Humanismo

506 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Humanismo

  1. 1. rafabebum.blogspot.com
  2. 2. Humanismo ou pré Renascimento (1434 – 1527) Poesia Palaciana, Crônicas, Teatro de Gil Vicente rafabebum.blogspot.com
  3. 3. Idade Média Classicismo Período de transição dos fundamentos medievais para os renascentistas Idioma: português rafabebum.blogspot.com
  4. 4. 1. Cancioneiro Geral de Garcia de Resende (1516, poesia palaciana) – Poesia sem acompanhamento musical Paralelismo “refran” Motes Glosas rafabebum.blogspot.com
  5. 5. Comigo me desavim, Sou posto em todo perigo; Não posso viver comigo Nem posso fugir de mim. Mote Com dor, da gente fugia, Antes que esta assim crescesse: Agora já fugiria De mim, se de mim pudesse. Que meio espero ou que fim Do vão trabalho que sigo, Pois que trago a mim comigo Tamanho imigo de mim? rafabebum.blogspot.com (≈ introdução) Glosa (≈ desenvolvimento)
  6. 6. Comigo me desavim, Sou posto em todo perigo; Não posso viver comigo Nem posso fugir de mim. Com dor, da gente fugia, Antes que esta assim crescesse: Agora já fugiria De mim, se de mim pudesse. Que meio espero ou que fim Do vão trabalho que sigo, Pois que trago a mim comigo Tamanho imigo de mim? (Francisco Sá de Miranda) rafabebum.blogspot.com
  7. 7. – Temas variados – Medida velha: versos redondilhos maiores (7 sílabas poéticas) e menores (5 sílabas poéticas) rafabebum.blogspot.com
  8. 8. Co / mi / go / me / de / sa / vim, Sou / pos / to em / to / do / pe / ri / go; rafabebum.blogspot.com
  9. 9. Senhora, partem tam tristes meus olhos por vós, meu bem, que nunca tam tristes vistes outros nenhuns por ninguém. Tam tristes, tam saüdosos, tam doentes da partida, tam cansados, tam chorosos, da morte mais desejosos cem mil vezes que da vida. Partem tam tristes os tristes, tam fora d'esperar bem, que nunca tam tristes vistes outros nenhuns por ninguém. (João Ruiz de Castelo Branco) rafabebum.blogspot.com
  10. 10. Se/nho/ra, /par/tem /tam /tris/tes meus /o/lhos /por /vós, /meu /bem, que nunca tam tristes vistes outros nenhuns por ninguém. Medida velha: versos redondilhos maiores rafabebum.blogspot.com
  11. 11. 2. As crônicas de Fernão Lopes rafabebum.blogspot.com
  12. 12. – fidelidade aos documentos históricos – presença do povo – influência em Camões rafabebum.blogspot.com
  13. 13. 3. Teatro de Gil Vicente Raízes medievais: autos e farsas Alegorias, religiosidade, crítica social, tom humorístico Restam 46 peças (em português, castelhano e bilíngues) Peças: Auto da Barca do Inferno, Farsa de Inês Pereira, O Velho da Horta, Auto da Lusitânia... Medida velha rafabebum.blogspot.com

×