SlideShare uma empresa Scribd logo
HISTÓRIA
PROFESSOR: EDUARDO C. GUIMARÃES
A NOVA REPÚBLICA
► HERANÇA DOS GOVERNOS MILITARES

 Grave crise econômica: inflação elevada, dívida externa assombrosa (US$ 100 bilhões),
dívidas públicas internas maiores do que a arrecadação (déficit público), “década perdida”.
 Campanha em favor das eleições diretas para presidente da República – Diretas Já – (emenda
Dante de Oliveira - 1984). “Senhor Diretas”: Ulysses Guimarães.
 A derrota revela um novo país: da força sindical, das multidões e da imprensa atuante.
 Corrida presidencial – colégio eleitoral.
Paulo Maluf
versus
Tancredo Neves
(PDS)
(PMDB e PFL - Aliança democrática)
► O PRESIDENTE QUE NÃO FOI, MAS QUE PODERIA TER SIDO
TANCREDO NEVES (34º presidente)
 O sonho de liberdades políticas, transparência e crescimento econômico.
 O lento calvário: do dia 14 de março a 21 de abril.

► GOVERNO DE JOSÉ SARNEY (15/03/1985-1990)




Desconfiança dos Militares e da sociedade brasileira;
Entra para a história como o presidente da redemocratização, da nova Constituição e do pacote
econômico que provocou imensa mobilidade social, o Plano Cruzado.
 Medidas para o restabelecimento da democracia: eleições diretas em todos os níveis,
legalização de partidos políticos de quaisquer tendências e a convocação de uma Assembleia
Constituinte.
 Planos Econômicos
 28/02/1986, o Plano Cruzado (Dílson Funaro): o cruzeiro perde três zeros e vira cruzado;
congela preços e aluguéis “fiscais do Sarney” (primeira manifestação coletiva de defesa
dos direitos dos consumidores e de exercício pleno da cidadania); reajusta
automaticamente os salários pela inflação “gatilho salarial”; acaba a correção monetária,
exceto para a poupança; garantir a vitória do PMDB e do PFL nas eleições de novembro.
 O fracasso do Plano Cruzado (recessão, moratória) levou ao Plano Bresser (1987) e ao
Plano Verão (1989), quando a moeda foi mudada para o cruzado novo. Também não
deram resultados e a inflação atingiu os maiores índices da história.
 A Constituição de 1989
 01/02/1987, início dos trabalhos do Congresso Nacional Constituinte e promulgação da
Constituição em outubro de 1988:
 Democracia liberal; três poderes; eleições diretas para o Executivo e Legislativo; voto
obrigatório (18 a 70 anos) e facultativo para analfabetos, jovens entre 16 e 18 anos e
pessoas com mais de 70; fim da censura prévia; garantia do direito de greve; liberdade
sindical; revisão da constituição após cinco anos e plebiscito (1993).

► DE COLLOR A FHC



Fernando Collor de Mello (PRN)
 Jovem, bem-apessoado, dinâmico, moderno, esportista, neoliberal, “caçador de marajás”;










Fim da inflação, moralização da política, modernização econômica, diminuição do papel
do estado, privatização, abertura econômica e ajuda aos ”descamisados”;
Difíceis de cumprir, porque ele não contava com uma base partidária sólida e coerente
com o governo;
Collor 51,5 % contra 48,5 % de Lula (18/dez/1989);

Plano Collor (combate a inflação “em um só tiro” – jan./1990)
 Zélia Cardoso de Mello; De cruzado novo para cruzeiro; Confisco e congelamento por
dezoito meses; Congelamento de preços e salários; Aumento de impostos e tarifas
públicas; Redução dos funcionários públicos;
 Apesar dos sacrifícios, o fracasso:

Empresas sem recursos e crédito; Recessão; Desemprego cresceu; Mínimo de
63 para 40 dólares;

Inflação resiste;
Programa Nacional de Desestatização
 Privatizar as empresas estatais;
 A favor:

Estatais deficitárias; Sem recursos para financiar os investimentos; Manter a
competitividade; O dinheiro da venda equilibraria as contas; Atrair
investimentos;
 Contra

Algumas eram lucrativas; Boa administração e investimentos bem feitos;
Tornar-se-iam competitivas; Lucro; Não a intromissão estrangeira no Brasil;
O impeachment e os “caras pintadas”.

Abril de 1992  Pedro Collor denuncia o irmão;

Fraudes, corrupção, tráfico de influência, propinas e extorsão, irregularidades
financeiras;

Comandado por Paulo César de Farias, o PC;
 Maio/92  C.P.I.
 Setembro/92  A.B.I. e a O.A.B. encaminham o pedido de Impeachment e abertura de
processo;
 Outubro/92  Collor afastado, assume Itamar Franco interinamente;
 Multidões de estudantes saem às ruas, “caras pintadas”;
 Dezembro/92  Collor renuncia;
 Senado cassou seus direitos políticos por oito anos;
 Itamar empossado na presidência;

 1992  II Conferência das Nações Unidas sobre o Meio Ambiente e Desenvolvimento –
Eco-92 ou Cúpula da Terra;
 A Carta da Terra: direitos e responsabilidades das nações na preservação ambiental;
 Agenda 21: programa de ação para o séc. XXI;
 Documentos sobre: o Clima, a Biodiversidade e as Florestas;
 Atividades paralelas de ONGs;
 Simultaneamente ocorre: a Conferência Mundial dos povos indígenas;
 O desvio de verbas da L.B.A.  Rosane Collor;
 O escândalo dos “Anões do Orçamento”;
 A misteriosa morte de PC Farias  junho de 96;
O GOVERNO ITAMAR FRANCO
Itamar Franco assumiu após o Impeachment de Fernando Collor de Mello de forma interina
(de outubro a dezembro de 92, definitivo de 29 de dezembro de 1992). Problemas do Brasil: recessão
prolongada, inflação aguda e crônica, desemprego, descrença geral nas instituições e de baixa
autoestima.
Realizar uma gestão transparente, algo tão almejado pela sociedade brasileira. Em Abril de
1993, cumprindo com o previsto na Constituição, o governo fez um plebiscito para a escolha da
forma e do sistema de governo no Brasil. O povo decidiu manter tudo como estava: escolheu a
República (66% contra 10% da Monarquia) e o Presidencialismo (55% contra 25% do
Parlamentarismo).
No governo de Itamar Franco foi elaborado o mais bem-sucedido plano de controle
inflacionário da Nova República: o Plano Real. Montado pelo seu Ministro da Fazenda, Fernando
Henrique Cardoso, o plano visava criar uma unidade real de valor (URV) para todos os produtos,
desvinculada da moeda vigente, o Cruzeiro Real, criada meses antes. Desta forma, cada URV
correspondia a US$ 1. Posteriormente a URV veio a ser denominada “Real”, a nova moeda brasileira.
O Plano Real foi eficiente, já que proporcionou o aumento do poder de compra dos brasileiros e o
controle da inflação. Motivos: 1- o fim da indexação , ou seja, do repasse automático da inflação
mensal para os salários, prestações, aluguéis e contratos em geral; 2- a vinculação da nova moeda ao
dólar norte-americano; 3- câmbio elevado mantido pelo BC, com um dólar valendo um real.
Os aspectos positivos do plano real, queda da inflação, foram sentidos de imediato, enquanto o
lado negativo, falências, desemprego, só seria percebido a médio prazo.
Mesmo investigado dela CPI, entre 1993 e 1994, em virtude de denúncias de irregularidades
no desenvolvimento do Orçamento da União, Itamar Franco terminou seu mandato com um grande
índice de popularidade. Uma prova disso foi o seu bem-sucedido apoio a Fernando Henrique Cardoso
na sucessão presidencial.
GOVERNO FHC - FERNANDO HENRIQUE CARDOSO
Após o sucesso do plano real, a política de estabilidade e de continuidade do Plano Real,
Fernando Henrique Cardoso (PSDB) foi eleito Presidente do Brasil já no primeiro turno (03/10/1994)
com larga escala de votos e tomou posse dia 1º de Janeiro de 1.995, sendo reeleito em 1.998, tendo
nos dois mandatos Marco Maciel, do PFL, como vice-presidente.
No primeiro mandato conseguiu a aprovação da emenda constitucional que criou a reeleição
para cargos executivos. Outras realizações: privatização de empresas estatais (Embraer, Telebrás,
Vale do Rio Doce e outras estatais); a implantação do gasoduto Brasil-Bolívia; programas sociais
como a Bolsa Escola, Bolsa Alimentação e o Vale Gás; entrou em vigor a Lei de Responsabilidade
Fiscal (LRF) (rigor na execução do orçamento público, que limitava o endividamento dos estados e
municípios e os gastos com o funcionalismo público)
Houve diversas denúncias de corrupção, como: a compra de parlamentares para aprovação da
emenda constitucional que autorizava a reeleição e também o favorecimento de alguns grupos
financeiros na aquisição de algumas estatais.
No início do segundo mandato de FHC, em 1.999 houve uma forte desvalorização do real,
devido a crises financeiras internacionais (Rússia, México e Ásia) que levou o Brasil a maior crise
financeira da história, além de aumentar os juros reais e aumentar a dívida interna brasileira.
O governo de Fernando Henrique Cardoso teve fim no dia 1º de Janeiro de 2003, com a posse
de Luiz Inácio Lula da Silva.
GOVERNO LULA – LUIZ INÁCIO LULA DA SILVA
Era a primeira vez que as esquerdas tomariam controle da nação.
Finalmente Lula conseguia subir a rampa do Palácio do Planalto como chefe maior da Nação,
com a promessa de dar um outro rumo à política brasileira, mas mantendo o plano real e a
estabilidade econômica do governo anterior.
Entre as primeiras medidas tomadas, estavam projetos sociais como:
 O Fome Zero, destinado à melhoria da alimentação das populações menos favorecidas.
 O Bolsa Família: programa de transferência de renda, proveria famílias que se encontram em
estado de pobreza, que para se manterem no programa precisam seguir a risca algumas regras,
como manter as crianças com até 15 anos na escola e com uma constância mínima de 85%,
bem como manter em dia as carteiras de vacinação.
 O Programa de Erradicação do Trabalho Infantil (PETI): tem como principal meta retirar
as crianças e adolescentes de faixa etária entre 07 e 15 anos do trabalho infantil que traga
perigo a sua saúde e segurança. O projeto cede bolsas mensais – por volta de R$ 40 – com o
intuito de manter estas crianças e adolescentes na escola durante um determinado período e no
tempo restante proporcionar-lhes atividades culturais, esportivas, artísticas e de lazer.
 Luz para todos: tinha como objetivo levar energia elétrica a 10 milhões de brasileiros
moradores de áreas rurais.
 Brasil Alfabetizado e Educação de Jovens e Adultos (EJA): objetivava alfabetizar pessoas
com 15 anos ou mais ano, que ainda não eram alfabetizadas
 ProUni: Programa Universidade para Todos tem como meta possibilitar a admissão de jovens
– com baixa renda - no ensino superior, por meio de bolsas de estudo integrais ou parciais.
 O Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), tem por objetivo investir nas áreas de
recursos hídricos, habitação, energia (geração e transmissão de energia elétrica, petróleo, gás
natural e combustíveis renováveis), infraestrutura social e urbana (saneamento, habitação,
transporte urbano, recursos hídricos e Luz Para Todos) e transporte (rodovias, portos,
ferrovias, aeroportos e hidrovias).
O governo Lula também quita a dívida com o FMI e de devedor se torna país credor.
Porém nem tudo foi um mar de rosas durante o governo petista, várias crises surgiram em
decorrência de denúncias de corrupção em empresas do Estado, como por exemplo, o mensalão, o
escândalo dos Correios e vários outros que derrubaram diversos ministros, entre eles José Dirceu,
Antônio Palocci, Benedita da Silva, Luiz Gushiken, entre outras personalidades de peso dentro do PT.
Em meio a esse clima de indefinição políticas por causa das denúncias, Lula conseguiu vencer
uma segunda disputa eleitoral.
Ao final do mandato Lula, os índices de desemprego foram os mais baixos registrados no
período democrático após a ditadura.
Com o apoio do presidente Lula, a sua ex-ministra de Minas e Energia e da Casa Civil, Dilma
Roussseff se torna candidata a presidência da república e logo depois é eleita com a promessa de dar
continuidade aos projetos sociais e econômicos de Lula.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Redemocratização do brasil 1970-1980
Redemocratização do brasil  1970-1980Redemocratização do brasil  1970-1980
Redemocratização do brasil 1970-1980
CesarDestro
 
GOVERNO LULA (2002-2010)
GOVERNO LULA (2002-2010)GOVERNO LULA (2002-2010)
GOVERNO LULA (2002-2010)
Roberta Emmanuelle
 
Redemocratização brasil
Redemocratização brasilRedemocratização brasil
Redemocratização brasil
Fabiana Tonsis
 
O governo Fernando Collor (1990-1992)
O governo Fernando Collor (1990-1992)O governo Fernando Collor (1990-1992)
O governo Fernando Collor (1990-1992)
Edenilson Morais
 
Governo FHC - governo LULA
Governo FHC -    governo LULAGoverno FHC -    governo LULA
Governo FHC - governo LULA
Edenilson Morais
 
Governo FHC
Governo FHCGoverno FHC
Governo FHC
Pedro Klein Garcia
 
O Governo Collor e Itamar Franco
O Governo Collor e Itamar FrancoO Governo Collor e Itamar Franco
O Governo Collor e Itamar Franco
Renzo-3M4
 
O governo de FHC
O governo de FHCO governo de FHC
O governo de FHC
Lucas Forlin
 
O período sarney
O período sarneyO período sarney
O período sarney
ana1935
 
Do regime militar_a_nova_republica
Do regime militar_a_nova_republicaDo regime militar_a_nova_republica
Do regime militar_a_nova_republica
secretaria estadual de educação
 
Governo sarney[1]
Governo sarney[1]Governo sarney[1]
Governo sarney[1]
garridodocordel
 
PERÍODO DEMOCRÁTICO DA HISTÓRIA DO BRASIL 1985 A 2013
PERÍODO DEMOCRÁTICO DA HISTÓRIA DO BRASIL 1985 A 2013PERÍODO DEMOCRÁTICO DA HISTÓRIA DO BRASIL 1985 A 2013
PERÍODO DEMOCRÁTICO DA HISTÓRIA DO BRASIL 1985 A 2013
Douglas Barraqui
 
9o. ano.revisão do capítulo 16
9o. ano.revisão do capítulo 169o. ano.revisão do capítulo 16
9o. ano.revisão do capítulo 16
Raquel Avila
 
A Redemocratização do Brasil
A Redemocratização do BrasilA Redemocratização do Brasil
A Redemocratização do Brasil
Alex Ferreira dos Santos
 
Período democrático (1985-2010)
Período democrático (1985-2010)Período democrático (1985-2010)
Período democrático (1985-2010)
Laércio Góes
 
Nova República
Nova RepúblicaNova República
Nova República
edsonfgodoy
 
Governo sarney
Governo sarneyGoverno sarney
Governo sarney
Kaique Braynner
 
A redemocratização do Brasil
A redemocratização do BrasilA redemocratização do Brasil
A redemocratização do Brasil
Alunos Alunos
 
Resumo e atividades sobre nova república
Resumo e atividades sobre  nova repúblicaResumo e atividades sobre  nova república
Resumo e atividades sobre nova república
Atividades Diversas Cláudia
 
O brasil pós vargas
O brasil pós vargasO brasil pós vargas
O brasil pós vargas
Hernane Freitas
 

Mais procurados (20)

Redemocratização do brasil 1970-1980
Redemocratização do brasil  1970-1980Redemocratização do brasil  1970-1980
Redemocratização do brasil 1970-1980
 
GOVERNO LULA (2002-2010)
GOVERNO LULA (2002-2010)GOVERNO LULA (2002-2010)
GOVERNO LULA (2002-2010)
 
Redemocratização brasil
Redemocratização brasilRedemocratização brasil
Redemocratização brasil
 
O governo Fernando Collor (1990-1992)
O governo Fernando Collor (1990-1992)O governo Fernando Collor (1990-1992)
O governo Fernando Collor (1990-1992)
 
Governo FHC - governo LULA
Governo FHC -    governo LULAGoverno FHC -    governo LULA
Governo FHC - governo LULA
 
Governo FHC
Governo FHCGoverno FHC
Governo FHC
 
O Governo Collor e Itamar Franco
O Governo Collor e Itamar FrancoO Governo Collor e Itamar Franco
O Governo Collor e Itamar Franco
 
O governo de FHC
O governo de FHCO governo de FHC
O governo de FHC
 
O período sarney
O período sarneyO período sarney
O período sarney
 
Do regime militar_a_nova_republica
Do regime militar_a_nova_republicaDo regime militar_a_nova_republica
Do regime militar_a_nova_republica
 
Governo sarney[1]
Governo sarney[1]Governo sarney[1]
Governo sarney[1]
 
PERÍODO DEMOCRÁTICO DA HISTÓRIA DO BRASIL 1985 A 2013
PERÍODO DEMOCRÁTICO DA HISTÓRIA DO BRASIL 1985 A 2013PERÍODO DEMOCRÁTICO DA HISTÓRIA DO BRASIL 1985 A 2013
PERÍODO DEMOCRÁTICO DA HISTÓRIA DO BRASIL 1985 A 2013
 
9o. ano.revisão do capítulo 16
9o. ano.revisão do capítulo 169o. ano.revisão do capítulo 16
9o. ano.revisão do capítulo 16
 
A Redemocratização do Brasil
A Redemocratização do BrasilA Redemocratização do Brasil
A Redemocratização do Brasil
 
Período democrático (1985-2010)
Período democrático (1985-2010)Período democrático (1985-2010)
Período democrático (1985-2010)
 
Nova República
Nova RepúblicaNova República
Nova República
 
Governo sarney
Governo sarneyGoverno sarney
Governo sarney
 
A redemocratização do Brasil
A redemocratização do BrasilA redemocratização do Brasil
A redemocratização do Brasil
 
Resumo e atividades sobre nova república
Resumo e atividades sobre  nova repúblicaResumo e atividades sobre  nova república
Resumo e atividades sobre nova república
 
O brasil pós vargas
O brasil pós vargasO brasil pós vargas
O brasil pós vargas
 

Destaque

Biodiversidade
BiodiversidadeBiodiversidade
Biodiversidade
Eli Masc
 
Ciências naturais 7 história da terra - noção de fóssil
Ciências naturais 7   história da terra - noção de fóssilCiências naturais 7   história da terra - noção de fóssil
Ciências naturais 7 história da terra - noção de fóssil
Nuno Correia
 
Aula 1 - biodiversidade e grupos
Aula 1 - biodiversidade e gruposAula 1 - biodiversidade e grupos
Aula 1 - biodiversidade e grupos
sandrosilvaufgd
 
Aula 2 principais causas de perda de biodiversidade
Aula 2  principais causas de perda de biodiversidadeAula 2  principais causas de perda de biodiversidade
Aula 2 principais causas de perda de biodiversidade
Marcelo Gomes
 
Biodiversidade (versão 2012)
Biodiversidade (versão 2012)Biodiversidade (versão 2012)
Biodiversidade (versão 2012)
Isabel Lopes
 
Biodiversidade
BiodiversidadeBiodiversidade
Biodiversidade
Isabel Lopes
 
Cadeia e rede alimentar
Cadeia e rede alimentarCadeia e rede alimentar
Cadeia e rede alimentar
marinadapieve
 
Os níveis de organização nos pluricelulares
Os níveis de organização nos pluricelularesOs níveis de organização nos pluricelulares
Os níveis de organização nos pluricelulares
Gabriel Salles
 
Cáp 3 e 4 a evolução dos seres vivos e biodiversidade
Cáp 3 e 4   a evolução dos seres vivos e biodiversidadeCáp 3 e 4   a evolução dos seres vivos e biodiversidade
Cáp 3 e 4 a evolução dos seres vivos e biodiversidade
rafaelcef3
 
A evolução dos seres vivos 7°
A evolução dos seres vivos 7°A evolução dos seres vivos 7°
A evolução dos seres vivos 7°
Gabriel Salles
 
Como alimentar o cérebro? - 1ª Parte: Apresentação Neurologista Drª Ana Marti...
Como alimentar o cérebro? - 1ª Parte: Apresentação Neurologista Drª Ana Marti...Como alimentar o cérebro? - 1ª Parte: Apresentação Neurologista Drª Ana Marti...
Como alimentar o cérebro? - 1ª Parte: Apresentação Neurologista Drª Ana Marti...
SPEM - Sociedade Portuguesa de Esclerose Múltipla
 
7 ano relações ecológicas seres vivos e o sol
7 ano relações ecológicas seres vivos e o sol7 ano relações ecológicas seres vivos e o sol
7 ano relações ecológicas seres vivos e o sol
crisbassanimedeiros
 
Capítulo 1 organização dos seres vivos (1)
Capítulo 1   organização dos seres vivos (1)Capítulo 1   organização dos seres vivos (1)
Capítulo 1 organização dos seres vivos (1)
rafaelcef3
 
Cadeia e teia alimentar
Cadeia e teia alimentarCadeia e teia alimentar
Cadeia alimentar
Cadeia alimentarCadeia alimentar
Cadeia alimentar
rbonater
 
Cadeia Alimentar para 4º ano do Ensino Fundamental
Cadeia Alimentar para 4º ano do Ensino FundamentalCadeia Alimentar para 4º ano do Ensino Fundamental
Cadeia Alimentar para 4º ano do Ensino Fundamental
Nivea Lobo Costa Ramos
 
Cadeia Alimentar
Cadeia AlimentarCadeia Alimentar
Cadeia Alimentar
Lueu
 
Adaptação, seleção natural e teoria da evolução 7°
Adaptação, seleção natural e teoria da evolução 7°Adaptação, seleção natural e teoria da evolução 7°
Adaptação, seleção natural e teoria da evolução 7°
Gabriel Salles
 
www.aulasdebiologiaapoio.com - Teia Alimentar e Cadeia Alimentar
www.aulasdebiologiaapoio.com - Teia Alimentar e Cadeia Alimentarwww.aulasdebiologiaapoio.com - Teia Alimentar e Cadeia Alimentar
www.aulasdebiologiaapoio.com - Teia Alimentar e Cadeia Alimentar
Videoaulas De Biologia Apoio
 
Cadeias e teias
Cadeias e teiasCadeias e teias
Cadeias e teias
Carla Martins
 

Destaque (20)

Biodiversidade
BiodiversidadeBiodiversidade
Biodiversidade
 
Ciências naturais 7 história da terra - noção de fóssil
Ciências naturais 7   história da terra - noção de fóssilCiências naturais 7   história da terra - noção de fóssil
Ciências naturais 7 história da terra - noção de fóssil
 
Aula 1 - biodiversidade e grupos
Aula 1 - biodiversidade e gruposAula 1 - biodiversidade e grupos
Aula 1 - biodiversidade e grupos
 
Aula 2 principais causas de perda de biodiversidade
Aula 2  principais causas de perda de biodiversidadeAula 2  principais causas de perda de biodiversidade
Aula 2 principais causas de perda de biodiversidade
 
Biodiversidade (versão 2012)
Biodiversidade (versão 2012)Biodiversidade (versão 2012)
Biodiversidade (versão 2012)
 
Biodiversidade
BiodiversidadeBiodiversidade
Biodiversidade
 
Cadeia e rede alimentar
Cadeia e rede alimentarCadeia e rede alimentar
Cadeia e rede alimentar
 
Os níveis de organização nos pluricelulares
Os níveis de organização nos pluricelularesOs níveis de organização nos pluricelulares
Os níveis de organização nos pluricelulares
 
Cáp 3 e 4 a evolução dos seres vivos e biodiversidade
Cáp 3 e 4   a evolução dos seres vivos e biodiversidadeCáp 3 e 4   a evolução dos seres vivos e biodiversidade
Cáp 3 e 4 a evolução dos seres vivos e biodiversidade
 
A evolução dos seres vivos 7°
A evolução dos seres vivos 7°A evolução dos seres vivos 7°
A evolução dos seres vivos 7°
 
Como alimentar o cérebro? - 1ª Parte: Apresentação Neurologista Drª Ana Marti...
Como alimentar o cérebro? - 1ª Parte: Apresentação Neurologista Drª Ana Marti...Como alimentar o cérebro? - 1ª Parte: Apresentação Neurologista Drª Ana Marti...
Como alimentar o cérebro? - 1ª Parte: Apresentação Neurologista Drª Ana Marti...
 
7 ano relações ecológicas seres vivos e o sol
7 ano relações ecológicas seres vivos e o sol7 ano relações ecológicas seres vivos e o sol
7 ano relações ecológicas seres vivos e o sol
 
Capítulo 1 organização dos seres vivos (1)
Capítulo 1   organização dos seres vivos (1)Capítulo 1   organização dos seres vivos (1)
Capítulo 1 organização dos seres vivos (1)
 
Cadeia e teia alimentar
Cadeia e teia alimentarCadeia e teia alimentar
Cadeia e teia alimentar
 
Cadeia alimentar
Cadeia alimentarCadeia alimentar
Cadeia alimentar
 
Cadeia Alimentar para 4º ano do Ensino Fundamental
Cadeia Alimentar para 4º ano do Ensino FundamentalCadeia Alimentar para 4º ano do Ensino Fundamental
Cadeia Alimentar para 4º ano do Ensino Fundamental
 
Cadeia Alimentar
Cadeia AlimentarCadeia Alimentar
Cadeia Alimentar
 
Adaptação, seleção natural e teoria da evolução 7°
Adaptação, seleção natural e teoria da evolução 7°Adaptação, seleção natural e teoria da evolução 7°
Adaptação, seleção natural e teoria da evolução 7°
 
www.aulasdebiologiaapoio.com - Teia Alimentar e Cadeia Alimentar
www.aulasdebiologiaapoio.com - Teia Alimentar e Cadeia Alimentarwww.aulasdebiologiaapoio.com - Teia Alimentar e Cadeia Alimentar
www.aulasdebiologiaapoio.com - Teia Alimentar e Cadeia Alimentar
 
Cadeias e teias
Cadeias e teiasCadeias e teias
Cadeias e teias
 

Semelhante a Conteúdo recuperação história Eduardo

Redemocratização
RedemocratizaçãoRedemocratização
Redemocratização
Jorge Miklos
 
Resumão Nova República - Parte 1
Resumão Nova República - Parte 1Resumão Nova República - Parte 1
Resumão Nova República - Parte 1
Valéria Shoujofan
 
Resumo de história
Resumo de históriaResumo de história
Resumo de história
Caio Sousa
 
Governo collor
Governo collorGoverno collor
Governo collor
wgenilene
 
Governo collor
Governo collorGoverno collor
Governo collor
wgenilene
 
Revisão de prova de história 3º
Revisão de prova de história 3ºRevisão de prova de história 3º
Revisão de prova de história 3º
eunamahcado
 
Slides -aula_dmeb_pdf_
Slides  -aula_dmeb_pdf_Slides  -aula_dmeb_pdf_
Slides -aula_dmeb_pdf_
Diego Leonel
 
A Redemocratização do Brasil.ppt
A Redemocratização do Brasil.pptA Redemocratização do Brasil.ppt
A Redemocratização do Brasil.ppt
GabrielGonalvesNogue1
 
A redemocratização do brasil
A redemocratização do brasilA redemocratização do brasil
A redemocratização do brasil
JooSilva106129
 
SLIDES República Militar.pptx
SLIDES República Militar.pptxSLIDES República Militar.pptx
SLIDES República Militar.pptx
VanessaRibeiro228
 
Ditadura do brasil seminario
Ditadura do brasil   seminarioDitadura do brasil   seminario
Ditadura do brasil seminario
Moniky Manuela Neves Oliveira
 
Governos militares
Governos militaresGovernos militares
Governos militares
Flor Martha S. Ferreira
 
A T U A L I D A D E S Ii
A T U A L I D A D E S IiA T U A L I D A D E S Ii
A T U A L I D A D E S Ii
alcidessf
 
O Período Sarney
O Período Sarney O Período Sarney
O Período Sarney
aygresc
 
O governo sarney slide
O governo sarney  slideO governo sarney  slide
O governo sarney slide
daianespereira
 
2012 nova república
2012  nova república2012  nova república
2012 nova república
MARIANO C7S
 
Slide pronto
Slide prontoSlide pronto
Slide pronto
Henrique Vieira
 
Nova República
Nova RepúblicaNova República
Nova República
Bruno E Geyse Ornelas
 
Brasil Finaleira
Brasil  FinaleiraBrasil  Finaleira
Brasil Finaleira
Carlos Glufke
 
Brasil contemporâneo ou Nova República (1985-2018).pdf
Brasil contemporâneo ou Nova República (1985-2018).pdfBrasil contemporâneo ou Nova República (1985-2018).pdf
Brasil contemporâneo ou Nova República (1985-2018).pdf
SamucaCantoreli
 

Semelhante a Conteúdo recuperação história Eduardo (20)

Redemocratização
RedemocratizaçãoRedemocratização
Redemocratização
 
Resumão Nova República - Parte 1
Resumão Nova República - Parte 1Resumão Nova República - Parte 1
Resumão Nova República - Parte 1
 
Resumo de história
Resumo de históriaResumo de história
Resumo de história
 
Governo collor
Governo collorGoverno collor
Governo collor
 
Governo collor
Governo collorGoverno collor
Governo collor
 
Revisão de prova de história 3º
Revisão de prova de história 3ºRevisão de prova de história 3º
Revisão de prova de história 3º
 
Slides -aula_dmeb_pdf_
Slides  -aula_dmeb_pdf_Slides  -aula_dmeb_pdf_
Slides -aula_dmeb_pdf_
 
A Redemocratização do Brasil.ppt
A Redemocratização do Brasil.pptA Redemocratização do Brasil.ppt
A Redemocratização do Brasil.ppt
 
A redemocratização do brasil
A redemocratização do brasilA redemocratização do brasil
A redemocratização do brasil
 
SLIDES República Militar.pptx
SLIDES República Militar.pptxSLIDES República Militar.pptx
SLIDES República Militar.pptx
 
Ditadura do brasil seminario
Ditadura do brasil   seminarioDitadura do brasil   seminario
Ditadura do brasil seminario
 
Governos militares
Governos militaresGovernos militares
Governos militares
 
A T U A L I D A D E S Ii
A T U A L I D A D E S IiA T U A L I D A D E S Ii
A T U A L I D A D E S Ii
 
O Período Sarney
O Período Sarney O Período Sarney
O Período Sarney
 
O governo sarney slide
O governo sarney  slideO governo sarney  slide
O governo sarney slide
 
2012 nova república
2012  nova república2012  nova república
2012 nova república
 
Slide pronto
Slide prontoSlide pronto
Slide pronto
 
Nova República
Nova RepúblicaNova República
Nova República
 
Brasil Finaleira
Brasil  FinaleiraBrasil  Finaleira
Brasil Finaleira
 
Brasil contemporâneo ou Nova República (1985-2018).pdf
Brasil contemporâneo ou Nova República (1985-2018).pdfBrasil contemporâneo ou Nova República (1985-2018).pdf
Brasil contemporâneo ou Nova República (1985-2018).pdf
 

Mais de rafaelcef3

Apostila de recuperação Gebrim
Apostila de recuperação GebrimApostila de recuperação Gebrim
Apostila de recuperação Gebrim
rafaelcef3
 
Diferenças entre etnia
Diferenças entre etniaDiferenças entre etnia
Diferenças entre etnia
rafaelcef3
 
Texto africa blog
Texto  africa    blogTexto  africa    blog
Texto africa blog
rafaelcef3
 
Capítulo 5 vírus
Capítulo 5   vírusCapítulo 5   vírus
Capítulo 5 vírus
rafaelcef3
 
C'ap. 2 a origem da vida
C'ap. 2 a origem da vidaC'ap. 2 a origem da vida
C'ap. 2 a origem da vida
rafaelcef3
 
Cap 03 a transferência de energia e de matéria num ecossistema.
Cap 03   a transferência de energia e de matéria num ecossistema.Cap 03   a transferência de energia e de matéria num ecossistema.
Cap 03 a transferência de energia e de matéria num ecossistema.
rafaelcef3
 
Cap 02 onde a vida acontece.
Cap 02   onde a vida acontece.Cap 02   onde a vida acontece.
Cap 02 onde a vida acontece.
rafaelcef3
 
Cap 02 onde a vida acontece.
Cap 02   onde a vida acontece.Cap 02   onde a vida acontece.
Cap 02 onde a vida acontece.
rafaelcef3
 
Cap 01 quanta vida na terra!
Cap 01   quanta vida na terra!Cap 01   quanta vida na terra!
Cap 01 quanta vida na terra!
rafaelcef3
 
Questoes cap 1
Questoes cap 1Questoes cap 1
Questoes cap 1
rafaelcef3
 
Questoes cap 1
Questoes cap 1Questoes cap 1
Questoes cap 1
rafaelcef3
 
Orações coordenadas revisão
Orações coordenadas revisãoOrações coordenadas revisão
Orações coordenadas revisão
rafaelcef3
 
Estrutura e formação das palavras 1 bimestre
Estrutura e formação das palavras 1 bimestreEstrutura e formação das palavras 1 bimestre
Estrutura e formação das palavras 1 bimestre
rafaelcef3
 
Apresentação1
Apresentação1Apresentação1
Apresentação1
rafaelcef3
 
Aula 04
Aula 04Aula 04
Aula 04
rafaelcef3
 
Learning objectives
Learning objectivesLearning objectives
Learning objectives
rafaelcef3
 
Cinematica blog
Cinematica blogCinematica blog
Cinematica blog
rafaelcef3
 
Conflito das coreias marcos blog
Conflito das coreias marcos blogConflito das coreias marcos blog
Conflito das coreias marcos blog
rafaelcef3
 
1 lista de potencia
1 lista de potencia1 lista de potencia
1 lista de potencia
rafaelcef3
 
Insegurança alimentar x crise global da água
Insegurança alimentar x crise global da águaInsegurança alimentar x crise global da água
Insegurança alimentar x crise global da água
rafaelcef3
 

Mais de rafaelcef3 (20)

Apostila de recuperação Gebrim
Apostila de recuperação GebrimApostila de recuperação Gebrim
Apostila de recuperação Gebrim
 
Diferenças entre etnia
Diferenças entre etniaDiferenças entre etnia
Diferenças entre etnia
 
Texto africa blog
Texto  africa    blogTexto  africa    blog
Texto africa blog
 
Capítulo 5 vírus
Capítulo 5   vírusCapítulo 5   vírus
Capítulo 5 vírus
 
C'ap. 2 a origem da vida
C'ap. 2 a origem da vidaC'ap. 2 a origem da vida
C'ap. 2 a origem da vida
 
Cap 03 a transferência de energia e de matéria num ecossistema.
Cap 03   a transferência de energia e de matéria num ecossistema.Cap 03   a transferência de energia e de matéria num ecossistema.
Cap 03 a transferência de energia e de matéria num ecossistema.
 
Cap 02 onde a vida acontece.
Cap 02   onde a vida acontece.Cap 02   onde a vida acontece.
Cap 02 onde a vida acontece.
 
Cap 02 onde a vida acontece.
Cap 02   onde a vida acontece.Cap 02   onde a vida acontece.
Cap 02 onde a vida acontece.
 
Cap 01 quanta vida na terra!
Cap 01   quanta vida na terra!Cap 01   quanta vida na terra!
Cap 01 quanta vida na terra!
 
Questoes cap 1
Questoes cap 1Questoes cap 1
Questoes cap 1
 
Questoes cap 1
Questoes cap 1Questoes cap 1
Questoes cap 1
 
Orações coordenadas revisão
Orações coordenadas revisãoOrações coordenadas revisão
Orações coordenadas revisão
 
Estrutura e formação das palavras 1 bimestre
Estrutura e formação das palavras 1 bimestreEstrutura e formação das palavras 1 bimestre
Estrutura e formação das palavras 1 bimestre
 
Apresentação1
Apresentação1Apresentação1
Apresentação1
 
Aula 04
Aula 04Aula 04
Aula 04
 
Learning objectives
Learning objectivesLearning objectives
Learning objectives
 
Cinematica blog
Cinematica blogCinematica blog
Cinematica blog
 
Conflito das coreias marcos blog
Conflito das coreias marcos blogConflito das coreias marcos blog
Conflito das coreias marcos blog
 
1 lista de potencia
1 lista de potencia1 lista de potencia
1 lista de potencia
 
Insegurança alimentar x crise global da água
Insegurança alimentar x crise global da águaInsegurança alimentar x crise global da água
Insegurança alimentar x crise global da água
 

Conteúdo recuperação história Eduardo

  • 1. HISTÓRIA PROFESSOR: EDUARDO C. GUIMARÃES A NOVA REPÚBLICA ► HERANÇA DOS GOVERNOS MILITARES  Grave crise econômica: inflação elevada, dívida externa assombrosa (US$ 100 bilhões), dívidas públicas internas maiores do que a arrecadação (déficit público), “década perdida”.  Campanha em favor das eleições diretas para presidente da República – Diretas Já – (emenda Dante de Oliveira - 1984). “Senhor Diretas”: Ulysses Guimarães.  A derrota revela um novo país: da força sindical, das multidões e da imprensa atuante.  Corrida presidencial – colégio eleitoral. Paulo Maluf versus Tancredo Neves (PDS) (PMDB e PFL - Aliança democrática) ► O PRESIDENTE QUE NÃO FOI, MAS QUE PODERIA TER SIDO TANCREDO NEVES (34º presidente)  O sonho de liberdades políticas, transparência e crescimento econômico.  O lento calvário: do dia 14 de março a 21 de abril. ► GOVERNO DE JOSÉ SARNEY (15/03/1985-1990)   Desconfiança dos Militares e da sociedade brasileira; Entra para a história como o presidente da redemocratização, da nova Constituição e do pacote econômico que provocou imensa mobilidade social, o Plano Cruzado.  Medidas para o restabelecimento da democracia: eleições diretas em todos os níveis, legalização de partidos políticos de quaisquer tendências e a convocação de uma Assembleia Constituinte.  Planos Econômicos  28/02/1986, o Plano Cruzado (Dílson Funaro): o cruzeiro perde três zeros e vira cruzado; congela preços e aluguéis “fiscais do Sarney” (primeira manifestação coletiva de defesa dos direitos dos consumidores e de exercício pleno da cidadania); reajusta automaticamente os salários pela inflação “gatilho salarial”; acaba a correção monetária, exceto para a poupança; garantir a vitória do PMDB e do PFL nas eleições de novembro.  O fracasso do Plano Cruzado (recessão, moratória) levou ao Plano Bresser (1987) e ao Plano Verão (1989), quando a moeda foi mudada para o cruzado novo. Também não deram resultados e a inflação atingiu os maiores índices da história.  A Constituição de 1989  01/02/1987, início dos trabalhos do Congresso Nacional Constituinte e promulgação da Constituição em outubro de 1988:  Democracia liberal; três poderes; eleições diretas para o Executivo e Legislativo; voto obrigatório (18 a 70 anos) e facultativo para analfabetos, jovens entre 16 e 18 anos e pessoas com mais de 70; fim da censura prévia; garantia do direito de greve; liberdade sindical; revisão da constituição após cinco anos e plebiscito (1993). ► DE COLLOR A FHC  Fernando Collor de Mello (PRN)  Jovem, bem-apessoado, dinâmico, moderno, esportista, neoliberal, “caçador de marajás”;
  • 2.       Fim da inflação, moralização da política, modernização econômica, diminuição do papel do estado, privatização, abertura econômica e ajuda aos ”descamisados”; Difíceis de cumprir, porque ele não contava com uma base partidária sólida e coerente com o governo; Collor 51,5 % contra 48,5 % de Lula (18/dez/1989); Plano Collor (combate a inflação “em um só tiro” – jan./1990)  Zélia Cardoso de Mello; De cruzado novo para cruzeiro; Confisco e congelamento por dezoito meses; Congelamento de preços e salários; Aumento de impostos e tarifas públicas; Redução dos funcionários públicos;  Apesar dos sacrifícios, o fracasso:  Empresas sem recursos e crédito; Recessão; Desemprego cresceu; Mínimo de 63 para 40 dólares;  Inflação resiste; Programa Nacional de Desestatização  Privatizar as empresas estatais;  A favor:  Estatais deficitárias; Sem recursos para financiar os investimentos; Manter a competitividade; O dinheiro da venda equilibraria as contas; Atrair investimentos;  Contra  Algumas eram lucrativas; Boa administração e investimentos bem feitos; Tornar-se-iam competitivas; Lucro; Não a intromissão estrangeira no Brasil; O impeachment e os “caras pintadas”.  Abril de 1992  Pedro Collor denuncia o irmão;  Fraudes, corrupção, tráfico de influência, propinas e extorsão, irregularidades financeiras;  Comandado por Paulo César de Farias, o PC;  Maio/92  C.P.I.  Setembro/92  A.B.I. e a O.A.B. encaminham o pedido de Impeachment e abertura de processo;  Outubro/92  Collor afastado, assume Itamar Franco interinamente;  Multidões de estudantes saem às ruas, “caras pintadas”;  Dezembro/92  Collor renuncia;  Senado cassou seus direitos políticos por oito anos;  Itamar empossado na presidência;  1992  II Conferência das Nações Unidas sobre o Meio Ambiente e Desenvolvimento – Eco-92 ou Cúpula da Terra;  A Carta da Terra: direitos e responsabilidades das nações na preservação ambiental;  Agenda 21: programa de ação para o séc. XXI;  Documentos sobre: o Clima, a Biodiversidade e as Florestas;  Atividades paralelas de ONGs;  Simultaneamente ocorre: a Conferência Mundial dos povos indígenas;  O desvio de verbas da L.B.A.  Rosane Collor;  O escândalo dos “Anões do Orçamento”;  A misteriosa morte de PC Farias  junho de 96;
  • 3. O GOVERNO ITAMAR FRANCO Itamar Franco assumiu após o Impeachment de Fernando Collor de Mello de forma interina (de outubro a dezembro de 92, definitivo de 29 de dezembro de 1992). Problemas do Brasil: recessão prolongada, inflação aguda e crônica, desemprego, descrença geral nas instituições e de baixa autoestima. Realizar uma gestão transparente, algo tão almejado pela sociedade brasileira. Em Abril de 1993, cumprindo com o previsto na Constituição, o governo fez um plebiscito para a escolha da forma e do sistema de governo no Brasil. O povo decidiu manter tudo como estava: escolheu a República (66% contra 10% da Monarquia) e o Presidencialismo (55% contra 25% do Parlamentarismo). No governo de Itamar Franco foi elaborado o mais bem-sucedido plano de controle inflacionário da Nova República: o Plano Real. Montado pelo seu Ministro da Fazenda, Fernando Henrique Cardoso, o plano visava criar uma unidade real de valor (URV) para todos os produtos, desvinculada da moeda vigente, o Cruzeiro Real, criada meses antes. Desta forma, cada URV correspondia a US$ 1. Posteriormente a URV veio a ser denominada “Real”, a nova moeda brasileira. O Plano Real foi eficiente, já que proporcionou o aumento do poder de compra dos brasileiros e o controle da inflação. Motivos: 1- o fim da indexação , ou seja, do repasse automático da inflação mensal para os salários, prestações, aluguéis e contratos em geral; 2- a vinculação da nova moeda ao dólar norte-americano; 3- câmbio elevado mantido pelo BC, com um dólar valendo um real. Os aspectos positivos do plano real, queda da inflação, foram sentidos de imediato, enquanto o lado negativo, falências, desemprego, só seria percebido a médio prazo. Mesmo investigado dela CPI, entre 1993 e 1994, em virtude de denúncias de irregularidades no desenvolvimento do Orçamento da União, Itamar Franco terminou seu mandato com um grande índice de popularidade. Uma prova disso foi o seu bem-sucedido apoio a Fernando Henrique Cardoso na sucessão presidencial. GOVERNO FHC - FERNANDO HENRIQUE CARDOSO Após o sucesso do plano real, a política de estabilidade e de continuidade do Plano Real, Fernando Henrique Cardoso (PSDB) foi eleito Presidente do Brasil já no primeiro turno (03/10/1994) com larga escala de votos e tomou posse dia 1º de Janeiro de 1.995, sendo reeleito em 1.998, tendo nos dois mandatos Marco Maciel, do PFL, como vice-presidente. No primeiro mandato conseguiu a aprovação da emenda constitucional que criou a reeleição para cargos executivos. Outras realizações: privatização de empresas estatais (Embraer, Telebrás, Vale do Rio Doce e outras estatais); a implantação do gasoduto Brasil-Bolívia; programas sociais como a Bolsa Escola, Bolsa Alimentação e o Vale Gás; entrou em vigor a Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) (rigor na execução do orçamento público, que limitava o endividamento dos estados e municípios e os gastos com o funcionalismo público) Houve diversas denúncias de corrupção, como: a compra de parlamentares para aprovação da emenda constitucional que autorizava a reeleição e também o favorecimento de alguns grupos financeiros na aquisição de algumas estatais. No início do segundo mandato de FHC, em 1.999 houve uma forte desvalorização do real, devido a crises financeiras internacionais (Rússia, México e Ásia) que levou o Brasil a maior crise financeira da história, além de aumentar os juros reais e aumentar a dívida interna brasileira. O governo de Fernando Henrique Cardoso teve fim no dia 1º de Janeiro de 2003, com a posse de Luiz Inácio Lula da Silva.
  • 4. GOVERNO LULA – LUIZ INÁCIO LULA DA SILVA Era a primeira vez que as esquerdas tomariam controle da nação. Finalmente Lula conseguia subir a rampa do Palácio do Planalto como chefe maior da Nação, com a promessa de dar um outro rumo à política brasileira, mas mantendo o plano real e a estabilidade econômica do governo anterior. Entre as primeiras medidas tomadas, estavam projetos sociais como:  O Fome Zero, destinado à melhoria da alimentação das populações menos favorecidas.  O Bolsa Família: programa de transferência de renda, proveria famílias que se encontram em estado de pobreza, que para se manterem no programa precisam seguir a risca algumas regras, como manter as crianças com até 15 anos na escola e com uma constância mínima de 85%, bem como manter em dia as carteiras de vacinação.  O Programa de Erradicação do Trabalho Infantil (PETI): tem como principal meta retirar as crianças e adolescentes de faixa etária entre 07 e 15 anos do trabalho infantil que traga perigo a sua saúde e segurança. O projeto cede bolsas mensais – por volta de R$ 40 – com o intuito de manter estas crianças e adolescentes na escola durante um determinado período e no tempo restante proporcionar-lhes atividades culturais, esportivas, artísticas e de lazer.  Luz para todos: tinha como objetivo levar energia elétrica a 10 milhões de brasileiros moradores de áreas rurais.  Brasil Alfabetizado e Educação de Jovens e Adultos (EJA): objetivava alfabetizar pessoas com 15 anos ou mais ano, que ainda não eram alfabetizadas  ProUni: Programa Universidade para Todos tem como meta possibilitar a admissão de jovens – com baixa renda - no ensino superior, por meio de bolsas de estudo integrais ou parciais.  O Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), tem por objetivo investir nas áreas de recursos hídricos, habitação, energia (geração e transmissão de energia elétrica, petróleo, gás natural e combustíveis renováveis), infraestrutura social e urbana (saneamento, habitação, transporte urbano, recursos hídricos e Luz Para Todos) e transporte (rodovias, portos, ferrovias, aeroportos e hidrovias). O governo Lula também quita a dívida com o FMI e de devedor se torna país credor. Porém nem tudo foi um mar de rosas durante o governo petista, várias crises surgiram em decorrência de denúncias de corrupção em empresas do Estado, como por exemplo, o mensalão, o escândalo dos Correios e vários outros que derrubaram diversos ministros, entre eles José Dirceu, Antônio Palocci, Benedita da Silva, Luiz Gushiken, entre outras personalidades de peso dentro do PT. Em meio a esse clima de indefinição políticas por causa das denúncias, Lula conseguiu vencer uma segunda disputa eleitoral. Ao final do mandato Lula, os índices de desemprego foram os mais baixos registrados no período democrático após a ditadura. Com o apoio do presidente Lula, a sua ex-ministra de Minas e Energia e da Casa Civil, Dilma Roussseff se torna candidata a presidência da república e logo depois é eleita com a promessa de dar continuidade aos projetos sociais e econômicos de Lula.