Obturação dos canais radiculares.

761 visualizações

Publicada em

Obturação de canais radiculares, técnicas e materiais disponíveis no mercado odontológico, baseado numa referência atual.

Publicada em: Educação
0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
761
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Obturação dos canais radiculares.

  1. 1. Professores Orientadores - Tárcia Falcão e Claudia Rizzi Reinaldo Reis Felipe Simões
  2. 2. DEFINIÇAO  “Obturar um canal radicular significa preenche-lo em toda sua extensão com um material inerte ou anti-séptico, selando hermeticamente o mesmo, não interferindo e, de preferência, estimulando o processo de reparo apical e periapical que deve ocorrer após o tratamento endodôntico radical.” LEONARDO, MARIO ROBERTO;2008
  3. 3. OBJETIVOS “Selamento de toda a extensão da cavidade endodôntica, desde sua abertura coronária até seu término apical. Em outras palavras, o material obturador deve ocupar todo o espaço outrora ocupado pelo tecido pulpar, promovendo um selamento adequado nos sentidos apical, lateral e coronário.” SIQUEIRA, JUNIOR ET AL; 2010
  4. 4. PROPRIEDADES IDEAIS PROPRIEDADES BIOLOGICAS • Ação antimicrobiana • Estimular ou permitir a reparação tecidual • Ser reabsorvido no periápice ( extravasamento acidental) • Não ser mutagênico ou carcinogênico PROPRIEDADES FISICO-QUIMICAS • Facilidade de inserção • Ser plástico no momento da inserção tornando-se solido posteriormente. • Selamento mais hermético possível do canal radicular • Não deve ser permeável • Bom escoamento • Não ser solúvel no interior do canal • Ser passível de desinfecção • Fácil remoção • ETC LEONARDO, MARIO ROBERTO;2008
  5. 5. Guta – percha gatah (goma) pertja (arvore) (origem malaia) OLIVEIRA & ISAIA; 1975. Introduzida primeiramente na endodontia, como material obturador, por Bowman em 1867, sendo ainda hoje o material mais popular e mais utilizado na obturação dos canais radiculares LEONARDO, MARIO ROBERTO;2008 Histórico
  6. 6. Composição dos cones de guta-percha Guta-percha Óxido de zinco Outros 20% 1,5 a 15% 60 a 70% Outros: Carbonato de cálcio, sulfato de bário, sulfato de estrôncio, ceras, resinas, corantes, óleo de cravo, etc. LEONARDO, MARIO ROBERTO;2008
  7. 7.  Técnica Protaper
  8. 8. bactérias
  9. 9. de
  10. 10. (IM).
  11. 11. Comprimento real de trabalho (CRT)
  12. 12. Plastificação e Termoplastificação da guta-percha
  13. 13. Plastificadores Therma prep plus SIQUEIRA, JUNIOR ET AL; 2010
  14. 14. Plastificadores Touch‘n Heat System B SIQUEIRA, JUNIOR ET AL; 2010
  15. 15. Plastificadores Obtura II Guta-pecha em bastões SIQUEIRA, JUNIOR ET AL; 2010
  16. 16. Termoplastificação John T. McSpadden 1980 Tagger 1984 (técnica híbrida) SIQUEIRA, JUNIOR ET AL; 2010 LEONARDO, MARIO ROBERTO;2008 •Técnica baseada no principio de um parafuso de rotação reversa • Plastificação da guta-percha mediante a ação mecânica de um instrumento apropriado • Indispensável a utilização do contra-ângulo (baixa rotação) • Rotação no sentido horário
  17. 17. Termoplastificação A) Compactador de macSpadden B) Lima hedstrom A  Aço inoxidável  Diâmetro de 25 a 80mm  Comprimento de 21 e 21mm *Mais utilizados 35 e 55 diâmetro SIQUEIRA, JUNIOR ET AL; 2010
  18. 18. Termoplastificação Prova do cone principal de guta-percha Radiografia cone guta-percha principal com 2 ou 3 cones auxiliares juntamente com o cimento obturador (condensação lateral) radiografia Seleção do compactador de McSpadden de 1 a 2 números acima do cone principal Introdução do compactador distante 2 a 4 mm aquém do CRT (canais retos ou pouco curvos) Acionamento do contra-ângulo por no máximo 10 segundos Compactação vertical (condensador de Paiva) Radiografia final SIQUEIRA, JUNIOR ET AL; 2010 LEONARDO, MARIO ROBERTO;2008
  19. 19. SIQUEIRA, JUNIOR ET AL; 2010 Termoplastificação
  20. 20. Termoplastificação Baixo custo Rápida execução Satisfatório selamento apical Obturar obsorção interna, canais laterais e acessórios Possibilita a correção da obturação evitando a remoção de todo o material obturador Dispensa o uso de equipamentos especiais SIQUEIRA, JUNIOR ET AL; 2010 LEONARDO, MARIO ROBERTO;2008
  21. 21. Conferir o sentido de rotação (teste da gaze) O compactador deve somente ser removido com o micromotor em funcionamento A termoplastificação deve se limitar somente aos terços médio e cervical O profissional não deve impedir, mas controlar o movimento de retrocesso do compactador Importante!!! SIQUEIRA, JUNIOR ET AL; 2010 LEONARDO, MARIO ROBERTO;2008
  22. 22. Considerações finais Conhecimento anatômico Adequada instrumentação Condições necessárias para a realização do procedimento Escolha dos materiais obturadores adequados Conhecimento das técnicas disponíveis “Uma boa obturação é aquela que consegue proporcionar o preenchimento do canal radicular com ausência de espaços internos em todas as suas dimensões, o sepultamento microbiano residual e sempre que possível a estimulação de reparo periapical, garantindo assim o sucesso na terapêutica endodôntica. “ Soares & Reis, 2013

×