Teorias da personalidade

1.110 visualizações

Publicada em

Abharam Maslow

Publicada em: Educação
  • Seja o primeiro a comentar

Teorias da personalidade

  1. 1. A B R A H A M M A S L O W TEORIAS DA PERSONALIDADE
  2. 2. ALUNOS : • Amanda Ferreira • Camila Ferreira • Luiza Carvalho • Leidi Reis • Raphael Oliveira • Maiara Sousa • Sandra Caroline • Marina Custódio • Rosa
  3. 3. HISTÓRIA PESSOAL • Abraham Maslow , nasceu em Nova Iorque , em 1908 , estudou o comportamento primata com Harry Harlow e o Behaviorismo com Clark Hull , um eminente psicólogo experimental . • Desenvolveu tese que se tratava doo relacionamento entre a dominância e o comportamento sexual entre os primatas , iniciando depois pesquisa sobre o comportamento sexual humano influenciado pela psicanalise .
  4. 4. HISTÓRIA PESSOAL • Durante a Segunda Guerra deslocou seus interesses para a psicologia social e da personalidade , dedicando- se a “ descobrir uma psicologia para a conferencia da paz” • Maslow manteve durante uma doença prolongada envolvimento com os negócios da família, o que resultou em pensamentos compilados para a psicologia industrial e administrativa . • Foi presidente da APA de 1967 até 1970 .
  5. 5. HISTÓRIA PESSOAL Confrontado em ser psicólogo humanista Maslow disse : “Nós não deveríamos ter que dizer ‘psicologia humanista’. O Adjetivo deveria ser desnecessário. Eu sou antidoutrinário ... Eu sou contra qualquer coisa que feche portas e corte possibilidades.”
  6. 6. ANTECEDENTES INTELECTUAIS • Dentre outras influencias se destacam em Maslow as influencias da : • Psicanalise • Antropologia social • Psicologia Gestalt
  7. 7. AUTO ATUALIZAÇÃO • Em uma vaga definição a auto atualização Maslow definiu como : • “ Uso e a exploração plenos de talentos , capacidades , potencialidades etc ... “
  8. 8. HOMEM COMUM X HOMEM QUE SE AUTO ATUALIZA • Homem que se auto atualiza é o homem em que nada foi tirado . • Homem comum é completo , com poderes e capacidades amortecidos e inibidos .
  9. 9. PESQUISA EM AUTO ATUALIZAÇÃO • Começou a pesquisa através da analise da vida de pessoas que considerava mais saudáveis e criativas . • Considerava que o estudo de pessoas saudáveis e eficientes eram mais eficazes do que o estudo de pessoas comuns ou neuróticas , dessa forma explorando os limites da potencialidade humana .
  10. 10. CARACTERÍSTICAS DE PESSOAS AUTO ATUALIZADORAS • Percepção mais eficiente da realidade • Aceitação ( de si dos outros e da natureza) • Espontaneidade , simplicidade , naturalidade • Concentração no problema • Qualidade do desprendimento , a necessidade de privacidade” • Autonomia , independência em relação a cultura e ao meio ambiente” • Pureza permanente de apreciação • Experiências místicas e culminantes .
  11. 11. CARACTERÍSTICAS DE PESSOAS AUTO ATUALIZADORAS • Gemeinschaftsgefuhl ( sentimento de parentesco com os outros ) • Relações interpessoais mais profundas e intensas • A estrutura do caráter democrático • Discriminação entre os meios e os fins , entre o bem e o mal • Senso de humor filosófico não hostil • Criatividade auto-atualizadora • Resistencia à aculturação : a transcendência de qualquer cultura especifica .
  12. 12. PESSOAS PERFEITAS ? Não existem seres humanos perfeitos ! Pode –se encontrar pessoas que são boas, realmente muito boas , na verdade excelentes. Existem na realidade , criadores, videntes , sábios , santos , agitadores , e instigadores . Este fato com certeza pode nos dar esperança em relação ao futuro da espécie , mesmo considerando que pessoas deste tipo são raras e não aparecem as dúzias
  13. 13. TEORIA DA AUTO ATUALIZAÇÃO • São considerados segundo Maslow oito modos para que se ocorra a auto atualização : 1-Momentos de exaltada consciência e intenso interesses . 2 -Poder de escolha entre segurança e crescimento 3- Sintonizar-se com sua própria natureza intima , independente de opiniões 4- Assumir responsabilidade frente a seus próprios atos
  14. 14. TEORIA DA AUTO ATUALIZAÇÃO 5- Os primeiros 4 passos nos ajudam capacidades de melhores escolhas de vida . O que nós faz confiar em nosso próprio julgamento . 6- O processo de auto atualização não é um processo finito , é um processo similar ao processo de iluminação budista. 7- Experiências culminantes , por estarmos mais conscientes de nós mesmos . 8- reconhecer as próprias defesas e trabalhar para abandona-las .
  15. 15. EXPERIÊNCIAS CULMINANTES • -São momentos especialmente excitantes na vida de todo indivíduo. • -São provocadas por intensos sentimentos de amor, exposição á arte ou música, ou vivência da beleza irresistível da natureza. • Experiências Platô • -Representa uma maneira nova e mais profunda de encarar e vivenciar o mundo.
  16. 16. A TRANSCENDÊNCIA DA AUTO ATUALIZAÇÃO • - auto atualizadores que transcendem tendem a ter suas experiências culminantes mais valorizadas como aspectos mais importantes da vida. É mais provável que que sejam inovadores e pensadores originais do que sistematizadores de ideias alheias.
  17. 17. HIERARQUIA DE NECESSIDADES • - Neurose e desajustamento psicológico são causadas pela privação de certas necessidades básicas. • -algumas necessidades psicológicas também devem ser satisfeitas para a manutenção da saúde.
  18. 18. HIERARQUIA DE NECESSIDADES BÁSICAS DE MASLOW Segundo Maslow as primeiras necessidades devem ser satisfeitas anteriormente a aquelas que aparecem relacionadas posteriormente. As primeiras necessidades estão ilustradas a seguir: Maslow fundamenta que quando as primeiras necessidades são alcançadas, imediatamente de maneira emergente surgem outras (e superiores) necessidades que passam dominar o organismo. Quando estas, por sua vez, são satisfeitas surgem outras superiores as ultimas e assim por diante.
  19. 19. HIERARQUIA DE NECESSIDADES BÁSICAS DE MASLOW Metamotivação : • Fadiman e Frager (1986) salientam que a metamotivação esta ligada ao comportamento que é inspirado por valores e necessidades de crescimento. Ela frequentemente remete o individuo a ideais, metas que o levam a algo “fora de si próprio”. Por isso Maslow afirma que esse tipo de motivação é mais comum em pessoas auto-atualizadoras, que estão gratificadas em suas primeiras necessidades.
  20. 20. HIERARQUIA DE NECESSIDADES BÁSICAS DE MASLOW • Para Maslow as metanecessidades estão relacionadas continuamente às necessidades básicas. A frustração dessas necessidades resulta em “metapatologias” que segundo o mesmo é a falta de valores, sentido ou realização na vida. “... um sentido de identidade, uma carreira meritória e o compromisso com um sistema de valores são tão essenciais ao bem-estar psicológico quanto a segurança, amor e auto-estima” (FADIMAN,FRAGER, 1986,p. 268)
  21. 21. HIERARQUIA DE NECESSIDADES BÁSICAS DE MASLOW Queixas e Metaqueixas • A sugestão de Maslow é que “existem diferentes níveis de reclamações que correspondem aos níveis de necessidades que são frustradas”. • Metaqueixas estão relacionadas a frustrações de metanecessidades como perfeição, justiça, beleza e verdade. Protestar contra a natureza não-estética do ambiente aponta que o individuo está satisfeito com relação às suas necessidades básicas.
  22. 22. MOTIVAÇÃO DE DEFICIÊNCIA E DO SER • Maslow acredita que a maioria das psicologias ocupam- se da motivação de deficiência, ou seja, concentra-se no comportamento que se orienta para satisfazer a necessidade que foi privada ou frustrada. Três exemplos de motivação de deficiência é a dor, fome e o medo. Quando um organismo não está com essas motivações de deficiência, o organismo emergem novas motivações.
  23. 23. COGNIÇÃO DE DEFICIÊNCIA E DO SER • Os objetivos da cognição D são vistos principalmente como preenchedores de necessidades. As necessidades fortes tendem a avançar o pensamento e a percepção. • A congnição S é a mais apropriada e efetiva, pois é menos provável que o indivíduo altere suas percepções para corrigi-las com suas necessidades e desejos.
  24. 24. VALORES DE DEFICIÊNCIA E DO SER • Maslow tinha a sensação que existe certos valores intrínsecos a todo indivíduo. Ele argumentava que os valores supremos existem e vivem na natureza humana. Isto está relacionado a contradição frontal com as crenças mais antigas e habituais.
  25. 25. AMOR DE DEFICIÊNCIA E DO SER • Amor de deficiência significa o amor pelo outro, pois o outro preenche algum tipo de necessidade. Quanto mais o indivíduo é gratificado, mais intenso é o tipo de amor. Isso significa que o amor é causado por necessidade de auto – estima, medo, solidão entre outros.
  26. 26. EUPSIQUIA • Maslow criou o termo “eupsiquia” para se referir a uma sociedade ideal. Ele acreditava que uma sociedade ideal tinha a capacidade se der desenvolvida a partir da construção de uma comunidade de indivíduos saudáveis. Todos as pessoas da comunidade estariam empenhados para encontrar a busca do desenvolvimento pessoal e na realização profissional e na vida pessoal.
  27. 27. SINERGIA • SINERGIA = ação combinada ou cooperação. Refere-se ao grau de cooperação e harmonia interpessoal numa determinada sociedade.
  28. 28. PSICOLOGIA TRANSPESSOAL • refere-se a investigação das capacidades e potencialidades humanas máximas. Segundo Maslow “sem o transcendente e o transpessoal, ficamos doentes, violentos e niilistas, ou então vazios de esperança e apáticos.” (Maslow, 1968, p. 12)
  29. 29. DINÂMICA • O crescimento psicológico abordado Maslow se refere à satisfação bem sucedida de necessidades mais complexas e satisfatórias. Para isso é necessário que o indivíduo busque auto atualização. • Caso contrário a frustração precoce pode fixar indivíduo naquele nível de funcionamento, impedindo-o de progredir. • O crescimento ocorre pelo trabalho de auto atualização sendo este definido como um compromisso com o crescimento e desenvolvimento máximo das capacidades, quando o individuo não se acomoda por preguiça ou falta de auto confiança
  30. 30. DINÂMICA • O processo de auto atualização pode ser limitado por vários fatores dentre eles: influências negativas de experiências passadas e de hábitos resultantes que nos mantem presos a comportamentos improdutivos, influencia social e pressão de grupo, defesas internas que nos mantem fora de contato com nossa subjetividade, hábitos como vicio de drogas ou bebidas e alimentação pobre em nutrientes. • . Há dois mecanismos novos de defesa tradicional da lista psicanalítica: dessacralização e complexo de Jonas.
  31. 31. DINÂMICA • Dessacralização se trata do empobrecimento de uma vida pela recusa de tratar as coisas com interesse profundo e seriedade. Hoje poucos símbolos religiosos ou culturais são cultuados perdendo poder de emocionar ou mesmo motivar, assim como o sexo que é tratado de maneira banal na atualidade deixando também de inspirar artistas, escritores e amantes. • O complexo de Jonas trata-se do individuo que não realiza as coisas dentro de suas plenas capacidades, da mesma forma que Jonas evitou a responsabilidade de se tornar profeta. Muitas pessoas preferem a segurança do comum e atividades que não lhe exigem muito, do que metas ambiciosas.
  32. 32. SELF • Maslow define o self como a essência interior da pessoa ou a sua própria natureza inerente . • Compreender a própria natureza interna e agir de acordo com ela é essencial para atualizar o self .
  33. 33. TERAPIA • A eficácia da terapia se da pela compreensão do outro através de um relacionamento intimo e confiante com outro ser humano . Sendo o terapeuta como um irmão mais velho . Propõe um modelo do “ajudante Taoísta” aquele que é capaz de ajudar sem interferir • Considerava a terapia como um modo de satisfazer as necessidades básicas de de amor e estima que são frustradas em quase todos os que procuram ajuda psicológica .
  34. 34. TERAPIA • A eficácia da terapia se da pela compreensão do outro através de um relacionamento intimo e confiante com outro ser humano . Sendo o terapeuta como um irmão mais velho . Propõe um modelo do “ajudante Taoísta” aquele que é capaz de ajudar sem interferir • Considerava a terapia como um modo de satisfazer as necessidades básicas de de amor e estima que são frustradas em quase todos os que procuram ajuda psicológica .
  35. 35. REFERENCIAS FADIMAN, James e FRAGER,Robert. Abraham Maslow e a psicologia da auto-atualização IN __ Teorias da Personalidade . São Paulo st : Harbra, 1986 . Capitulo nº 9 , p. 260-280

×