SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 200
Baixar para ler offline
História – Rafa = ]
Material Especial – Conteúdo Final 2017
2
República da Espada (1889 – 1894)
• Governo Provisório e Governo de
Marechal Deodoro da Fonseca
• Palavra-Chave: ENCILHAMENTO –
tentativa desastrada de melhorar a
economia.
• Constituição de 1891: voto aberto /1891 –
Deodoro eleito indiretamente, federalista.
• Crise  tentativa de golpe  Resistência
do Exército  Deodoro renuncia e
Floriano assume.
3
Governo de Floriano Peixoto
(1891 – 1894)
• Política centralizadora
• Mudanças econômicas positivas –
baixa no preço da carne.
• 1893-94  REVOLTA DA ARMADA
• 1893-95  REVOLTA FEDERALISTA
 Guerra Civil entre MARAGATOS
(federalista) e PICA-PAUS
(Republicanos)  Conflito no Rio
Grande do Sul revolvido apenas no
próximo governo.
4
Café com Leite
Durante o período denominado
República Velha, paulistas e mineiros se
alternaram na Presidência da República;
este revezamento ficou conhecido como
“política do café com leite”
5
República do Café-Com-Leite (1894-1930)
Prudente de Morais
15/11/1984-15/11/1898
Advogado e político paulista
Enfrentou a Guerra de Canudos
(1894/97)
Terminou o Governo em estado de
Sítio.
6
Canudos
Canudos não se rendeu.
Exemplo único em toda a
História, resistiu até ao
esgotamento completo. [...]
Caiu no dia 5, ao entardecer,
quando caíram os seus
últimos defensores, que todos
morreram. Eram quatro
apenas: um velho, dois
homens feitos e uma criança,
na frente dos quais rugiam
raivosamente cinco mil
soldados.”
Euclides da Cunha, Os
Sertões.
7
Campos Sales
15/11/1898-15/11/1902
Advogado e político paulista
Implantou a Política dos
Governantes
8
Política dos Governantes
• Política do café com
leite, em que São
Paulo e Minas Gerais
formaram dois grupos
fortes, e os candidatos
à presidência eram
indicados ora pelo PRP
(Partido Republicano
Paulista) e ora pelo
PRM (Partido
Republicano Mineiro).
9
Rodrigues Alves = ]
15/11/1902-15/11/1906
Político Paulista, nascido em
Guaratinguetá.
Valorizou o café – Socialização das Perdas
Convênio de Taubaté (SP-MG-RJ)
Enfrentou a Revolta da Vacina em 1904
10
Revolta da Vacina
• Foi uma reação das
classes populares a um
conjunto de medidas
sanitárias, entre as quais
uma reforma urbana
(eliminação de cortiços,
construção de ruas e
avenidas largas),
realizada com truculência
por funcionários do
governo federal.
11
Afonso Pena
15/11/1906-14/06/1909
Advogado e político mineiro.
Efetivou o Convênio de Taubaté
Avanço em ferrovias e estradas.
12
Nilo Peçanha
14/11/1909-15/11/1910
Político fluminense; assumiu
com a morte de Afonso Pena.
Grande marco foi a disputa
eleitoral entre Rui Barbosa e
Hermes da Fonseca.
13
Hermes Fonseca
• 15/11/1910-15/11/1914
• Militar e político gaúcho, apoiado por MG
• Política de Salvação
• Desfavoreceu o Nordeste
• Enfrentou em 1910, a Revolta da Chibata (RJ),
a Revolta de Juazeiro (Ceará) em 1911 e o
Contestado (SC – 1912-1916)
14
15
Contestado
Movimento de caráter popular
e messiânico, durante a qual os
camponeses do Sul do país,
afligidos pela pobreza, lutaram
pela posse de suas terras.
16
Venceslau Brás
15/11/1914-15/11/1918
Político mineiro
Governo conturbado –
Movimento Operário e 1ª GM
17
Movimento Operário
Entre 1917 e 1920, ocorreram
grandes greves que
mobilizaram expressivo
contingente de operários
especialmente no Rio de
Janeiro e São Paulo.
18
Delfim Moreira
15/11/1918-28/7/1919
Político mineiro.
Assumiu no lugar de Rodrigues
Alves que morreu sem assumir
seu 2º mandato
19
20
Epitáfio Pessoa 28/7/1919-
15/11/1922
Advogado e político
paraibano, apoiado por
SP
Artur Bernardes 15/11/1922-
15/11/1926
Advogado e político
mineiro.
21
 Enfrentaram o Tenentismo e o Modernismo
Washington Luís
15/11/1926-24/10/1930
Historiador fluminense que fez
carreira política em SP.
Enfrentou a Crise de 1929 e
combateu o Tenentismo.
22
Críticas à República Velha
Voto era aberto e não havia
justiça federal.
23
Anos 20
• Mudanças no mundo pós a 1ª Guerra Mundial e a
Revolução Russa de 1917.
• A crise da oligarquia no Brasil, na década de 1920,
refletiu as transformações que ocorriam na sociedade
brasileira e que se manifestavam no esgotamento da
hegemonia da cafeicultura, na ascensão da classe
média, no descontentamento da jovem oficialidade militar
e das oligarquias menores com o predomínio dos
latifundiários de Minas e São Paulo.
Anos 20
• As mulheres começam a
ganhar mais espaço na
sociedade.
• O sistema café-com-leite com
sinais de esgotamento
Anos 20
•Dois movimentos foram
importantes:
• Tenentismo
• Modernismo
Tenentismo
•O tenentismo foi um movimento
que ganhou força entre militares
de média e baixa patente durante
os últimos anos da República
Velha.
•Apoio: classe média urbana
•Falta de apoio: população rural.
Tenentismo
•O que eles queriam ?
• Mudança no sistema político
do Brasil.
Tenentismo
• 1º Movimento: Forte de
Copacabana em 1922
•Os tenentes apoiaram a
candidatura de Nilo Peçanha em
oposição ao mineiro Arthur
Bernardes.
Tenentismo
•Em 1924 – tentativa de tomar São
Paulo.
• Depois de 2 tentativas frustradas
ida para o Sul do país – união com
rebeldes, liderados por Miguel
Costa e Luis Carlos Prestes.
Coluna Preste até 1927
Na década de 30,
Prestes e todos que
eram contra o
governo passaram
a ser perseguidos
por Vargas.
Modernismo
• 'Contra todos os importadores de
consciência enlatada.' ANDRADE,
Oswald de. 'Manifesto antropófago'.
'Revista de Antropofagia', São Paulo,
ano I, n. 1, mai. 1928. O Movimento
Antropofágico, lançado em 1928,
celebrizou-se pela radicalização de
alguns princípios apregoados durante
a Semana de Arte Moderna (1922).
32
Modernismo: Uma Mudança
Ideológica
Ideais do Modernismo foram
incorporados na vida política do
Brasil, impulsionados não
apenas pela arte, como
também por necessidade.
Modernismo
Defendia a apropriação crítica
das ideias estrangeiras, em prol
da constituição de uma cultura
brasileira.
34
Três Fases
1922 – Tentativa de Afirmação
1930 – Consolidação
1945 – 1978 - Desvio
35
Três Fases
1922 – Tentativa de Afirmação:
Principais autores desta fase: Mário
de Andrade, Oswald de Andrade,
Manuel Bandeira, Antônio de
Alcântara Machado, Menotti del
Picchia, Cassiano Ricardo, Guilherme
de Almeida e Plínio Salgado.
36
Três Fases
1930 – Consolidação:
Os principais autores são: Carlos
Drummond de Andrade, Murilo
Mendes, Jorge de Lima, Cecília
Meireles, Vinícius de Moraes, Rachel
de Queiroz, José Lins do Rego,
Graciliano Ramos, Jorge Amado,
Érico Veríssimo.
37
Três Fases
1945 – 1978 – Desvio:
Principais autores Ledo Ivo,
Péricles Eugênio da Silva
Ramos, Geraldo Vidigal,
Domingos Carvalho da Silva,
Geir de Campos e Darcy
38
Paisagem de Santo Amaro
Modernismo
As ideias do modernismos
foram sentidas nos anos 30 a
partir de dois eventos:
A Crise de 1929.
A chegada de Vargas ao poder
em 1930.
A Segunda Guerra
Mundial
(1939-1945)
44
Causas Principais
Tratado de Versalhes.
Regimes Totalitários.
Crise Econômica.
Teoria do Espaço Vital.
 Indiferença da Liga das Nações
 Fator decisivo: ADOLF HITLER
45
46
47
Início da Guerra
Plano de Expansão de
Hitler.
Em 1º de Setembro de
1939, Hitler invadiu a
Polônia.
48
Início da Guerra
Em apoio à Polônia, a
Inglaterra declarou
Guerra à Alemanha, junto
com a França.
49
Início da Guerra
 Estratégia Nazista:
 Guerra-Relâmpago
 O Blitzkrieg foi uma doutrina militar que consistia
em utilizar forças móveis em ataques rápidos e de
surpresa, com o intuito de evitar que as forças
inimigas tivessem tempo de organizar a defesa.
 Seus três elementos essenciais eram
o efeito surpresa,
a rapidez da manobra e a
 brutalidade do ataque.
50
51
52
Rivalidade
53
ALIADOS:
Inglaterra, França, União
Soviética, Polônia, China, EUA,
Brasil.
X
EIXO:
Alemanha, Itália e Japão.
A Guerra
 Inglaterra consegue
resistir, diferente da França.
1941: ataque japonês a Peal
Harbor
EUA entram na Guerra
54
A Guerra
Até 1943: vitória de Hitler.
Invasão da União
Soviética.
55
A Guerra
Stalingrado: o início da
queda  teimosia, inverno
rigoroso, falta de suprimentos
e ofensiva soviética.
56
No Brasil, Carlos Drummond de Andrade,
em sua Carta a Stalingrado , escreveu:
Saber que resistes.
Que enquanto dormimos, comemos e
trabalhamos, resistes.
Que quando abrirmos o jornal pela manhã teu
nome (em ouro oculto) estará firme no alto da
página.
Terá custado milhares de homens, tanques e
aviões, mas valeu a pena.
Saber que vigias, Stalingrado, sobre nossas
cabeças, nossas prevenções e nossos confusos
pensamentos distantes dá um enorme alento à
alma desesperada e ao coração que duvida.
57
A Guerra
Participação do
Brasil a partir de
1943 com a FEB.
A principal ação militar brasileira
aconteceu principalmente na
organização da campanha da Itália,
onde os brasileiros foram para o
combate ao lado das forças
estadunidenses.
58
28/04/1944: Dia D.
1945: rendição da Itália.
30/04/1945: Hitler se
suicida.
08/05/1945: rendição alemã.
59
 09/08/1945: rendição
japonesa, após as
bombas de Hiroshima e
Nagasaki
60
A Queda
09/08/1945: rendição
japonesa, após as bombas
de Hiroxima e Nagasáqui.
61
Holocausto : O maior crime
do Nazismo.
1 º o confinamento em Guetos,
como o de Varsóvia, na Polônia.
62
Holocausto : O maior crime do
Nazismo.
Depois os terríveis campos
de concentração como a
“solução final”
63
64
65
66
67
68
69
70
71
72
73
74
75
Fique sabendo
Por causa desses horrores
da Guerra que a Suástica é
um símbolo negativo.
76
Consequências
 50 milhões de mortos.
 Europa destruída.
Alemanha dividida em duas.
Criação da ONU.
EUA x União Soviética:
Guerra Fria.
77
78
79
80
Idade Contemporânea
ARTE
Pop Art
Movimento principalmente americano e britânico,
sua denominação foi empregada pela primeira vez
em 1954, pelo crítico inglês Lawrence Alloway, para
designar os produtos da cultura popular da
civilização ocidental, sobretudo os que eram
provenientes dos Estados Unidos.
Colagem de Richard Hamilton
Jasper Johns, 1954–1955Flag
Tom Wesselmann, 1962Still Life
Era Vargas
94
Revolução de 1930
Washington lançou Júlio Prestes (SP) para assumir
o governo, rompendo com a aliança do café-com-
leite.
Minas Gerais criou a Aliança Liberal, lançando
Getúlio Vargas (Rio Grande do Sul) e João Pessoa
(Paraíba).
Em 1930, Júlio Prestes vence e tudo vai bem até
que João Pessoa foi assassinado e a oposição
acusou a situação pelo crime e deflagrou-se uma
rebelião, que por meio de uma revolta armada
colocou Getúlio Vargas no poder.
Vargas no Poder
Governo Provisório (1930-34)
Governo Constitucional (1934-37)
Estado Novo (1937-45)
Governo Populista (1951-54)
Era Vargas
Revolução de 1932: reação
de São Paulo (oligarquia
cafeeira) contra o Governo
Vargas, exigindo uma nova
constituição.
Conclusão
A Revolução Constitucionalista de
São Paulo não foi a explosão de
sentimento liberal pelo Estado de
Direito. Foi um ato deliberado e
calculado que visava à retomada, pelo
velha oligarquia, do poder, do qual
havia sido desalojado tão
violentamente em 1930.
Era Vargas
Nova Constituição em 1934: salário
mínimo, proibição do trabalho para
menores de 14 anos, férias anuais
remuneradas e instituição do voto
secreto e universal.
Ordens políticas
Ação Integralista Brasileira
(AIB)  Fascismo
Aliança Nacional Libertadora
(ANL)  1935 Intentona
Comunista.
Era Vargas
1937: Plano Cohen  simulação de
golpe comunista, que permitiu a
instalação de Getúlio Vargas no poder
até 1945.
Inicia-se o ESTADO NOVO
Estado Novo
Nova Constituição: amplos poderes
para o Presidente, perda da
autonomia dos governadores,
extinção dos partidos políticos e
criação do DIP (Departamento de
Imprensa e Propaganda).
Estado Novo
Investimento da indústria nacional
Perseguição política
Censura
Amplos poderes ao DOPS
(Departamento de Ordem Política e
Social)
Brasil participa da 2ª Guerra Mundial
Deposição de Vargas: 29/10/1945
Fim da Guerra: sentimento de
democracia.
Manifestações a favor do Governo:
queremismo.
Antecipação das eleições estaduais
Golpe coloca fim na ditadura de
Vargas.
Política da Boa Vizinhança
Disney e Carmem Miranda
Guerra
Fria
109
Após II Guerra:
Necessidade de
reconstrução: PLANO
MARSHALL  “ajuda” dos
EUA para a EUROPA.
110
Após 2ª Guerra:
Alianças Políticas-Militares:
OTAN (EUA) e COMECON*
(União Soviética)
111
*Conselho para Assistência Econômica Mútua)
Guerra Fria
• A URSS transformou-se, após 1945,
numa das potências mundiais, tanto
no campo econômico como técnico.
Um exemplo disso foi o
desenvolvimento da política espacial,
representada pela primeira viagem em
torno da Terra.
Guerra Fria
Capitalismo (EUA)
X
Socialismo (URSS)
Até o final dos anos 80
113
Métodos dos Países
Apoio militar e econômico
Espionagem: CIA (central de inteligência
americana) e KGB (comité de segurança de
estado)
Caça às bruxas: perseguição aos
opositores.
Sabotagem econômica ou militar
114
A Corrida Espacial
Questão Chave: Quem Conquistaria o
Espaço? EUA ou URSS?
 1961:Yuri Gagarin vai ao espaço pela
URSS e vê a “Terra Azul”.
 1969: os EUA chegam (ou não) à Lua.
115
Guerra do Vietnã
Antiga Colônia Francesa
Dividida em 1954 em Vietnã do Norte
(socialista) e Vietnã do Sul ( monárquico -
capitalista)
A partir de 1955: ditadura no Sul com o
apoio dos EUA
Reação em 1959 do Norte com Guerra
Civil até 1975 com a vitória socialista.
116
Vietnã – Mudanças no Mundo
1968 – O Ano !
1969 – Woosdock
Movimento Hippie
PAZ e AMOR
117
Foram anos incríveis...
1968
Os primeiros passos da
Globalização apresentavam o
mundo de transformações,
unindo ideias.
118
1968
“Foi um ano muito especial. Um momento
de uma sintonia mágica, misteriosa. [...]
Achava que se podia mudar tudo através da
ruptura, da revolução. A ironia da história é
que eles [os jovens] não fizeram a revolução
política, mas acabaram fazendo a revolução
cultural” Zuenir Ventura
119
120
121
122
123
Caetano
Veloso
Tropicália
124
Guerra Fria
• Influência na América Latina 
conter o avanço dos movimentos
revolucionários na América Latina,
reafirmando assim a liderança
exercida pelos EUA sobre o
Continente
Manifestações estudantis gigantes na Cidade do
México em junho/ julho de 1968.
126
Inglaterra, 1968.
127
128
Marcha ao Pentágono, 1967.
129
130
29 de maio de 1968, Rio de Janeiro: 50 mil pessoas acompanham o enterro do estudante de Edson Luís.
131
Após o
conflito, em
Paris
Maio de
1968
132
Guerra do Vietnã
133
“Causas” da onda mundial de
revoltas
134
-Descolonização, guerras de libertação
nacional e Terceiro-mundismo;
- Guerra Fria
- Socialismos alternativos;
- Sociedade de consumo; urbanização
e massificação das universidades;
Nehru e Gandhi, líderes da Independência da Índia.
135
Revolução Chinesa, 1949
136
Revolução Chinesa - 1949
Revolução contra o imperialismo
norte americano e a ditadura do
proletariado russo.
Após Guerra Civil, vitória de Mao
Tsé-Tung.
137
Depois de 1949
Problemas na cidade.
Valorização da agricultura.
1958: Plano “Grande Salto para Frente”, que
fracassa.
1966: Revolução Cultural: manter o
socialismo e combater opositores.
1976: morte de Mao.
Anos 80: modernização econômica, com
protestos e dificuldades com o novo contexto.
138
Revolução Cubana, 1959.
139
Anos 50: Fidel Castro e Che
Guevara se conhecem e organizam
uma guerrilha para implantar o
socialismo em Cuba
140
1959 e Depois de 1959
1959: Revolução Cubana.
1º momento: diplomacia com os EUA até 1961,
quando os EUA invadem a Baía dos Porcos para
derrubar Fidel Castro. A partir disso os EUA fazem
bloqueio econômico à Cuba.
Hoje: melhores índices sociais da América
(alimentação, saúde e educação).
Total falta de liberdade, prisão, tortura e morte.
141
O Fim da Guerra Fria
O mundo Socialista não conseguiu
sobreviver economicamente nos anos 80.
O poder do mundo Capitalista sobressaiu-se
e conclamou vitorioso.
Símbolo: a queda do muro de Berlim em
1989.
142
Guerra Fria
• O fim da Guerra Fria:
• NOVA ORDEM MUNDIAL  formação de
megablocos político-econômicos que
favoreceram a internacionalização dos
fluxos de capitais.
Período
Democrático
(1945-1964)
146
De 1945 à 1964 – Brasil Liberal
“Apenas dois presidentes
conseguiram terminar o seu
mandato (Dutra e JK); um se
suicidou (Vargas); outro
renunciou (Jânio); e o último
acabou deposto (João Goulart)”
Gaspar Dutra (1946 – 51)
.
Gaspar Dutra (1946 – 51)
Continuação de Vargas
Avanço da Indústria Nacional
Constituição em 1946: A nova
Constituição estabeleceu a divisão dos três
poderes (executivo, legislativo e judiciário) e
o mandato de cinco anos para cargos
executivos.
Uma tentativa de planejamento
governamental, lançou o plano
SALTE, que previa um forte
investimento em quatro áreas
fundamentais: Saúde, ALimentação,
Transporte e Energia. Os recursos
viriam da Receita Federal e de
empréstimos externos. Este projeto
não obteve sucesso e foi
abandonado pouco tempo depois.
Volta de Vargas (1951 – 54)
Populista
Valorização do trabalhador
Campanha “O Petróleo É Nosso”
O Petróleo é Nosso
Falta de apoio de muitos setores
24/08/1954: Suicídio
Até 1956: Café Filho como
Presidente.
Juscelino Kubitschek (1956 – 60)
..
50 anos em 5.
- O Plano de Metas, que estabelecia
31 objetivos para serem cumpridos
durante seu mandato, otimizando
principalmente os setores de energia
e transporte (com 70% do
orçamento), indústrias de base,
educação e alimentação.
Multinacionais.
Construção de Brasília.
Aumento da dívida externa.
Jânio Quadras (31/01/61 – 25/08/1961
Política conservadora e autoritária.
“Apoiava” o socialismo.
No dia 24 de agosto de 1961, Carlos
Lacerda foi à televisão denunciar um
possível golpe que estaria sendo
articulado pelo Presidente Jânio
Quadros.
No outro dia, o Brasil se
surpreendeu com o pedido de
renúncia de Jânio.
Ele afirmava em carta ao
Congresso que “forças terríveis” o
haviam levado a tomar aquele
gesto.
João Goulart – JANGO (1961 – 1964)
Parlamentarismo
Reformas que desagradaram os
opositores
1964: golpe que instalou a Ditadura
Cultura dos anos 30 aos anos 60
Brasil
Cultura entre os anos 30 e 60
Modernismo: arte e arquitetura.
Cultura entre os anos 30 e 60
Teatro de Revista: realidade
cômica.
Cultura entre os anos 30 e 60
Cinema: Chanchada e Cinema
Novo.
Cultura entre os anos 30 e 60
Música: samba e bossa nova
Cultura entre os anos 30 e 60
 Televisão: inicia-se em 1950
 TELENOVELA: a 1ª foi SUA VIDA
ME PERTENCE; porém a 1ª a ir ao
ar diariamente foi 2-5499 –
Ocupado, com Tarcísio Meira e
Gloria Meneses em 1963.
Logotipo da 1ª Emissora de TV do Brasil
– TV TUPI
2-5499 – Ocupado
171
Relembrando
•Golpe Militar de 1964:
•Plano interno
•Plano externo
•Conjunção dos planos
1ª fase da Ditadura
•Implantação e
consolidação
•Governo Castelo
Branco (1964 – 67)
Mecanismos do Poder
•Ato Institucional nº 1: mais poderes
para o Presidente
• AI – 2 e 3: eleições indiretas,
instituição de apenas dois partidos
(ARENA-Aliança Renovadora
Nacional e MDB-Movimento
Democrático Brasileiro)
Mecanismos do Poder
•Em 24/02/1967 é aprovada uma nova
Constituição, que estabelece mandato
presidencial de 05 para 04 anos,
estabelece eleições indiretas e reforça
o poder do Presidente.
•O Brasil aliado dos EUA, corta
qualquer relação com países
socialistas.
2ª fase: período de violência
•Governo Costa e
Silva (1967-1969):
•AI-5 e Junta Militar
A Repressão Aumenta
Passeata dos Cem Mil em 26/06/68:
“Frente Ampla” pela democracia.
AI – 5: resposta dos militares contra
as manifestações  o presidente
assume os poderes Executivo,
Legislativo e Judiciário.
Governo Médici (1969 – 74)
• Violência e o milagre
econômico
• Anos de Chumbo
Máquina de Repressão
Uso de Tortura (assassinato)
Exílio
Censura
A CENSURA
Jornal Censurado
Órgãos de repressão:
DOI-Codi: Destacamento de
Operações de Informações -
Centro de Operações de Defesa
Interna
CENIMAR: Centro de
Informações da Marinha
CISA: Centro de Informações da
Aeronáutica
Tristes Instrumentos
Cadeira do dragão
Pau de Arara
Choques elétricos
Espancamentos
Soro da verdade
Afogamentos
Geladeira
Tropicália
Propaganda de exaltação do
governo militar:
Inclusive com músicas, como “Eu
te amo, meu Brasil”
Ufanismo
3ª fase: início da reabertura
Governo Geisel (
1974 – 79)
O Estado de
exceção
enfraquece.
A Hora da Virada
Vladimir Herzog: a
morte do jornalista
por meio de tortura
(e não suicídio
como divulgado) foi
fundamental para
abertura política
“lenta, gradual e
segura”
Governo Figueiredo (1979 – 85)
O Governo de João
Batista Figueiredo
restabeleceu a
autonomia das
municípios,
estabeleceu anistia
aos presos e exilados
por motivos políticos e
voto direto para
Governo Estadual.
Anistia
A Lei 6 683 concedeu Anistia
(PERDÃO) aos perseguidos
políticos pela Ditadura Militar e aos
agentes da ditadura!
Final dos Anos 70 / Início dos anos
80...
Ainda há uma pequena repressão
Atentados
Movimento Sindical no ABC paulista
Reabertura Política
A Nova República
Anos 80: Diretas Já
Eleição Indireta de
Tancredo Neves em 1984,
que falece.
Substituído por Sarney.
Reabertura Política
Governo de José
Sarney: (1985 – 90):
Planos e
problemas
econômicos e nova
Constituição em 1988
Reabertura Política
1989:Eleições Diretas
para presidente:
Lula x Fernando Collor
de Mello
Venceu Collor
Reabertura Política
Governo Collor (1990-92)
1º Dia de Governo: bloqueio de
grande parte do dinheiro que
pessoas e empresas tinham no
Banco.
Fracasso do Plano Collor e das
medidas tomadas pela Ministra da
Economia, Zélia Cardoso.
A inflação continuou alta.
Governo Collor (1990-92)
Collor não realizou as promessas de
campanha, como acabar com a
inflação e com os marajás.
Grande denúncia em 1992 de
corrupção, feita pelo irmão do
Presidente, seu motorista e sua
secretária.
Instauração de uma CPI.
Governo Collor (1990-92)
Movimento dos Caras Pintadas:
FORA COLLOR.
Em setembro de 1992, Collor foi
afastado e pediu sua renúncia em
dezembro do mesmo ano.
O Senado o julgou e suspendeu
seus direitos políticos por 08 anos.
Hoje ele é Senador Federal afastado
e disputou o governo do Estado de
Alagoas
Caras-Pintadas -1992
30-09-1992
Anos 90 / 2000
História – rafa = ] Especial 3º ano

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Kapa 3 iluminismo e revolução francesa
Kapa 3    iluminismo e revolução francesaKapa 3    iluminismo e revolução francesa
Kapa 3 iluminismo e revolução francesaRafael Noronha
 
Expansão dos Estados Totalitários Fascistas
Expansão dos Estados Totalitários FascistasExpansão dos Estados Totalitários Fascistas
Expansão dos Estados Totalitários FascistasValéria Shoujofan
 
7 02 o_agudizar_anos 30
7 02 o_agudizar_anos 307 02 o_agudizar_anos 30
7 02 o_agudizar_anos 30Vítor Santos
 
Crise de 1929 - 9º ano
Crise de 1929 - 9º anoCrise de 1929 - 9º ano
Crise de 1929 - 9º ano7 de Setembro
 
O período entre-guerras (1918-1939): crise de 29 e nazifascismo
O período entre-guerras (1918-1939): crise de 29 e nazifascismoO período entre-guerras (1918-1939): crise de 29 e nazifascismo
O período entre-guerras (1918-1939): crise de 29 e nazifascismoProfessor Marcelo
 
Era Vargas Prof. Elvis John
Era Vargas  Prof. Elvis JohnEra Vargas  Prof. Elvis John
Era Vargas Prof. Elvis JohnElvisJohnR
 
10 2 a _2_guerra_mundial_violência_reconstrução
10 2 a _2_guerra_mundial_violência_reconstrução10 2 a _2_guerra_mundial_violência_reconstrução
10 2 a _2_guerra_mundial_violência_reconstruçãoVítor Santos
 
A era dos extremos
A era dos extremosA era dos extremos
A era dos extremosJorge Miklos
 
Período Entre Guerras e Segunda Guerra
Período Entre Guerras e Segunda GuerraPeríodo Entre Guerras e Segunda Guerra
Período Entre Guerras e Segunda GuerraDouglas Barraqui
 
Historia a-12-ano-resumo
Historia a-12-ano-resumoHistoria a-12-ano-resumo
Historia a-12-ano-resumoEscoladocs
 
Exercícios - Guerra Fria
Exercícios - Guerra FriaExercícios - Guerra Fria
Exercícios - Guerra FriaCarson Souza
 
Slide periodo entre guerras e segunda guerra
Slide periodo entre guerras e segunda guerraSlide periodo entre guerras e segunda guerra
Slide periodo entre guerras e segunda guerraIsabel Aguiar
 

Mais procurados (20)

Kapa 3 iluminismo e revolução francesa
Kapa 3    iluminismo e revolução francesaKapa 3    iluminismo e revolução francesa
Kapa 3 iluminismo e revolução francesa
 
Expansão dos Estados Totalitários Fascistas
Expansão dos Estados Totalitários FascistasExpansão dos Estados Totalitários Fascistas
Expansão dos Estados Totalitários Fascistas
 
7 02 o_agudizar_anos 30
7 02 o_agudizar_anos 307 02 o_agudizar_anos 30
7 02 o_agudizar_anos 30
 
Crise de 1929 - 9º ano
Crise de 1929 - 9º anoCrise de 1929 - 9º ano
Crise de 1929 - 9º ano
 
Guerra fria
Guerra fria Guerra fria
Guerra fria
 
O período entre-guerras (1918-1939): crise de 29 e nazifascismo
O período entre-guerras (1918-1939): crise de 29 e nazifascismoO período entre-guerras (1918-1939): crise de 29 e nazifascismo
O período entre-guerras (1918-1939): crise de 29 e nazifascismo
 
Era Vargas Prof. Elvis John
Era Vargas  Prof. Elvis JohnEra Vargas  Prof. Elvis John
Era Vargas Prof. Elvis John
 
10 2 a _2_guerra_mundial_violência_reconstrução
10 2 a _2_guerra_mundial_violência_reconstrução10 2 a _2_guerra_mundial_violência_reconstrução
10 2 a _2_guerra_mundial_violência_reconstrução
 
A era dos extremos
A era dos extremosA era dos extremos
A era dos extremos
 
Guerra Fria - Atualizada
Guerra Fria - AtualizadaGuerra Fria - Atualizada
Guerra Fria - Atualizada
 
Era vargas
Era vargasEra vargas
Era vargas
 
Período Entre Guerras e Segunda Guerra
Período Entre Guerras e Segunda GuerraPeríodo Entre Guerras e Segunda Guerra
Período Entre Guerras e Segunda Guerra
 
Historia a-12-ano-resumo
Historia a-12-ano-resumoHistoria a-12-ano-resumo
Historia a-12-ano-resumo
 
Nazismo e racismo
Nazismo e racismoNazismo e racismo
Nazismo e racismo
 
Anglo enem aula 10
Anglo enem   aula 10Anglo enem   aula 10
Anglo enem aula 10
 
A guerra fria
A guerra friaA guerra fria
A guerra fria
 
Trabalho de hist 2ª guerr a
Trabalho de hist 2ª guerr aTrabalho de hist 2ª guerr a
Trabalho de hist 2ª guerr a
 
1968
19681968
1968
 
Exercícios - Guerra Fria
Exercícios - Guerra FriaExercícios - Guerra Fria
Exercícios - Guerra Fria
 
Slide periodo entre guerras e segunda guerra
Slide periodo entre guerras e segunda guerraSlide periodo entre guerras e segunda guerra
Slide periodo entre guerras e segunda guerra
 

Semelhante a História – rafa = ] Especial 3º ano

História rafa- república da espada e república do café com leite
História   rafa- república da espada e república do café com leiteHistória   rafa- república da espada e república do café com leite
História rafa- república da espada e república do café com leiteRafael Noronha
 
1932 GUERRA CIVIL.pptx
1932 GUERRA CIVIL.pptx1932 GUERRA CIVIL.pptx
1932 GUERRA CIVIL.pptxssuserb378c8
 
Rafa república da espada e república do café com leite
Rafa  república da espada e república do café com leiteRafa  república da espada e república do café com leite
Rafa república da espada e república do café com leiteRafael Noronha
 
Estudos CACD Missão Diplomática - História do Brasil Aula Resumo 04 - Repúbli...
Estudos CACD Missão Diplomática - História do Brasil Aula Resumo 04 - Repúbli...Estudos CACD Missão Diplomática - História do Brasil Aula Resumo 04 - Repúbli...
Estudos CACD Missão Diplomática - História do Brasil Aula Resumo 04 - Repúbli...missaodiplomatica
 
Movimentossociaisnarepblicavelha1889 1930-130326111526-phpapp01
Movimentossociaisnarepblicavelha1889 1930-130326111526-phpapp01Movimentossociaisnarepblicavelha1889 1930-130326111526-phpapp01
Movimentossociaisnarepblicavelha1889 1930-130326111526-phpapp01wladimir1aguiar
 
Revolução de 1930 slide
Revolução de 1930 slideRevolução de 1930 slide
Revolução de 1930 slideIsabel Aguiar
 
História do Brasil - República [www.gondim.net]
História do Brasil - República [www.gondim.net]História do Brasil - República [www.gondim.net]
História do Brasil - República [www.gondim.net]Marco Aurélio Gondim
 
A crise da república velha no brasil
A crise da república velha no brasilA crise da república velha no brasil
A crise da república velha no brasilAdriana Gomes Messias
 
A crise da república velha no brasil
A crise da república velha no brasilA crise da república velha no brasil
A crise da república velha no brasilAdriana Gomes Messias
 
Do autoritarismo à democracia
Do autoritarismo à democraciaDo autoritarismo à democracia
Do autoritarismo à democraciacattonia
 
Coluna prestes em sertãozinho estudoazul.com professora arlete mantoani
Coluna prestes em sertãozinho estudoazul.com   professora arlete mantoaniColuna prestes em sertãozinho estudoazul.com   professora arlete mantoani
Coluna prestes em sertãozinho estudoazul.com professora arlete mantoaniHugo6798
 
República velha ou
República velha ouRepública velha ou
República velha ouVictor Melo
 
Capítulo 54 2º ano
Capítulo 54    2º anoCapítulo 54    2º ano
Capítulo 54 2º anoAuxiliadora
 

Semelhante a História – rafa = ] Especial 3º ano (20)

História rafa- república da espada e república do café com leite
História   rafa- república da espada e república do café com leiteHistória   rafa- república da espada e república do café com leite
História rafa- república da espada e república do café com leite
 
3° ano Brasil República Velha
3° ano   Brasil República Velha3° ano   Brasil República Velha
3° ano Brasil República Velha
 
2° ano - Brasil República Velha
2° ano - Brasil República Velha2° ano - Brasil República Velha
2° ano - Brasil República Velha
 
1932 GUERRA CIVIL.pptx
1932 GUERRA CIVIL.pptx1932 GUERRA CIVIL.pptx
1932 GUERRA CIVIL.pptx
 
Rafa república da espada e república do café com leite
Rafa  república da espada e república do café com leiteRafa  república da espada e república do café com leite
Rafa república da espada e república do café com leite
 
República Oligárquica
República OligárquicaRepública Oligárquica
República Oligárquica
 
República velha 4
República velha 4República velha 4
República velha 4
 
Estudos CACD Missão Diplomática - História do Brasil Aula Resumo 04 - Repúbli...
Estudos CACD Missão Diplomática - História do Brasil Aula Resumo 04 - Repúbli...Estudos CACD Missão Diplomática - História do Brasil Aula Resumo 04 - Repúbli...
Estudos CACD Missão Diplomática - História do Brasil Aula Resumo 04 - Repúbli...
 
Hist_ria2b_TB.pdf
Hist_ria2b_TB.pdfHist_ria2b_TB.pdf
Hist_ria2b_TB.pdf
 
brasil republica.pdf
brasil republica.pdfbrasil republica.pdf
brasil republica.pdf
 
Movimentossociaisnarepblicavelha1889 1930-130326111526-phpapp01
Movimentossociaisnarepblicavelha1889 1930-130326111526-phpapp01Movimentossociaisnarepblicavelha1889 1930-130326111526-phpapp01
Movimentossociaisnarepblicavelha1889 1930-130326111526-phpapp01
 
República velha,
República velha,República velha,
República velha,
 
Revolução de 1930 slide
Revolução de 1930 slideRevolução de 1930 slide
Revolução de 1930 slide
 
História do Brasil - República [www.gondim.net]
História do Brasil - República [www.gondim.net]História do Brasil - República [www.gondim.net]
História do Brasil - República [www.gondim.net]
 
A crise da república velha no brasil
A crise da república velha no brasilA crise da república velha no brasil
A crise da república velha no brasil
 
A crise da república velha no brasil
A crise da república velha no brasilA crise da república velha no brasil
A crise da república velha no brasil
 
Do autoritarismo à democracia
Do autoritarismo à democraciaDo autoritarismo à democracia
Do autoritarismo à democracia
 
Coluna prestes em sertãozinho estudoazul.com professora arlete mantoani
Coluna prestes em sertãozinho estudoazul.com   professora arlete mantoaniColuna prestes em sertãozinho estudoazul.com   professora arlete mantoani
Coluna prestes em sertãozinho estudoazul.com professora arlete mantoani
 
República velha ou
República velha ouRepública velha ou
República velha ou
 
Capítulo 54 2º ano
Capítulo 54    2º anoCapítulo 54    2º ano
Capítulo 54 2º ano
 

Mais de Rafael Noronha

Brasilidades aula 15 de fev 2021
Brasilidades aula 15 de fev 2021Brasilidades aula 15 de fev 2021
Brasilidades aula 15 de fev 2021Rafael Noronha
 
Cap 1 caderno 11 de geo rafa 3ano
Cap 1 caderno 11 de geo rafa 3anoCap 1 caderno 11 de geo rafa 3ano
Cap 1 caderno 11 de geo rafa 3anoRafael Noronha
 
2ano cap1 rafa geo caderno 6
2ano cap1 rafa geo caderno 62ano cap1 rafa geo caderno 6
2ano cap1 rafa geo caderno 6Rafael Noronha
 
Iluminismo e revolução francesa
Iluminismo e revolução francesaIluminismo e revolução francesa
Iluminismo e revolução francesaRafael Noronha
 
história - rafael - revolução industrial - iluminismo
 história - rafael  - revolução industrial - iluminismo história - rafael  - revolução industrial - iluminismo
história - rafael - revolução industrial - iluminismoRafael Noronha
 
1º ano rafael - roma antiga e império bizantino
1º ano    rafael - roma antiga e império bizantino1º ano    rafael - roma antiga e império bizantino
1º ano rafael - roma antiga e império bizantinoRafael Noronha
 
Desencanto e Max Weber
Desencanto e Max WeberDesencanto e Max Weber
Desencanto e Max WeberRafael Noronha
 
Indústria cultural atualidades rafa
Indústria cultural atualidades rafaIndústria cultural atualidades rafa
Indústria cultural atualidades rafaRafael Noronha
 
Grécia Antiga - 1º EM Fênix ANGLO
Grécia Antiga - 1º EM Fênix ANGLOGrécia Antiga - 1º EM Fênix ANGLO
Grécia Antiga - 1º EM Fênix ANGLORafael Noronha
 
Basicão – 3ºano século xix
Basicão – 3ºano   século xixBasicão – 3ºano   século xix
Basicão – 3ºano século xixRafael Noronha
 
Basicão – 2ºano + idade moderna
Basicão – 2ºano + idade modernaBasicão – 2ºano + idade moderna
Basicão – 2ºano + idade modernaRafael Noronha
 
Basicão – 1ºano + índia
Basicão – 1ºano + índiaBasicão – 1ºano + índia
Basicão – 1ºano + índiaRafael Noronha
 
00 revolução russa – 9º ano sj
00 revolução russa – 9º ano sj00 revolução russa – 9º ano sj
00 revolução russa – 9º ano sjRafael Noronha
 
Revolução russa – 9º ano aula 20 de fevereiro
Revolução russa – 9º ano   aula 20 de fevereiroRevolução russa – 9º ano   aula 20 de fevereiro
Revolução russa – 9º ano aula 20 de fevereiroRafael Noronha
 
Basicão – Brasil Império - 3ano – rafa= ]
Basicão – Brasil Império - 3ano – rafa= ]Basicão – Brasil Império - 3ano – rafa= ]
Basicão – Brasil Império - 3ano – rafa= ]Rafael Noronha
 
Basicão – Renascimento e Reforma 2ano – rafa= ]
Basicão – Renascimento e Reforma    2ano  – rafa= ]Basicão – Renascimento e Reforma    2ano  – rafa= ]
Basicão – Renascimento e Reforma 2ano – rafa= ]Rafael Noronha
 
Basicão – História - Pré História e Primeiras Civilizações 1ano – rafa= ]
Basicão – História - Pré História e Primeiras Civilizações 1ano  – rafa= ]Basicão – História - Pré História e Primeiras Civilizações 1ano  – rafa= ]
Basicão – História - Pré História e Primeiras Civilizações 1ano – rafa= ]Rafael Noronha
 
Atualidades 2016 - ENEM
Atualidades 2016 - ENEM Atualidades 2016 - ENEM
Atualidades 2016 - ENEM Rafael Noronha
 

Mais de Rafael Noronha (20)

Brasilidades aula 15 de fev 2021
Brasilidades aula 15 de fev 2021Brasilidades aula 15 de fev 2021
Brasilidades aula 15 de fev 2021
 
Cap 1 caderno 11 de geo rafa 3ano
Cap 1 caderno 11 de geo rafa 3anoCap 1 caderno 11 de geo rafa 3ano
Cap 1 caderno 11 de geo rafa 3ano
 
2ano cap1 rafa geo caderno 6
2ano cap1 rafa geo caderno 62ano cap1 rafa geo caderno 6
2ano cap1 rafa geo caderno 6
 
1ano cap1 rafa geo
1ano cap1 rafa geo1ano cap1 rafa geo
1ano cap1 rafa geo
 
1gm rafa 2021
1gm rafa 20211gm rafa 2021
1gm rafa 2021
 
Iluminismo e revolução francesa
Iluminismo e revolução francesaIluminismo e revolução francesa
Iluminismo e revolução francesa
 
história - rafael - revolução industrial - iluminismo
 história - rafael  - revolução industrial - iluminismo história - rafael  - revolução industrial - iluminismo
história - rafael - revolução industrial - iluminismo
 
1º ano rafael - roma antiga e império bizantino
1º ano    rafael - roma antiga e império bizantino1º ano    rafael - roma antiga e império bizantino
1º ano rafael - roma antiga e império bizantino
 
Desencanto e Max Weber
Desencanto e Max WeberDesencanto e Max Weber
Desencanto e Max Weber
 
Indústria cultural atualidades rafa
Indústria cultural atualidades rafaIndústria cultural atualidades rafa
Indústria cultural atualidades rafa
 
Grécia Antiga - 1º EM Fênix ANGLO
Grécia Antiga - 1º EM Fênix ANGLOGrécia Antiga - 1º EM Fênix ANGLO
Grécia Antiga - 1º EM Fênix ANGLO
 
Basicão – 3ºano século xix
Basicão – 3ºano   século xixBasicão – 3ºano   século xix
Basicão – 3ºano século xix
 
Basicão – 2ºano + idade moderna
Basicão – 2ºano + idade modernaBasicão – 2ºano + idade moderna
Basicão – 2ºano + idade moderna
 
Basicão – 1ºano + índia
Basicão – 1ºano + índiaBasicão – 1ºano + índia
Basicão – 1ºano + índia
 
00 revolução russa – 9º ano sj
00 revolução russa – 9º ano sj00 revolução russa – 9º ano sj
00 revolução russa – 9º ano sj
 
Revolução russa – 9º ano aula 20 de fevereiro
Revolução russa – 9º ano   aula 20 de fevereiroRevolução russa – 9º ano   aula 20 de fevereiro
Revolução russa – 9º ano aula 20 de fevereiro
 
Basicão – Brasil Império - 3ano – rafa= ]
Basicão – Brasil Império - 3ano – rafa= ]Basicão – Brasil Império - 3ano – rafa= ]
Basicão – Brasil Império - 3ano – rafa= ]
 
Basicão – Renascimento e Reforma 2ano – rafa= ]
Basicão – Renascimento e Reforma    2ano  – rafa= ]Basicão – Renascimento e Reforma    2ano  – rafa= ]
Basicão – Renascimento e Reforma 2ano – rafa= ]
 
Basicão – História - Pré História e Primeiras Civilizações 1ano – rafa= ]
Basicão – História - Pré História e Primeiras Civilizações 1ano  – rafa= ]Basicão – História - Pré História e Primeiras Civilizações 1ano  – rafa= ]
Basicão – História - Pré História e Primeiras Civilizações 1ano – rafa= ]
 
Atualidades 2016 - ENEM
Atualidades 2016 - ENEM Atualidades 2016 - ENEM
Atualidades 2016 - ENEM
 

Último

As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptxAs Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptxAlexandreFrana33
 
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaA Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaFernanda Ledesma
 
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxBaladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxacaciocarmo1
 
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISPrática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISVitor Vieira Vasconcelos
 
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdforganizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdfCarlosRodrigues832670
 
6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx
6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx
6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptxErivaldoLima15
 
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024GleyceMoreiraXWeslle
 
Combinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptx
Combinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptx
Combinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptxalessandraoliveira324
 
PLANO ANUAL 1ª SÉRIE - Língua portuguesa 2024
PLANO ANUAL 1ª SÉRIE - Língua portuguesa 2024PLANO ANUAL 1ª SÉRIE - Língua portuguesa 2024
PLANO ANUAL 1ª SÉRIE - Língua portuguesa 2024SamiraMiresVieiradeM
 
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdfLinguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdfLaseVasconcelos1
 
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosBingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosAntnyoAllysson
 
AULA 7 - REFORMA PROTESTANTE SIMPLES E BASICA.pptx
AULA 7 - REFORMA PROTESTANTE SIMPLES E BASICA.pptxAULA 7 - REFORMA PROTESTANTE SIMPLES E BASICA.pptx
AULA 7 - REFORMA PROTESTANTE SIMPLES E BASICA.pptxrenatacolbeich1
 
Aula 1, 2 Bacterias Características e Morfologia.pptx
Aula 1, 2  Bacterias Características e Morfologia.pptxAula 1, 2  Bacterias Características e Morfologia.pptx
Aula 1, 2 Bacterias Características e Morfologia.pptxpamelacastro71
 
HABILIDADES ESSENCIAIS - MATEMÁTICA 4º ANO.pdf
HABILIDADES ESSENCIAIS  - MATEMÁTICA 4º ANO.pdfHABILIDADES ESSENCIAIS  - MATEMÁTICA 4º ANO.pdf
HABILIDADES ESSENCIAIS - MATEMÁTICA 4º ANO.pdfdio7ff
 
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.pptTREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.pptAlineSilvaPotuk
 
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoGametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoCelianeOliveira8
 
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfCultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfaulasgege
 
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptxFree-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptxkarinasantiago54
 

Último (20)

As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptxAs Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
 
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaA Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
 
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxBaladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
 
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISPrática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
 
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdforganizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
 
6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx
6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx
6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx
 
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
 
Combinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptx
Combinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptx
Combinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptx
 
PLANO ANUAL 1ª SÉRIE - Língua portuguesa 2024
PLANO ANUAL 1ª SÉRIE - Língua portuguesa 2024PLANO ANUAL 1ª SÉRIE - Língua portuguesa 2024
PLANO ANUAL 1ª SÉRIE - Língua portuguesa 2024
 
(76- ESTUDO MATEUS) A ACLAMAÇÃO DO REI..
(76- ESTUDO MATEUS) A ACLAMAÇÃO DO REI..(76- ESTUDO MATEUS) A ACLAMAÇÃO DO REI..
(76- ESTUDO MATEUS) A ACLAMAÇÃO DO REI..
 
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdfLinguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdf
 
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosBingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
 
AULA 7 - REFORMA PROTESTANTE SIMPLES E BASICA.pptx
AULA 7 - REFORMA PROTESTANTE SIMPLES E BASICA.pptxAULA 7 - REFORMA PROTESTANTE SIMPLES E BASICA.pptx
AULA 7 - REFORMA PROTESTANTE SIMPLES E BASICA.pptx
 
Aula 1, 2 Bacterias Características e Morfologia.pptx
Aula 1, 2  Bacterias Características e Morfologia.pptxAula 1, 2  Bacterias Características e Morfologia.pptx
Aula 1, 2 Bacterias Características e Morfologia.pptx
 
HABILIDADES ESSENCIAIS - MATEMÁTICA 4º ANO.pdf
HABILIDADES ESSENCIAIS  - MATEMÁTICA 4º ANO.pdfHABILIDADES ESSENCIAIS  - MATEMÁTICA 4º ANO.pdf
HABILIDADES ESSENCIAIS - MATEMÁTICA 4º ANO.pdf
 
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.pptTREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
 
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoGametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
 
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfCultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
 
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptxFree-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
 

História – rafa = ] Especial 3º ano

  • 1. História – Rafa = ] Material Especial – Conteúdo Final 2017
  • 2. 2
  • 3. República da Espada (1889 – 1894) • Governo Provisório e Governo de Marechal Deodoro da Fonseca • Palavra-Chave: ENCILHAMENTO – tentativa desastrada de melhorar a economia. • Constituição de 1891: voto aberto /1891 – Deodoro eleito indiretamente, federalista. • Crise  tentativa de golpe  Resistência do Exército  Deodoro renuncia e Floriano assume. 3
  • 4. Governo de Floriano Peixoto (1891 – 1894) • Política centralizadora • Mudanças econômicas positivas – baixa no preço da carne. • 1893-94  REVOLTA DA ARMADA • 1893-95  REVOLTA FEDERALISTA  Guerra Civil entre MARAGATOS (federalista) e PICA-PAUS (Republicanos)  Conflito no Rio Grande do Sul revolvido apenas no próximo governo. 4
  • 5. Café com Leite Durante o período denominado República Velha, paulistas e mineiros se alternaram na Presidência da República; este revezamento ficou conhecido como “política do café com leite” 5
  • 6. República do Café-Com-Leite (1894-1930) Prudente de Morais 15/11/1984-15/11/1898 Advogado e político paulista Enfrentou a Guerra de Canudos (1894/97) Terminou o Governo em estado de Sítio. 6
  • 7. Canudos Canudos não se rendeu. Exemplo único em toda a História, resistiu até ao esgotamento completo. [...] Caiu no dia 5, ao entardecer, quando caíram os seus últimos defensores, que todos morreram. Eram quatro apenas: um velho, dois homens feitos e uma criança, na frente dos quais rugiam raivosamente cinco mil soldados.” Euclides da Cunha, Os Sertões. 7
  • 8. Campos Sales 15/11/1898-15/11/1902 Advogado e político paulista Implantou a Política dos Governantes 8
  • 9. Política dos Governantes • Política do café com leite, em que São Paulo e Minas Gerais formaram dois grupos fortes, e os candidatos à presidência eram indicados ora pelo PRP (Partido Republicano Paulista) e ora pelo PRM (Partido Republicano Mineiro). 9
  • 10. Rodrigues Alves = ] 15/11/1902-15/11/1906 Político Paulista, nascido em Guaratinguetá. Valorizou o café – Socialização das Perdas Convênio de Taubaté (SP-MG-RJ) Enfrentou a Revolta da Vacina em 1904 10
  • 11. Revolta da Vacina • Foi uma reação das classes populares a um conjunto de medidas sanitárias, entre as quais uma reforma urbana (eliminação de cortiços, construção de ruas e avenidas largas), realizada com truculência por funcionários do governo federal. 11
  • 12. Afonso Pena 15/11/1906-14/06/1909 Advogado e político mineiro. Efetivou o Convênio de Taubaté Avanço em ferrovias e estradas. 12
  • 13. Nilo Peçanha 14/11/1909-15/11/1910 Político fluminense; assumiu com a morte de Afonso Pena. Grande marco foi a disputa eleitoral entre Rui Barbosa e Hermes da Fonseca. 13
  • 14. Hermes Fonseca • 15/11/1910-15/11/1914 • Militar e político gaúcho, apoiado por MG • Política de Salvação • Desfavoreceu o Nordeste • Enfrentou em 1910, a Revolta da Chibata (RJ), a Revolta de Juazeiro (Ceará) em 1911 e o Contestado (SC – 1912-1916) 14
  • 15. 15
  • 16. Contestado Movimento de caráter popular e messiânico, durante a qual os camponeses do Sul do país, afligidos pela pobreza, lutaram pela posse de suas terras. 16
  • 17. Venceslau Brás 15/11/1914-15/11/1918 Político mineiro Governo conturbado – Movimento Operário e 1ª GM 17
  • 18. Movimento Operário Entre 1917 e 1920, ocorreram grandes greves que mobilizaram expressivo contingente de operários especialmente no Rio de Janeiro e São Paulo. 18
  • 19. Delfim Moreira 15/11/1918-28/7/1919 Político mineiro. Assumiu no lugar de Rodrigues Alves que morreu sem assumir seu 2º mandato 19
  • 20. 20
  • 21. Epitáfio Pessoa 28/7/1919- 15/11/1922 Advogado e político paraibano, apoiado por SP Artur Bernardes 15/11/1922- 15/11/1926 Advogado e político mineiro. 21  Enfrentaram o Tenentismo e o Modernismo
  • 22. Washington Luís 15/11/1926-24/10/1930 Historiador fluminense que fez carreira política em SP. Enfrentou a Crise de 1929 e combateu o Tenentismo. 22
  • 23. Críticas à República Velha Voto era aberto e não havia justiça federal. 23
  • 24. Anos 20 • Mudanças no mundo pós a 1ª Guerra Mundial e a Revolução Russa de 1917. • A crise da oligarquia no Brasil, na década de 1920, refletiu as transformações que ocorriam na sociedade brasileira e que se manifestavam no esgotamento da hegemonia da cafeicultura, na ascensão da classe média, no descontentamento da jovem oficialidade militar e das oligarquias menores com o predomínio dos latifundiários de Minas e São Paulo.
  • 25. Anos 20 • As mulheres começam a ganhar mais espaço na sociedade. • O sistema café-com-leite com sinais de esgotamento
  • 26. Anos 20 •Dois movimentos foram importantes: • Tenentismo • Modernismo
  • 27. Tenentismo •O tenentismo foi um movimento que ganhou força entre militares de média e baixa patente durante os últimos anos da República Velha. •Apoio: classe média urbana •Falta de apoio: população rural.
  • 28. Tenentismo •O que eles queriam ? • Mudança no sistema político do Brasil.
  • 29. Tenentismo • 1º Movimento: Forte de Copacabana em 1922 •Os tenentes apoiaram a candidatura de Nilo Peçanha em oposição ao mineiro Arthur Bernardes.
  • 30. Tenentismo •Em 1924 – tentativa de tomar São Paulo. • Depois de 2 tentativas frustradas ida para o Sul do país – união com rebeldes, liderados por Miguel Costa e Luis Carlos Prestes.
  • 31. Coluna Preste até 1927 Na década de 30, Prestes e todos que eram contra o governo passaram a ser perseguidos por Vargas.
  • 32. Modernismo • 'Contra todos os importadores de consciência enlatada.' ANDRADE, Oswald de. 'Manifesto antropófago'. 'Revista de Antropofagia', São Paulo, ano I, n. 1, mai. 1928. O Movimento Antropofágico, lançado em 1928, celebrizou-se pela radicalização de alguns princípios apregoados durante a Semana de Arte Moderna (1922). 32
  • 33. Modernismo: Uma Mudança Ideológica Ideais do Modernismo foram incorporados na vida política do Brasil, impulsionados não apenas pela arte, como também por necessidade.
  • 34. Modernismo Defendia a apropriação crítica das ideias estrangeiras, em prol da constituição de uma cultura brasileira. 34
  • 35. Três Fases 1922 – Tentativa de Afirmação 1930 – Consolidação 1945 – 1978 - Desvio 35
  • 36. Três Fases 1922 – Tentativa de Afirmação: Principais autores desta fase: Mário de Andrade, Oswald de Andrade, Manuel Bandeira, Antônio de Alcântara Machado, Menotti del Picchia, Cassiano Ricardo, Guilherme de Almeida e Plínio Salgado. 36
  • 37. Três Fases 1930 – Consolidação: Os principais autores são: Carlos Drummond de Andrade, Murilo Mendes, Jorge de Lima, Cecília Meireles, Vinícius de Moraes, Rachel de Queiroz, José Lins do Rego, Graciliano Ramos, Jorge Amado, Érico Veríssimo. 37
  • 38. Três Fases 1945 – 1978 – Desvio: Principais autores Ledo Ivo, Péricles Eugênio da Silva Ramos, Geraldo Vidigal, Domingos Carvalho da Silva, Geir de Campos e Darcy 38
  • 39.
  • 40.
  • 42.
  • 43. Modernismo As ideias do modernismos foram sentidas nos anos 30 a partir de dois eventos: A Crise de 1929. A chegada de Vargas ao poder em 1930.
  • 45. Causas Principais Tratado de Versalhes. Regimes Totalitários. Crise Econômica. Teoria do Espaço Vital.  Indiferença da Liga das Nações  Fator decisivo: ADOLF HITLER 45
  • 46. 46
  • 47. 47
  • 48. Início da Guerra Plano de Expansão de Hitler. Em 1º de Setembro de 1939, Hitler invadiu a Polônia. 48
  • 49. Início da Guerra Em apoio à Polônia, a Inglaterra declarou Guerra à Alemanha, junto com a França. 49
  • 50. Início da Guerra  Estratégia Nazista:  Guerra-Relâmpago  O Blitzkrieg foi uma doutrina militar que consistia em utilizar forças móveis em ataques rápidos e de surpresa, com o intuito de evitar que as forças inimigas tivessem tempo de organizar a defesa.  Seus três elementos essenciais eram o efeito surpresa, a rapidez da manobra e a  brutalidade do ataque. 50
  • 51. 51
  • 52. 52
  • 53. Rivalidade 53 ALIADOS: Inglaterra, França, União Soviética, Polônia, China, EUA, Brasil. X EIXO: Alemanha, Itália e Japão.
  • 54. A Guerra  Inglaterra consegue resistir, diferente da França. 1941: ataque japonês a Peal Harbor EUA entram na Guerra 54
  • 55. A Guerra Até 1943: vitória de Hitler. Invasão da União Soviética. 55
  • 56. A Guerra Stalingrado: o início da queda  teimosia, inverno rigoroso, falta de suprimentos e ofensiva soviética. 56
  • 57. No Brasil, Carlos Drummond de Andrade, em sua Carta a Stalingrado , escreveu: Saber que resistes. Que enquanto dormimos, comemos e trabalhamos, resistes. Que quando abrirmos o jornal pela manhã teu nome (em ouro oculto) estará firme no alto da página. Terá custado milhares de homens, tanques e aviões, mas valeu a pena. Saber que vigias, Stalingrado, sobre nossas cabeças, nossas prevenções e nossos confusos pensamentos distantes dá um enorme alento à alma desesperada e ao coração que duvida. 57
  • 58. A Guerra Participação do Brasil a partir de 1943 com a FEB. A principal ação militar brasileira aconteceu principalmente na organização da campanha da Itália, onde os brasileiros foram para o combate ao lado das forças estadunidenses. 58
  • 59. 28/04/1944: Dia D. 1945: rendição da Itália. 30/04/1945: Hitler se suicida. 08/05/1945: rendição alemã. 59
  • 60.  09/08/1945: rendição japonesa, após as bombas de Hiroshima e Nagasaki 60
  • 61. A Queda 09/08/1945: rendição japonesa, após as bombas de Hiroxima e Nagasáqui. 61
  • 62. Holocausto : O maior crime do Nazismo. 1 º o confinamento em Guetos, como o de Varsóvia, na Polônia. 62
  • 63. Holocausto : O maior crime do Nazismo. Depois os terríveis campos de concentração como a “solução final” 63
  • 64. 64
  • 65. 65
  • 66. 66
  • 67. 67
  • 68. 68
  • 69. 69
  • 70. 70
  • 71. 71
  • 72. 72
  • 73. 73
  • 74. 74
  • 75. 75
  • 76. Fique sabendo Por causa desses horrores da Guerra que a Suástica é um símbolo negativo. 76
  • 77. Consequências  50 milhões de mortos.  Europa destruída. Alemanha dividida em duas. Criação da ONU. EUA x União Soviética: Guerra Fria. 77
  • 78. 78
  • 79. 79
  • 80. 80
  • 81. Idade Contemporânea ARTE Pop Art Movimento principalmente americano e britânico, sua denominação foi empregada pela primeira vez em 1954, pelo crítico inglês Lawrence Alloway, para designar os produtos da cultura popular da civilização ocidental, sobretudo os que eram provenientes dos Estados Unidos.
  • 82.
  • 83.
  • 84.
  • 85.
  • 86.
  • 87.
  • 88.
  • 89.
  • 90.
  • 91. Colagem de Richard Hamilton
  • 95. Revolução de 1930 Washington lançou Júlio Prestes (SP) para assumir o governo, rompendo com a aliança do café-com- leite. Minas Gerais criou a Aliança Liberal, lançando Getúlio Vargas (Rio Grande do Sul) e João Pessoa (Paraíba). Em 1930, Júlio Prestes vence e tudo vai bem até que João Pessoa foi assassinado e a oposição acusou a situação pelo crime e deflagrou-se uma rebelião, que por meio de uma revolta armada colocou Getúlio Vargas no poder.
  • 96. Vargas no Poder Governo Provisório (1930-34) Governo Constitucional (1934-37) Estado Novo (1937-45) Governo Populista (1951-54)
  • 97. Era Vargas Revolução de 1932: reação de São Paulo (oligarquia cafeeira) contra o Governo Vargas, exigindo uma nova constituição.
  • 98.
  • 99.
  • 100.
  • 101. Conclusão A Revolução Constitucionalista de São Paulo não foi a explosão de sentimento liberal pelo Estado de Direito. Foi um ato deliberado e calculado que visava à retomada, pelo velha oligarquia, do poder, do qual havia sido desalojado tão violentamente em 1930.
  • 102. Era Vargas Nova Constituição em 1934: salário mínimo, proibição do trabalho para menores de 14 anos, férias anuais remuneradas e instituição do voto secreto e universal.
  • 103. Ordens políticas Ação Integralista Brasileira (AIB)  Fascismo Aliança Nacional Libertadora (ANL)  1935 Intentona Comunista.
  • 104. Era Vargas 1937: Plano Cohen  simulação de golpe comunista, que permitiu a instalação de Getúlio Vargas no poder até 1945. Inicia-se o ESTADO NOVO
  • 105. Estado Novo Nova Constituição: amplos poderes para o Presidente, perda da autonomia dos governadores, extinção dos partidos políticos e criação do DIP (Departamento de Imprensa e Propaganda).
  • 106. Estado Novo Investimento da indústria nacional Perseguição política Censura Amplos poderes ao DOPS (Departamento de Ordem Política e Social) Brasil participa da 2ª Guerra Mundial
  • 107. Deposição de Vargas: 29/10/1945 Fim da Guerra: sentimento de democracia. Manifestações a favor do Governo: queremismo. Antecipação das eleições estaduais Golpe coloca fim na ditadura de Vargas.
  • 108. Política da Boa Vizinhança Disney e Carmem Miranda
  • 110. Após II Guerra: Necessidade de reconstrução: PLANO MARSHALL  “ajuda” dos EUA para a EUROPA. 110
  • 111. Após 2ª Guerra: Alianças Políticas-Militares: OTAN (EUA) e COMECON* (União Soviética) 111 *Conselho para Assistência Econômica Mútua)
  • 112. Guerra Fria • A URSS transformou-se, após 1945, numa das potências mundiais, tanto no campo econômico como técnico. Um exemplo disso foi o desenvolvimento da política espacial, representada pela primeira viagem em torno da Terra.
  • 113. Guerra Fria Capitalismo (EUA) X Socialismo (URSS) Até o final dos anos 80 113
  • 114. Métodos dos Países Apoio militar e econômico Espionagem: CIA (central de inteligência americana) e KGB (comité de segurança de estado) Caça às bruxas: perseguição aos opositores. Sabotagem econômica ou militar 114
  • 115. A Corrida Espacial Questão Chave: Quem Conquistaria o Espaço? EUA ou URSS?  1961:Yuri Gagarin vai ao espaço pela URSS e vê a “Terra Azul”.  1969: os EUA chegam (ou não) à Lua. 115
  • 116. Guerra do Vietnã Antiga Colônia Francesa Dividida em 1954 em Vietnã do Norte (socialista) e Vietnã do Sul ( monárquico - capitalista) A partir de 1955: ditadura no Sul com o apoio dos EUA Reação em 1959 do Norte com Guerra Civil até 1975 com a vitória socialista. 116
  • 117. Vietnã – Mudanças no Mundo 1968 – O Ano ! 1969 – Woosdock Movimento Hippie PAZ e AMOR 117 Foram anos incríveis...
  • 118. 1968 Os primeiros passos da Globalização apresentavam o mundo de transformações, unindo ideias. 118
  • 119. 1968 “Foi um ano muito especial. Um momento de uma sintonia mágica, misteriosa. [...] Achava que se podia mudar tudo através da ruptura, da revolução. A ironia da história é que eles [os jovens] não fizeram a revolução política, mas acabaram fazendo a revolução cultural” Zuenir Ventura 119
  • 120. 120
  • 121. 121
  • 122. 122
  • 123. 123
  • 125. Guerra Fria • Influência na América Latina  conter o avanço dos movimentos revolucionários na América Latina, reafirmando assim a liderança exercida pelos EUA sobre o Continente
  • 126. Manifestações estudantis gigantes na Cidade do México em junho/ julho de 1968. 126
  • 128. 128
  • 129. Marcha ao Pentágono, 1967. 129
  • 130. 130
  • 131. 29 de maio de 1968, Rio de Janeiro: 50 mil pessoas acompanham o enterro do estudante de Edson Luís. 131
  • 134. “Causas” da onda mundial de revoltas 134 -Descolonização, guerras de libertação nacional e Terceiro-mundismo; - Guerra Fria - Socialismos alternativos; - Sociedade de consumo; urbanização e massificação das universidades;
  • 135. Nehru e Gandhi, líderes da Independência da Índia. 135
  • 137. Revolução Chinesa - 1949 Revolução contra o imperialismo norte americano e a ditadura do proletariado russo. Após Guerra Civil, vitória de Mao Tsé-Tung. 137
  • 138. Depois de 1949 Problemas na cidade. Valorização da agricultura. 1958: Plano “Grande Salto para Frente”, que fracassa. 1966: Revolução Cultural: manter o socialismo e combater opositores. 1976: morte de Mao. Anos 80: modernização econômica, com protestos e dificuldades com o novo contexto. 138
  • 140. Anos 50: Fidel Castro e Che Guevara se conhecem e organizam uma guerrilha para implantar o socialismo em Cuba 140
  • 141. 1959 e Depois de 1959 1959: Revolução Cubana. 1º momento: diplomacia com os EUA até 1961, quando os EUA invadem a Baía dos Porcos para derrubar Fidel Castro. A partir disso os EUA fazem bloqueio econômico à Cuba. Hoje: melhores índices sociais da América (alimentação, saúde e educação). Total falta de liberdade, prisão, tortura e morte. 141
  • 142. O Fim da Guerra Fria O mundo Socialista não conseguiu sobreviver economicamente nos anos 80. O poder do mundo Capitalista sobressaiu-se e conclamou vitorioso. Símbolo: a queda do muro de Berlim em 1989. 142
  • 143. Guerra Fria • O fim da Guerra Fria: • NOVA ORDEM MUNDIAL  formação de megablocos político-econômicos que favoreceram a internacionalização dos fluxos de capitais.
  • 144.
  • 145.
  • 147. De 1945 à 1964 – Brasil Liberal “Apenas dois presidentes conseguiram terminar o seu mandato (Dutra e JK); um se suicidou (Vargas); outro renunciou (Jânio); e o último acabou deposto (João Goulart)”
  • 148. Gaspar Dutra (1946 – 51) .
  • 149. Gaspar Dutra (1946 – 51) Continuação de Vargas Avanço da Indústria Nacional Constituição em 1946: A nova Constituição estabeleceu a divisão dos três poderes (executivo, legislativo e judiciário) e o mandato de cinco anos para cargos executivos.
  • 150. Uma tentativa de planejamento governamental, lançou o plano SALTE, que previa um forte investimento em quatro áreas fundamentais: Saúde, ALimentação, Transporte e Energia. Os recursos viriam da Receita Federal e de empréstimos externos. Este projeto não obteve sucesso e foi abandonado pouco tempo depois.
  • 151. Volta de Vargas (1951 – 54) Populista Valorização do trabalhador Campanha “O Petróleo É Nosso”
  • 152.
  • 153. O Petróleo é Nosso
  • 154. Falta de apoio de muitos setores 24/08/1954: Suicídio Até 1956: Café Filho como Presidente.
  • 156. 50 anos em 5. - O Plano de Metas, que estabelecia 31 objetivos para serem cumpridos durante seu mandato, otimizando principalmente os setores de energia e transporte (com 70% do orçamento), indústrias de base, educação e alimentação.
  • 158. Jânio Quadras (31/01/61 – 25/08/1961
  • 159. Política conservadora e autoritária. “Apoiava” o socialismo. No dia 24 de agosto de 1961, Carlos Lacerda foi à televisão denunciar um possível golpe que estaria sendo articulado pelo Presidente Jânio Quadros.
  • 160. No outro dia, o Brasil se surpreendeu com o pedido de renúncia de Jânio. Ele afirmava em carta ao Congresso que “forças terríveis” o haviam levado a tomar aquele gesto.
  • 161. João Goulart – JANGO (1961 – 1964) Parlamentarismo Reformas que desagradaram os opositores 1964: golpe que instalou a Ditadura
  • 162. Cultura dos anos 30 aos anos 60 Brasil
  • 163. Cultura entre os anos 30 e 60 Modernismo: arte e arquitetura.
  • 164. Cultura entre os anos 30 e 60 Teatro de Revista: realidade cômica.
  • 165. Cultura entre os anos 30 e 60 Cinema: Chanchada e Cinema Novo.
  • 166. Cultura entre os anos 30 e 60 Música: samba e bossa nova
  • 167. Cultura entre os anos 30 e 60  Televisão: inicia-se em 1950  TELENOVELA: a 1ª foi SUA VIDA ME PERTENCE; porém a 1ª a ir ao ar diariamente foi 2-5499 – Ocupado, com Tarcísio Meira e Gloria Meneses em 1963.
  • 168. Logotipo da 1ª Emissora de TV do Brasil – TV TUPI
  • 170.
  • 171. 171
  • 172. Relembrando •Golpe Militar de 1964: •Plano interno •Plano externo •Conjunção dos planos
  • 173. 1ª fase da Ditadura •Implantação e consolidação •Governo Castelo Branco (1964 – 67)
  • 174. Mecanismos do Poder •Ato Institucional nº 1: mais poderes para o Presidente • AI – 2 e 3: eleições indiretas, instituição de apenas dois partidos (ARENA-Aliança Renovadora Nacional e MDB-Movimento Democrático Brasileiro)
  • 175. Mecanismos do Poder •Em 24/02/1967 é aprovada uma nova Constituição, que estabelece mandato presidencial de 05 para 04 anos, estabelece eleições indiretas e reforça o poder do Presidente. •O Brasil aliado dos EUA, corta qualquer relação com países socialistas.
  • 176. 2ª fase: período de violência •Governo Costa e Silva (1967-1969): •AI-5 e Junta Militar
  • 177. A Repressão Aumenta Passeata dos Cem Mil em 26/06/68: “Frente Ampla” pela democracia. AI – 5: resposta dos militares contra as manifestações  o presidente assume os poderes Executivo, Legislativo e Judiciário.
  • 178.
  • 179. Governo Médici (1969 – 74) • Violência e o milagre econômico • Anos de Chumbo
  • 180. Máquina de Repressão Uso de Tortura (assassinato) Exílio Censura
  • 182. Órgãos de repressão: DOI-Codi: Destacamento de Operações de Informações - Centro de Operações de Defesa Interna CENIMAR: Centro de Informações da Marinha CISA: Centro de Informações da Aeronáutica
  • 183. Tristes Instrumentos Cadeira do dragão Pau de Arara Choques elétricos Espancamentos Soro da verdade Afogamentos Geladeira
  • 185. Propaganda de exaltação do governo militar: Inclusive com músicas, como “Eu te amo, meu Brasil” Ufanismo
  • 186. 3ª fase: início da reabertura Governo Geisel ( 1974 – 79) O Estado de exceção enfraquece.
  • 187. A Hora da Virada Vladimir Herzog: a morte do jornalista por meio de tortura (e não suicídio como divulgado) foi fundamental para abertura política “lenta, gradual e segura”
  • 188. Governo Figueiredo (1979 – 85) O Governo de João Batista Figueiredo restabeleceu a autonomia das municípios, estabeleceu anistia aos presos e exilados por motivos políticos e voto direto para Governo Estadual.
  • 189. Anistia A Lei 6 683 concedeu Anistia (PERDÃO) aos perseguidos políticos pela Ditadura Militar e aos agentes da ditadura!
  • 190. Final dos Anos 70 / Início dos anos 80... Ainda há uma pequena repressão Atentados Movimento Sindical no ABC paulista
  • 192. Anos 80: Diretas Já Eleição Indireta de Tancredo Neves em 1984, que falece. Substituído por Sarney. Reabertura Política
  • 193. Governo de José Sarney: (1985 – 90): Planos e problemas econômicos e nova Constituição em 1988 Reabertura Política
  • 194. 1989:Eleições Diretas para presidente: Lula x Fernando Collor de Mello Venceu Collor Reabertura Política
  • 195. Governo Collor (1990-92) 1º Dia de Governo: bloqueio de grande parte do dinheiro que pessoas e empresas tinham no Banco. Fracasso do Plano Collor e das medidas tomadas pela Ministra da Economia, Zélia Cardoso. A inflação continuou alta.
  • 196. Governo Collor (1990-92) Collor não realizou as promessas de campanha, como acabar com a inflação e com os marajás. Grande denúncia em 1992 de corrupção, feita pelo irmão do Presidente, seu motorista e sua secretária. Instauração de uma CPI.
  • 197. Governo Collor (1990-92) Movimento dos Caras Pintadas: FORA COLLOR. Em setembro de 1992, Collor foi afastado e pediu sua renúncia em dezembro do mesmo ano. O Senado o julgou e suspendeu seus direitos políticos por 08 anos. Hoje ele é Senador Federal afastado e disputou o governo do Estado de Alagoas
  • 199. Anos 90 / 2000