Universidade Federal de Pelotas Centro de Educação a Distância Produção de Material Didático Digital para Diversidade Mate...
Considerações iniciais... O presente material tem por objetivo discutir acerca da tolerância, atitude/sentimento urgenteme...
“ Aprendi o silêncio com os faladores, a tolerância com os intolerantes, a bondade com os maldosos; e, por estranho que pa...
Observe a fotografia...
<ul><li>Após observar a imagem, reflitam sobre as seguintes questões </li></ul><ul><li>Quais foram tuas percepções sobre a...
<ul><li>A partir de tuas reflexões sobre os questionamentos anteriores, como os elementos presentes nelas se articulam com...
Vídeo sobre tolerância La tolerancia* *Devido ao formato desta apresentação, o  link  para o vídeo “La tolerancia” está di...
Estabelecendo conexões e ampliando ideias... Rosária Sperotto afirma que “a subjetivação é um processo através do qual são...
Nesse sentido, Marcos Villela Pereira coloca que “talvez se trate de aprendermos a ter uma relação de tolerância, em prime...
A partir das ideias expressas pelos autores citados anteriormente, observa-se que a relação entre subjetividade e o desenv...
Sperotto destaca que “um dispositivo pedagógico age em qualquer lugar, transforma relações entre as pessoas, no meio onde ...
A importância dessa prática se constitui em desafio para Pereira, pois “não é nada fácil romper a inércia que nos envolve ...
Sugestão de leitura
Considerações finais A escolha pela fotografia apresentada neste trabalho decorreu da possibilidade de utilizá-la para sus...
Para finalizar, os dispositivos pedagógicos “contaminam”, positiva ou negativamente, o jeito de ser, de pensar e experimen...
Referência Link para vídeo “La tolerancia”:  http://www.youtube.com/watch?v=xzhEo7wzMCw
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Educação para Tolerância

1.373 visualizações

Publicada em

Material sobre Educação para Tolerância.

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.373
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
18
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Educação para Tolerância

  1. 1. Universidade Federal de Pelotas Centro de Educação a Distância Produção de Material Didático Digital para Diversidade Materiais Didáticos Digitais na perspectiva da Diversidade EDUCAÇÃO PARA A TOLERÂNCIA Rafael Schilling Fuck Novo Hamburgo, 26 de Junho de 2011
  2. 2. Considerações iniciais... O presente material tem por objetivo discutir acerca da tolerância, atitude/sentimento urgentemente demandado na contemporaneidade. Este material se destina à formação de professores de todos os níveis da educação.
  3. 3. “ Aprendi o silêncio com os faladores, a tolerância com os intolerantes, a bondade com os maldosos; e, por estranho que pareça, sou grato a esses professores” (Khalil Gibran)
  4. 4. Observe a fotografia...
  5. 5. <ul><li>Após observar a imagem, reflitam sobre as seguintes questões </li></ul><ul><li>Quais foram tuas percepções sobre a fotografia observada? </li></ul><ul><li>O que você acha que estava acontecendo no momento em que esta imagem foi obtida? </li></ul><ul><li>Quais são as semelhanças e diferenças entre os sujeitos da fotografia? </li></ul><ul><li>O que há “por trás” de cada sujeito? Todos possuem a mesma história de vida? Possuem desejos comuns? Quais são suas necessidades? </li></ul><ul><li>O que torna cada sujeito um indivíduo singular? </li></ul>
  6. 6. <ul><li>A partir de tuas reflexões sobre os questionamentos anteriores, como os elementos presentes nelas se articulam com a temática da tolerância? Isto é: </li></ul><ul><li>O que é tolerância? </li></ul><ul><li>Qual é o significado do trinômio indivíduo-coletivo-tolerância ? </li></ul><ul><li>Como se desenvolve a tolerância? </li></ul><ul><li>O que é um sujeito intolerante? Como tornar um indivíduo intolerante em tolerante? </li></ul><ul><li>Como se articulam subjetividade e tolerância? </li></ul><ul><li>Quais são as implicações da (in)tolerância? </li></ul>
  7. 7. Vídeo sobre tolerância La tolerancia* *Devido ao formato desta apresentação, o link para o vídeo “La tolerancia” está disponível nas referências deste trabalho.
  8. 8. Estabelecendo conexões e ampliando ideias... Rosária Sperotto afirma que “a subjetivação é um processo através do qual são criadas novas formas: de existência, de relações, de saberes e de vínculos; ela emerge a partir da consciência de si, ou seja, como nos sentimos e estabelecemos relações e conexões com o que nos cerca”.
  9. 9. Nesse sentido, Marcos Villela Pereira coloca que “talvez se trate de aprendermos a ter uma relação de tolerância, em primeiro lugar, conosco mesmos. Aprender sobre nós mesmos, aprender como é que a gente se torna aquilo que é, como é que a gente vive, age e reage com as interferências que vêm do meio, do outro, dos outros. Como é que a gente se faz feliz, como é que a gente cresce, se transforma, se diferencia da gente mesmo. Depois, depois de prestar atenção e escutar a gente mesmo e aprender um pouco mais de si, tratar de aprender a ter uma relação de tolerância com o outro, com os outros, com a cidade”.
  10. 10. A partir das ideias expressas pelos autores citados anteriormente, observa-se que a relação entre subjetividade e o desenvolvimento do sentimento/atitude de tolerância se estabelece na medida em que o sujeito se torna consciente de si, de sua forma de pensar, de agir, os quais são culturais e, portanto, não são formas naturais e neutras. A questão que emerge nesse contexto é: como a escola pode contribuir para a formação de sujeitos tolerantes, promovendo assim uma educação para a paz? Nessa ótica, a escola pode utilizar, critica e criativamente, os dispositivos pedagógicos, de tal forma que contribuam na constituição de uma subjetividade tolerante.
  11. 11. Sperotto destaca que “um dispositivo pedagógico age em qualquer lugar, transforma relações entre as pessoas, no meio onde interage, bem como nas que o sujeito estabelece consigo mesmo”. Nesse sentido, a fotografia escolhida para este trabalho é um exemplo de dispositivo pedagógico que pode mobilizar os indivíduos na busca de novas formas de pensamento, expressão, relação entre outros sujeitos e grupos, experimentação de novos modos de ser.
  12. 12. A importância dessa prática se constitui em desafio para Pereira, pois “não é nada fácil romper a inércia que nos envolve e partir para a experimentação de outros estados, outros jeitos de ser. Não é fácil (apesar do tanto que a gente reclama da violência) fazer da cidade um grande laboratório de experimentação de modos de ser. Porque isso nos coloca em constante risco. Risco de dar errado, risco de sucumbir, de se equivocar, de exagerar. Risco que faz parte, mas ao qual nós renunciamos em nome da comodidade dos espaços e dos tempos regulados, dos modos de ser padronizados e continuadores de um certo jeito óbvio de ser. Risco de não saber em que vamos nos tornar”.
  13. 13. Sugestão de leitura
  14. 14. Considerações finais A escolha pela fotografia apresentada neste trabalho decorreu da possibilidade de utilizá-la para suscitar questionamentos aos professores acerca de aspectos relacionados aos processos de subjetivação, os quais precisam considerar os diversos dispositivos pedagógicos (mídias, tecnológicos, indivíduos e grupos). Em seguida, a partir da análise dessas questões, objetivou-se apontar possíveis percursos que “ligam” os termos subjetividade e tolerância por meio das contribuições de Sperotto e Pereira.
  15. 15. Para finalizar, os dispositivos pedagógicos “contaminam”, positiva ou negativamente, o jeito de ser, de pensar e experimentar do sujeito. Nesse sentido, o papel do professor é orientar seu aluno para uma reflexão crítica dos efeitos desses dispositivos na constituição de sua subjetividade, conduzindo-o ao terreno da consciência, pois como bem colocou Pereira, “depois de prestar atenção e escutar a gente mesmo e aprender um pouco mais de si, tratar de aprender a ter uma relação de tolerância com o outro, com os outros, com a cidade”, é que a tolerância servirá de referência para as relações sociais e individuais.
  16. 16. Referência Link para vídeo “La tolerancia”: http://www.youtube.com/watch?v=xzhEo7wzMCw

×