Revolução de 1930

492 visualizações

Publicada em

1 comentário
1 gostou
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
492
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
1
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Revolução de 1930

  1. 1. Atividade 7.3 Capa e Apresentação Projeto: As mídias e a Educação Objetivo: Promover a aprendizagem coletiva e cooperativa dos alunos incitando-lhes a curiosidade e o questionamento da vida cotidiana e dos conhecimentos científicos. Meta: alunos do 3o. ano do Ensino Médio Procedimentos: Apresentação dos temas para os alunos escolherem. Após a escolha, separar em grupo e levar para pesquisa na Internet em sites indicados pelo professor e cada grupo vai elaborar Slides. Por último, cada grupo fará uma apresentação utilizando data show. Desenvolvimento e resultados O tema para a realização deste projeto foi a Era Vargas. A turma do 3ₒ ano foi dividida em5 grupos. Após a formação dos grupos os grupos escolheram os subtemas . Grupo 1: A Revolução de 1930 Grupo 2: O governo Provisório e a Revolução de 1932 Grupo 3: Governo Constitucional Grupo 4: Estado Novo Grupo 5: Fim do Estado Novo e a Redemocratização.
  2. 2. Depois das escolhas, foram marcadas 4 aulas para a pesquisa no sites http://www.educador.brasilescola.com, http://www.cpdoc.fgv.br e www.brasilescola.com/historiab Após a coleta dos dados os alunos transformaram - os em slides. Para finalizar, os grupos apresentaram seminário e fiz as observações necessárias em cada tema. Segue abaixo um exemplo do que foi apresentado Pelo grupo 1 com o tema: A Revolução de 1930.
  3. 3. Revolução de 1930 Podemos compreender a Revolução de 1930 foi a crise das oligarquias. Com o impacto da crise de 1929, o então presidente paulista Washington Luís resolveu apoiar a candidatura de seu conterrâneo Júlio Prestes. Conhecida como “Política do Café Puro”, a candidatura de Júlio Prestes rompeu com o antigo arranjo da “Política do Café com Leite”, em que os latifundiários mineiros e paulistas se alternariam no mandato presidencial.
  4. 4. Insatisfeitos com tal medida, um grupo de oligarquias dissidentes – principalmente de Minas Gerais, Rio Grande do Sul e Paraíba – criaram uma chapa eleitoral contra a candidatura de Júlio Prestes. Conhecida como Aliança Liberal, a chapa encabeçada pelo fazendeiro gaúcho Getúlio Dorneles Vargas prometia um conjunto de medidas reformistas. Entre outros pontos, os liberais defendiam a instituição do voto secreto, o estabelecimento de uma legislação trabalhista e o desenvolvimento da indústria nacional. Sob um clima de desconfiança e tensão, o candidato Júlio Prestes foi considerado vencedor das eleições daquele ano. Mesmo com a derrota dos liberais, um possível golpe armado ainda era cogitado. Com o assassinato do liberal João Pessoa, em 26 de julho de 1930, o movimento oposicionista articulou a derrubada do governo oligárquico com o auxílio de setores militares. Depois de controlar os focos de resistência nos estados, Getúlio Vargas e seus aliados chegam ao Rio de Janeiro, em novembro de 1930. Iniciando a chamada Era Vargas, Getúlio ficaria por quinze anos ininterruptos no poder (1930 – 1945) e, logo depois, seria eleito pelo voto popular voltando à presidência entre os anos de 1951 e 1954.

×