Métodos Matemáticos em Biologia de POpulações

2.593 visualizações

Publicada em

Quarta aula do curso de verão em métodos matemáticos em biologia de populações no IFT-UNESP em 2/2008.

Fourth lecture on Mathematical Methods in POpulation Biology ( in portuguese). Feb'08, given at the Institute for Theoretical Physics in São Paulo. Undergrads level.

Publicada em: Turismo, Tecnologia
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.593
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
33
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
142
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Métodos Matemáticos em Biologia de POpulações

  1. 1. Métodos Matemáticos em Biologia de Populações R.A. Kraenkel Epidemias Histórias... Modelos Métodos Matemáticos em Biologia de Glórias e Misérias Vegetação em Populações regiões Semi-áridas Regiões semi-áridas e áridas Modelo Roberto André Kraenkel Histerese Glóris e Misérias Instituto de Física Teórica-UNESP São Paulo http://www.ift.unesp.br/users/kraenkel Aula IV
  2. 2. Métodos Matemáticos em Biologia de Populações A aula de hoje R.A. Kraenkel Epidemias Histórias... Modelos Glórias e Misérias 1 Epidemias Vegetação em Histórias... regiões Semi-áridas Modelos Regiões semi-áridas e áridas Glórias e Misérias Modelo Histerese Glóris e Misérias
  3. 3. Métodos Matemáticos em Biologia de Populações A aula de hoje R.A. Kraenkel Epidemias Histórias... Modelos Glórias e Misérias 1 Epidemias Vegetação em Histórias... regiões Semi-áridas Modelos Regiões semi-áridas e áridas Glórias e Misérias Modelo Histerese Glóris e Misérias 2 Vegetação em regiões Semi-áridas Regiões semi-áridas e áridas Modelo Histerese Glóris e Misérias
  4. 4. Métodos Matemáticos em Biologia de Populações Epidemias: histórias R.A. Kraenkel Parta logo, vá para longe e tarde em voltar. (Hipócrates). Epidemias Histórias... Modelos A Peste de Atenas. Glórias e Misérias • A peste de Atenas foi uma Vegetação em epidemia que grassou em regiões 430(AC) em Atenas, durante Semi-áridas a Guerra do Peloponeso. Regiões semi-áridas e áridas Modelo Histerese Glóris e Misérias
  5. 5. Métodos Matemáticos em Biologia de Populações Epidemias: histórias R.A. Kraenkel Parta logo, vá para longe e tarde em voltar. (Hipócrates). Epidemias Histórias... Modelos A Peste de Atenas. Glórias e Misérias • A peste de Atenas foi uma Vegetação em epidemia que grassou em regiões 430(AC) em Atenas, durante Semi-áridas a Guerra do Peloponeso. Regiões semi-áridas e áridas Modelo • Foi relatada por Tucídides: Histerese calores, sufocamento, Glóris e Misérias convulsões , necroses dos dedos, ..morte.
  6. 6. Métodos Matemáticos em Biologia de Populações Epidemias: histórias R.A. Kraenkel Parta logo, vá para longe e tarde em voltar. (Hipócrates). Epidemias Histórias... Modelos A Peste de Atenas. Glórias e Misérias • A peste de Atenas foi uma Vegetação em epidemia que grassou em regiões 430(AC) em Atenas, durante Semi-áridas a Guerra do Peloponeso. Regiões semi-áridas e áridas Modelo • Foi relatada por Tucídides: Histerese calores, sufocamento, Glóris e Misérias convulsões , necroses dos dedos, ..morte. • 1/3 da população foi dizimada.
  7. 7. Métodos Matemáticos em Biologia de Populações Epidemias: histórias R.A. Kraenkel Parta logo, vá para longe e tarde em voltar. (Hipócrates). Epidemias Histórias... Modelos A Peste de Atenas. Glórias e Misérias • A peste de Atenas foi uma Vegetação em epidemia que grassou em regiões 430(AC) em Atenas, durante Semi-áridas a Guerra do Peloponeso. Regiões semi-áridas e áridas Modelo • Foi relatada por Tucídides: Histerese calores, sufocamento, Glóris e Misérias convulsões , necroses dos dedos, ..morte. • 1/3 da população foi dizimada. Pericles, inclusive.
  8. 8. Métodos Matemáticos em Biologia de Populações Epidemias: histórias R.A. Kraenkel Parta logo, vá para longe e tarde em voltar. (Hipócrates). Epidemias Histórias... Modelos A Peste de Atenas. Glórias e Misérias • A peste de Atenas foi uma Vegetação em epidemia que grassou em regiões 430(AC) em Atenas, durante Semi-áridas a Guerra do Peloponeso. Regiões semi-áridas e áridas Modelo • Foi relatada por Tucídides: Histerese calores, sufocamento, Glóris e Misérias convulsões , necroses dos dedos, ..morte. • 1/3 da população foi dizimada. Pericles, inclusive. • Não se sabe que doença foi a causadora da epidemia.
  9. 9. Métodos Matemáticos em Biologia de Populações Epidemias: histórias R.A. Kraenkel Parta logo, vá para longe e tarde em voltar. (Hipócrates). Epidemias Histórias... Modelos A Peste de Atenas. Glórias e Misérias • A peste de Atenas foi uma Vegetação em epidemia que grassou em regiões 430(AC) em Atenas, durante Semi-áridas a Guerra do Peloponeso. Regiões semi-áridas e áridas Modelo • Foi relatada por Tucídides: Histerese calores, sufocamento, Glóris e Misérias convulsões , necroses dos dedos, ..morte. • 1/3 da população foi dizimada. Pericles, inclusive. • Não se sabe que doença foi a causadora da epidemia.Tifo epidêmico é a mais provável. transmitida entre animais e o homem por meio de piolhos.
  10. 10. Métodos Matemáticos em Biologia de Populações Epidemias: histórias R.A. Kraenkel Parta logo, vá para longe e tarde em voltar. (Hipócrates). Epidemias Histórias... Modelos A Peste de Atenas. Glórias e Misérias • A peste de Atenas foi uma Vegetação em epidemia que grassou em regiões 430(AC) em Atenas, durante Semi-áridas a Guerra do Peloponeso. Regiões semi-áridas e áridas Modelo • Foi relatada por Tucídides: Histerese calores, sufocamento, Glóris e Misérias convulsões , necroses dos dedos, ..morte. • 1/3 da população foi dizimada. Pericles, inclusive. • Não se sabe que doença foi a causadora da epidemia.Tifo epidêmico é a mais provável. transmitida entre animais e o homem por meio de piolhos. • A epidemia aparentemente veio se alastrando a partir da África.
  11. 11. Métodos Matemáticos em Biologia de Populações Epidemias: histórias R.A. Kraenkel Parta logo, vá para longe e tarde em voltar. (Hipócrates). Epidemias Histórias... Modelos A Peste de Atenas. Glórias e Misérias • A peste de Atenas foi uma Vegetação em epidemia que grassou em regiões 430(AC) em Atenas, durante Semi-áridas a Guerra do Peloponeso. Regiões semi-áridas e áridas Modelo • Foi relatada por Tucídides: Histerese calores, sufocamento, Glóris e Misérias convulsões , necroses dos dedos, ..morte. • 1/3 da população foi dizimada. Pericles, inclusive. • Não se sabe que doença foi a causadora da epidemia.Tifo epidêmico é a mais provável. transmitida entre animais e o homem por meio de piolhos. • A epidemia aparentemente veio se alastrando a partir da África.
  12. 12. Métodos Matemáticos em Biologia de Populações Epidemias: histórias R.A. Kraenkel Dizem alguns que a única garantia contra os germes é a fuga. (Bocaccio, no Decameron). Epidemias Histórias... Modelos Glórias e Misérias A Peste. Vegetação em • A peste é uma doença regiões Semi-áridas infecciosa causada pela Regiões semi-áridas e áridas bactéria Yersinia pestis. Modelo Histerese Glóris e Misérias
  13. 13. Métodos Matemáticos em Biologia de Populações Epidemias: histórias R.A. Kraenkel Dizem alguns que a única garantia contra os germes é a fuga. (Bocaccio, no Decameron). Epidemias Histórias... Modelos Glórias e Misérias A Peste. Vegetação em • A peste é uma doença regiões Semi-áridas infecciosa causada pela Regiões semi-áridas e áridas bactéria Yersinia pestis.Há Modelo três formas; Histerese Glóris e Misérias
  14. 14. Métodos Matemáticos em Biologia de Populações Epidemias: histórias R.A. Kraenkel Dizem alguns que a única garantia contra os germes é a fuga. (Bocaccio, no Decameron). Epidemias Histórias... Modelos Glórias e Misérias A Peste. Vegetação em • A peste é uma doença regiões Semi-áridas infecciosa causada pela Regiões semi-áridas e áridas bactéria Yersinia pestis.Há Modelo três formas; Histerese Glóris e Misérias • pneumônica, afetando os pulmões e sendo transmissível entre humanos.
  15. 15. Métodos Matemáticos em Biologia de Populações Epidemias: histórias R.A. Kraenkel Dizem alguns que a única garantia contra os germes é a fuga. (Bocaccio, no Decameron). Epidemias Histórias... Modelos Glórias e Misérias A Peste. Vegetação em • A peste é uma doença regiões Semi-áridas infecciosa causada pela Regiões semi-áridas e áridas bactéria Yersinia pestis.Há Modelo três formas; Histerese Glóris e Misérias • pneumônica, afetando os pulmões e sendo transmissível entre humanos. • bubônica, inflamando os gânglios, transmitida por pulgas infectadas a aprtir de ratos.
  16. 16. Métodos Matemáticos em Biologia de Populações Epidemias: histórias R.A. Kraenkel Dizem alguns que a única garantia contra os germes é a fuga. (Bocaccio, no Decameron). Epidemias Histórias... Modelos Glórias e Misérias A Peste. Vegetação em • A peste é uma doença regiões Semi-áridas infecciosa causada pela Regiões semi-áridas e áridas bactéria Yersinia pestis.Há Modelo três formas; Histerese Glóris e Misérias • pneumônica, afetando os pulmões e sendo transmissível entre humanos. • bubônica, inflamando os gânglios, transmitida por pulgas infectadas a aprtir de ratos. • septisêmica, espalhando para todos os órgãos pela corrente sangüínea.
  17. 17. Métodos Matemáticos em Biologia de Populações Epidemias: histórias R.A. Kraenkel Dizem alguns que a única garantia contra os germes é a fuga. (Bocaccio, no Decameron). Epidemias Histórias... Modelos Glórias e Misérias A Peste. Vegetação em • A peste é uma doença regiões Semi-áridas infecciosa causada pela Regiões semi-áridas e áridas bactéria Yersinia pestis.Há Modelo três formas; Histerese Glóris e Misérias • pneumônica, afetando os pulmões e sendo transmissível entre humanos. • bubônica, inflamando os gânglios, transmitida por pulgas infectadas a aprtir de ratos. • septisêmica, espalhando para todos os órgãos pela corrente sangüínea. • Não tratadas, são fatais.
  18. 18. Métodos Matemáticos em Biologia de Populações Epidemias: histórias R.A. Kraenkel Dizem alguns que a única garantia contra os germes é a fuga. (Bocaccio, no Decameron). Epidemias Histórias... Modelos Glórias e Misérias A Peste. Vegetação em • A peste é uma doença regiões Semi-áridas infecciosa causada pela Regiões semi-áridas e áridas bactéria Yersinia pestis.Há Modelo três formas; Histerese Glóris e Misérias • pneumônica, afetando os pulmões e sendo transmissível entre humanos. • bubônica, inflamando os gânglios, transmitida por pulgas infectadas a aprtir de ratos. • septisêmica, espalhando para todos os órgãos pela corrente sangüínea. • Não tratadas, são fatais.Antibióticos são eficientes contra a peste .
  19. 19. Métodos Matemáticos em Biologia de Populações Epidemias: histórias R.A. Kraenkel Dizem alguns que a única garantia contra os germes é a fuga. (Bocaccio, no Decameron). Epidemias Histórias... Modelos Glórias e Misérias A Peste. Vegetação em • A peste é uma doença regiões Semi-áridas infecciosa causada pela Regiões semi-áridas e áridas bactéria Yersinia pestis.Há Modelo três formas; Histerese Glóris e Misérias • pneumônica, afetando os pulmões e sendo transmissível entre humanos. • bubônica, inflamando os gânglios, transmitida por pulgas infectadas a aprtir de ratos. • septisêmica, espalhando para todos os órgãos pela corrente sangüínea. • Não tratadas, são fatais.Antibióticos são eficientes contra a peste . • Devem ser ministrados em poucas horas...
  20. 20. Métodos Matemáticos em Biologia de Populações Epidemias: histórias. R.A. Kraenkel A chegada, o progresso e o resultado da doença, tudo era questão de meia-hora. Epidemias (E.A. Poe, em A Máscara da Morte Vermelha). Histórias... Modelos Glórias e Misérias A Peste. Vegetação em regiões Semi-áridas Regiões semi-áridas e áridas Modelo Histerese Glóris e Misérias
  21. 21. Métodos Matemáticos em Biologia de Populações Epidemias: histórias. R.A. Kraenkel A chegada, o progresso e o resultado da doença, tudo era questão de meia-hora. Epidemias (E.A. Poe, em A Máscara da Morte Vermelha). Histórias... Modelos Glórias e Misérias A Peste. Vegetação em regiões • Houve três grandes Semi-áridas pandemias de peste; Regiões semi-áridas e áridas Modelo Histerese Glóris e Misérias
  22. 22. Métodos Matemáticos em Biologia de Populações Epidemias: histórias. R.A. Kraenkel A chegada, o progresso e o resultado da doença, tudo era questão de meia-hora. Epidemias (E.A. Poe, em A Máscara da Morte Vermelha). Histórias... Modelos Glórias e Misérias A Peste. Vegetação em regiões • Houve três grandes Semi-áridas pandemias de peste; Regiões semi-áridas e áridas • A peste de Justiniano, (541 Modelo D.C.), espalhando-se a partir Histerese de Constantinopla e matando Glóris e Misérias 25% da população da região mediterrânea.
  23. 23. Métodos Matemáticos em Biologia de Populações Epidemias: histórias. R.A. Kraenkel A chegada, o progresso e o resultado da doença, tudo era questão de meia-hora. Epidemias (E.A. Poe, em A Máscara da Morte Vermelha). Histórias... Modelos Glórias e Misérias A Peste. Vegetação em regiões • Houve três grandes Semi-áridas pandemias de peste; Regiões semi-áridas e áridas • A peste de Justiniano, (541 Modelo D.C.), espalhando-se a partir Histerese de Constantinopla e matando Glóris e Misérias 25% da população da região mediterrânea. • A peste negra, (1347), entrando pela Sicília, matou 1/3 da população européia.
  24. 24. Métodos Matemáticos em Biologia de Populações Epidemias: histórias. R.A. Kraenkel A chegada, o progresso e o resultado da doença, tudo era questão de meia-hora. Epidemias (E.A. Poe, em A Máscara da Morte Vermelha). Histórias... Modelos Glórias e Misérias A Peste. Vegetação em regiões • Houve três grandes Semi-áridas pandemias de peste; Regiões semi-áridas e áridas • A peste de Justiniano, (541 Modelo D.C.), espalhando-se a partir Histerese de Constantinopla e matando Glóris e Misérias 25% da população da região mediterrânea. • A peste negra, (1347), entrando pela Sicília, matou 1/3 da população européia. • A terceira pandemia, começando na China em 1855 e matando 12 milhões de pessoas na China e Índia.
  25. 25. Métodos Matemáticos em Biologia de Populações Epidemias: histórias. R.A. Kraenkel A chegada, o progresso e o resultado da doença, tudo era questão de meia-hora. Epidemias (E.A. Poe, em A Máscara da Morte Vermelha). Histórias... Modelos Glórias e Misérias A Peste. Vegetação em regiões • Houve três grandes Semi-áridas pandemias de peste; Regiões semi-áridas e áridas • A peste de Justiniano, (541 Modelo D.C.), espalhando-se a partir Histerese de Constantinopla e matando Glóris e Misérias 25% da população da região mediterrânea. • A peste negra, (1347), entrando pela Sicília, matou 1/3 da população européia. • A terceira pandemia, começando na China em 1855 e matando 12 milhões de pessoas na China e Índia. • Ainda existe a peste hoje em dia, mas não de forma epidêmica.
  26. 26. Métodos Matemáticos em Biologia de Populações Epidemias: histórias. R.A. Kraenkel A chegada, o progresso e o resultado da doença, tudo era questão de meia-hora. Epidemias (E.A. Poe, em A Máscara da Morte Vermelha). Histórias... Modelos Glórias e Misérias A Peste. Vegetação em regiões • Houve três grandes Semi-áridas pandemias de peste; Regiões semi-áridas e áridas • A peste de Justiniano, (541 Modelo D.C.), espalhando-se a partir Histerese de Constantinopla e matando Glóris e Misérias 25% da população da região mediterrânea. • A peste negra, (1347), entrando pela Sicília, matou 1/3 da população européia. • A terceira pandemia, começando na China em 1855 e matando 12 milhões de pessoas na China e Índia. • Ainda existe a peste hoje em dia, mas não de forma epidêmica. Entre 1987 e 2001 houve 2847 mortes por peste no mundo.
  27. 27. Métodos Matemáticos em Biologia de Populações Epidemias: histórias. R.A. Kraenkel A chegada, o progresso e o resultado da doença, tudo era questão de meia-hora. Epidemias (E.A. Poe, em A Máscara da Morte Vermelha). Histórias... Modelos Glórias e Misérias A Peste. Vegetação em regiões • Houve três grandes Semi-áridas pandemias de peste; Regiões semi-áridas e áridas • A peste de Justiniano, (541 Modelo D.C.), espalhando-se a partir Histerese de Constantinopla e matando Glóris e Misérias 25% da população da região mediterrânea. • A peste negra, (1347), entrando pela Sicília, matou 1/3 da população européia. • A terceira pandemia, começando na China em 1855 e matando 12 milhões de pessoas na China e Índia. • Ainda existe a peste hoje em dia, mas não de forma epidêmica. Entre 1987 e 2001 houve 2847 mortes por peste no mundo.
  28. 28. Métodos Matemáticos em Biologia de Populações Epidemias: histórias R.A. Kraenkel Algumas Grandes Epidemias Epidemias Histórias... Modelos Glórias e Misérias Vegetação em regiões Semi-áridas Regiões semi-áridas e áridas Modelo Histerese Glóris e Misérias Figure: A peste no Brasil de 1980 a 2005. A maioria dos casos e dá em áreas rurais do Nordeste e de Minas Gerais. Entre 1980 e 2005, houve seis mortes.
  29. 29. Métodos Matemáticos em Biologia de Populações Epidemias: histórias R.A. Kraenkel Algumas Grandes Epidemias Epidemias Histórias... Modelos Glórias e Misérias Vegetação em regiões Semi-áridas Regiões semi-áridas e áridas Modelo Histerese Glóris e Misérias Figure: A peste no Brasil de 1980 a 2005. A maioria dos casos e dá em áreas rurais do Nordeste e de Minas Gerais. Entre 1980 e 2005, houve seis mortes.
  30. 30. Métodos Matemáticos em Biologia de Populações Epidemias: histórias R.A. Kraenkel Algumas Grandes Epidemias Epidemias Histórias... Modelos Glórias e Misérias Vegetação em regiões Semi-áridas Regiões semi-áridas e áridas Modelo Histerese Glóris e Misérias Figure: A peste no Brasil de 1980 a 2005.
  31. 31. Métodos Matemáticos em Biologia de Populações Epidemias: histórias R.A. Kraenkel Algumas Grandes Epidemias Epidemias Histórias... Modelos Glórias e Misérias Vegetação em regiões Semi-áridas Regiões semi-áridas e áridas Modelo Histerese Glóris e Misérias Figure: A peste no Brasil de 1980 a 2005. A maioria dos casos e dá em áreas rurais do Nordeste e de Minas Gerais.
  32. 32. Métodos Matemáticos em Biologia de Populações Epidemias: histórias R.A. Kraenkel Algumas Grandes Epidemias Epidemias Histórias... Modelos Glórias e Misérias Vegetação em regiões Semi-áridas Regiões semi-áridas e áridas Modelo Histerese Glóris e Misérias Figure: A peste no Brasil de 1980 a 2005. A maioria dos casos e dá em áreas rurais do Nordeste e de Minas Gerais. Entre 1980 e 2005, houve seis mortes.
  33. 33. Métodos Matemáticos em Biologia de Populações Epidemias: histórias R.A. Kraenkel Epidemias Aqueles dias, ninguém que os tenha vivido poderá jamais esquecê-los. (Pedro Histórias... Dantas). Modelos Glórias e Misérias Vegetação em A Gripe Espanhola. regiões Semi-áridas Regiões semi-áridas e áridas Modelo Histerese Glóris e Misérias
  34. 34. Métodos Matemáticos em Biologia de Populações Epidemias: histórias R.A. Kraenkel Epidemias Aqueles dias, ninguém que os tenha vivido poderá jamais esquecê-los. (Pedro Histórias... Dantas). Modelos Glórias e Misérias Vegetação em A Gripe Espanhola. regiões Semi-áridas • A gripe espanhola foi uma epidemia do virus da gripe Regiões semi-áridas e (influenza A) particularmente severa e mortífera. áridas Modelo Histerese Glóris e Misérias
  35. 35. Métodos Matemáticos em Biologia de Populações Epidemias: histórias R.A. Kraenkel Epidemias Aqueles dias, ninguém que os tenha vivido poderá jamais esquecê-los. (Pedro Histórias... Dantas). Modelos Glórias e Misérias Vegetação em A Gripe Espanhola. regiões Semi-áridas • A gripe espanhola foi uma epidemia do virus da gripe Regiões semi-áridas e (influenza A) particularmente severa e mortífera. áridas Modelo • Ocorreu entre 1918 e 1919. Histerese Glóris e Misérias
  36. 36. Métodos Matemáticos em Biologia de Populações Epidemias: histórias R.A. Kraenkel Epidemias Aqueles dias, ninguém que os tenha vivido poderá jamais esquecê-los. (Pedro Histórias... Dantas). Modelos Glórias e Misérias Vegetação em A Gripe Espanhola. regiões Semi-áridas • A gripe espanhola foi uma epidemia do virus da gripe Regiões semi-áridas e (influenza A) particularmente severa e mortífera. áridas Modelo • Ocorreu entre 1918 e 1919. Histerese • Atingiu praticamente todas as regiões do mundo. Glóris e Misérias
  37. 37. Métodos Matemáticos em Biologia de Populações Epidemias: histórias R.A. Kraenkel Epidemias Aqueles dias, ninguém que os tenha vivido poderá jamais esquecê-los. (Pedro Histórias... Dantas). Modelos Glórias e Misérias Vegetação em A Gripe Espanhola. regiões Semi-áridas • A gripe espanhola foi uma epidemia do virus da gripe Regiões semi-áridas e (influenza A) particularmente severa e mortífera. áridas Modelo • Ocorreu entre 1918 e 1919. Histerese • Atingiu praticamente todas as regiões do mundo. Glóris e Misérias • Ao redor de 50 milhões de pessoas morreram. 500 milhões (1/3 da população do mundo) foram infectadas.
  38. 38. Métodos Matemáticos em Biologia de Populações Epidemias: histórias R.A. Kraenkel Epidemias Aqueles dias, ninguém que os tenha vivido poderá jamais esquecê-los. (Pedro Histórias... Dantas). Modelos Glórias e Misérias Vegetação em A Gripe Espanhola. regiões Semi-áridas • A gripe espanhola foi uma epidemia do virus da gripe Regiões semi-áridas e (influenza A) particularmente severa e mortífera. áridas Modelo • Ocorreu entre 1918 e 1919. Histerese • Atingiu praticamente todas as regiões do mundo. Glóris e Misérias • Ao redor de 50 milhões de pessoas morreram. 500 milhões (1/3 da população do mundo) foram infectadas. • A doença se transmite de pessoa para pessoa.
  39. 39. Métodos Matemáticos em Biologia de Populações Epidemias: histórias R.A. Kraenkel Epidemias Aqueles dias, ninguém que os tenha vivido poderá jamais esquecê-los. (Pedro Histórias... Dantas). Modelos Glórias e Misérias Vegetação em A Gripe Espanhola. regiões Semi-áridas • A gripe espanhola foi uma epidemia do virus da gripe Regiões semi-áridas e (influenza A) particularmente severa e mortífera. áridas Modelo • Ocorreu entre 1918 e 1919. Histerese • Atingiu praticamente todas as regiões do mundo. Glóris e Misérias • Ao redor de 50 milhões de pessoas morreram. 500 milhões (1/3 da população do mundo) foram infectadas. • A doença se transmite de pessoa para pessoa. • Em São Paulo, a primeira morte ocorreu em 21 de outubro de 1918.
  40. 40. Métodos Matemáticos em Biologia de Populações Epidemias: histórias R.A. Kraenkel Epidemias Aqueles dias, ninguém que os tenha vivido poderá jamais esquecê-los. (Pedro Histórias... Dantas). Modelos Glórias e Misérias Vegetação em A Gripe Espanhola. regiões Semi-áridas • A gripe espanhola foi uma epidemia do virus da gripe Regiões semi-áridas e (influenza A) particularmente severa e mortífera. áridas Modelo • Ocorreu entre 1918 e 1919. Histerese • Atingiu praticamente todas as regiões do mundo. Glóris e Misérias • Ao redor de 50 milhões de pessoas morreram. 500 milhões (1/3 da população do mundo) foram infectadas. • A doença se transmite de pessoa para pessoa. • Em São Paulo, a primeira morte ocorreu em 21 de outubro de 1918.Em final de novembro, a epidemia já definhava.
  41. 41. Métodos Matemáticos em Biologia de Populações Epidemias: histórias R.A. Kraenkel Epidemias Aqueles dias, ninguém que os tenha vivido poderá jamais esquecê-los. (Pedro Histórias... Dantas). Modelos Glórias e Misérias Vegetação em A Gripe Espanhola. regiões Semi-áridas • A gripe espanhola foi uma epidemia do virus da gripe Regiões semi-áridas e (influenza A) particularmente severa e mortífera. áridas Modelo • Ocorreu entre 1918 e 1919. Histerese • Atingiu praticamente todas as regiões do mundo. Glóris e Misérias • Ao redor de 50 milhões de pessoas morreram. 500 milhões (1/3 da população do mundo) foram infectadas. • A doença se transmite de pessoa para pessoa. • Em São Paulo, a primeira morte ocorreu em 21 de outubro de 1918.Em final de novembro, a epidemia já definhava. • O Carnaval de 1919 ficou famoso pela euforia!
  42. 42. Métodos Matemáticos em Biologia de Populações Epidemias: histórias R.A. Kraenkel Epidemias Aqueles dias, ninguém que os tenha vivido poderá jamais esquecê-los. (Pedro Histórias... Dantas). Modelos Glórias e Misérias Vegetação em A Gripe Espanhola. regiões Semi-áridas • A gripe espanhola foi uma epidemia do virus da gripe Regiões semi-áridas e (influenza A) particularmente severa e mortífera. áridas Modelo • Ocorreu entre 1918 e 1919. Histerese • Atingiu praticamente todas as regiões do mundo. Glóris e Misérias • Ao redor de 50 milhões de pessoas morreram. 500 milhões (1/3 da população do mundo) foram infectadas. • A doença se transmite de pessoa para pessoa. • Em São Paulo, a primeira morte ocorreu em 21 de outubro de 1918.Em final de novembro, a epidemia já definhava. • O Carnaval de 1919 ficou famoso pela euforia! • Fim da gripe espanhola.
  43. 43. Métodos Matemáticos em Biologia de Populações Epidemias: histórias R.A. Kraenkel Epidemias Aqueles dias, ninguém que os tenha vivido poderá jamais esquecê-los. (Pedro Histórias... Dantas). Modelos Glórias e Misérias Vegetação em A Gripe Espanhola. regiões Semi-áridas • A gripe espanhola foi uma epidemia do virus da gripe Regiões semi-áridas e (influenza A) particularmente severa e mortífera. áridas Modelo • Ocorreu entre 1918 e 1919. Histerese • Atingiu praticamente todas as regiões do mundo. Glóris e Misérias • Ao redor de 50 milhões de pessoas morreram. 500 milhões (1/3 da população do mundo) foram infectadas. • A doença se transmite de pessoa para pessoa. • Em São Paulo, a primeira morte ocorreu em 21 de outubro de 1918.Em final de novembro, a epidemia já definhava. • O Carnaval de 1919 ficou famoso pela euforia! • Fim da gripe espanhola. • Fim da Grande Guerra.
  44. 44. Métodos Matemáticos em Biologia de Populações Epidemias: histórias R.A. Kraenkel Epidemias Aqueles dias, ninguém que os tenha vivido poderá jamais esquecê-los. (Pedro Histórias... Dantas). Modelos Glórias e Misérias Vegetação em A Gripe Espanhola. regiões Semi-áridas • A gripe espanhola foi uma epidemia do virus da gripe Regiões semi-áridas e (influenza A) particularmente severa e mortífera. áridas Modelo • Ocorreu entre 1918 e 1919. Histerese • Atingiu praticamente todas as regiões do mundo. Glóris e Misérias • Ao redor de 50 milhões de pessoas morreram. 500 milhões (1/3 da população do mundo) foram infectadas. • A doença se transmite de pessoa para pessoa. • Em São Paulo, a primeira morte ocorreu em 21 de outubro de 1918.Em final de novembro, a epidemia já definhava. • O Carnaval de 1919 ficou famoso pela euforia! • Fim da gripe espanhola. • Fim da Grande Guerra. • Tudo de bom!.
  45. 45. Métodos Matemáticos em Biologia de Populações Modelos Matemáticos R.A. Kraenkel Epidemias Histórias... Modelo Simples: hipóteses Modelos Glórias e Misérias • Para constrir um modelo matemático elementar para uma Vegetação em regiões epidemia vamos começar com algumas simplificações . Semi-áridas Regiões semi-áridas e áridas Modelo Histerese Glóris e Misérias
  46. 46. Métodos Matemáticos em Biologia de Populações Modelos Matemáticos R.A. Kraenkel Epidemias Histórias... Modelo Simples: hipóteses Modelos Glórias e Misérias • Para constrir um modelo matemático elementar para uma Vegetação em regiões epidemia vamos começar com algumas simplificações . Semi-áridas Regiões semi-áridas e • A população tem um número constante de indivíduos. áridas Modelo Histerese Glóris e Misérias
  47. 47. Métodos Matemáticos em Biologia de Populações Modelos Matemáticos R.A. Kraenkel Epidemias Histórias... Modelo Simples: hipóteses Modelos Glórias e Misérias • Para constrir um modelo matemático elementar para uma Vegetação em regiões epidemia vamos começar com algumas simplificações . Semi-áridas Regiões semi-áridas e • A população tem um número constante de indivíduos. áridas Modelo • A população é espacialmente homogênea. Histerese Glóris e Misérias
  48. 48. Métodos Matemáticos em Biologia de Populações Modelos Matemáticos R.A. Kraenkel Epidemias Histórias... Modelo Simples: hipóteses Modelos Glórias e Misérias • Para constrir um modelo matemático elementar para uma Vegetação em regiões epidemia vamos começar com algumas simplificações . Semi-áridas Regiões semi-áridas e • A população tem um número constante de indivíduos. áridas Modelo • A população é espacialmente homogênea. Histerese Glóris e Misérias • Com isto, definimos implicitamente estalas de tempo e de espaço para o nosso modelo.
  49. 49. Métodos Matemáticos em Biologia de Populações Modelos Matemáticos R.A. Kraenkel Epidemias Histórias... Modelo Simples: hipóteses Modelos Glórias e Misérias • Para constrir um modelo matemático elementar para uma Vegetação em regiões epidemia vamos começar com algumas simplificações . Semi-áridas Regiões semi-áridas e • A população tem um número constante de indivíduos. áridas Modelo • A população é espacialmente homogênea. Histerese Glóris e Misérias • Com isto, definimos implicitamente estalas de tempo e de espaço para o nosso modelo. • Dividimos os indivíduos de nossa população em três categorias:
  50. 50. Métodos Matemáticos em Biologia de Populações Modelos Matemáticos R.A. Kraenkel Epidemias Histórias... Modelo Simples: hipóteses Modelos Glórias e Misérias • Para constrir um modelo matemático elementar para uma Vegetação em regiões epidemia vamos começar com algumas simplificações . Semi-áridas Regiões semi-áridas e • A população tem um número constante de indivíduos. áridas Modelo • A população é espacialmente homogênea. Histerese Glóris e Misérias • Com isto, definimos implicitamente estalas de tempo e de espaço para o nosso modelo. • Dividimos os indivíduos de nossa população em três categorias: • S susceptíveis;
  51. 51. Métodos Matemáticos em Biologia de Populações Modelos Matemáticos R.A. Kraenkel Epidemias Histórias... Modelo Simples: hipóteses Modelos Glórias e Misérias • Para constrir um modelo matemático elementar para uma Vegetação em regiões epidemia vamos começar com algumas simplificações . Semi-áridas Regiões semi-áridas e • A população tem um número constante de indivíduos. áridas Modelo • A população é espacialmente homogênea. Histerese Glóris e Misérias • Com isto, definimos implicitamente estalas de tempo e de espaço para o nosso modelo. • Dividimos os indivíduos de nossa população em três categorias: • S susceptíveis; • I infectados;
  52. 52. Métodos Matemáticos em Biologia de Populações Modelos Matemáticos R.A. Kraenkel Epidemias Histórias... Modelo Simples: hipóteses Modelos Glórias e Misérias • Para constrir um modelo matemático elementar para uma Vegetação em regiões epidemia vamos começar com algumas simplificações . Semi-áridas Regiões semi-áridas e • A população tem um número constante de indivíduos. áridas Modelo • A população é espacialmente homogênea. Histerese Glóris e Misérias • Com isto, definimos implicitamente estalas de tempo e de espaço para o nosso modelo. • Dividimos os indivíduos de nossa população em três categorias: • S susceptíveis; • I infectados; • R recuperados (imunes ou falecidos)
  53. 53. Métodos Matemáticos em Biologia de Populações Modelos Matemáticos R.A. Kraenkel Epidemias Histórias... Modelo Simples: hipóteses Modelos Glórias e Misérias • Para constrir um modelo matemático elementar para uma Vegetação em regiões epidemia vamos começar com algumas simplificações . Semi-áridas Regiões semi-áridas e • A população tem um número constante de indivíduos. áridas Modelo • A população é espacialmente homogênea. Histerese Glóris e Misérias • Com isto, definimos implicitamente estalas de tempo e de espaço para o nosso modelo. • Dividimos os indivíduos de nossa população em três categorias: • S susceptíveis; • I infectados; • R recuperados (imunes ou falecidos)
  54. 54. Métodos Matemáticos em Biologia de Populações Modelo de Kermack & R.A. Kraenkel McKendrick (1927) Epidemias Histórias... Modelos Glórias e Misérias Vegetação em regiões Semi-áridas Regiões semi-áridas e áridas A taxa de variação per capita dos susceptíveis é proporcional ao Modelo Histerese número de infectados: Glóris e Misérias dS = −rSI dt sendo r a taxa de infecção .
  55. 55. Métodos Matemáticos em Biologia de Populações Modelo de Kermack & R.A. Kraenkel McKendrick (1927) Epidemias Histórias... Modelos Glórias e Misérias Vegetação em regiões A taxa de variação per capita dos infectados é proporcional ao Semi-áridas Regiões semi-áridas e número de infectados menos a taxa de remoção (recuperados áridas Modelo imunes ou mortos). Histerese Glóris e Misérias dS = −rSI dt dI = −rSI − aI dt
  56. 56. Métodos Matemáticos em Biologia de Populações Modelo de Kermack & R.A. Kraenkel McKendrick (1927) Epidemias Histórias... Modelos Glórias e Misérias Vegetação em A taxa de variação per capita dos recuperados é constante. regiões Semi-áridas dS Regiões semi-áridas e áridas = −rSI Modelo dt Histerese Glóris e Misérias dI = −rSI − aI dt dR = aI dt
  57. 57. Métodos Matemáticos em Biologia de Populações Modelo de Kermack & R.A. Kraenkel McKendrick (1927) Epidemias Histórias... Modelos Glórias e Misérias Temos portanto três equações para três variáveis: Vegetação em regiões Semi-áridas dS Regiões semi-áridas e = −rSI áridas Modelo dt Histerese Glóris e Misérias dI = −rSI − aI dt dR = aI dt A NALISEMOS - LAS !
  58. 58. Métodos Matemáticos em Biologia de Populações Análise do modelo I R.A. Kraenkel dS dI dR Epidemias dt = −rSI dt = −rSI − aI dt = aI Histórias... Modelos Glórias e Misérias Vegetação em regiões Semi-áridas Regiões semi-áridas e áridas Modelo Histerese Glóris e Misérias
  59. 59. Métodos Matemáticos em Biologia de Populações Análise do modelo I R.A. Kraenkel dS dI dR Epidemias dt = −rSI dt = −rSI − aI dt = aI Histórias... Modelos Glórias e Misérias • Primeiramente notemos que, se somarmos as três equações Vegetação em regiões teremos: Semi-áridas Regiões semi-áridas e áridas Modelo Histerese Glóris e Misérias
  60. 60. Métodos Matemáticos em Biologia de Populações Análise do modelo I R.A. Kraenkel dS dI dR Epidemias dt = −rSI dt = −rSI − aI dt = aI Histórias... Modelos Glórias e Misérias • Primeiramente notemos que, se somarmos as três equações Vegetação em regiões teremos: Semi-áridas Regiões semi-áridas e d(S + I + R) áridas =0 Modelo Histerese dt Glóris e Misérias
  61. 61. Métodos Matemáticos em Biologia de Populações Análise do modelo I R.A. Kraenkel dS dI dR Epidemias dt = −rSI dt = −rSI − aI dt = aI Histórias... Modelos Glórias e Misérias • Primeiramente notemos que, se somarmos as três equações Vegetação em regiões teremos: Semi-áridas Regiões semi-áridas e d(S + I + R) áridas = 0⇒S + I + R = N Modelo Histerese dt Glóris e Misérias onde N é a população total, constante.
  62. 62. Métodos Matemáticos em Biologia de Populações Análise do modelo I R.A. Kraenkel dS dI dR Epidemias dt = −rSI dt = −rSI − aI dt = aI Histórias... Modelos Glórias e Misérias • Primeiramente notemos que, se somarmos as três equações Vegetação em regiões teremos: Semi-áridas Regiões semi-áridas e d(S + I + R) áridas = 0⇒S + I + R = N Modelo Histerese dt Glóris e Misérias onde N é a população total, constante. • Vamos ser mais precisos no problema que queremos analisar:
  63. 63. Métodos Matemáticos em Biologia de Populações Análise do modelo I R.A. Kraenkel dS dI dR Epidemias dt = −rSI dt = −rSI − aI dt = aI Histórias... Modelos Glórias e Misérias • Primeiramente notemos que, se somarmos as três equações Vegetação em regiões teremos: Semi-áridas Regiões semi-áridas e d(S + I + R) áridas = 0⇒S + I + R = N Modelo Histerese dt Glóris e Misérias onde N é a população total, constante. • Vamos ser mais precisos no problema que queremos analisar: • Inicialmente, em t = 0, temos:
  64. 64. Métodos Matemáticos em Biologia de Populações Análise do modelo I R.A. Kraenkel dS dI dR Epidemias dt = −rSI dt = −rSI − aI dt = aI Histórias... Modelos Glórias e Misérias • Primeiramente notemos que, se somarmos as três equações Vegetação em regiões teremos: Semi-áridas Regiões semi-áridas e d(S + I + R) áridas = 0⇒S + I + R = N Modelo Histerese dt Glóris e Misérias onde N é a população total, constante. • Vamos ser mais precisos no problema que queremos analisar: • Inicialmente, em t = 0, temos: S(0) = S0 ,
  65. 65. Métodos Matemáticos em Biologia de Populações Análise do modelo I R.A. Kraenkel dS dI dR Epidemias dt = −rSI dt = −rSI − aI dt = aI Histórias... Modelos Glórias e Misérias • Primeiramente notemos que, se somarmos as três equações Vegetação em regiões teremos: Semi-áridas Regiões semi-áridas e d(S + I + R) áridas = 0⇒S + I + R = N Modelo Histerese dt Glóris e Misérias onde N é a população total, constante. • Vamos ser mais precisos no problema que queremos analisar: • Inicialmente, em t = 0, temos: S(0) = S0 , I(0) = I0 e
  66. 66. Métodos Matemáticos em Biologia de Populações Análise do modelo I R.A. Kraenkel dS dI dR Epidemias dt = −rSI dt = −rSI − aI dt = aI Histórias... Modelos Glórias e Misérias • Primeiramente notemos que, se somarmos as três equações Vegetação em regiões teremos: Semi-áridas Regiões semi-áridas e d(S + I + R) áridas = 0⇒S + I + R = N Modelo Histerese dt Glóris e Misérias onde N é a população total, constante. • Vamos ser mais precisos no problema que queremos analisar: • Inicialmente, em t = 0, temos: S(0) = S0 , I(0) = I0 e R(0) = 0 .
  67. 67. Métodos Matemáticos em Biologia de Populações Análise do modelo I R.A. Kraenkel dS dI dR Epidemias dt = −rSI dt = −rSI − aI dt = aI Histórias... Modelos Glórias e Misérias • Primeiramente notemos que, se somarmos as três equações Vegetação em regiões teremos: Semi-áridas Regiões semi-áridas e d(S + I + R) áridas = 0⇒S + I + R = N Modelo Histerese dt Glóris e Misérias onde N é a população total, constante. • Vamos ser mais precisos no problema que queremos analisar: • Inicialmente, em t = 0, temos: S(0) = S0 , I(0) = I0 e R(0) = 0 . • Ou seja, temos um certo núero de infectados (I0 ) e de susceptíiveis (S0 ).
  68. 68. Métodos Matemáticos em Biologia de Populações Análise do modelo I R.A. Kraenkel dS dI dR Epidemias dt = −rSI dt = −rSI − aI dt = aI Histórias... Modelos Glórias e Misérias • Primeiramente notemos que, se somarmos as três equações Vegetação em regiões teremos: Semi-áridas Regiões semi-áridas e d(S + I + R) áridas = 0⇒S + I + R = N Modelo Histerese dt Glóris e Misérias onde N é a população total, constante. • Vamos ser mais precisos no problema que queremos analisar: • Inicialmente, em t = 0, temos: S(0) = S0 , I(0) = I0 e R(0) = 0 . • Ou seja, temos um certo núero de infectados (I0 ) e de susceptíiveis (S0 ). • Dados r, a, S0 e I0 , queremos saber se haverá ou não uma epidemia.
  69. 69. Métodos Matemáticos em Biologia de Populações Análise do modelo I R.A. Kraenkel dS dI dR Epidemias dt = −rSI dt = −rSI − aI dt = aI Histórias... Modelos Glórias e Misérias • Primeiramente notemos que, se somarmos as três equações Vegetação em regiões teremos: Semi-áridas Regiões semi-áridas e d(S + I + R) áridas = 0⇒S + I + R = N Modelo Histerese dt Glóris e Misérias onde N é a população total, constante. • Vamos ser mais precisos no problema que queremos analisar: • Inicialmente, em t = 0, temos: S(0) = S0 , I(0) = I0 e R(0) = 0 . • Ou seja, temos um certo núero de infectados (I0 ) e de susceptíiveis (S0 ). • Dados r, a, S0 e I0 , queremos saber se haverá ou não uma epidemia. Ou seja, se I(t) > I0 para algum tempo t.
  70. 70. Métodos Matemáticos em Biologia de Populações Análise do modelo I R.A. Kraenkel dS dI dR Epidemias dt = −rSI dt = −rSI − aI dt = aI Histórias... Modelos Glórias e Misérias • Primeiramente notemos que, se somarmos as três equações Vegetação em regiões teremos: Semi-áridas Regiões semi-áridas e d(S + I + R) áridas = 0⇒S + I + R = N Modelo Histerese dt Glóris e Misérias onde N é a população total, constante. • Vamos ser mais precisos no problema que queremos analisar: • Inicialmente, em t = 0, temos: S(0) = S0 , I(0) = I0 e R(0) = 0 . • Ou seja, temos um certo núero de infectados (I0 ) e de susceptíiveis (S0 ). • Dados r, a, S0 e I0 , queremos saber se haverá ou não uma epidemia. Ou seja, se I(t) > I0 para algum tempo t.
  71. 71. Métodos Matemáticos em Biologia de Populações Análise do modelo II R.A. Kraenkel dS dI dR dt = −rSI dt = −rSI − aI dt = aI Epidemias Histórias... Modelos Glórias e Misérias Vegetação em regiões Semi-áridas Regiões semi-áridas e áridas Modelo Histerese Glóris e Misérias
  72. 72. Métodos Matemáticos em Biologia de Populações Análise do modelo II R.A. Kraenkel dS dI dR dt = −rSI dt = −rSI − aI dt = aI Epidemias Histórias... Modelos • Notemos inicialmente que em t = 0: Glórias e Misérias Vegetação em regiões Semi-áridas Regiões semi-áridas e áridas Modelo Histerese Glóris e Misérias
  73. 73. Métodos Matemáticos em Biologia de Populações Análise do modelo II R.A. Kraenkel dS dI dR dt = −rSI dt = −rSI − aI dt = aI Epidemias Histórias... Modelos • Notemos inicialmente que em t = 0: Glórias e Misérias » – Vegetação em dI regiões = −rS0 I0 − aI0 = −I0 (rS0 − a) Semi-áridas dt 0 Regiões semi-áridas e áridas Modelo Histerese Glóris e Misérias
  74. 74. Métodos Matemáticos em Biologia de Populações Análise do modelo II R.A. Kraenkel dS dI dR dt = −rSI dt = −rSI − aI dt = aI Epidemias Histórias... Modelos • Notemos inicialmente que em t = 0: Glórias e Misérias » – Vegetação em dI regiões = −rS0 I0 − aI0 = −I0 (rS0 − a) Semi-áridas dt 0 Regiões semi-áridas e áridas Modelo Histerese • Se S0 < a/r então Glóris e Misérias
  75. 75. Métodos Matemáticos em Biologia de Populações Análise do modelo II R.A. Kraenkel dS dI dR dt = −rSI dt = −rSI − aI dt = aI Epidemias Histórias... Modelos • Notemos inicialmente que em t = 0: Glórias e Misérias » – Vegetação em dI regiões = −rS0 I0 − aI0 = −I0 (rS0 − a) Semi-áridas dt 0 Regiões semi-áridas e áridas • Se S0 < a/r então Modelo ˆ dI ˜ Histerese dt 0 < 0. Glóris e Misérias
  76. 76. Métodos Matemáticos em Biologia de Populações Análise do modelo II R.A. Kraenkel dS dI dR dt = −rSI dt = −rSI − aI dt = aI Epidemias Histórias... Modelos • Notemos inicialmente que em t = 0: Glórias e Misérias » – Vegetação em dI regiões = −rS0 I0 − aI0 = −I0 (rS0 − a) Semi-áridas dt 0 Regiões semi-áridas e áridas • Se S0 < a/r então Modelo ˆ dI ˜ Histerese dt 0 < 0. Glóris e Misérias • Se S0 > a/r então
  77. 77. Métodos Matemáticos em Biologia de Populações Análise do modelo II R.A. Kraenkel dS dI dR dt = −rSI dt = −rSI − aI dt = aI Epidemias Histórias... Modelos • Notemos inicialmente que em t = 0: Glórias e Misérias » – Vegetação em dI regiões = −rS0 I0 − aI0 = −I0 (rS0 − a) Semi-áridas dt 0 Regiões semi-áridas e áridas • Se S0 < a/r então Modelo ˆ dI ˜ Histerese dt 0 < 0. Glóris e Misérias • Se S0 > a/r então ˆ dI ˜ dt 0 >0
  78. 78. Métodos Matemáticos em Biologia de Populações Análise do modelo II R.A. Kraenkel dS dI dR dt = −rSI dt = −rSI − aI dt = aI Epidemias Histórias... Modelos • Notemos inicialmente que em t = 0: Glórias e Misérias » – Vegetação em dI regiões = −rS0 I0 − aI0 = −I0 (rS0 − a) Semi-áridas dt 0 Regiões semi-áridas e áridas • Se S0 < a/r então Modelo ˆ dI ˜ Histerese dt 0 < 0. Glóris e Misérias • Se S0 > a/r então ˆ dI ˜ dt 0 > 0 (Epidemia!)
  79. 79. Métodos Matemáticos em Biologia de Populações Análise do modelo II R.A. Kraenkel dS dI dR dt = −rSI dt = −rSI − aI dt = aI Epidemias Histórias... Modelos • Notemos inicialmente que em t = 0: Glórias e Misérias » – Vegetação em dI regiões = −rS0 I0 − aI0 = −I0 (rS0 − a) Semi-áridas dt 0 Regiões semi-áridas e áridas • Se S0 < a/r então Modelo ˆ dI ˜ Histerese dt 0 < 0. Glóris e Misérias • Se S0 > a/r então dI 0 > 0 (Epidemia!) ˆ ˜ dt • Por outro lado, S < S0 para todo t, pois dS/dt < 0.
  80. 80. Métodos Matemáticos em Biologia de Populações Análise do modelo II R.A. Kraenkel dS dI dR dt = −rSI dt = −rSI − aI dt = aI Epidemias Histórias... Modelos • Notemos inicialmente que em t = 0: Glórias e Misérias » – Vegetação em dI regiões = −rS0 I0 − aI0 = −I0 (rS0 − a) Semi-áridas dt 0 Regiões semi-áridas e áridas • Se S0 < a/r então Modelo ˆ dI ˜ Histerese dt 0 < 0. Glóris e Misérias • Se S0 > a/r então dI 0 > 0 (Epidemia!) ˆ ˜ dt • Por outro lado, S < S0 para todo t, pois dS/dt < 0. • Assim, se S0 < a/r
  81. 81. Métodos Matemáticos em Biologia de Populações Análise do modelo II R.A. Kraenkel dS dI dR dt = −rSI dt = −rSI − aI dt = aI Epidemias Histórias... Modelos • Notemos inicialmente que em t = 0: Glórias e Misérias » – Vegetação em dI regiões = −rS0 I0 − aI0 = −I0 (rS0 − a) Semi-áridas dt 0 Regiões semi-áridas e áridas • Se S0 < a/r então Modelo ˆ dI ˜ Histerese dt 0 < 0. Glóris e Misérias • Se S0 > a/r então dI 0 > 0 (Epidemia!) ˆ ˜ dt • Por outro lado, S < S0 para todo t, pois dS/dt < 0. • Assim, se S0 < a/r então S(t) < a/r para todo t
  82. 82. Métodos Matemáticos em Biologia de Populações Análise do modelo II R.A. Kraenkel dS dI dR dt = −rSI dt = −rSI − aI dt = aI Epidemias Histórias... Modelos • Notemos inicialmente que em t = 0: Glórias e Misérias » – Vegetação em dI regiões = −rS0 I0 − aI0 = −I0 (rS0 − a) Semi-áridas dt 0 Regiões semi-áridas e áridas • Se S0 < a/r então Modelo ˆ dI ˜ Histerese dt 0 < 0. Glóris e Misérias • Se S0 > a/r então dI 0 > 0 (Epidemia!) ˆ ˜ dt • Por outro lado, S < S0 para todo t, pois dS/dt < 0. • Assim, se S0 < a/r então S(t) < a/r para todo t dI = −rSI − aI = I(rS − a) < 0 dt
  83. 83. Métodos Matemáticos em Biologia de Populações Análise do modelo II R.A. Kraenkel dS dI dR dt = −rSI dt = −rSI − aI dt = aI Epidemias Histórias... Modelos • Notemos inicialmente que em t = 0: Glórias e Misérias » – Vegetação em dI regiões = −rS0 I0 − aI0 = −I0 (rS0 − a) Semi-áridas dt 0 Regiões semi-áridas e áridas • Se S0 < a/r então Modelo ˆ dI ˜ Histerese dt 0 < 0. Glóris e Misérias • Se S0 > a/r então dI 0 > 0 (Epidemia!) ˆ ˜ dt • Por outro lado, S < S0 para todo t, pois dS/dt < 0. • Assim, se S0 < a/r então S(t) < a/r para todo t dI = −rSI − aI = I(rS − a) < 0 dt e portanto I(t) < I0 e não há epidemia.
  84. 84. Métodos Matemáticos em Biologia de Populações Análise do modelo II R.A. Kraenkel dS dI dR dt = −rSI dt = −rSI − aI dt = aI Epidemias Histórias... Modelos • Notemos inicialmente que em t = 0: Glórias e Misérias » – Vegetação em dI regiões = −rS0 I0 − aI0 = −I0 (rS0 − a) Semi-áridas dt 0 Regiões semi-áridas e áridas • Se S0 < a/r então Modelo ˆ dI ˜ Histerese dt 0 < 0. Glóris e Misérias • Se S0 > a/r então dI 0 > 0 (Epidemia!) ˆ ˜ dt • Por outro lado, S < S0 para todo t, pois dS/dt < 0. • Assim, se S0 < a/r então S(t) < a/r para todo t dI = −rSI − aI = I(rS − a) < 0 dt e portanto I(t) < I0 e não há epidemia. • Se S0 > a/r haverá epidemia ( pois dI 0 > 0). ˆ ˜ dt

×