Clareamento dental

3.673 visualizações

Publicada em

RESUMO DE CLAREAMENTO DENTAL

Publicada em: Saúde e medicina
0 comentários
6 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
3.673
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
145
Comentários
0
Gostaram
6
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Clareamento dental

  1. 1. DENTÍSTICA II CLAREAMENTO DENTAL o É o tratamento por meio do qual procura-se clarear dentes com alteração de cor, através da utilização de agentes clareadores oxidantes, deixando-os mais claros. o Técnica que visa clareamento dos dentes através de reações químicas ou mecânicas. o Etiologia das alterações cromáticas – Tipos de manchas: Fatores extrínsecos: Manchas extrínsecas (Mais fáceis) Fatores intrínsecos: Manchas intrínsecas (Mais difíceis) o Manchas extrínsecas: Pigmentos que aderem à superfície dental ou à película adquirida (Chá, café, fumo, bactérias cromogênicas, etc) Depósito ou elaboração de substâncias através de defeitos no esmalte ou dentina, quando exposta. Fatores causadores:  Acúmulo de placa e tártaro  Cárie, manchamento na interface dente/restauração  Bebidas e alimentos corantes  Cigarro  Bactérias cromógenas Respondem bem a profilaxia com jato abrasivo ou ultra-som. o Manchas intrínsecas: Quando o pigmento se localiza no íntimo da estrutura dental Tipo:  Congênita: A alteração ocorre no momento da formação do dente.  Dentinogênese imperfeita: É uma alteração de desenvolvimento na estrutura de esmalte e dentina.  Amelogênese imperfeita: É uma alteração de desenvolvimento na estrutura de esmalte e dentina. Os dentes com alteração estrutural e mostram-se opalescentes com uma tonalidade que pode variar do cinza, marrom ou amarelo-marrom; Tratamento: Restaurador.  Hipoplasia do esmalte: É uma redução na espessura ou quantidade de esmalte formado; Tratamento: Microabrasão + restauração; Acomete terço médio.  Fluorose: A alta concentração de flúor causa alteração metabólica nos ameloblastos, que resulta em uma matriz defeituosa e em calcificação inadequada; Tratamento: Clareamento dental (Leve) Microabrasão (Moderada) Restaurador (Severa)  Hepatite neonatal  Doenças sistêmicas  Tetraciclina ou derivados: Quelação do cálcio pela tetraciclina, que se incorpora ao hidroxiapatita;
  2. 2. DENTÍSTICA II CLAREAMENTO DENTAL  Adquirida:  Icterícia grave  Eritroblastose fetal  Tetraciclinas: Moléculas do antibiótico são incorporadas na dentina durante a calcificação do dente. Ocorre entre o 2º trimestre de gravidez até os 8 anos de idade; Tratamento:  Traumatismos: Eritrócitos que penetram nos túbulos dentinários sofrem hemólise, liberando hemoglobina que degradam-se em ferro que combina-se com sulfereto de hidrogênio, formando a coloração escura. Tratamento: Clareamento dental.  Impregnações metálicas  Tratamento endodôntico incorreto: Restos necróticos deixados na câmara pulpar e excessos de cimentos obturadores podem levar ao escurecimento dental. Tratamento: Clareamento dental.  Envelhecimento dental o Quais os agentes clareadores? Icterícia Hipoplasia Fluorose Eritoblastose Envelhecimento dental Tetraciclina tipo 1 e 2 Traumatismo o Indicações: Dentes que apresentem coloração amarelada ou escurecida Dentes com manchamentos superficiais (Manchas extrínsecas) Dentes que apresentam manchamentos por tetraciclina grau I e II Alterações cromáticas relacionadas ao envelhecimento dentário, traumatismo dental ou necrose pulpar Dentes com alteração intrínseca da cor, provocada por sarampo, febre reumática, porfiria congênita, eritroblastose fetal e escarlatina. o Classificação: Quanto à condição do dente:  Vital  Não vital Quanto à técnica:  Clareamento vital caseiro: Moldeira + Bancada (Over-the-counter)  Clareamento vital em consultório  Associação caseiro/consultório  Clareamento não vital (Mediato e imediato) Grau I - Clareamento Grau II – Clareamento ou restaurador Grau III - Restaurador Pré-eruptiva Pós-eruptiva
  3. 3. DENTÍSTICA II CLAREAMENTO DENTAL o Agentes clareadores: Peróxido de carbamida: Concentrações de 10 a 22% para técnica caseira em dentes vitais e, 35 a 37% para clareamento em consultório (Vitais). Peróxido de hidrogênio: Concentrações de 1,5 a 7,5% para técnica caseira em dentes vitais e, 35 a 37% para consultório em dentes vitais e não-vitais. Perborato de sódio: Apresentado na forma de pó e usado em associação com água ou peróxido de hidrogênio em clareamento de dentes não-vitais. o Mecanismo de ação dos agentes clareadores de dentes polpados: O dente escurecido possui cadeias moleculares longas e complexas na sua estrutura o que provoca maior absorção de luz. Os clareadores são agentes oxidantes de baixo peso molecular com a capacidade de desnaturar proteínas, convertendo os materiais orgânicos em dióxido de carbono e água, removendo ou quebrando os pigmentos em moléculas menores. Peróxido de carbamida 10% Amônia + CO2:  Eleva o pH até 9  Bacteriostático  Inibe fermentação de carboidratos  Inibe formação do ácido láctico  Dá estabilidade ao peróxido de H+ Peróxido de hidrogênio = Agente oxidante (H202) Catalisador = Calor = Deslocamento da reação para a direita Pigmentos escuros = Macromoléculas de peso; Insaturadas Pigmentos claros = Moléculas saturadas Função do Carbopol:  Espessar o material  Aumentar a estabilidade do produto  Prolongar a liberação do oxigênio o CLAREAMENTO VITAL CASEIRO: Moldeira transparente com gel em casa Perborato de carbamida (10 a 22%) ou Perborato de hidrogênio (1,5 a 7,5%) Vantagens:  Simples  Pouco tempo  Barato Limitações:  Depende da colaboração do paciente Peróxido de hidrogênio Uréia H2O Oxigênio Nascente CO2 Amônia Eleva o pH da placa dental Agente ativo
  4. 4. DENTÍSTICA II CLAREAMENTO DENTAL  2 a 3 semanas o tratamento  Gera hipersensibilidade  Parar por 2 a 3 dias  Diminuir quantidade por dente  Usar agentes dessensibilizantes com flúor  Gestantes  Lactantes Protocolo:  Seleção do caso  Registro da cor  Moldagem  Confecção da moldeira  Instruções de uso  Consultas de controle Instrução de uso:  Regime de uso  Quantidade de gel  Higiene oral adequada  Ingestão de alimentos  Sensibilidade  Recomendações por escrito Controle:  Peróxido de Hidrogênio – 1,5 a 7,5%: 30min a 1h por 15 dias  Peróxido de Carbamida – 10%: 2 a 8h por 15 dias  Peróxido de Carbamida – 16%: 2 a 4h por 15 dias  Peróxido de Carbamida – 22%: 1h por 15 dias o CLAREAMENTO VITAL NO CONSULTÓRIO: Controle:  Peróxido de Carbamida – 35 a 37%  Peróxido de Hidrogênio – 35 a 37% Vantagens:  Facilmente encontrados  Não depende do paciente  Maior controle dos locais de aplicação Limitações:  Hipersensibilidade  Precisa de mais tempo  Restauração extensa  Manchas escuras Técnica:  Seleção do caso  Registro da cor  Isolamento e proteção  Aplicação do produto – Ativação
  5. 5. DENTÍSTICA II CLAREAMENTO DENTAL  Consultas de reaplicações Cuidados na técnica

×