Neuroanatomia II

16.160 visualizações

Publicada em

Publicada em: Saúde e medicina, Tecnologia
1 comentário
31 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
16.160
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
95
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
1
Gostaram
31
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Neuroanatomia II

  1. 1. Anatomia do Encéfalo
  2. 2. ABÓBADA CRANIANA MENINGES E LCR VASCULARIZAÇÃO ARTERIAL E VENOSA CÉREBRO TELENCÉFALO DIENCÉFALO TRONCO ENCEFÁLICO MESENCÉFALO PONTE BULBO CEREBELO VENTRÍCULOS E CISTERNAS Anatomia do encéfalo
  3. 3. Anatomia do encéfalo
  4. 4. Anatomia Vascular Anatomia do encéfalo
  5. 5. Anatomia Vascular Anatomia do encéfalo
  6. 6. ARTÉRIA CEREBRAL ANTERIOR Anatomia do encéfalo
  7. 7. ARTÉRIA CEREBRAL MEDIA Anatomia do encéfalo
  8. 8. ARTÉRIA CEREBRAL POSTERIOR Anatomia do encéfalo
  9. 9. Anatomia do encéfalo
  10. 10. Anatomia do encéfalo
  11. 11. Anatomia do encéfalo
  12. 12. Encéfalo Sagital Anatomia do encéfalo
  13. 13. Anatomia do encéfalo
  14. 14. Patologias do encéfalo Anatomia do encéfalo
  15. 15. Acidente Vascular Cerebral Lesão isquêmica ou hemorrágica associada a deficit central 3 ª causa de morte dos EUA Quadro clínico Sist. Carotideo Sist. Vertebro-basilar Hemiplegia Funções vitais Afasia Disartria Transt. Visuais Alt. Do equilibrio Anatomia do encéfalo
  16. 16. Acidente Vascular Cerebral Isquêmico <ul><li>Tipos </li></ul><ul><ul><li>Infarto cerebral </li></ul></ul><ul><ul><li>Hemorragia intracerebral </li></ul></ul><ul><ul><li>Hemorragia subaracnóidea </li></ul></ul><ul><ul><li>Oclusão venosa </li></ul></ul>Processo dinâmico Fisiopatologia Área isquêmica e Área de penumbra Cascata isquêmica – perda da homeostasia iônica Anatomia do encéfalo
  17. 17. Acidente Vascular Cerebral Caracteriza-se pela redução do aporte sangüíneo Causas Oclusão vascular Embolia Vasculites Drogas Iatrogenia TC é o método de escolha para avaliação inicial e RM para acompanhamento sendo que suas manifestações variam com o tempo Anatomia do encéfalo
  18. 18. Acidente Vascular Cerebral Isquêmico <ul><li>Protocolo: </li></ul><ul><ul><li>Tc inicial – determinar tempo sintomas-sala </li></ul></ul><ul><ul><li>Repetir 12 a 24 h após início </li></ul></ul><ul><ul><li>Achados: </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Alteração da densidade dos núcleos da base </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Densificação da artéria ocluída </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Perda da interface substancia branca/cinzenta </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Apagamento dos sulcos corticais </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Edema </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>6 a 12 h – Citotóxico </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>12 a 24 h – Vasogênico </li></ul></ul></ul></ul>Anatomia do encéfalo
  19. 19. Acidente Vascular Cerebral Isquêmico <ul><li>Tomografia Computadorizada </li></ul><ul><ul><li>Infarto hiperagudo </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Normal 60% </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Artéria hiperdensa* </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Obscurecimento do núcleo lentiforme </li></ul></ul></ul><ul><ul><li>Agudo </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Baixa densidade dos núcleos da base </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Perda da interface cinzento-branca* </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Apagamento dos sulcos </li></ul></ul></ul>Anatomia do encéfalo
  20. 20. Acidente Vascular Cerebral Isquêmico <ul><li>Tomografia Computadorizada </li></ul><ul><ul><li>Infarto subaguda </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Efeito de massa </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Pode ocorrer transformação hemorrágica </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Reforço dos giros </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Área em cunha na subst. cinzenta e branca </li></ul></ul></ul><ul><ul><li>Infarto crônico </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Resolução do efeito de massa </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Encefalomalacia </li></ul></ul></ul>Anatomia do encéfalo
  21. 21. Acidente Vascular Cerebral Isquêmico <ul><li>Ressonância Magnética </li></ul><ul><ul><li>Imediatos </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Ausência de flow void normal </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Reforço pós contraste (3/4 dos infartos)* </li></ul></ul></ul><ul><ul><li>< 12 horas </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Apagamento do sulcos e edema* </li></ul></ul></ul><ul><ul><li>12 a 24 horas </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Reforço meníngeo </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Efeito de massa </li></ul></ul></ul>Anatomia do encéfalo
  22. 22. Acidente Vascular Cerebral Isquêmico Anatomia do encéfalo
  23. 23. Encefalopatia Hipôxico-Isquêmica Resultante de isquemia global Tipos: Infartos fronteiriços Necrose cortical generalizada Anatomia do encéfalo
  24. 24. Geralmente subdiagnosticada Patologia Trombose SSS  Oclusão de tributárias corticais  Hemorragias petequiais perivasculares Oclusão Venosa <ul><li>Etiologia </li></ul><ul><li>Localização </li></ul><ul><ul><li>SSS </li></ul></ul><ul><ul><li>Transverso </li></ul></ul><ul><ul><li>Sigmóide </li></ul></ul>Anatomia do encéfalo
  25. 25. Imagenologia Angiografia Drenagem anômala Tomografia Computadorizada Trombo Hiperdenso no seio Sinal do cordão Sinal do delta vazio* Obs: quando subagudo, o tentório, a foice e seio dural vão se apresentar espessados. Anatomia do encéfalo
  26. 26. <ul><li>Ressonância Magnética </li></ul><ul><ul><ul><li>Trombo agudo </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><ul><li>T1 iso  T1 hiper e T2 hipo </li></ul></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Trombo subagudo </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><ul><li>Hiperintenso* </li></ul></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Trombo crônico </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><ul><li>Fibrose com colaterais proeminentes em volta do seio trombosado </li></ul></ul></ul></ul></ul><ul><ul><li>Obs: estudos bidimensionais em TOF e PC. </li></ul></ul>Anatomia do encéfalo
  27. 27. TCE
  28. 28. <ul><li>O trauma é a maior causa de morte em pacientes adultos jovens </li></ul><ul><li>7000000 de TCE por ano </li></ul><ul><li>20% permanecem incapacitados </li></ul>Classificações: lesoes Prímarias Secundárias Lesões Intra-axiais Extra-axiais Lesões em golpe Lesões em contra-golpe Traumatismo Cranioencefálico
  29. 29. <ul><li>A tomografia é o método de escolha pois: </li></ul><ul><ul><ul><li>Rápida avaliação </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Avalia melhor múltiplas lesões </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Demonstra melhor fraturas e hemorragias </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Menor custo </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Maior disponibilidade </li></ul></ul></ul><ul><li>A RM serve: </li></ul><ul><ul><li>Para seguimento </li></ul></ul><ul><ul><li>Casos de dissociação clinico-imaginologicos </li></ul></ul><ul><ul><li>Lesões de ponte e contusões corticais </li></ul></ul><ul><li>Obs.: Todavia o achado destas alterações não modifica o TTT </li></ul>Traumatismo Cranioencefálico
  30. 30. Lesões da abobada craniana Traumatismo Cranioencefálico
  31. 31. Traumatismo Cranioencefálico
  32. 32. Traumatismo Cranioencefálico
  33. 33. <ul><li>Contusão; concussão </li></ul><ul><li>Dano após golpe contra a cabeça, onde o encéfalo desliza sobre o crânio produzindo lesões por atrito contra a superfície óssea. </li></ul>Traumatismo Cranioencefálico
  34. 34. <ul><li>Hematoma intracerebral </li></ul><ul><li>Contusão hemorrágica </li></ul>Traumatismo Cranioencefálico
  35. 35. Traumatismo Cranioencefálico
  36. 36. Traumatismo Cranioencefálico
  37. 37. Traumatismo Cranioencefálico
  38. 38. Hematoma Intracerebral tardio, evoluindo a partir da área de contusão hem o rrágica na região fronto-parietal E. Note-se na região frontal D, hematoma frontal tardio que estava anteriormente normal . Hematoma Intracerebral frontal bilateral tardio a partir de TC inicial normal. Traumatismo Cranioencefálico
  39. 39. Contusões múltiplas e hematomas intracerebrais Densidade mista: múltiplas áreas de hemorragia com edema perilesional. Traumatismo Cranioencefálico
  40. 40. <ul><li>Hematoma intracerebral </li></ul><ul><li>Contusão hemorrágica multifocal </li></ul>Múltiplos pequenos focos hemorrágicos localizados em torno de vasos sanguíneos, no espaço de Virchow- Robin. Traumatismo Cranioencefálico
  41. 41. <ul><li>Golpe e Contra-Golpe </li></ul><ul><li>Trauma que ocorre em dois locais do encéfalo quando a cabeça do paciente é bruscamente acelerada. </li></ul><ul><li>O “golpe” ocorre no local do encéfalo que sofreu o impacto direto, o “contra-golpe” ocorre no lado oposto devido a um deslocamento contralateral do cérebro. </li></ul>Traumatismo Cranioencefálico
  42. 42. A lesão por golpe e contra-golpe ocorre devido a dois mecanismos de injúria: a contusão, e a “cavitação”. Traumatismo Cranioencefálico
  43. 43. Traumatismo Cranioencefálico
  44. 44. Traumatismo Cranioencefálico
  45. 45. Traumatismo Cranioencefálico
  46. 46. <ul><li>Formado entre o crânio e a dura, a partir do sangramento de vasos meníngeos. </li></ul><ul><li>Associados a fraturas e outros tipos de lesões. </li></ul><ul><li>Localização: Temporo-parietal. </li></ul><ul><li>Quando > 40 ml = 100% mortalidade. </li></ul><ul><li>Velocidade de instalação; efeito de massa. </li></ul><ul><li>Intervalo lúcido. </li></ul>Hemorragia Extra axial Hematoma Epidural Traumatismo Cranioencefálico
  47. 47. <ul><li>Hematoma Epidural parietal direito : not a -se o aspecto lenticular da lesão e desvio da linha mediana. </li></ul>Traumatismo Cranioencefálico
  48. 48. Traumatismo Cranioencefálico
  49. 49. Hematomas epidurais produzindo efeito de massa sobre as estruturas adjacentes, associados a pneumoencéfalo. Traumatismo Cranioencefálico
  50. 50. Traumatismo Cranioencefálico
  51. 51. <ul><li>Hemorragia Extra axial </li></ul><ul><li>Hematoma Subdural Agudo </li></ul><ul><li>Formados entre a duramater e a aracnóide, por lesão de veias córtico-meníngeas. </li></ul><ul><li>Este espaço é facilmente dilatável, possibilitando grandes acúmulos de sangue. </li></ul><ul><li>Causas: quedas ou agressão. </li></ul><ul><li>Lesões associadas. </li></ul><ul><li>Intervalo lúcido. </li></ul><ul><li>Coleção em crescente, com efeito de massa variável. </li></ul><ul><li>A cirurgia normalmente está indicada. </li></ul>Traumatismo Cranioencefálico
  52. 52. <ul><li>Hematoma Subdural Agudo </li></ul>Traumatismo Cranioencefálico
  53. 53. Traumatismo Cranioencefálico
  54. 54. Hematoma Subdural Agudo em regiões fronto-temporo-parietal D, com importante desvio da linha mediana (tumefação hemisférica) e hematoma epidural associado na região parietal E. Traumatismo Cranioencefálico
  55. 55. Traumatismo Cranioencefálico
  56. 56. Traumatismo Cranioencefálico
  57. 57. Traumatismo Cranioencefálico
  58. 58. Hematomas subdurais bilaterais, com diferentes idades (crônico à direita e agudo à esquerda), associados a atrofia . Hematomas subdurais bilaterais agudos. Traumatismo Cranioencefálico
  59. 59. <ul><li>Hematoma Subdural Crônico </li></ul><ul><li>Aparecem 20 dias após o trauma. </li></ul><ul><li>Mecanismos: transudação de proteínas; hemorragias recorrentes. </li></ul><ul><li>Variabilidade de manifestações clínicas. </li></ul>Traumatismo Cranioencefálico
  60. 60. Traumatismo Cranioencefálico
  61. 61. Traumatismo Cranioencefálico
  62. 62. Traumatismo Cranioencefálico
  63. 63. Traumatismo Cranioencefálico
  64. 64. <ul><li>Hemorragia Extra axial </li></ul><ul><li>Hemorragia subaracnóide; intraventricular. </li></ul>Traumatismo Cranioencefálico
  65. 65. Traumatismo Cranioencefálico
  66. 66. Hematoma epidural agudo à direita, associado a hemorragia subaracnóide aguda do lado esquerdo. Hemorragia subaracnóide na cisterna quadrigeminal. Traumatismo Cranioencefálico
  67. 67. <ul><li>Lesão Axonal Difusa </li></ul><ul><li>A lesão axonal difusa é mais frequentemente observada nas interfaces de tecidos com diferentes densidades. </li></ul><ul><li>Os locais de acometimento mais comuns são: região cortico-subcortical nas regiões frontal e t emporal , corpo caloso, fornix, tronco cerebral, núcleos da base, c á psul a interna. </li></ul><ul><li>A RM é muito mais sensível na detecção destas lesões. </li></ul>Traumatismo Cranioencefálico
  68. 68. <ul><li>Lesão Axonal Difusa </li></ul>Traumatismo Cranioencefálico
  69. 69. Traumatismo Cranioencefálico
  70. 70. Traumatismo Cranioencefálico
  71. 71. Traumatismo Cranioencefálico
  72. 72. Lesões Secundárias - Hérnias Traumatismo Cranioencefálico
  73. 73. Herniação subfalcina e uncal (transtentorial) Herniação Trans-calvária. Traumatismo Cranioencefálico
  74. 74. Herniação subfalcina Herniação das amigdalas cerebelares. Hematoma subdural tentorial com herniação transforaminal. Traumatismo Cranioencefálico
  75. 75. <ul><li>Edema Cerebral Difuso </li></ul>D iminuição dos ventrículos e apagamento das cisternas. Colabamento dos ventrículos e das cisternas. Perda da diferenciação entre substância branca e cinzenta . Traumatismo Cranioencefálico
  76. 76. Obrigado

×