Introducao teoria geral adm.

11.229 visualizações

Publicada em

0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
11.229
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
465
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Introducao teoria geral adm.

  1. 1. TEORIA GERAL DA ADMINISRAÇÃO PROFESSOR PAULO LACERDA
  2. 2. Abordagem Clássica Administração Científica Estudos Empíricos Taylor Ênfase nas Tarefas c2007, Valentim <ul><li>Período: 1903 </li></ul><ul><li>Período: 1911 </li></ul><ul><li>Tempos e Movimentos </li></ul><ul><li>Organização Racional do Trabalho (ORT) </li></ul><ul><li>Org. Formal </li></ul><ul><li>Princípios: </li></ul><ul><li>Planejamento </li></ul><ul><li>Preparo </li></ul><ul><li>Controle </li></ul><ul><li>Execução </li></ul><ul><li>Críticas: </li></ul><ul><li>Mecanicismo </li></ul><ul><li>Comprovação Científica </li></ul><ul><li>Visão parcial da organização </li></ul><ul><li>Campo de Aplicação </li></ul>
  3. 3. Teoria Clássica Administração como Ciência Fayol Ênfase na Estrutura Abordagem Clássica Período: 1916 <ul><li>Princípios: </li></ul><ul><li>Prever </li></ul><ul><li>Organizar </li></ul><ul><li>Comandar </li></ul><ul><li>Coordenar </li></ul><ul><li>Controlar </li></ul><ul><li>Processo Administrativo </li></ul><ul><li>Funções Administrativas </li></ul><ul><li>Org. Formal </li></ul><ul><li>Críticas: </li></ul><ul><li>Visão simplificada da organização </li></ul><ul><li>Ausência de trabalhos experimentais </li></ul><ul><li>Extremo Racionalismo na concepção da Administração </li></ul><ul><li>Teoria da Máquina </li></ul>c2007, Valentim
  4. 4. Abordagem Clássica Taylor Fayol Administração Científica Teoria Clássica Ênfase nas Tarefas Ênfase nas Estruturas Aumentar a eficiência da empresa por meio do aumento de eficiência ao nível operacional Aumentar a eficiência da empresa por meio da forma e disposição dos órgãos componentes da organização e das suas inter-relações estruturais c2007, Valentim
  5. 5. Abordagem Humanística Teoria das Relações Humanas Mayo / Lewin Ênfase nas Pessoas Período: 1930 <ul><li>Princípios: </li></ul><ul><li>A organização é formada por pessoas </li></ul><ul><li>Delegação de autoridade </li></ul><ul><li>Confiança e abertura </li></ul><ul><li>Dinâmica de grupo </li></ul><ul><li>Humanizar a Administração </li></ul><ul><li>Democratizar a Administração </li></ul><ul><li>Sistema Social </li></ul><ul><li>Críticas: </li></ul><ul><li>Visão simplificada do indivíduo </li></ul><ul><li>Limitação do campo de aplicação </li></ul><ul><li>Parcialidade nos resultados </li></ul><ul><li>Enfoque manipulativo das relações humanas </li></ul><ul><li>Surgem Estudos: </li></ul><ul><li>Motivação </li></ul><ul><li>Liderança </li></ul><ul><li>Redes de </li></ul><ul><li>Comunicação </li></ul>c2007, Valentim
  6. 6. Abordagem Neoclássica Escola do Processo Administrativo Drucker/ Newman Ênfase nas tarefas, pessoas e estrutura Período: 1960-70 <ul><li>Princípios: </li></ul><ul><li>Processo operacional </li></ul><ul><li>Variedade de situações organizacionais </li></ul><ul><li>Se apóia em princípios universais </li></ul><ul><li>Práticas de ADM </li></ul><ul><li>Postulados Clássicos </li></ul><ul><li>Objetivos/Resultados </li></ul><ul><li>Org. Formal e Informal </li></ul><ul><li>Críticas: </li></ul><ul><li>Carecem de flexibilidade </li></ul><ul><li>Dificuldade de adaptar-se às mudanças </li></ul><ul><li>Diluição de autoridade </li></ul><ul><li>Conflitos nas relações humanas </li></ul><ul><li>Surgem Estudos: </li></ul><ul><li>Eficiência/Eficácia </li></ul><ul><li>Centralização/ </li></ul><ul><li>Descentralização </li></ul><ul><li>Formal/Informal </li></ul><ul><li>Ciclo Administrativo </li></ul><ul><li>Organização Linear </li></ul><ul><li>Organização Funcional </li></ul><ul><li>Linha / Staff </li></ul><ul><li>Departamentalização </li></ul>c2007, Valentim
  7. 7. Abordagem Neoclássica Administração por Objetivos Drucker Ênfase nas tarefas, pessoas e estrutura Período: 1950 <ul><li>Princípios: </li></ul><ul><li>Objetivos comuns entre as pessoas </li></ul><ul><li>Definição de objetivos para cada setor </li></ul><ul><li>Ênfase na mensuração e controle de resultados </li></ul><ul><li>Staff </li></ul><ul><li>Avaliação continua </li></ul><ul><li>Interação entre superior-subordinado </li></ul><ul><li>Presente e futuro </li></ul><ul><li>Avaliação de Resultados </li></ul><ul><li>Org. Formal e Informal </li></ul><ul><li>Críticas: </li></ul><ul><li>A estratégia organizacional pode ser uma faca de dois gumes </li></ul><ul><li>Pode afetar a criatividade do grupo </li></ul><ul><li>Visão objetivada pode ser fatal no âmbito da complexidade </li></ul><ul><li>Surgem Estudos: </li></ul><ul><li>Mensuração de resultado </li></ul><ul><li>Planejamento estratégico </li></ul><ul><li>Planos Táticos </li></ul><ul><li>Planos Operacionais </li></ul><ul><li>Avaliação de Desempenho </li></ul><ul><li>Cenários </li></ul>c2007, Valentim
  8. 8. Abordagem Estruturalista Teoria da Burocracia Weber/ Merton Ênfase na eficiência da estrutura Período: 1940 <ul><li>Princípios: </li></ul><ul><li>Modelo Racional </li></ul><ul><li>Complexidade das empresas </li></ul><ul><li>Sociedade legal </li></ul><ul><li>Formalização </li></ul><ul><li>Hierarquia e autoridade </li></ul><ul><li>Meritocracia </li></ul><ul><li>Caráter legal das normas </li></ul><ul><li>Rotinas e procedimentos </li></ul><ul><li>Previsibilidade do funcionamento </li></ul><ul><li>Organização formal </li></ul><ul><li>Críticas: </li></ul><ul><li>Excesso de formalismo </li></ul><ul><li>Ênfase nos cargos </li></ul><ul><li>Excesso de exigências </li></ul><ul><li>Processos lentos </li></ul><ul><li>Surgem Estudos: </li></ul><ul><li>Autoridade organizacional </li></ul><ul><li>Rotinas e procedimentos </li></ul><ul><li>padronizados </li></ul><ul><li>Comunicação formalizada </li></ul><ul><li>Racionalidade de </li></ul><ul><li>processos </li></ul><ul><li>Normalização e </li></ul><ul><li>especificações </li></ul>c2007, Valentim
  9. 9. Abordagem Estruturalista Teoria Estruturalista da ADM Etzioni/ Blau e Scott Ênfase na estrutura organizacional, nas pessoas e no ambiente Período: 1950 <ul><li>Princípios: </li></ul><ul><li>Convergência de várias abordagens divergentes </li></ul><ul><li>Integrativa e Conflito (Tendências teóricas) </li></ul><ul><li>Análise organizacional mais ampla </li></ul><ul><li>Organizações formais e informais </li></ul><ul><li>Organizações complexas </li></ul><ul><li>Homem organizacional </li></ul><ul><li>Org. formal e informal </li></ul><ul><li>Críticas: </li></ul><ul><li>Teoria de transição (para a teoria de sistemas) </li></ul><ul><li>Surgem Estudos: </li></ul><ul><li>Ambiente interno e externo </li></ul><ul><li>Conflitos organizacionais </li></ul><ul><li>Análise organizacional </li></ul><ul><li>Homem organizacional </li></ul><ul><li>Sistema Social </li></ul>c2007, Valentim
  10. 10. Abordagem Comportamentalista Teoria Comportamental da ADM Simon/Schein / Maslow Ênfase nas pessoas e no ambiente Período: 1947 <ul><li>Princípios: </li></ul><ul><li>Conflito entre objetivos individuais e organizacionais </li></ul><ul><li>Diferença entre problema, dilema e conflito </li></ul><ul><li>Habilidades de Negociação </li></ul><ul><li>Habilidades de liderança </li></ul><ul><li>Organizações formais e informais </li></ul><ul><li>Organizações complexas </li></ul><ul><li>Homem organizacional </li></ul><ul><li>Org. formal e informal </li></ul><ul><li>Críticas: </li></ul><ul><li>Excesso psicologização </li></ul><ul><li>Autoridade x obediência </li></ul><ul><li>Reforço (muito simplista) </li></ul><ul><li>Visão tendenciosa </li></ul><ul><li>Surgem Estudos: </li></ul><ul><li>Motivação Humana </li></ul><ul><li>Necessidades das Pessoas </li></ul><ul><li>Estilos de Administração </li></ul><ul><li>Teoria X e Y </li></ul><ul><li>Escala de Likert </li></ul><ul><li>Teoria das Decisões </li></ul><ul><li>Teoria do Equilíbrio </li></ul><ul><li>Organizacional </li></ul><ul><li>Comportamento </li></ul><ul><li>Organizacional </li></ul>c2007, Valentim
  11. 11. Abordagem Sistêmica Teoria Geral de Sistemas Katz/Kahn/ Schein Ênfase no ambiente Período: 1950 <ul><li>Princípios: </li></ul><ul><li>Expansionismo </li></ul><ul><li>Pensamento sintético </li></ul><ul><li>Teleologia </li></ul><ul><li>TIC’s </li></ul><ul><li>Organizações formais e informais </li></ul><ul><li>Organizações complexas </li></ul><ul><li>Sistema aberto </li></ul><ul><li>Org. como sistema </li></ul><ul><li>Críticas: </li></ul><ul><li>Excesso de ênfase nas TIC’s </li></ul><ul><li>Surgem Estudos: </li></ul><ul><li>Cibernética </li></ul><ul><li>Informática </li></ul><ul><li>Sistemas de informação </li></ul><ul><li>Homeostasia </li></ul><ul><li>Teoria da informação </li></ul><ul><li>Automação de rotinas </li></ul><ul><li>Automação industrial </li></ul><ul><li>Teoria do conhecimento </li></ul>c2007, Valentim
  12. 12. Abordagem Contigencial Teoria da Contingência Lawrence / Lorsch Ênfase no ambiente, tecnologia, tarefas, estrutura e pessoas Período: 1950 <ul><li>Princípios: </li></ul><ul><li>Complexidade organizacional: ambiente, tecnologia, estrutura, tarefas e pessoas </li></ul><ul><li>Organizações formais e informais </li></ul><ul><li>Organizações complexas </li></ul><ul><li>Sistema aberto e sistema fechado </li></ul><ul><li>Críticas: </li></ul><ul><li>Relativismo em ADM </li></ul><ul><li>Compatibilidade entre sistemas abertos e fechados </li></ul><ul><li>Surgem Estudos: </li></ul><ul><li>Ambiente Organizacional (sentido lato) </li></ul><ul><li>Gestão do Conhecimento </li></ul><ul><li>Cultura Organizacional voltada às Tecnologias </li></ul><ul><li>Cenários </li></ul>c2007, Valentim
  13. 13. c2007, Valentim BATEMAN, T. S.  Administração : construindo vantagem competitiva.  São Paulo: Atlas, 1998. CHIAVENATO, I. Introdução à teoria geral da Administração . 7.ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2003. 634p. LODI, J. B. História da Administração . São Paulo: Pioneira Thomson Learning, 2003. 217p. MAXIMIANO, A. C. A. Teoria geral da Administração : da revolução urbana à revolução digital. 4.ed. São Paulo: Atlas, 2004. 521p. BIBLIOGRAFIA BÁSICA

×