Digitalização e Preservação Digital

430 visualizações

Publicada em

Digitalização e Preservação Digital

Publicada em: Tecnologia
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
430
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
15
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
19
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide
  • IFF ou PDF
  • IFF ou PDF
  • Informações necessárias para compreender e situar a digitalização de documentos de arquivo como parte integrante de um programa de gestão documental, introduzindo conceitos arquivísticos que regem a produção, o gerenciamento, o acesso e a preservação da informação registrada em papel e migrada para o meio digital
    Alguns conteúdos apenas existem em formato digital
  • OS MODELOS DE NEGÓCIOS PARA A PUBLICAÇÃO DE LIVROS ESTÃO SEGUINDO OS MODELOS ADOTADOS PELOS EDITORES DE PERIÓDICOS CIENTÍFICOS
  • Digitalização e Preservação Digital

    1. 1. Miguel Ángel Márdero Arellano MCT/Ibict miguel@ibict.brMiguel Ángel Márdero Arellano MCT/Ibict miguel@ibict.br Digitalização e preservação de acervos
    2. 2. CONCEITOSCONCEITOS • REPRODUÇÃO CROMÁTICAREPRODUÇÃO CROMÁTICA • RESOLUÇÃO DE IMAGEMRESOLUÇÃO DE IMAGEM • PRESERVAÇÃO DIGITALPRESERVAÇÃO DIGITAL • REPOSITÓRIO DIGITALREPOSITÓRIO DIGITAL • ARMAZENAMENTOARMAZENAMENTO • COMPRESSÕESCOMPRESSÕES • CONVERSÃOCONVERSÃO • METADADOSMETADADOS
    3. 3. A era digital da FotografiaA era digital da Fotografia 1965 – primeiras fotos sem filme (câmera de televisão)1965 – primeiras fotos sem filme (câmera de televisão) 1969 – primeiro sensor para câmeras digitais (CCD)1969 – primeiro sensor para câmeras digitais (CCD) 1973 – primeira versão comercial (201ADC)1973 – primeira versão comercial (201ADC) 1975 – primeiro protótipo de câmera digital sem filme1975 – primeiro protótipo de câmera digital sem filme (Kodak)(Kodak) 1976 – primeiro modelo de câmera digital comercial1976 – primeiro modelo de câmera digital comercial (MV-101)(MV-101) 1981 – primeira câmera de vídeo estático (modelo Mavica1981 – primeira câmera de vídeo estático (modelo Mavica da Sony)da Sony) 1989 – primeira câmera comercial com software para1989 – primeira câmera comercial com software para tratamento digital de imagenstratamento digital de imagens
    4. 4. Geração de versões digitais de fotografiasGeração de versões digitais de fotografias • Uncompressed Baseline TIFF v.6 –TIFUncompressed Baseline TIFF v.6 –TIF • Portable Network Graphics – PNGPortable Network Graphics – PNG • Joint Photographic Expert Group – JPGJoint Photographic Expert Group – JPG • Graphics Interchange Format – GIFGraphics Interchange Format – GIF • Bit-Mapped Graphics Format – BMPBit-Mapped Graphics Format – BMP • PhotoCD – PCDPhotoCD – PCD • Photoshop (Adobe) – PSDPhotoshop (Adobe) – PSD
    5. 5. Produtos derivados da digitalização de imagensProdutos derivados da digitalização de imagens - Bases de dados de imagens;Bases de dados de imagens; - Álbuns navegáveis;Álbuns navegáveis; - Imagens avulsas;Imagens avulsas; - Informações sobre imagens;Informações sobre imagens; - Websites;Websites; - CD-ROM’sCD-ROM’s - DVD’sDVD’s - Livros eletrônicosLivros eletrônicos - Catálogos on-lineCatálogos on-line
    6. 6. QUESTÃO DA QUALIDADEQUESTÃO DA QUALIDADE • INTEGRIDADE DOS DADOSINTEGRIDADE DOS DADOS • TIPOS DE DOCUMENTOSTIPOS DE DOCUMENTOS • TIPOS DE INSTITUIÇÕESTIPOS DE INSTITUIÇÕES • ACESSIBILIDADEACESSIBILIDADE
    7. 7. QUESTÃO DA QUALIDADEQUESTÃO DA QUALIDADE MAIOR RESOLUÇÃOMAIOR RESOLUÇÃO == MELHOR REGISTROMELHOR REGISTRO DAS CORESDAS CORES MAIOR TAMANHO DO ARQUIVO DIGITALMAIOR TAMANHO DO ARQUIVO DIGITAL == MAIS ONEROSO O ARMAZENAMENTOMAIS ONEROSO O ARMAZENAMENTO
    8. 8. Recomendações para geração deRecomendações para geração de versões digitaisversões digitais mastermaster de fotografiasde fotografias • 8 bits-cinzas, com8 bits-cinzas, com resolução entre 200 eresolução entre 200 e 300 ppi300 ppi • 24 bits-cores, com24 bits-cores, com resolução entre 200 eresolução entre 200 e 300 ppi300 ppi • Imagens TIFF semImagens TIFF sem compressãocompressão
    9. 9. DigitalizaçãoDigitalização Processamento de conversão de um dado qualquerProcessamento de conversão de um dado qualquer (gráfico, texto . . .) para o formato digital(gráfico, texto . . .) para o formato digital
    10. 10. DigitalizaçãoDigitalização
    11. 11. Digitalização GráficaDigitalização Gráfica • Câmera DigitalCâmera Digital • Page ScannerPage Scanner • Flatbed ScannersFlatbed Scanners • Film ScannersFilm Scanners • Drum ScannersDrum Scanners Tipos de ScannersTipos de Scanners
    12. 12. Digitalização GráficaDigitalização Gráfica Limpeza e recuperação 1. PaperPort OCR 1. OminiPage 2. FineReader Edição de imagens 1. Corel Draw 2. Photo Shop 3. Print Shop Pro Alguns software de ediçãoAlguns software de edição
    13. 13. Fluxo de DigitalizaçãoFluxo de Digitalização
    14. 14. PaperPortPaperPort
    15. 15. PaperPortPaperPort
    16. 16. PaperPortPaperPort
    17. 17. PaperPortPaperPort
    18. 18. PaperPortPaperPort
    19. 19. AcrobatAcrobat
    20. 20. FineReaderFineReader
    21. 21. FineReaderFineReader
    22. 22. FineReaderFineReader
    23. 23. FineReaderFineReader
    24. 24. imaterial, binário, abstrato, visual,imaterial, binário, abstrato, visual, materializávelmaterializável – viabiliza a interatividade de vários conhecimentos que não eram acessíveis, e – promove novos desafios a serem abordados na construção de uma infra-estrutura avançada de informação para aplicativos próprios da comunicação científica.
    25. 25. A SOCIEDADE MODERNAA SOCIEDADE MODERNA UMA INFRA-ESTRUTURAUMA INFRA-ESTRUTURA QUE SUSTENTE AQUE SUSTENTE A DISSEMINAÇÃODISSEMINAÇÃO, O, O ACESSOACESSO, A, A CURADORIACURADORIA EE AA PRESERVAÇÃOPRESERVAÇÃO DEDE TODO TIPO DETODO TIPO DE INFORMAÇÃO DIGITALINFORMAÇÃO DIGITAL
    26. 26. E O FUTURO....E O FUTURO.... • QUEM VAI USARQUEM VAI USAR • TIPO DE ACERVO QUE VAI EXISTIRTIPO DE ACERVO QUE VAI EXISTIR • POSSIBILIDADES TECNOLÓGICASPOSSIBILIDADES TECNOLÓGICAS
    27. 27. Cronologia das mídias para armazenamentoCronologia das mídias para armazenamento Cartões Perfuráveis 1970 Cassette Início 1980s Floppy Disk 5’’ Final 1980s Floppy Disk 3½’’ Início 1990s CD-ROM Final 1990s DVD Início 2000s Blu-ray; Hard drives Desde 2005
    28. 28. Qual é o tempo de vida de um objeto digital?Qual é o tempo de vida de um objeto digital? MídiaMídia TipoTipo Expectativa deExpectativa de vida (anos)vida (anos) EstabilidadeEstabilidade PapelPapel ANSI/NISOANSI/NISO PermanentePermanente 200-300200-300 BoaBoa MicroformasMicroformas MicrofilmeMicrofilme 500500 ÓtimaÓtima MicrofichaMicroficha 100100 BoaBoa Mídia ÓpticaMídia Óptica WORM (writeWORM (write once,once, read many)read many) 2525 LimitadaLimitada CD-RCD-R 100100 BoaBoa CD-ROMCD-ROM 2525 LimitadaLimitada MídiaMídia MagnéticaMagnética DisqueteDisquete MagnéticoMagnético 55 LimitadaLimitada Fitas magnéticasFitas magnéticas 10-2010-20 LimitadaLimitada
    29. 29. Informação arquivísticaInformação arquivística Informação bibliográficaInformação bibliográfica AutenticidadeAutenticidade MetadadosMetadados Capacidade probatóriaCapacidade probatória NormasNormas Integridade das informaçõesIntegridade das informações Políticas institucionaisPolíticas institucionais Contexto de produçãoContexto de produção InteroperabilidadeInteroperabilidade ManutençãoManutenção Ciclo de informaçãoCiclo de informação Custódia responsávelCustódia responsável Gerenciamento digitalGerenciamento digital Ciclo de vidaCiclo de vida RepositóriosRepositórios
    30. 30. INFORMAÇÃO CIENTÍFICAINFORMAÇÃO CIENTÍFICA A biblioteca estáA biblioteca está mudando seu papel demudando seu papel de custódia paracustódia para contribuir ativamentecontribuir ativamente na mudança do modelona mudança do modelo de comunicaçãode comunicação científica.científica.
    31. 31. OS DILEMAS DOS FORMATOS DE SUPORTEOS DILEMAS DOS FORMATOS DE SUPORTE IMPRESSASIMPRESSAS ELETRÔNICASELETRÔNICAS LEGITIMAÇÃOLEGITIMAÇÃO DISSEMINAÇÃODISSEMINAÇÃO ACESSOACESSO PRESERVAÇÃOPRESERVAÇÃO CURADORIACURADORIA MERCADOMERCADO
    32. 32. “(é)...o planejamento, alocação de recursos e aplicação de métodos e tecnologias para assegurar que a informação digital de valor contínuo permaneça acessível e utilizável” Margaret Hedstrom (1996)
    33. 33. PRESERVAÇÃO DIGITALPRESERVAÇÃO DIGITAL DEPENDE:DEPENDE: • DOS SUPORTESDOS SUPORTES • DAS ESTRATÉGIAS ADOTADASDAS ESTRATÉGIAS ADOTADAS • DOS SISTEMAS DE ARMAZENAMENTODOS SISTEMAS DE ARMAZENAMENTO • DOS MÉTODOS DE VISUALIZAÇÃODOS MÉTODOS DE VISUALIZAÇÃO
    34. 34. • Library of Congress:The American Memory projectLibrary of Congress:The American Memory project • European Commission on Preservation and Access (ECPA):European Commission on Preservation and Access (ECPA): SEPIA projectSEPIA project • (Safeguarding European Photographic Images for Access)(Safeguarding European Photographic Images for Access) • Cornell University Library’s Digital Imaging for Libraries andCornell University Library’s Digital Imaging for Libraries and Archives,Archives, • The Digital Library Federation’s Guides to Quality in VisualThe Digital Library Federation’s Guides to Quality in Visual Resource ImagingResource Imaging • The National Archives (Guidelines for Digitizing ArchivalThe National Archives (Guidelines for Digitizing Archival Materials for Electronic Access)Materials for Electronic Access) • Colorado Digitization ProjectColorado Digitization Project Projetos de preservação digitalProjetos de preservação digital
    35. 35. Refere-se aos mecanismos que permitem o armazenamento em repositórios de dados digitais, e garantem a perenidade dos seus conteúdos.
    36. 36. Softwares para Repositórios digitaisSoftwares para Repositórios digitais InstitucionaisInstitucionais TemáticosTemáticos CentraisCentrais PreservaçãoPreservação ArchimedeArchimede GreenstoneGreenstone GreenstoneGreenstone LOCKSSLOCKSS ARNOARNO DAITSSDAITSS CDSwareCDSware DSpaceDSpace DSpaceDSpace DSpaceDSpace DSpaceDSpace DriverDriver EprintsEprints EprintsEprints EprintsEprints FedoraFedora FedoraFedora FedoraFedora i-Tori-Tor MyCoReMyCoRe OPUSOPUS
    37. 37. Ferramentas e serviços paraFerramentas e serviços para repositórios digitaisrepositórios digitais FormatosFormatos MetadadosMetadados ServiçosServiços ArquivamentoArquivamento WebWeb DROIDDROID MetadataMetadata ExtractionExtraction ToolTool GDFRGDFR WCTWCT PUIDPUID ContentContent JHOVEJHOVE PRONOMPRONOM XENAXENA OCLC DigitalOCLC Digital ArchiveArchive ServiceService ContentEContentE PLANETPLANET TestbedTestbed PORTICOPORTICO
    38. 38. NOVOS PROFISSIONAIS DA INFORMAÇÃONOVOS PROFISSIONAIS DA INFORMAÇÃO Novos conhecimentos – OntologiasOntologias – Padrões de metadadosPadrões de metadados – TerminologiaTerminologia – Preservação e curadoria digitaisPreservação e curadoria digitais Novas HabilidadesNovas Habilidades – Arquitetura da informaçãoArquitetura da informação – Modelagem de ontologiasModelagem de ontologias – Modelagem de interfacesModelagem de interfaces – Aplicações dos padrões de metadados na indexação de:Aplicações dos padrões de metadados na indexação de: » TextoTexto » ImagensImagens » VídeoVídeo » ÁudioÁudio – Colaboração em redeColaboração em rede
    39. 39. Miguel Ángel Márdero Arellano MCT/Ibict miguel@ibict.brMiguel Ángel Márdero Arellano MCT/Ibict miguel@ibict.br Digitalização e preservação de acervos

    ×