Atps projeto muldicisciplar iii oficial

375 visualizações

Publicada em

ATPS Projeto Multidisciplinar III - Pedagogia - Anhanguera

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
375
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
4
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Atps projeto muldicisciplar iii oficial

  1. 1. 1 PROJETO MULTIDISCIPLINAR III Atividade Prática Supervisionada (ATPS),entregue como requisito para conclusão da disciplina “ Projeto Multidisciplinar III” , 5º semestre, sob orientação da Professora Fabiana Kalandjian. OSASCO - SP 2015 Geneva Pereira Moura RA: 6582334534 Luzinete Costa dos Santos RA: 7701628649 Meire Moraes da S.Jeronymo RA: 6748356621 Regina Gidzinski Soares RA : 6397237365 Silvany de O. Monteiro RA: 6577255333
  2. 2. 2 SUMÁRIO Introdução...................................................................................................................................3 Resenhas: A aprendizagem baseada em Projetos........................................................................4 Síntese das resenhas...................................................................................................................6 Tema: “Folclore é Cultura”.........................................................................................................7 Projeto Educativo: “O Folclore Brasileiro”................................................................................8 Avaliação do Projeto.................................................................................................................10 Considerações Finais.................................................................................................................12 Referências Bibliográficas........................................................................................................13
  3. 3. 3 INTRODUÇÃO Este trabalho tem como objetivo ressaltar a importância da pedagogia de projetos, onde o aluno se torna capaz de construir seu próprio conhecimento, através da interação com o professor e a sociedade. A ABP desenvolve o conhecimento a coordenação motora e o relacionamento entre os alunos em sala de aula, com visitas constantes em ambientes externos da escola a criança pode desenvolver um vinculo com o todo em volta de si, aprendendo a se comunicar e a se desenvolver. A pedagogia de projetos vem-se transformando em espaço vivo de interações, trazendo uma nova perspectiva para se entender o processo de ensino-aprendizagem nesse processo, todo conhecimento é construído sem estreita relação com os contextos em que são utilizados, pois a formação do aluno não pode ser pensada apenas como uma atividade intelectual.
  4. 4. 4 A aprendizagem baseada em Projetos Almeida (1999) no artigo Projeto: uma nova cultura de aprendizagem define a prática pedagógica por meio do desenvolvimento de projeto como uma forma de conceber educação que envolve o professor, o aluno, os recursos disponíveis, as novas tecnologias e todas as interações que se estabelecem nesse ambiente denominado ambiente de aprendizagem. Segundo a autora um ambiente criado para promover a interação entre todos os elementos e propiciar o desenvolvimento da autonomia do aluno e a construção de conhecimentos de distintas áreas do saber. Em suas considerações a respeito da aprendizagem por projetos Almeida (1999) afirma, a aprendizagem ocorre por meio da interação e articulação entre conhecimentos de distintas áreas, conexões estas que se estabelecem a partir dos conhecimentos cotidianos dos alunos, cujos interesses e expectativas são mobilizados na construção de conhecimentos científicos, observa. Trata-se de uma nova cultura do aprendizado que não se fará por reformas ou novos métodos e conteúdos definidos por especialistas. Para ela é uma mudança radical que deve tornar a escola capaz de: atender às demandas da sociedade, criar espaços para que professores e alunos tenham autonomia para desenvolver o processo de aprendizagem de forma cooperativa e incorporar as novas tecnologias não apenas para expandir o acesso a informação atualizada, mas principalmente, promover uma nova cultura do aprendizado. Em Pedagogia de Projetos: fundamentos e implicações a autora Maria Elisabette Brisola Brito Prado afirma na pedagogia de projetos, o aluno aprende no processo de produzir, levantar dúvidas, pesquisar e criar relações que incentivam novas buscas, descobertas, compreensões e reconstruções de conhecimento. Portanto, para a autora, o papel do professor deixa de ser daquele que ensina por meio da transmissão de informações, para criar situações de aprendizagem cujo foco incida sobre as relações estabelecidas nesse processo. Cabendo ao professor realizar as mediações necessárias pra que o aluno possa encontrar sentido naquilo que está aprendendo a partir das relações criadas nessas situações. No entanto, Maria Elisabette entende que, para fazer a mediação pedagógica, o professor precisa acompanhar o processo de aprendizagem do aluno, entender seu caminho, seu universo cognitivo e afetivo, bem como sua cultura, história e contexto de vida. Para ela é fundamental que o professor tenha clareza da sua intencionalidade pedagógica para saber intervir no processo de aprendizagem. Para a autora, embora a pedagogia de projetos constitua um novo desafio para o
  5. 5. 5 professor, pode viabilizar ao aluno um modo de aprender baseado na integração entre conteúdos das várias áreas do conhecimento, bem como as diversas mídias disponíveis no contexto da escola, mas alerta. A pedagogia de projetos, nessa perspectiva envolve a inter- relação de conceitos e princípios, os quais sem a devida compreensão podem fragilizar qualquer iniciativa. José Armando Valente em suas considerações em Repensar as situações de aprendizagem: o fazer e o compreender lembra que Paulo Freire (1970), sugere que o desenvolvimento de projetos educacionais como estratégia pedagógica tem sido uma tentativa de tornar a aprendizagem contextualizada no interesse do aluno e relacionada com as situações familiares ao aprendiz. Para o autor a proposta da educação por projetos é uma tentativa de unir dois mundos que coexistem separadamente: a vida e a escola. Para Valente (2002), o desenvolvimento do projeto pode servir como pano de fundo para o professor trabalhar diferentes tipos de conhecimento que estão sobrepostos e representados em termos de três construções: procedimentos e estratégias de resolução de problemas, conceitos disciplinares e estratégias e conceitos sobre aprender. Para o autor a educação por projetos é uma estratégia pedagógica para ser explorada em diferentes níveis escolares, desde a Educação Infantil até a universidade. Em aprendendo com projetos Fernando José Almeida entende que a Pratica pedagógica através de projeto é uma forma inovadora de romper com as prisões curriculares e dar um formato mais participativo ao trabalho de professores e educadores. Os projetos segundo o autor permite articular a disciplina, buscam analisar os problemas sociais e existenciais e contribuir para a sua solução por meio da prática concreta dos alunos e da comunidade escolar. Para o autor os projetos são oportunidades excepcionais para nossas escolas por possibilitarem um arranjo de diferentes dinâmicas de aprendizagem. Naturalmente propõe o contato com o mundo fora da sala de aula, fora dos muros da escola, na busca de problemas verdadeiros. Por isso, implicam na ação dos alunos, na busca e seleção de informações e experiências. Segundo Fernando como geralmente lida com problemas concretos do mundo real, provocam a reflexão sobre questões para as quais não há apenas certo e errado. Essas reflexões geralmente promovem a troca com o outro, seja este o professor, o colega, os pais de um amigo, o dono da padaria, um profissional do bairro. Para o autor projetos bem orientados motivam os alunos e os professores a superarem seus conhecimentos por meio do rompimento dos limites comuns ao ensino tradicional. Fernando afirma aprender por projeto é transformar o processo da aprendizagem em algo meritório, que merece ser compartilhado.
  6. 6. 6 Síntese das Resenhas : A aprendizagem por meio de projetos é a mudança sugerida para a formação do aluno na sua totalidade. Um projeto gera situações de aprendizagem reais e diversificadas ao mesmo tempo. Favorecendo seu desenvolvimento cognitivo, afetivo, cultural, social construindo sua autonomia. Na pedagogia de projetos, o aluno aprende no processo de produzir, levantar dúvidas, pesquisar e criar relações que incentivam novas buscas, descobertas, compreensões e reconstruções de conhecimento. Envolve-os nas elaborações das atividades e valoriza a sua participação. Por ser muito complexo, o projeto não tem um modelo pronto, e ao elaborar um, deve-se conhecer bem o que se quer, ou seja, sua intencionalidade. Sabendo que as necessidades de hoje não são comparadas com as de vinte anos atrás, surge então a precisão de uma educação não só de conhecimentos específicos, mas cidadãos críticos, pensantes, comunicativos, capazes de resoluções, planejamentos, etc. Que sejam capazes também de adaptar as mudanças cada vez mais aceleradas das tecnologias (computador, internet, vídeo, televisão). Um projeto de aprendizagem é um projeto de investigação, dentre as muitas dificuldades encontradas ao trabalhar interdisciplinarmente entre mídias, saberes e protagonistas (gestores, professores e alunos), é válido ressaltar os cronogramas acirrados da escola, já que os projetos não tem data fixa para serem concluídos. Além disso, destaca-se a falta de profissionais qualificados para integrar as duas áreas do conhecimento, educação e informática. Para tanto, Lévy (1998) afirma que as novas tecnologias utilizadas como ferramentas pedagógicas na escola redefinem a função docente e agregam às práticas de ensino e aprendizagem à novos modos de acesso aos conhecimentos. O desconhecimento de uma das áreas desvirtua uma proposta integradora das mesmas. “Esse processo se constitui num exercício e aplicação do que já se sabe” (Almeida, 2002) a respeito do tema “Não deve ser assumido pelos alunos como imposição do professor tampouco pode ser fruto de uma curiosidade circunstancial dos alunos. O tema gerador deve constituir-se em desafio, algo que mereça investimento de tempo e esforço cognitivo” (Barbosa, 2004). Cabe ao professor deixar de ser só o transmissor e criar situações para que o aluno possa encontrar sentido naquilo que está aprendendo, acompanhar todo o processo de aprendizagem, incentivando-os a pensar em coisas que gostariam de aprender e de fazer; conhecer o universo cognitivo, afetivo, cultura histórica e contexto de vida dos alunos, enfim,
  7. 7. 7 dentre as muitas coisas que o professor deve fazer, importante é repensar sobre sua prática, mudando a sua postura, colaborando para tomar a atividade útil no desenvolvimento de competências e habilidades básicas importantes para que vivam vidas autônomas, produtivas e responsáveis. Portanto o trabalho com projetos favorece o elo entra as diversas áreas do conhecimento, como também a integração de várias mídias e recursos, permitindo ao aluno que se expresse por meio de diferentes linguagens e formas de representação. VÍDEOS: Com base nos filmes curta-metragem relacionados abaixo , apontamos as seguintes opiniões no grupo: Filme: A invenção da infância Retrata a questão dos contrastes existentes em nosso país, as diferenças das situações sociais. Crianças que vivem como pessoas adultas, independente de sua classe social, agem e pensam como pessoas maduras. Filme: Maré Capoeira É o apelido de um garoto chamado João, com idade de dez anos que sonha um dia ser mestre de capoeira como seu pai. Uma tradição familiar que atravessa várias gerações. Pode- se observar que este filme retrata a cultura dos afrodescendentes de nosso país, apresentando assim a capoeira como uma cultura. Filme: O menino da favela e a tampa da panela Este filme retrata a questão do preconceito, um menino que aparentemente rouba uma tampa de panela é perseguido por pessoas nas ruas da favela. E na verdade o objetivo é totalmente ao contrário do que se imaginava. Filme: Mãos de vento e olhos de dentro Este filme retrata uma grande amizade entre uma menina cega chamada Lia e um garoto solitário chamado Lico. E juntos iniciam uma jornada de aventura pelo mundo da fantasia.
  8. 8. 8 Tema: “Folclore é Cultura” O grupo escolheu o tema “Folclore é Cultura”, e o vídeo será “Maré Capoeira” que fala sobre o menino Maré e a história da Capoeira, levantando a importância da cultura e do folclore brasileiro. Este tema foi escolhido porque retrata a deficiência do nosso Brasil, já que, nem todos têm acesso à cultura como deveria ser. Os profissionais desse ramo, na maioria das vezes, nem mesmo possuem carteira assinada ou trabalham por conta própria. Levando em conta, os preços elevados dos livros, teatro e cinema, poucas fundações culturais para uma população com tanta sede de informação e entretenimento. Portanto, decidimos trazer aos alunos, uma cultura que está tão próxima fazendo parte do nosso dia-a-dia. O folclore é encontrado de diversas formas e precisa ser valorizado por cidadão futuros. Esse é o nosso projeto, nossa deficiência e nosso projeto de esperança para o futuro. Considerar a capoeira somente como um esporte é limitá-la a apenas uma de suas várias faces e menosprezar o vasto universo sociocultural na qual ela está inserida. Atualmente a capoeira é praticada como um esporte, como um jogo lúdico que requer flexibilidade, alongamento, força, conhecimento das regras e principalmente respeito e malícia para saber lidar com o outro jogador. Projeto Educativo: “O Folclore Brasileiro” Justificativa: Pela defasagem e falta de acesso à cultura no Brasil, escolhemos este tema para despertar o gosto pelo folclore regional e sua importância. Objetivo Geral: Explorar o Folclore brasileiro, compreendendo-o como parte da cultura. Objetivos Específicos: Pesquisar lendas, mitos e crenças; Resgatar a importância da Cultura; Despertar o interesse por músicas e danças folclóricas, livros histórias e brincadeiras; desenvolver a linguagem oral e escrita; Pesquisar cantigas e lendas; Conscientizar sobre a importância dos valores culturais repassados pelos mais velhos; Conhecer manifestações
  9. 9. 9 culturais e religiosas existentes em nossa cidade. Atividades: • Educação Física (Danças e Capoeiras); • Artes (Cartazes, murais e brinquedos folclóricos); • Língua Portuguesa (Pesquisa de história e mitos, lendas e par lendas, leitura dos livros de Monteiro Lobato); • História e Geografia (Descrição das diferentes manifestações folclóricas nas do Brasil); • Matemática (Trabalhar numerais e receita típicas). Estratégias: a) Roda de conversa:  levantamento do conhecimento prévio das crianças a cerca do assunto  apresentação da proposta de trabalho para a semana – um mito por dia b) Dobraduras c) Cartaz para a apresentação de cada personagem d) Desenhos e) Pintura f) Trabalho manual (saci na garrafinha) g) Exposição dos Trabalhos h) Livrinhos dos Mitos i) Laboratório de informática – jogo da memória, quebra-cabeça. Metodologia 1ª Etapa: Os alunos farão uma pesquisa na sala de informática sobre; pares lendas, mitos, lendas e histórias. Em seguida escolherão um texto de cada item para elaboração de uma Cartilha Folclórica. 2ª Etapa: Os alunos terão que fazer uma pesquisa em casa sobre; receitas típicas regionais e
  10. 10. 10 trazer para discussão em sala e assim serão escolhidas as melhores para incluir na Cartilha. As receitas serão usadas também para trabalhar números em sala. 3ª Etapa: Na sala de Leitura os alunos irão escolher livros do Monteiro Lobato para levarem para casa. 4ª Etapa: Nas aulas de artes os alunos irão confeccionar cartazes dentro do tema do projeto, também farão pipas e petecas. 5ª Etapa: Os alunos farão danças folclóricas na aula de Educação Física, e aprenderão a capoeira. 6ªEtapa: Pesquisar através de livro s e da internet, a descrição das diferentes manifestações folclóricas nas regiões do Brasil, e em um pequeno resumo, descrever o folclore local para incluir na cartilha produto final. Com todas as etapas concluídas, haverá uma Mostra Cultural com apresentação dos Capoeiristas, e as peças de teatro ensaiadas pelos grupos. Exposição dos cartazes, murais, cartilhas e brinquedos. Durante oevento serão servidas algumas receitas típicas pesquisadas. Avaliação: O professor deverá avaliar através da participação e de registro individuais e em grupos feitos ao longo do projeto. A avaliação será feita a partir das atividades propostas no projeto. Os textos com diferentes conteúdos contribuirão para enriquecê-los culturalmente e também para avalia-los em todos os eixos. A participação dos alunos também será avaliada, já que para um resultado positivo, pois o projeto depende disso.
  11. 11. 11 Registros serão feitos pelo professor continuamente a fim de diagnosticar os pontos onde intervir, buscando o êxito. Áreas de Conhecimento • Conteúdos • Habilidades • Cultura, danças e comidas típicas. • Roda de dança • Som e Silêncio • Crenças, tradição, éticas e moral. • Equilíbrio corporal • Ilustração e Imagens • Brincadeiras, mitos, adivinhas, cantigas. • Letras de música • Ritmos e Melodia • Costumes, festas. • Capacidade de atenção • Dança • Superstição, arte. • Criatividade • Apreciar a música Avaliação do Projeto No processo de avaliação do ensino – aprendizagem do projeto a ser trabalhado, é de extrema importância levar em consideração o conhecimento que o aluno traz dentro de si acerca da história da Maré da Capoeira, fazendo nesse momento uma sincronia com seu conhecimento de mundo, ou seja, conhecimento prévio. O aluno vai ser avaliado desde sua interação em sala de aula, buscando observar o seu comportamento em relação a seus amiguinhos, a sua participação e comprometimento nas atividades propostas. A avaliação consistirá além da observância do aluno em sala de aula, no seu empenho
  12. 12. 12 em relação às atividades, e até mesmo a sua forma de relacionar o conteúdo da história com o seu cotidiano. Ao avaliarmos o projeto em etapas, buscando observar o domínio que o aluno tem com as matérias do currículo básico, poderemos aos poucos sentir o que ainda precisa ser mais trabalhado dentro de sala de aula e o que já obtivemos sucesso no processo de aprendizagem do aluno. Ao finalizarmos este trabalho concluímos que ele é adaptável e flexível, podendo ser utilizado inteiramente no ensino fundamental I. O tema escolhido foi muito satisfatório entra todos do grupo. Acreditamos que ainda existem inúmeras outras possibilidades de trabalhar este tema, onde os profissionais da educação terão valiosos resultados.
  13. 13. 13 Considerações Finais Com a realização deste trabalho, concluímos que a Pedagogia de Projetos é uma metodologia que possui grande importância para o contexto histórico em que se encontra a Educação Brasileira. A Pedagogia de Projetos busca dar um novo direcionamento a prática pedagógica, buscando melhorar as bases educacionais e seu conteúdo. A educação deve ser voltada para a realidade e para as necessidades dos alunos, baseados em questões e problemas do cotidiano, seja sociais, pessoais, familiares , profissionais ou comunitárias. Através da Pedagogia de Projetos é possível suprir esta necessidade, reestruturando a prática de ensino e a postura do educador, que passa a ser um mediador do conhecimento e não um detentor de todo o saber. A pedagogia de projetos torna-se uma metodologia adequada para ajudar na formação de um adulto mais consciente, crítico e com participação ativa na sociedade. Para isso é necessário que cada futuro educador encontre o seu meio de ensinar , inove suas ideias e inclua a pratica de projetos em sua didática.
  14. 14. 14 Referencias Bibliográficas/Links ALMEIDA, M. E. B. Projeto: uma nova cultura de aprendizagem. 1999. Disponível em: . Acesso em: 17/04/2015 ás 14h10 ALMEIDA, Fernando José. Aprendendo com projetos. Disponível em: . Acesso em: 22/04/2015 ás 21h15 CORRÊA, Cristina Mara da Silva et al. Projeto Pedagógico: Por quê, quando e como – Educação Infantil. Disponível em: . Acesso em: 27/04/2015 ás 7h44 PRADO, Maria Elisabette Brisola Brito. Pedagogia de projetos: fundamentos e implicações. In: ALMEIDA, Maria Elizabeth Bianconcini; MORAN, José Manuel (Org.). Integração das tecnologias na educação. Brasília: Ministério da Educação, 2005. Disponível em: Acesso em: 02/05/2015 ás 13h27 Maré capoeira. Direção de Paola Barreto, 2005. Duração 14 min. Disponível em: . Acesso em: 04/05/2015 ás 13h50
  15. 15. 15 A invenção da Infância. Direção de Liliana Sulzbach, 2000. http://portacurtas.org.br/filme/?name=a_invencao_da_infancia - Acesso em|: 06/05/15 ás 12h10 Maré capoeira. Direção de Paola Barreto, 2005. Disponível em: <http://portacurtas.org.br/filme/?name=mare_capoeira - Acesso em: 06/05/15 ás 14h26 menino da favela e a tampa da panela. Cao Hamburguer, 1995. Duração 05 min. Disponível em: <http://educa-tube.blogspot.com.br/2011/06/o-menino-favela-e-as-tampas-da- panela.html>. Acesso em: 09/05/15 ás 15h02. Mãos de vento e olhos de dentro. Suzanna Lira, 2008. Duração 13 min. Disponível em: <http://portacurtas.org.br/filme/?name=maos_de_vento_e_olhos_de_dentro >. Acesso em: 09/05/15 ás 17h33

×