Cariniana e os sistemas de gestão eletrônica

297 visualizações

Publicada em

Apresentação sobre preservação digital de sistemas de gestão eletrônica, na segunda reunião para definir da solução de repositório digital de dados de projetos de pesquisa a ser implementada na Universidade de Brasília em colaboração com o IBICT e a rede Cariniana

Publicada em: Tecnologia
  • Seja o primeiro a comentar

Cariniana e os sistemas de gestão eletrônica

  1. 1. R E U N I Ã O T É C N I C A Cariniana cariniana@ibict.br http://carniana.ibict.br
  2. 2. DESAFIOS DO CONHECIMENTO... A I N V E S T I G A Ç Ã O C I E N T Í F I C A M O D E R N A D E P E N D E D A D I S P O N I B I L I D A D E D E G R A N D E S V O L U M E S D E D A D O S , O R G A N I Z A D O S E M B A S E S D E D A D O S , P Ú B L I C A S O U P R I VA D A S , A S S I M C O M O D A C A PA C I D A D E D E D E S C O B R I R , R E C U P E R A R , R E C O M B I N A R E P R O C E S S A R D A D O S D E P E S Q U I S A .
  3. 3. DESAFIOS DO CONHECIMENTO... N O V O S M É T O D O S , I N S T R U M E N T O S , F E R R A M E N T A S , P R O G R E S S O N A C A P A C I D A D E C O M P U T A C I O N A L E N O A R M A Z E N A M E N T O D I G I T A L , P E S Q U I S A C I E N T Í F I C A C A D A V E Z M A I S I N T E N S I V A N A P R O D U Ç Ã O E R E U T I L I Z A Ç Ã O D O S D A D O S .
  4. 4. A GESTÃO INOVADORA DOS REGISTROS DO CONHECIMENTO U T I L I Z A N D O N O V O S R E C U R S O S T E C N O L Ó G I C O S PA R A I N T R O D U Z I R I N O VA Ç Õ E S E M S E R V I Ç O S D E A C E S S O A B A S E S D E D A D O S E D O C U M E N T O S D I G I TA I S .
  5. 5. EUROPEAN COMMISSION. Guidelines on Data Management in Horizon 2020. Disponível em: https://www.gov.uk/government/news/g8-science-ministers-statement NOVA INFRAESTRUTURA GLOBAL DE DADOS
  6. 6. NOVOS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Ingestão Unidades de Arquivamento Metadados Crawler Coleta Preservação Digital A longo prazo Integridade Gerência Interface Gráfica Integração Baixo custo Transferência Proxy Servidor básico de conteúdo Servidor OpenURL Acesso Conteúdo Metadados Migração
  7. 7. BIBLIOTECAS E ARQUIVOS • Devem contar com serviços de armazenamento de objetos digitais que tenham a capacidade de manter e gerenciar materiais por longos períodos de tempo e prover o seu acesso apropriado. • Adotar a Carta de sobre Preservação Digital (2003), e as Recomendações sobre Software Livre para Repositórios e Sistemas de Preservação (2007) da UNESCO.
  8. 8. PRESERVAÇÃO DIGITAL Os conteúdos digitais precisam passar por atividades que garantam a acessibilidade, armazenamento em longo prazo e interpretação de conteúdos, quando necessário. Aplicação de normas para o uso das técnicas digitais e sua prontidão na tarefa da preservação a longo prazo. Mecanismos que permitem o armazenamento em repositórios de dados digitais confiáveis, garantindo a perenidade dos seus conteúdos.
  9. 9. OS SISTEMAS DE PRESERVAÇÃO DIGITAL
  10. 10. DISTRIBUIÇÃO DOS CUSTOS DA PRESERVAÇÃO Inserção Preservação Acesso
  11. 11. MODELO DE PRESERVAÇÃO DIGITAL DISTRIBUÍDA Um métodos estrutural recomendado para a preservação dos objetos digitais, que aponta para a necessidade de contar com especialistas conhecedores de sistemas de produção de materiais autênticos e de instituições que validem seus objetos digitais. O modelo propõe: • que várias instituições armazenem, ofereçam acesso e criem cópias digitais atualizadas. • a criação de cópias distribuídas em arquivos digitais em servidores geograficamente dispersos para garantir sua sobrevivência.
  12. 12. SISTEMA DE GESTÃO DE PRESERVAÇÃO DIGITAL DISTRIBUÍDA  Desenvolvido pela Stanford University  Código aberto  Baixo custo  Arquitetura distribuída  Fácil integração com outros softwares  Segue o modelo OAIS  Verificação da integridade P2P
  13. 13. MADE IN IBICT O Ibict propus uma política de preservação digital para o gerenciamento dos registros digitais institucionais. Implantou uma solução tecnológica e metodológica de preservação digital de longo prazo. Adotou um dispositivo tecnológico que serve como instrumento para a criação de uma rede colaborativa de serviços de preservação digital entre instituições de ensino, pesquisa, bibliotecas e arquivos. Uma infraestrutura descentralizada, utilizando recursos de computação distribuída.
  14. 14. REDE CARINIANA Uma iniciativa do Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia para a salvaguarda do patrimônio científico, tecnológico e cultural, de forma distribuída, por instituições de pesquisa em parceria com o IBICT. Ela oferece uma série de alternativas para que as instituições brasileiras possam colecionar, armazenar e promover o acesso aos conteúdos selecionados ao longo do tempo.
  15. 15. PARCERIAS
  16. 16. SUBREDES - PLNS REPOSITÓRIOS DIGITAIS ACERVOS ARQUIVÍSTICOS
  17. 17. ARQUIVAMENTO ELETRÔNICO PRAZO
  18. 18. SISTEMAS ELETRÔNICOS DE GESTÃO São ferramentas integradas que oferecem a capacidade de armazenamento, organização, descrição e disseminação de acervos, possibilitando assim, em curto prazo, a incorporação de funcionalidades de preservação.
  19. 19. Periódico / Conteúdo Software LOCKSS Crawler Unidade de Arquivamento (UA) Metadados Outros dados Ciencia da Informação LOCKSS Plugin SISTEMAS ELETRÔNICOS DE GESTÃO
  20. 20. PRESERVAÇÃO DE PERIÓDICOS ELETRÔNICOS – 1ª ETAPA O atendimento a editores e responsáveis pelas revistas, assim como o monitoramento do funcionamento das caixas LOCKSS é realizado pela equipe do Ibict, junto com a equipe da Stanford University também monitoram o status das caixas da Rede.
  21. 21. CRESCIMENTO Atividades 2013 2015 (fevereiro) Parcerias Integrais 06 10 Parcerias Integrais via Compartilhamento de Infraestrutura 06 09 Instituições com periódicos preservados e em processamento 32 114 Preservação Completa de Periódicos (títulos) 92 603 Preservação Completa de volumes de Periódicos 1094 5394 Preservação de Periódicos em Processamento 974 467 Preservação de volumes de Periódicos em Processamento 3945 4758 Total de espaço de armazenamento usado 9.5GB 157GB % de Crescimento anual 4% 17% Preservação de livros em Processamento 0 534 Participantes da Rede Colaborativa 23 62 Cursos Técnicos 04 07
  22. 22. SISTEMAS ELETRÔNICOS DE GESTÃO
  23. 23. SISTEMAS ELETRÔNICOS DE GESTÃO
  24. 24. SISTEMAS ELETRÔNICOS DE GESTÃO
  25. 25. SISTEMAS ELETRÔNICOS DE GESTÃO
  26. 26. SISTEMAS ELETRÔNICOS DE GESTÃO
  27. 27. SISTEMA ELETRÔNICO DE PRESERVAÇÃO LOCAL
  28. 28. SISTEMA ELETRÔNICO DE PRESERVAÇÃO LOCAL
  29. 29. A REDE DATAVERSE • O projeto da Rede DATAVERSE esta sediado no Institute for Quantitative Social Science (IQSS) da Harvard University. • Os primeiros testes com o software foram em 2006 beneficiados pela experiência com o projeto Virtual Data Center (VDS) (1999-2006), uma colaboração da Harvard University e o MIT. • Anterior ao VDC, em 1987, já se trabalhava com a preparação de um guia para um software unico que armazenaria os dados locais usando ferramentas para transferência de informação de catálogos via FTP, para sites dentro dos campus de forma automatizada e em horários marcados.
  30. 30. O QUE É O PROJETO DATAVERSE • UMA ARQUITETURA DE SOFTWARE LIVRE PARA DADOS DE PESQUISA: • PUBLICAR • CITAR • ANALISAR • PRESERVAR • PROPORCIONA INCENTIVOS PARA QUE OS PESQUISADORES POSSAM COMPARTILHAR: • RECONHECIMENTO E CREDITO VIA DADOS DE CITAÇÕES • CONTROLE S DOS DADOS • PRENCHIMENTO DE REQUISITOS PARA PUBLICAÇÃO E FINANCIAMENTO http://www.dlib.org/dlib/january11/crosas/01crosas.html
  31. 31. POR QUE USAR DATAVERSE? Gerenciamento de dados seguro. Dataverse dá suporte à criação de termos de uso e restrições para limitar o uso e acesso aos dados, além de cópias de segurança. Compartilhamento efetivo. Dataverse é uma forma conveniente de disseminar dados. A equipe de pesquisa pode trabalhar unidos em um espaço para acompanhamento dos processos e das mudanças nos projetos no correr do tempo. Preservação e acesso a longo prazo. Uma identificação persistente que garante que os estudos protegidos com mecanismos que preveem a obsolescência dos dados. Organização e compatibilidade. Cria um arquivo de dados pessoal seguindo padrões de metadados que maximizam sua compatibiliade e recuperação. Atende requisitos para finanaciamento Muitas agências de financiamento exigem que os pesquisadores depositem seus dados em arquivos virtuais de dados para fins de verificação de dados de projetos.
  32. 32. PRESERVAÇÃO DE DADOS DE PESQUISA PLUGIN
  33. 33. PRESERVAÇÃO DE DADOS DE PESQUISA PLUGINS
  34. 34. QUEM USA DATAVERSE? INSTALAÇÕES DO DATAVERSE PODEM SER DEVESENVOLVIDAS E CUSTOMIZADAS EM UNIVERSIDADES, FUNDAÇÕES, PORTAIS INSTITUCIONAIS, DEPARTAMENTOS E CENTROS DE PESQUISA, ELAS PODEM ATENDER UMA VARIEDADE DE USUÁRIOS DE DIFERENTES ÁREAS E PROJETOS
  35. 35. QUEM USA DATAVERSE? • Odum Institute • UC Davis • UC San Diego • Dutch Universities • Fudan University • University of Copenhagen - DataBox • Department of Cross Cultural and Regional Studies, University of Copenhagen (ToRS) • European Union Democracy Observatory (EUDO) (Beta version) • Ontario Council of University Libraries (OCUL) Scholars Portal
  36. 36. O DATAVERSE DE HARVARD Esta aberto a todos os pesquisadores atendendo à comunidade como um repositório geral
  37. 37. O DATAVERSE DE HARVARD Esta aberto a todos os pesquisadores atendendo à comunidade como um repositório geral
  38. 38. HTTPS://YOUTU.BE/AKS3E8ANWB0?LIST=PLBVSIISQ_PA56IVIO P_YO0THDL-ZB3ZAY
  39. 39. http://datascience.iq.harvard.edu/blog/dataverse-40-next-week
  40. 40. A GESTÃO DOS REGISTROS DO CONHECIMENTO D E V E E M U L A R A N AT U R E Z A S I S T Ê M I C A D O S S E R E S V I V O S , D E M O D O C O L A B O R AT I V O / M U LT I U S U Á R I O , R E N D E R I Z A N D O E M G R A N D E S M O N TA N T E S D E D A D O S E M D I V E R S O S N I C H O S D E P R O D U C Ã O .
  41. 41. P R E S E R V A Ç Ã O D I G I T A L D I S T R I B UÍ D A Cariniana Rede Brasileira de Serviços de Preservação Digital cariniana@ibict.br http://carniana.ibict.br

×