Pneumococo na Pediatria

560 visualizações

Publicada em

Importância da sua Prevenção

Publicada em: Saúde e medicina
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
560
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
16
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Pneumococo na Pediatria

  1. 1. Streptococcus Pneumoniae (Pneumococcus) RAMON FLOREZ ACUÑA 2015
  2. 2. Introdução Streptococcus Pneumonia e a causa mais comum de infeções bacterianas invasivas em crianças, incluídos bacteriemia febril. Pneumococo também e a causa de otite media aguda, sinusite, pneumonia adquirida na comunidade, empiema pleura e conjuntivite. S pneumonia e N meningitidis são as causas mais comuns de meningite bacteriana e higromas subdurais nos EUA. Pneumococo ocasionalmente causa mastoidite, celulite periorbitaria, endocardite, osteomielite, pericardite, peritonite, artrite piogénica, infeção tecidos brandos, septicemia em pacientes com disfunção esplénica e septicemia neonatal. Síndrome Urémico Hemolítico pode-se acompanhar em doenças invasivas complicadas (ex, pneumonia com empiema pleural).
  3. 3. Microbiologia Família Streptococcoceae Género Streptococcus Bactérias Gram positivas, imóveis, esféricas ou ovoides, crescem em algemas de diferentes longitudes Los Estreptococos são: ◦ Oxidasa - ◦ Catalasa - (diferencia de estafilococos). ◦ Crescem de maneira óptima a 37ºC em médios enriquecidos ◦ São aeróbios facultativos respeito al O2. Muchas cepas crescem melhor em ambiente anaeróbio o rico em 5% CO2, α-hemolisis em agar sangue e suscetível a optoquina. ◦ Baseado na cápsula de polissacarídeo, há mais de 90 serotipos.
  4. 4. α-hemolísis: Lísis parcial dos eritrócitos em torno de uma colonia, com a produção de um halo verde no médio
  5. 5. Sensível a optoquina e solúvel em bílis S Pneumoniae S Viridans
  6. 6. S pneumoniae reacção quellung Reacção positiva: aglutinação x anti-soro contra capsula polissacáridos.
  7. 7. Epidemiologia ◦ Flora normal da orofaringe (21% países industrializados ate 90% países com recursos limitados), com alguns serotipos mais invasivos do que outros. ◦ Transmissão aérea persona-persona ◦ Infeções virais TRS, incluído influenza predispõe infeção pneumocócica e a transmissão. ◦ Alta prevalência de doença pneumocócica invasiva em crianças <5 anos de idade ◦ Período incubação varia tipo infeção pero pode ser curto 1 a 3 dias
  8. 8. Doença Pneumocócica Invasiva (DPI)
  9. 9. Epidemiologia ◦ A distribuição dos serotipos S. pneumoniae mudou desde a introdução da vacina pneumocócica conjugada 7-valente (PCV7), com o surgimento de serotipos 19A, 3, 1 , 7F e 22F responsável pela infeção durante a era PCV7 ◦ Houve quedas nas otite média, da corrente sanguínea , pneumonia, meningite, mas aumento pneumonias complicadas e empiema coincidente com o licenciamento de PCV7 em os EUA
  10. 10. Pneumococo invasivo Number of invasive pneumococcal isolates (y-axis) that were vaccine serotype, nonvaccine serotype, or 19A in children from 8 children’s hospitals according to study year from 2001-2008 From Kaplan SL, Barson WJ, Lin PL, et al: Serotype 19A is the most common serotype causing invasive pneumococcal infections in children, Pediatrics 125:429–436, 2010.
  11. 11. Diagnostico ◦ Cocos Gram-positivos em forma de lanceta no líquido cefalorraquidiano (LCR) ou outro fluido corporal estéril pode sugerir S. pneumoniae. ◦ PCR pode detectar DNA S. pneumoniae no líquido pleural, LCR e outros fluidos corporais estéreis.
  12. 12. Tratamento ◦Escolha do antibiótico e da via da administração depende no local de infeção e isolamento, exemplo (no sangue ou LCR) e asi como da concentração mínima inibitória (MIC) S. pneumoniae difere do sítio.
  13. 13. Tratamento ◦A penicilina é droga de escolha para infeções causadas por S. pneumoniae penicillinsensíveis ◦Geralmente sensíveis (> 90%) às cefalosporinas e fluoroquinolonas, e menos (<80%) para as eritromicinas e sulfametoxazol-trimetoprim ◦Todos os isolados de S. pneumoniae são sensíveis à vancomicina e linezolida
  14. 14. Duração da Terapia ◦A resposta à terapia é normalmente rápida. ◦A duração do tratamento depende do local da infeção.
  15. 15. Crianças Alto Risco de DPIGrupo Risco Condição Criança Inmunocompetente Doença cardíaca crónica Doença pulmonar crónica Diabetes Mellitus Fuga Liquido cerebroespinal Implante coclear Criança com asplenia funcional ou anatómica Drepanocitose ou outras hemoglobinopatias Asplenia congénita ou adquirida, disfunção esplénica Criança com compromisso na imunidade HIV Doença renal crónica e síndrome nefrótico Doenças tratadas com inmunosupresores ou radioterapia, incluído neoplasias malignas leucemia, linfoma ou doença Hodgkin ou transplante do órgão sólido Imunodeficiência congénita Adapted from Centers for Disease Control and Prevention (CDC): Licensure of a 13-valent pneumococcal conjugate vaccine (PCV13) and recommendations for use among children—Advisory Committee on Immunization Practices (ACIP), 2010, MMWR Morb Mortal Wkly Rep 59:258–261, 2010, Table 1.
  16. 16. Prevençao
  17. 17. Comparação de Vacinas Pneumococicas Proteína Transportadora Polisacaridos Capsulares Vaccina Diphtheria CRM197 protein 4, 6B, 9V, 14, 18C, 19F, 23F Wyeth Lederle (PCV7, Prevnar) Diphtheria CRM197 protein 1, 3, 4, 5, 6A, 6B, 7F, 9V, 14, 18C, 19A, 19F, 23F Wyeth Lederle (PCV13, Prevnar 13) Nenhuma 1, 2, 3, 4, 5, 6B, 7F, 8, 9N, 9V, 10A, 11A, 12F, 14, 15B, 17F, 18C, 19A, 19F, 20, 22F, 23F, 33F Sanofi Pasteur MSD (PPSV23, Pneumovax II)
  18. 18. Cortesia: Alejandro Cané MD
  19. 19. Impact of the 13-Valent Pneumococcal Conjugate Vaccine Diminuição da incidência da bacteriemia e pneumonia, mais não meningite pneumocócica.
  20. 20. Impact of the 13-Valent Pneumococcal Conjugate Vaccine on Pneumococcal Meningitis in US Children Introdução O impacto da PCV13 na meningite pneumocócica (MP) nas crianças EUA desconhecido. Comparou-se distribuição serotipos, suscetibilidade antibiótico, curso hospitalar, e resultado das crianças MP 3 anos antes e 3 anos depois da introdução da PVC13 Métodos Pacientes <18 anos idade com MP em 8 hospitais EUA. Aislamento Pneumococcus prospetivo. Serotipagem e suscetibilidade antibiótica. Data clinica obtida dos registos médicos. Pacientes divididos em 3 grupos: pre-PCV (2007- 2009), ano transição (2010) e post-PCV13 (2011-2013).
  21. 21. Resultados 173 de 1207 Doença Pneumocócica Invasiva (14%) identificado como MP; 76 de 645 (12%) 2007-2009 e 69 de 194 (18%) 2011-2013 (50% incremento; P=.03). Os serotipos PCV13 diminuiu de 54% para 27% (P=.001). Os serotipos Non-PCV13 representou 73% dos isolamentos 2011-2013. Isolamentos Ceftriaxona MIC ≥ 1ug/mL diminuiu (13% para 3% P=.03). Não isolados Cetftriaxona MIC ≥ 2.0 ug/mL
  22. 22. Conclusões Depois introdução PVC13, o numero de casos de PM em crianças permanece sem câmbios comparado com 2007-2009, sem embargo a proporção de serotipos PCV13 diminuiu significativamente. Serotipo 19A continua ser o serotipo mais comum 2011-2013. A resistência antibiótica diminuiu significativamente. Morbilidade e fatalidade devido MP mantem-se substancialmente. Clin Infect Dis (2015) 61 (5): 767-775
  23. 23. Bibliografía 1. Jawetzs Medical Microbiology 26th 2013 2. Principles & Practice of Pediatric Infectious Diseases, 4th 2012 3. Nelson Textbook Of Pediatrics 20th 2015 4. Clin Infect Dis (2015) 61 (5): 767-775 5. Redbook Pediatrics Infectious 29th 2012
  24. 24. Muito Obrigado

×