1º ano rafael - roma antiga e império bizantino

153 visualizações

Publicada em

resumão

Publicada em: Educação
0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
153
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

1º ano rafael - roma antiga e império bizantino

  1. 1. 1 1º ano EM História e Atualidades Professor Rafa Noronha =]
  2. 2. Roma AntigaRoma Antiga 2
  3. 3. Valores Históricos da Antiguidade Clássica (Grécia e Roma) Homem voltado para a terra e para a vida.  Harmonia Cultural  Antropocentrismo  Racionalismo  Apego aos bens do mundo  Paganismo  Preocupação com a beleza física do corpo  Liberdade de criação  Mitologia como fonte de assuntos 3
  4. 4. Roma Antiga  Civilização poderosa  Grande Império  Legado para o Direito e Religião  Ideia de República (coisa pública) 4
  5. 5. Roma Antiga  Período Monárquico - 753 a.C  Período Republicano - 509 a.C.  Império - 27a.C. – 476 d.C (quando começa a Idade Média) 5
  6. 6. Povos Fundadores da Itália Italiotas Gregos Etruscos 6
  7. 7. 753 a.C.  Período Monárquico: Sociedade: - Patrícios: ricos proprietários de terras - Clientes: dependentes dos patrícios - Plebeus: livres, sem direitos - Escravos (por dívidas)7
  8. 8. Privilégios Sociais  Os privilégios dos cidadãos das cidades antigas se originavam da condição de proprietários rurais.
  9. 9. Período Monárquico Economia: Atividades agropastoris 9
  10. 10. Período Monárquico Política: - Rei: eleito pela Comitia Curiata (assembleia) - Senado: tomar decisões e controlar o Rei  também chamado de Conselho dos Anciões. 10
  11. 11. Período Monárquico Características: - Os últimos reis desse período tentaram diminuir a ação do Senado, que em resposta, com o apoio dos patrícios, implantaram a República, em 509 a. 11
  12. 12. 509 a.C. Período Republicano:  Sociedade: Os plebeus nesse período ganham mais espaço no cenário político com a criação da tribuna da plebe. 12
  13. 13. Período Republicano: Economia: Atividades agropastoris / Comércio 13
  14. 14. Período Republicano Política: - Senado - Magistrados: funções executivas e jurídicas. 14
  15. 15. Período Republicano Política: - Consulado: dois cônsules eram responsáveis pela política interna e externa. 15
  16. 16. Período Republicano: - Tribuno da Plebe: representante dos plebeus com direito de veto no Senado - Comicia Plebis: assembleia para eleger a Tribuna da Plebe 16
  17. 17. Período Republicano  Características: - Em 450 a.C., os plebeus conseguiram a Lei das Dozes Tábuas, que autorizava o casamento com patrícios e proibia a escravidão por dívidas. 17
  18. 18. Período Republicano - Ampliação do território Romano, com a ajuda das Guerras Púnicas, em 146 a.C. ROMA X CARTAGO 18
  19. 19. Guerras Púnicas  Primeira Guerra Púnica: 264 a 241 a.C.  vitória romana, que levou a uma reação de Cartago, levando à  Segunda Guerra Púnica: 218 a 202 a.C.  Cartago comandado por Aníbal, que apesar de grandes feitos, não conseguiu resultado positivo.  Terceira Guerra Púnica: 150 a 146 a.C. decisiva para expansão romana. 19
  20. 20. Período Republicano: - Com essas Guerras, Roma passa a tornar escravo aquele que perdeu a Guerra. 20 - Roma conhece o seu apogeu e a- Roma conhece o seu apogeu e a cidade cresce populacionalmente,cidade cresce populacionalmente, gerando conflitos sociaisgerando conflitos sociais  “pão e“pão e circo”: distribuir trigo e promoção decirco”: distribuir trigo e promoção de espetáculosespetáculos
  21. 21. Roma:  A expansão romana pelo Mar Mediterrâneo gerou :  grande número de escravos;  predomínio do comércio;  êxodo rural;  empobrecimento da plebe;
  22. 22. Expansão:  a crescente influência cultural dos povos conquistados, em especial os gregos, alterando as práticas religiosas romanas.  enriquecimento do Estado romano.
  23. 23. Período Republicano: - Irmãos Graco, por meio da Tribuna da Plebe, promoveram ( ou tentaram) a reforma agrária. 23
  24. 24. Período Republicano: - As crises levaram ao surgimentos dos chamados TRIUVIRATOS: Primeiro Triunvirato (59 a.C. – 53 a.C.), Júlio César, Pompeu (o Grande) e Marco Licínio Crasso (Crassus) Segundo Triunvirato (43 a.C. – 33 a.C.), Octaviano, Marco Antônio e Lépido 24
  25. 25. Queda da República  As lutas internas nos Triunviratos  Ditadura e assassinato de César;  Rivalidade de Otávio e Antônio;  Vencedor em Áccio em 31 a.C., Otávio ficou exclusivo senhor do mundo antigo; foi proclamado imperador sob o nome de Augusto, reunindo nas suas mãos todos os poderes, todas as magistraturas. 25
  26. 26. Formação do Império  Júlio César :  Adquiriu grandes poderes:  Ditador perpétuo - censor vitalício;  Lutas políticas pelo poder, sobretudo no Senado Romano.
  27. 27. Otávio Augusto – 1º Imperador 27
  28. 28. 27a.C. Império:  Sociedade: Cidadãos divididos em três camadas, conforme seus bens 28
  29. 29. Império: Economia:  Comércio 29
  30. 30. Alto Império: - Otávio conseguiu trazer melhorias para Roma, governou por 41 anos (PAZ AUGUSTA)  Paz Romana 30
  31. 31. Alto império  Máximo do PÃO e CIRCO 31
  32. 32. Alto Império No Governo de Otávio nasceu Jesus Cristo, que originou uma nova religião: Cristianismo. 32
  33. 33. Religião  Várias razões explicam as perseguições sofridas pelos cristãos no Império Romano, entre elas:  a oposição à religião do Estado Romano e a negação da origem divina do Imperador, pelos cristãos.
  34. 34. Religião  O Edito de Milão (313):  Proclamou a liberdade do culto cristão passando Constantino a ser o protetor da Igreja. 
  35. 35. Baixo Império - A crise do sistema escravista tentou ser superada, sem sucesso, por Diocleciano, 284 d.C. e por Constantino em 313, buscando apoio dos Cristãos, legalizando a religião, dividiu o Império no Ocidente e no Oriente. No entanto, sem sucesso. 35
  36. 36. Invasões  A ruralização econômica do Império Romano do Ocidente (do século III ao V d.C.) NÃO teve como consequência:  o rebaixamento de muitos homens livres à condição de colonos que se tornaram presos à terra.  o surgimento do colonato, que se constituiu no arrendamento de terras aos camponeses.  o latifúndio, principal unidade de produção, tornou- se quase autossuficiente.  A diminuição do afluxo de escravos para Roma, que dinamizou a expansão da economia agrícola.  o campo tornou-se mais seguro que as cidades, em decorrência das desordens político-sociais e da crise econômica.
  37. 37. 37
  38. 38. 38
  39. 39. IMPÉRIO BIZANTINO A cidade de Constantinopla foi fundada em 330 pelo Imperador Constantino. A sua localização facilitava as atividades comerciais e políticas 39
  40. 40. Império Bizantino O auge do Império Bizantino ocorreu com o imperador Justiniano (527-565). Direito Civil: Corpos Juris Civilis – legado para atualidade 40
  41. 41. Constantinopla 41
  42. 42. Constantinopla – atual Istambul – TURQUIA 42
  43. 43. Cultura Bizantina Desenvolveu-se uma rica arte religiosa, vinculada à Igreja ortodoxa e uma arte leiga, ligada ao luxo e à riqueza da corte do Império. A cultura bizantina sofreu influência dos gregos, romanos, persas e árabes. 43
  44. 44. 476 d.C. Idade Média:  As invasões bárbaras marcaram o fim do Império Romano, com a tomada da cidade de Constantinopla, capital do Império Romano do Oriente e deram início ao chamando Feudalismo. 44
  45. 45. Cultura e Religião Romana Direito Direito Público e privado. Artes Herança e aperfeiçoamento gregos. Religião Politeísta Cristianismo 45
  46. 46. Império Bizantino  “Crise iconoclasta”:  Descontentamento imperial com o prestígioDescontentamento imperial com o prestígio e riqueza dos mosteiros (fabricantes dee riqueza dos mosteiros (fabricantes de ícones), que atraíam para o serviço monásticoícones), que atraíam para o serviço monástico muitos jovens, impedindo-os de contribuíremmuitos jovens, impedindo-os de contribuírem para o Estado na qualidade de soldados,para o Estado na qualidade de soldados, marinheiros e camponeses.marinheiros e camponeses.
  47. 47. Cisma do Oriente Vimos até o momento a decadência de Roma, suas principais consequências e alguns aspectos do Império Bizantino. Veremos agora o aspecto religioso desse Império. 47
  48. 48. Origem – diferenciação religiosa  O Grande Cisma, ou Cisma do Ocidente.  As heresias causavam instabilidade social em virtude da ação de seus divulgadores, levando os imperadores a intervir na estrutura administrativa da Igreja de Constantinopla. Essa prática ficou conhecida como cesaropapismo, que consistia na supremacia do Imperador, o eleito de Deus, sobre a Igreja..
  49. 49. Cisma do Oriente Disputas pelo poder, levaram ao chamado cisma (divisão) do Oriente em 1054, dividindo a Igreja cristã em duas: Igreja Ortodoxa Grega: chefiada pelo patriarca de Constantinopla. Igreja Católica Romana: chefiada pelo papa. 49
  50. 50. Regras eRegras e RituaisRituais OrtodoxosOrtodoxos CatólicosCatólicos Voto deVoto de CastidadeCastidade Opcional para padre, obrigatório para o bispo Obrigatória para todo sacerdote PapaPapa Não reconhecem sua autoridade É a autoridade máxima QuaresmaQuaresma Dura 47 dias Dura 40 dias CalendárioCalendário Usam o Juliano, com 13 dias a menos no ano Usam o Gregoriano como 365 dias NatalNatal Comemoram em 7 de Janeiro Comemoram em 25 de Dezembro Imagens dosImagens dos SantosSantos As igrejas não têm estátuas, só pinturas Não há restrições a estátuas CruzCruz Tem três barras Tem apenas uma barra horizontal 50
  51. 51. Império Bizantino  Cultura:  Mosaicos coloridos e cúpulas arredondadas.  Representavam também a teocracia, o caráter despótico do imperador associado à sua influência política  apresentando um caráter despótico

×