Dosímetro

6.434 visualizações

Publicada em

0 comentários
5 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
6.434
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
164
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
199
Comentários
0
Gostaram
5
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Dosímetro

  1. 1. PORAD - Consultores em Radioproteção Ltda. Av. Alberto Bins, 658 – Cj. 302 C. Postal 9503 90.030-140 – PORTO ALEGRE - RS Home Page: www.prorad.com.br e-mail: prorad@portoweb.com.br MANUAL DO USUÁRIO Quem é a PRO-RAD? Com 25 anos de tradição, contando com uma equipe de profissionais com Treinamento Internacional e avançada tecnologia, a PRO-RAD é uma empresa pioneira de Consultoria em Proteção Radiológica no Brasil. Credenciada pela Comissão Nacional de Energia Nuclear (CNEN), a PRO-RAD oferece completa assessoria na área de Proteção Radiológica em Hospitais, Indústrias, ou Instituições que utilizem Raios-X ou Fontes Radioativas em seu dia-a-dia. A PRO-RAD através de seus Dosímetros TLD monitora usuários de Radiações Ionizantes em todo o Brasil. Além disso faz Projetos de Blindagens, Levantamentos Radiométricos e Controles de Qualidade em equipamentos radiológicos, recolhimentos e transporte de fontes radioativas, etc. sempre se empenhando de forma a garantir a satisfação do cliente. TELEFONE GRATUÍTO: OUTROS TELEFONES: 0800 51 2461 0xx 51 3224.9994 0xx 51 3224.9960 O que é um Dosímetro TLD? O Dosímetro é um dispositivo composto de cristais com propriedades Termoluminescentes, ( quando aquecido emite luz ) utilizado para medir doses de radiações ionizantes, como as geradas por aparelhos de Raios X ou Fontes Radioativas. Como funciona o Dosímetro? O Dosímetro (TLD ), que é composto de cristais que possuem uma propriedade, chamada de termoluminescente, ou seja quando estes são aquecidos durante um 1 PRO RAD – Consultores em Radioproteção Ltda.
  2. 2. curto período de tempo à uma certa temperatura, eles emitem luz ultravioleta, cuja intensidade é proporcional à dose da radiação incidente. Na temperatura ambiente estes cristais acumulam a energia da radiação incidente durante longos períodos meses) e a liberam em forma de luz ultravioleta, quando lidos no Laboratório. Para que serve a Dosimetria Pessoal? A Dosimetria Pessoal tem como finalidade determinar o Nível de Doses de radiação recebida pelo usuário como decorrência de seu trabalho. A Dosimetria Pessoal é uma medida de grande responsabilidade pois além de permitir a determinação da dose, permite ainda uma indicação das condições de funcionamento da aparelhagem utilizada. Dose elevada pode indicar maneira incorreta de trabalho, instalação com problema de blindagens ou aparelhagem defeituosa. Além disso a Instituição cumpre a Legislação do Ministério as Saúde, com seus funcionários. Para garantir que na troca ou devolução dos dosímetros não haja confusão ou mistura dos mesmos, a PRO-RAD utiliza dois sistemas: Data base do período de uso identificada no dosímetro, e Cores para cada período onde: Dosímetros Torax e Neutrons: COR AZUL para os meses pares e COR VERDE para os impares. Dosímetros Anel: COR AMARELO para os meses pares e COR LARANJA para os impares. Dosímetros de Pulso: não utiliza sistema de cores, apenas a data no verso da pulseira. IMPORTANTE Use-o de maneira visível, na região do tronco mais exposta e por cima do avental plumbífero. Cuide do Dosímetro, verifique que nada fique na sua frente como por exemplo caneta, carteira, etc. • Alguns dias antes do término do período de uso, você receberá pelo correio os Dosímetros para uso no próximo período junto com a Lista de Verificação que deve ser utilizada para verificação dos dosímetros recebidos e usuários, mas O Dosímetro é de uso exclusivo do usuário e não poderá ser usado por outra pessoa, nem em outra instituição. • DOSÍMETRO TLD DE TORAX • • Como se usa o Dosímetro? É importante que o dosímetro pessoal seja usado de modo permanente pelo usuário durante todo o seu período de trabalho na sua instituição. Quando o usuário não estiver trabalhando naquela Instituição, o seu dosímetro deve ser guardado junto com os outros dosímetros de seus colegas e do dosímetro Padrão, evitando assim a ocorrência de leituras errôneas em seu dosímetro. ATENÇÃO: Quando o Dosímetro não for usado deixe o sempre junto com o Dosímetro Padrão, em local livre de radiação. O que é e para que serve o Dosímetro Padrão? O Dosímetro Padrão é um dosímetro igual aos outros, mas utilizado como referência no sistema de leitura, ou seja as doses indicadas no Laudo de Doses Mensal, são calculadas medindo-se a dose do dosímetro cada usuário e subtraindo-se o valor da dose acumulada no Dosímetro Padrão. O Dosímetro Padrão serve ainda para descontar eventual radiação recebida pelo conjunto dos dosímetros durante o transporte (correio ). 2 PRO RAD – Consultores em Radioproteção Ltda.
  3. 3. Porque não se envia a dose do Dosímetro Padrão no Laudo de Doses? Nunca se envia a leitura do Dosímetro Padrão no Laudo Mensal de Doses, pois a leitura do Dosímetro Padrão é um valor de referência que é descontado da leitura dos Dosímetro de todos os usuários para o cálculo das Doses. Por este motivo o Dosímetro Padrão nunca deve ser usado como Dosímetro Pessoal. O que significa “O Dosímetro Padrão recebeu dose acima do normal? Existem casos em que o Dosímetro Padrão foi usado por alguém como Dosímetro Pessoal, ou exposto à radiação ou mesmo deixado na Sala de Raios X. Neste caso a PRO-RAD carimba o Laudo de Doses com os seguintes dizeres: ATENÇÃO: O dosímetro “PADRÃO” recebeu dose acima do normal. Favor verificar as condições de uso do “PADRÃO” , isto é colocá-lo, juntamente com os dosímetros não em uso, em local livre de radiação. Jamais utilizar o dosímetro “PADRÃO” para monitorar pessoas ou ambientes com radiação. O que fazer se a remessa de Dosímetros não chegou? Se passar de 5 dias úteis da data prevista para a troca dos Dosímetros, e a remessa ainda não chegou no seu endereço, continue usando os dosímetros em seu poder, e proceda da seguinte forma: a) Procure de novo junto ao local de distribuição da correspondência de sua Instituição; possui uma unidade em que é expressa ( assim como por exemplo Distância pode ser expresso em metros, Corrente Elétrica em ampères, etc. ). A Exposição possui uma unidade antiga chamada Roentgen ( R ) que corresponde à quantidade de cargas elétricas liberadas em uma massa de ar devido à radiação incidente, onde 1 R = 0,258 C/kg. ( C/kg = Coulomb por quilo; Coulomb é a unidade de carga elétrica ). A Dose Absorvida ( Grey ) é uma medida da energia da radiação absorvida por uma determinada massa de matéria. A unidade de Dose Absorvida é Joule por quilograma ou de forma mais usual J/kg, sendo 1 Gy = 100 J/kg ou 100 RAD = 1 Grey (Gy). A Dose Equivalente ( Sievert ), ou simplesmente DOSE nos Laudos de Dose Mensais, leva em conta o efeito biológico em tecidos vivos, produzido pela radiação absorvida. Desta forma a Dose Equivalente é obtida da Dose Absorvida multiplicada por fatores ponderantes apropriados. A unidade da Dose Equivalente ou DOSE é o Sievert (Sv) ou seu sub-múltiplo o milisievert (mSv). A unidade antiga desta grandeza é o REM que se relaciona com o Sv da seguinte forma: 1 Sv = 100 REM. O que é um Laudo de Dose Mensal? O Laudo de Dose Mensal é um relatório das doses recebidas pelos usuários de uma instituição durante o período de um mês. Neste Laudo, além das doses, consta a data da chegada da remessa, no Laboratório o código da Instituição e dos usuários, o Período de Uso dos Dosímetros, etc. • O Período de Uso dos Dosímetros é sempre um mês, iniciando no dia 01 ou 15. Eventualmente em caso de atraso da nova remessa os Dosímetros poderão ser usados por mais alguns dias, até serem substituídos pela nova remessa de outra cor. O que é Sievert ou mSv? Sievert é uma Unidade Dosimétrica , milisievert (mSv) é um milésimo de Sievert e corresponde a 100 mREM (unidade antiga). • O Registro na CNEN é um número atribuído à Instituição pelo Órgão Credenciador da Dosimetria no Brasil, que é o Instituto de Radioproteção e Dosimetria – IRD da Comissão Nacional de Energia Nuclear – CNEN, no Rio de Janeiro. Quais são as principais Unidades Dosimétricas? Para correlacionar as diversas radiações com os efeitos biológicos foram estabelecidas, entre outras, as seguintes grandezas: EXPOSIÇÃO, DOSE ABSORVIDA, e DOSE EQUIVALENTE. Cada uma destas grandezas físicas • DOSES – As Doses são sempre apresentadas em três colunas designadas por mês, trim. e ano. A coluna mês indica a Dose do Período de Uso indicado no Laudo. b) Se não for encontrado a remessa, ligue para a PRO-RAD imediatamente, para que possamos enviar da forma mais rápida possível uma nova remessa. 3 PRO RAD – Consultores em Radioproteção Ltda.
  4. 4. • • • ND - Não Devolvido - Ou seja o dosímetro em questão não foi devolvido para leitura; DD - Dose Desconhecida - Por qualquer motivo não foi possível ler o Dosímetro; * - Um asterisco seguido de uma dose significa que houve Leitura de Urgência, e neste caso as leituras de dois dosímetros (o que recebeu dose devido ao acidente, e o outro dosímetro usado a seguir), são computadas no Laudo. O que significa Leitura de Urgência? Em casos de irradiação acidental de um ou mais usuários, ou mesmo em casos em que antes do término do Período de Uso se necessite conhecer a dose recebida, a Instituição sempre poderá solicitar uma Leitura de Urgência desses dosímetros. A Leitura de Urgência é processada imediatamente, com a maior prioridade, e logo após é enviado por FAX o Laudo de Leitura de Urgência., e remetido à Instituição novos dosímetros, da mesma cor, que deverão ser usados até o fim do Período de Uso. No Laudo de Doses Mensal, estes dosímetros são marcados com asterisco ( * ) antes das suas Leituras, indicando a soma de doses de dois dosímetros. Exemplo de Laudo de Dose Mensal OBS: NO LAUDO EXISTEM TRES COLUNAS COM DOSES: MÊS: mostra a dose recebida no mês relativo ao período indicado no Laudo. TRIM: mostra as somas das doses dos últimos 3 meses ( 3 Períodos de Uso) , e ANO: mostra a soma dos últimos 12 meses consecutivos ( 12 Períodos de Uso ) dos Dosímetros. • Observações: Além das doses sempre é indicado o número Total de usuários monitorados, a Soma das Doses da coluna mês, Dados de Controle da PRORAD e a Data de Retorno da Remessa. ABREVIATURAS USADAS • BG - Background ou Radiação de Fundo - Neste caso a Dose é menor que 0,2 mSv; Quais são os Limites Primários Anuais? Os Limites Primários Anuais de Dose Equivalente substituem o antigo conceito de Dose Máxima Permissível, e são valores estipulados pelas Diretrizes Básicas de Radioproteção da CNEN (Norma CNEN NE3.01 de 07/88 - DOU 12/88) - que não devem ser ultrapassados por trabalhadores ou indivíduos do público durante 12 meses consecutivos. DOSE EQUIVALENTE Dose equivalente efetiva Dose equivalente para a pele Dose equivalente para cristalino Dose equivalente p/extremidades TRABALHADOR 50 mSv (5 REM ) 500 mSv ( 50 REM ) 150 mSv (15 REM) 500 mSv (50 REM ) PÚBLICO 1 mSv (0,1 REM) 50 mSv (5 REM ) 50 mSv (5 REM ) 50 mSv (5 REM ) • As doses lidas nos dosímetros da Pro-Rad servem justamente para verificar se o usuário recebeu doses menores ou maiores do que as estabelecidas pela norma. • É importante frisar que de acordo com a Lei 6.514 de 22/12/77, portaria 3214 de 08 de Junho de 1978 e portaria 4 de 11 de abril de 1994, está previsto 4 PRO RAD – Consultores em Radioproteção Ltda.
  5. 5. adicional de insalubridade quando os níveis de radiação estiverem acima dos limites. Existe Limite de Dose Mensal? A Norma de CNEN prevê somente Limites Primários Anuais, mas por motivos práticos de dosimetria foram estabelecidos três Níveis de Referência para o programa de monitoração pessoal, em relação às doses mensais, a saber: • Nível de Registro: - BG à 1,2 mSv. - Determina apenas que os dados de doses do mês da Dosimetria Pessoal devem ser registrados pela Instituição. • • Nível de Investigação: 1,2 mSv à 4 mSv – Quando alguma dose do mês de usuário estiver entre estes valores, a Instituição deve investigar as causas que justifiquem estes níveis. A PRO-RAD sempre envia uma Carta comunicando quais os usuários e sugestões de providências a serem tomadas. Nível de Interferência: Doses no mês maiores que 4 mSv – Neste caso tornase necessário medidas de interferência nos procedimentos de trabalho, a fim de corrigir uma situação claramente inaceitável, cujos detalhes dependem de cada situação particular. Além disso a PRO-RAD envia uma carta de Comunicação de Doses Elevadas à CNEN com o resultado da Dose medida. O responsável da Instituição deverá fazer um relatório à CNEN, onde constam as atitudes tomadas em relação à doses recebidas pelos usuários. Como proceder se alguma Dose for maior que 4 mSv? Para doses entre 4.0 – 50mSv: Fazer um Relatório de Investigação, com registro de atitudes tomadas pela Instituição e anexá-lo junto com os Laudos Mensais de Doses, para possível fiscalização futura da CNEN. Para doses entre 50 – 100mSv: Arquivar o Relatório de Investigação junto com os Laudos Mensais de Dose e enviar uma cópia para a Coordenação Geral do Grupo de Análise de Doses Elevadas – GADE-CNEN (ver endereço abaixo). Para dose mensal acima de 100mSv: O responsável pela proteção radiológica deve entrar imediatamente em contato com o GADE-CNEN, para receber instruções sobre como proceder na analise da dose elevada de radiação. Como entrar em contato com a Coordenação do GADE-CNEN? Para entrar em contato basta ligar para o telefone abaixo, ou escrever para: Grupo de Análise de Doses Elevadas - GADE Coordenador: . Sr. Francisco César Augusto Silva o Av. Salvador Allende, s/n (RL 089) – Recreio 22.780 – 160 Rio de Janeiro RJ Fone : (0xx21) 442-9754 / 442-9622 O que deve constar no Relatório de Investigação? O Relatório de Investigação deve ser sucinto, e objetivo no sentido de permitir identificar a real causa da Dose Elevada, a circunstância que a ocasionou, e as medidas corretivas adotadas. Portanto ele deve conter informações com o Nome do Usuário, o Período da Dose superior a 4 mSv, e as atitudes tomadas, tal como: a) A Investigação sobre os motivos desta exposição, levou-nos a constatar que... b) Durante a realização dos exames o referido usuário utilizou, ou não utilizou um avental de Plumbífero para sua proteção de corpo inteiro? c) Da mesma forma o Dosímetro foi usado sobre ou sob o avental? d) Os exames laboratoriais de rotina foram realizados e constatou-se ou não alterações no exame de sangue? ( Contagem de plaquetas, hemograma completo do usuário.) Como proceder após receber o Contrato? A Instituição ao receber o contrato emitido pela PRO-RAD referente ao serviço de Dosímetria Pessoal deve: 1. Assinar as três vias e devolver as mesmas a Pro-Rad 2. Preencher e devolver a Pro-Rad as Fichas para cadastro junto a CNEN onde: • Ficha de Cadastramento de Instituição: utilizada para cadastrar a entidade e os setores, quando houverem. • Ficha de Cadastramento de Usuário de Dosímetria Pessoal: utilizada para cadastro individual de todos os usuários do serviço de dosimetria e deve ser preenchida de forma completa e assinada pelo próprio usuário. ATENÇÃO: O início do serviço de Dosimetria Pessoal está vinculado diretamente ao envio desta documentação e após o recebimento das mesmas a entidade e usuários são cadastrados junto a CNEN e tem início o serviço de Dosímetria Pessoal. Instituto de Radioproteção e Dosimetria – IRD - CNEN 5 PRO RAD – Consultores em Radioproteção Ltda.
  6. 6. Acompanhando a primeira remessa de dosímetros é enviado uma via do contrato (1º via do cliente) e a nota fiscal referente a prestação do serviço. Notas: - Estas fichas também podem ser preenchidas e enviadas via micro pelo programa Administrador de Radioproteção – ARP. - O modelo destas fichas é o exigido pela CNEN – Comissão Nacional de Energia Nuclear e devem ser preenchidas da forma mais completa possível (todos os campos). - Informações quanto ao preenchimento dos campos constam no verso das mesmas. Como Incluir, Excluir ou Substituir um Usuário de Dosimetria? INCLUSÃO: Sempre que um usuário começa ser monitorado ele ou a Instituição deve preencher a FICHA DE USUÁRIO com os dados solicitados, e assinalar o campo INCLUSÃO com um x. MODELO DE PORTA DOSÍMETROS DOSÍMETRO DE PULSO EXCLUSÃO: Quando um usuário deixar de ser monitorado pela Instituição, esta deverá comunicar à PRO-RAD a exclusão do mesmo, através do preenchimento da mesma FICHA DE USUÁRIOS, mas assinalando agora o campo EXCLUSÃO. SUBSTIUIÇÃO e ALTERAÇÃO: No caso da saída de um usuário e entrada de outro, deverão ser preenchidas duas fichas, uma de INCLUSÃO e outra de Quais as Normas e Leis mas importantes relacionadas com o uso da Radiação? Norma CNEN NE 3.01 As Diretrizes Básicas de Radioproteção - Norma CNEN NE 3.01 estabelece os princípios, limites, obrigações e controles básicos para quem trabalha com Radiação Ionizante. Esta norma pode ser obtida junto à CNEN. ( www.cnen.gov.br) DOSÍMETROS DE ANEL PORTARIA 453 de 01/07/88 A Portaria 453 aprova o Regulamento Técnico que estabelece as diretrizes básicas de Proteção Radiológica em Radiodiagnóstico Médico e Odontológico, dispõe entre outros sobre o uso dos raios x diagnósticos em todo o território nacional. A Portaria 453 estabelece que: “Nenhuma instalação pode ser construída, modificada, operada ou desativada, nenhum equipamento de radiodiagnóstico pode ser vendido, operado, transferido de local, modificado e nenhuma prática com Raios-X diagnóstico pode ser executada sem que estejam de acordo com os requisitos estabelecidos neste regulamento” 6 PRO RAD – Consultores em Radioproteção Ltda.

×