DOENÇAS CARACTERIZADASPRINCIPALMENTE POR OPACIDADESLINEARES E RETICULARESMonitor: Pedro Rafael Magno16/10/2012
OPACIDADES RETICULARES E LINEARES
   Presença de Fibrose e anormalidades lineares       Pneumonias Intersticiais Idiopáticas       Fibrose Pulmonar Idiop...
PNEUMONIAS INTERSTICIAIS IDIOPÁTICAS   PIU     Padrão Heterogêneo, inflamação intersticial, fibrose      intersticial, f...
PNEUMONIAS INTERSTICIAIS IDIOPÁTICAS   PID     Relativamente uniforme com acúmulos de macrófagos      no interior dos al...
FIBROSE PULMONAR IDIOPÁTICA 40 e 70 anos Dispnéia progressiva e tosse seca. Padrão restritivos em testes pulmonares, vo...
FIBROSE PULMONAR IDIOPÁTICA   Critérios Maiores (4)     Exclusão de doenças do tecido conjuntivo de exposição      a dro...
FIBROSE PULMONAR IDIOPÁTICA   Critérios Menores (3)     Idade maior do que 50 anos     Inicio insidioso da dispnéia    ...
FIBROSE PULMONAR IDIOPÁTICA   Achados radiográficos       80% opacidades lineares irregulares bilaterais que        form...
FIBROSE PULMONAR IDIOPÁTICA                              Espessamento                              intersticial           ...
FIBROSE PULMONAR IDIOPÁTICA                              Espessamento                              intersticial           ...
FIBROSE PULMONAR IDIOPÁTICA                              Espessamento                              intersticial           ...
FIBROSE PULMONAR IDIOPÁTICA                              Linhas                              Subpleurais                  ...
FIBROSE PULMONAR IDIOPÁTICA                              Faveolamento                              - 2 a 20 mm            ...
FIBROSE PULMONAR IDIOPÁTICA                              Faveolamento                              Subpleural             ...
FIBROSE PULMONAR IDIOPÁTICA                              Cistos                              subpleurais                  ...
Opacidade emvidro foscoFIBROSE PULMONAR IDIOPÁTICA
Opacidade emvidro foscoFIBROSE PULMONAR IDIOPÁTICA
OPACIDADE EM VIDRO FOSCO Sinal de alveolite ativa. Predomínio de vidro fosco em relação a reticulação  indica melhor res...
ProgressãoFIBROSE PULMONAR IDIOPÁTICA
VANTAGENS DA TCAR Faveolamento é visto em 90% em comparação  com 30% dos casos da radiologia simples. Avaliar como será ...
DOENÇAS COLÁGENO-VASCULARES Tendem a estar associadas a um padrão reticular  mais fino e a menos faveolamento que FPI. O...
ARTRITE REUMATÓIDE 40% dos pacientes com A.R. apresentam anormalidades  da função pulmonar compatíveis com pneumonia  int...
ArtriteDOENÇAS COLÁGENO-VASCULARES                              Reumatóide                              Esclerose         ...
ArtriteDOENÇAS COLÁGENO-VASCULARES                              Reumatóide                              Esclerose         ...
ARTRITE REUMATÓIDE   Bronquiolite Folicular     Hiperplasia dos folículos linfóides presentes ao redor      dos bronquío...
ArtriteDOENÇAS COLÁGENO-VASCULARES                              Reumatóide                              Esclerose         ...
ESCLEROSE SISTÊMICA PROGRESSIVA 75% dos pacientes apresentam comprometimento  pulmonar na autópsia, porém apenas 1%  apre...
   Achados     Faveolamento, reticulação irregular, linhas      subpleurais, vidro fosco, consolidação e distribuição   ...
Artrite ReumatóideDOENÇAS COLÁGENO-VASCULARES                              Esclerose                              Sistêmic...
Artrite ReumatóideDOENÇAS COLÁGENO-VASCULARES                              Esclerose                              Sistêmic...
Artrite ReumatóideDOENÇAS COLÁGENO-VASCULARES                              Esclerose                              Sistêmic...
LÚPUS ERITEMATOSO SISTÊMICO   Diagnóstico Clinico: 4/10       Rash, lúpus discoide, fotossensibilidade, úlceras orais,  ...
LÚPUS ERITEMATOSO SISTÊMICO   Achados:     Fibrose, opacidade em vidro fosco, pequenos      nódulos, espessamento das pa...
Artrite ReumatóideDOENÇAS COLÁGENO-VASCULARES                              Esclerose                              Sistêmic...
Artrite ReumatóideDOENÇAS COLÁGENO-VASCULARES                              Esclerose                              Sistêmic...
POLIMIOSITE-DERMATOMIOSITE Fraqueza nos músculos proximais dos membros. Comprometimento pulmonar é incomum. Padrão de e...
DOENÇA MISTA DO TEC CONJUNTIVO Comumente está associada a evidencias funcionais e  radiológicas de DPI ou derrame pleural...
Artrite ReumatóideDOENÇAS COLÁGENO-VASCULARES                              Esclerose                              Sistêmic...
Artrite ReumatóideDOENÇAS COLÁGENO-VASCULARES                              Esclerose                              Sistêmic...
SÍNDROME DE SJÖGREN Tríade Clínica: Cerato-conjuntive seca, xerostomia  e edema recorrente da gl. parótida. PIL, PIU, BO...
SÍNDROME DE SJÖGREN   Achados:     Opacidade em vidro fosco, achados de      fibrose, opacidade nodulares centrolobulare...
Artrite ReumatóideDOENÇAS COLÁGENO-VASCULARES                              Esclerose                              Sistêmic...
ESPONDILITE ANQUILOSANTE Fibrose pulmonar extensa nas zonas superiores,  em geral dez anos ou mais após o início das  doe...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Doenças caracterizadas principalmente por opacidades lineares e reticulares

29.444 visualizações

Publicada em

1 comentário
1 gostou
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
29.444
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
140
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
41
Comentários
1
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Doenças caracterizadas principalmente por opacidades lineares e reticulares

  1. 1. DOENÇAS CARACTERIZADASPRINCIPALMENTE POR OPACIDADESLINEARES E RETICULARESMonitor: Pedro Rafael Magno16/10/2012
  2. 2. OPACIDADES RETICULARES E LINEARES
  3. 3.  Presença de Fibrose e anormalidades lineares  Pneumonias Intersticiais Idiopáticas  Fibrose Pulmonar Idiopática  Doenças Colágeno-Vasculares  Abestose  Induzida por Drogas  Fibrose por radiação
  4. 4. PNEUMONIAS INTERSTICIAIS IDIOPÁTICAS PIU  Padrão Heterogêneo, inflamação intersticial, fibrose intersticial, faveolamento.  Heterogeneidade Temporal  Regiões Subpleural e Parasseptal.  Injuria: asbesto, bleomicina, radiação PIA.  Dano alveolar difuso.  Membranas hialinas dentro dos alvéolos e fibrose intersticial ativa e difusa.
  5. 5. PNEUMONIAS INTERSTICIAIS IDIOPÁTICAS PID  Relativamente uniforme com acúmulos de macrófagos no interior dos alvéolos.  Muito relacionada ao tabagismo.  PID x BR-DPI. Partes diferentes da mesma doença? PINE  Presença de fibrose e inflamação intersticial sem achados específicos de PIA, PIU e PID.
  6. 6. FIBROSE PULMONAR IDIOPÁTICA 40 e 70 anos Dispnéia progressiva e tosse seca. Padrão restritivos em testes pulmonares, volumes reduzidos e pouca troca gasosa. Sobrevida média de 4 anos. Limitados aos pacientes com achados histológicos de PIU Alveolite com aumento da celularidade das paredes alveolares. Reversível x Irreversível
  7. 7. FIBROSE PULMONAR IDIOPÁTICA Critérios Maiores (4)  Exclusão de doenças do tecido conjuntivo de exposição a drogas.  Testes de funções pulmonares anormais.  Achados na TCAR de reticulações bi-basilar com mínima opacidade em vidro fosco.  Exclusão de outra doença através de biópsia transbrônquica e lavado bronco-alveolar.
  8. 8. FIBROSE PULMONAR IDIOPÁTICA Critérios Menores (3)  Idade maior do que 50 anos  Inicio insidioso da dispnéia  Duração da doença maior do que 3 meses  Estertores inspiratórios bi-basilares
  9. 9. FIBROSE PULMONAR IDIOPÁTICA Achados radiográficos  80% opacidades lineares irregulares bilaterais que formam um padrão reticular  50 a 80% predominam ou são exclusivo de zonas pulmonares inferiores.  Estágio final há faveolamento difuso sem opacidade em vidro fosco.  Na TCAR, predomina-se aspectos de faveolamento e espessamento intersticial intralobular  48 a 90% apresentaram linfonodos mediastinais aumentados. Menores que 15 mm em seu menor diâmetro. Esteróides limitam o achado.
  10. 10. FIBROSE PULMONAR IDIOPÁTICA Espessamento intersticial intralobular. Bronquiectasia de tração
  11. 11. FIBROSE PULMONAR IDIOPÁTICA Espessamento intersticial intralobular. Bronquiectasia de tração
  12. 12. FIBROSE PULMONAR IDIOPÁTICA Espessamento intersticial intralobular. Bronquiectasia de tração
  13. 13. FIBROSE PULMONAR IDIOPÁTICA Linhas Subpleurais Septo interlobular irregular.
  14. 14. FIBROSE PULMONAR IDIOPÁTICA Faveolamento - 2 a 20 mm - 24 a 90 % dos pacientes com FPI
  15. 15. FIBROSE PULMONAR IDIOPÁTICA Faveolamento Subpleural Bronquiectasia de tração
  16. 16. FIBROSE PULMONAR IDIOPÁTICA Cistos subpleurais típicos de faveolamento
  17. 17. Opacidade emvidro foscoFIBROSE PULMONAR IDIOPÁTICA
  18. 18. Opacidade emvidro foscoFIBROSE PULMONAR IDIOPÁTICA
  19. 19. OPACIDADE EM VIDRO FOSCO Sinal de alveolite ativa. Predomínio de vidro fosco em relação a reticulação indica melhor resposta a tratamento. Sem achados de fibrose indica doença em atividade e possível reversibilidade. Os pacientes com opacificação em vidro fosco difusa na TCAR em geral morrem dentro de três meses após a apresentação inicial.
  20. 20. ProgressãoFIBROSE PULMONAR IDIOPÁTICA
  21. 21. VANTAGENS DA TCAR Faveolamento é visto em 90% em comparação com 30% dos casos da radiologia simples. Avaliar como será a resposta ao tratamento. Indicar o melhor local para fazer a biópsia. Dispensar a biópsia caso achados e localização típicos sem sinal de atividade da doença.
  22. 22. DOENÇAS COLÁGENO-VASCULARES Tendem a estar associadas a um padrão reticular mais fino e a menos faveolamento que FPI. Opacidade em vidro fosco é mais comum como anormalidade predominante
  23. 23. ARTRITE REUMATÓIDE 40% dos pacientes com A.R. apresentam anormalidades da função pulmonar compatíveis com pneumonia intersticial. Maioria associada a PIU e uma minoria a PINE. Em geral é indistinguível da FIP, na TCAR e radiografias. 10% Fibrose Pulmonar 14% Vidro Fosco Doença pleural é comum em pacientes com AR.
  24. 24. ArtriteDOENÇAS COLÁGENO-VASCULARES Reumatóide Esclerose Sistêmica Progressiva Lúpus E.S. Polimiosite Doença Mista Sindrome de Sjögren Espondilite Anquilosante
  25. 25. ArtriteDOENÇAS COLÁGENO-VASCULARES Reumatóide Esclerose Sistêmica Progressiva Lúpus E.S. Polimiosite Doença Mista Sindrome de Sjögren Espondilite Anquilosante
  26. 26. ARTRITE REUMATÓIDE Bronquiolite Folicular  Hiperplasia dos folículos linfóides presentes ao redor dos bronquíolos.  Multiplos nódulos pequenos, de distribuição predominantemente centrolobular, subpleural e peribrônquica.  1 a 4 mm.
  27. 27. ArtriteDOENÇAS COLÁGENO-VASCULARES Reumatóide Esclerose Sistêmica Progressiva Lúpus E.S. Polimiosite Doença Mista Sindrome de Sjögren Espondilite Anquilosante
  28. 28. ESCLEROSE SISTÊMICA PROGRESSIVA 75% dos pacientes apresentam comprometimento pulmonar na autópsia, porém apenas 1% apresenta sintomatologia ESP + Fibrose: PINE, ao invés de PIU. PIU associado a ESP tem melhor prognóstico que PIU associado a FPI.
  29. 29.  Achados  Faveolamento, reticulação irregular, linhas subpleurais, vidro fosco, consolidação e distribuição subpleural.  Lobos inferiores.  Bronquiolite folicular, dilatação esofageana assintomática (12 a 40mm), linfonodos mediastinais.
  30. 30. Artrite ReumatóideDOENÇAS COLÁGENO-VASCULARES Esclerose Sistêmica Progressiva Lúpus E.S. Polimiosite Doença Mista Sindrome de Sjögren Espondilite Anquilosante
  31. 31. Artrite ReumatóideDOENÇAS COLÁGENO-VASCULARES Esclerose Sistêmica Progressiva Lúpus E.S. Polimiosite Doença Mista Sindrome de Sjögren Espondilite Anquilosante
  32. 32. Artrite ReumatóideDOENÇAS COLÁGENO-VASCULARES Esclerose Sistêmica Progressiva Lúpus E.S. Polimiosite Doença Mista Sindrome de Sjögren Espondilite Anquilosante
  33. 33. LÚPUS ERITEMATOSO SISTÊMICO Diagnóstico Clinico: 4/10  Rash, lúpus discoide, fotossensibilidade, úlceras orais, artrite, serosite, alterações renais, neurológicas, hematológicas ou imunológica Pleurite ou fibrose pleural está em 85% das autópsias. Complicações mais comuns são pneumonia, hemorragia pulmonar.
  34. 34. LÚPUS ERITEMATOSO SISTÊMICO Achados:  Fibrose, opacidade em vidro fosco, pequenos nódulos, espessamento das paredes brônquicas, derrame ou espessamente pleural.  Fibrose: Espessamento do septo interlobular e espessamento intersticial intralobular e distorção arquitetural.
  35. 35. Artrite ReumatóideDOENÇAS COLÁGENO-VASCULARES Esclerose Sistêmica Progressiva Lúpus E.S. Polimiosite Doença Mista Sindrome de Sjögren Espondilite Anquilosante
  36. 36. Artrite ReumatóideDOENÇAS COLÁGENO-VASCULARES Esclerose Sistêmica Progressiva Lúpus E.S. Polimiosite Doença Mista Sindrome de Sjögren Espondilite Anquilosante
  37. 37. POLIMIOSITE-DERMATOMIOSITE Fraqueza nos músculos proximais dos membros. Comprometimento pulmonar é incomum. Padrão de envolvimento é PIU ou BOOP. Achados  Opacidade em vidro fosco, fibrose e consolidação.  Ocorre consolidação subpleural devido a BOOP.
  38. 38. DOENÇA MISTA DO TEC CONJUNTIVO Comumente está associada a evidencias funcionais e radiológicas de DPI ou derrame pleural. Também relata-se vasculite pulmonar, hipertensão pulmonar e hemorragia pulmonar. 2/3 dos pacientes apresentam testes de função pulmonar anormais. Acaracterísticas idênticas a FPI. Opacidades perivasculares centrolobulares mal definidas. Derrame ou espessamento pleurais em menos de 10% dos casos
  39. 39. Artrite ReumatóideDOENÇAS COLÁGENO-VASCULARES Esclerose Sistêmica Progressiva Lúpus E.S. Polimiosite Doença Mista Síndrome de Sjögren Espondilite Anquilosante
  40. 40. Artrite ReumatóideDOENÇAS COLÁGENO-VASCULARES Esclerose Sistêmica Progressiva Lúpus E.S. Polimiosite Doença Mista Síndrome de Sjögren Espondilite Anquilosante
  41. 41. SÍNDROME DE SJÖGREN Tríade Clínica: Cerato-conjuntive seca, xerostomia e edema recorrente da gl. parótida. PIL, PIU, BOOP, bronquiolite folicular, pleurite com ou sem derrame pleural.
  42. 42. SÍNDROME DE SJÖGREN Achados:  Opacidade em vidro fosco, achados de fibrose, opacidade nodulares centrolobulares, cistos pulmonares. Bronquiolectasias, faveolamento.  Achados de PIL: opacidade em vidro fosco com cistos de paredes finas distribuídos randomicamente.
  43. 43. Artrite ReumatóideDOENÇAS COLÁGENO-VASCULARES Esclerose Sistêmica Progressiva Lúpus E.S. Polimiosite Doença Mista Síndrome de Sjögren Espondilite Anquilosante
  44. 44. ESPONDILITE ANQUILOSANTE Fibrose pulmonar extensa nas zonas superiores, em geral dez anos ou mais após o início das doenças. Envolvimento pulmonar de 1%. Inicia-se com envolvimento pleural apical e formação de cistos e cavidades. Começa unilateral.

×