Patrocínio CulturalGestão cultural em ambiente corporativo      Economia CriativaPatrocínio como Modelo de Negócios       ...
Nesse festival eu e alguns amigos fazíamos   uma peça hors-concours e tive um
prazer muito maior em organizá-lo
do que em me apresentar.  Decidi então que iria
Tranquei a faculdade,
fui experimentar trabalhar no setor
como a Associação Morungaba,
depois a Associação Cidade Escola            Aprendiz,
fui então Coordenador de Cultura da     Subprefeitura de Pinheiros,        experiência fantástica,
fui então ser articulador de redes
pela Casa Redonda Produções para o              projeto
Claro Curtas,
do qual faço parte até hoje.
Nesse meio tempo fui consultortambém para elaboração do Programa de Pós em Gestão Cultural do SENAC-                 SP.
1o sem de 2010 assumi o cargo de o        que chamamos de
ONGs,           governo,   produção independente,      produtora cultural,iniciativa privada (corporação).
Para isso vamos verificar um pouco do histórico      recente do Banco Santander no Brasil                    2008-201032
ATÉ 2007           Posicionamento de cultura                         BANCO REAL            Apoio a ações socioculturais, q...
ATÉ 2007           Posicionamento de cultura                       SANTANDER           Incentivo a projetos brasileiros, c...
Olhar para fora Olhar para dentroO que há em comum?
Em relação ao mundo, fizemos umaprofundamento sobre o contexto
Olhando para fora…
social     Social  EconômicoPolítica cultural
Social
Papel das instituições(empresas, Governo, sociedade)         em questão
Contexto Econômico• Crise, incertezas, dúvida sobre os modelos• Quebra de paradigmas sobre sustentabilidade  econômica• No...
Expressão Cultural como modelo de                           desenvolvimento  “O Brasil é um país complexo, que está se pos...
Política Cultural       Convenção da Diversidade Cultural       (relações entre cultura e economia)           Cultura e De...
Diversidade Cultural                   Thomas Edisoncinetoscópio        Lumiere                           cinematógrafo
Plano Marshall
cinema tem tratamento diferenciado
Exceção CulturalDiversidade Cultural
Cultura e Desenvolvimento
Década Mundial para o Desenvolvimento Cultural                  (1988-1997)              1997“Existem tantas formas de se ...
Declaração Universal da UNESCO sobre a          Diversidade Cultural (2001)  "Fonte de intercâmbios, de inovação e de cria...
Cultura e Desenvolvimento“O que é desenvolvimento humano para umYanomâmi? O que é dignidade humana paraum Baniwa auto-real...
Cultura e Desenvolvimento    “(…) O ideal de vida deles pode variar, mas    inclui sobretudo ter um espaço para construir ...
Economia Criativa
1994   Nação Criativa
1997Indústrias Criativas
2008 and 2010Relatórios sobre aEconomia Criativa
2008    12%                                        14%Economia Global                           Economia Criativa         ...
2011 – Secretaria de Economia Criativa                                         2011    2012 – Plano Brasil Criativo
Transversal: debate sobreSustentabilidade da CulturaPapel das Leis de Incentivo
Empresa como expressão cultural da                     sociedade;           Empresa como agente produtor da               ...
Economia Criativa    Novo paradigma sobre asustentabilidade do setor cultural?   Novo paradigma sobre o desenvolvimento su...
Olhar para dentro…
- Ser Banco- Universidades – rede de relacionamento- Microcrédito – liderança privada- Sustentabilidade – liderança- Empre...
Alinhamento de atividadesinternas e externas com aEconomia Criativa
INTANGÍVEL TANGÍVEL   PARA AORGANIZAÇÃO
INTANGÍVEL
O que é EconomiaCriativa para Você?ATÉ DIA 29 DE JUNHO
TANGÍVEL
MICROCRÉDITOORIENTAÇÃO FINANCEIRA   FINANCIAMENTO EMPREENDEDORISMO
PARA A ORGANIZAÇÃO
RELACIONAMENTO COM RHPARCERIA COM PATROCÍNIOS CULTURAIS
Obrigado!Piatã Stoklos Kignel   piatask@gmail.com
Apresentação piatã stoklos kignel
Apresentação piatã stoklos kignel
Apresentação piatã stoklos kignel
Apresentação piatã stoklos kignel
Apresentação piatã stoklos kignel
Apresentação piatã stoklos kignel
Apresentação piatã stoklos kignel
Apresentação piatã stoklos kignel
Apresentação piatã stoklos kignel
Apresentação piatã stoklos kignel
Apresentação piatã stoklos kignel
Apresentação piatã stoklos kignel
Apresentação piatã stoklos kignel
Apresentação piatã stoklos kignel
Apresentação piatã stoklos kignel
Apresentação piatã stoklos kignel
Apresentação piatã stoklos kignel
Apresentação piatã stoklos kignel
Apresentação piatã stoklos kignel
Apresentação piatã stoklos kignel
Apresentação piatã stoklos kignel
Apresentação piatã stoklos kignel
Apresentação piatã stoklos kignel
Apresentação piatã stoklos kignel
Apresentação piatã stoklos kignel
Apresentação piatã stoklos kignel
Apresentação piatã stoklos kignel
Apresentação piatã stoklos kignel
Apresentação piatã stoklos kignel
Apresentação piatã stoklos kignel
Apresentação piatã stoklos kignel
Apresentação piatã stoklos kignel
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Apresentação piatã stoklos kignel

889 visualizações

Publicada em

Patrocínio Cultural - Agosto 2012 - Aula 7 - Patrocínio como Modelo de Negócios - Piatã

  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Apresentação piatã stoklos kignel

  1. 1. Patrocínio CulturalGestão cultural em ambiente corporativo Economia CriativaPatrocínio como Modelo de Negócios Piatã Stoklos Kignel Agosto 2012
  2. 2. Nesse festival eu e alguns amigos fazíamos uma peça hors-concours e tive um
  3. 3. prazer muito maior em organizá-lo
  4. 4. do que em me apresentar. Decidi então que iria
  5. 5. Tranquei a faculdade,
  6. 6. fui experimentar trabalhar no setor
  7. 7. como a Associação Morungaba,
  8. 8. depois a Associação Cidade Escola Aprendiz,
  9. 9. fui então Coordenador de Cultura da Subprefeitura de Pinheiros, experiência fantástica,
  10. 10. fui então ser articulador de redes
  11. 11. pela Casa Redonda Produções para o projeto
  12. 12. Claro Curtas,
  13. 13. do qual faço parte até hoje.
  14. 14. Nesse meio tempo fui consultortambém para elaboração do Programa de Pós em Gestão Cultural do SENAC- SP.
  15. 15. 1o sem de 2010 assumi o cargo de o que chamamos de
  16. 16. ONGs, governo, produção independente, produtora cultural,iniciativa privada (corporação).
  17. 17. Para isso vamos verificar um pouco do histórico recente do Banco Santander no Brasil 2008-201032
  18. 18. ATÉ 2007 Posicionamento de cultura BANCO REAL Apoio a ações socioculturais, que proporcionassem experiências e despertassem a consciência crítica. Foco em artes visuais, restauro de patrimônio, preservação de memória e educação. 33
  19. 19. ATÉ 2007 Posicionamento de cultura SANTANDER Incentivo a projetos brasileiros, como cinema nacional, artes visuais, teatro e música. 34
  20. 20. Olhar para fora Olhar para dentroO que há em comum?
  21. 21. Em relação ao mundo, fizemos umaprofundamento sobre o contexto
  22. 22. Olhando para fora…
  23. 23. social Social EconômicoPolítica cultural
  24. 24. Social
  25. 25. Papel das instituições(empresas, Governo, sociedade) em questão
  26. 26. Contexto Econômico• Crise, incertezas, dúvida sobre os modelos• Quebra de paradigmas sobre sustentabilidade econômica• Novos países emergentes• Brasil é o país do futuro?
  27. 27. Expressão Cultural como modelo de desenvolvimento “O Brasil é um país complexo, que está se posicionando no mundo de uma forma inédita. Como afirmou Gilberto Gil em uma entrevista recente, este país nasceu para ser uma universalidade, não uma nacionalidade, nunca uma identidade. É nesse sentido, disse Gil, que o Brasil é uma virtualidade. Concluiu ele: Como hoje a virtualidade estáno plano da própria atualidade, o Brasil virou uma atualidade. Não comopaís, mas como mundo’. O episódio de Copenhague foi emblemático: a diversidade cultural brasileira, essa vocação original para a universalidade apontada por Gil, conquistou o COI, trouxe a Olimpíada para o Rio de Janeiro." * Entrevista de José Luiz Herencia (então Secretário de Políticas Culturais do MINC) para Leonardo Brant (blog Cultura e Mercado) – 2009.
  28. 28. Política Cultural Convenção da Diversidade Cultural (relações entre cultura e economia) Cultura e Desenvolvimento(intersecção entre cultura, economia e sociedade) Economia Criativa – surgimento do conceito (intersecção entre cultura, criatividade, inovação e sociedade)
  29. 29. Diversidade Cultural Thomas Edisoncinetoscópio Lumiere cinematógrafo
  30. 30. Plano Marshall
  31. 31. cinema tem tratamento diferenciado
  32. 32. Exceção CulturalDiversidade Cultural
  33. 33. Cultura e Desenvolvimento
  34. 34. Década Mundial para o Desenvolvimento Cultural (1988-1997) 1997“Existem tantas formas de se desenvolver quantas expressões culturais existem no mundo”.
  35. 35. Declaração Universal da UNESCO sobre a Diversidade Cultural (2001) "Fonte de intercâmbios, de inovação e de criatividade, adiversidade cultural é tão necessária para o gênero humano, quanto a diversidade biológica o é para a natureza."
  36. 36. Cultura e Desenvolvimento“O que é desenvolvimento humano para umYanomâmi? O que é dignidade humana paraum Baniwa auto-realizar? O que é um ideal devida para um jovem Guarani? Convivendo comeles me permito afirmar com segurança que oideal de vida deles não vai ser aumentar arenda per capita ou ampliar posses, bens,embora seja desejo deles acessar várioselementos da tecnologia, do conhecimentomoderno, para aperfeiçoar seu modo de vida.(…)”
  37. 37. Cultura e Desenvolvimento “(…) O ideal de vida deles pode variar, mas inclui sobretudo ter um espaço para construir a casa, formar a família, criar os filhos e ter lugar para pescar, caçar, nos quais ele possa se auto-realizar como um bom caçador, um bom pescador e assim por diante.” Gersem Luciano Baniwa** Em: Diversidade Cultural - da Proteção à Promoção. Observatório da Diversidade Cultural (2005)
  38. 38. Economia Criativa
  39. 39. 1994 Nação Criativa
  40. 40. 1997Indústrias Criativas
  41. 41. 2008 and 2010Relatórios sobre aEconomia Criativa
  42. 42. 2008 12% 14%Economia Global Economia Criativa Novo paradigma econômico?
  43. 43. 2011 – Secretaria de Economia Criativa 2011 2012 – Plano Brasil Criativo
  44. 44. Transversal: debate sobreSustentabilidade da CulturaPapel das Leis de Incentivo
  45. 45. Empresa como expressão cultural da sociedade; Empresa como agente produtor da sociedade A responsabilidade de ser sustentável já é uma premissa inevitável.O que mais pode-se fazer? Qual a expectativa atual da sociedade sobre as empresas? Transparência = maior responsabilidade empresarial. Doação não é mais suficiente.Empresas são responsáveis por melhorarem o mundo dentro de seu próprio business.
  46. 46. Economia Criativa Novo paradigma sobre asustentabilidade do setor cultural? Novo paradigma sobre o desenvolvimento sustentável do planeta?
  47. 47. Olhar para dentro…
  48. 48. - Ser Banco- Universidades – rede de relacionamento- Microcrédito – liderança privada- Sustentabilidade – liderança- Empreendedorismo- Marca – valor das ideias
  49. 49. Alinhamento de atividadesinternas e externas com aEconomia Criativa
  50. 50. INTANGÍVEL TANGÍVEL PARA AORGANIZAÇÃO
  51. 51. INTANGÍVEL
  52. 52. O que é EconomiaCriativa para Você?ATÉ DIA 29 DE JUNHO
  53. 53. TANGÍVEL
  54. 54. MICROCRÉDITOORIENTAÇÃO FINANCEIRA FINANCIAMENTO EMPREENDEDORISMO
  55. 55. PARA A ORGANIZAÇÃO
  56. 56. RELACIONAMENTO COM RHPARCERIA COM PATROCÍNIOS CULTURAIS
  57. 57. Obrigado!Piatã Stoklos Kignel piatask@gmail.com

×