O slideshow foi denunciado.
Utilizamos seu perfil e dados de atividades no LinkedIn para personalizar e exibir anúncios mais relevantes. Altere suas preferências de anúncios quando desejar.

Indústria e Desenvolvimento (Polos Industriais)

Indústria e Desenvolvimento (Polos Industriais)

  • Entre para ver os comentários

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Indústria e Desenvolvimento (Polos Industriais)

  1. 1. Indústria e Desenvolvimento (Polos Industriais) Há tempos, as indústrias vêm conquistando o seu espaço no Brasil, tornando- se um dos elementos mais básicos de uma determinada região. A atividade industrial, muito concentrada no Sudeste brasileiro, de uns tempos pra cá, vem se distribuindo melhor entre as regiões do país. A desconcentração industrial entre as regiões vem determinando o crescimento de cidades-médias dotadas de boa infraestrutura e com centros de mão-de-obra qualificada, geralmente universidades. A atuação estatal através de diversos planos governamentais, como o Plano de Metas, acentuou esta concentração no Sudeste, destacando São Paulo. A partir desse processo industrial e, respectiva concentração, o Brasil, que não possuía um espaço geográfico nacional integrado, tendo uma estrutura de arquipélago econômico com várias áreas desarticuladas, passa a se integrar. Esta integração reflete nossa divisão inter-regional do trabalho, sendo tipicamente centro-periferia, ou seja, com a região Sudeste polarizando as demais. Como descrito, o Sudeste é a região que possui a maior concentração industrial do país. Nesta área, os principais tipos de indústrias são: automobilística, petroquímica, de produtos químicos, alimentares, de minerais não metálicos, têxtil, de vestuário, metalúrgica, mecânica, etc. É um centro polindustrial, marcado pela variedade e volume de produção. A industrialização do Sul tem muita vinculação com a produção agrária e dentro da divisão regional do trabalho visa o abastecimento do mercado interno e as exportações. O imigrante foi um elemento muito importante no início da industrialização como mercado consumidor e no processo industrial de produtos agrícolas, muitas vezes em estrutura familiar e artesanal. A industrialização dessa região vem se modificando, modernizando, mas sofre a concorrência com a indústria do centro-sul, principalmente de São Paulo, que utilizam um maquinário mais sofisticado. A agroindústria açucareira é uma das mais importantes, visando sobretudo a exportação do açúcar e do álcool. O centro-oeste tornou-se a segunda região em criação de bovinos do país, sendo esta atividade econômica mais importante da sub-região. Sua produção de carne visa o mercado interno e externo. A atividade industrial no Norte, é pouco expressiva, se comparada com outras regiões brasileiras. Porém, os investimentos aplicados, principalmente nas últimas décadas, na área dos transportes, comunicação e energia possibilitaram à algumas áreas o crescimento no setor industrial, visando exportação. Uma indústria em uma determinada região, pode ser tanto quanto prejudicial, pois ao mesmo tempo que contribui para o crescimento, ela pode estar executando a massificação da cultura de um povo. Uma indústria, também pode contribuir fortemente para o desenvolvimento da população, gerando inúmeros empregos diretos e indiretos. Muitas vezes, o prejuízo natural causado por um acidente ambiental, tendo como protagonista uma indústria, podenão ser revisto nunca mais, matando ecossistemas inteiros, um prejuízo sem recuperação. Componentes: Diego Soares, Erick Marinho, Lucas Filipe, Renato Feliciano e Verônica Fidelis.

×