1   Escola Secundária de Sampaio 2009/2010    STCeco / Prof. Nuno salgado    Raquel Silva e Carina Filipe
IntroduçãoEste trabalho fala sobre o tema integrador, “Todos Diferentes Todos Iguais”.O nosso trabalho conta a historia do...
O carnaval de SesimbraO Carnaval tem uma grande tradição em Sesimbra, tanto nas manifestações satíricas,nas cegadas e cava...
O carnaval do RioDurante todo o período colonial as diversões que aconteciam na cidade do Rio deJaneiro durante o carnaval...
5   Escola Secundária de Sampaio 2009/2010    STCeco / Prof. Nuno salgado    Raquel Silva e Carina Filipe
As DiferençasO Carnaval do Rio e o Carnaval de Sesimbra são completamente diferentes, o espírito éo mesmo e a vontade de v...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

O carnaval

1.050 visualizações

Publicada em

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.050
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
7
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

O carnaval

  1. 1. 1 Escola Secundária de Sampaio 2009/2010 STCeco / Prof. Nuno salgado Raquel Silva e Carina Filipe
  2. 2. IntroduçãoEste trabalho fala sobre o tema integrador, “Todos Diferentes Todos Iguais”.O nosso trabalho conta a historia do carnaval, quando nasceu e até a actualidade.Falamos também sobre o carnaval de Sesimbra e o carnaval do rio de Janeiro.O carnaval é uma das come morações que é vivida por praticame nte todos os povosdo mundo, é uma come moração com muitos séculos, claro que só a partir do séculoXIX é que começou a ter maior precursão e desde ai até aos dias de hoje temsempre evoluído.O mais importante da história do carnaval é que mesmo passados séculos nuncadeixou de ser comemorado por todo o mundo. O CarnavalO Carnaval é um período de festas regidas pelo ano lunar no Cristianismo da IdadeMédia. O período do Carnaval era marcado pelo "adeus à carne" ou "carne vale" dandoorigem ao termo "Carnaval". Durante o período do Carnaval havia uma grandeconcentração de festejos populares. Cada cidade brincava a seu modo, de acordo comseus costumes. O Carnaval moderno, feito de desfiles e fantasias, é produto dasociedade vitoriana do século XIX. A cidade de Paris foi o principal modelo exportadorda festa carnavalesca para o mundo. Cidades como Nice, Nova Orleans, Toronto e Riode Janeiro se inspirariam no Carnaval francês para implantar suas novas festascarnavalescas. História e etimologiaA festa carnavalesca surge a partir da implantação, no século XI, da Semana Santa pelaIgreja Católica, antecedida por quarenta dias de jejum, a Quaresma. Esse longo períodode privações acabaria por incentivar a reunião de diversas festividades nos dias queantecediam a Quarta-feira de Cinzas, o primeiro dia da Quaresma. A palavra "carnaval"está, desse modo, relacionada com a ideia de "afastamento" dos prazeres da carnemarcado pela expressão "carne vale", que, acabou por formar a palavra "carnaval".Em geral, o Carnaval tem a duração de três dias, os dias que antecedem a Quarta-feirade Cinzas.Em contraste com a Quaresma, tempo de penitência e privação, estes dias são chamados"gordos", em especial a terça-feira (Terça-feira gorda, também conhecida pelo nomefrancês Mardi Gras), último dia antes da Quaresma. Nos Estados Unidos, o termomardi gras é sinónimo de Carnaval.No período do Renascimento as festas que aconteciam nos dias de carnavalincorporaram os bailes de máscaras, com suas ricas fantasias e os carros alegóricos. Aocarácter de festa popular e desorganizada juntaram-se outros tipos de comemoração eprogressivamente a festa foi tomando o formato actual. 2 Escola Secundária de Sampaio 2009/2010 STCeco / Prof. Nuno salgado Raquel Silva e Carina Filipe
  3. 3. O carnaval de SesimbraO Carnaval tem uma grande tradição em Sesimbra, tanto nas manifestações satíricas,nas cegadas e cavalhadas (evocadoras dos tempos medievais) como nos bailesnocturnos que várias colectividades organizaram desde finais do século XIX.Após o 25 de Abril nasceu o Carnaval organizado, em resultado da sincronia dos gruposque frequentavam os bailes. Posteriormente, surgiram também as primeiras escolas desamba, que na terça-feira gorda desfilavam em plena avenida marginal. Recorrendo auma linguagem crítica, estas escolas abordam temáticas e problemas sociais nos seussambas de enredo.Para a organização destes desfiles formaram-se associações de índole cultural e social,que funcionam como pontos de encontro para jovens e não só, onde aprendem música edança.O Carnaval de Sesimbra tem vindo a assumir-se como um dos momentos culturais esociais mais significativos no concelho, não só pelo seu aspecto lúdico, mas pela coesãosocial que envolve. 3 Escola Secundária de Sampaio 2009/2010 STCeco / Prof. Nuno salgado Raquel Silva e Carina Filipe
  4. 4. O carnaval do RioDurante todo o período colonial as diversões que aconteciam na cidade do Rio deJaneiro durante o carnaval não eram diferentes dos outros pontos do brasileiro.Toda uma série de brincadeiras reunidas sob o termo Entrudo podiam ser encontradasnas ruas e nas casas senhoriais da cidade.No final do século XVIII, essas diversões consistiam basicamente no lançamento mútuode limões de cheiro (dentro das casas senhoriais) ou qualquer outro tipo de líquidos o upós (nas ruas).Após a Independência do Brasil, a elite carioca decide afastar-se do passado lusitano eincrementar a aproximação com as novas potências capitalistas.A cidade e a cultura parisienses serão os parâmetros a guiar as modas e modos a seremimportados.No final de 1920 o Brasil procurava criar uma identidade capaz de diferenciá-lo dentroda nova ordem mundial estabelecida após a Primeira Grande Guerra.O conceito da pele negra destacava-se mundialmente valorizando as produções culturaisnegras como a Arte africana e o jazz.A festa carnavalesca e o novo ritmo de base negra recentemente erguido, o samba, foi abase para a formação de um sentido de brasilidade.A valorização do samba e da cor da pele acabariam por aumentar o interesse daintelectualidade nos novos "grupos de samba" que surgiam nos morros cariocas.Esses grupos passariam a apresentar-se "no asfalto", ou seja, longe dos guetos dosmorros, sendo chamados de escolas de samba.Tratados inicialmente como uma espécie de curiosidade "folclórica", esses gruposforam pouco a pouco, cativando a sociedade carioca com o seu ritmo marcado, com asonoridade inesperada e com os temas populares das suas letras.Mantidas por décadas como elementos secundários da folia carnavalesca carioca, asescolas de samba adquiririam grande proeminência a partir da década de 1950, com aincorporação da classe média aos desfiles, consequência da aproximação entre asescolas e intelectuais de esquerda.A partir daí elas subiram muitos degraus do sucesso, até se tornarem o grande eventocarnavalesco nacional.Apesar de iniciado "oficialmente" na sexta-feira gorda, o carnaval de rua cariocacomeça já em Novembro quando as escolas de samba da cidade passam a realizar oschamados "ensaios técnicos" no Sambódromo.Verdadeiros desfiles onde o canto, a evolução e o ritmo são os elementos principais,esses eventos vêm atraindo a população de todo o mundo que enchem as arquibancadas,torcendo e cantando com as suas escolas.Uma verdadeira festa popular que captura cada vez mais o interesse dos turistasdesejosos de assistir e participar de um carnaval essencialmente popular. 4 Escola Secundária de Sampaio 2009/2010 STCeco / Prof. Nuno salgado Raquel Silva e Carina Filipe
  5. 5. 5 Escola Secundária de Sampaio 2009/2010 STCeco / Prof. Nuno salgado Raquel Silva e Carina Filipe
  6. 6. As DiferençasO Carnaval do Rio e o Carnaval de Sesimbra são completamente diferentes, o espírito éo mesmo e a vontade de viver os 4 dias de folia é igual.A grande diferença que os separa é os desfiles das escolas de samba, o Rio de Janeirovive o ano a pensar e a elaborar o carnaval, tem patrocínios o ano inteiro para poderemdar asas a imaginação, e com tudo isto conseguem ter o melhor carnaval do mundo,quem gosta mesmo de carnaval sonha com o sambódromo.O carnaval em Sesimbra começa a ser vivido mais ou menos 4 meses antes dos grandesdesfiles, não existe uma entrega completa dos portugueses ao carnaval, ensaiam, faze mfatos mas não vivem só para isso. São carnavais que se distinguem essencialmente pelariqueza, ou seja, o poder económico das escolas de samba. 6 Escola Secundária de Sampaio 2009/2010 STCeco / Prof. Nuno salgado Raquel Silva e Carina Filipe

×