21- Desembarque na Normandia: Ocorre em 06/06/1944. Invasão das 
forças dos Estados Unidos, Reino Unido, França Livre e al...
25- Yalta: Conferência com Churchill, Roosevelt e Stálin em fevereito de 
1945 para resolver problemas de ocupação da Alem...
Acrescenta não acreditar que a Rússia deseja uma nova Guerra, mas os 
frutos da Guerra e expansão ilimitada de seu poder e...
36- Cominform: "Escritório de Informação dos Partidos Comunistas e 
Operários". Instrumento de política externa da URSS, v...
40- Bloqueio de Berlim: Os soviéticos não admitiam que Berlim tivesse 
quarto zonas de ocupação, pois acreditavam que deve...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Dinâmica esic

139 visualizações

Publicada em

Termos relevantes para a Guerra Fria

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
139
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Dinâmica esic

  1. 1. 21- Desembarque na Normandia: Ocorre em 06/06/1944. Invasão das forças dos Estados Unidos, Reino Unido, França Livre e aliados na França ocupada pelos alemães na Segunda Guerra Mundial. Continua sendo a maior invasão marítima da história. Simultaneamente ao desembarque do lado ocidental, no Leste da Europa, a URSS lançou uma poderosa ofensiva contra os nazistas e Berlim acabou pressionada pelo Ocidente e pelo Oriente, resultando na derrota do nazismo. 22- Diretório: Governo das 4 potências vencedoras da Segunda Guerra Mundial (EUA, Reino Unido, URSS e França) sobre a Alemanha e Berlim. Possui uma autoridade suprema, o Conselho de Controle, composto pelos quatro comandantes em chefe. Esse arranjo supõe um acordo acerca da política, porém só concordavam com o objetivo final de acabar com o nacional-socialismo e assegurar a vitória da democracia na Alemanha, discordando em relação a quase todo o resto. 23- “Nações Unidas”: Fundada por 50 Estados pela Carta de São Francisco, em junho de 1945. Ideia de criar uma organização eficaz, representativa e dotada de amplas competências. Deve ser dirigida por um diretório de grandes potências que são membros permanentes do Conselho de Segurança, disponde do direito de veto (EUA, Reino Unido, URSS, França e China). A Assembleia Geral representa a democracia em escala internacional, limitada pelo exercício de poder dos membros permanentes. 24- Carta do Atlântico: Emitida como declaração em agosto de 1941, foi negociada por Churchill e Roosevelt antes da entrada dos EUA na Segunda Guerra. Foi um dos primeiros passos para a formação da ONU. Resumo dos seus 8 pontos: 1. Nenhum ganho territorial seria buscado pelos Estados Unidos ou pelo Reino Unido; 2. Os ajustes territoriais devem estar de acordo com os desejos do pessoal interessado; 3. As pessoas tem direito à autodeterminação; 4. Barreiras comerciais devem ser excluídas; 5. Há de ser uma cooperação econômica global e avanço do bem-estar social; 6. A liberdade de desejo e medo seria executada; 7. Há de ter a liberdade dos mares; 8. Desarmamento das nações agressoras em comum após a guerra seria feito.
  2. 2. 25- Yalta: Conferência com Churchill, Roosevelt e Stálin em fevereito de 1945 para resolver problemas de ocupação da Alemanha e do governo da Polônia, mesmo antes do fim da Guerra. A Alemanha seria ocupada por exércitos dessas potências Segundo o avanço provável das tropas aliadas em território alemão. Já a Polônia seria administrada por um governo de unidade nacional oriundo do comitê de Lublin, pró-soviético, ampliado para alguns membros do comitê de londres, pró-ocidente. Cria-se também uma comissão para avaliar quanto a Alemanha pagará a suas vítimas. 26- Declaração sobre Europa Libertada: Adotada na Conferência de Yalta, prevê a organização, em todos os territórios europeus libertados, de eleições abertas a todos os partidos democráticos e controlados por representantes das três grandes potências. 27- Potsdam: Ocorre entre julho e agosto de 1945, reunindo as mesmas potências que Yalta. Conta com algumas mudanças, como a substituição de Churchill pelo novo ministro Clement Attlee e a morte de Roosevelt. Seu successor, Truman, vê a URSS com mais desconfiança e o sucesso da bomba atômica junto à rendição da Alemanha fazem com que os EUA não precisem tanto do apoio de Stálin contra o Japão. Stálin impõe um remanejamento no mapa politico da Europa Oriental. A parte norte da Prússia Oriental é anexada pela URSS e a parte sudeste é devolvida à Polônia, além de outras modificações no território polonês, como a linha Oder-Neisse de fronteira. 28- Trieste: Cidade no nordeste da Itália, no mar Adriático, usada como referência para delimitação da Cortina de ferro no continente europeu na Guerra Fria. A Cortina separava a Europa em Europa Ocidental, sob controle politico e/ou influência dos EUA e Europa Oriental, sob controle politico e/ou influência da URSS. Segundo Churchill: “A Cortina de ferro que, de Stettin no Báltico a Trieste no Adriático, se abateu sobre o continente.” Além disso, após a Segunda Guerra era disputada por iuguslavos e italianos. O Tratado de Paris cria o território livre do Trieste, sob tutela da ONU, que se mostrou inviável. A sitação permanence sem solução até 1954, quando é dividido pelas duas zonas (iuguslavos e italianos). 29- Vale do Ruhr: Região metropolitana mais populosa da Alemanha e maior região industrial da Europa. É ocupada por britânicos em 1945 por determinacão de Yalta. Motivo de disputas nos tratados de paz entre França e URSS. 30- Fulton: Cidade no Missouri em que Churchill, que já não é primeiro-minitro, discursa sobre a tirania soviética, mencionando a Cortina de ferro.
  3. 3. Acrescenta não acreditar que a Rússia deseja uma nova Guerra, mas os frutos da Guerra e expansão ilimitada de seu poder e doutrina, mas clama por vigilância e pelo fortalecimento das nações ocidentais. 31- Kennan: Embaixador americano em Moscou, enfatiza o discurso de Churchill em relatório, afirmando que o primeiro imperativo da diplomacia Americana em relação à URSS deve ser o “de conter com paciência, firmeza e vigilância suas tendências à expansão.” 32- Doutrina Truman: Em 1947, Truman proferiu diante do Congresso Nacional um agressivo discurso, afirmando que os países capitalistas deveriam se defender da ameaça socialista. Os EUA saem do isolacionismo tradicional e vão em direção ao mundo occidental. Os princípios dessa nova política externa são simples: manutenção da paz, difusão da prosperidade e extensão progressiva do modelo americano (para evitar a expansão do modelo socialista). 33- “troca de guarda” – 47: A Grã-Bretanha, arruinada pela guerra, se vê obrigada a limitar suas perspectivas mundiais, a descolonizar e a aceitar o papel de reserva dos EUA que, por sua vez, saem da guerra como a nação mais ponderosa do mundo e passam a adotar uma postura de maior responsabilidade internacional (Doutrina Truman). 34- Plano Marshall: O general Marshall, secretário de Estado dos EUA, propõe aos europeus uma ajuda coletiva por quarto anos, cabendo a eles s entenderem sob a forma de sua partilha. Esse plano deve assegurar o restabelecimento econômico da Europa, favorecer a unificação de seus esforços e aumentar, portanto, sua resistência ao comunismo. Ao mesmo tempo, permite à economia Americana manter sua prosperidade. A URSS vê isso como uma manifestação do imperialismo americano para estabelecer seu domínio politico e econômico sobre a Europa. Foi criada a Organização Europeia de Cooperação Econômica (OECE), encarregada de repartir a ajuda americana, além de liberar as trocas intraeuropeias. 35- Instituições de Bretton Woods: Discussão do sistema monetário internacional e retomada do Gold Exchange Standard, que faz do dólar o pivô desse sistema, pois os EUA são detentores de 80% do ouro mundial e os únicos capazes de assegurar a conversibilidade de sua moeda em metal. Os Estado pode usar ouro ou divisas conversíveis em ouro (dólar) para garantir o valor de sua moeda e fazer os pagamentos externos. Cada Estado se compromete a manter uma taxa estável de sua moeda e a não modificá-la, exceto em caso de desequilíbrio.
  4. 4. 36- Cominform: "Escritório de Informação dos Partidos Comunistas e Operários". Instrumento de política externa da URSS, visava articular a ação comunista na Europa Oriental, transmitindo as orientações soviéticas para os partidos comunistas de cada país do bloco socialista, dava à URSS maior controle sobre a política no Leste Europeu. Denuncia o imperialismo americano, fomentador de guerras, exalta o modelo soviético, a genialidade de Stálin e censura Tito, que se rebelou contra o modelo. Seus opositores são perseguidos em toda Europa Oriental. No campo econômico é criado o Comecon, que facilita as relações comerciais, em benefício, em parte, da URSS. Já no campo militar, o Pacto de Varsóvia surge como oposição à OTAN. 37- Pacto de Bruxelas / União Ocidental (48): O golpe de Praga impression os europeus ocidentais, que veem de repente a guerra em sua porta. Percebem que ficarão impotentes se permanecerem desunidos. O Pacto de Bruxelas é a primeira das alianças a ser dirigida contra qualquer agressor. Contém um compromisso de assistência automatic contra qualquer agressor e organiza uma rede de relações em múltiplas áreas. Dessa forma, o medo de guerra reaparece na Europa e leva os europeus a se voltarem para os EUA para protegê-los do perigo soviético. 38- OTAN: O Pacto Atlântico, que absorve muitos órgãos do Pacto de Bruxelas, é assinado pelos representantes de doze nações (EUA, Canadá, França, Reino Unido, Benelux, Itália, Noruega, Dinamarca, Islândia e Portugal). A Organização do Tratado do Atlântico Norte estipula que um ataque armado a um de seus signatários na Europa, América do Norte, Argélia ou contra uma das ilhas do Atlântico equivaleria a um ataque contra o território de todos, resultando em assistência mútua. A URSS considera-o um pacto agressivo dirigido contra ela. 39- Golpe de Praga: A Tchecoslováquia se divide em relação ao Plano Marshall: os socialistas lhe são favoráveis, mas os comunistas lhe são hostis e fazem pressão para que o governo decline a ajuda americana e escolha um campo. Essa prova de força leva ao controle do poder pelos comunistas em fevereiro de 1948. Após cinco dias de crise, o presidente Benes aceita o novo governo do comunista Gottwald. A fronteira ocidenal é fechada e o golpe de Praga é bem sucedido.
  5. 5. 40- Bloqueio de Berlim: Os soviéticos não admitiam que Berlim tivesse quarto zonas de ocupação, pois acreditavam que deveria fazer parte da Alemanha Oriental. A URSSA anuncia que os alemães orientais controlarão o acesso à Berlim Ocidental. Os ocidentais recusam e todas as vias terrestres de acesso são bloqueadas (pequeno bloqueio de Berlim). Depois da Conferência de Londres de 1948, americanos, franceses e ingleses concordam em unificar suas zonas de ocupação e decidem criar uma moeda comum. Essa reforma monetária desagrada os soviéticos, que organizam um bloqueio terrestre total de Berlim. 86- China-EUA a partir dos 70: Após anos de isolacionismo, a China entra no concerto mundial ao fim dos anos 1970. O fracasso de sua política externa anterior fez com que se aproximasse do Ocidente, especialmente dos EUA, e se abrisse ao estrangeiro, recusando a hegemonia soviética (essa nova política externa começa em 1971). Com grande potencial demográfico, econômico e militar, torna-se logo um ator de peso, principalmente quando passa a ocupar um assento no Conselho de Segurança da ONU, pela simples substituição da China Nacionasta pela China Popular. A aproximação com os EUA se inicia com uma missão secreta de Kissinger em Pequim em 1971, surpreendendo a todos, pois Mao Tse Tung condenava o imperialismo americano. 82- Relações Norte-Sul depois da descolonização:

×