Cemec projetos culturais - aula 4 - daniele torres - gestão de projetos

1.119 visualizações

Publicada em

AULA 4 | Gestão de Projetos | Daniele Torres | Ferramentas de gestão cultural aplicadas ao gerenciamento de projetos.

O projeto cultural ocupa um lugar central na produção cultural brasileira. As leis de incentivo, o patrocínio e até mesmo os empreendimentos criativos funcionam dentro dessa lógica. Jornada Projetos Culturais traz os elementos mais sensíveis para quem desenvolve, gere e comercializa projetos. Com presença de alguns dos mais renomados nomes da produção cultural brasileira, a Jornada pretende introduzir ferramentas e conhecimentos aplicados ao mercado de projetos, ampliando a performance de produtores e gestores que atuam com projetos.

Publicada em: Educação
0 comentários
3 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.119
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
76
Comentários
0
Gostaram
3
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Cemec projetos culturais - aula 4 - daniele torres - gestão de projetos

  1. 1. Gestão de Projetos Culturais REDE CEMEC 2014 Apresentação:  Daniele Torres  Companhia da Cultura  IBGC / IBL GESTÃO É a administração do projeto cultural como um todo: compreende seu desenvolvimento e execução. Sendo assim, abrange desde o seu planejamento até a sua pós-produção, desmontagem ou renovação. Falar em gestão é pensar uma administração sistematizada, organizada e com foco em resultados.
  2. 2. Projeto cultural Do PLANEJAMENTO à EXECUÇÃO Roteiro ou trajetória de um projeto: • Planejamento • Elaboração de projeto • Estratégias de Marketing Cultural Certificação em leis de incentivo Definição das linhas de prospecção • Captação de recursos • Negociação • Contrato • Execução / Realização • Pós-produção: avaliação de resultados / prestação de contas /clipping
  3. 3. PLANEJAMENTO do PROJETO Antes de começar, verifique a VIABILIDADE do projeto: se faça PERGUNTAS! Perguntas essenciais para redigir um projeto cultural (roteiro mínimo):  O quê? Por quê?  Onde?  Para quem?  Quando?  Quanto?  Como avaliar? Pensar em indicadores QUALI e QUANTI • Qual o incentivo? • Quem financiará ou comprará? >> pensar as contrapartidas Ter estas questões claramente respondidas em seu projeto facilitará sua gestão. Um projeto bem planejado é mais fácil de ser administrado, porque terá metas claras, bem definidas, o que permite uma gestão sem atropelos.
  4. 4. PROJETO 1. Defina a estratégia de ação (passo a passo para o desenvolvimento do seu projeto); 2. Pense como vai ser a comunicação do seu projeto: a) como vai alcançar e atrair o público esperado; b) como vai difundir as marcas patrocinadoras? c) como vai gerar impacto para a realização de edições futuras? 3. Pense na equipe técnica que precisará >> defina os profissionais e consulte-os sobre disponibilidade, agenda, interesse – reúna currículos e cartas de anuência; 4. Orce os custos da ação (a partir da estratégia de ação elaborada, liste todos os itens necessários à realização do projeto ou evento); 5. Determine quais serão as contrapartidas para os patrocinadores; 6. Qual o diferencial do seu projeto no mercado cultural? Depois de orçar, revise o projeto e a estratégia e verifique se ele e orçamento estão coerentes ou se precisam de revisão.
  5. 5. GESTÃO: PROJETO Ferramentas de gestão que devem ser aplicadas durante a fase de PLANEJAMENTO dos projetos culturais: Definição de cada ferramenta, como e porquê utilizá-las. Análise SWOT (“FOFA”) >> Diagnóstico >> Marco zero Estratégias >> Plano de ação: Metas Cronograma
  6. 6. GESTÃO: EXECUÇÃO FERRAMENTAS de GESTÃO aplicadas aos projetos culturais no seu dia-a-dia: Diagrama* >> estratégia de ação: sequência lógica, com cronograma, para o desenvolvimento do projeto. Aplicável no planejamento e na execução do projeto. Matriz de Responsabilidade (RACI) >> quando há uma instituição hierarquizada, grande, com diferentes níveis de decisão. Menos aplicável ou necessário para empreendedores e projetos independentes. 5W1H >> antigo, mas funciona. O quê, quando, quem, onde, porquê, com que recursos (como). É um plano de ação. * Diagrama e Microsoft Project: ver Claudia Taddei em “Gestão Cultural: Práxis” no Slide Share da Rede CEMEC
  7. 7. GESTÃO: EXECUÇÃO FERRAMENTAS de GESTÃO aplicadas aos projetos culturais no seu dia-a-dia: CRM: Customer Relationship Management. >> Use a tecnologia a seu favor! Existem sistemas gratuitos disponíveis na internet (oferece algum risco de perda de dados) e opções que requerem pouco investimento para gerenciar as informações, emitir relatórios, visualizar a evolução dos processos. O foco não é só comercial, mas de planejamento (melhoria de fluxos e processos), marketing relacional, automatização de ações rotineiras, monitoramento com elaboração de estatísticas e detecção de oportunidades de negócios (comercial).
  8. 8. GESTÃO O que é um projeto bem sucedido? É um projeto concluído... • ...dentro de um período estimado • ...dentro de um orçamento estimado • ...que cumpre os indicadores propostos (qualitativos e quantitativos) • ...com aceitação final das partes interessadas • ...que valoriza o vínculo dos parceiros e apoiadores • ...com pouca variação de escopo
  9. 9. GESTÃO FATORES de SUCESSO para um PROJETO CULTURAL: • Comunicação eficaz • Ter espaço para feedback e ter integração com as partes interessadas, com o público beneficiado • Habilidade e flexibilidade para lidar com imprevistos e riscos • Respeito a normas e leis • Utilizar ferramentas de elaboração e gestão de projetos. • Ter um objetivo claro e executável com as etapas propostas • Ter partes simples e etapas claras, com monitoramento eficiente • Na incerteza, buscar uma opção piloto • Liderança, comprometimento e perseverança • PLANEJAMENTO Fonte: Adriana Deróbio, Avaliação sob a perspectiva da gestão de projetos.
  10. 10. GESTÃO Efetivo: é o que produz efeito. Um projeto é efetivo quando estrutura objetivos pertinentes e constrói soluções inovadoras. Eficiência: é a capacidade de produzir efeitos. Implica no emprego adequado de recursos, melhor relação custo-benefício. Eixo: ambiente interno, processos. Eficácia: relaciona-se com a relevância dos efeitos produzidos. Um projeto eficaz transforma a realidade. Eixo: ambiente externo, produto. Efeito: impacto causado pelos projetos, produtos ou instituições.
  11. 11. GESTÃO: MONITORAMENTO e AVALIAÇÃO Como garantir que seu planejamento está dando resultados? Como verificar se os resultados pretendidos foram alcançados? GESTÃO! O monitoramento deve ser constante, ao longo do processo, para avaliar se as atividades e produtos propostos estão de acordo com os objetivos pretendidos. Monitoramento tem caráter corretivo. Ao final do processo de execução do projeto, a avaliação deve ser realizada para verificação do cumprimento de metas, bem como para projeção de continuidade, se for o caso. Avaliação tem caráter de medição de qualidade.
  12. 12. GESTÃO: MONITORAMENTO e AVALIAÇÃO INDICADORES DE RESULTADOS • Estabeleça quais os indicadores qualitativos e quantitativos de resultados do projeto: QUALI >> muitas vezes dependem de um diagnóstico prévio e do marco zero Exemplos: • Pesquisa de opinião • Cartas, e-mails, viralização na internet, sugestões e elogios formalmente recebidos, etc. QUANTI >> exemplos: • Público esperado X conquistado (presente ou impactado pela ação) • Tempo (ex: número de produtos vendidos x prazo normal de venda deste tipo de produto) • Número de acessos ao site ou redes sociais do projeto • Financeiro: valor investido per capta X retorno de mídia espontânea
  13. 13. GESTÃO SUSTENTABILIDADE Qual a possibilidade de continuidade, qual a perenidade do seu projeto? Ele deixa um LEGADO para a sociedade? Pensar do ponto de vista da:  sustentabilidade financeira do produtor cultural,  da ação cultural ou produto e sua importância para a sociedade ou segmento em que impacta,  ambiental (de impactos que o projeto gera e como podem ser minimizados ou eliminados). Ignacy Sachs define cinco dimensões da Sustentabilidade: Social, Econômica, Ecológica, Espacial e Cultural. “A Sustentabilidade Cultural refere-se ao respeito que deve ser dado às diferenças culturais e as suas contribuições para a construção de modelos de desenvolvimento apropriados às especificidades de cada ecossistema, cada cultura e cada local, visando o desenvolvimento e a promoção da qualidade de vida dos indivíduos e o bem estar social.” FONTE: CABRAL, Antonio; COELHO, Leonardo (Org.). Mundo em transformação: caminhos para o desenvolvimento sustentável. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2006.
  14. 14. ATITUDES - CHAVE Diferenciais para o sucesso de projetos culturais  Sustentabilidade  Processos colaborativos  Transparência  Empreendedorismo  Continuidade
  15. 15. DICAS BÁSICAS  Voltar sempre ao PLANEJAMENTO e ao que foi escrito e consequentemente comprometido no PROJETO;  Tente se colocar no outro lado – de quem vai avaliar a proposta, seja um espaço cultural, uma empresa ou um órgão governamental – faça perguntas nesta posição e veja se consegue responder e defender todas em seu projeto, quer seja na etapa de apresentação ou na de renovação ou avaliação final da execução;  Atenção com direitos autorais, herdeiros, autorizações de uso de imagem, segurança, etc.;  Invista em sistemas de gestão da informação.  Nem sempre a pessoa que planeja é o melhor gestor e vice-versa... Analise antes de dividir as responsabilidades!
  16. 16. Bibliografia e Referências: LIVROS: • Andrade, Arnaldo Rosa de – Planejamento Estratégico: Formulação, Implementação, Controle / Ed. Atlas • Angeloni, Maria Therezinha e Mussi, Clarissa Carneiro (org.) – Estratégias: Formulação, Implementação e Avaliação – O desafio das organizações contemporâneas / Ed. Saraiva • Matias, Marlene (org.) – Planejamento, organização e sustentabilidade em eventos culturais, sociais e esportivos / Ed. Manole • Minayo, Maria Cecília; Assis, Simone G. e Souza, Edinilsa Ramos de (org) – Avaliação por Triangulação de Métodos – Abordagem de Programas Sociais / Ed. Fiocruz • Natale, Edson – Guia Brasileiro de Produção Cultural / Sesc SP
  17. 17. Bibliografia e Referências: • Machado Neto, Manoel Marcondes – Marketing Cultural – das práticas à teoria / Ed. Ciência Moderna • Salim, Cesar; Hochman, Nelson; Ramal, Andrea e Ramal, Silvina Construindo Planos de Negócios - Todos os Passos Necessários para Planejar e Desenvolver Negócios de Sucesso / Ed. Campus ONLINE:  Claudia Taddei em “Gestão Cultural: Práxis” no Slide Share da Rede CEMEC  Adriana Deróbio em Avaliação sob a perspectiva da gestão de projetos, no site do IDIS.  Grupo de Estudos do Terceiro Setor – Captação de Recursos, da Teoria à Prática – disponível na internet (SP, 2002)
  18. 18. Bibliografia e Referências: Outras fontes virtuais:      Slide Share de cursos nestas áreas (Rede CEMEC, Diálogo Social, etc.), Blogs (Cultura e Mercado, Revista Marketing Cultural, etc.) Sites governamentais e de Prefeituras – secretarias de Cultura ABCR >> Associação Brasileira de Captadores de Recursos Instituto Filantropia
  19. 19. daniele@companhiadacultura.com.br Tel.: 55 11 9 7286 5227 21 7890 3904 Id. 14*5327 Faça parte da nossa rede no Facebook: Companhia da Cultura II

×