Financiamento Audiovisual - Capital de Risco (part. III) - Ricardo Rozzino - Jul 2014

280 visualizações

Publicada em

Nos últimos anos, temos acompanhado o crescimento acelerado do mercado audiovisual, em resposta principalmente às mudanças trazidas pela Lei 12.485/2011, e ao volume de recursos disponíveis para o desenvolvimento do setor.

Diante deste cenário otimista de grandes oportunidades, torna-se indispensável uma atenção e preparação cada vez maiores por parte daqueles que trabalham com projetos nesta área. Os mecanismos de financiamento disponíveis mudaram, assim como a própria dinâmica de produção e distribuição audiovisual.

Para oferecer suporte aos produtores, distribuidores, agentes e players do mercado, o curso Fontes de Financiamento ao Audiovisual funcionará como um espaço de reflexão e conhecimento, reunindo o olhar de especialistas do mercado audiovisual sobre as ferramentas de negócio, os instrumentos de financiamento público e privado, e as oportunidades de circulação comercial dos filmes e séries.

Publicada em: Economia e finanças
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
280
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
12
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Financiamento Audiovisual - Capital de Risco (part. III) - Ricardo Rozzino - Jul 2014

  1. 1. Encaminhamento  
  2. 2. EMPRESA   EMPRESA   Carta  Consulta Projeto   Completo   Projeto   Enquadramento Comitês Enquadramento Crédito Análise  do   Projeto Aprovação Contratação Desembolso Equipe  de  Análise Diretoria Equipe  Jurídica Cronograma   Físico-­‐ Financeiro   Acompanhamento   Área  Operacional Fluxo  de  Tramitação  de  Projetos   EMPRESA  
  3. 3. FINANCIAMENTO  A  EMPREENDIMENTOS   (FINEM)   ROTEIRO  PARA  APRESENTAÇÃO  DE   PROPOSTA  DE  APOIO  FINANCEIRO  (RAP)   OPERAÇÃO  DIRETA   SITE  DO  BNDES  -­‐  VERSÃO  MAI.  2014  
  4. 4. Roteiro   •  Fornecido  pelo  BNDES   •  Ajustar  para  o  próprio  projeto/empresa   •  Organizar  Informações  Contábeis   •  Estruturar  os  Desembolsos  Previstos   •  Cronograma  
  5. 5. Etapa  Enquadramento  (DEPRI)   Viabilidade  Preliminar   •  Dados  da  Proponente     •  Histórico/Atuação/Empregados   •  Capacidade  de  Produção/Principais  Produtos   •  Faturamento/DemonstraVvos  Financeiros   •  Composição  Acionária/Ficha  Cadastral   •  Projeto  (DescriVvo  e  Financeiro  –  QUF)   Comitê  de  Enquadramento  e  Crédito  e  Mercado  de  Capitais  (CEC)     Prazo  30  dias  
  6. 6. Etapa  Análise  (DECULT)   •  Análise  detalhada  do  Projeto   •  Análise  do  Mercado  (Interno  e  Externo)   •  Concorrência   •  Impacto  do  Projeto  no  Mercado   •  Aumento  da  ProduVvidade   •  Estratégias  da  Empresa   •  Aspectos  Jurídicos  (Condições  de  Contratação)  
  7. 7. Etapa  Análise  (DECULT)   •  GaranVas  Reais   •  Recebíveis   •  Fiança  Sócios   •  Contratação  Auditoria  Externa   •  Aceitação  das  Condições  de  Contratação   Se  aprovado,  segue  para  deliberação  da  Diretoria  do  BNDES  (DIR)     Prazo  Aprox.  210  dias  
  8. 8. Contratação   Assinaturas   Registros  dos  Contratos   Prazo  Aprox  30  dias              Ao  todo  7/9  meses  
  9. 9. Desembolso   Conforme  Cronograma  Previsto   E   Proporção  entre  InvesVmento  Próprio  X  BNDES   Ex.:  70-­‐30  ou  80-­‐20  etc.  
  10. 10. Acompanhamento   Cumprimento  de  Outras  Obrigações  Formais   Ex.:  Registro  de  outros  contratos,  Aprovações  na  Ancine  etc.   Prestação  de  Contas  Previsto  X  Realizado   Trimestral  ou  Semestral   Relatórios  de  Produção   >>  Necessário  para  novos  Desembolsos  
  11. 11. Ricardo  Rozzino  –  TV  PinGuim   Julho/2014  

×