SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 47
Baixar para ler offline
As virtudes Cardeais no
 ambiente profissional




     Prof. Raul Bernardo Vidal Pessolani
                 TEM - UFF
Virtudes = Qualidade
• Qualidade:
 –Pensar bem => Prudência
 –Relacionar-se bem => Justiça
 –Agir bem => Fortaleza
 –Dominar-se => Temperança
• São Cardeais:
 –Encabeçam muitas outras virtudes
               Prof. Raul Bernardo Vidal
               Pessolani - TEM - UFF
Diferencial do Profissional

 Atuar com boa fé.
 Ser competente.                               Qualidade
                         PRUDÊNCIA
                                               de decisão
 Trabalhar com
diligência.                                   Qualidade de
                            JUSTIÇA
 Cooperar com os                             relacionamento
demais.                                       Qualidade de
                         FORTALEZA
 Criar um ambiente                           empreendimento
de convivência e
                                               Qualidade
solidariedade.         TEMPERANÇA
                                                emotiva
                 Prof. Raul Bernardo Vidal
                 Pessolani - TEM - UFF
QUALIDADE DE DECISÃO




   1. Prudência
FAZER BEM - AGIR BEM

•Definição de Prudência:
 •É a reta razão no agir.
 •É a Educação da inteligência

•É a excelência na decisão
             Prof. Raul Bernardo Vidal
             Pessolani - TEM - UFF
ETAPAS DA DECISÃO DE QUALIDADE



                     JULGAR BEM                 EXECUTAR COM
DELIBERAR BEM
                     DECIDIR BEM                   FIRMEZA



            ADQUIRIR CRITÉRIOS PARA AGIR BEM
                     CRITÉ
                      E FAZER BEM
                    Prof. Raul Bernardo Vidal
                    Pessolani - TEM - UFF
ETAPAS DA QUALIDADE
         DECISÃO
                             REFLEXÃO
                             •PASSADO
DELIBERAR BEM
                             •PRESENTE
                             •FUTURO

                             TER CRITÉRIO
 DECIDIR BEM
                             JULGAR BEM

                                   PROVIDÊNCIA
EXECUTAR COM                       CIRCUNSPECÇÃO
   FIRMEZA                         PRECAUÇÃO
             Prof. Raul Bernardo Vidal
             Pessolani - TEM - UFF CONSTÂNCIA
CONHECER A REALIDADE
Prudência!
             Desenvolver a capacidade de:

             observar
             distinguir entre fatos e opiniões.
             distinguir o importante do secundário.
             buscar informação.
             selecionar fontes.
             reconhecer os próprios preconceitos.
             análise crítica da informação.
             relacionar causa e efeito.
             reconhecer informações são necessárias.
             recordar.
                Prof. Raul Bernardo Vidal
                Pessolani - TEM - UFF
DECIDIR BEM - JULGAR COM
         CRITÉRIO
REGRA DO JARDINEIRO!!
                                 • Aperfeiçoar a capacidade de
                                   julgar bem exige a aquisição
                                   de critérios.
                                 • Os critérios dirigidos ao
                                   “fazer” pertencem aos
                                   conhecimentos técnicos
                                   específicos da atividade
                                   profissional.

                        Prof. Raul Bernardo Vidal
                        Pessolani - TEM - UFF
Exercícios Práticos para a
             Prudência

•   Pensar bem antes de falar!
•   Reconhecer os próprios erros.
•   Ouvir a opinião dos outros.
•   Aprofundar na formação ética e moral.
•   Não se desviar de tarefas pensadas.
•   Dizer não aos primeiros impulsos.

                  Prof. Raul Bernardo Vidal
                  Pessolani - TEM - UFF
QUALIDADE DE
RELACIONAMENTO



      2. Justiça
Educação da Vontade
• Hábito constante de dar a cada um o que é seu.
• Virtude fundamental para o relacionamento.
• Cumprir os direitos e os deveres e respeitar os
demais como pessoas

• Virtudes Correlatas: Sinceridade, Veracidade,
Humildade, Solidariedade, Religião.

                    Prof. Raul Bernardo Vidal
                    Pessolani - TEM - UFF
O que você diria de um
profissional como esse?

   (Quase Deuses)


       Prof. Raul Bernardo Vidal
       Pessolani - TEM - UFF
LEALDADE
         Os relacionamentos verazes
         exigem a virtude da lealdade.
• É cumprir do prometido.
• É agir com franqueza.
• É assumir a responsabilidade
pelas ações e omissões:
   • Não maquiar os resultados
   • Não apropriar-se dos
   resultados alheios
                   Prof. Raul Bernardo Vidal
                   Pessolani - TEM - UFF
Lealdade e
  Honestidade

– Sermos nós mesmos:
  • Assumir o que sabe, e responder pelos atos.
  • Não usar de meios ilícitos para se safar!
     – Ex: Assumir os trabalhos dos outros
  • Não jogar a culpa pelos fracassos nos outros.
     – Ex: Culpar o outro porque foi mal
  • Sinceridade: Ouvir as criticas e aceita-las

                      Prof. Raul Bernardo Vidal
                      Pessolani - TEM - UFF
Solidariedade
• Muitas vezes não estamos preocupados apenas
  em sermos bons mas queremos ser mais que os
  demais.
  – Queremos não só ter um carro (celular, MP3, etc)
    bom, mas que seja melhor do que o do vizinho.
  – Não queremos só passar de ano, mas sim ser o
    melhor da turma.

• Superar o individualismo.
  – O nosso bem não exclui o dos demais.

     O nosso bem deve incluir o dos demais!
                    Prof. Raul Bernardo Vidal
                    Pessolani - TEM - UFF
Construir uma nova lógica
• Para subir não preciso passar os demais para trás.
  – Sair do Ganhar/Perder, para a da Ganhar/Ganhar:
     • Buscar Ganhos recíprocos


• Formar um espírito de equipe.
  – Vencer a tendência de só
    pensar em sí.
  – Não esconder os macetes
    dos demais.
  – Ajudar os colegas
     • Ensinar, emprestar,...
                           Prof. Raul Bernardo Vidal
                           Pessolani - TEM - UFF
Individualista                 Personalista
  Motivação      Extrínseca Intrínseca             Transcendente
Relacionamento   Nos próprios direitos              Nos deveres
    Ênfase
               Prevalece o interesse              Prevalece o bem
    Valores           individual                        comum
                 Limita-se a evitar                   Procura a
Relacionamento         conflitos                     cooperação, a
                                                         ajuda.
   Dirigente     Ênfase no resultado              Ênfase na pessoa
   Trabalho        Subordinação da     A serviço da pessoa
                         pessoa
    Capital      Trabalho a serviço do Capital a serviço da
                         capital               pessoa
                      Prof. Raul Bernardo Vidal
                      Pessolani - TEM - UFF
Em qualquer grupo humano,
      se todos formos
      individualistas, o
    relacionamento será
        insustentável.


        Prof. Raul Bernardo Vidal
        Pessolani - TEM - UFF
Outras Virtudes no relacionamento
• Correção (Educação)
  – Falar com os demais, conforme gostaríamos que
    falassem conosco.
     • Ex: Por favor,...


• Gratidão:
  – Aprender a reconhecer os serviços que nos prestam
  – Isso fará com que valorizemos mais os demais.
     • Ex: Obrigado


• Compreensão:
  – Colocar-se no lugar do outro.
     • Ouvir, conhecer as circunstâncias dos nossos colegas
                           Prof. Raul Bernardo Vidal
                           Pessolani - TEM - UFF
Exercícios práticos
            para a Justiça
•   Não fazer juízos precipitados
•   Ser leal e Veraz
•   Respeito no modo de tratar os outros
•   Não fazer comentários negativos
    – Difamação
    – Calúnia
• Ser pontual nos compromissos
• Ser honesto nas tarefas.
                  Prof. Raul Bernardo Vidal
                  Pessolani - TEM - UFF
QUALIDADE DE
EMPREENDIMENTO




     3. Fortaleza
ENFRENTAR/FUGIR

                                     Enfrentar desafios, navegar
                                       em águas turbulentas !

• Qualidade especial da
  vontade em regular
  os movimentos do
  apetite irascível:
  enfrentar/fugir.

                 Prof. Raul Bernardo Vidal
                 Pessolani - TEM - UFF
ENFRENTAR/FUGIR

 Vencer o medo             • Racionalizar uma
das dificuldades !
                             determinada reação
                             sensível: estimular o
                             impulso, refreá-lo ou
                             desviá-lo obtendo assim
                             ações de qualidade.
                                       Fortaleza é a que enfrenta
                                        os perigos e suporta os
                                           trabalhos! (Cícero)
                     Prof. Raul Bernardo Vidal
                     Pessolani - TEM - UFF
ESFORÇO
    Onde a maioria desiste,
      nós começamos !                   • As ações de qualidade
                                          estão num ponto mais
                                          esforçado.
My place is at the top !
                                        • Virtude exige esforço
                                          pessoal.
                                        • Hábito de vencimento de
                                          tendências que nos
                                          afastam das ações
                                          valiosas.
                              Prof. Raul Bernardo Vidal
                              Pessolani - TEM - UFF
LEI DO MÍNIMO ESFORÇO
• Lei do mínimo                                  Não se lapida um
                                                pedregulho vulgar !
  esforço, a lei do
  gosto e a de levar
  vantagem
  obstaculizam a
  prática das virtudes.

       As dificuldades
    “lapidam” o tempe-
         ramento !
                         Prof. Raul Bernardo Vidal
                         Pessolani - TEM - UFF
HÁBITOS

• Nada conseguimos                  Decisão
  implementar sem                   Dedicação
  quatro condições de               Disciplina
  hábito da vontade:                Determinação


                Prof. Raul Bernardo Vidal
                Pessolani - TEM - UFF
HÁBITOS

• Tempo de planejar.
• Tempo de decidir.
• Tempo de executar.               Leis da lavoura !

• Tempo de esperar os
  resultados.

                 Prof. Raul Bernardo Vidal
                 Pessolani - TEM - UFF
PERSEVERANÇA
  Thomás Alva Edison: “O gênio é
  1% de inspiração e 99% de
  transpiração”.
  “Não há expediente a que o
  homem não recorra para evitar
  o verdadeiro esforço de pensar”.

   “Ainda não falhamos. Como já conhecemos
      mil coisas que não dão certo, estamos
      tantas vezes mais perto de encontrar
     Prof. Raul Bernardo Vidalque dê” !
                       uma
    Pessolani - TEM - UFF
Exercícios Práticos da Fortaleza
• Planejar o plano de estudo (ou algo que
  precisamos)
• Decidir a coloca-lo em prática
• Executar: cumprir o plano
• Esperar: ter paciência para esperar os
  resultados.
• Virtudes Correlatas: Paciência,
  Perseverança, Constância,...
                Prof. Raul Bernardo Vidal
                Pessolani - TEM - UFF
QUALIDADE EMOCIONAL




   4. Temperança
AGRESSIVIDADE - MEDO
       Controle das emoções

 Ira                                  Medo

        Sensibilidade




          Prof. Raul Bernardo Vidal
          Pessolani - TEM - UFF
EMOÇÕES
• São alterações da sensibilidade                 APARÊNCIA DE BEM
                                                     OU DE MAL
  diante da avaliação da
  realidade e sua conseqüente                          DESEJO
  atração ou repulsa.                                OU REPULSA


                                                       EMOÇÃO
• Das duas possíveis reações
  diante da realidade- desejo ou
                                                      AVALIAÇÃO
  repulsa- nascem os
  sentimentos ou emoções.
                                                    AÇÃO / REAÇÃO
                      Prof. Raul Bernardo Vidal
                      Pessolani - TEM - UFF
FIRMEZA E DEBILIDADE

• A Excelência pessoal exige convicções
  fortes e determinação no agir.
• As Árvores de planície
  são mais fracas do que
  as de montanha, pois
  não enfrentaram
  dificuldades.
                Prof. Raul Bernardo Vidal
                Pessolani - TEM - UFF
SOCIEDADE DO BEM ESTAR
 IBM
       • A nossa sociedade de
         consumo facilita o bem
         estar.

TBC
       • O pouco esforço da vontade
         causa o debilitamento da
         personalidade.

        Prof. Raul Bernardo Vidal
        Pessolani - TEM - UFF
TER PERSONALIDADE !
             • Há um animal dentro de nós
               que deve ser domesticado
               pela razão.
             • É preciso desde o início ter
               firmeza, caso contrário não
               há domínio!
             • Não basta ter objetivos
               claros, é preciso o governo
               das emoções !

      Prof. Raul Bernardo Vidal
      Pessolani - TEM - UFF
AGIR E REAGIR
             • É comum encontrar
               pessoas que não agem,
               simplesmente reagem.
             • Ao diminuir a capacidade
               reflexiva e a determinação
               da vontade pelos valores, a
               tendência comportamental
               ficará mais influenciada
               pelo reino das sensações.

   Prof. Raul Bernardo Vidal
   Pessolani - TEM - UFF
AGIR E REAGIR
EUFORIA




    DEPRESSÃO
                         Linha da convicção
          Prof. Raul Bernardo Vidal
          Pessolani - TEM - UFF
Drogas

         Dentro de nós existe
        um menino e um monstro

Ao longo da vida, pelas nossas escolhas,
     vamos alimentando um ou outro.
              Prof. Raul Bernardo Vidal
              Pessolani - TEM - UFF
Drogas – Depoimento
                            • É uma das mais importantes
                              pesquisadoras sobre drogas no mundo.

                            • Foi quem primeiro usou a tomografia para
                              comprovar as conseqüências do uso de
                              drogas no cérebro e foi também quem,
                              nos anos 80, mostrou que, ao contrário
                              do que se pensava até então, a cocaína
                              é, sim, capaz de viciar, e provocar danos
                              irreparáveis ao cérebro.

                            • Desde 2003 é diretora do Instituto
                              Nacional sobre Abuso de Drogas (EUA)
Nora Volkow, psiquiatra
       54 anos
                          Prof. Raul Bernardo Vidal
                          Pessolani - TEM - UFF
Drogas
         Não existe droga segura. Há quem
     veja a maconha como uma droga inofensiva.
    Trata-se de um erro. Comprovadamente, ela tem
               efeitos bastante danosos.

     Ela pode bloquear receptores neurais muito
 importantes. Causa desde aumento da ansiedade até
      perda de memória e depressão. Em doentes
  psicóticos pode aumentar, e em pessoas saudáveis
              pode desenvolver psicoses.

O uso na juventude é muito perigoso porque o cérebro
    nessa fase é mais plástico e mais sensível aos
  estímulos externos que vão moldá-lo. A droga pode
             marca-la de forma irreversível.
                   Prof. Raul Bernardo Vidal
                   Pessolani - TEM - UFF
A exposição precoce às drogas muda a sensibilidade
  do sistema de recompensa do cérebro. Como esse
  sistema se torna menos sensível, os dependentes
   químicos buscam uma compensação nas drogas

      Uma só tragada pode provocar o vício.

A dependência química é uma doença cerebral que
    muda a bioquímica, a função e a anatomia do
   cérebro. O vício instalado é muito difícil de tirar,
   porque o cérebro, em conseqüência do uso de
       drogas, é modificado de maneira física.
                    Prof. Raul Bernardo Vidal
                    Pessolani - TEM - UFF
Outras Drogas
• Bebida
  – O consumo constante de bebidas alcoólicas nos
    adolescentes pode danificar o desenvolvimento do
    cérebro
• Pornografia
  – Causa no cérebro reações químicas semelhantes aos da
    droga, viciando o organismo.
  – Estudos mostram que está relacionado com estupro,
    abuso sexual infantil, violência contra mulheres, abuso
    de drogas, além de destruir casamentos e vidas.

                     Prof. Raul Bernardo Vidal
                     Pessolani - TEM - UFF
Efeitos do consumo de
             drogas
• Na pessoa:
  – Dependência química e psicológica
  – Na Juventude: danos cerebrais irreparáveis
  – Perda da liberdade: torna-nos escravos


• Ao redor:
  – Ruína Financeira, Familiar, Psicológica.
  – Os pais, filhos é quem mais sofrem.
                  Prof. Raul Bernardo Vidal
                  Pessolani - TEM - UFF
Como largar
• Fugir das ocasiões
   – Festas, amizades
   – Não ter medo de perder amizades: outros virão!
• Saber dizer não:
                   Não estou a fim!
• Resistir à pressão do grupo:
Isto, que me pedem para fazer, está de acordo
  com os meus princípios, meus ideais, e com
        o que eu quero para minha vida?

                        Prof. Raul Bernardo Vidal
                        Pessolani - TEM - UFF
Dependência da Internet




        Prof. Raul Bernardo Vidal
        Pessolani - TEM - UFF
Exercícios Práticos da Temperança
• Domesticar o Monstro que temos dentro
   – Assumir o controle sobre o próprio corpo.
       • Comida, Bebida, Drogas, ....
   – Ações concretas:
       • Internet: ter horários fixos.
       • Não entrar naqueles sites que me fazem mal
       • Não ir a determinadas festas baixaria!
   – Cultivar hábitos bons => esporte, amigos legais, Fé, diálogo.


• Escolher sempre não pelo mais fácil, mais gostoso, mas
  pelo que é melhor.

• Drogas: reconhecer que se necessita de ajuda
          Acostumar-se a dizer não a sí próprio!
                           Prof. Raul Bernardo Vidal
                           Pessolani - TEM - UFF

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Mediunidade conceitos e tipos - n.16
Mediunidade conceitos  e tipos - n.16Mediunidade conceitos  e tipos - n.16
Mediunidade conceitos e tipos - n.16Graça Maciel
 
Livro de discipulado para surdos
Livro de discipulado para surdosLivro de discipulado para surdos
Livro de discipulado para surdosAdoniran Melo
 
Início do Ministério de Jesus
Início do Ministério de JesusInício do Ministério de Jesus
Início do Ministério de JesusRogério Nunes
 
A031 EAE DM - PARÁBOLAS II - DOMÉSTICAS E FAMILIARES 20180717
A031 EAE DM - PARÁBOLAS II - DOMÉSTICAS E FAMILIARES 20180717A031 EAE DM - PARÁBOLAS II - DOMÉSTICAS E FAMILIARES 20180717
A031 EAE DM - PARÁBOLAS II - DOMÉSTICAS E FAMILIARES 20180717Daniel de Melo
 
Tudo passa
Tudo passaTudo passa
Tudo passaVal Ruas
 
O Duplo Etérico - atualidades da ciência espírita
O Duplo Etérico - atualidades da ciência espíritaO Duplo Etérico - atualidades da ciência espírita
O Duplo Etérico - atualidades da ciência espíritaAnderson Santos
 
Livro dos Espiritos questao197 Evangelho14-1
Livro dos Espiritos questao197 Evangelho14-1Livro dos Espiritos questao197 Evangelho14-1
Livro dos Espiritos questao197 Evangelho14-1Patricia Farias
 
3.6 - Lei de Destruição.pptx
3.6 - Lei de Destruição.pptx3.6 - Lei de Destruição.pptx
3.6 - Lei de Destruição.pptxMarta Gomes
 
Mocidade Espírita Chico Xavier - Bilocação
Mocidade Espírita Chico Xavier - BilocaçãoMocidade Espírita Chico Xavier - Bilocação
Mocidade Espírita Chico Xavier - BilocaçãoSergio Lima Dias Junior
 
Lição 11 - Alerta Contra os Falsos Mestres e Suas Heresias
Lição 11 - Alerta Contra os Falsos Mestres e Suas HeresiasLição 11 - Alerta Contra os Falsos Mestres e Suas Heresias
Lição 11 - Alerta Contra os Falsos Mestres e Suas HeresiasÉder Tomé
 
R gómez 12 tipos de defeitos que impediam um levita ao ministério sacerdotal
R gómez 12 tipos de defeitos que impediam um levita ao ministério sacerdotalR gómez 12 tipos de defeitos que impediam um levita ao ministério sacerdotal
R gómez 12 tipos de defeitos que impediam um levita ao ministério sacerdotalR Gómez
 
Mundo material e mundo espiritual - IEE - CEM
Mundo material e mundo espiritual - IEE - CEMMundo material e mundo espiritual - IEE - CEM
Mundo material e mundo espiritual - IEE - CEMWilma Badan C.G.
 
Lição 7 - Prostituição, a perversão da sexualidade
Lição 7 - Prostituição, a perversão da sexualidadeLição 7 - Prostituição, a perversão da sexualidade
Lição 7 - Prostituição, a perversão da sexualidadeÉder Tomé
 
Relacao Juridica de emprego na Administraçao Publica
Relacao Juridica de emprego na Administraçao Publica Relacao Juridica de emprego na Administraçao Publica
Relacao Juridica de emprego na Administraçao Publica Ngouabi Salvador
 

Mais procurados (20)

Mediunidade conceitos e tipos - n.16
Mediunidade conceitos  e tipos - n.16Mediunidade conceitos  e tipos - n.16
Mediunidade conceitos e tipos - n.16
 
Livro de discipulado para surdos
Livro de discipulado para surdosLivro de discipulado para surdos
Livro de discipulado para surdos
 
Leis divinas
Leis divinasLeis divinas
Leis divinas
 
Início do Ministério de Jesus
Início do Ministério de JesusInício do Ministério de Jesus
Início do Ministério de Jesus
 
Carta de despedimento
Carta de despedimentoCarta de despedimento
Carta de despedimento
 
Somos templo do espírito santo
Somos templo do espírito santoSomos templo do espírito santo
Somos templo do espírito santo
 
A031 EAE DM - PARÁBOLAS II - DOMÉSTICAS E FAMILIARES 20180717
A031 EAE DM - PARÁBOLAS II - DOMÉSTICAS E FAMILIARES 20180717A031 EAE DM - PARÁBOLAS II - DOMÉSTICAS E FAMILIARES 20180717
A031 EAE DM - PARÁBOLAS II - DOMÉSTICAS E FAMILIARES 20180717
 
Tudo passa
Tudo passaTudo passa
Tudo passa
 
O Duplo Etérico - atualidades da ciência espírita
O Duplo Etérico - atualidades da ciência espíritaO Duplo Etérico - atualidades da ciência espírita
O Duplo Etérico - atualidades da ciência espírita
 
Livro dos Espiritos questao197 Evangelho14-1
Livro dos Espiritos questao197 Evangelho14-1Livro dos Espiritos questao197 Evangelho14-1
Livro dos Espiritos questao197 Evangelho14-1
 
3.6 - Lei de Destruição.pptx
3.6 - Lei de Destruição.pptx3.6 - Lei de Destruição.pptx
3.6 - Lei de Destruição.pptx
 
A importância do estudo bíblico para a igreja
A importância do estudo bíblico para a igrejaA importância do estudo bíblico para a igreja
A importância do estudo bíblico para a igreja
 
O homem no mundo
O homem no mundoO homem no mundo
O homem no mundo
 
Mocidade Espírita Chico Xavier - Bilocação
Mocidade Espírita Chico Xavier - BilocaçãoMocidade Espírita Chico Xavier - Bilocação
Mocidade Espírita Chico Xavier - Bilocação
 
Lição 11 - Alerta Contra os Falsos Mestres e Suas Heresias
Lição 11 - Alerta Contra os Falsos Mestres e Suas HeresiasLição 11 - Alerta Contra os Falsos Mestres e Suas Heresias
Lição 11 - Alerta Contra os Falsos Mestres e Suas Heresias
 
R gómez 12 tipos de defeitos que impediam um levita ao ministério sacerdotal
R gómez 12 tipos de defeitos que impediam um levita ao ministério sacerdotalR gómez 12 tipos de defeitos que impediam um levita ao ministério sacerdotal
R gómez 12 tipos de defeitos que impediam um levita ao ministério sacerdotal
 
Mundo material e mundo espiritual - IEE - CEM
Mundo material e mundo espiritual - IEE - CEMMundo material e mundo espiritual - IEE - CEM
Mundo material e mundo espiritual - IEE - CEM
 
Judas
JudasJudas
Judas
 
Lição 7 - Prostituição, a perversão da sexualidade
Lição 7 - Prostituição, a perversão da sexualidadeLição 7 - Prostituição, a perversão da sexualidade
Lição 7 - Prostituição, a perversão da sexualidade
 
Relacao Juridica de emprego na Administraçao Publica
Relacao Juridica de emprego na Administraçao Publica Relacao Juridica de emprego na Administraçao Publica
Relacao Juridica de emprego na Administraçao Publica
 

Destaque

As virtudes do fazer
As virtudes do fazerAs virtudes do fazer
As virtudes do fazernovelino
 
Encontrar com Deus é potencializar as VIRTUDES humanas e cristãs
Encontrar com Deus é potencializar as VIRTUDES humanas e cristãsEncontrar com Deus é potencializar as VIRTUDES humanas e cristãs
Encontrar com Deus é potencializar as VIRTUDES humanas e cristãsLeandro Nazareth Souto
 
As 10 directivas e as 7 virtudes
As 10 directivas e as 7 virtudesAs 10 directivas e as 7 virtudes
As 10 directivas e as 7 virtudesmariorui
 
Pequeno tratado das grandes virtudes: polidez e fidelidade (André Comte-Sponv...
Pequeno tratado das grandes virtudes: polidez e fidelidade (André Comte-Sponv...Pequeno tratado das grandes virtudes: polidez e fidelidade (André Comte-Sponv...
Pequeno tratado das grandes virtudes: polidez e fidelidade (André Comte-Sponv...Alessandro Gama
 

Destaque (9)

Colegio brasil semeando virtudes
Colegio brasil semeando virtudesColegio brasil semeando virtudes
Colegio brasil semeando virtudes
 
As virtudes do fazer
As virtudes do fazerAs virtudes do fazer
As virtudes do fazer
 
A Cura Pelas Virtudes
A Cura Pelas VirtudesA Cura Pelas Virtudes
A Cura Pelas Virtudes
 
Encontrar com Deus é potencializar as VIRTUDES humanas e cristãs
Encontrar com Deus é potencializar as VIRTUDES humanas e cristãsEncontrar com Deus é potencializar as VIRTUDES humanas e cristãs
Encontrar com Deus é potencializar as VIRTUDES humanas e cristãs
 
Virtudes
VirtudesVirtudes
Virtudes
 
As 10 directivas e as 7 virtudes
As 10 directivas e as 7 virtudesAs 10 directivas e as 7 virtudes
As 10 directivas e as 7 virtudes
 
Pequeno tratado das grandes virtudes: polidez e fidelidade (André Comte-Sponv...
Pequeno tratado das grandes virtudes: polidez e fidelidade (André Comte-Sponv...Pequeno tratado das grandes virtudes: polidez e fidelidade (André Comte-Sponv...
Pequeno tratado das grandes virtudes: polidez e fidelidade (André Comte-Sponv...
 
Palestra 16 vicios x virtudes
Palestra 16 vicios  x  virtudesPalestra 16 vicios  x  virtudes
Palestra 16 vicios x virtudes
 
Ética Moral e Valores.
Ética Moral e Valores.Ética Moral e Valores.
Ética Moral e Valores.
 

Semelhante a As virtudes cardeais no ambiente profissional

5w1h livro 5 licoes 41 a 50
5w1h livro 5   licoes 41 a 505w1h livro 5   licoes 41 a 50
5w1h livro 5 licoes 41 a 50SOMOSMAISQUE1
 
Etica profissional
Etica profissionalEtica profissional
Etica profissionalFatima Silva
 
Vocação, Liderança e Realização
Vocação, Liderança e RealizaçãoVocação, Liderança e Realização
Vocação, Liderança e RealizaçãoRoberto Rinaldi Jr
 
27022015112643.ppt
27022015112643.ppt27022015112643.ppt
27022015112643.pptEdnaBaslio
 
Capacitação de lideranças 1
Capacitação de lideranças 1Capacitação de lideranças 1
Capacitação de lideranças 1Tatiana Santarelli
 
Workshop motivacional como realizar sonhos
Workshop motivacional  como realizar sonhosWorkshop motivacional  como realizar sonhos
Workshop motivacional como realizar sonhosJaqueline C. Bueno
 
Apostila Auxiliar Administrativo
Apostila Auxiliar AdministrativoApostila Auxiliar Administrativo
Apostila Auxiliar Administrativokaveyinf
 
LiderançA[1]..
LiderançA[1]..LiderançA[1]..
LiderançA[1]..nzucolotto
 
Lideranca e Motivacao da Equipe de Vendas
Lideranca e Motivacao da Equipe de VendasLideranca e Motivacao da Equipe de Vendas
Lideranca e Motivacao da Equipe de VendasCharles Bicalho
 
Workshop_Yokanam_Fundação_Estudar
Workshop_Yokanam_Fundação_EstudarWorkshop_Yokanam_Fundação_Estudar
Workshop_Yokanam_Fundação_EstudarCarlos Sousa
 
Liderança (1)
Liderança (1)Liderança (1)
Liderança (1)Alex Couto
 

Semelhante a As virtudes cardeais no ambiente profissional (20)

O papel das vitrudes na formação do carater
O papel das vitrudes na formação do caraterO papel das vitrudes na formação do carater
O papel das vitrudes na formação do carater
 
O desafio da amizade
O desafio da amizadeO desafio da amizade
O desafio da amizade
 
Descubra seus Pontos Fortes
Descubra seus Pontos FortesDescubra seus Pontos Fortes
Descubra seus Pontos Fortes
 
5w1h livro 5 licoes 41 a 50
5w1h livro 5   licoes 41 a 505w1h livro 5   licoes 41 a 50
5w1h livro 5 licoes 41 a 50
 
Etica profissional
Etica profissionalEtica profissional
Etica profissional
 
Vocação, Liderança e Realização
Vocação, Liderança e RealizaçãoVocação, Liderança e Realização
Vocação, Liderança e Realização
 
Humanizar o atendimento na saúde
Humanizar o atendimento na saúdeHumanizar o atendimento na saúde
Humanizar o atendimento na saúde
 
27022015112643.ppt
27022015112643.ppt27022015112643.ppt
27022015112643.ppt
 
Capacitação de lideranças 1
Capacitação de lideranças 1Capacitação de lideranças 1
Capacitação de lideranças 1
 
Os perfis comportamentais
Os perfis comportamentaisOs perfis comportamentais
Os perfis comportamentais
 
Comportamento Assertivo
Comportamento AssertivoComportamento Assertivo
Comportamento Assertivo
 
slide sescoop
slide sescoop slide sescoop
slide sescoop
 
Workshop motivacional como realizar sonhos
Workshop motivacional  como realizar sonhosWorkshop motivacional  como realizar sonhos
Workshop motivacional como realizar sonhos
 
Apostila Auxiliar Administrativo
Apostila Auxiliar AdministrativoApostila Auxiliar Administrativo
Apostila Auxiliar Administrativo
 
LiderançA[1]..
LiderançA[1]..LiderançA[1]..
LiderançA[1]..
 
Lideranca e Motivacao da Equipe de Vendas
Lideranca e Motivacao da Equipe de VendasLideranca e Motivacao da Equipe de Vendas
Lideranca e Motivacao da Equipe de Vendas
 
Empregabilidade: as características de talentos femininos
Empregabilidade: as características de talentos femininosEmpregabilidade: as características de talentos femininos
Empregabilidade: as características de talentos femininos
 
Workshop_Yokanam_Fundação_Estudar
Workshop_Yokanam_Fundação_EstudarWorkshop_Yokanam_Fundação_Estudar
Workshop_Yokanam_Fundação_Estudar
 
Liderança (1)
Liderança (1)Liderança (1)
Liderança (1)
 
Relacionamento interpessoal
Relacionamento interpessoalRelacionamento interpessoal
Relacionamento interpessoal
 

Mais de Universidade Federal Fluminense

Mais de Universidade Federal Fluminense (20)

Etica nas ações profissionais
Etica nas ações profissionaisEtica nas ações profissionais
Etica nas ações profissionais
 
As virtudes na profissão e na universidade
As virtudes na profissão e na universidadeAs virtudes na profissão e na universidade
As virtudes na profissão e na universidade
 
éTica nas ações profissionais
éTica nas ações profissionaiséTica nas ações profissionais
éTica nas ações profissionais
 
éTica nas ações profissionais
éTica nas ações profissionaiséTica nas ações profissionais
éTica nas ações profissionais
 
Rompendo barreiras para gerar nov as idéias
Rompendo barreiras para gerar nov as idéiasRompendo barreiras para gerar nov as idéias
Rompendo barreiras para gerar nov as idéias
 
Identificação do problema
Identificação do problemaIdentificação do problema
Identificação do problema
 
Etica e ciencia
Etica e cienciaEtica e ciencia
Etica e ciencia
 
Exito ou fracasso
Exito ou fracassoExito ou fracasso
Exito ou fracasso
 
Metodologia de pesquisa nv
Metodologia de pesquisa nvMetodologia de pesquisa nv
Metodologia de pesquisa nv
 
Exito ou fracasso
Exito ou fracassoExito ou fracasso
Exito ou fracasso
 
As invenções e a revolução industrial
As invenções e a revolução industrialAs invenções e a revolução industrial
As invenções e a revolução industrial
 
As potencias humanas e os modelos de felicidade
As potencias humanas e os modelos de felicidadeAs potencias humanas e os modelos de felicidade
As potencias humanas e os modelos de felicidade
 
1. introdução ao método dos elementos de contorno
1. introdução ao método dos elementos de contorno1. introdução ao método dos elementos de contorno
1. introdução ao método dos elementos de contorno
 
8. ciencia e fe 1
8. ciencia e fe 18. ciencia e fe 1
8. ciencia e fe 1
 
Modelagem mef
Modelagem mefModelagem mef
Modelagem mef
 
Motivação
MotivaçãoMotivação
Motivação
 
Virtudes e defeitos dos caracteres
Virtudes e defeitos dos caracteresVirtudes e defeitos dos caracteres
Virtudes e defeitos dos caracteres
 
Etica carateriologia
Etica carateriologiaEtica carateriologia
Etica carateriologia
 
3. a revolução industrial medieval
3. a revolução industrial medieval3. a revolução industrial medieval
3. a revolução industrial medieval
 
2. a ciencia antiga
2. a ciencia antiga2. a ciencia antiga
2. a ciencia antiga
 

Último

HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxAula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxBiancaNogueira42
 
HABILIDADES ESSENCIAIS - MATEMÁTICA 4º ANO.pdf
HABILIDADES ESSENCIAIS  - MATEMÁTICA 4º ANO.pdfHABILIDADES ESSENCIAIS  - MATEMÁTICA 4º ANO.pdf
HABILIDADES ESSENCIAIS - MATEMÁTICA 4º ANO.pdfdio7ff
 
Slides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdf
Slides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdfSlides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdf
Slides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdfpaulafernandes540558
 
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxBaladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxacaciocarmo1
 
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresSociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresaulasgege
 
Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?
Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?
Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?MrciaRocha48
 
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxDeyvidBriel
 
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSOVALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSOBiatrizGomes1
 
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdfBRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdfHenrique Pontes
 
Noções de Orçamento Público AFO - CNU - Aula 1 - Alunos.pdf
Noções de Orçamento Público AFO - CNU - Aula 1 - Alunos.pdfNoções de Orçamento Público AFO - CNU - Aula 1 - Alunos.pdf
Noções de Orçamento Público AFO - CNU - Aula 1 - Alunos.pdfdottoor
 
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdfPLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdfProfGleide
 
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdfGuia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdfEyshilaKelly1
 
Geometria 5to Educacion Primaria EDU Ccesa007.pdf
Geometria  5to Educacion Primaria EDU  Ccesa007.pdfGeometria  5to Educacion Primaria EDU  Ccesa007.pdf
Geometria 5to Educacion Primaria EDU Ccesa007.pdfDemetrio Ccesa Rayme
 
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveAula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveaulasgege
 
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxSlide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxconcelhovdragons
 
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxQUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxIsabellaGomes58
 
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxSlides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 

Último (20)

HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxAula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
 
HABILIDADES ESSENCIAIS - MATEMÁTICA 4º ANO.pdf
HABILIDADES ESSENCIAIS  - MATEMÁTICA 4º ANO.pdfHABILIDADES ESSENCIAIS  - MATEMÁTICA 4º ANO.pdf
HABILIDADES ESSENCIAIS - MATEMÁTICA 4º ANO.pdf
 
Slides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdf
Slides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdfSlides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdf
Slides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdf
 
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxBaladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
 
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresSociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
 
Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?
Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?
Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?
 
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
 
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSOVALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO
 
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdfBRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
 
Noções de Orçamento Público AFO - CNU - Aula 1 - Alunos.pdf
Noções de Orçamento Público AFO - CNU - Aula 1 - Alunos.pdfNoções de Orçamento Público AFO - CNU - Aula 1 - Alunos.pdf
Noções de Orçamento Público AFO - CNU - Aula 1 - Alunos.pdf
 
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdfPLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdf
 
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdfGuia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
 
Geometria 5to Educacion Primaria EDU Ccesa007.pdf
Geometria  5to Educacion Primaria EDU  Ccesa007.pdfGeometria  5to Educacion Primaria EDU  Ccesa007.pdf
Geometria 5to Educacion Primaria EDU Ccesa007.pdf
 
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveAula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
 
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxSlide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
 
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxQUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
 
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxSlides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
 

As virtudes cardeais no ambiente profissional

  • 1. As virtudes Cardeais no ambiente profissional Prof. Raul Bernardo Vidal Pessolani TEM - UFF
  • 2. Virtudes = Qualidade • Qualidade: –Pensar bem => Prudência –Relacionar-se bem => Justiça –Agir bem => Fortaleza –Dominar-se => Temperança • São Cardeais: –Encabeçam muitas outras virtudes Prof. Raul Bernardo Vidal Pessolani - TEM - UFF
  • 3. Diferencial do Profissional Atuar com boa fé. Ser competente. Qualidade PRUDÊNCIA de decisão Trabalhar com diligência. Qualidade de JUSTIÇA Cooperar com os relacionamento demais. Qualidade de FORTALEZA Criar um ambiente empreendimento de convivência e Qualidade solidariedade. TEMPERANÇA emotiva Prof. Raul Bernardo Vidal Pessolani - TEM - UFF
  • 4. QUALIDADE DE DECISÃO 1. Prudência
  • 5. FAZER BEM - AGIR BEM •Definição de Prudência: •É a reta razão no agir. •É a Educação da inteligência •É a excelência na decisão Prof. Raul Bernardo Vidal Pessolani - TEM - UFF
  • 6. ETAPAS DA DECISÃO DE QUALIDADE JULGAR BEM EXECUTAR COM DELIBERAR BEM DECIDIR BEM FIRMEZA ADQUIRIR CRITÉRIOS PARA AGIR BEM CRITÉ E FAZER BEM Prof. Raul Bernardo Vidal Pessolani - TEM - UFF
  • 7. ETAPAS DA QUALIDADE DECISÃO REFLEXÃO •PASSADO DELIBERAR BEM •PRESENTE •FUTURO TER CRITÉRIO DECIDIR BEM JULGAR BEM PROVIDÊNCIA EXECUTAR COM CIRCUNSPECÇÃO FIRMEZA PRECAUÇÃO Prof. Raul Bernardo Vidal Pessolani - TEM - UFF CONSTÂNCIA
  • 8. CONHECER A REALIDADE Prudência! Desenvolver a capacidade de: observar distinguir entre fatos e opiniões. distinguir o importante do secundário. buscar informação. selecionar fontes. reconhecer os próprios preconceitos. análise crítica da informação. relacionar causa e efeito. reconhecer informações são necessárias. recordar. Prof. Raul Bernardo Vidal Pessolani - TEM - UFF
  • 9. DECIDIR BEM - JULGAR COM CRITÉRIO REGRA DO JARDINEIRO!! • Aperfeiçoar a capacidade de julgar bem exige a aquisição de critérios. • Os critérios dirigidos ao “fazer” pertencem aos conhecimentos técnicos específicos da atividade profissional. Prof. Raul Bernardo Vidal Pessolani - TEM - UFF
  • 10. Exercícios Práticos para a Prudência • Pensar bem antes de falar! • Reconhecer os próprios erros. • Ouvir a opinião dos outros. • Aprofundar na formação ética e moral. • Não se desviar de tarefas pensadas. • Dizer não aos primeiros impulsos. Prof. Raul Bernardo Vidal Pessolani - TEM - UFF
  • 12. Educação da Vontade • Hábito constante de dar a cada um o que é seu. • Virtude fundamental para o relacionamento. • Cumprir os direitos e os deveres e respeitar os demais como pessoas • Virtudes Correlatas: Sinceridade, Veracidade, Humildade, Solidariedade, Religião. Prof. Raul Bernardo Vidal Pessolani - TEM - UFF
  • 13. O que você diria de um profissional como esse? (Quase Deuses) Prof. Raul Bernardo Vidal Pessolani - TEM - UFF
  • 14. LEALDADE Os relacionamentos verazes exigem a virtude da lealdade. • É cumprir do prometido. • É agir com franqueza. • É assumir a responsabilidade pelas ações e omissões: • Não maquiar os resultados • Não apropriar-se dos resultados alheios Prof. Raul Bernardo Vidal Pessolani - TEM - UFF
  • 15. Lealdade e Honestidade – Sermos nós mesmos: • Assumir o que sabe, e responder pelos atos. • Não usar de meios ilícitos para se safar! – Ex: Assumir os trabalhos dos outros • Não jogar a culpa pelos fracassos nos outros. – Ex: Culpar o outro porque foi mal • Sinceridade: Ouvir as criticas e aceita-las Prof. Raul Bernardo Vidal Pessolani - TEM - UFF
  • 16. Solidariedade • Muitas vezes não estamos preocupados apenas em sermos bons mas queremos ser mais que os demais. – Queremos não só ter um carro (celular, MP3, etc) bom, mas que seja melhor do que o do vizinho. – Não queremos só passar de ano, mas sim ser o melhor da turma. • Superar o individualismo. – O nosso bem não exclui o dos demais. O nosso bem deve incluir o dos demais! Prof. Raul Bernardo Vidal Pessolani - TEM - UFF
  • 17. Construir uma nova lógica • Para subir não preciso passar os demais para trás. – Sair do Ganhar/Perder, para a da Ganhar/Ganhar: • Buscar Ganhos recíprocos • Formar um espírito de equipe. – Vencer a tendência de só pensar em sí. – Não esconder os macetes dos demais. – Ajudar os colegas • Ensinar, emprestar,... Prof. Raul Bernardo Vidal Pessolani - TEM - UFF
  • 18. Individualista Personalista Motivação Extrínseca Intrínseca Transcendente Relacionamento Nos próprios direitos Nos deveres Ênfase Prevalece o interesse Prevalece o bem Valores individual comum Limita-se a evitar Procura a Relacionamento conflitos cooperação, a ajuda. Dirigente Ênfase no resultado Ênfase na pessoa Trabalho Subordinação da A serviço da pessoa pessoa Capital Trabalho a serviço do Capital a serviço da capital pessoa Prof. Raul Bernardo Vidal Pessolani - TEM - UFF
  • 19. Em qualquer grupo humano, se todos formos individualistas, o relacionamento será insustentável. Prof. Raul Bernardo Vidal Pessolani - TEM - UFF
  • 20. Outras Virtudes no relacionamento • Correção (Educação) – Falar com os demais, conforme gostaríamos que falassem conosco. • Ex: Por favor,... • Gratidão: – Aprender a reconhecer os serviços que nos prestam – Isso fará com que valorizemos mais os demais. • Ex: Obrigado • Compreensão: – Colocar-se no lugar do outro. • Ouvir, conhecer as circunstâncias dos nossos colegas Prof. Raul Bernardo Vidal Pessolani - TEM - UFF
  • 21. Exercícios práticos para a Justiça • Não fazer juízos precipitados • Ser leal e Veraz • Respeito no modo de tratar os outros • Não fazer comentários negativos – Difamação – Calúnia • Ser pontual nos compromissos • Ser honesto nas tarefas. Prof. Raul Bernardo Vidal Pessolani - TEM - UFF
  • 23. ENFRENTAR/FUGIR Enfrentar desafios, navegar em águas turbulentas ! • Qualidade especial da vontade em regular os movimentos do apetite irascível: enfrentar/fugir. Prof. Raul Bernardo Vidal Pessolani - TEM - UFF
  • 24. ENFRENTAR/FUGIR Vencer o medo • Racionalizar uma das dificuldades ! determinada reação sensível: estimular o impulso, refreá-lo ou desviá-lo obtendo assim ações de qualidade. Fortaleza é a que enfrenta os perigos e suporta os trabalhos! (Cícero) Prof. Raul Bernardo Vidal Pessolani - TEM - UFF
  • 25. ESFORÇO Onde a maioria desiste, nós começamos ! • As ações de qualidade estão num ponto mais esforçado. My place is at the top ! • Virtude exige esforço pessoal. • Hábito de vencimento de tendências que nos afastam das ações valiosas. Prof. Raul Bernardo Vidal Pessolani - TEM - UFF
  • 26. LEI DO MÍNIMO ESFORÇO • Lei do mínimo Não se lapida um pedregulho vulgar ! esforço, a lei do gosto e a de levar vantagem obstaculizam a prática das virtudes. As dificuldades “lapidam” o tempe- ramento ! Prof. Raul Bernardo Vidal Pessolani - TEM - UFF
  • 27. HÁBITOS • Nada conseguimos Decisão implementar sem Dedicação quatro condições de Disciplina hábito da vontade: Determinação Prof. Raul Bernardo Vidal Pessolani - TEM - UFF
  • 28. HÁBITOS • Tempo de planejar. • Tempo de decidir. • Tempo de executar. Leis da lavoura ! • Tempo de esperar os resultados. Prof. Raul Bernardo Vidal Pessolani - TEM - UFF
  • 29. PERSEVERANÇA Thomás Alva Edison: “O gênio é 1% de inspiração e 99% de transpiração”. “Não há expediente a que o homem não recorra para evitar o verdadeiro esforço de pensar”. “Ainda não falhamos. Como já conhecemos mil coisas que não dão certo, estamos tantas vezes mais perto de encontrar Prof. Raul Bernardo Vidalque dê” ! uma Pessolani - TEM - UFF
  • 30. Exercícios Práticos da Fortaleza • Planejar o plano de estudo (ou algo que precisamos) • Decidir a coloca-lo em prática • Executar: cumprir o plano • Esperar: ter paciência para esperar os resultados. • Virtudes Correlatas: Paciência, Perseverança, Constância,... Prof. Raul Bernardo Vidal Pessolani - TEM - UFF
  • 31. QUALIDADE EMOCIONAL 4. Temperança
  • 32. AGRESSIVIDADE - MEDO Controle das emoções Ira Medo Sensibilidade Prof. Raul Bernardo Vidal Pessolani - TEM - UFF
  • 33. EMOÇÕES • São alterações da sensibilidade APARÊNCIA DE BEM OU DE MAL diante da avaliação da realidade e sua conseqüente DESEJO atração ou repulsa. OU REPULSA EMOÇÃO • Das duas possíveis reações diante da realidade- desejo ou AVALIAÇÃO repulsa- nascem os sentimentos ou emoções. AÇÃO / REAÇÃO Prof. Raul Bernardo Vidal Pessolani - TEM - UFF
  • 34. FIRMEZA E DEBILIDADE • A Excelência pessoal exige convicções fortes e determinação no agir. • As Árvores de planície são mais fracas do que as de montanha, pois não enfrentaram dificuldades. Prof. Raul Bernardo Vidal Pessolani - TEM - UFF
  • 35. SOCIEDADE DO BEM ESTAR IBM • A nossa sociedade de consumo facilita o bem estar. TBC • O pouco esforço da vontade causa o debilitamento da personalidade. Prof. Raul Bernardo Vidal Pessolani - TEM - UFF
  • 36. TER PERSONALIDADE ! • Há um animal dentro de nós que deve ser domesticado pela razão. • É preciso desde o início ter firmeza, caso contrário não há domínio! • Não basta ter objetivos claros, é preciso o governo das emoções ! Prof. Raul Bernardo Vidal Pessolani - TEM - UFF
  • 37. AGIR E REAGIR • É comum encontrar pessoas que não agem, simplesmente reagem. • Ao diminuir a capacidade reflexiva e a determinação da vontade pelos valores, a tendência comportamental ficará mais influenciada pelo reino das sensações. Prof. Raul Bernardo Vidal Pessolani - TEM - UFF
  • 38. AGIR E REAGIR EUFORIA DEPRESSÃO Linha da convicção Prof. Raul Bernardo Vidal Pessolani - TEM - UFF
  • 39. Drogas Dentro de nós existe um menino e um monstro Ao longo da vida, pelas nossas escolhas, vamos alimentando um ou outro. Prof. Raul Bernardo Vidal Pessolani - TEM - UFF
  • 40. Drogas – Depoimento • É uma das mais importantes pesquisadoras sobre drogas no mundo. • Foi quem primeiro usou a tomografia para comprovar as conseqüências do uso de drogas no cérebro e foi também quem, nos anos 80, mostrou que, ao contrário do que se pensava até então, a cocaína é, sim, capaz de viciar, e provocar danos irreparáveis ao cérebro. • Desde 2003 é diretora do Instituto Nacional sobre Abuso de Drogas (EUA) Nora Volkow, psiquiatra 54 anos Prof. Raul Bernardo Vidal Pessolani - TEM - UFF
  • 41. Drogas Não existe droga segura. Há quem veja a maconha como uma droga inofensiva. Trata-se de um erro. Comprovadamente, ela tem efeitos bastante danosos. Ela pode bloquear receptores neurais muito importantes. Causa desde aumento da ansiedade até perda de memória e depressão. Em doentes psicóticos pode aumentar, e em pessoas saudáveis pode desenvolver psicoses. O uso na juventude é muito perigoso porque o cérebro nessa fase é mais plástico e mais sensível aos estímulos externos que vão moldá-lo. A droga pode marca-la de forma irreversível. Prof. Raul Bernardo Vidal Pessolani - TEM - UFF
  • 42. A exposição precoce às drogas muda a sensibilidade do sistema de recompensa do cérebro. Como esse sistema se torna menos sensível, os dependentes químicos buscam uma compensação nas drogas Uma só tragada pode provocar o vício. A dependência química é uma doença cerebral que muda a bioquímica, a função e a anatomia do cérebro. O vício instalado é muito difícil de tirar, porque o cérebro, em conseqüência do uso de drogas, é modificado de maneira física. Prof. Raul Bernardo Vidal Pessolani - TEM - UFF
  • 43. Outras Drogas • Bebida – O consumo constante de bebidas alcoólicas nos adolescentes pode danificar o desenvolvimento do cérebro • Pornografia – Causa no cérebro reações químicas semelhantes aos da droga, viciando o organismo. – Estudos mostram que está relacionado com estupro, abuso sexual infantil, violência contra mulheres, abuso de drogas, além de destruir casamentos e vidas. Prof. Raul Bernardo Vidal Pessolani - TEM - UFF
  • 44. Efeitos do consumo de drogas • Na pessoa: – Dependência química e psicológica – Na Juventude: danos cerebrais irreparáveis – Perda da liberdade: torna-nos escravos • Ao redor: – Ruína Financeira, Familiar, Psicológica. – Os pais, filhos é quem mais sofrem. Prof. Raul Bernardo Vidal Pessolani - TEM - UFF
  • 45. Como largar • Fugir das ocasiões – Festas, amizades – Não ter medo de perder amizades: outros virão! • Saber dizer não: Não estou a fim! • Resistir à pressão do grupo: Isto, que me pedem para fazer, está de acordo com os meus princípios, meus ideais, e com o que eu quero para minha vida? Prof. Raul Bernardo Vidal Pessolani - TEM - UFF
  • 46. Dependência da Internet Prof. Raul Bernardo Vidal Pessolani - TEM - UFF
  • 47. Exercícios Práticos da Temperança • Domesticar o Monstro que temos dentro – Assumir o controle sobre o próprio corpo. • Comida, Bebida, Drogas, .... – Ações concretas: • Internet: ter horários fixos. • Não entrar naqueles sites que me fazem mal • Não ir a determinadas festas baixaria! – Cultivar hábitos bons => esporte, amigos legais, Fé, diálogo. • Escolher sempre não pelo mais fácil, mais gostoso, mas pelo que é melhor. • Drogas: reconhecer que se necessita de ajuda Acostumar-se a dizer não a sí próprio! Prof. Raul Bernardo Vidal Pessolani - TEM - UFF