Relatorio método da repetição e pd pi

2.021 visualizações

Publicada em

Posição Direta e Posição Inversa

Publicada em: Tecnologia
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.021
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
22
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Relatorio método da repetição e pd pi

  1. 1. TÉCNICAS DE MEDIÇÕES DE DIREÇÕES HORIZONTAIS Aluno: Rafael Victor Moreno RA: 1599 Período/ Turma: 4° Engenharia de Agrimensura e Cartográfica Professor: Fabio Albarici Disciplina: Topografia III Inconfidentes – MG 05 de Novembro de 2012 1
  2. 2. 1. Método da Repetição Com um teodolito eletrônico foram definidos dois pontos, A e B por exemplo. Primeiro visa-se o ponto A e depois se visa o ponto B. Travasse a direção encontrada no ponto B, apertando HOLD, e volte novamente para o ponto A, destrave o aparelho, apertando HOLD novamente, faça igualmente a leitura no ponto B e trave nesta direção repetindo o processo até que ângulo lido passe de 360°. Exemplo de campo : Cálculos: Onde: β=Ângulo entre as duas direções Lf=Leitura final Li=Leitura inicial x=quantidades de vezes que se passou pelo ângulo de 360° n= número de repetições que foram feitas β = 135°11’38’’ – 300°40’40’’ + 1.360° β = 32° 25’ 9,67’’ 6 2
  3. 3. 2. Medidas com reiteração e pares conjugados (PD e PI) Utilizando um teodolito eletrônico, foram definidos dois pontos A e B. Após definido os pontos travou-se o aparelho em um ângulo notável de preferencia (Ex: 30°, 45°, 60°, 90°) e se visou o ponto A e destravou-se o ângulo mirando posteriormente em B. Feito isso se tomba a luneta e vise o ponto B novamente, porém agora de maneira inversa, e mire o ponto A de novo, não deixando de anotar os ângulos em cada momento que foi visado os pontos. Novamente comece a leitura na posição direta no ponto A, só que neste momento o ângulo travado em A deve ser somado pelo que foi utilizado no começo do trabalho (ex: se começou com um ângulo de 30° no ponto A neste momento desse colocar 60°) e repita todo o processo de se visar em B tombar a luneta visar em B e novamente em A até que se complete a leitura de 360°. Exemplo de campo: PD PI M1 PD PI M2 PD PI M3 PD PI M4 PD PI M5 PD PI M6 PD PI M7 PD PI M8 A 45°0’0’’ 224°59’43’’ B 77°25’04’’ 257°25’10’’ 90°0’0’’ 269°59’57’' 122°25’10’’ 302’25’25’’ 135°0’0’’ 315°0’07’’ 167°25’14’’ 347°25’27’’ 180°0’01’’ 0°0’01’’ 212°25’22’’ 32°25’22’’ 225°0’0’’ 45°0’19’’ 257°25’29’’ 77°25’38’’ 270°0’0’’ 90°01’01’’ 302°25’13’’ 122°25’25’’ 315°0’0’’ 134°59’57’’ 347°25’11’’ 167°25’11’’ 360°0’0’’ 179°59’53’’ L 32°25’08’’ 212°25’14’’ αm = 3
  4. 4. Cálculos: Mn = PD + PI - 90 2 Onde: Mn = Media da repetição PDA = Pontaria direta no ponto A PIA = Pontaria inversa no ponto A n = número da repetição Ln = Mf - Mi Onde: Ln = ângulo médio entre as visadas Mf = ângulo visado no ponto final da direção entre os pontos Mi= ângulo visado no ponto inicial da direção entre os pontos αm = ∑α n onde: αm = ângulo médio das direções α = ângulo de cada repetição n = número total de repetições 4

×