MBA de Marketing UniCarioca Três Rios - Métricas - Aula 01

768 visualizações

Publicada em

Nesta aula, demonstramos, através de forma lúdica e divertida, a importância das métricas para qualquer tipo de projeto, seja ele de marketing, comunicação ou simplesmente, para perder peso :)

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
768
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
236
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
4
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide
  • Comportamento do Consumidor: Tela de Abertura
  • Comportamento do Consumidor: Tela de Abertura
  • http://bit.ly/perfisdigigraficos
  • MBA de Marketing UniCarioca Três Rios - Métricas - Aula 01

    1. 1. Renato Siqueira Gerente de Marketing Digital e de Relacionamento – Ventilador SPIRIT Facilitador, Educador, Palestrante e eterno aluno - 18 anos de experiência em TI (4 como Gestor) - 10 anos de experiência em Mídias Digitais (2 como Consultor) - 10 anos de experiência como Educador - Apaixonado por Seres Humanos e pela sua relação com a Tecnologia, Comunicação e Educação - Estudante profissional (Estudo por amor, não por obrigação) - Pai da Julia 
    2. 2. http://facebook.renatosiqueira.com.br http://twitter.renatosiqueira.com.br http://linkedin.renatosiqueira.com.br http://plus.renatosiqueira.com.br http://www.renatosiqueira.com.br
    3. 3. Você olha para o seu corpo e percebe sinais – visíveis e invisíveis - de que ganhou peso. E percebe que suas roupas não entram mais também :P
    4. 4. Você olha para o corpo dos seus amigos e percebe que eles estão em forma. E você não!
    5. 5. Você se pesa (mensuração) e confirma sua hipótese (até então, empírica) cientificamente
    6. 6. Você procura um especialista para saber quais são os passos necessários para reverter o quadro (Consultoria)
    7. 7. Você faz uma série de exames, testes e análises para descobrir algo surpreendente: Você está GORDO!
    8. 8. Você começa a aplicar os passos, gradualmente, seguindo o plano (dieta) rigorosamente
    9. 9. Você se pesa uma vez por semana (acompanhamento da performance)
    10. 10. Se a performance sofre redução, você aplica novas soluções (remédios ou nova dieta)
    11. 11. Você volta a se pesar (mensuração) para saber se as novas ações estão surtindo o resultado desejado
    12. 12. Você conseguiu! Finalmente MAGRO (e geralmente, chato pra car*lho!)
    13. 13. A não ser que você seja um completo energúmeno, vai saber a resposta para essa pergunta, certo? Mas, se na dieta seguimos estas regras simples, porque os Gestores não fazem o mesmo na gestão das suas Organizações?
    14. 14. Este ciclo é conhecido como PDCA
    15. 15. http://facebook.renatosiqueira.com.br http://twitter.renatosiqueira.com.br http://linkedin.renatosiqueira.com.br http://plus.renatosiqueira.com.br http://www.renatosiqueira.com.br “Marketing é satisfazer as necessidades (e os desejos) do cliente” - Philip Kotler
    16. 16. Segundo o BPM CBOK – versão 3.0, “Medida é a quantificação de dados em um padrão e qualidade aceitáveis (exatidão, completude, consistência, temporalidade).” Medida é a avaliação de uma grandeza por meio da comparação com outra grandeza da mesma espécie tomada como unidade. Quando se mede o comprimento de um material ou peça, por exemplo, pode-se utilizar o metro como unidade, isto é, o objeto medido é representado como uma fração (ou múltiplo) do metro. Resumindo: Uma medida é um DADO
    17. 17. A definição do BPM CBOK, diz que: “Métrica é uma extrapolação de medidas, isto é, uma conclusão com base em dados finitos. A Métrica também pode representar um conjunto de medidas (dados) contextualizados, que conduzem a uma interpretação e possibilitam uma tomada de decisão” Segundo essa definição, uma métrica pode ser entendida como a relação entre duas medidas de grandezas iguais ou diferentes. Um exemplo seria o número de defeitos identificados em um lote de produtos finalizados (defeitos [número] / total do lote [número]). Outro exemplo poderia ser a razão entre o número total de atendimentos realizados por um Serviço de Atendimento ao Cliente (SAC) e o número de horas trabalhadas pelos atendentes (atendimento [número]/ horas trabalhadas [tempo]). Resumindo: Métricas são INFORMAÇÕES
    18. 18. Métricas são EXATAS... 1+1 é SEMPRE igual a 2... Qualquer coisa diferente disso é GAMBIARRA!
    19. 19. Métricas NÃO SÃO MANIPULÁVEIS! Manipular os números para apresentar resultados que agradem o “Sr. Burns” pode causar grandes estragos!
    20. 20. As Métricas Evoluem... É muito comum, no início do trabalho de Métricas, que as empresas preocupem-se apenas com o básico: Quantidade de visitas no site, compartilhamentos e comentários nas redes sociais, etc. Mas, com o tempo, é necessário evoluir para a colheita de métricas que agreguem INTELIGÊNCIA ao NEGÓCIO, para que a empresa possa ser beneficiada, assim como seus clientes!
    21. 21. Cuidado com elas!!! - “Quero ter 1 milhão de fãs no Facebook” - “Quero ter mais seguidores que a empresa Tal” - “Quer ter tantos ‘likes’ por post” Qual história suas métricas estão contando? EXISTE UMA HISTÓRIA sendo contada?
    22. 22. De acordo com o BPM CBOK, “Indicador é uma representação de forma simples ou intuitiva de uma métrica ou medida para facilitar sua interpretação quando comparada a uma referência ou alvo.” Indicadores representam informações a partir das quais é possível avaliar uma situação e sua evolução histórica. Contudo, indicadores mal definidos podem levar a conclusões equivocadas. Por exemplo, tomar somente a quantidade de reclamações de clientes, mês a mês, ao longo do ano, e verificar que o número absoluto de reclamações cresceu no período não indica, necessariamente, uma piora nos negócios. Está claro que se a sua empresa efetuar 1.000 vendas em dezembro e ter 10 reclamações de clientes é uma situação melhor que ter efetuado 100 vendas em janeiro e ter recebido 5 reclamações. Proporcionalmente, o número de reclamações terá caído de 5% (5/100) para 1% (10/1.000), embora em números absolutos elas tenham dobrado. Resumindo: Indicadores são Mecanismos para Identificação do alcançamento de uma meta
    23. 23. http://facebook.renatosiqueira.com.br http://twitter.renatosiqueira.com.br http://linkedin.renatosiqueira.com.br http://plus.renatosiqueira.com.br http://www.renatosiqueira.com.br
    24. 24. Boca-a-boca, nada mais é, do que a propaganda mais antiga do mundo, é eficiente e mais barata que qualquer outra, é aquela que é repassada verbalmente (ou digitalmente), ou seja diretamente por aquele consumidor que realmente está satisfeito com o produto ou serviço que lhe foi prestado ou vendido. É a forma direta e oral de pessoa para pessoa(s), por isso emprega-se o termo Boca-a-boca.
    25. 25. “Em 2011, 37% dos compradores encontram fontes sociais online como um motivador influente ao tomarem decisões. Este índice era de 19% em 2010 – QUASE O DOBRO EM UM ANO!” http://www.zeromomentoftruth.com/?locale=pt_br “O boca a boca digital é um para milhões. Se você tem um boa experiência, ela é recompartilhada com milhões. Você posta e, de repente, ela está se espalhando!” – Prof. Dave Reibstein
    26. 26. Hoje em dia, os consumidores vão às compras com seus celulares à mão. Eles usam os celulares, dentro das lojas, para fazer pesquisas de preço, buscar informações, consultar referências, pedir opiniões, e verificar o que está sendo dito sobre o produto que ele está prestes a adquirir… “Em alguns casos, isso pode gerar a desistência do cliente e impedir que o negócio seja feito, trazendo prejuízos para as lojas.” http://www.google.com/think/research-studies/mobile-in-store.html http://bit.ly/ConsumidorMobile-2013
    27. 27. http://bit.ly/perfisdigigraficos
    28. 28. Conheça o Efeito Lúcifer: http://goo.gl/l07wP O Mal pode estar em você: http://goo.gl/OSE9s http://www.ted.com/talks/lang/pt-br/philip_zimbardo_on_the_psychology_of_evil.html http://www.naopossoevitar.com.br/2009/07/experimentos-em-psicologia-phil-zimbardo-e-o-efeito-lucifer.html Se as empresas pagassem salários muito acima da média dos mercados onde estão inseridas, destruiriam a economia local e, talvez, do país Existe um delicado equilíbrio econômico que garante que a economia num determinado local não entre em colapso. Esta estabilidade econômica é complexa e depende de muitas variáveis. Se as empresas pagassem salários muito acima do mercado local onde estão inseridas, os negócios locais aumentariam seus preços para acompanhar a nova injeção de capital dos trabalhadores das indústrias e isso causaria um desequilíbrio econômico que causaria fome, caos e violência
    29. 29. http://plus.renatosiqueira.com.br

    ×