dos outros. Em outras palavras: alguma de quebrar a rotina, de ser diferente, ao menos por coisa que vem a ser sua visão de mundo, sua maneira alguns instantes. E o prazer que isso dá é enorme: de ver o homem, a natureza, Deus. antes, quando a gente inventa a travessura; durante, Só mais um exemplo dos vários sentidos da palavra quando a põe em prática; e depois, quando se lem- “arte”, e já vamos tentar construir nossa definição. bra dela. Quantos sentimentos estão em jogo, antes, De repente sua avó presenteia você com uma linda durante e depois: medo, ansiedade, dúvida, alegria, blusa que ela mesma tricotou. E toda vez que você remorso, saudade… usa essa blusa uns e outros a admiram e exclamam: 6
  • 3. “Nossa, é uma verdadeira obra de arte!” “Verdadeira” é exagero. Mas sob certos aspectos a A arte transmite uma blusa não deixa de ser uma obra de arte. Por quê? experiência de vida ou Porque é bonita, sem dúvida, e beleza, ou melhor, o belo, é um dos atributos da arte. Porque tem alguma coisa de original e de pessoal, alguma coisa que sua avó criou e que é diferente de qualquer outra: pode ser o ponto, ou a combinação de cores, ou ainda o desenho… E mesmo que ela tenha copiado tintim uma visão de mundo, expressando verdades humanas e despertando emoções em quem a usufrui. “ por tintim de uma revista, sua blusa com certeza não ficou igual à da foto, porque cada tricoteira tem um jeito, um estilo próprio de trabalhar. artístico. Por isso provoca as mais diversas reações emocionais e quase sempre nos leva a refletir sobre o Uma tentativa de definição homem e o mundo, sobre nós mesmos e os outros. Depois desses exemplos acho que estamos mais Claro que essa não é uma definição completa. É só ou menos preparados para tentar formular nossa um ponto de partida para você pensar sobre o assunto, definição. discuti-lo em classe, levantar questões e formar sua Poderíamos dizer de modo bem simples que a arte própria opinião. é um produto da criatividade humana que, mediante conhecimentos, técnicas e um estilo todo pessoal, Texto extraído de FEIST, H. Pequena viagem pelo transmite uma experiência de vida ou uma visão de mundo da arte. São Paulo: Moderna, 2003. mundo, expressando verdades humanas e despertan- MUSEU DO LOUVRE, PARIS do emoções em quem a usufrui. Quanto mais ampla é a visão de mundo do artista, quanto mais rica é sua ex- MUSEU DE ARQUEOLOGIA E ETNOLGIA DA USP periência de vida, maiores FOTO: JOSÉ RANGEL são suas possibilidades de expressar verdades humanas universais e emocionar seu público. Mas nem todos que usu- fruem de uma obra de arte captam as mesmas verdades humanas ou experimentam as mes- mas emoções. Um dia você vai ao cinema com um amigo, os dois assis- tem ao mesmo filme, e um sai dizendo “Que chatice!”, Sagração de Napoleão e coroação CID enquanto o outro não pára da Imperatriz Josephine na Catedral de Notre-Dame de Paris em 2 de de repetir “Que beleza!”. dezembro de 1804 (detalhe), 1808, Um se entediou, o outro se de Jacques-Louis David. empolgou. Porque cada um entendeu ou interpretou o Vênus de Willendorf, pedra filme de um jeito. calcárea, c. 25000 a.C., E nisso está um dos ele- encontrada em 1908, nas proximidades de Willendorf mentos que constituem a na Áustria. grandeza da arte: ela permite várias interpretações, várias Foto pertencente a uma série de sete cartões-postais raros, pintados “leituras”, várias formas de manualmente por artistas da região ver e sentir o mesmo produto de Milão, na Itália (1860). 7