Manual de tecnologia

436 visualizações

Publicada em

Tecnologia

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
436
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
10
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Manual de tecnologia

  1. 1. Acreditaram na proposta e apoiaram a ideia: Silmara Sapiense Vespasiano Ricardo Tavares Tomou a iniciativa e orientou as equipes envolvidas: Lauri Cericato Redigiram o texto: Denise Góes Ivonete Lucírio Realizaram a edição de texto e arte: Flávia Renata P. de Almeida Fugita Débora de Almeida Francisco Nichel Otavio Venturoli Gisele Adriana Domingues da Cruz Flávia Campanholli de Oliveira Juliana Tiemi Sano Sugawara Realizaram a preparação e revisão: Lilian Semenichin Nogueira Sandra Lia Farah Marta Lucia Tasso E equipe Ilustrou o material: Weberson Santiago CREDITOS Todos os direitos reservados à EDITORA FTD S.A. Matriz: Rua Rui Barbosa, 156 – Bela Vista – São Paulo – SP CEP 01326-010 Tel. (0-XX-11) 3598-6000 Caixa Postal 65149 – CEP da Caixa Postal 01390-970 Internet: www.ftd.com.br | E-mail: ensino.medio@ftd.com.br
  2. 2. Talvez você já tenha ouvido essa anedota: um ser humano foi congelado há 100 anos e descongelado no ano de 2014. Fica atarantado ao andar pelas ruas e cruzar com tantos carros, ônibus, buzinas. O bom e velho banco, com um caixa simpático, hoje está repleto de máquinas estranhas que cospem dinheiro como mágica. Nosso pobre recém-desperto só encontra alento quando entra em uma escola e reconhece tudo: a lousa, o professor, alunos em carteiras. Isso tem muito de verdade! Se a estrutura da escola mudou pouco, a cabeça do aluno tem passado por transformações que, muitas vezes, são difíceis de acompanhar e os recursos tecnológicos estão relacionados a essas mudanças. O ensino precisa estar afinado com essa realidade. A tecnologia jamais vai substituir o professor, mas cada vez mais ela será usada como ferramenta de ensino em sala de aula. O uso dos recursos tecnológicos pode aproximar alunos e professores na exploração de novos conteúdos a serem trabalhados. O desafio é como fazer a tecnologia passar pelos muros da escola com sabedoria e você, professor, é o abre-alas desse processo. Com sua mediação, os alunos vão, por exemplo, poder tirar o melhor proveito dos dispositivos móveis, aprender a separar o joio do trigo nos sites de busca, usar redes sociais como ferramenta de compartilhamento de informação ou para aprimorar sua competência leitora, tirar a melhor vantagem da sinergia proporcionada pela interação entre o impresso e o digital. Neste material, serão abordados diversos temas sobre recursos digitais e tecnologia, e esperamos que isso possa ajudá-lo a entender melhor esses conceitos, para que, além da informação, eles possam ser aplicados em suas aulas. Equipe editorial ABRAM ALAS PARA A TECNOLOGIA
  3. 3. SUUMMÁÁRIOSUUUUUMMMMMÁÁÁÁÁRIO 04 | 08 | 12 | 16 | 20 | 24 | 28 | 32 | 36 | 40 | 44 | 48 | 52 | Navegadores Sistemas operacionais Sites de pesquisa Blog Comunicadores Dispositivos mOveis Imagem VIdeos ConteUdo multimIdia Mapas Redes sociais Som Textos e planilhas
  4. 4. Servidor É um computador bem mais potente que os que ficam em casa ou no trabalho, e transmite informações às máquinas conectadas a ele. Os servidores foram desenvolvidos para lidar com cargas de trabalho mais pesadas e gerenciam o funcionamento da rede por meio de um equipamento chamado roteador. Html É a linguagem usada para produzir as páginas na web. A sigla significa HyperText Markup Language, ou linguagem de marcação de hipertexto. Cookie Trata-se de um conjunto de informações trocadas entre o navegador e o servidor para que possa ocorrer a comunicação. Essas informações, geralmente, ficam armazenadas dentro de uma pasta no computador pessoal. Guardam dados como a versão do browser que está sendo utilizada. De tempos em tempos, convém fazer uma limpeza e eliminar os cookies armazenados na máquina, porque eles ocupam memória e podem torná-la mais lenta. 4
  5. 5. Browser é o mesmo que navegador. São aplicativos que permitem navegar pela internet, ou seja, interagir com as páginas html que estão em um servidor. Apesar de a função de todos os browsers ser a mesma, há algumas diferenças entre eles. Uns são mais rápidos e ágeis – o que no jargão da internet significa dizer que são mais “leves” –, outros são mais modernos, e outros ainda considerados mais seguros, por exemplo, para realizar procedimentos bancários. Também varia a quantidade de cookie que cada browser instala no computador durante a navegação. De tempos em tempos, os browsers são atualizados por seus criadores e lançam-se novas versões. Convém baixar a última versão, pois ela traz recursos mais avançados. Os browsers podem ser baixados gratuitamente da internet e é possível ter mais de um instalado na máquina. É preciso lembrar somente que eles ocupam a memória do computador, podendo torná-lo mais lento. NAVEGADORES 5
  6. 6. GOOGLE CHROME www.google.com.br/chrome O Google Chrome é um navegador considerado “leve”, as páginas carregam com maior rapidez e a instalação também é simples. É possível abrir vários sites em abas e, se algum deles deixar de funcionar, os demais continuam operando. Foi desenvolvido pelo próprio Google. MOZILLA-FIREFOX http://br.mozdev.org/ O Firefox conta com vários plug- in – complementos que permitem ao programa realizar algumas funções – para facilitar a navegação e a usabilidade. Por outro lado, consome bastante memória do computador, o que pode tornar a navegação um tanto lenta. Foi desenvolvido pela Fundação Mozilla. INTERNET EXPLORER http://www.microsoft.com/brasil/ windows/Internet-explorer/ O Internet Explorer oferece recursos de segurança, pois conta com mais opções para bloquear pop-ups, aquelas janelinhas que abrem com o site, geralmente com propagandas ou conteúdos complementares. É possível, por exemplo, criar uma lista dos sites que podem ou não apresentar os pop- -ups. Desenvolvido pela Microsoft. 6
  7. 7. SAFARI http://www.apple.com/safari O navegador foi desenvolvido inicialmente para rodar em máquinas Macintosh, e já vem instalado nelas. Portanto, seu desempenho não é tão bom em máquinas que usam o sistema operacional Windows. A navegação por meio dele é bem simples e intuitiva. Foi desenvolvido pela Apple. Para saber mmais Os navegadores mais usados Os navegadores mais usados em todo o mundo, entre 2011 e 2013, foram: OPERA http://www.opera.com É mais utilizado como navegador em dispositivos móveis, como celulares e smartphones. Oferece recursos para pessoas com visão e com mobilidade reduzidas e conta com várias ferramentas de personalização. Foi desenvolvido pela Opera Software. Fonte dos dados: StatCounter, Fevereiro/2011 a Fevereiro/2013. In: Browser wars revisited. Disponível em: http:// royal.pingdom.com/2013/03/21/browser- wars-2013/. Acesso em: 19 fev. 2014. 37% 30% 21% 9% 1% 7
  8. 8. Um sistema operacional (também conhecido pela sigla SO) é uma coleção de programas que servem, principalmente, para fazer com que o hardware e o software do computador funcionem. É o sistema operacional que realiza o gerenciamento do desktop ou do laptop, como a interação entre as várias tarefas. Por exemplo, cuida para que cada aplicativo que esteja rodando no computador receba os recursos e ocupe a memória necessária para funcionar adequadamente. Existem sistemas operacionais muito mais complexos, como os usados em redes para gerenciar vários SISTEMAS Hardware De maneira bem simplificada, o hardware é a parte física e palpável na informática. Ou seja, a máquina, as placas, os chips. 8
  9. 9. OPERACIONAIS Software O software é o conjunto de instruções e dados que são processados pelos circuitos eletrônicos. É o que faz com que o hardware, ou seja, a máquina, seja capaz de executar suas funções. usuários ao mesmo tempo, ou até controlar o funcionamento de bombas de petróleo. E também existem os sistemas operacionais mais compactos, mas não necessariamente menos potentes, como aqueles que rodam dentro do celular. É possível configurar o sistema operacional da máquina de diferentes formas para mudar o comportamento da máquina. Há quatro sistemas operacionais mais conhecidos: o Windows, o OS X, o Linux e a família Unix. Existem outros, mas com aplicações mais específicas como robótica ou para controlar máquinas. 9
  10. 10. WINDOWS Um dos mais populares sistemas operacionais, o Windows, da Microsoft, já vem instalado na maioria dos computadores de mesa e laptops. Mas as licenças para o uso expiram de tempos em tempos e é preciso comprar – atualmente, essa compra é feita on-line – a nova versão que traz evoluções no seu uso. O Windows 8.1, lançado em 2013, permite, por exemplo, salvar os arquivos na nuvem, ou seja, em um ambiente virtual fora do computador. O nome Windows significa “janelas” em inglês, e é dessa maneira que o sistema operacional organiza as informações: são criadas janelas para exibi-las. MAC OS X O sistema operacional OS X, da Apple, é o que faz rodar os computadores Macintosh. Um dos diferenciais é a valorização da interface gráfica, que aparece com cantos arredondados e mais cores. A dupla Macintosh + OS X é mais utilizada por quem trabalha com programas gráficos, de imagem ou vídeo. 10
  11. 11. LINUX O sistema Linux foi escrito originalmente pelo programador finlandês Linus Torvalds. Trata- -se de um sistema operacional aberto, que pode ser baixado em qualquer máquina sem custo e também permite customizações, ou seja, personalização. Qualquer programador, desde que tenha um conhecimento avançado de linguagem de programação, pode alterar sua funcionalidade e criar uma versão adequada às suas necessidades, disponibilizando ou não essa versão para outros usuários. O Ubuntu, bastante popularizada, é uma dessas customizações. UNIX A família Unix foi criada pelo programador Kenneth Thompson, com a ajuda de Denis Ritchie, ambos ex-funcionários da AT & T. O Unix deu origem a uma série de sistemas operacionais menores, e é a base para a maior parte dos sistemas operacionais que veio depois dele, como o Windows e o Linux. Quando foi lançado, na década de 1970, funcionou sob licença livre e era distribuído gratuitamente a universidades e órgãos governamentais dos Estados Unidos. Depois, a licença tornou-se particular. Boa parte dos sistemas operacionais criados com base no Unix funciona com o código parcialmente aberto, que pode ser adaptado. ANDROID E IOS Alguns sistemas operacionais foram desenvolvidos especialmente para funcionar em dispositivos móveis, como tablet e celular. Dois deles são mais conhecidos: o Android, da Google, e o iOS, da Apple. O primeiro tem como base o Linux e parte dele é de código aberto. O iOS foi desenvolvido para os aparelhos móveis da Apple. Embora existam os que defendem o uso de um ou de outro por causa de algumas especificidades, são muito parecidos de modo geral, e permitem gerenciar as funções do aparelho, baixar e fazer uso dos aplicativos que, na maioria das vezes, estão disponíveis para os dois sistemas. 11
  12. 12. A internet oferece um mundo de informações, e a quantidade não para de crescer. Segundo uma pesquisa realizada em 2012 pela Domo – empresa de inteligência de negócios nos Estados Unidos –, a cada minuto são postadas 48 horas de novos vídeos no Youtube, feitas 2 milhões de pesquisa no Google, criados 571 websites, publicados 347 novos blogs. É muito fácil ficar perdido no meio de tudo isso. Para facilitar o trabalho, existem as ferramentas de busca. Além disso, há os sites de pesquisa propriamente ditos, como as enciclopédias wikis. Mas é preciso bom senso para separar o joio do trigo e verificar se a informação encontrada é realmente confiável. SITES DE PESQUISA 12
  13. 13. Desconfiefie Ferramentas de busca Também conhecidos como motores de busca, são programas desenhados para encontrar informações na internet por meio de palavras-chave que são digitadas pelo usuário. Há vários sites de busca equipados com esse tipo de programa. Wiki A palavra, que em havaiano significa “rápido”, serve para designar softwares colaborativos que permitem fazer publicações em que cada um colabora com as informações que quiser acrescentar, sem que o conteúdo tenha de ser revisto antes da publicação. Não confie em tudo o que encontrar Há muita informação importante na rede, mas também muita bobagem. Por isso, melhor partir do princípio de que nem tudo o que está na rede é confiável. Conheça algumas categorias de sites confiáveis: • Universidades conceituadas, que têm a terminação .edu ou simplesmente a do país de origem, como: USP – Universidade de São Paulo - www.usp.br UNIFESP – Universidade Federal de São Paulo - www.unifesp.br UFRJ – Universidade Federal do Rio de Janeiro - www.ufrj.br MIT - Massachusetts Institute of Technology - www.mit.edu • Instituições não governamentais, como: Greenpeace - http://www.greenpeace.org/brasil/pt/ Organização Mundial da Saúde – OMS - www.who.org Organização das Nações Unidas – ONU - http://www.onu.org.br • Jornais e revistas, como: Folha de S.Paulo - http://www.folha.uol.com.br/ O Globo - http://oglobo.globo.com/ Revista Veja – http://veja.abril.com.br Revista Scientific American Brasil - http://www2.uol.com. br/sciam • Sites do governo, como: Ministério do Meio Ambiente - http://www.mma.gov.br Ministério da Saúde – Portal da Saúde - http://www. saude.gov.br/ Ministério da Educação - http://www.mec.gov.br • Especialistas reconhecidos, como: Site do dr. Drauzio Varella - http://www.drauziovarella.com.br Coluna do jornalista especializado em economia, Celso Ming - http://blogs.estadao.com.br/celso-ming/ 13
  14. 14. BING www.bing.com Criado pela Microsoft, o Bing é um buscador bem completo. Nele, há uma preocupação grande com a parte estética: o site abre sempre com uma bela foto, com destaque para o campo de busca. Na parte inferior da página, há mais imagens sobre a foto em evidência, informações sobre o local, e um link para notícias do momento. É possível personalizar a busca em “Mais – Meu Bing” e manter um histórico completo das pesquisas realizadas, organizado por data. GOOGLE www.google.com.br O Google é um dos sites de busca mais utilizados atualmente. Conta com várias funcionalidades. Por exemplo, ao se começar a digitar a palavra que deve ser buscada (em qualquer idioma), a ferramenta já oferece sugestões para completá-la, ou expressões ligadas a ela. É também possível fazer a pesquisa de imagens relacionadas ao tema, mapas, vídeos, notícias, livro e blogs. O Google Academics (scholar.google.com.br) é uma área específica dentro do Google em que é possível pesquisar trabalhos acadêmicos e artigos científicos relacionados a diversas áreas. YAHOO www.yahoo.com.br O Yahoo é um site bem popular de busca, com funcionalidades parecidas com a do Google, como sugestões para completar a palavra que começa a ser digitada, e a possibilidade de procurar imagens, mapas e notícias. Mas, ao contrário do Google, que apresenta na sua página principal apenas o campo de busca, a página inicial do Yahoo traz notícias e links para vários sites internos. O Yahoo Educação (br.educacao.yahoo. net) dá acesso às últimas informações sobre educação no país, além de cursos. Existe também o Yahoo Respostas (br. answers.yahoo.com), por meio do qual usuários postam perguntas e outros usuários respondem. 14
  15. 15. WOLFRAMALPHA www.wolframalpha.com O WolframAlpha é um buscador diferente. Ele não indica links para outros sites, concentra as informações em seu próprio banco de dados. São mais de 10 trilhões de resultados possíveis, controlados por algoritmos usados para oferecer as respostas mais precisas. Por exemplo, ao digitar “Brasil”, aparecem todas as informações sobre o país, com mapa, área, idioma falado, estatísticas. No fim de cada informação, é apresentada a fonte dos dados e há a possibilidade de fazer o download da página original em que a informação foi retirada. WIKIPÉDIA www.wikipedia.org A Wikipédia é a mais famosa das enciclopédias wikis, colaborativas, da internet. Todos os verbetes são escritos por leitores-colaboradores, e podem ser alterados a qualquer momento. Basta clicar em “editar” no menu superior de cada página. O fato de ser aberta e colaborativa traz vantagens e desvantagens. A principal vantagem é que se somam conhecimentos variados sobre o mesmo assunto. A desvantagem é que nem todas as informações postadas são absolutamente confiáveis, podem ser repetição de algum erro corrente ou representar uma visão não isenta. Informmee-sse Nem tudo o que está na rede é livre A maioria dos conteúdos da internet é protegida pela lei dos direitos autorais, seja texto ou imagem. Assim, copiar esses conteúdos sem autorização do detentor do direito pode configurar plágio, punido por lei. Mas existem exceções: são os conteúdos com licença do tipo Creative Commons. Criada por uma organização não governamental americana, esse tipo de licença permite que o conteúdo seja usado livremente. Para saber se o que está vendo na internet pode ser usado livremente, procure essa marca:
  16. 16. O blog é uma mídia social que permite criar um diário na web. Cada uma das publicações é chamada de post, e serve para que o blogueiro possa emitir opiniões, contar fatos, compartilhar informações e ideias. É uma ferramenta importante para socializar as próprias produções e as dos alunos. Os posts no geral estão organizados dos mais recentes, que aparecem na parte de cima da tela, para os mais antigos, sempre em uma página única. Nesse formato, não é preciso clicar em links internos para ler o conteúdo, basta rolar a barra lateral para baixo. A maioria dos posts é de autoria de uma pessoa apenas e aberta a toda a BLOG Blogueiro Blogueiro é o nome dado para a pessoa que publica e administra um blog. 16
  17. 17. comunidade, mas há também os voltados para um público específico para discutir determinados assuntos. Formadores de opinião, como jornalistas e colunistas de jornais, costumam manter um blog para ter canal direto com seu público. O formato mais convencional é o que traz predominantemente textos. Os blogs que servem para publicação de fotos são chamados flogs ou fotologs (ver Vídeos). Para garantir um grande número de acessos, é importante atualizar os posts constantemente. Existem várias ferramentas para construir um blog, e a principal diferença entre elas é a quantidade e o tipo de plug-in. Plug-in É um programa de computador que serve para adicionar funções a programas maiores, conferindo a eles alguma funcionalidade especial ou muito específica. Mídia social As mídias sociais são constituídas por canais de comunicação e de relacionamento na internet que permitem aos participantes interagirem. A mídia social inclui as redes sociais, os blogs, as enciclopédias colaborativas (wikis) e sites de compartilhamento. 17
  18. 18. Informmee-sse WORDPRESS – www.wordpress.org.br O Wordpress é uma das ferramentas mais usadas para a construção de blogs. É gratuita, bastante intuitiva e fácil de usar e de gerenciar os textos. Quem tiver um pouco de conhecimento de programação pode, inclusive, desenvolver novos recursos dentro do blog. É possível também criar tags para ajudar a identificar os assuntos nos posts. Tags As tags são palavras-chave ou pequenas frases associadas a um texto para permitir que seja localizado durante as buscas. BLOGGER – blogger.globo.com O Blogger também é bem simples de usar, mas conta com menos recursos se comparado ao Wordpress. É mais indicado para quem vai criar um blog pela primeira vez. A página por meio da qual se faz o download da ferramenta traz também notícias e ranqueia as que mais chamaram a atenção dos administradores nos últimos dias. Blogs que valem a pena Conheça a seguir alguns blogs voltados para a educação. • Blog Educação (http://www.blogeducacao.org. br) – desenvolvido pelo Instituto Votorantim com o objetivo de acompanhar as informações do universo da educação com destaque para as temáticas relacionadas às políticas públicas da área, para as questões da gestão escolar e para as iniciativas de mobilização social. • Mídi@s na Educação (http://blog.midiaseducacao. com/) – blog do programa Mídias na Educação, que visa proporcionar formação continuada para o uso pedagógico das diferentes tecnologias da informação e da comunicação. Traz ampla bibliografia sobre vários assuntos como games e educação, letramento digital e educação e o próprio uso de blogs com fim educacional. 18
  19. 19. LIVEJOURNAL – www.livejournal.com O Livejournal apresenta bem menos recursos. O principal diferencial dele é o sistema de comentários, que se assemelha aos fóruns, e permite interagir com outros usuários. TECHNORATI – www.technorati.com O Technorati até permite criar o próprio blog, mas seu forte é funcionar como um serviço de busca, como o Google ou o Yahoo, mas com foco especial em blogs. Ele indexa e agrega por assunto em tempo real. É o que se chama de agregador de blog, permitindo conectar o que está na blogosfera, ou seja, no universo de blogs disponíveis na rede. • Educadores Inovadores (http://www. blogeducadoresinovadores.com.br) – dedicado à educação e ao uso de tecnologia como mediadora de processos de ensino e aprendizagem, além de trazer informações sobre o Prêmio Microsoft Educadores Inovadores. • Portal do Educador (portaldoeducador.org/blog) – textos variados sobre a área com foco mais intenso nas comunidades de aprendizagem. Permite que qualquer colaborador envie seu texto. 19
  20. 20. Os meios digitais causaram uma verdadeira revolução em vários campos, e a comunicação sem dúvida foi uma das áreas que sofreu maior impacto. Os e-mails, ou correios eletrônicos, representaram a primeira ferramenta a encurtar distâncias. As primeiras mensagens foram trocadas no início da década de 1970 pelos usuários da Arpanet. Somente no início dos anos 1990 foi possível contratar um servidor para ter e-mail próprio. Nesses 25 anos, as opções se ampliaram enormemente com o surgimento de uma série de formas de comunicação, parte delas em tempo real, disponíveis nos computadores pessoais ou nos dispositivos móveis por meio de chats, fóruns e programas específicos de comunicação com base na tecnologia VoIP. A comunicação passa a desenvolver-se de modo mais partilhado e colaborativo a partir do advento da Web 2.0. COMUNICADORES Arpanet A Advanced Research Project Agency Network foi criada pelo Departamento de Defesa dos Estados Unidos para facilitar a comunicação entre as universidades e os institutos de pesquisa. Depois, deu origem à internet como se conhece hoje. Web 2.0 A Web 2.0 é uma segunda fase da internet, que permite usar a rede não apenas como um repositório de informações, mas de maneira mais interativa e colaborativa. Ela está ligada ao surgimento de blogs, podcasts, wikis, fórum. 20
  21. 21. Chat Chats são mecanismos de conversa pela internet, em tempo real, usando canais de diálogo. Vários sites contam com chats, conhecidos como salas de bate-papo, além de empresas, que fazem uso da ferramenta para manter um contato mais direto com seus clientes, principalmente para receber sugestões. Parte dos chats conta com recursos como transferência de arquivos e a possibilidade de usar a voz. Fórum Trata-se de uma ferramenta usada para promover debates públicos sobre determinado assunto, normalmente mediante cadastro do participante. Pode ou não ser mediado e as mensagens ficam organizadas por data. Não precisam ser síncronas. Ou seja, não é preciso que as pessoas envolvidas na discussão estejam conectadas todas ao mesmo tempo. Um participante posta sua opinião, que poderá ser comentada posteriormente por outro participante. Os fóruns podem aparecer em sites de cursos on-line, de relacionamento, de empresas. VoIP VoIP (Voz sob Protocolo da Internet) é um método que consiste em transformar sinais de áudio analógico – como o das chamadas telefônicas – em sinais digitais, que podem ser transmitidos por meio da internet. Esse serviço quase sempre é pago e, para utilizá-lo, é necessário assinar um provedor VoIP. 21
  22. 22. 22
  23. 23. E-MAILS Entre tantas inovações, a internet ajudou a aproximar as pessoas por meio do e-mail, abreviatura de eletronic mail, ou seja, correio eletrônico. Ferramenta indispensável para a interação entre os usuários, o e-mail possibilita a troca rápida de mensagens entre os pontos mais distantes, facilitando a comunicação. Para obter um e-mail, basta cadastrar-se em uma conta. Atualmente, existem vários serviços; os mais utilizados e conhecidos são o Yahoo Mail, o Gmail, do Google, e o Outlook, da Microsoft, que até pouco tempo era conhecido como Hotmail. GOOGLE+ HANGOUTS – http://www.google.com/hangouts/ Google+ Hangouts, ou GoogleTalk, como era conhecido antigamente, é o serviço de comunicação do Google de trocas de mensagens instantâneas de texto e voz. Ele permite também a troca de arquivos. Para usá-lo, é preciso abrir uma conta no Google, criando login e senha, que serão depois usados para cadastrar-se no serviço. Pode ser usado direto da página do Gmail ou baixar um programa gratuitamente. Somente é possível se comunicar com quem também tenha uma conta do Gmail. Há versão para celular. YAHOO MESSENGER – http://br.messenger.yahoo.com/ O Yahoo Messenger é um serviço de troca de mensagens de texto e voz. É possível usá-lo sem baixar um programa, basta ter um e-mail Yahoo. Com a versão desktop, há mais funcionalidades, como um número maior de emoticons – ícones que podem acompanhar as mensagens. Há versão para celular. Emoticons Os emoticons são pequenos ícones que podem expressar um pensamento ou emoção. Em geral, são divertidos e podem exprimir uma palavra ou ideia. SKYPE – http://www.skype.com/pt/ O Skype, bastante popularizado, pode ser usado tanto para troca de mensagens instantâneas de texto e voz como de arquivos. O mais interessante dele é a possibilidade de fazer ligações telefônicas usando o programa. Ou seja, você se conecta pelo Skype com o telefone da pessoa com quem quer se comunicar. Esse serviço é pago e é preciso adquirir créditos, mas sai mais barato que uma ligação convencional. Quando o MSN Messenger, antigo programa de mensagens instantâneas da Microsoft, deixou de existir em 2013, os usuários foram migrados para o Skype. 23
  24. 24. Atualmente é possível ter um computador na palma das mãos com os dispositivos móveis, basicamente tablets e celulares – os chamados smartphones. Eles podem ser usados de modo off-line, mas a maior parte dos recursos está disponível quando o equipamento está on-line. Esses dispositivos podem se comunicar com computadores de mesa, fones de ouvido, impressoras e entre si por meio da tecnologia Bluetooth e do Wi-fi. Uma das funcionalidades mais usadas é o acesso à internet e a maioria dos sites e portais já conta com tecnologia responsiva. É possível acrescentar novas funcionalidades ao celular ou ao tablet por meio dos aplicativos – tipo de software desenvolvido para realizar tarefas práticas e específicas. DISPOSITIVOS MOVEIS Off-line Sem conexão com a internet. A maioria dos recursos disponível quando não há conexão é o que já vem embarcado no aparelho, como calculadora, processadores de texto e gravador. On-line Conectado com a internet. Muitos dispositivos móveis contam com a tecnologia 3G, ou seja, tem autonomia para acessar a internet de qualquer lugar. Quando o aparelho não é 3G, é preciso contar com redes wi-fi, que permitem acessar a internet dentro de uma determinada área de abrangência. Geralmente, estão disponíveis em estabelecimentos comerciais, aeroportos e órgãos públicos, por exemplo. Algumas são abertas e outras precisam de senha. 24 ...
  25. 25. Wi-fi Wi-fi é uma tecnologia que permite a comunicação sem fio entre diversas plataformas, por meio de ondas de rádio. As informações são transmitidas por meio de um roteador, responsável por emitir os sinais entre computadores, tablets ou smartphones. Wi-fi vem da contração das palavras wirelless fidelity (fidelidade sem fio), e faz uma alusão à expressão hi-fi, high fidelity (alta fidelidade). Bluetooth Padrão global de comunicação sem fio para a transmissão de dados entre dispositivos. A transmissão de dados é feita por meio de radiofrequência e os aparelhos precisam estar próximos uns dos outros. Quanto mais próximos, mais eficiente é a troca de dados. Tecnologia responsiva Tecnologia que permite que o conteúdo e o layout de um site se adaptem a qualquer tamanho de tela, seja de notebook, desktop, celular ou tablet. Assim, as informações não ficam cortadas ou bagunçadas. 25
  26. 26. Para ssababer mais SMS O SMS, ou short message service (serviço de mensagens curtas), é, como o nome diz, um serviço de troca de mensagens de texto curtas entre celulares. Não se trata propriamente de um aplicativo, é uma tecnologia mais antiga e já vem instalada no celular, não é preciso baixá-lo. Imagens e vídeos de pequena duração também podem ser anexados. Conhecido também como torpedo. O serviço é pago por quem envia e, ao contrário da maioria dos outros serviços de troca de mensagem, não é preciso estar conectado à internet para se comunicar. APLICATIVOS Alguns dos aplicativos, ou apps, já vêm com o aparelho, e outros é preciso baixar, gratuitamente ou pagando por eles. Existe uma infinidade de aplicativos voltados para a educação, e o Ministério da Educação (MEC) está incentivando a criação de produtos específicos para essa área, em Língua Portuguesa, que poderão ser baixados gratuitamente. Além dos aplicativos educacionais, existem outros que facilitam o dia a dia, principalmente aqueles usados para comunicação instantânea. Como baixar um aplicativo O passo a passo é simples: 1. Primeiro, é preciso descobrir por meio de que sistema operacional o celular opera. 2. Conecte o aparelho à internet por 3G ou wi-fi. 3. No caso do Google Play e do iTunes – principais lojas virtuais que disponibilizam os aplicativos – é preciso realizar um cadastro antes de ter acesso. Esse cadastro já pede número de cartão de crédito para os apps pagos. 4. Coloque no campo de busca o nome do app desejado. 5. Na página do app, clique em instalar. Aparecerá uma lista mostrando os aparelhos conectados a sua conta. Determine em qual deles o download deve ser feito e clique em ok. 26
  27. 27. WHATSAPP WhatsApp Messenger, ou apenas WhatsApp, é um aplicativo que permite trocar mensagens pelo celular sem pagar. As mensagens são enviadas em tempo real. Para se comunicar, é preciso que quem vai receber a mensagem também tenha o aplicativo instalado. Existe a possibilidade de enviar mensagens de voz. Está disponível para iPhone, Blackberry, Windows Phone, Android e Nokia. SNAPCHAT Snapchat é um aplicativo de troca de fotos e vídeos que são deletados automaticamente após alguns segundos. É bem popular, principalmente entre os adolescentes. O uso é proibido para menores de 13 anos. Para eles, existe outra versão, chamada Snapkidz. Deescsconfie Providências de segurança Como os dispositivos móveis são carregados de um lado para outro e conectados nos mais diferentes lugares, ficam vulneráveis a ataques de vírus, invasão de privacidade ou vazamento de informações. Por isso, é importante tomar algumas medidas de segurança. • Instale um programa antivírus antes de baixar qualquer aplicativo. • Instale outros mecanismos de segurança, como antispam e antispyware. • Não siga links enviados por meio de mensagens eletrônicas. • Configure uma senha de bloqueio na tela inicial. • Não deixe o aparelho sozinho em ambientes estranhos. 27
  28. 28. Fotografia Em 1839, o francês Louis Jacques Mandé Daguerré apresentou ao mundo o daguerreótipo, que nada mais era do que a primeira máquina fotográfica que se tem registro. Daguerré teria dado continuidade às pesquisas de outro inventor francês e seu futuro sócio, Joseph Nicéphore Niépce, que anos antes, em 1826, produzira uma imagem tirada com uma placa de estanho e que é considerada até hoje a primeira fotografia. 28
  29. 29. A tecnologia digital revolucionou a fotografia e a maneira como as pessoas utilizam a imagem. Desde sua criação, no século XIX, as técnicas fotográficas passaram por diversas fases e a fotografia ganhou novos recursos. O universo digital não só simplificou os processos de captação, com as câmeras digitais, e a reprodução da imagem, como ampliou as possibilidades de sua utilização. A fotografia digital invadiu a rede mundial de computadores, multiplicando a difusão da informação visual. Flogs, Flickr, Instagram são apenas alguns dos recursos disponíveis para compartilhar todos os tipos de imagens. IMAGEM 29
  30. 30. FLOG Muitas vezes não basta escrever, é preciso mostrar, registrar as imagens para a família, os amigos, ou para os milhões de internautas da rede. Nos flogs, ou fotologs ou ainda fotoblogs, os usuários se expressam em uma espécie de diário feito de imagens, muitas delas com pequenas legendas. É como contar histórias por meio de fotografias, registros pessoais que transmitem informações mais visuais que textuais. Nos flogs, os floggers podem criar álbuns de fotografias em ordem cronológica ou apenas registrar fatos e eventos importantes. Para criar um flog, basta preencher um cadastro, em geral gratuito, em um site como o www.fotolog.com. Provedores da internet também oferecem esse recurso. Provedores da internet O provedor é um serviço que permite ao usuário conectar o computador à internet. Além da conexão, o provedor de acesso também fornece uma conta de e-mail e pode oferecer outros serviços como hospedagens de sites ou blogs. Globo.com, Uol, Terra e IG são alguns dos provedores mais conhecidos. FLICKR – http://www.flickr.com/ Flickr é um site de compartilhamento de fotografias. Ele pode ser considerado uma rede social, pois permite a interação entre os usuários que trocam e comentam as fotografias mais populares. Os recursos são muito semelhantes aos dos fotologs, ao criar pequenos diários visuais. Por meio dele, o usuário pode organizar as fotos pelas tags que facilitam a classificação e a distribuição das imagens em álbuns. A assinatura de uma página no Flickr é gratuita, mas há um limite de uploads de imagens. Para evitar esse problema, é possível pagar e aumentar a capacidade de postagem. Upload É a ação de enviar arquivos, dados, imagens de computador pessoal para outro ou para algum site. No caso das fotografias, é o ato de enviar a imagem para os flogs, ou sites de compartilhamento, como o Flickr. Fazer um upload é justamente o caminho contrário de fazer um download. 30
  31. 31. INSTAGRAM – http://www.instagram.com Com a popularização dos smartphones, cresceu o número de compartilhamentos de fotos na web. O Instagram é um dos principais canais para a difusão de imagens pelos celulares e computadores. Funciona como uma rede social entre usuários dos smartphones, mas é um aplicativo gratuito que pode ser baixado para aparelhos dos sistemas Android e iOS. Com ele é possível tirar fotos, selfies, “curtir” e comentar imagens postadas por outros usuários e compartilhar em outras redes sociais. Selfie A mania de fotografar pelo Instagram gerou até a criação da palavra selfie, abreviatura para self-portrait, ou simplesmente autorretrato. As selfies são tiradas pela própria pessoa com um celular para serem postadas em redes sociais. PICASA – http://picasa.google.com.br Picasa é um programa gratuito de armazenamento e gerenciamento de imagens que pode ser baixado da internet e instalado no computador. Ele organiza os álbuns de fotos, faz rápidas correções das imagens e permite o compartilhamento em redes sociais. PINTEREST – http://www.pinterest.com O Pinterest é mais uma opção entre as redes de compartilhamento de imagens e vídeos, e está disponível gratuitamente tanto na internet quanto em aplicativos para celulares smartphones. Após a criação da página pelo usuário, o Pinterest funciona como um mural de imagens, ou pins, no qual o internauta cria grandes painéis – que são como os álbuns – por categorias ou assuntos. No Pinterest, o usuário “pina” as fotos que achar mais interessantes armazenando-as em pastas que ele próprio cria. PHOTOSHOP O Photoshop é um software usado para editar imagens, criado pela empresa Adobe. Ele pode ser comprado com o pacote da empresa ou baixado em versão gratuita pela internet. Com o programa é possível alterar as imagens por meio de filtros, efeitos especiais, pincéis, muitas vezes mudando de tal forma o original que acaba tornando irreconhecível o tema retratado. O Photoshop é muito utilizado por designers gráficos, mas ficou conhecido nas mídias impressas por operar verdadeiros milagres, como rejuvenescer ou emagrecer uma pessoa, tirar todos os defeitos de uma paisagem e valorizar alguns aspectos de uma imagem. 31
  32. 32. O desenvolvimento tecnológico abriu caminho para diversas formas de comunicação e também para a difusão e multiplicação de conteúdos nos mais diversos formatos. Uma das ferramentas mais utilizadas pelos usuários de computadores, e também da internet, é o vídeo. O material audiovisual rapidamente ganhou espaço não só como ferramenta de trabalho, com a possibilidade de gravação e edição de vídeos, mas no compartilhamento de filmes, programas, videoaulas e produções caseiras divulgadas em sites de compartilhamento na web. VIDEOS 32
  33. 33. VLOG Videoblogue, videologue, ou apenas vlog, é uma mídia social usada para a publicação de vídeos pela internet. É muito semelhante aos blogs, só que em vez de compartilhar textos, o internauta publica vídeos pessoais, acompanhados por pequeno texto de apresentação. Feitos com filmadoras analógicas ou digitais, câmeras digitais ou até mesmo celulares, há vlogs sobre os mais diversos assuntos, de gastronomia à música, de humor à notícia, além dos vídeos educacionais. Eles são exibidos em páginas criadas pelos vlogueiros por meio de serviços de hospedagem e divulgados por redes de compartilhamento, sem precisar fazer download do arquivo para acessá-lo. O vlog é diferente do videocast, outra mídia muito utilizada para a publicação de imagem. Os videocasts são arquivos digitais de vídeos disponíveis na internet, semelhantes a pequenos programas produzidos especialmente para a mídia digital. Serviços de hospedagem Para que as pessoas possam acessar sites, canais de vídeos e outros serviços da internet, é preciso que esses sistemas on-line estejam “hospedados” em provedores conectados a servidores. São eles que conseguem armazenar páginas da web, imagens, aplicativos e vídeos. Redes de compartilhamento As redes de compartilhamento de vídeo são sites que permitem aos internautas publicar e compartilhar conteúdos de vídeo com outros usuários. Download Em tradução simples, download significa “baixar” e corresponde ao ato de transferir dados do computador a partir de outro computador ou direto da internet. Fazer um download, portanto, é o mesmo que dizer “baixar um arquivo”. 33
  34. 34. YOUTUBE – http://youtube.com O YouTube é um dos sites de compartilhamento de vídeos mais conhecidos da internet. Fundado em 2005, o canal foi comprado pelo Google, em 2006, depois de cair no gosto popular. O nome YouTube vem do inglês you (você) e tube (gíria utilizada para a palavra televisão), ou seja, algo como você na telinha. O site serve também como uma ferramenta de busca. Por ele é possível acessar e compartilhar filmes, videoclipes, vídeos caseiros, programas da televisão convencional. Enfim, uma infinidade de conteúdos visuais. Pode-se também ter uma conta no YouTube para divulgar audiovisuais em sites individuais ou coletivos, inclusive, material didático para o compartilhamento em sala de aula. No mundo virtual, porém, é preciso ter cuidado com o conteúdo distribuído pela rede. Muitos vídeos estão protegidos pelo direito autoral, outros contêm material impróprio. Para tentar evitar esse tipo de problema, a publicação ou compartilhamento de vídeos pelo YouTube deve obedecer a algumas regras. O YouTube está disponível em todas as plataformas, em forma de site ou aplicativo para celulares (smartphones) e tablets. Regras Se você pretende publicar ou compartilhar vídeos pelo YouTube é bom prestar atenção na política da empresa, e seguir algumas regras básicas para não ser excluído do serviço. É proibido publicar: • conteúdo pornográfico e imagens de nudez; • imagens violentas ou que promovam a violência; • imagens que violam as leis de direitos autorais; • conteúdo com apologia ao ódio ou que promova ataques a terceiros; • informações pessoais de outros usuários e imagens de crianças. Material didático O YouTube Edu (https://www.youtube.com/t/education) é um canal dentro do YouTube totalmente voltado para a educação. Por meio dele, o usuário tem acesso a videoaulas de professores brasileiros com conteúdo para o Ensino Fundamental e o Ensino Médio. Os vídeos foram selecionados por uma equipe especializada e estão divididos por temas importantes de cada disciplina. 34
  35. 35. VIMEO Assim como o YouTube, o Vimeo também é um site de compartilhamentos de vídeo, criado em 2004, e utilizado para publicar produções caseiras ou acessar material de outros usuários. O nome Vimeo é resultado de uma combinação das palavras vídeo e me (forma oblíqua do pronome eu, em português), mas também pode ser um anagrama da palavra inglesa movie (filme). Fácil de acessar, o site não permite a publicação de vídeos comerciais, jogos e pornografia. O Vimeo também está disponível em forma de aplicativos para celulares e tablets. MOVIE MAKER O Movie Maker, ou em português, “criador de filmes”, é um programa de computador da Microsoft que faz parte do sistema operacional Windows. É um editor de imagens muito utilizado para a produção de vídeos caseiros e também na edição de fotos digitais. O Movie Maker é simples e, por isso, permite o fácil acesso de usuários e pode ser copiado para um CD ou DVD ou compartilhado em um canal de vídeo na internet. Tem vários recursos interessantes, como a escolha de uma música de fundo, que podem ser usados para incrementar a edição. 35
  36. 36. Com o desenvolvimento de novas tecnologias, o computador e a internet passaram a ter papel de destaque na educação. A utilização de recursos como jogos, infográficos e simuladores já fazem parte da sala de aula, do currículo escolar e dos programas do governo do Ministério da Educação (MEC) que prevê a elaboração de conteúdo multimídia no Plano Nacional do Livro Didático (PNLD). Para o MEC, de acordo com o edital do PNLD 2014, conteúdos multimídias “são temas curriculares tratados por meio de um conjunto de objetos educacionais digitais destinados ao processo de ensino e aprendizagem. Esses objetos devem ser apresentados nas categorias audiovisual, jogo eletrônico educativo, simulador e infográfico animado (...)”. O objetivo principal dos conteúdos multimídias é permitir que o aluno deixe de ser mero observador para tornar-se participante ativo do processo de aprendizagem. Em geral, esse conteúdo está disponível na internet ou é fornecido com o material escolar. CONTEUDO MULTIMIDIA 36
  37. 37. Objetos educacionais digitais Os objetos educacionais digitais (OED) ou objetos de aprendizagem podem ser definidos como um recurso para dar suporte ao ensino. A principal característica desses objetos é que eles podem ser reutilizados nas salas de aula, pois, em geral, estão armazenados em repositórios divididos por temas, disciplinas e nos mais diferentes formatos, como jogos, simuladores, infográficos e audiovisuais. O Banco Internacional de Objetos Educacionais, disponível em <http://objetoseducacionais2.mec.gov.br/>, é um importante repositório mantido pelo Ministério da Educação. Outro banco importante de objetos digitais é o da Escola Digital, disponível em <http://escoladigital.org.br/>. 37
  38. 38. JOGOS ELETRÔNICOS De maneira geral, os jogos eletrônicos são softwares que ajudam a desenvolver várias habilidades e a construir conhecimentos de forma interativa e estimulante. Eles podem ser um recurso didático importante dependendo de sua proposta de uso. Isso porque envolvem uma série de tarefas que possibilitam a interação entre alunos/jogadores: desde vencer um desafio, obter maior pontuação, derrotar um adversário até permanecer o maior tempo possível na disputa. No caso dos jogos eletrônicos educativos, todas essas tarefas têm por objetivo trabalhar temas que favorecem o aprendizado. Jogos eletrônicos educativos São muitos os jogos eletrônicos disponíveis na internet e nos repositórios que estão se formando com a crescente demanda por esses recursos didáticos. A seguir, dois exemplos de jogos, feitos em 3D para computador, que podem ser baixados da rede: • A Revolta da Cabanagem, disponível em <http://www.larv.ufpa.br/index.php?r=jogo_ cabanagem>, é um jogo sobre a Revolta da Cabanagem, desenvolvido por alunos da Universidade Federal do Pará (UFPA). • Jogo Tríade, disponível em <http://www.comunidadesvirtuais.pro.br/triade/>, é um jogo sobre o contexto histórico do século XVIII e a Revolução Francesa, elaborado por alunos de diversas universidades da Bahia. 38
  39. 39. SIMULADORES De acordo com definição utilizada pelo Ministério da Educação no edital do PNLD 2014, simulador é um software ou gráfico interativo “que demonstra um processo ou mecanismo e permite ao usuário observá- -lo ou interagir com ele de maneira análoga ao processo ou mecanismo simulado, obtendo resultados realistas”. As simulações podem abordar desde conteúdos específicos e mais simples, como o simulador de voo FlightGear, até sistemas mais complexos como o Microsoft Flight Simulator. Segundo o professor e astrônomo José Adolfo S. de Campos, doutorando em História das Ciências na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), as simulações educativas podem ser de dois tipos: as passivas, em que o observador apenas visualiza o desenrolar da simulação e não tem controle da ação, e as ativas, em que o observador altera e interage na simulação. FlightGear O FlightGear é um simulador de voo livre, aberto a todos os interessados, desenvolvido por um grupo mundial de voluntários e utilizado, desde 1997, por usuários de simuladores de voo e também para pesquisas e exposições interativas em museus. Microsoft Flight Simulator O Microsoft Flight Simulator é o simulador de aviação mais popular no mundo. Nele, é possível fazer um voo virtual pelo computador, reproduzindo perfeitamente controles de aviões e helicópteros com grande realismo. O simulador inclui aeroportos e lugares reais, avalia questões econômicas envolvidas, controle de combustível, entre outras. GAMES SOCIAIS Os games sociais são aqueles jogos colaborativos, em geral, ligados a redes sociais. De tempos em tempos, alguns deles viram uma verdadeira febre, reunindo milhares de usuários. É o caso do FarmVille e do Social City, ambos do Facebook. Neles, o jogador vai construindo, em ações de colaboração com outros usuários, fazendas com plantações e criação de animais, ou cidades com edifícios e toda sua infraestrutura. Outro game de sucesso é o Candy Crush Saga, em que o desafio é combinar formatos de doces parecidos com suas cores. É um jogo de raciocínio e que têm atraído cada vez mais usuários. Os games sociais podem ser acessados por computadores ou pelos dispositivos móveis com Android ou iOS. 39
  40. 40. Na história da humanidade, os mapas sempre foram instrumentos fundamentais para conhecer o mundo. Eles são o retrato de lugares e regiões, e fornecem informações que ajudam a compreender os elementos do espaço geográfico. Se antes eram feitos manualmente, com as inovações tecnológicas o mapeamento digital é uma realidade. Pela internet, também é possível acessar os cantos mais remotos do planeta, ver de perto locais distantes, fazer pesquisas on-line sobre os mais diversos assuntos utilizando as imagens de satélite. Os mapas digitais facilitam a orientação e a localização dos usuários e podem ser facilmente atualizados, respeitando as constantes mudanças do mundo que retratam. MAPAS 40
  41. 41. Mapas A introdução dos recursos digitais não mudou apenas a maneira de se fazer mapas ou consultar dados geográficos, possibilitou também a digitalização de mapas para consultas pela internet. Uma boa fonte de mapas históricos é o site da Universidade de São Paulo (USP): Biblioteca Digital de Cartografia Histórica da USP, <www.mapashistoricos.usp.br/>. Mapeamento digital O desenvolvimento da informática possibilitou o mapeamento digital ou cartografia digital feito por meio de computadores. Assim, o processo de elaboração de mapas tornou-se ainda mais dinâmico e interativo com a utilização de dados obtidos por meio de informações virtuais ou imagens de satélites. 41
  42. 42. FOURSQUARE – https://pt.foursquare.com/ O Foursquare é um aplicativo gratuito muito utilizado em celulares (smartphones), mas também em computadores, para compartilhar a localização do usuário. Ele pode ser definido como uma rede social, mas também como uma ferramenta de localização. Isso porque ao informar o local exato em que se encontra por meio do check-in (processo de identificar o lugar), o usuário permite que sua localização seja imediatamente compartilhada em uma rede social. A partir daí, a pessoa pode criticar ou indicar para outros usuários ou trocar dicas e informações com conhecidos sobre o local. GPS Com a criação do GPS – sigla de Global Positioning System (Sistema de Posicionamento Global) –, os velhos guias tornaram-se coisas do passado. O sistema de localização por satélite é o guia mais utilizado no mundo desde a sua criação em 1995, pelo Departamento de Defesa Americano para fins militares. O GPS serve tanto para obter a localização de trajetos e endereços nas cidades como também para orientar o usuário em áreas mais remotas do planeta. As informações são transmitidas de um conjunto de satélites para um aparelho receptor que pode estar integrado a aparelhos móveis como notebooks e smartphones. 42
  43. 43. WAZE – https://www.waze.com/pt-BR Waze é um aplicativo gratuito para smartphones e tablets e disponível em português, usado para compartilhar informações sobre a situação do trânsito em tempo real. Criado em 2008, o aplicativo foi comprado pelo Google em 2013. O Waze pode ser baixado nos sistemas operacionais Android, iOS e Windows Phone; para tanto, basta o usuário cadastrar-se para ser um wazer e fazer parte de uma comunidade. Assim, o aplicativo funciona como uma rede social, constantemente atualizada com os dados repassados pelos usuários. Ao ser ativado, o Waze orienta o usuário a traçar a melhor rota para o seu destino e, ao mesmo tempo, transmite essas informações a outras pessoas que também acessam o app. Como o GPS, os dados aparecem na tela ou por meio de um sistema de voz. Ele ainda permite aos membros da rede trocar informações e dicas sobre os melhores trajetos, além de alertar sobre acidentes e congestionamentos. A tela do app é parecida com a de um GPS, mas a navegação é mais simples e divertida. MICROSOFT VIRTUAL EARTH 3D Virtual Earth é a ferramenta da Microsoft concorrente do Google Earth que permite acessar mapas e visualizar imagens de satélite por meio de modelos em 3D. GOOGLE MAPS – https://www.google.com.br/maps/preview O Google Maps é uma ferramenta que possibilita o acesso a mapas e imagens de satélite de vários pontos da Terra. É muito parecido com o Google Earth. Ambos são gratuitos, contudo, para acessar o Google Earth, é preciso baixar um programa, enquanto o Google Maps está disponível na internet. Outra diferença básica entre os dois é que o Google Earth está mais voltado para exploração de lugares inusitados no planeta e fora dele. Já o Google Maps tem como principal característica ajudar na localização de países, estados, cidades, bairro, ruas e endereços com a descrição detalhada de como chegar até eles. Um verdadeiro guia on-line. O serviço dispõe de recursos que permitem maior interatividade na hora da pesquisa, além de também utilizar a tecnologia 3D na visualização do mapa, do terreno ou das imagens de satélite. STREET VIEW Um dos recursos mais interessantes do Google Maps, o Street View, permite aos usuários visualizar com maior precisão locais específicos como ruas e casas. O serviço está disponível nas principais cidades brasileiras. GOOGLE EARTH http://www.google.com.br/intl/pt-BR/earth/ Muito diferente dos mapas impressos e estáticos, o Google Earth é um programa de computador desenvolvido para levar o usuário a uma viagem pelo planeta sem sair de casa. Sua principal função é gerar modelos tridimensionais, em 3D, do globo terrestre a partir de imagens de satélite. O Google Earth possibilita ao usuário visualizar extensas áreas do planeta, basta digitar o nome do local desejado. O programa ainda oferece várias opções para navegação. Com ele, podem ser explorados todos os cantos e paisagens da Terra, mergulhar no oceano e visitar as profundezas subaquáticas ou então viajar pelo espaço e conhecer outros planetas, como Marte. O Google Earth é gratuito e está disponível para download, mas também é possível assinar uma versão com mais recursos, o Google Earth Pro. 3D As imagens em 3D invadiram o cinema e os video games, e a tecnologia tridimensional também pode ser usada nas representações gráficas. De forma simplificada, em uma imagem 3D, as figuras aparecem em três dimensões: altura, largura e profundidade, proporcionando maior definição e melhor visualização. 43
  44. 44. 44
  45. 45. Assim como na sociedade, em que as pessoas criam redes de relacionamento, na internet elas vão tecendo verdadeiras teias, conectando- -se a outras pessoas, sejam parentes, amigos ou apenas conhecidos. Essas redes sociais se formam por meio de comunidades on-line nas quais os usuários interagem, trocam informações e experiências. Nos primeiros anos da internet, os usuários utilizavam o correio eletrônico para se comunicar. Com o passar do tempo os e-mails já não eram suficientes para interligar as pessoas; surgiram então as redes sociais, que, a partir de 2004, foram ganhando espaço entre as mídias sociais na web. REDES SOCIAIS 45
  46. 46. Para ssababer mais Para ssababer mais FACEBOOK – http://www.facebook.com O Facebook é atualmente a rede social de maior sucesso na internet mundial, deixando para trás concorrentes como o Orkut. Criada em 2004, por Mark Zuckerberg, Dustin Moskovitz e Chris Hugher, três alunos de Harvard (EUA), a rede de relacionamento tinha por objetivo conectar os estudantes da universidade, facilitando o contato entre eles e o compartilhamento de informações e fotos. Logo, outras universidades passaram a fazer parte da rede e em pouco tempo novos usuários foram se conectando e espalhando o site por todos os cantos do mundo, inclusive no Brasil. No Facebook, o cadastro é gratuito. Nele, os usuários criam perfis, fazem amizades, reencontram amigos, postam fotos e imagens. Também é possível criar grupos, fechados ou não, de amigos ou temas específicos, além de permitir a troca de mensagens on-line ou na forma de correio eletrônico, publicidade, divulgar eventos, enfim, são tantos os serviços agregados que fazem do Facebook uma ferramenta fundamental para os usuários da internet. E o que quer dizer... • Feed – ou mural, é a página inicial do site em que ficam as atualizações dos amigos, os links, vídeos e notícias que são compartilhadas. • Página pessoal – clicando no próprio nome, o usuário acompanha todas as publicações, bem como informações pessoais, álbuns de fotos e relação de amigos. • Botões – o usuário pode Curtir, Comentar ou mesmo Compartilhar as publicações pessoais, de amigos ou de grupos de interesse. •Jogoseaplicativos–ositecolocaàdisposição do usuário vários jogos que também podem ser compartilhados com os amigos. TWITTER – https://twitter.com/ Rede social ou microblog criada em 2006 é uma das mais populares mídias sociais da web. O grande desafio é publicar textos de até 140 caracteres. Mas é justamente por causa do tamanho reduzido que a informação circula com maior rapidez, atraindo milhões de usuários. No Twitter, o usuário cria um login que é grafado com o símbolo @ antes. Por exemplo: @arisilva. As pessoas que recebem os posts de um usuário são os seus seguidores. Mas o usuário pode não só escrever como receber conteúdo de outros usuários, amigos ou não, neste caso, basta segui-los. Pelo Twitter, também é possível compartilhar fotos e vídeos por meio de serviços específicos para isso como o Twitpic, para fotos, e o Twitcan, para vídeos. Outra possibilidade que a rede oferece é enviar e receber mensagens pessoais, como um correio eletrônico dentro do site. Login Para ter acesso a uma rede social, ou mesmo a uma conta de e-mail, o usuário precisa ter um login, um nome ou palavra usada para logar-se (entrar) em algum serviço. E o que quer dizer... • Tweets – postagens de 140 caracteres. • Retweets – tweet retransmitido pelo usuário. • Hashtags – representam um tópico no Twitter, tem sempre o símbolo # antes, e é um assunto que o usuário quer compartilhar com a rede. • DM – abreviatura de Direct Message, ou Mensagem Direta. O usuário pode enviar uma mensagem particular digitando “d” antes do nome da outra pessoa ou então clicar no envelope que aparece no alto da página principal no Twitter. • Following – pessoas que o usuário segue na rede. • Followers – pessoas que seguem as postagens do usuário.do usuário. 46
  47. 47. Para ssababer mais GOOGLE+ – https://plus.google.com/ Uma das gigantes da internet, a empresa estadunidense Google lançou em 2010 a sua rede social, o Google+. O objetivo inicial era proporcionar a interação entre os usuários de todos os serviços da empresa, mas em pouco tempo tornou-se uma ferramenta muito utilizada no mundo virtual. No Google+, o usuário organiza seus amigos em círculos temáticos. Podem-se dividir os círculos entre amigos, colegas de trabalho, conhecidos, entre outros. No site, também é possível acompanhar as publicações de amigos, bem como compartilhar fotos e vídeos e participar de comunidades. LINKEDIN – http://www.linkedin.com O Linkedin é uma rede social voltada para o mercado de trabalho, ou seja, uma rede de negócios. O site permite a criação de perfis on-line, mas o principal objetivo é reunir pessoas em busca de contatos profissionais. Lançado em 2003, o LinkedIn foi criado para incentivar a troca de experiências de trabalho, encontrar empregos, anunciar vagas, acompanhar empresas, seguir grupos de interesse, além de fazer amigos e compartilhar imagens e músicas. A rede tornou-se popular no Brasil a partir de 2010 ao ganhar uma versão em português. Os contatos no site são chamados de conexões. O serviço é gratuito, basta se cadastrar ou então assinar serviços específicos. Algumas empresas já incluíram no processo seletivo a consulta aos perfis do LinkedIn, por isso é preciso estar atento com o que se compartilha, evitando assuntos muito pessoais, e manter os perfis atualizados. OUTRAS REDES A cada dia surge uma nova rede social na internet. No Brasil, algumas conquistam rapidamente adeptos, outras mantêm seus fiéis seguidores e outras ainda engatinham. O Orkut (http://www.orkut.com), por exemplo, foi uma das primeiras redes sociais a ganhar popularidade na internet. Surgiu em 2004, criada por um engenheiro turco, funcionário do Google, cujo nome é Orkut Büyükkokten. Com a proposta de encontrar amigos, fazer amizades e participar de comunidades, o Orkut virou uma verdadeira febre entre os internautas. Até hoje tem seu público fiel, mas sofre com a concorrência de outras redes sociais no mundo virtual. Outro exemplo é a Reddit (www.reddit.com), uma rede social em que os usuários compartilham informações, matérias e publicações e votam nas mais interessantes. Funciona por meio de fóruns de discussão. O site brasileiro não está entre os mais populares, mas vem conquistando usuários ao longo dos últimos anos. E o que quer dizer... • Stream – página inicial, na qual o usuário compartilha notícias e visualiza a publicação de outras pessoas e pode ficar sabendo o que estão achando de seu compartilhamento por meio do botão +1. • Hangouts – ferramenta que permite a realização de videoconferências on-line, ou apenas possibilita o bate-papo em vídeo. Os hangouts podem ser gravados e compartilhados em outras redes. 47
  48. 48. A popularização da internet modificou a maneira do ser humano se comunicar. Pela web, ou seja, pela rede mundial de computadores, é possível transmitir conteúdos de texto, imagem e som. No campo sonoro, a tecnologia digital desenvolveu novos recursos e alterou a maneira de transmitir o som. No computador, as placas de som permitem a captação e a gravação do áudio. Programas e plataformas são utilizados para a transmissão de músicas e na produção e edição de formatos semelhantes ao rádio, mas com conteúdo personalizado, em que a pessoa escolhe o que quer ouvir: música, notícia, entretenimento, ou mesmo um livro. SOM 48
  49. 49. Placas de som As placas de som são dispositivos que permitem a geração de áudio nos computadores e atualmente fazem parte do equipamento básico, permitindo a transmissão de qualquer formato sonoro. 49
  50. 50. MP3 O áudio digitalizado ocupa muito espaço no computador, por isso para poder armazenar arquivos de som e poder transmiti-los pela internet é preciso comprimi-los, reduzindo o tamanho. Essa compactação é feita por programas especiais conhecidos como encoder (codificador), capazes de transformar o som de um CD, por exemplo, em arquivos digitais. Os dois formatos de arquivos de áudio comprimidos mais conhecidos são o MP3 e o OGG. O MP3, abreviação de MPEG Layer 3, desenvolvido pelo grupo Moving Picture Experts Group (MPEG), é o formato mais utilizado e que permite ouvir músicas em computadores, celulares e tablets com ótima qualidade. Para ouvir os arquivos de MP3, basta instalar um programa disponível na internet e utilizar os aparelhos chamados de players (tocador ou leitor). Com ajuda de outro tipo de programa, um editor como o Audacity, também é possível editar arquivos de música em MP3 para serem utilizados em trilhas sonoras de vídeos, filmes e podcasts. O OGG, por sua vez, é um formato semelhante e concorrente ao MP3 para compactação de áudios. É um sistema livre de patentes e por isso pode ser baixado pela internet. Os arquivos nesse formato têm a mesma qualidade de som dos arquivos em MP3. Players Os MP3 players são aparelhos utilizados para armazenar e tocar os arquivos de áudio digital. O iPod, da empresa Apple Inc., é um dos mais conhecidos no mercado. Audacity Audacity é um programa para gravação e edição de áudio. É gratuito e está disponível para as plataformas Windows, Linux e Mac. O programa serve para cortar ou montar áudios para trilhas sonoras nos formatos MP3 e OGG. 50
  51. 51. Para ssababer mais PODCAST Os podcasts, ou podcastings, são arquivos de áudio transmitidos via internet. O nome surgiu em 2004 da combinação da palavra iPod (tocador de MP3 da Apple) com broadcast (transmissão via rádio), mas não é necessário ter um aparelho da Apple para ouvir ou produzir um podcast, eles podem ser acessados pelos computadores ou por outros aparelhos digitais. Qualquer pessoa pode criar o seu próprio podcast e transmitir seleções musicais, informações ou até mesmo conteúdo didático. Para a produção de um podcast, é preciso um computador, fones de ouvido, caixas de som, um programa de gravação ou edição, e, é claro, estar conectado à internet. Diferentemente da transmissão pelo rádio, o podcast não é feito ao vivo. O usuário pode assinar um podcast para recebê-lo regularmente via um feed e escolher o melhor horário para escutá-lo. Feed Feed, ou alimentador, é uma ferramenta que o usuário utiliza para acompanhar os sites, blogs ou podcasts de sua preferência. Ele funciona por meio de um programa leitor, também chamado de agregador. Ao adicionar um link no agregador, o usuário será informado toda vez que houver alguma atualização do seu feed. RSS é o formato de agregador mais utilizado atualmente. AUDIOBOOK A gravação do conteúdo de livros em formato sonoro não é novidade. Desde os tempos da fita cassete, já eram reproduzidas as versões de livros destinados a pessoas que não têm tempo para ler. Eles ficaram conhecidos como audiobooks ou audiolivros. Nos audiobooks, o conteúdo é narrado por profissionais que procuram interpretar o texto, imprimindo uma dinâmica cheia de efeitos sonoros para evitar a monotonia e prender a atenção do ouvinte/leitor. Já o livro falado é aquela gravação feita especialmente para deficientes visuais. É uma gravação em que não há interpretação, apenas a narração literal do texto escrito transposto para o áudio. Atualmente, outros formatos mais modernos são utilizados para a gravação de livros, tanto do audiobook quanto do livro falado, como o MP3 e o OGG. Algumas diferenças entre o rádio e o podcast • As transmissões de rádio são geralmente ao vivo; no podcast são gravações que podem ser armazenadas. • O rádio tem uma programação definida; o podcast tem conteúdo feito pelo seu produtor. • Produzir um podcast é mais barato e simples que programar uma rádio. 51
  52. 52. Microsoft – http://www.microsoft.com A Microsoft, criada em 1975 pelos empresários Bill Gates e Paul Allen, é uma das gigantes na área de informática e tecnologia. Entre seus produtos está o sistema operacional Windows que revolucionou o mercado mundial de programas para computadores. OpenOffice – http://www.openoffice.org Concorrente da Microsoft, o OpenOffice oferece também o pacote de aplicativos semelhante ao MS Office, mas, ao contrário da empresa de Bill Gates, as ferramentas são gratuitas e podem ser baixadas da internet. 52
  53. 53. Alguns programas ou aplicativos facilitam o uso do computador no trabalho e também na vida pessoal. Eles são conhecidos por programas de escritório, pacotes de aplicativos ou, em uma linguagem mais técnica, chamados de suítes de escritório. Editor ou processador de texto, planilha eletrônica, apresentação de slides são alguns dos aplicativos mais utilizados. Várias empresas desenvolveram esses pacotes, porém as mais conhecidas são a Microsoft, com o MS Office, a mais famosa delas, e o OpenOffice, que no Brasil recebeu o nome de BrOffice. TEXTOS E PLANILHAS 53
  54. 54. PROCESSADOR DE TEXTO É com o processador de texto que o usuário escreve e edita documentos em um computador. Trata-se de um software que faz o papel de uma máquina de escrever, só que vai além ao permitir a redação de textos com diferentes tipografias, tamanho de letra e cores e incluir gráficos, imagens e tabelas. O usuário também pode apagar, arquivar e editar os documentos. São exemplos o Word, da Microsoft, e o Writer, da OpenOffice. Word Processador de texto da Microsoft, o Word faz parte do pacote Office e é o aplicativo mais usado para escrever e editar documentos, por causa das várias ferramentas agregadas a ele. Writer O Writer é o processador de texto da OpenOffice. Com ele é possível redigir e editar textos e é compatível com documentos do Word. PLANILHA ELETRÔNICA A planilha eletrônica nada mais é do que uma tabela utilizada para organizar dados. Um aplicativo que ajuda a fazer cálculos e gerenciar informações no computador. Nas planilhas, é possível armazenar, calcular e analisar dados, inserir gráficos. Ela é formada por colunas, linhas e células e os arquivos são armazenados em pastas de trabalho. Em um mesmo arquivo é possível ter várias pastas de trabalho e assim, por exemplo, arquivar o orçamento familiar mês a mês. Entre os programas que permitem realizar essas ações estão o Excel, da Microsoft, e o Calc, da OpenOffice. Excel O Excel é o programa de planilha eletrônica que faz parte do pacote do Microsoft Office. É uma das planilhas mais utilizadas como ferramenta de cálculo e para a construção de gráficos. Calc O programa de planilha eletrônica do OpenOffice é o Calc. Fácil de usar e de aprender, o programa tem as mesmas funções da concorrente Excel, da Microsoft, com fórmulas em linguagem simples de utilizar. 54
  55. 55. APRESENTADOR DE SLIDES Nos pacotes de aplicativos, pode-se encontrar um programa para montagem de apresentações gráficas, na forma de slides que serão exibidos em um projetor. É possível incorporar recursos gráficos, imagens, animações, sons e textos em cada slide, ou tela. Esse tipo de programa é muito utilizado na apresentação de relatórios, trabalhos escolares, entre outros, e são exemplos o PowerPoint, da Microsoft, e o Impress, da OpenOffice. PowerPoint O PowerPoint, ou apenas PPT, é o programa da Microsoft para a criação, edição e exibição de slides. Impress É a alternativa do OpenOffice para o PPT. Tem as mesmas funções e é compatível com o programa da Microsoft. GOOGLE DOCS - https://docs.google.com Assim como o Microsoft Office e o OpenOffice, o Google Docs também reúne um pacote de aplicativos com processador de texto, planilha e apresentação de slides. A grande diferença, porém, é que essa ferramenta, além de gratuita, é totalmente on-line e compatível com os outros pacotes. Com o Google Docs, é possível compartilhar documentos com vários usuários ao mesmo tempo, facilitando o trabalho via web. OUTROS APLICATIVOS Dois outros pacotes de aplicativos estão disponíveis na internet para facilitar a vida do usuário: o Thinkfree e o Zoho. Ambos são gratuitos e on-line, embora menos conhecidos que o Google Docs, por exemplo. 55
  56. 56. 19993782

×