poema de camoes

12.562 visualizações

Publicada em

camoesrafael

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
12.562
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
84
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

poema de camoes

  1. 1. Trabalho elaborado por : Elisabete Rodrigues nº9 Marcela Moreira nº24 1ºC
  2. 2. Luís de Camões Eu cantarei de amor tão docemente, Por uns termos em si tão concertados, Que dois mil acidentes namorados Faça sentir ao peito que não sente. Farei que amor a todos avivente, Pintando mil segredos delicados, Brandas iras, suspiros magoados, Temerosa ousadia e pena ausente. Também, Senhora, do desprezo honesto De vossa visita branda e rigorosa, Contentar-me-ei dizendo a menor parte. Porém, pera cantar de vosso gesto A composição alta e milagrosa Aqui falta saber, engenho e arte.
  3. 3. •É um soneto
  4. 4. ABBA Emparelhada ABBA Interpolada CDE Interpolada CDE Interpolada
  5. 5. Por/ uns/ ter/mos/ em/ si/ tão/ com/cer/ta/dos 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 10 sílabas decassílabo
  6. 6. O poema fala do amor, da disponibilidade que o poeta demonstra para declarar do seu amor.
  7. 7. •“Eu cantarei de amor tão docemente” •“Fazei amar a todas a vivente” •“Faça sentir ao peito que não sente”
  8. 8. •Hipérbole:” Que dois mil acidentes namorados” •Personificação:”Brandas iras, suspiros magoados” •Adjectivação:”A composição alta e milagrosa” “Também senhoras, do desprezo honesto” •Antítese:” De vossa vista branda e rigorosa” •Emprego do futuro: cantarei, farei, contentar-me-ei.

×