POEMA 
PROFESSORA: RACHEL BARONI
Objetivo: Desenvolver o gosto pela leitura e 
escrita e aprofundar as características do 
gênero textual: poema. 
Público ...
CARACTERÍSTICAS: 
Os poemas costumam rimar. Quando rimam, 
dizemos que eles brincam com as palavras! 
Eles podem ser escri...
A PORTA 
Eu sou feita de madeira 
Madeira, matéria morta 
Mas não há coisa no 
mundo 
Mais viva do que uma porta
Eu abro devagarinho 
Pra passar o menininho 
Eu abro bem com 
cuidado 
Pra passar o namorado
Eu abro bem prazenteira 
Pra passar a cozinheira 
Eu abro de supetão 
Pra passar o capitão
Só não abro pra essa gente 
Que diz (a mim bem me 
importa...) 
Que se uma pessoa é burra 
É burra como uma porta.
Eu sou muito inteligente! 
Eu fecho a frente da 
casa 
Fecho a frente do quartel 
Fecho tudo nesse 
mundo 
Só vivo aberta ...
REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA 
Moraes, Vinicius. A port, in: A arca de Noé: 
poemas infantis. 18. ed. Rio de Janeiro: José 
Oly...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Slideshareee

282 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
282
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
8
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Slideshareee

  1. 1. POEMA PROFESSORA: RACHEL BARONI
  2. 2. Objetivo: Desenvolver o gosto pela leitura e escrita e aprofundar as características do gênero textual: poema. Público Alvo: 3º ano
  3. 3. CARACTERÍSTICAS: Os poemas costumam rimar. Quando rimam, dizemos que eles brincam com as palavras! Eles podem ser escritos em uma ou mais estrofes, e cada estrofe pode ter vários versos. As linhas dos poemas, também chamadas de versos, não ocupam toda a extensão da página. Os poemas costuma falar de pessoas, de animais, de coisas...de tudo!
  4. 4. A PORTA Eu sou feita de madeira Madeira, matéria morta Mas não há coisa no mundo Mais viva do que uma porta
  5. 5. Eu abro devagarinho Pra passar o menininho Eu abro bem com cuidado Pra passar o namorado
  6. 6. Eu abro bem prazenteira Pra passar a cozinheira Eu abro de supetão Pra passar o capitão
  7. 7. Só não abro pra essa gente Que diz (a mim bem me importa...) Que se uma pessoa é burra É burra como uma porta.
  8. 8. Eu sou muito inteligente! Eu fecho a frente da casa Fecho a frente do quartel Fecho tudo nesse mundo Só vivo aberta no céu! Vinicius de Moraes
  9. 9. REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA Moraes, Vinicius. A port, in: A arca de Noé: poemas infantis. 18. ed. Rio de Janeiro: José Olyimpio, 1987. http://tatuagensedesenhos.blogspot.com.br/20 11/09/como-desenhar-uma-casa-simples.html http://eeandreantoniomaggi.blogspot.com.br/20 13/05/nelson-mandela-dia-da-cozinheira.html http://www.acrilex.com.br/educadores.asp?cont eudo=185&visivel=sim&mes=55

×