Os fluxos materiais

5.730 visualizações

Publicada em

Globalização

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
5.730
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
49
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
35
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Os fluxos materiais

  1. 1. OS FLUXOS MATERIAIS SITUAÇÃO DE APRENDIZAGEM 5
  2. 2. Competências e habilidades:  Extrairinformações sobre a distribuição das principais redes de fluxos materiais, indicando áreas de concentração e distribuição dos mesmos.  Conteúdos: retomada e aprofundamento dos principais fluxos da globalização (materiais e imateriais), cujo meio geográfico é o técnico- científico-informacional; comércio internacional de mercadorias como um dos principais fluxos materiais, com ênfase para algumas causas de seu incremento na atualidade.
  3. 3.  A modernização do sistema de transporte pode agilizar a distri­buição de mercadorias e contribuir para a diminuição dos custos finais de produção. A ampliação da capacidade de carga dos navios é responsável por facilitar o trans­porte e baratear custos: a modernização nas formas de armazenamento para transportes com o uso de contêineres evitam perdas e a ampliação da velocidade diminui o tempo de distribuição das mercadorias.
  4. 4.  Os fluxos materiais são aqueles representados por objetos que possuem materialidade e volume e, portanto, compõem uma imensa gama de sistemas de infraestrutura e de mercadorias.  Já os fluxos imateriais são aqueles dissemi­ nados pelos meios de comunicação e infor­ mação, como a internet e a telefonia, e que influem em nossas vidas, alteram a nossa eco­nomia, mas que não são palpáveis e, portanto, não têm materialidade.
  5. 5.  Apesar dos avanços das tecnologias da aviação e dos transportes ter­restres, grande parte das trocas comerciais internacionais, em termos de valores (dóla­res) negociados, é realizada até hoje por via marítima. Aliás, hoje, cada um dos grandes navios transatlânticos consegue transpor­tar muitas toneladas a mais do que conse­guia transportar num navio "moderno" no início do século XX. Uma segunda melhora importante nos sistemas de transporte diz respeito à forma de acondicionamento das mercadorias. A técnica de transporte em contêineres permite colocar e trans­portar as mercadorias em caixas metálicas, resultando em vários benefí­cios, como impedir que não haja rupturas no processo de transporte, facilita e agiliza o embarque, o desembarque e o transbordo dos produtos e diminui as possibilidades de acidentes e de perda das mercadorias desde as fábricas onde são produzidas até os estabelecimentos comerciais onde serão vendidas. Além disso, a maior integração entre os diferentes tipos de transporte per­mitiu criar sistemas modais, por meio dos quais ocorreram barateamento e agilida­de em todos os processos, desde a coleta até a distribuição e o armazenamento das mercadorias. A informatização do setor de transportes foi responsável por sua modernização e a logística de abastecimento,
  6. 6.  A difusão do meio técnico-científico-informacional permitiu às grandes empresas transnacionais amplia­rem de forma significativa o seu poder na globalização, com reflexos também nas trocas mundiais comerciais. Por exemplo, em 1947 foi assinado o Acor­do Geral sobre Tarifas Aduaneiras e Co­mércio (em inglês, General Agreement on Tariffs and Trade - Gatt), que tinha como principal proponente os Estados Unidos, e visava à gradual diminuição das tarifas aduaneiras comerciais das nações. A expressão "tarifas aduaneiras" refere-se à carga de impostos pagos pelo país expor­ tador para que suas mercadorias possam ser comercializadas no país receptor, uma das princi­pais formas de que dispõe uma nação para proteger o seu sistema produtivo. Os países detentores de um meio técnico-científico-informacional mais desenvolvido, como, por exemplo, Estados Unidos, Alemanha e Japão, sedes de gran­des corporações transnacionais, conseguem produzir mercadorias em maior quantidade e por preços menores. Esses países aliam-se na defesa pela diminuição das tarifas alfan­ degárias, com vistas a ampliar seus merca­dos em países em desenvolvimento. Desse modo, seus produtos invadem essas nações, dificultando, muitas vezes, a situação de indústrias locais, que, não tendo a mesma facilidade de acesso à tecnologia, não

×