FAI- FACULDADE DE ITAITUBA
CURSO DE LETRAS VII
DOCENTE: RAIMUNDA BENTES
RAFAELA DE SOUSA DUTRA
MARIA TRERESA HORTA
Filha de Jorge Augusto da Silva Horta;
Estudou na Faculdade de Letra da Universidade de Lisboa;
Dedicou-se ao: cine-clu...
Em 2010, Maria Teresa Horta completou cinquenta anos de
produção poética;
Sempre fiel às questões estéticas e políticas ...
O Prêmio Literário D. Dinis,
instituído pela Fundação da Casa
de Mateus, foi atribuído por
unanimidade à escritora Maria
...
Obras
Poesia
 Espelho Inicial (1960)
 Tatuagem (1961)
 Cidadelas Submersas
(1961)
 Verão Coincidente (1962)
 Amor Habitado ...
Ficção
 Ambas as Mãos sobre o Corpo (1970)
 Novas Cartas Portuguesas (1971) (obra conjunta))
 Ana (1974)
 OTransfer (1...
Poema Erótico - Joelho - MariaTeresa Horta
Ponho um beijo
demorado
no topo do teu joelho
Desço-te a perna
arrastando
a sal...
Abrigo-me de ti de
mim não sei há dias
em que fujo e que
me evado
há horas em que a
raiva não sequei
nem a inveja
rasguei ...
POEMA SOBRE A RECUSA
Como é possível perder-te
sem nunca te ter achado
nem na polpa dos meus dedos
se ter formado o afago
...
Maria theresa horta
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Maria theresa horta

595 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
595
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
6
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Maria theresa horta

  1. 1. FAI- FACULDADE DE ITAITUBA CURSO DE LETRAS VII DOCENTE: RAIMUNDA BENTES RAFAELA DE SOUSA DUTRA MARIA TRERESA HORTA
  2. 2. Filha de Jorge Augusto da Silva Horta; Estudou na Faculdade de Letra da Universidade de Lisboa; Dedicou-se ao: cine-clubismo, como dirigente do ABC Cine- Clube; Ao jornalismo; À questão do feminismo; Tendo feito parte do Movimento Feminista de Portugal.
  3. 3. Em 2010, Maria Teresa Horta completou cinquenta anos de produção poética; Sempre fiel às questões estéticas e políticas que sustentam sua realidade de mulher, cidadã, jornalista e escritora. Constituiu, desde seu primeiro livro de poesia publicado em 1960, Espelho Inicial; Uma trajetória emblemática em termos de luta contra o cerceamento da liberdade do corpo e da palavra.
  4. 4. O Prêmio Literário D. Dinis, instituído pela Fundação da Casa de Mateus, foi atribuído por unanimidade à escritora Maria Teresa Horta; Pelo romance "As Luzes de Leonor", disse hoje à agência Lusa fonte ligada à organização do galardão.
  5. 5. Obras
  6. 6. Poesia  Espelho Inicial (1960)  Tatuagem (1961)  Cidadelas Submersas (1961)  Verão Coincidente (1962)  Amor Habitado (1963)  Candelabro (1964)  Jardim de Inverno (1966)  Cronista Não é Recado (1967)  Minha Senhora de Mim (1967)  Educação Sentimental (1975)  As Mulheres de Abril (1976)  Poesia Completa I e II (1960-1982) (1982)  Os Anjos (1983)  Minha Mãe, Meu Amor (1984)  Rosa Sangrenta (1987)  Antologia Poética (1994)  Destino (1998)  Só de Amor (1999)  Antologia Pessoal - 100 Poemas (2003)  Inquietude (2006)  ....
  7. 7. Ficção  Ambas as Mãos sobre o Corpo (1970)  Novas Cartas Portuguesas (1971) (obra conjunta))  Ana (1974)  OTransfer (1984)  Ema (1984)  A Paixão Segundo Constança H. (1994)  A Mãe na Literatura Portuguesa (1999)  As Luzes de Leonor (2011)
  8. 8. Poema Erótico - Joelho - MariaTeresa Horta Ponho um beijo demorado no topo do teu joelho Desço-te a perna arrastando a saliva pelo meio Onde a língua segue o trilho até onde vai o beijo Não há nada que disfarce de ti aquilo que vejo Em torno um mar tão revolto no cume o cimo do tempo E os lençóis desalinhados como se fosse de vento Volto então ao teu joelho entreabrindo-te as pernas Deixando a boca faminta seguir o desejo nelas.
  9. 9. Abrigo-me de ti de mim não sei há dias em que fujo e que me evado há horas em que a raiva não sequei nem a inveja rasguei ou a desfaço Há dias em que nego e outros onde nasço há dias só de fogo e outros tão rasgados Aqueles onde habito com tantos dias vagos. Abrigo Maria Theresa Horta
  10. 10. POEMA SOBRE A RECUSA Como é possível perder-te sem nunca te ter achado nem na polpa dos meus dedos se ter formado o afago sem termos sido a cidade nem termos rasgado pedras sem descobrirmos a cor nem o interior da erva. Como é possível perder-te sem nunca te ter achado minha raiva de ternura meu ódio de conhecer-te minha alegria profunda

×