Emails que funcionam - 7 dicas cruciais!

301 visualizações

Publicada em

Cansado de não conseguir resultados satisfatórios em suas campanhas de e-mail?
Confira 7 dicas matadoras para começar a repensar o planejamento de suas estratégias.

Publicada em: Marketing
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
301
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Emails que funcionam - 7 dicas cruciais!

  1. 1. E-MAIL MKT QUE FUNCIONA 7 pontos cruciais para a estratégia de suas próximas campanhas
  2. 2. A ERA DA “INFORMAÇÃO” TEM SIDO BEM CRUEL Quantos e-mails em média você recebe por dia?
  3. 3. AQUI O ASSUNTO É... Objetivos Público Conteúdo O que não fazer
  4. 4. 1. DEFINA SEUS OBJETIVOS O que eu realmente espero que o meu cliente faça após ler o meu e-mail?
  5. 5. “NA MOSCA” Quer mais visitas em seu site? Quer vender um determinado produto? Quer mais seguidores em seu Facebook? Quer mais participantes em seus eventos?
  6. 6. Mas... não tente fazer tudo ao mesmo tempo!
  7. 7. 2. ENTENDA SEU VALOR Qual o principal atributo do seu produto? O que entrega para o cliente/ consumidor? Que “dor” cura?
  8. 8. Eles sabem muito bem quem são e o que oferecem!
  9. 9. 3. ENTENDA SEU PÚBLICO O que e como eles pensam? Como é a jornada diária deles?
  10. 10. PERSONALIZAÇÃO Talvez você esteja fazendo isto errado...
  11. 11. ANTES DE QUALQUER COISA É preciso sentir o que o seu público sente!
  12. 12. MAPA DE EMPATIA Não comece nenhuma estratégia sem ele!
  13. 13. 4. DIVIDIR PARA CONQUISTAR Você pode organizar seus clientes em grupos? Como seriam estas “tribos”?
  14. 14. A PALAVRA É: “COMPORTAMENTO” Como nunca antes na história deste país!
  15. 15. “Por que?” vão comprar o seu produto? vão querer saber suas novidades? vão se interessar pelos seus e-mails?
  16. 16. QUAL É A ROTINA DIÁRIA Do seu público-alvo e das pessoas que o influenciam?
  17. 17. 5. DEFINA SEU DISCURSO Qual o tom da sua comunicação? Que tipo de argumento pode convencer seu público?
  18. 18. QUAL O SEU ARGUMENTO? Diversifique os discursos de acordo com a audiência
  19. 19. Argumento de autoridade A ideia se sustenta pela citação de uma fonte confiável, que pode ser um especialista no assunto ou dados de instituição de pesquisa, uma frase dita por alguém, líder ou político, algum artista famoso ou algum pensador, enfim, uma autoridade no assunto abordado. A citação pode auxiliar e deixar consistente a tese.
  20. 20. Argumento por causa e consequência Para comprovar uma tese, você pode buscar as relações de causa (os motivos, os porquês) e de consequência (os efeitos, a decorrência).
  21. 21. Argumento por provas concretas ou princípio Ao empregarmos os argumentos baseados em provas concretas, buscamos evidenciar nossa tese por meio de informações concretas, extraídas da realidade. Podem ser usados dados estatísticos ou fatos notórios (de domínio público)
  22. 22. Argumento por analogia É o argumento que pressupõe que se deve tratar algo de maneira igual, situações iguais. As citações de jurisprudência são os exemplos mais claros do argumento por analogia, que é bastante útil porque o juiz será, de algum modo, influenciado a decidir de acordo com o que já se decidiu, em situações anteriores.
  23. 23. Argumento de senso comum É o argumento que traz uma afirmação que representa consenso geral, incontestável. São mais utilizados quando se quer defender um ponto de vista, uma opinião, um argumento que é massificado; ninguém irá apelar contra, pois é conhecido universalmente.
  24. 24. Argumento de fuga É o argumento de que se vale o retórico para escapar à discussão central, onde seus argumentos não prevalecerão. Apela-se, em regra, para a subjetividade – é o argumento, por exemplo, que enaltece o caráter do acusado, lembrando tratar-se de pai de família, pessoa responsável
  25. 25. AGORA... MÃOS À OBRA! Quais são os pontos cruciais de um bom e-mail?
  26. 26. OUTLOOK PODE TE ENSINAR MUITO A relevância do remetente depende de quem é a audiência! VOCÊ PRECISA DEFINIR Para quem, o que e como você vai enviar a mensagem!
  27. 27. DOs AND DON’Ts Assinatura, imagem e links podem... Mas não exagere!
  28. 28. DOs AND DON’Ts Fontes diferenciadas, cores e maiúsculas... Use com moderação!
  29. 29. BACKGROUNDS CRIATIVOS?!? Melhor não! Contenha-se... Nãooooooooo!!!!!
  30. 30. NÃO DÁ PRA DESCUIDAR Melhor demorar mais pra escrever do que acabar virando piada
  31. 31. “Você é o diretor” Não é só sobre “convencer”, mas sim sobre criar um roteiro poderoso para envolver e engajar seu público
  32. 32. A PALAVRA É: “COMPORTAMENTO” Como nunca antes na história deste país!
  33. 33. 6. USE UMA BOA FERRAMENTA Existem diversas opções: Gratuitas Fáceis de usar Que armazenam e gerenciam suas listas Que geram relatórios sobre suas campanhas
  34. 34. NO AMBIENTE CORPORATIVO Evite simplesmente reencaminhar e-mails Cópia? Somente pra quem resolve. Espera uma ação? Oriente! Seja sucinto.
  35. 35. SIM... Você vai ter de reescrever alguns e-mails Você vai precisar ter um tempo do seu dia para seus e-mails Algumas vezes é melhor ligar do que mandar e-mails...
  36. 36. 7. ALL WE NEED IS LOVE Não tente forçar Atue sempre como um prestador de serviços Conecte seu público com a sua marca
  37. 37. E aí, vamos trocar e-mails? Renata Gomes renata.gomes78@gmail.com br.linkedin.com/in/gomesrenata

×