O slideshow foi denunciado.
HUSMSERVIÇO DE DIAGNÓSTICO POR IMAGEM   DOENÇAS HEPÁTICAS DIFUSAS          R2 RÉGIS SILVA
FIGADO-Peso: 1,4 – 1,7 Kg-Medida transversal 20 - 26 cm-Medida vertical 15 - 21 cm-20 – 25 % do suprimento artéria hepátic...
SEGMENTAÇAO DE COUINAUD-
DOENÇA DO FÍGADO GORDUROSO-E uma resposta uma lesão e a toxina-Acúmulo de colesterol e triglicerídios-Alcoolismo, obesidad...
chc
HEMOCROMATOSE-Primária(hereditária)   -   Aumento da reabsorção gastrointestinal   -   4ª e 5ª década de vida   -   DM, IC...
TROMBOSE DA VEIA PORTA-Complicação de cirrose-Invasão ou compressão tumoral-Hipercoagulabilidade-Inflamação-Incidência de ...
BUDD-CHIARI-Hipercoagulabilidade-Compressão – tumor-Membrana da VCI-Dor abdominal, hepatomegalia e ascite.- TC: hepatomega...
INFARTO HEPÁTICO-Raro-Choque agudo, trauma hipercoagulabilidade-Elevação da enzimas hepáticas e plaqueta baixa-Achados: ár...
DOENÇA HEPATICA VENO-OCLUSIVA-Relacionada principalmente a transplante e neoplasias nopúblico pediátrico.-Lesão hepática s...
GÁS NO SISTEMA PORTA-Mais frequentemente associado:-Isquemia intestinal nos adultos-Enterocolite necrosante nos RN-Outras ...
HEPATITE AGUDA- Comumente não produz anormalidades específicas nos examesde imagem.- Achados: hepatomegalia, atenuação het...
HEPATITE CRONICA-Inflamação e fibrose portais e perilobulares-Em geral o fígado não está aumentado, no inicio as alteraçõe...
CIRROSE-Achados:   -   Superfície lisa ou micronodular, Atrofia hepática, Adenopatia       porta hepatis, hipertrofia do l...
CIRROSE                           NÓDULOS- Nódulos regenerativos: 3-10mm, a maioria são isodensos, sinalvariável em T1, T2...
CIRROSE- Fibrose hepática confluente- Áreas de fibrose semelhantes a massa, forma de cunha,hipodensas, perda de volume da ...
Sarcoidose - Boeck
Peliose hepática
Aula figado
Aula figado
Aula figado
Aula figado
Aula figado
Aula figado
Aula figado
Aula figado
Aula figado
Aula figado
Aula figado
Aula figado
Aula figado
Aula figado
Aula figado
Aula figado
Aula figado
Aula figado
Aula figado
Aula figado
Aula figado
Aula figado
Aula figado
Aula figado
Aula figado
Aula figado
Aula figado
Aula figado
Aula figado
Aula figado
Aula figado
Aula figado
Aula figado
Aula figado
Aula figado
Aula figado
Aula figado
Aula figado
Aula figado
Aula figado
Aula figado
Aula figado
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Aula figado

7.991 visualizações

Publicada em

Aula figado

  1. 1. HUSMSERVIÇO DE DIAGNÓSTICO POR IMAGEM DOENÇAS HEPÁTICAS DIFUSAS R2 RÉGIS SILVA
  2. 2. FIGADO-Peso: 1,4 – 1,7 Kg-Medida transversal 20 - 26 cm-Medida vertical 15 - 21 cm-20 – 25 % do suprimento artéria hepática-75 – 80% do suprimento veia porta
  3. 3. SEGMENTAÇAO DE COUINAUD-
  4. 4. DOENÇA DO FÍGADO GORDUROSO-E uma resposta uma lesão e a toxina-Acúmulo de colesterol e triglicerídios-Alcoolismo, obesidade, desnutrição, hiperalimentação,costicóide, DM, pancreatite …-Exames de imagem é o melhor método-Avaliação: - TC: densidade menor do que do baço - RM: identificar esteatose focal-Esteatose focal - Distribuição segmentar, sub capsular, VB, lig falciforme - Margem nítida e em linha reta - Não desloca vasos
  5. 5. chc
  6. 6. HEMOCROMATOSE-Primária(hereditária) - Aumento da reabsorção gastrointestinal - 4ª e 5ª década de vida - DM, IC, artralgia…-Secundária(aumento do aporte) - Anemia crônica com múltiplas transfusões - Ingestão excessiva, porfiria,-TC: fígado com densidade > 70 HU – sobrecarga de ferro-Ouro coloidal, doença de Wilson, d. armaz. de glicogênio-RM: Redução da intensidade do sinal em T1 e T2. hiperintensono baço.-Hemossiderose, d. de Wilson…
  7. 7. TROMBOSE DA VEIA PORTA-Complicação de cirrose-Invasão ou compressão tumoral-Hipercoagulabilidade-Inflamação-Incidência de 5% na hipertensão portal e próximo de 30% noCHC-TC: Esplenomegalia, formação de colaterais, ascite, e pode teralta atenuação na fase arterial.-RM: trombo agudo hiper em T1 e T2, crônico hipo em T1 ehiper em T2.
  8. 8. BUDD-CHIARI-Hipercoagulabilidade-Compressão – tumor-Membrana da VCI-Dor abdominal, hepatomegalia e ascite.- TC: hepatomegalia heterogênea, não visualização das veiashepática, ascite, realce hepático central, lobo caudado preservadoou aumentado.
  9. 9. INFARTO HEPÁTICO-Raro-Choque agudo, trauma hipercoagulabilidade-Elevação da enzimas hepáticas e plaqueta baixa-Achados: área periférica em forma de cunha, não apresentaefeito de massa, nem realce pelo contraste.
  10. 10. DOENÇA HEPATICA VENO-OCLUSIVA-Relacionada principalmente a transplante e neoplasias nopúblico pediátrico.-Lesão hepática sinusoidal Clínica-Ganho de peso não imputáveis à sobrecarga de fluido,hepatomegalia dolorosa, icterícia e ascite-Nos primeiros 20 dias pós transplante Achados da TC-Ascite, hepatomegalia, espessamento da VB e estreitamento dasveias hepaticas
  11. 11. GÁS NO SISTEMA PORTA-Mais frequentemente associado:-Isquemia intestinal nos adultos-Enterocolite necrosante nos RN-Outras causas: colonoscopia recente, sonda de gastrostomia, DII,diveticulite, abscesso abdominal…
  12. 12. HEPATITE AGUDA- Comumente não produz anormalidades específicas nos examesde imagem.- Achados: hepatomegalia, atenuação heterogênea e perfusãoirregular.
  13. 13. HEPATITE CRONICA-Inflamação e fibrose portais e perilobulares-Em geral o fígado não está aumentado, no inicio as alteraçõessão mínimas. CIRROSE-Destruição difusa do parenquima, fibrose com alteração daarquitetura hepática e inúmeros nódulos regenerativos.-Causas: - Toxinas , Infecção, Obstrução biliar, Hereditária ou criptogênica.
  14. 14. CIRROSE-Achados: - Superfície lisa ou micronodular, Atrofia hepática, Adenopatia porta hepatis, hipertrofia do lobo caudado, nódulos de regeneração - Sinais indiretos – hipertensão portal
  15. 15. CIRROSE NÓDULOS- Nódulos regenerativos: 3-10mm, a maioria são isodensos, sinalvariável em T1, T2 hipo ou isointenso.
  16. 16. CIRROSE- Fibrose hepática confluente- Áreas de fibrose semelhantes a massa, forma de cunha,hipodensas, perda de volume da porção afetada do fígado- São hiperintensas em T2 e hipo em T1.
  17. 17. Sarcoidose - Boeck
  18. 18. Peliose hepática

×