01. contabilidade

16.186 visualizações

Publicada em

0 comentários
10 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
16.186
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
557
Comentários
0
Gostaram
10
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

01. contabilidade

  1. 1. UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA Faculdade de Ciências Contábeis <ul><li>Tema: </li></ul><ul><li>CONTABILIDADE </li></ul><ul><li>Noções Fundamentais </li></ul>
  2. 2. CONTABILIDADE Noções Básicas Fundamentais <ul><li>Contabilidade: Arte, Técnica ou Ciência </li></ul><ul><li>Definição Oficial </li></ul><ul><li>Objeto material </li></ul><ul><li>Relação com outras ciências </li></ul><ul><li>Funções e campo de aplicação </li></ul><ul><li>Composição dos elementos </li></ul><ul><li>Técnicas contábeis </li></ul><ul><li>Exercício social </li></ul><ul><li>Representação gráfica do patrimônio </li></ul><ul><li>Demonstrações contábeis </li></ul>Cedido: Prof. UBIRATÃ B. PEREIRA CONTABILIDADE – Noções Fundamentais
  3. 3. CONTABILIDADE Arte, Técnica ou Ciência? <ul><li>ARTE é a manifestação do belo, produto de intensas emoções estéticas do artista, ligado a condições diversas de época, de povo, de cultura </li></ul>Cedido:Prof. UBIRATÃ B. PEREIRA CONTABILIDADE – Noções Fundamentais
  4. 4. CONTABILIDADE Arte, Técnica ou Ciência? <ul><li>TÉCNICA é o conjunto de procedimentos ordenados e concretos aplicáveis na realização de objetivo específico </li></ul>Cedido:Prof. UBIRATÃ B. PEREIRA CONTABILIDADE – Noções Fundamentais
  5. 5. CONTABILIDADE Arte, Técnica ou Ciência? <ul><li>CIÊNCIA é um conjunto de procedimentos certos e gerais, referentes a um OBJETO DELIMITADO, obtidos através de MÉTODOS RACIONAIS </li></ul>Cedido:Prof. UBIRATÃ B. PEREIRA CONTABILIDADE – Noções Fundamentais
  6. 6. CONTABILIDADE Arte, Técnica ou Ciência? <ul><li>CIÊNCIA = CONHECIMENTO </li></ul><ul><li>Conhecimento VULGAR </li></ul><ul><li>Conhecimento FILOSÓFICO </li></ul><ul><li>Conhecimento TEOLÓGICO </li></ul><ul><li>Conhecimento CIENTÍFICO </li></ul>Cedido:Prof. UBIRATÃ B. PEREIRA CONTABILIDADE – Noções Fundamentais
  7. 7. CONTABILIDADE Classificação das Ciências <ul><li>Ciências FORMAIS ou ABSTRATAS </li></ul><ul><li>Estudo das idéias: (Matemática) </li></ul><ul><li>Ciências FACTUAIS ou CONCRETAS </li></ul><ul><li>1) Ciências Naturais: Estudo da natureza, da vida: ( BIOLOGIA) </li></ul><ul><li>2) Ciências Sociais: Estudo do homem como ser inteligente, livre e social: ( SOCIOLOGIA, CONTABILIDADE) </li></ul>CONTABILIDADE – Noções Fundamentais
  8. 8. CONTABILIDADE Definição Oficial <ul><li>CONTABILIDADE é a CIÊNCIA que estuda e pratica as funções de ORIENTAÇÃO, CONTROLE e REGISTRO relativo aos ATOS E FATOS da administração econômica </li></ul><ul><li>I Congresso Brasileiro de Contabilidade: (Contabilidade: Noções Preliminares. Ed. São Paulo: Nacional, 1957 – FRANCISCO D’AURIA </li></ul>CONTABILIDADE – Noções Fundamentais
  9. 9. CONTABILIDADE Um Conceito Mais Completo <ul><li>“ CONTABILIDADE é a CIÊNCIA que controla o PATRIMÔNIO das entidades, mediante o REGISTRO, a DEMONSTRAÇÃO EXPOSITIVA e a INTERPRETAÇÃO dos fatos nele ocorridos </li></ul><ul><li>Com a finalidade de oferecer INFORMAÇÕES sobre a COMPOSIÇÃO e suas VARIAÇÕES, bem como sobre o RESULTADO ECONÔMICO decorrente da gestão da RIQUEZA PATRIMONIAL </li></ul>CONTABILIDADE – Noções Fundamentais
  10. 10. CONTABILIDADE Objeto Material <ul><li>O PATRIMÔNIO das entidades </li></ul><ul><li>PATRIMÔNIO: Conjunto de elementos necessários à existência da entidade, formado pelos BENS, DIREITOS e OBRIGAÇÕES pertencentes a uma ou mais pessoas FÍSICAS ou JURÍDICAS </li></ul>CONTABILIDADE – Noções Fundamentais Adaptado de BORINELLI e PIMENTEL. Curso de Contabilidade para Gestores, Analistas e Outros Profissionais. São Paulo: Atlas, 2010
  11. 11. CONTABILIDADE Relação com Outras Ciências CONTABILIDADE – Noções Fundamentais ADMINISTRAÇÃO Gestão Buscar formas eficientes e eficazes de gerir e manipular as riquezas da entidade ECONOMIA Escassez de Recursos Máxima eficiência dos escassos recursos em função das necessidades ilimitadas DIREITO Propriedade Relações jurídicas e suas consequências CONTABILIDADE Conjunto Patrimonial Demonstrar a variação do patrimônio sob os aspectos QUALITATIVO e QUANTITATIVO e suas respectivas VARIAÇÕES
  12. 12. CONTABILIDADE Funções <ul><li>FUNÇÃO ADMINISTRATIVA </li></ul><ul><li>Controlar o PATRIMÔNIO da entidade, sob o aspecto QUALITATIVO e QUANTITATIVO </li></ul><ul><li>FUNÇÃO ECONÔMICA </li></ul><ul><li>Apurar o RESULTADO (Lucro ou Prejuízo) através do confronto de RECEITAS e DESPESAS </li></ul>CONTABILIDADE – Noções Fundamentais
  13. 13. CONTABILIDADE Campo de Aplicação <ul><li>ENTIDADES com ou sem FINALIDADES LUCRATIVAS </li></ul><ul><li>INSTITUIÇÕES </li></ul><ul><li>Finalidade social, caritativa, filantrópica, etc </li></ul><ul><li>EMPRESAS: </li></ul><ul><li>Finalidade tipicamente lucrativa (econômica). </li></ul>CONTABILIDADE – Noções Fundamentais
  14. 14. CONTABILIDADE Composição dos Elementos <ul><li>Elementos Patrimoniais </li></ul><ul><li>Controlar o PATRIMÔNIO....... </li></ul><ul><li>ATIVO, PASSIVO e PATRIMÔNIO LÍQUIDO </li></ul><ul><li>Elementos de Resultado </li></ul><ul><li>Apurar o RESULTADO...... </li></ul><ul><li>RECEITAS e DESPESAS </li></ul>CONTABILIDADE – Noções Fundamentais
  15. 15. CONTABILIDADE Técnicas Contábeis <ul><li>ESCRITURAÇÃO </li></ul><ul><li>DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS </li></ul><ul><li>AUDITORIA </li></ul><ul><li>ANÁLISE DE BALANÇOS </li></ul>CONTABILIDADE – Noções Fundamentais
  16. 16. CONTABILIDADE Técnicas Contábeis <ul><li>ESCRITURAÇÃO: </li></ul><ul><li>Registro em livros especiais e com linguagem própria, respeitando os Princípios de Contabilidade </li></ul><ul><li>DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS </li></ul><ul><li>Relatórios que mostram a situação patrimonial e suas variações, ao longo de um período </li></ul>CONTABILIDADE – Noções Fundamentais
  17. 17. CONTABILIDADE Técnicas Contábeis <ul><li>AUDITORIA </li></ul><ul><li>Exame sistemático de avaliação da qualidade e confiabilidade dos registros contábeis e respectivas demonstrações </li></ul><ul><li>ANÁLISE DE BALANÇOS </li></ul><ul><li>Processo de avaliação do crescimento, estrutura e evolução dos elementos patrimoniais. </li></ul><ul><li>Decomposição e interpretação do conjunto patrimonial </li></ul>CONTABILIDADE – Noções Fundamentais
  18. 18. <ul><li>Art. 176 – Ao fim de cada exercício social, a diretoria fará elaborar, com base a escrituração mercantil da companhia, as seguintes DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS, que deverão exprimir com clareza a situação do patrimônio da companhia e as mutações ocorridas no exercício: </li></ul>CONTABILIDADE Demonstrações Contábeis Obrigatórias COMPANHIA FECHADA, com patrimônio líquido, na data do balanço, igual ou superior a R$ 2.000.000,00 01. Balanço Patrimonial 02. Demonstração de Resultado do Exercício 04. Demonstração dos Fluxos de Caixa EMPRESAS EM GERAL 03. Demonstração de Lucros ou Prejuízos Acumulados CONTABILIDADE – Noções Fundamentais
  19. 19. <ul><li>Art. 176 – Ao fim de cada exercício social, a diretoria fará elaborar, com base na escrituração mercantil da companhia, as seguintes DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS, que deverão exprimir com clareza a situação do patrimônio da companhia e as mutações ocorridas no exercício: </li></ul>CONTABILIDADE Demonstrações Contábeis Obrigatórias 01. Balanço Patrimonial 02. Demonstração de Resultado do Exercício 03. Demonstração de Lucros ou Prejuízos Acumulados 04. Demonstração dos Fluxos de Caixa 05. Demonstração do Valor Adicionado COMPANHIA ABERTA CONTABILIDADE – Noções Fundamentais
  20. 20. CONTABILIDADE Exercício Social <ul><li>Lei 6.404/76 </li></ul><ul><li>Art. 175 – O EXERCÍCIO SOCIAL terá duração de UM ANO e a data do término será fixada no estatuto. </li></ul><ul><li>Parágrafo único – Na CONSTITUIÇÃO da empresa e nos casos de ALTERAÇÃO ESTATUTÁRIA o exercício poderá ter duração diversa. </li></ul>CONTABILIDADE – Noções Fundamentais
  21. 21. CONTABILIDADE Exercício Social <ul><li>Lei 6.404/76 </li></ul><ul><li>Art. 175 – O EXERCÍCIO SOCIAL terá duração de UM ANO e a data do término será fixada no estatuto. </li></ul><ul><li>REGRA GERAL: Exercício Social encerrado em 31 de dezembro de cada ano; </li></ul><ul><li>A lei fala apenas da DATA DE TÉRMINO do exercício social </li></ul>CONTABILIDADE – Noções Fundamentais
  22. 22. CONTABILIDADE Exercício Social <ul><li>Lei 6.404/76 </li></ul><ul><li>Art. 175 – O EXERCÍCIO SOCIAL terá duração de UM ANO e a data do término será fixada no estatuto. </li></ul><ul><li>Sociedade constituída em 01.08.x10. Estatuto/Contrato Social determina a data ENCERRAMENTO DO EXERCÍCIO SOCIAL para 31 de dezembro </li></ul><ul><li>EXERCÍCIO SOCIAL: 01.08.x10 a 31.12.x10 </li></ul>CONTABILIDADE – Noções Fundamentais
  23. 23. CONTABILIDADE Representação Gráfica do Patrimônio <ul><li>Situação POSITIVA ou FAVORÁVEL </li></ul><ul><li>Ativo Passivo </li></ul><ul><li>Situação NULA ou COMPENSADA </li></ul><ul><li>Ativo = Passivo P. Líquido = Zero </li></ul><ul><li>Situação NEGATIVA ou DESFAVORÁVEL </li></ul><ul><li>Ativo Passivo P. Líquido Zero </li></ul>CONTABILIDADE – Noções Fundamentais
  24. 24. CONTABILIDADE Elementos Patrimoniais e de Resultado <ul><li>Elementos Patrimoniais </li></ul><ul><li>ATIVO, PASSIVO E PATRIMÔNIO LÍQUIDO </li></ul><ul><li>Elementos de Resultado </li></ul><ul><li>RECEITAS E DESPESAS OU CUSTOS </li></ul>CONTABILIDADE – Noções Fundamentais
  25. 25. CONTABILIDADE Noções Fundamentais sobre o Ativo <ul><li>O significado do termo “Ativo” </li></ul><ul><li>Definição </li></ul><ul><li>Características essenciais </li></ul><ul><li>Classificação segundo a Lei 6.404/76 </li></ul>CONTABILIDADE – Noções Fundamentais
  26. 26. CONTABILIDADE Afinal, o que significa ATIVO? <ul><li>ATIVO são BENS,DIREITOS ou componentes capaz de proporcionar benefícios econômicos futuros. Uso, Controle, risco e benefícios. </li></ul>CONTABILIDADE – Noções Fundamentais BENS – Coisas úteis, possíveis de AVALIAÇÃO EM DINHEIRO, capazes de satisfazer as necessidades humanas; DIREITOS – São VALORES A RECEBER, quase sempre representados por TÍTULOS DE CRÉDITO, decorrentes de operações, cujos prazos de vencimento são estabelecidos pelos contratantes;
  27. 27. CONTABILIDADE Afinal, o que significa ATIVO? <ul><ul><li>Esclarecendo... </li></ul></ul><ul><li>ATIVO é um RECURSO CONTROLADO pela entidade, como resultado de EVENTOS PASSADOS, e do qual se espera que resultem FUTUROS BENEFÍCIOS ECONÔMICOS para a entidade. </li></ul>CONTABILIDADE – Noções Fundamentais Fonte: PRONUNCIAMENTO CONCEITUAL BÁSICA Resolução CFC N.º 1.121/08
  28. 28. CONTABILIDADE Características Essenciais de um ATIVO <ul><li>1. Representar um BEM ou DIREITO </li></ul><ul><li>2. Ser de PROPRIEDADE da empresa </li></ul><ul><li>3. Ter VALOR DE MERCADO objetivamente mensurável </li></ul><ul><li>4. Oferecer a perspectiva de BENEFÍCIOS FUTUROS. </li></ul>CONTABILIDADE – Noções Fundamentais Fonte: PRONUNCIAMENTO CONCEITUAL BÁSICA Resolução CFC N.º 1.121/08
  29. 29. <ul><li>ATIVO </li></ul><ul><li>CIRCULANTE </li></ul><ul><li>NÃO CIRCULANTE </li></ul><ul><ul><li>Realizável a Longo Prazo </li></ul></ul><ul><ul><li>Investimentos </li></ul></ul><ul><ul><li>Imobilizado </li></ul></ul><ul><ul><li>Intangível </li></ul></ul>CONTABILIDADE Classificação das Contas do Ativo <ul><li>Nova classificação através da Lei n.º 11.941/09 </li></ul><ul><li>Art. 178 – </li></ul><ul><li>§ 1.º - </li></ul><ul><li>I – ativo CIRCULANTE </li></ul><ul><li>II – ativo NÃO CIRCULANTE, composto por ativo realizável a longo prazo, investimentos, imobilizado e intangível </li></ul>AGORA CONTABILIDADE – Noções Fundamentais
  30. 30. CONTABILIDADE Noções Fundamentais sobre o Passivo <ul><li>O significado do termo “Passivo” </li></ul><ul><li>Conceito de Passivo </li></ul><ul><li>Conceito de Exigibilidades </li></ul><ul><li>Características essenciais </li></ul><ul><li>Formas de liquidação </li></ul><ul><li>Classificação segundo a Lei 6.404/76 </li></ul>CONTABILIDADE – Noções Fundamentais
  31. 31. CONTABILIDADE Afinal, o que significa PASSIVO? <ul><li>PASSIVO é o conjunto de OBRIGAÇÕES de uma entidade. </li></ul><ul><li>Pode decorrer de: </li></ul><ul><ul><li>Uma COMPRA A PRAZO </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Um EMPRÉSTIMO, por exemplo </li></ul></ul></ul>CONTABILIDADE – Noções Fundamentais
  32. 32. CONTABILIDADE Afinal, o que significa PASSIVO? <ul><li>PASSIVO é uma OBRIGAÇÃO presente da entidade, derivada de EVENTOS JÁ OCORRIDOS, cuja liquidação se espera que resulte em SAÍDA DE RECURSOS capazes de gerar benefícios econômicos. </li></ul>CONTABILIDADE – Noções Fundamentais Fonte: PRONUNCIAMENTO CONCEITUAL BÁSICA Resolução CFC N.º 1.121/08
  33. 33. CONTABILIDADE Afinal, o que significa PASSIVO? <ul><ul><li>Outro conceito com linguagem “ CIENTÍFICA” </li></ul></ul><ul><li>EXIBILIDADES são OBRIGAÇÕES de uma entidade em particular, que torna necessário a essa entidade transferir ATIVOS ou PRESTAR SERVIÇOS para outras entidades no futuro, e são resultantes de TRANSAÇÕES ou EVENTOS DO PASSADO . </li></ul>CONTABILIDADE – Noções Fundamentais Fonte: KAM, Vernon. Accounting theory . Jonh Wiley , 1990. Apud COELHO e LINS. Teoria da Contabilidade. São Paulo: Atlas, 2010
  34. 34. CONTABILIDADE Afinal, o que significa PASSIVO? <ul><ul><li>Outras contribuições de COELHO E LINS...” </li></ul></ul><ul><li>(1) A OBRIGAÇÃO deve existir no MOMENTO ATUAL, mesmo que tenha ocorrido em PERÍODO PASSADO, ou seja, enquanto não HOUVER PAGAMENTO para QUITAÇÃO DA DÍVIDA, ela deve continuar a fazer parte do PATRIMÔNIO. </li></ul>CONTABILIDADE – Noções Fundamentais Fonte: COELHO e LINS. Teoria da Contabilidade. São Paulo: Atlas, 2010
  35. 35. CONTABILIDADE Afinal, o que significa PASSIVO? <ul><ul><li>Outras contribuições de COELHO E LINS...” </li></ul></ul><ul><li>(2) Não pode haver qualquer possibilidade de se evitar o SACRIFÍCIO FUTURO, porque se ele foi PREVISTO é porque foi RECONHECIDO como uma OBRIGAÇÃO, um VALOR A PAGAR; </li></ul>CONTABILIDADE – Noções Fundamentais Fonte: COELHO e LINS. Teoria da Contabilidade. São Paulo: Atlas, 2010
  36. 36. CONTABILIDADE Afinal, o que significa PASSIVO? <ul><ul><li>Outras contribuições de COELHO E LINS...” </li></ul></ul><ul><li>(3) Deve haver uma DATA DE VENCIMENTO, ou, em muitos casos, uma DATA ESTIMÁVEL para o DESEMBOLSO necessário à QUITAÇÃO DA OBRIGAÇÃO; </li></ul>CONTABILIDADE – Noções Fundamentais Fonte: COELHO e LINS. Teoria da Contabilidade. São Paulo: Atlas, 2010
  37. 37. CONTABILIDADE Afinal, o que significa PASSIVO? <ul><ul><li>Outras contribuições de COELHO E LINS...” </li></ul></ul><ul><li>(4) Deve-se reconhecer o BENEFICIÁRIO DA OBRIGAÇÃO da empresa. Não se concebe um REGISTRO CONTÁBIL que prevê uma obrigação futura, sem a indicação da PESSOA FÍSICA OU JURÍDICA a quem se deve. </li></ul>CONTABILIDADE – Noções Fundamentais Fonte: COELHO e LINS. Teoria da Contabilidade. São Paulo: Atlas, 2010
  38. 38. CONTABILIDADE Características Essenciais de um PASSIVO <ul><li>1. Deve representar uma OBRIGAÇÃO; </li></ul><ul><li>2. Precisa ser obrigatoriamente MENSURÁVEL; </li></ul><ul><li>3. Deve ser RELEVANTE; </li></ul><ul><li>4. Tem de ser PRECISA, ou seja, deve-se saber exatamente A QUEM PAGAR, QUANDO PAGAR e QUANTO SERÁ O VALOR A SER DESEMBOLSADO. </li></ul>CONTABILIDADE – Noções Fundamentais Fonte: PRONUNCIAMENTO CONCEITUAL BÁSICA Resolução CFC N.º 1.121/08
  39. 39. CONTABILIDADE F ormas de Liquidação de um PASSIVO PAGAMENTO EM DINHEIRO Maneira mais USUAL de quitação de dívidas ... CONTABILIDADE – Noções Fundamentais TRANSFERÊNCIA DE OUTROS ATIVOS A OBRIGAÇÃO extingue-se pela entrega de algum BEM da empresa, compatível com o montante da DÍVIDA Fonte: COELHO e LINS. Teoria da Contabilidade. São Paulo: Atlas, 2010
  40. 40. CONTABILIDADE Formas de Liquidação de um PASSIVO PRESTAÇÃO DE SERVIÇO Os SERVIÇOS realizados que........ equivalem ao MONTANTE DA OBRIGAÇÃO CONTABILIDADE – Noções Fundamentais SUBSTITUIÇÃO DA OBRIGAÇÃO POR OUTRA Muito presente em renovações de FINANCIAMENTOS ou EMPRÉSTIMOS BANCÁRIOS.... Fonte: COELHO e LINS. Teoria da Contabilidade. São Paulo: Atlas, 2010
  41. 41. CONTABILIDADE formas de Liquidação de um PASSIVO CONTABILIDADE – Noções Fundamentais CONVERSÃO DA OBRIGAÇÃO EM CAPITAL Uma empresa pode conceder em troca do VALOR DA DÍVIDA, uma PARTICIPAÇÃO no CAPITAL SOCIAL da empresa e, consequentemente, nos LUCROS que ela vier a auferir Fonte: COELHO e LINS. Teoria da Contabilidade. São Paulo: Atlas, 2010
  42. 42. <ul><li>PASSIVO </li></ul><ul><li>CIRCULANTE </li></ul><ul><li>NÃO CIRCULANTE </li></ul><ul><ul><li>Exigível a Longo Prazo </li></ul></ul>CONTABILIDADE A Classificação das Contas do Passivo <ul><li>Nova classificação através da Lei n.º 11.941/09 </li></ul><ul><li>Art. 178 – .... </li></ul><ul><li>§ 2.º - No PASSIVO , as contas serão classificadas nos seguintes grupos: </li></ul><ul><li>I – PASSIVO CIRCULANTE; </li></ul><ul><li>II – PASSIVO NÃO CIRCULANTE; </li></ul>AGORA CONTABILIDADE – Noções Fundamentais <ul><li>Fim do grupo EXIGÍVEL A LONGO PRAZO </li></ul><ul><li>Fim do grupo RESULTADOS DE EXERCÍCIOS FUTUROS </li></ul><ul><li>A partir de 01.01.2008 </li></ul>
  43. 43. CONTABILIDADE Noções Fundamentais sobre o Patrimônio Líquido <ul><li>O significado do termo Patrimônio Líquido </li></ul><ul><li>Conceito </li></ul><ul><li>Classificação segundo a Lei 6.404/76 </li></ul><ul><li>Demonstração dos Grupos Patrimoniais </li></ul>CONTABILIDADE – Noções Fundamentais
  44. 44. CONTABILIDADE Afinal, o que significa PATRIMÔNIO LÍQUIDO? <ul><ul><li>Um conceito com linguagem “ CIENTÍFICA” </li></ul></ul><ul><li>PATRIMÔNIO LÍQUIDO é o VALOR RESIDUAL dos ATIVOS da entidade, depois de deduzidos todos os seus PASSIVOS . </li></ul>CONTABILIDADE – Noções Fundamentais Fonte: PRONUNCIAMENTO CONCEITUAL BÁSICA Resolução CFC N.º 1.121/08
  45. 45. <ul><li>“ Art. 178 - ........ </li></ul><ul><li>§ 2.º - </li></ul><ul><li>III – PATRIMÔNIO LÍQUIDO dividido em capital social, reservas de capital, ajustes de avaliação patrimonial, reservas de lucros, ações em tesouraria e prejuízos acumulados. </li></ul>CONTABILIDADE A Classificação das Contas do Patrimônio Líquido CAPITAL SOCIAL RESERVAS DE CAPITAL AJUSTES DE AVALIAÇÃO PATRIMONIAL RESERVAS DE LUCROS (-) AÇÕES EM TESOURARIA (-) PREJUÍZOS ACUMULADOS CONTABILIDADE – Noções Fundamentais
  46. 46. <ul><li>ATIVO </li></ul><ul><li>CIRCULANTE </li></ul><ul><li>NÃO CIRCULANTE </li></ul><ul><ul><li>Realizável a Longo Prazo </li></ul></ul><ul><ul><li>I nvestimentos </li></ul></ul><ul><ul><li>Imobilizado </li></ul></ul><ul><ul><li>Intangível </li></ul></ul><ul><li>PASSIVO </li></ul><ul><li>CIRCULANTE </li></ul><ul><li>NÃO CIRCULANTE </li></ul><ul><ul><li>Exigível a Longo Prazo </li></ul></ul>CONTABILIDADE Demonstração Completa dos Grupos Patrimoniais CONTABILIDADE – Noções Fundamentais <ul><li>PATRIMÔNIO LÍQUIDO </li></ul><ul><li>Capital Social </li></ul><ul><li>Reservas de Capital </li></ul><ul><li>Ajuste de Avaliação Patrimonial </li></ul><ul><li>Reservas de Lucros </li></ul><ul><li>(-) Ações em Tesouraria </li></ul><ul><li>(-) Prejuízos Acumulados </li></ul>
  47. 47. CONTABILIDADE Noções Fundamentais sobre Receitas e Despesas <ul><li>O significado do termo Receita </li></ul><ul><li>O significado do termo Despesa </li></ul>CONTABILIDADE – Noções Fundamentais
  48. 48. CONTABILIDADE Afinal, o que significam RECEITAS? <ul><ul><li>Um conceito com linguagem “ CIENTÍFICA” </li></ul></ul><ul><li>RECEITAS são AUMENTOS nos BENEFÍCIOS ECONÔMICOS durante o período contábil, sob a forma de ENTRADA DE RECURSOS ou AUMENTO DE ATIVOS ou DIMINUIÇÃO DE PASSIVOS, que resultam em AUMENTOS DO PATRIMÔNIO LÍQUIDO, e que não sejam provenientes de APORTE DOS PROPRIETÁRIOS da entidade </li></ul>CONTABILIDADE – Noções Fundamentais Fonte: PRONUNCIAMENTO CONCEITUAL BÁSICA Resolução CFC N.º 1.121/08
  49. 49. CONTABILIDADE Afinal, o que significam DESPESAS? <ul><ul><li>Um conceito com linguagem “ CIENTÍFICA” </li></ul></ul><ul><li>DESPESAS são DECRÉSCIMOS nos BENEFÍCIOS ECONÔMICOS durante o período contábil, sob a forma de SAÍDA DE RECURSOS ou DIMINUIÇÃO DE ATIVOS ou INCREMENTO DE PASSIVOS, que resultam em DECRÉSCIMO DO PATRIMÔNIO LÍQUIDO, e que não sejam provenientes de DISTRIBUIÇÃO DOS PROPRIETÁRIOS da entidade </li></ul>CONTABILIDADE – Noções Fundamentais Fonte: PRONUNCIAMENTO CONCEITUAL BÁSICA Resolução CFC N.º 1.121/08
  50. 50. CONTABILIDADE Método das Partidas Dobradas <ul><li>O significado das palavras mágicas: “Débito e Crédito” </li></ul><ul><li>Débitos e Créditos de Funcionamento </li></ul><ul><li>Débitos e Créditos de Financiamento </li></ul><ul><li>Formas de Aplicação do Débito </li></ul><ul><li>Formas de Aplicação do Crédito </li></ul><ul><li>Exemplos de lançamentos contábeis </li></ul><ul><li>Proposições fundamentais lógicas </li></ul>CONTABILIDADE – Noções Fundamentais
  51. 51. MÉTODO DAS PARTIDAS DOBRADAS As Palavras “Mágicas”: Débito e Crédito <ul><li>Isoladamente a palavra DÉBITO... </li></ul><ul><ul><li>É associada a DÍVIDA; </li></ul></ul><ul><ul><li>Na TEORIA PERSONALISTA (Marc, Cerboni e Rossi) as contas sempre se referem a PESSOAS; </li></ul></ul><ul><ul><li>Nesse caso num LANÇAMENTO A DÉBITO significa que uma “PESSOA” é DEVEDORA (responsável) por aquele elemento PATRIMONIAL ou de RESULTADO. </li></ul></ul>CONTABILIDADE – Noções Fundamentais
  52. 52. MÉTODO DAS PARTIDAS DOBRADAS As Palavras “Mágicas”: Débito e Crédito <ul><li>Isoladamente a palavra CRÉDITO... </li></ul><ul><ul><li>É associada a DIREITO; </li></ul></ul><ul><ul><li>Na TEORIA PERSONALISTA (Marc, Cerboni e Rossi) as contas sempre se referem a PESSOAS; </li></ul></ul><ul><ul><li>Nesse caso um LANÇAMENTO A CRÉDITO significa que uma “PESSOA” é CREDORA (titular do direito) daquele elemento PATRIMONIAL ou de RESULTADO. </li></ul></ul>CONTABILIDADE – Noções Fundamentais CONTABILIDADE – Noções Fundamentais
  53. 53. CONTABILIDADE Expressões que Identificam Elementos Patrimoniais <ul><li>Isoladamente a palavra DÉBITO... </li></ul><ul><ul><li>É associada a DÍVIDA; </li></ul></ul><ul><li>DÉBITOS DE FUNCIONAMENTO </li></ul><ul><ul><li>Dívidas Operacionais, representadas por OBRIGAÇÕES assumidas pela entidade, necessárias ao seu funcionamento. </li></ul></ul><ul><li>A conta “FORNECEDORES” ou “DUPLICATAS A PAGAR” decorre da COMPRA DE MERCADORIAS à prazo; </li></ul><ul><li>A conta “ICMS A RECOLHER” decorre do Icms devido ao Governo do Estado, sobre as VENDAS DE MERCADORIAS </li></ul>CONTABILIDADE – Noções Fundamentais
  54. 54. CONTABILIDADE Expressões que Identificam Elementos Patrimoniais <ul><li>Isoladamente a palavra DÉBITO... </li></ul><ul><ul><li>É associada a DÍVIDA; </li></ul></ul><ul><li>DÉBITOS DE FINANCIAMENTO </li></ul><ul><ul><li>Dívidas Eventuais, representadas por OBRIGAÇÕES originadas de empréstimos ou financiamentos assumidos para CUSTEIO ou INVESTIMENTO . </li></ul></ul><ul><li>A conta “EMPRÉSTIMOS A PAGAR” decorre de EMPRÉSTIMO obtido junto a Instituição Financeira; </li></ul><ul><li>A conta “DEBÊNTURES A PAGAR” decorre do lançamento de DEBÊNTURES, para financiar as atividades da empresa; </li></ul>CONTABILIDADE – Noções Fundamentais
  55. 55. CONTABILIDADE Expressões que Identificam Elementos Patrimoniais <ul><li>Isoladamente a palavra CRÉDITO... </li></ul><ul><ul><li>É associada a DIREITO; </li></ul></ul><ul><li>CRÉDITOS DE FUNCIONAMENTO </li></ul><ul><ul><li>Créditos Operacionais, representados por DIREITOS disponibilizados para terceiros e diretamente relacionados ao seu funcionamento. </li></ul></ul><ul><li>A conta “CLIENTES” ou “DUPLICATAS A RECEBER” decorre da VENDA DE MERCADORIAS à prazo; </li></ul><ul><li>A conta “ICMS A RECUPERAR” decorre do Icms pago ao Governo do Estado, sobre as COMPRAS DE MERCADORIAS </li></ul>CONTABILIDADE – Noções Fundamentais
  56. 56. CONTABILIDADE Expressões que Identificam Elementos Patrimoniais <ul><li>Isoladamente a palavra CRÉDITO... </li></ul><ul><ul><li>É associada a DIREITO; </li></ul></ul><ul><li>CRÉDITOS DE FINANCIAMENTO </li></ul><ul><ul><li>Créditos Eventuais, representadas por DIREITOS disponibilizadas a terceiros, sob a forma de EMPRÉSTIMOS ou FINANCIAMENTOS, sem relação direta com a atividade operacional da empresa. </li></ul></ul><ul><li>A conta “EMPRÉSTIMOS A RECEBER” decorre de EMPRÉSTIMO concedido a outras empresas; </li></ul><ul><li>A conta “DEBÊNTURES A RECEBER” decorre do compra de DEBÊNTURES, adquiridas para financiar as atividades de outras empresas; </li></ul>CONTABILIDADE – Noções Fundamentais
  57. 57. MÉTODO DAS PARTIDAS DOBRADAS As Palavras “Mágicas”: Débito e Crédito <ul><li>Aplica-se o DÉBITO </li></ul><ul><ul><li>Aumento do ATIVO </li></ul></ul><ul><ul><li>Registro/Aumento de DESPESAS e/ou CUSTO </li></ul></ul><ul><ul><li>Diminuição de PASSIVO </li></ul></ul><ul><ul><li>Diminuição de PATRIMÔNIO LÍQUIDO </li></ul></ul><ul><li>Aplica-se o CRÉDITO </li></ul><ul><ul><li>Aumento de PASSIVO </li></ul></ul><ul><ul><li>Aumento de PATRIMÔNIO LÍQUIDO </li></ul></ul><ul><ul><li>Diminuição de ATIVO </li></ul></ul><ul><ul><li>Registro/Aumento de RECEITAS </li></ul></ul>CONTABILIDADE – Noções Fundamentais
  58. 58. MÉTODO DAS PARTIDAS DOBRADAS As Palavras “Mágicas”: Débito e Crédito CONTABILIDADE – Noções Fundamentais Aumento de ATIVO O nosso “amigo” responsável pelo CAIXA DÉBITO <ul><li>Aplica-se o DÉBITO </li></ul><ul><li>Aumento de ATIVO </li></ul>Diminuição de ATIVO CRÉDITO <ul><li>Aplica-se o CRÉDITO </li></ul><ul><li>Diminuição de ATIVO </li></ul>Entrada de DINHEIRO Saída de DINHEIRO ATIVO Saldo DEVEDOR ou NULO
  59. 59. MÉTODO DAS PARTIDAS DOBRADAS As Palavras “Mágicas”: Débito e Crédito CONTABILIDADE – Noções Fundamentais Diminuição de PASSIVO O nosso “amigo” responsável pelas CONTAS A PAGAR DÉBITO <ul><li>Aplica-se o DÉBITO </li></ul><ul><li>Diminuição de PASSIVO </li></ul>Aumento de PASSIVO CRÉDITO <ul><li>Aplica-se o CRÉDITO </li></ul><ul><li>Aumento de PASSIVO </li></ul>Pagamento de OBRIGAÇÃO Nascimento de OBRIGAÇÃO PASSIVO Saldo CREDOR ou NULO
  60. 60. MÉTODO DAS PARTIDAS DOBRADAS As Palavras “Mágicas”: Débito e Crédito CONTABILIDADE – Noções Fundamentais Diminuição de P.LÍQUIDO O nosso “amigo” responsável pelos LUCROS ACUMULADOS DÉBITO <ul><li>Aplica-se o DÉBITO </li></ul><ul><li>Diminuição P. LÍQUIDO </li></ul>Aumento de P.LÍQUIDO CRÉDITO <ul><li>Aplica-se o CRÉDITO </li></ul><ul><li>Aumento de P. LÍQUIDO </li></ul>Pagamento do LUCRO Nascimento do LUCRO PATRIMÔNIO LÍQUIDO Saldo CREDOR ou NULO
  61. 61. MÉTODO DAS PARTIDAS DOBRADAS As Palavras “Mágicas”: Débito e Crédito CONTABILIDADE – Noções Fundamentais O nosso “amigo” responsável pelas RECEITAS DÉBITO <ul><li>Aplica-se o DÉBITO (Excepcionalmente) </li></ul><ul><li>Cancelamento </li></ul><ul><li>Apuração do RESULTADO </li></ul>CRÉDITO <ul><li>Aplica-se o CRÉDITO </li></ul><ul><li>Aumento de RECEITA </li></ul>Cancelamento da RECEITA Surgimento da RECEITA Encerramento da RECEITA para apuração do RESULTADO
  62. 62. MÉTODO DAS PARTIDAS DOBRADAS As Palavras “Mágicas”: Débito e Crédito CONTABILIDADE – Noções Fundamentais O nosso “amigo” responsável pelas DESPESAS DÉBITO <ul><li>Aplica-se o DÉBITO </li></ul><ul><li>Aumento de DESPESAS </li></ul>CRÉDITO Surgimento da DESPESA Cancelamento da DESPESA Encerramento da DESPESA para apuração do RESULTADO <ul><li>Aplica-se o CRÉDITO </li></ul><ul><li>(Excepcionalmente) </li></ul><ul><li>Cancelamento </li></ul><ul><li>Apuração do RESULTADO </li></ul>
  63. 63. MÉTODO DAS PARTIDAS DOBRADAS As Palavras “Mágicas”: Débito e Crédito CONTABILIDADE – Noções Fundamentais Aumento de ATIVO CAIXA (Moeda Corrente) DÉBITO Registro de DESPESAS e/ou CUSTOS ENERGIA ELÉTRICA (Despesa) DÉBITO <ul><li>Aplica-se o DÉBITO </li></ul><ul><ul><li>Aumento do ATIVO </li></ul></ul><ul><ul><li>Registro ou Aumento de DESPESAS </li></ul></ul>
  64. 64. MÉTODO DAS PARTIDAS DOBRADAS As Palavras “Mágicas”: Débito e Crédito CONTABILIDADE – Noções Fundamentais Diminuição de PASSIVO TÍTULO A PAGAR (Obrigação) DÉBITO Diminuição de PATRIMÔNIO LÍQUIDO LUCROS ACUMULADOS DÉBITO <ul><li>Aplica-se o DÉBITO </li></ul><ul><ul><li>Diminuição de PASSIVO </li></ul></ul><ul><ul><li>Diminuição de PATRIMÔNIO LÍQUIDO </li></ul></ul>
  65. 65. MÉTODO DAS PARTIDAS DOBRADAS As Palavras “Mágicas”: Débito e Crédito <ul><li>Aplica-se o CRÉDITO </li></ul><ul><ul><li>Aumento do PASSIVO </li></ul></ul><ul><ul><li>Aumento de PATRIMÔNIO LÍQUIDO </li></ul></ul>CONTABILIDADE – Noções Fundamentais TÍTULOS A PAGAR Aumento de PASSIVO CRÉDITO CAPITAL SOCIAL Aumento de P. LÍQUIDO CRÉDITO
  66. 66. MÉTODO DAS PARTIDAS DOBRADAS As Palavras “Mágicas”: Débito e Crédito <ul><li>Aplica-se o CRÉDITO </li></ul><ul><ul><li>Registro/Aumento de RECEITAS e GANHOS </li></ul></ul><ul><ul><li>Diminuição de ATIVO </li></ul></ul>CONTABILIDADE – Noções Fundamentais RECEITA VENDA DE MERCADORIAS Diminuição de ATIVO CRÉDITO CAIXA (Moeda Corrente) Registro de RECEITAS e/ou GANHOS CRÉDITO
  67. 67. MÉTODO DAS PARTIDAS DOBRADAS As Palavras “Mágicas”: Débito e Crédito <ul><li>EXEMPLO (1) </li></ul><ul><ul><li>Compra de MERCADORIAS com pagamento em MOEDA CORRENTE, no valor de R$ 4.800,00 </li></ul></ul>CONTABILIDADE – Noções Fundamentais MERCADORIAS CAIXA Aumento de ATIVO Diminuição de ATIVO DÉBITO CRÉDITO 4.800,00 4.800,00
  68. 68. MÉTODO DAS PARTIDAS DOBRADAS As Palavras “Mágicas”: Débito e Crédito <ul><li>EXEMPLO (2) </li></ul><ul><ul><li>Compra de MERCADORIAS adquiridas a PRAZO, no valor de R$ 6.400,00 </li></ul></ul>CONTABILIDADE – Noções Fundamentais MERCADORIAS DUPLICATAS A PAGAR Aumento de ATIVO DÉBITO 6.400,00 Aumento de PASSIVO CRÉDITO 6.400,00
  69. 69. MÉTODO DAS PARTIDAS DOBRADAS As Palavras “Mágicas”: Débito e Crédito <ul><li>EXEMPLO (3) </li></ul><ul><ul><li>Aumento de CAPITAL SOCIAL através de MOEDA CORRENTE, no valor de R$ 9.200,00 </li></ul></ul>CONTABILIDADE – Noções Fundamentais CAIXA CAPITAL SOCIAL Aumento de ATIVO Aumento de ATIVO DÉBITO CRÉDITO 9.200,00 9.200,00
  70. 70. MÉTODO DAS PARTIDAS DOBRADAS As Palavras “Mágicas”: Débito e Crédito <ul><li>EXEMPLO (4) </li></ul><ul><ul><li>Compra de MATERIAIS DE ESCRITÓRIO para consumo, com pagamento em MOEDA CORRENTE, no valor de R$ 810,00 </li></ul></ul>CONTABILIDADE – Noções Fundamentais DESP MAT ESCRITÓRIO CAIXA Registro de DESPESAS Diminuição de ATIVO DÉBITO CRÉDITO 810,00 810,00
  71. 71. MÉTODO DAS PARTIDAS DOBRADAS As Palavras “Mágicas”: Débito e Crédito <ul><li>EXEMPLO (5) </li></ul><ul><ul><li>Pagamento de parcela de FINANCIAMENTO, através de CONTA BANCÁRIA no valor de R$ 3.780,00 </li></ul></ul>CONTABILIDADE – Noções Fundamentais FINANCIAMENTOS BANCOS CONTA MOVIMENTO Diminuição de PASSIVO Diminuição de ATIVO DÉBITO CRÉDITO 3.780,00 3.780,00
  72. 72. MÉTODO DAS PARTIDAS DOBRADAS As Palavras “Mágicas”: Débito e Crédito <ul><li>EXEMPLO (6) </li></ul><ul><li>Pagamento ao sócio da empresa de parcela dos LUCROS ACUMULADOS, através de CONTA BANCÁRIA no valor de R$ 6.120,00 </li></ul>CONTABILIDADE – Noções Fundamentais LUCROS ACUMULADOS BANCOS CONTA MOVIMENTO Diminuição de P. LÍQUIDO Diminuição de ATIVO DÉBITO CRÉDITO 6.120,00 6.120,00
  73. 73. MÉTODO DAS PARTIDAS DOBRADAS As Palavras “Mágicas”: Débito e Crédito <ul><li>EXEMPLO (7) </li></ul><ul><ul><li>Receita da VENDA DE MERCADORIAS com recebimento através de MOEDA CORRENTE, no valor de R$ 1.260,00 </li></ul></ul>CONTABILIDADE – Noções Fundamentais CAIXA RECEITA VENDA MERCADORIAS Aumento de ATIVO Registro de RECEITA DÉBITO CRÉDITO 1.260,00 1.260,00
  74. 74. MÉTODO DAS PARTIDAS DOBRADAS Proposições Fundamentais Lógicas CONTABILIDADE – Noções Fundamentais A soma dos DÉBITOS é sempre igual à soma dos CRÉDITOS 1 A soma dos SALDOS DEVEDORES é sempre igual à soma dos SALDOS CREDORES 2 As DESPESAS são sempre DEBITADAS e provocam REDUÇÃO do PATRIMÕNIO LÍQUIDO 3 As RECEITAS são sempre CREDITADAS e provocam AUMENTO do PATRIMÕNIO LÍQUIDO 4
  75. 75. MÉTODO DAS PARTIDAS DOBRADAS Proposições Fundamentais Lógicas A diferença entre a SOMA DOS BENS e DIREITOS (parte positiva do patrimônio) e as OBRIGAÇÕES (parte negativa do patrimônio), é sempre igual a situação líquida denominada PATRIMÔNIO LÍQUIDO 5 As APLICAÇÕES DE CAPITAL, registradas a DÉBITO das contas de NATUREZA ATIVA, é sempre igual à dos CAPITAIS FORNECIDOS ao patrimônio, registradas a CRÉDITO das contas de NATUREZA PASSIVA, daí porque o ATIVO é sempre igual a soma do PASSIVO + PATRIMÔNIO LÍQUIDO 6 CONTABILIDADE – Noções Fundamentais
  76. 76. MÉTODO DAS PARTIDAS DOBRADAS Proposições Fundamentais Lógicas A diferença entre as RECEITAS e as DESPESAS resulta em LUCRO ou PREJUÍZO, completa a EQUAÇÃO PATRIMONIAL, indicando AUMENTO ou DIMINUIÇÃO do PATRIMÔNIO LÍQUIDO 7 Através da denominada EQUAÇÃO DINÂMICA conclui-se que a soma dos ATIVO + DESPESAS é sempre igual à soma do PASSIVO + PATRIMÔNIO LÍQUIDO + RECEITAS 8 Através da denominada EQUAÇÃO ESTÁTICA conclui-se que a soma dos ATIVO é sempre igual à soma do PASSIVO + PATRIMÔNIO LÍQUIDO 9 CONTABILIDADE – Noções Fundamentais
  77. 77. CONTABILIDADE Atos e Fatos Administrativos ou Contábeis <ul><li>O significado dos Atos Administrativos </li></ul><ul><li>O significado dos Fatos Administrativos </li></ul><ul><li>Fatos Permutativos ou Compensativos </li></ul><ul><li>Fatos Modificativos </li></ul><ul><li>Fatos Mistos ou Compostos </li></ul>CONTABILIDADE – Noções Fundamentais
  78. 78. CONTABILIDADE Significado de Ato e Fato Administrativo CONTABILIDADE – Noções Fundamentais ATO ADMINISTRATIVO <ul><li>Não dá origem a LANÇAMENTO CONTÁBIL </li></ul><ul><li>Acontecimento, em geral burocrático, que NÃO provoca qualquer alteração na RIQUEZA PATRIMONIAL; </li></ul>FATO ADMINISTRATIVO <ul><li>Acontecimento de caráter econômico ou financeiro, que provoca alteração qualitativa ou quantitativa na RIQUEZA PATRIMONIAL; </li></ul><ul><li>Dá origem normal a LANÇAMENTO CONTÁBIL; </li></ul><ul><li>Registro do fato através de contas PATRIMONIAIS e de RESULTADO; </li></ul>Ex.: Anotações de natureza TRABALHISTA na carteira profissional do empregado Ex.: Pagamento de SALÁRIO do empregado contratado
  79. 79. CONTABILIDADE Espécies de Fatos Contábeis ou Administrativos <ul><li>Os REGISTROS CONTÁBEIS provocam alterações QUALITATIVAS e QUANTITATIVAS; </li></ul>CONTABILIDADE – Noções Fundamentais <ul><li>Podem provocar alterações no LUCRO ou PREJUÍZO quando envolver CONTAS DE RESULTADO </li></ul><ul><li>Pode envolver apenas as CONTAS PATRIMONIAIS; </li></ul><ul><li>1 . Fato PERMUTATIVO ou COMPENSATIVO; </li></ul><ul><li>2. Fato MODIFICATIVO </li></ul>Aumentativo Diminutivo <ul><li>3. Fato MISTO ou COMPOSTO </li></ul>Aumentativo Diminutivo
  80. 80. CONTABILIDADE Características dos Fatos Permutativos <ul><li>Envolve apenas CONTAS PATRIMONIAIS; </li></ul><ul><li>Não alteram a RIQUEZA PATRIMONIAL; </li></ul>CONTABILIDADE – Noções Fundamentais FATOS PERMUTATIVOS ou COMPENSATIVOS são aqueles que envolvem apenas CONTAS PATRIMONIAIS, permutando ou compensando os seus elementos
  81. 81. CONTABILIDADE Exemplos de Fatos Permutativos 1.º CASO AUMENTO de um ATIVO IMOBILIZADO e DIMINUIÇÃO de outro ATIVO CIRCULANTE Ex.: Compra de VEÍCULO com pagamento através de CONTA BANCÁRIA, no valor de R$ 20.400,00 CONTABILIDADE – Noções Fundamentais VEÍCULOS BANCOS CONTA MOVIMENTO Aumento de ATIVO DÉBITO 20.400,00 Diminuição de ATIVO CRÉDITO 20.400,00
  82. 82. CONTABILIDADE Exemplos de Fatos Permutativos 2.º CASO AUMENTO de ATIVO CIRCULANTE e AUMENTO de PASSIVO CIRCULANTE Ex.: Compra de MERCADORIAS com vencimento a prazo através de DUPLICATA, no valor de R$ 12.600,00 CONTABILIDADE – Noções Fundamentais MERCADORIAS DUPLICATAS A PAGAR Aumento de ATIVO DÉBITO 12.600,00 Aumento de PASSIVO CRÉDITO 12.600,00
  83. 83. CONTABILIDADE Exemplos de Fatos Permutativos 3.º CASO DIMINUIÇÃO de PASSIVO CIRCULANTE e DIMINUIÇÃO de ATIVO CIRCULANTE Ex.: Pagamento de EMPRÉSTIMO BANCÁRIO com através de CONTA BANCÁRIA, no valor de R$ 60.000,00 CONTABILIDADE – Noções Fundamentais EMPRÉSTIMOS A PAGAR BANCOS C/MOVIMENTO Diminuição de PASSIVO DÉBITO 60.000,00 Diminuição de ATIVO CRÉDITO 60.000,00
  84. 84. CONTABILIDADE Exemplos de Fatos Permutativos 4.º CASO DIMINUIÇÃO de PASSIVO NÃO CIRCULANTE e AUMENTO de PASSIVO CIRCULANTE Ex.: Transferência de um FINANCIAMENTO de longo prazo (PNC) FINANCIAMENTO de curto prazo (PC), no valor de R$ 80.000,00 CONTABILIDADE – Noções Fundamentais FINANCIAMENTOS-PNC FINANCIAMENTOS-PC Diminuição de PASSIVO DÉBITO 80.000,00 Aumento de PASSIVO CRÉDITO 80.000,00
  85. 85. CONTABILIDADE Exemplos de Fatos Permutativos 5.º CASO DIMINUIÇÃO de um PATRIMÔNIO LÍQUIDO e AUMENTO de outro PATRIMÔNIO LÍQUIDO Ex.: Aumento de CAPITAL SOCIAL através de LUCROS ACUMULADOS, no valor de R$ 40.000,00 CONTABILIDADE – Noções Fundamentais <ul><ul><li>LUCROS ACUMULADOS </li></ul></ul>CAPITAL SOCIAL Diminuição de P. LÍQUIDO DÉBITO 40.000,00 Aumento de P. LÍQUIDO CRÉDITO 40.000,00
  86. 86. CONTABILIDADE Características dos Fatos Modificativos <ul><li>As RECEITAS geram alterações POSITIVAS na RIQUEZA PATRIMONIAL. Dão origem aos fatos modificativos AUMENTATIVOS; </li></ul><ul><li>As DESPESAS geram alterações NEGATIVAS na RIQUEZA PATRIMONIAL. Dão origem aos fatos modificativos DIMINUTIVOS. </li></ul>CONTABILIDADE – Noções Fundamentais FATOS MODIFICATIVOS alteram a RIQUEZA PATRIMONIAL, envolvendo CONTAS PATRIMONIAIS e de RESULTADO, dando origem a LUCRO ou PREJUÍZO
  87. 87. CONTABILIDADE Exemplos de Fatos Modificativos/Aumentativos 1.º CASO AUMENTO de um ATIVO CIRCULANTE e AUMENTO de uma RECEITA (Resultado) Ex.: Recebimento de MOEDA CORRENTE referente a RECEITA DE ALUGUEL, no valor de R$ 6.300,00 CONTABILIDADE – Noções Fundamentais CAIXA RECEITA DE ALUGUEL Aumento de ATIVO DÉBITO 6.300,00 Aumento de RECEITA CRÉDITO 6.300,00
  88. 88. CONTABILIDADE Exemplos de Fatos Modificativos/Aumentativos 2.º CASO DIMINUIÇÃO de PASSIVO CIRCULANTE e AUMENTO de RECEITA (Resultado) Ex.: Recebimento de DESCONTO FINANCEIRO por pagamento antecipado de uma DUPLICATA A PAGAR, no valor de R$ 1.940,00 CONTABILIDADE – Noções Fundamentais DUPLICATAS A PAGAR DESC FINANC RECEBIDO Diminuição de PASSIVO DÉBITO 1.940,00 Aumento de RECEITA CRÉDITO 1.940,00
  89. 89. CONTABILIDADE Exemplos de Fatos Modificativos/Diminutivos 3.º CASO AUMENTO de DESPESA (Resultado) e DIMINUIÇÃO de ATIVO CIRCULANTE Ex.: Pagamento de ENERGIA ELÉTRICA através da CONTA BANCÁRIA, no valor de R$ 1.260,00 CONTABILIDADE – Noções Fundamentais ENERGIA ELÉTRICA BANCOS C/MOVIMENTO Aumento de DESPESA DÉBITO 1.260,00 Diminuição de ATIVO CRÉDITO 1.260,00
  90. 90. CONTABILIDADE Exemplos de Fatos Modificativos/Diminutivos 4.º CASO AUMENTO de DESPESA (Resultado) e AUMENTO de PASSIVO CIRCULANTE Ex.: Compra de MATERIAL DE ESCRITÓRIO com vencimento a prazo através de DUPLICATA, no valor de R$ 980,00 CONTABILIDADE – Noções Fundamentais MATERIAL ESCRITÓRIO DUPLICATAS A PAGAR Aumento de DESPESA DÉBITO 980,00 Aumento de PASSIVO CRÉDITO 980,00
  91. 91. CONTABILIDADE Características dos Fatos Mistos ou Compostos <ul><li>O fato contábil pressupõe a existência concomitante de um FATO PERMUTATIVO associado a um FATO MODIFICATIVO. </li></ul>CONTABILIDADE – Noções Fundamentais FATOS MISTOS ou COMPOSTOS compreendem a permuta ou compensação de CONTAS PATRIMONIAIS com a modificação da RIQUEZA PATRIMONIAL através das CONTAS DE RESULTADO <ul><li>Podem ser DIMINUTIVOS ou AUMENTATIVOS. </li></ul>
  92. 92. CONTABILIDADE Exemplo de Fato Misto/Aumentativo 1.º CASO AUMENTO de um ATIVO CIRCULANTE, DIMINUIÇÃO de outro ATIVO CIRCULANTE, AUMENTO de RECEITA (Resultado) CONTABILIDADE – Noções Fundamentais Ex.: Recebimento de MOEDA CORRENTE no valor de R$ 7.300,00 referente baixa DUPLICATA no valor de R$ 6.900,00 acrescido de JUROS no valor de R$ 400,00
  93. 93. CONTABILIDADE Exemplo de Fato Misto/Aumentativo Ex.: Recebimento de MOEDA CORRENTE no valor de R$ 7.300,00 referente baixa DUPLICATA no valor de R$ 6.900,00 acrescido de JUROS no valor de R$ 400,00 CONTABILIDADE – Noções Fundamentais CAIXA RECEITA DE JUROS DUPLICATAS A RECEBER Aumento de ATIVO DÉBITO 7.300,00 Aumento de RECEITA CRÉDITO 400,00 Diminuição de ATIVO CRÉDITO 6.900,00
  94. 94. CONTABILIDADE Exemplo de Fato Misto/Diminutivo 2.º CASO DIMINUIÇÃO de ATIVO CIRCULANTE, DIMINUIÇÃO de PASSIVO CIRCULANTE, AUMENTO de DESPESA (Resultado) CONTABILIDADE – Noções Fundamentais Ex.: Pagamento em MOEDA CORRENTE no valor de R$ 7.300,00 referente liquidação de DUPLICATA no valor de R$ 6.900,00 acrescido de JUROS no valor de R$ 400,00
  95. 95. CONTABILIDADE Exemplos de Fato Misto/Diminutivo CONTABILIDADE – Noções Fundamentais DESPESA DE JUROS DUPLICATAS A PAGAR Ex.: Pagamento em MOEDA CORRENTE no valor de R$ 7.300,00 referente liquidação de DUPLICATA no valor de R$ 6.900,00 acrescido de JUROS no valor de R$ 400,00 CAIXA Aumento DESPESA <ul><ul><li>DÉBITO </li></ul></ul>400,00 Diminuição PASSIVO DÉBITO 6.900,00 Diminuição ATIVO CRÉDITO 7.300,00
  96. 96. CONTABILIDADE Comparação: Fato Misto Aumentativo e Diminutivo CONTABILIDADE – Noções Fundamentais Ex.: Recebimento de DUPLICATA com JUROS Ex.: Pagamento de DUPLICATA com JUROS CAIXA RECEITA DE JUROS DUPLICATAS A RECEBER DÉBITO 7.300,00 CRÉDITO 400,00 CRÉDITO 6.900,00 DESPESA DE JUROS DUPLICATAS A PAGAR CAIXA <ul><ul><li>DÉBITO </li></ul></ul>400,00 DÉBITO 6.900,00 CRÉDITO 7.300,00
  97. 97. CONTABILIDADE Significados Diversos da Expressão “Capital” <ul><li>A composição completa do Patrimônio </li></ul><ul><li>Significados diversos da expressão “Capital” </li></ul><ul><li>Lançamentos Contábeis iniciais de constituição de uma empresa </li></ul>CONTABILIDADE – Noções Fundamentais
  98. 98. <ul><li>ATIVO </li></ul><ul><li>CIRCULANTE </li></ul><ul><li>NÃO CIRCULANTE </li></ul><ul><ul><li>Realizável a Longo Prazo </li></ul></ul><ul><ul><li>I nvestimentos </li></ul></ul><ul><ul><li>Imobilizado </li></ul></ul><ul><ul><li>Intangível </li></ul></ul>CONTABILIDADE Demonstração Completa dos Grupos Patrimoniais <ul><li>PASSIVO </li></ul><ul><li>CIRCULANTE </li></ul><ul><li>NÃO CIRCULANTE </li></ul><ul><ul><li>Exigível a Longo Prazo </li></ul></ul>CONTABILIDADE – Noções Fundamentais <ul><li>PATRIMÔNIO LÍQUIDO </li></ul><ul><li>Capital Social </li></ul><ul><li>Reservas de Capital </li></ul><ul><li>Ajuste de Avaliação Patrimonial </li></ul><ul><li>Reservas de Lucros </li></ul><ul><li>(-) Ações em Tesouraria </li></ul><ul><li>(-) Prejuízos Acumulados </li></ul>
  99. 99. CONTABILIDADE Significados Diversos da Expressão “Capital” <ul><li>Compreende as exigibilidades representadas pelos RECURSOS DE TERCEIROS (Passivo) decorrentes de obrigações geradas de empréstimos, financiamentos e outras formas de OBRIGAÇÕES; </li></ul>CONTABILIDADE – Noções Fundamentais 01 1. CAPITAL DE TERCEIROS <ul><li>Representado por rubricas contábeis classificadas no PASSIVO CIRCULANTE (curto prazo) ou PASSIVO NÃO CIRCULANTE (longo prazo); </li></ul>CAPITAL DE TERCEIROS <ul><li>PASSIVO </li></ul><ul><li>CIRCULANTE </li></ul><ul><li>Fornecedores .................... </li></ul><ul><li>Empréstimos a Pagar ........ </li></ul><ul><li>Salários a Pagar............. </li></ul><ul><li>Imposto a Recolher............ </li></ul>28.200,00 29.000,00 8.900.00 6.300,00 72.400,00
  100. 100. CONTABILIDADE Significados Diversos da Expressão “Capital” CONTABILIDADE – Noções Fundamentais 2. CAPITAL PRÓPRIO CAPITAL PRÓPRIO – Compreende o Patrimônio Líquido, representado pelo CAPITAL SOCIAL, RESERVAS e demais componentes; 02 CAPITAL PRÓPRIO <ul><li>PATRIMÔNIO LÍQUIDO </li></ul><ul><li>Capital Social .................. </li></ul><ul><li>Reservas de Capital ........... </li></ul><ul><li>Reservas de Lucros............ </li></ul><ul><li>Lucros Acumulados............ </li></ul>60.000,00 19.600,00 10.300.00 14.700,00 104.600,00
  101. 101. CONTABILIDADE Significados Diversos da Expressão “Capital” CONTABILIDADE – Noções Fundamentais 3. CAPITAL TOTAL À DISPOSIÇÃO DA EMPRESA Compreende o somatório do CAPITAL PRÓPRIO (Patrimônio Líquido) e CAPITAL DE TERCEIROS (Passivo), colocados à disposição da empresa, para atingir seus objetivos sociais; 03 CAPITAL DE TERCEIROS <ul><li>PASSIVO </li></ul><ul><li>CIRCULANTE . . . </li></ul>72.400,00 TOTAL . . . . 177.000,00 CAPITAL TOTAL Á DISPOSIÇÃO DA EMPRESA CAPITAL PRÓPRIO <ul><li>PATRIMÔNIO LÍQUIDO </li></ul><ul><li>Capital e Reservas </li></ul>104.400,00
  102. 102. CONTABILIDADE Capital de Terceiros + Capital Próprios CONTABILIDADE – Noções Fundamentais CAPITAL DE TERCEIROS CAPITAL PRÓPRIO <ul><li>PASSIVO </li></ul><ul><li>CIRCULANTE </li></ul><ul><li>Fornecedores .................... </li></ul><ul><li>Empréstimos a Pagar ........ </li></ul><ul><li>Salários a Pagar................. </li></ul><ul><li>Imposto a Recolher............ </li></ul>28.200,00 29.000,00 8.900.00 6.300,00 72.400,00 <ul><li>PATRIMÔNIO LÍQUIDO </li></ul><ul><li>Capital Social .................. </li></ul><ul><li>Reservas de Capital ........... </li></ul><ul><li>Reservas de Lucros............ </li></ul><ul><li>Lucros Acumulados............ </li></ul>60.000,00 19.600,00 10.300.00 14.700,00 104.600,00 TOTAL . . . . 177.000,00 CAPITAL TOTAL Á DISPOSIÇÃO DA EMPRESA
  103. 103. CONTABILIDADE Significados Diversos da Expressão “Capital” 04 4. CAPITAL AUTORIZADO CONTABILIDADE – Noções Fundamentais Compreende o limite em UNIDADES MONETÁRIAS ou em QUANTIDADE DE AÇÕES, através do qual a Assembléia Geral Ordinária autoriza ao Conselho de Administração ou Diretoria Executiva, a promover o aumento do CAPITAL SOCIAL até aquele limite, independentemente de reforma estatutária; 23 Patrimônio Líquido O CAPITAL SOCIAL AUTORIZADO da Companhia em 31 de dezembro de 2010 e 2009 e 1.º de janeiro de 2009 é de R$ 1.300.000 e o integralizado até a data do balanço é de R$ 542.163. (Fonte: Jornal VALOR ECONÔMICO, de 21.02.11)
  104. 104. CONTABILIDADE Significados Diversos da Expressão “Capital” CONTABILIDADE – Noções Fundamentais 5. CAPITAL SUBSCRITO <ul><li>Compreende a parcela do CAPITAL SOCIAL que encontrou colocação através da AÇÕES (Boletim de Subscrição) ou QUOTAS (Contrato Social) disponibilizadas no mercado de valores mobiliários; </li></ul>05 <ul><li>Regra geral, o CAPITAL SUBSCRITO é igual ao CAPITAL SOCIAL, considerando que os títulos mobiliários disponibilizados no mercado, quase sempre encontram compradores. </li></ul>
  105. 105. CONTABILIDADE Significados Diversos da Expressão “Capital” 06 <ul><li>Compreende uma rubrica contábil que corresponde ao VALOR A RECEBER dos acionistas ou sócios, referente à subscrição do CAPITAL SOCIAL; </li></ul>CONTABILIDADE – Noções Fundamentais <ul><li>PATRIMÔNIO LÍQUIDO </li></ul><ul><li>Capital Social .................. </li></ul><ul><li>(-) Capital a Realizar......... </li></ul>60.000,00 (8.000,00) <ul><li>No Balanço Patrimonial é considerada CONTA RETIFICADORA DO PATRIMÔNIO LÍQUIDO; </li></ul><ul><li>Também denominada CAPITAL A INTEGRALIZAR; </li></ul>6. CAPITAL A REALIZAR
  106. 106. CONTABILIDADE Significados Diversos da Expressão “Capital” CONTABILIDADE – Noções Fundamentais 07 Compreende o valor PARCIAL ou TOTAL, efetivamente entregue pelos sócios ou acionistas através de MOEDA CORRENTE ou outros BENS E DIREITOS, para integralização parcela adquirida do CAPITAL SOCIAL; <ul><li>CAPITAL REALIZADO </li></ul><ul><li>Capital Social .................. </li></ul><ul><li>(-) Capital a Realizar......... </li></ul>60.000,00 (8.000,00) 52.000,00 Compreende a a diferença algébrica entre o CAPITAL SOCIAL e o CAPITAL A REALIZAR; 7. CAPITAL REALIZADO
  107. 107. CONTABILIDADE Significados Diversos da Expressão “Capital” <ul><li>ATIVO </li></ul><ul><li>CIRCULANTE </li></ul><ul><li>Caixa </li></ul><ul><li>Duplicatas a Receber </li></ul><ul><li>Estoque de Mercadorias </li></ul><ul><li>NÃO CIRCULANTE </li></ul><ul><ul><li>Empréstimos a Receber </li></ul></ul><ul><ul><li>Participações Societárias </li></ul></ul><ul><ul><li>Máquinas e Equipamentos </li></ul></ul><ul><ul><li>Marcas e Patentes </li></ul></ul>08 <ul><li>É a expressão utilizada para identificar o ATIVO; </li></ul>CONTABILIDADE – Noções Fundamentais CAPITAL INVESTIDO 8. CAPITAL INVESTIDO <ul><li>Compreende valores representados por moeda corrente, valores a receber, estoques, bens de uso e outros itens CIRCULANTES ou NÃO CIRCULANTES; </li></ul>
  108. 108. CONTABILIDADE Significados Diversos da Expressão “Capital” <ul><li>ATIVO </li></ul><ul><li>CIRCULANTE </li></ul><ul><li>Bancos Conta Movimento </li></ul><ul><li>Clientes ou Duplicatas a Receber </li></ul><ul><li>Estoque de Produtos </li></ul>09 Compreende os BENS E DIREITOS representados por moeda corrente, valores a receber, estoques e outros itens CIRCULANTES; CONTABILIDADE – Noções Fundamentais CAPITAL DE GIRO <ul><li>É o mesmo que CAPITAL DE GIRO; </li></ul>9. CAPITAL CIRCULANTE
  109. 109. CONTABILIDADE Significados Diversos da Expressão “Capital” <ul><li>ATIVO </li></ul><ul><li>NÃO CIRCULANTE </li></ul><ul><li>Debêntures a Receber </li></ul><ul><li>Ações de Outras Empresas </li></ul><ul><li>Terrenos e Edificações </li></ul><ul><li>Direitos Autorais </li></ul>10 <ul><li>Compreende os BENS E DIREITOS tangíveis e intangíveis, representados por direitos realizáveis a longo prazo, investimentos, imobilizados e intangíveis, denominados de ATIVOS NÃO CIRCULANTES; </li></ul>CONTABILIDADE – Noções Fundamentais CAPITAL NÃO CIRCULANTE 10. CAPITAL NÃO CIRCULANTE
  110. 110. CONTABILIDADE Significados Diversos da Expressão “Capital” 11 <ul><li>Compreende a diferença algébrica entre o ATIVO CIRCULANTE e o PASSIVO CIRCULANTE; </li></ul>CONTABILIDADE – Noções Fundamentais ATIVO CIRCULANTE R$ 92.600,00 ATIVO CIRCULANTE (R$ 72.400,00) + - CAPITAL CIRCULANTE LÍQUIDO R$ 20.200,00 = <ul><li>É o mesmo que CAPITAL DE GIRO LÍQUIDO; </li></ul>11. CAPITAL NÃO CIRCULANTE <ul><li>PASSIVO </li></ul><ul><li>CIRCULANTE </li></ul><ul><li>Fornecedores ......... </li></ul><ul><li>Emprést a Pagar..... </li></ul><ul><li>Salários a Pagar...... </li></ul><ul><li>Imposto a Recolher. </li></ul>28.200,00 29.000,00 8.900.00 6.300,00 72.400,00 <ul><li>ATIVO </li></ul><ul><li>CIRCULANTE </li></ul><ul><li>Caixa . . . . . . . . . . </li></ul><ul><li>Duplic a Receber . </li></ul><ul><li>Mercadorias . . . . . </li></ul><ul><li>Icms a Recuperar. </li></ul>6.900,00 29.800,00 47.200,00 8.700,00 92.600,00
  111. 111. CONTABILIDADE Lançamentos na Constituição de Empresa <ul><li>Lançamento de Subscrição de Capital </li></ul><ul><li>Lançamento de Integralização de Capital </li></ul>CONTABILIDADE – Noções Fundamentais
  112. 112. CONTABILIDADE Informações para Constituição de Empresa <ul><li>Capital Social de R$ 200.000,00 constituída por 2 sócios; </li></ul><ul><li>SÓCIO n.º 1: Subscreve 60% e integraliza a totalidade, sendo R$ 100.000,00 em MOEDA CORRENTE depositado na CONTA BANCÁRIA e R$ 20.000,00 através de um TERRENO; </li></ul><ul><li>SÓCIO n.º 2: Subscreve 40% e integraliza 30% sendo R$ 45.000,00 através de um VEÍCULO e R$ 15.000,00 através de MÓVEIS E UTENSÍLIOS. O valor restante será integralizado no prazo de 120 dias </li></ul>CONTABILIDADE – Noções Fundamentais
  113. 113. PATRIMÔNIO LÍQUIDO Classificação Segundo a Legislação Societária <ul><li>CAPITAL SOCIAL </li></ul><ul><li>(-) CAPITAL A INTEGRALIZAR </li></ul>CONTABILIDADE – Noções Fundamentais
  114. 114. <ul><li>CAPITAL SOCIAL </li></ul><ul><li>Art. 182 – A conta do CAPITAL SOCIAL discriminará o montante, e por dedução a PARCELA AINDA NÃO INTEGRALIZADA </li></ul><ul><li>Ex.: Empresa constituída com Capital Social de R$ 200.000,00 </li></ul>CONTABILIDADE Lançamento de Subscrição do Capital CAPITAL SOCIAL CAPITAL A INTEGRALIZAR (1) 200.000 200.000 (1) CONTABILIDADE – Noções Fundamentais
  115. 115. CONTABILIDADE Lançamento de Integralização de Capital CAPITAL SOCIAL CAPITAL A INTEGRALIZAR (1) 200.000 200.000 (1) SÓCIO n.º 1: Subscreve 60% e integraliza a totalidade, sendo R$ 100.000,00 em MOEDA CORRENTE depositado na CONTA BANCÁRIA e R$ 20.000,00 através de um TERRENO; BANCOS C/MOVIMENTO TERRENO (2) 100.000 (2) 20.000 120.000 (2) CONTABILIDADE – Noções Fundamentais
  116. 116. CONTABILIDADE Lançamento de Integralização de Capital CAPITAL SOCIAL CAPITAL A INTEGRALIZAR (1) 200.000 200.000 (1) BANCOS C/MOVIMENTO TERRENO (2) 100.000 (2) 20.000 120.000 (2) SÓCIO n.º 2: Subscreve 40% e integraliza 30% sendo R$ 45.000,00 através de um VEÍCULO e R$ 15.000,00 através de MÓVEIS E UTENSÍLIOS. O restante será integralizado no prazo de 120 dias VEÍCULOS MÓVEIS E UTENSÍLIOS (3) 45.000 (3) 15.000 60 .000 (3) CONTABILIDADE – Noções Fundamentais 20.000 200.000 180.000
  117. 117. CONTABILIDADE Balanço Patrimonial após a Constituição CONTABILIDADE – Noções Fundamentais <ul><li>PASSIVO </li></ul><ul><li>CIRCULANTE </li></ul><ul><li>... </li></ul><ul><li>... </li></ul><ul><li>NÃO CIRCULANTE </li></ul>TOTAL . . . . . . 180.000,00 <ul><li>ATIVO </li></ul><ul><li>CIRCULANTE </li></ul><ul><li>Bancos c/Movimento </li></ul>100.000,00 <ul><li>Capital Social............. </li></ul><ul><li>(-) Cap Integralizar.... </li></ul>200.000,00 PAT LÍQUIDO <ul><li>Terrenos...................... </li></ul><ul><li>Veículos....................... </li></ul><ul><li>Móveis e Utensílios..... </li></ul>20.000,00 45.000,00 15.000,00 NÃO CIRCULANTE (20.000,00) 80.000,00 100.000,00 180.000,00 TOTAL . . . . . . 180.000,00
  118. 118. <ul><li>ALMEIDA, Marcelo Cavalcanti. Curso Cásico de Contabilidade-Introdução à Metodologia da Contabilidade Básica. 6 ed. São Paulo: Atlas, 2010 </li></ul><ul><li>________ Manual Prático de Interpretação Contábil da Lei Societária. São Paulo: Atlas2010 </li></ul><ul><li>BORINELLI, Márcio Luiz. PIMENTEL, Renê Coppe. Curso de Contabilidade para Gestores, Analistas e Outros Profissionais. São Paulo: Atlas, 2010 </li></ul><ul><li>BRASIL. CFC NBC T 1 – Resolução n.º 1.128, de 28.03.2008 – Pronunciamento Conceitual Básico - Estrutura Conceitual para Elaboração e Apresentação das Demonstrações Contábeis . </li></ul><ul><li>COELHO, Cláudio Ulisses Ferreira. LINS, Luiz dos Santos. Teoria da Contabilidade-Abordagem Contextual, Histórica e Gerencial. São Paulo: Atlas, 2010. </li></ul><ul><li>EQUIPE DE PROFESSORES DA FEA-USP. Contabilidade Introdutória. 11 ed. São Paulo: Atlas, 2010 </li></ul><ul><li>MARTINS, Wolney da Costa. Registros e Problemas Contábeis. São Paulo: Hemus, 1976 </li></ul><ul><li>SÁ, A. Lopes de. SÁ, A. M. Lopes de. Dicionário de Contabilidade. 10 ed. São Paulo: Atlas, 2005 </li></ul>BIBLIOGRAFIA
  119. 119. MUITO OBRIGADO!!! <ul><li>Professor BIRA: </li></ul><ul><ul><ul><ul><li>[email_address] </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>[email_address] </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>[email_address] </li></ul></ul></ul></ul>

×